The Elder Scrolls V: Skyrim

The Elder Scrolls V: Skyrim é um RPG eletrônico desenvolvido pela Bethesda Game Studios e publicado pela The Elders Scrolls. É o quinto jogo principal da série The Elder Scrolls, seguindo The Elder Scrolls IV: Oblivion. Foi lançado em 11 de novembro de 2011 para PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows. É o primeiro jogo ocidental da história a receber 40/40 (nota máxima) na conceituada BGS. O Jogo Conseguiu três prêmios no VGA 2011, incluindo melhor jogo do ano.

Os acontecimentos do jogo passam-se duzentos anos depois da, já quase esquecida, crise de Oblivion, no ano 201 da quarta era (4E 201) na província de Skyrim, no norte de Tamriel, e 30 anos após a mais recente Grande Guerra, onde o Aldmeri Dominion e o Império lutaram arduamente, mas que quase extinguiu os humanos de Tamriel, e para evitar tal derrota, acordaram com a Aldmeri Dominion, rendendo duas forças e sujeitando-se as suas exigências.

Skyrim é a terra natal de um povo bravo chamados de Nords (uma raça de humanos) onde além da Grande Guerra, irrompeu uma guerra civil após o assassinato do Alto Rei de Skyrim, Torygg. E diante de todas estas guerras e problemas, a província se encontra dividida: de um lado, os StormCloaks, rebeldes comandados por Ulfric que buscam a independência de Skyrim perante o império; do outro, os Imperiais, militares comandados por Tullius e aliados ao império.

O Enredo

Durante muito tempo, os dragões reinaram no mundo. Escravizavam, eram muito poderosos e viviam em grandes quantidades. Alduin era o líder de todos os dragões e ele, principalmente ele, fazia as barbaridades que fez com os humanos, elfos e outras raças.

Os dragões eram temidos e ninguém tinha a coragem de peitar um dragão ou virar-se contra, até que chegou a era dos Dovahkiins ou Dragonborns (Nascidos dos Dragões). Os Dragonborns eram fortes, tinham maior resistência contra os dragões e isso os fez começar uma revolta contra os gigantes com asas. A imunidade contra os dragões também era parte dos Dovahkiins e isso foi o inicio da decadência de Alduin e sua raça.

Os Dragonborns lutaram, se organizaram e derrotaram Alduin, o que trouxe o fim e a extinção de outros dragões. O mundo se juntou e ajudava os Dovahkiins, o dragões eram caçados com toda força até que aos poucos foram deixando de existir, chegando ao fim da raça.

Centenas de anos depois, algo ocorre. Há rumores de que os dragões estão de volta, Alduin ressurgiu das cinzas como uma fênix e estava pronto para recomeçar a sua vingança e seu massacre contra aqueles que um dia o derrotaram. Ele descontaria toda a sua raiva nas raças e escravizaria-as novamente.

A volta de Alduin trouxe inúmeros problemas, o dragão líder sabia que jamais poderia concretizar os seus planos sozinho e então decidiu reviver todos os dragões que um dia já reinaram com ele, mas Alduin não contava com uma coisa: Ele também teria oponentes à sua altura, o último Dragonborn ainda estava vivo e esse Dragonborn é você, jogador.

O enredo é bom, apesar de não ser mais original ou o melhor enredo. Ele usa aquele clássico roteiro: “A Jornada do Herói”, onde o herói renega o seu papel e depois decide ajudar. Há alguns clichés, mas isso não torna o jogo ruim. O enredo nos traz alguns personagens marcantes, mas a maioria é sem expressão ou você nem sente nada por eles. Para nós da Taverna 42, o enredo tem nota 6,0.

Jogabilidade

No lançamento, a jogabilidade era horrível. O jogo vinha cheio de bugs no sistema e todos tiveram que ser corrigidos. Com o passar dos anos, os bugs foram sumindo e o jogo foi ficando bom. Hoje é quase impossível encontrar quaisquer bugs dentro do game.

