Street Fighter II: The World Warrior

Desenvolvido e publicado pela Capcom, Street Fighter II: The World Warrior é um jogo de luta, originalmente lançado para Arcade em 1991. Posteriormente, em 1992, o jogo foi lançado também para o SNES. O título é o segundo da série e a sequência direta do Street Fighter lançado em 1987.

Enredo

O líder da organização terrorista Shadaloo, conhecido como M. Bison, organiza um torneio de artes marciais e assim, reunir os melhores lutadores do mundo. O que ninguém sabia, é que esse torneio era apenas um fachada. Na verdade, seu plano era capturar os melhores lutadores, para fazer uma lavagem cerebral nos mesmos, para que eles fizessem parte da sua organização do mal e continuar com seu plano de poder.

Jogabilidade

Street Fighter II: The World Warrior, pode ser jogado por um ou dois players. Quando for somente um jogador, você joga o modo história do jogo, ou seja, lutará contra os oponentes controlados pela máquina, seu objetivo é zerar o jogo. No caso do multi-jogador, dois players poderão escolher aleatoriamente um lutador, bem como o cenário da luta.

A luta

O jogador enfrenta o oponente em lutas um contra um em uma série melhor de três. O objetivo do jogador é zerar a vida do oponente aplicando-lhe golpes e especiais, antes do tempo terminar. Se um lutador zerar a energia do oponente sem receber nenhum dano, como resultado ele ganha a luta do modo “Perfect”. Se a energia dos dois zerar ao mesmo tempo, acontece o “Double K.O”.

Ataques e Especiais

O jogo possui configuração de um joystick com 8 direções e 6 botões de ataque. O joystick serve para pular, agachar, se aproximar ou se afastar do adversário. No caso dos botões três são destinados para soco (leve, médio e forte) e da mesma forma, três para chutes. O jogador pode fazer uma série de movimentos básicos em qualquer posição, incluindo ataques de agarrar/atirar, além disso, o jogador também pode criar movimentos/ataques especiais fazendo uma combinação com a direção do joystick juntamente com os botões de ataque, cada personagem tem ataques e especiais exclusivos, com exceção de Ryu e Ken que possuem ataques e especiais idênticos.

Mini-jogos

Arcade GIF

No modo história, após três combates, o jogador participa de “Mini-jogo” para adicionar mais pontos. Os mini-jogos incluem, a destruição de um automóvel, um jogo de partir barris, onde estes são largados na direção do jogador a partir de uma plataforma rolante e por fim, a destruição de contentores inflamáveis, apinhados uns em cima dos outros. Os jogos bônus foram retirados da versão Arcade de Super Street Fighter II Turbo (apesar de estarem incluídos na versão para Game Boy Advance

Personagens

No Street Fighter II original, o jogador tem a opção de escolher oito personagens; a lista inclui Ryu e Ken (os protagonistas do jogo original), mais seis novos personagens de várias nacionalidades. O jogador luta contra sete dos personagens principais, e por fim, enfrentará os quatro adversários finais controlados pela máquina, conhecidos como os “Quatro Grandes Mestres”.

Lutadores jogáveis

  • Ryu, um karateka japonês, à procura de se tornar o “verdadeiro guerreiro”. Ryu já tinha ganho o primeiro torneio mundial, ao derrotar Sagat.
  • Ken, companheiro de treino e rival de Ryu, dos Estados Unidos. Ken entra no torneio encorajado por Ryu.
  • Chun-Li, uma lutadora de artes marciais chinesa (Kung Fu), que trabalha como oficial da Interpol, à procura de vingar a morte do seu pai.
  • Guile, um ex-militar das Força Aérea dos Estados Unidos, que quer derrotar o homem que matou o seu melhor amigo. Luta usando uma combinação de diferentes artes marciais, com destaque para movimentos de wrestling.
  • Blanka, um homem-besta do Brasil, criado na selva. Luta com um estilo de luta auto-didata baseado em movimentos ferais e tem o poder de criar descargas elétricas. Em jogos posteriores alguns movimentos da capoeira (como as rasteiras e chutes acrobáticos) e golpes de contato\agarrão de estilos indígenas (Huka-Huka; Luta Marajoara; Idjassú) seriam incorporados ao seu arsenal.
  • Dhalsim, um mestre de ioga, da Índia. Pacifista, apenas entrou no torneio para ganhar dinheiro para a sua aldeia pobre.
  • Zangief, um lutador de sambo da União Soviética. Entrou no torneio apenas para representar o seu pais.
  • E. Honda, um lutador de sumo do Japão. Participa no torneio para provar que o sumo é o melhor estilo de luta do mundo.