Como Skyrim se inspira muito em um RPG de mesa (que é a ideia original dos RPG’s), tem-se no jogo uma liberdade enorme. A liberdade vem desde criar o personagem do 0% a até mesmo se tornar-se um Jarl e decidir o destino de uma vila. Skyrim tem tantas opções que você vai ficar perdido e maravilhado com o mundo.

Há muitas armaduras, muitas espadas, muitas magias e roupagens que vão de deixar maluco. É uma liberdade e uma gama muito alta de variação. O jogo apresentou esse recurso como ninguém na época de seu lançamento e é possível se surpreender com Skyrim até os dias de hoje.

Criação de Personagem

Para começar, a criação de personagem tem inicio na aparência do último Dragonborn. Você pode customizar a aparência inteira do Dovahkiin alterando porte físico, cabelo, sexo, olhos, boca e etc. Após a customização de aparência, você pode nomeá-lo com qualquer nome que quiser e a partir deste momento, ele será conhecido/reconhecido com aquele nome e com aquela aparência.

Árvore de Habilidades, Atributos & Magias

É possível escolher qualquer tipo de habilidade, magia ou atributo para melhorar quando você evoluí o seu nível. Em Skyrim, ao praticar as habilidades você ganha experiência até evoluir o nível de seu personagem e, por fim, gastá-lo nas perícias.

A experiência que o game proporciona é focada na liberdade. O mapa é finito, porém, aberto. Grande parte dele fica disponível a partir do momento em que o tutorial acaba. O jogador tem liberdade para agir como e quando quiser, exceto fazer ações que o desviem da história. Essa liberdade é um elemento recorrente da série Elder Scrolls e tem como grande inspiração os RPG’s de mesa.

Ações básicas não te dão experiência alguma. Há algumas exceções delas, quaisquer ações que o jogador fizer estarão relacionadas com uma ou mais habilidades que irá resultar num ganho de experiência na área da respectiva perícia.

O Dovahkiin se tornará mais proficiente nas ações relacionadas a tal habilidade conforme passa o tempo. A evolução do personagem é quantificada como um aumento no nível da habilidade. Cada acréscimo contribui para que o nível do personagem aumente.

Para cada nível que se alcança, é disponibilizado um ponto que pode ser gasto para obter uma das perícias de alguma das árvores de habilidade. As perícias possuem restrições com base no nível da habilidade que concede ao jogador alguns bônus que são usados em jogo.

As magias são muito variadas. Há mais de 60 tipos de magias diferentes com seus níveis adequados para o jogador, variações de força, gasto de mana e muito mais. Existem seis classificações para magias:

Ilusão: O mago engana o alvo com imagens, sons e modificações no cenário para que pensem que algo está acontecendo. Atravéz de suas mentes, o conjurador ilude e coloca imagens que não existem para enganar.

Conjuração: O mago convoca monstros de outros planos ou teletransporta monstros do próprio mundo como uma conjuração para o lugar que ele está. O monstro também pode ser um clone e não ser o original para evitar riscos de ataque no próprio conjurador. O monstro ficará como aliado do mesmo por um tempo determinado.

Destruição: Magias como estas servem para a destruição total. Elas dão dano massivo e ferem a quem toca. São totalmente letais e são as mais usadas por magos, feiticeiros e etc.

Restauração: Magias de restauração foram criadas inicialmente para a proteção total do conjurador ou do alvo. Elas podem bloquear totalmente o dano físico ou mágico do outro mago. Esse tipo de magia cura, bloqueia e restaura o que o mago quiser e puder.

Alteração: As magias de alteração geralmente são usadas para moldar e mudar a natureza dos objetos e pessoas. Ela altera estados físicos, pode aumentar a resistencia, mudar a propriedade e muito mais. Apesar de interessante, poucos magos a usam em Skyrim.