Chefões controlados pela máquina

  • Balrog (M. Bison na versão japonesa), um pugilista Afro-americano, desenhado com uma aparência similar a Mike Tyson.
  • Vega (Balrog na versão japonesa), um espanhol lutador de jaula, que usa um estilo único de ninjutsu.
  • Sagat, um mestre de Muay Thai e o chefe final do Street Fighter original, que ficou com uma enorme cicatriz no peito feita por Ryu na final do torneio anterior. Busca se vingar de Ryu.
  • M. Bison (Vega na versão japonesa), o oponente final do jogo e o líder da organização criminosa Shadaloo. M. Bison usa um poder misterioso conhecido como “Psycho Power”.

Curiosidades

  • Street Fighter 2 vendeu mais de 60 mil cabines de fliperama em todo mundo e como resultado, gerou uma receita que hoje iria equivaler a $1,19 bilhões de dólares.
  • O game chegou aos consoles caseiros com diferentes nomes e versões com mais personagens, sendo assim, considerando todas as versões o jogo foi lançado para: Super Nintendo, Mega Drive, PS3 e Xbox 360.
  • O jogo mudou a forma de como os campeonatos de videogame eram disputados, antes as competições eram feitas por pontos mas a partir de Street Fighter 2, os jogadores começaram a se enfrentar em torneios de um contra um.

Recepção e legado

Street Fighter II: The World Warrior é reconhecido como um dos maiores jogos eletrônicos de todos os tempos, e em particular o mais importante e influente jogo de luta já criado. Seu lançamento é visto como um momento revolucionário no seu gênero, e são creditados a ele a popularização do gênero de jogos de luta durante os anos 90, e também a inspiração de outros produtores para criarem suas próprias séries de jogos de luta. O jogo também iniciou um renascimento para a indústria de videojogos de Arcade, e teve impacto nos jogos de videogame competitivos e na cultura popular geral, como no cinema e na música.

O que você acha desse clássico das lutas? Deixe aí nos comentários.

Referências:

Wikipedia, Galáxia Nerd.

Metal Slug: Super Vehicle-001

Desenvolvido pela Nazca Corporation, Metal Slug: Super Vehicle-001 é um jogo 2D de tiro, do gênero plataforma, lançado para Arcade em 1996. É o primeiro jogo da Série, que é conhecida por seu senso de humor, animação extremamente fluida, desenhada à mão e ação rápida para dois jogadores.

Jogabilidade

O jogo tem tiroteio do começo ao fim e também um fluxo de inimigos que nunca param de aparecer. Ao todo, são seis fases, no final de cada uma, você precisa derrotar um chefão. No caminho, você poderá atualizar sua arma, bem como veículo, para melhor eficiência. Além de arma, você também pode atacar o inimigo no corpo a corpo, chutando-o ou usando uma faca. O cenário do jogo, na maioria das vezes, é destrutível. Às vezes, isso revela itens extras ou melhorias, outras vezes, simplesmente resulta em danos colaterais. No decorrer de cada nível, o jogador encontra POWs, se forem liberados, o jogador pode receber bônus na forma de itens, bem como, armas aleatórias. No final do nível, o jogador recebe um bônus de pontuação por libertar prisioneiros.; neste ponto, o jogo mostra o nome e a classificação de cada prisioneiro de guerra liberado, contudo, se o jogador morrer antes do final do nível, a contagem de prisioneiros libertados é excluída.

Inimigos

A maioria dos inimigos em Metal Slug são soldados, que recebem armas que se encaixam em seu papel específico. Além dos soldados, o jogo possui também, tanques, aeronaves e artilharia móvel.

Veículos

O principal veículo do jogo, é o SV-001, ele só pode ser usado por um jogador de cada vez. O canhão principal usa munição separada de granadas e outras armas, em outras palavras, é muito mais poderoso. Granadas de mão ainda pode ser arremessado para fora do veículo. O jogo possui também, um canhão Vulcan de tiro rápido com torre e bola que pode disparar em qualquer direção. O veículo pode suportar três golpes diretos antes que, seja destruído, contudo, a saúde do mesmo, pode ser restaurada ao encontrar botijões de gás. Quando o veículo estiver prestes a explodir, o jogador terá apenas alguns segundos para desocupa-lo, além disso, o veículo também pode ser usado como uma arma kamikaze, que o envia a um ataque suicida quando o jogador pula. Na Missão 4 em diante, os inimigos podem montar o tanque e remover o canhão Vulcan.