Encantamentos: Os encantamentos são a capacidade que o conjurador tem de criar propriedades mágicas em objetos. Não são usadas como magias conjuratórias, mas são misturadas a objetos, pessoas e armas/armaduras para ajudar em combates ou facilitar diálogos. Os encantamentos são feitos como rituais em objetos para que o mesmo pegue a propriedade mágica conseguida pelas forças da natureza ou forças negras.

Com essas magias, os magos fazem estragos em Skyrim. É extremamente difícil lutar com um mago sendo um guerreiro quando estiver avançado no jogo. Os magos são ótimos oponentes e suas magias são muito poderosas.

As magias podem ser descobertas lendo livros ou estudando em colégios de magia (como o de Winterhold). É possível combar as magias e deixar algo ainda mais forte. Combar classes com magias é outro costume de muitos jogadores de Skyrim.

Não se perca por aí

Skyrim é realmente um jogo gigantesco e por isso a principal dica é não se perder em seu grande mapa, seja fazendo missões ou apenas vagando por aí. Se você não estiver completando a história principal, fica a seu critério buscar missões em outros locais, mas é sempre bom anotar onde esteve por último e qual direção seguir se estiver perdido.

Qualquer dúvida, você pode consultar sempre um grande mapa, seja no jogo ou pela internet, buscando no Google por termos como “Skyrim Map” ou “Mapa Skyrim”. Você pode até mesmo imprimir uma destas imagens e ir se guiando, marcando por onde já esteve e mais, como um verdadeiro aventureiro medieval.

Se possível, seja um Nord

Se ainda não tiver começado o jogo, vale uma boa dica: dê preferência à raça Nord, que possui uma grande resistência ao tempo frio, mesmo ao “frio mágico”, algo que vai ser bem predominante em muitas regiões do mundo de Skyrim. E, acredite, você vai precisar se proteger do frio.

Além do clima, outra possível ameaça vem dos inimigos, que utilizam Frostbite, capaz de congelar seu personagem (lembra que eles resistem ao dano mágico?). Além da boa resistência, os Nord são uma boa opção para quem está jogando pela primeira vez, por serem bem equilibrados.

O ano do arco e flecha

Muitos jogadores gostam de brincar com o fato de que “2012 é o ano do arco e flecha”. Diversos games foram apresentados com protagonistas que usam este tipo de arma, mas ela é realmente muito útil. Prova disso é que uma das principais dicas de The Elder Scrolls V: Skyrim é sempre ter o conjunto de arco e flecha nos equipamentos.

Compre ou consiga um assim que puder e tente utilizar sempre com as classes de guerreiros e magos. Guerreiros podem resistir mais a danos que os inimigos possam causar, por isso podem atacar a distância até mesmo quando estiverem mais próximos e os magos podem se proteger atacando de longe com a flecha, já que eles não aguentam muitas pancadas.

Ajuda é sempre bem-vinda

Skyrim te permite ter escudeiros, pessoas que você pode contratar para ser um fiel aliado – seja no campo de batalha ou em tarefas mais básicas, como carregar equipamentos. Assim que possível – e estiver disponível – contrate um e trate-o bem! Nada de matar o escudeiro ou coisa assim (alguns jogadores chegam a matar seus aliados acidentalmente, então tome cuidado mesmo).

Com o escudeiro, procure deixar alguns equipamentos razoáveis para que ele possa usar, como uma coleção completa de proteção (com armadura, luvas, botas, um elmo básico), um arco e flecha, cajado com magia e uma arma de duas mãos com alguma bonificação. Assim, seu escudeiro poderá sobreviver bem por algum tempo e te ajudar nas horas mais preciosas.

O sonho da casa própria

Skyrim é um jogo tão complexo que te permite até mesmo ter uma casa, o que é muito útil! Você pode comprar a sua casa ou construir uma do zero (neste segundo caso é preciso ter uma das expansões do jogo – Hearthfire).

As casas próprias lhe concedem muitas vantagens, como a possibilidade de guardar uma infinidade de equipamentos que não vai usar mais, mas que não quer se desfazer, se proteger de inimigos, criar uma família (com esposa, ou marido, e até filhos) entre outras coisas.

Sempre salvar. SEMPRE!

Em Skyrim você deve seguir sempre o princípio básico de qualquer RPG: salve sempre seu progresso. Seja para continuar mais tarde ou para se proteger de algum eventual erro que possa ocorrer.

Infelizmente, Skyrim é um jogo bom mas também repleto de erros, os chamados bugs, por isso é sempre bom se precaver. Salve sempre seu progresso para evitar que um bug trave seu jogo de forma irreparável, por exemplo, ou para voltar atrás em uma má decisão que você possa ter tomado em algum momento da aventura.

Como pousar um dragão

Os dragões são alguns dos inimigos mais poderosos do mundo de Skyrim, e por isso dão bastante trabalho durante as batalhas, principalmente porque eles voam e são difíceis de se alcançar. Mas há uma estratégia bem básica para pousar um dragão – e assim acertá-lo mais facilmente.

O ideal é se manter em uma área de terreno aberto, sem coberturas ou grandes árvores atrapalhando. Se lutar em áreas fechadas, os monstrengos vão apenas circular sua cabeça e atacar com chamas de fogo que vão lhe consumir a vida. Mantenha a batalha em um campo aberto e fique provocando, atacando com magias de distância, flechas e por aí vai. Logo o dragão vai descer para te chamar para uma briga. A partir daí é só atacar com seus melhores golpes (e se defender, claro) para derrotar o monstro.

Não seja um “gastão”

Os equipamentos de Skyrim são muito importantes, incluindo as armas, mas procure não gastar tanto dinheiro com eles. Guarde seu ouro para ocasiões mais importantes (como comprar uma casa). Muitos vendedores vão querer vender armas logo no início do jogo, mas não dê muita atenção.

Prefira sempre conseguir equipamentos durante as lutas, resgatando de monstros mortos, obtendo ao completar missões e por aí vai. Não espere conseguir bons equipamentos sempre, em todas as batalhas, mas eles eventualmente irão aparecer. Não precisa ter pressa.

Viagem rápida

Skyrim possui um interessante sistema de viagem rápida, que poupa o jogador de precisar andar longas distâncias, mesmo à cavalo. Basta selecionar no mapa os locais por onde já passou e aguardar o carregamento.

Esta função é bem útil, já que poupa tempo e também faz com que você evite encontros inesperados e desnecessários no caminho. Afinal, nada melhor do que evitar passar a pé naquela região recheada de gigantes ameaçadores, certo?

A regra de ouro de Skyrim

Sabe qual é a chamada “regra de ouro de Skyrim”? Sempre jogue em primeira pessoa. O game foi feito para ser jogado desta forma, por isso, não tente utilizar a visão em terceira pessoa – que existe, mas é totalmente opcional.

Digamos que a visão em terceira pessoa do jogo esteja lá por um mero detalhe, ela não é nem um pouco aconselhada, tanto que a jogabilidade fica até desengonçada quando se joga neste modo. Skyrim (e a maioria dos games da produtora Bethesda) foi feito para ser jogado em primeira pessoa, o que lhe concede melhor jogabilidade e um visual ainda mais épico para a aventura medieval.

Raças

High Elves

São conhecidos por Altmer, eles são originários de Summerset e são excelentes mestres da magia. Caso você opte por esta raça, você já iniciará o jogo com 150 pontos de magia, uma ótima melhoria, uma vez que naturalmente se começa com apenas 100 pontos. Possui o poder Highborn e as habilidades Healing, Fury e Flames.

Alteration: +5

Enchanting: +5

Destruction: +5

Illusion: +10

Restoration: +5

Argonians

São seres originários dos pântanos e tem características de réptil. Esta raça não é afetada por doenças, além de pode respirar dentro de água e curar as feridas por tempo de 60 segundos. Possui o poder Histskin e as habilidades Healing e Flames.