Fases

Há um total de seis níveis, com temas que variam de florestas, cidades guarnecidas, vales de montanhas nevadas, desfiladeiros e bases militares, são eles; Absolute Thick Forest, A Wish For a Morning Glow, Iron Cavalrymen in Hell, Death Valley, The City Under Despotism e The Memorial Sea.

Recepção

Após a sua aparência inicial, Metal Slug: Super Vehicle-001 recebeu críticas mistas. O jogo foi fortemente criticado pela sua dificuldade. No entanto, foi elogiado por ser um jogo divertido, principalmente devido às suas animações suaves e bem-humorado. Major Mike da GamePro concorda que a versão Neo Geo sofre de baixa longevidade, com muito poucos níveis e uma completa falta de valor de replay, e por fim, criticou a desaceleração no jogo. No entanto, ele aprovava os gráficos, música e arsenal de armas. Por fim, esse é um jogo que marcou época, e até hoje, é lembrado com muito carinho pelos amantes de games.

Deixe aí nos comentários, o que você acha desse clássico das Arcades.

Referência:

Fandom.

Tekken 3

Desenvolvido e publicado pela Namco, Tekken 3 é o terceiro jogo da série Tekken. Foi lançado especialmente para Arcade em 1997, mas devido ao grande sucesso, também chegou as plataformas Windows e PlayStation 1, como resultado, foi considerado o melhor jogo de luta para a plataforma.

Jogabilidade

Com 14 novos personagens, maior velocidade e recuperações de queda diferenciadas, Tekken 3 conseguiu uma das melhores jogabilidades em jogos 3D para PlayStation. O equilíbrio entre  velocidade  e força de alguns personagens leva o jogador a embates onde o que conta realmente é a habilidade e não o personagem escolhido. Diferente dos jogos anteriores, os personagens adicionais de Tekken 3 não são sub-chefes. Eles são abertos em determinada ordem, à medida que o game é terminado com os jogadores iniciais.

História

Após o segundo torneio Tekken, Heihachi Mishima derrota e mata seu filho Kazuya e retoma o controle sobre a megacorporação Mishima Zaibatsu. Quinze anos depois, chega aos ouvidos de Heihachi, um boato sobre uma força misteriosa atuando no México e várias notícias de que lutadores famosos teriam sido derrotados por essa força se espalharam pelo mundo. Alguns aldeões disseram que era Ogre, um deus asteca da luta, que veio do céu para viver entre os mortais. Heihachi manda seu grupo paramilitar, a Tekken Force para investigar. Eles encontram o esconderijo, mas Ogre é mais forte do que pensavam, e todos foram dizimados.

Poucos tempo depois, Heihachi recebe a visita de um adolescente, e posteriormente, descobre que ele era seu neto Jin Kazama, filho de Jun Kazama e de seu filho Kazuya. Jin conta a Heihachi que Ogre atacou o lugar onde morava e matou sua mãe e que procurou seu avô por conselho de sua mãe, caso algo acontecesse, pois havia pressentido a aproximação de um grande mal. Intrigado e com a ambição de ter aquele poder, Heihachi percebe a força e a sede de vingança de Jin e decide treiná-lo. Suas reais intenções, contudo, eram de atrair Ogre usando Jin como isca. Algum tempo depois, quando Jin já se tornara um poderoso lutador, Heihachi anuncia o terceiro Rei do Torneio Punho de Ferro, esperando atrair a atenção de Ogre. Mas havia algo que Heihachi não sabia.

Arcade Mode

Modo história do jogo, ou seja, se caracteriza pelo desenrolar principal de cada personagem. Essa parte do game funciona a partir de 10 estágios, no último você enfrentará o chefão, que é o vilão principal nessa história, o True Ogre. Conforme você termina o jogo com um personagem, passam cenas do passado daquele respectivo lutador, caso você termine o game com 10 lutadores diferentes, novos modos no menu, além de personagens secretos serão destravados.

Theatre Mode

Quando você termina o jogo com os personagens principais, uma nova opção no menu do game é destravada.  Ela consiste em nós podermos ver cada história do personagem em computação gráfica,ou seja, sem precisar terminar o Tekken 3. Vale saber que, para ter todas as count scenes liberadas, você precisa terminar o jogo com todos os personagens.

Tekken Ball Mode

Esse modo de jogo, também é destravado quando você termina o game com os 10 personagens iniciais. Basicamente, funciona como o conhecido jogo de queimada, ou seja, Os lutadores ficam postos em “quadra” e o objetivo é golpear a bola e acertar seu oponente Quando concluído essa parte, você destrava  Gon, o mini dinossauro.

Tekken Force Mode

Tekken Force Mode é um mini-jogo dentro do game, ele funciona da seguinte maneira. Depois de escolher um jogador, você vai lutando contra inimigos bem mais fracos, como se fossem capangas. Conforme vai passando os estágios, aparece alguns chefões, no final de tudo você recebe duas chaves, que servem para liberar outro personagem secreto, o Doctor B.

Recepção

Tekken 3 teve muitas críticas positivas. Nessa terceira versão o enredo se torna mais apurado, e a jogabilidade mais fluída tendo em vista que os programadores já haviam dominado as técnicas do Playstation, criando assim o que o site Gamespot chamou de “melhor jogo de luta para a plataforma 32 bits da Sony”.

Qual foi sua experiência com Tekken 3? Deixe aí nos comentários.

Referências:

Wikipedia, Amino Apps.

Circus Charlie

A princípio, foi publicado originalmente para Arcades pela Konami, em 1984, o Circus Charlie é um jogo de ação, onde o jogador controla um palhaço chamado Charlie em seis fases com temas circenses.

No mesmo ano, foi lançado para o MSX, posteriormente, 2 anos depois para o NES. Logo depois, em 1987, 3 anos após o lançamento, foi a vez das plataformas Soft Pro e o Commodore 64 receberem o game.

Gameplay

O jogo possui 6 fases, todas elas representam em alguns aspectos, uma modalidade circense. O Charlie, precisa caminhar montado em um leão e pular sobre arcos em chamas, andar sobre a corda bamba pulado macacos, saltar de trampolim em trampolim se desviando de atiradores de facas, pular de bola em bola, andar a cavalo saltando sobre trampolins e passar de um trapézio para o outro.

Charlie também corre contra o tempo. Os pontos de bônus são concedidos de acordo com o tempo restante, mas ficar sem tempo custará uma vida ao jogador.O jogo não tem um fim, após a sexta etapa, o jogo começa novamente, mas com um ritmo mais rápido e níveis mais difíceis (mas exatamente o mesmo em termos de tarefas a serem concluídas).

Fases

A versão padrão do Arcade possui 6 níveis no total. Os níveis 1, 2, 4 e 5 têm 5 subníveis. O nível 3 contém 7 subníveis. Cada subnível fica mais difícil. O nível 6 também possui 5 subníveis, mas se repete enquanto o usuário tiver vidas.

Fase 1

O Charlie percorre um trajeto de aproximadamente 100 metros montado em um leão, dessa forma, ele precisa ir pulando entre aros em chamas e coletando alguns saquinhos de dinheiro para aumentar sua pontuação.

Fase 2

Aqui, nosso amiguinho percorre um trajeto andando sobre uma corda bamba. Essa fase é bem fácil, ele precisará saltar por cima de macacos que estão parado, só é preciso ter cuidado, os macaquinhos azuis, vem correndo em sua direção.

Fase 3

Nessa fase, o Charlie salta entre trampolins, desviando de atiradores de facas e respiradores de fogo. Nos subníveis 3 e 6, os trampolins são colocados em uma piscina e os atiradores de facas e respiradores de fogo são substituídos por golfinhos saltadores.
Essa fase não está presente no NES.

Fase 4

Você precisa saltar de bola em bola, elas estão se mexendo. Inicialmente, parece ser difícil, mas é uma fase bem fácil, você só precisa dominar a distância certa para saltar de uma para outra, tomando cuidado para as bolas não se esbarrarem e o Charlie cair.

Fase 5

Essa é um pouco mais complicadinha. Montado em um cavalo, o Charlie precisará saltar ou desviar de plataformas suspensas. É possível controlar a velocidade do cavalo para facilitar a manobra.

Fase 6

A última é sempre a mais difícil, e nesse jogo não é diferente.
Aqui, o palhacinho precisará atravessar todo o picadeiro pulando de trapézio em trapézio, usando as camas elásticas para ajudar no timing das cordas. É possível controlar a velocidade da corda, fazendo-a balançar mais rápido ou devagar.

Vale saber

Nos fliperamas, há uma versão “Level Select” do jogo, na qual o jogador pode escolher qualquer um dos estágios para jogar, mas apenas um número limitado de vezes cada, e o nível se tornará não selecionável
A versão Famicom/NES abandona o estágio de trampolim, mas oferece o modo “B”, no qual todos os níveis são repetidos com mais dificuldade.

O legado

Circus Charlie GIF

Não há uma pessoa que não conheça o jogo. Ou jogou, ou pelo menos, viu o irmão, primo ou até mesmo um amigo jogando. Circus Charlie é um daqueles jogos divertidos e pequenos, que servem como distração para tirar você do tédio.

Deixe nos comentários o que você acha desse jogo incrível.

Referências:

Wikipedia, Jogo Veio.