Alteration: +5

Light Armor: +5

Lockpicking: +10

Pickpocket: +5

Restoration: +5

Sneak: +5

Bretons

São ótimos magos e mestres da alquimia e possuem uma excelente resistência em luta e uma impressionante força física. Caso você escolha esta raça, terá o poder Dragonskin que tem a função de 50% menos de danos quando receber um ataque com magia.

Alquimia: +5

Alteration: +5

Conjuration: +10

Speech: +5

Illusion: +5

Restoration: +5

Wood Elves

Uma raça muito ágil e astuta e que possui uma capacidade impressionante de conseguir objetos que não são seus, outra grande qualidade é capacidade de se esconder nas sombras. Possui uma grande habilidade com o arco e resistência a venenos e doenças. Ou seja, uma excelente raça para o papel da infiltração.  Tem o poder Command Animal e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: +5

Archery: +10

Light Armor: +5

Pickpocket: +5

Lockpicking: +5

Sneak: +5

Dark Elf

Dominam as magias mais escuras existentes no game, principalmente os feitiços de fogo. Esta raça é oriunda de Morrowind e a sua proximidade com o elemento fogo faz com que esta raça seja 50% mais resistente a ele. Possui o poder Ancestor’s Wrath, e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: 5+

Alteration: +5

Light Armor: +5

Destruction: +10

Illusion: +5

Sneak: +5

Redguards

São ótimos guerreiros e tem uma força física invejável. A sua resistência pode regenerar até 10 vezes mais rápido que qualquer outra raça, além de ter mais resistência aos venenos. Tem o poder Adrenaline Rush e as habilidades Healing e Flames.

Alteration: +5

One-Handed: +10

Archery: +5

Block: +5

Destruction: +5

Smithing: +5

Imperials

São humanos que tem uma alta eloquência e um maior nível de discurso, permitindo que encontre mais ouro. Têm excelente capacidade de convencer os outros, além de ter uma ótima afinidade com a infantaria. Possui o poder Voice of the Emperor e as habilidades Healing e Flames.

One-Handed: +5

Heavy Armor: +5

Block: +5

Destruction: +5

Enchanting: +5

Restoration: +10

Khajiit

Raça com aspecto felino originários de uma província de Elseweyr. Eles possuem a capacidade de ver no escuro, além de serem bem ágeis e inteligentes. Uma excelente escolha para o estilo de jogo baseado no sigilo e na infiltração. Tem o poder Night Eye e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: +5

Archery: +5

One-Handed: +5

Lockpicking: +5

Pickpocket: +5

Sneak: +5

Nord

Raça humana que se diferenciam por seu valor e ferocidade nas batalhas. Eles possuem uma excelente resistência natural para o frio, sendo assim, sofrem menos danos quando são atacados com feitiços de gelo. Tem o poder Battle Cry e as habilidades Healing e Flames.

Two-Handed: +10

One-Handed: +5

Light Armor: +5

Block: +5

Smithing: +5

Speech: +5

Orcs

Esta raça é extremamente feroz e pode alcançar um estado de fúria que deixa um extra de 100% em seu ataque e 50% em sua defesa. Tem o poder Berserker Rage e as habilidades Healing e Flames.

Heavy Armor: +10

One-Handed: +5

Two-Handed: +5

Block: +5

Enchanting: +5

Smithing: +5

A Picareta do Notch — Easter Egg de Minecraft

O mais clássico de todos os segredos de The Elder Scrolls V: Skyrim, mas que vale uma menção para quem ainda não a encontrou. Viaje até a Garganta do Mundo, a montanha mais alta do game, e escale-a até o topo. Lá você encontrará a Notched Pickaxe cravada em um monte de minério de Malaquita. Essa é uma homenagem ao Minecraft, game criado por Markus “Notch” Persson.

A manha das flechas

Um segredinho obrigatório para qualquer arqueiro. Encontre um NPC que está sempre praticando arquearia contra um alvo e roube suas flechas, trocando-as por uma flecha de alta qualidade. O NPC irá então atirar diversas flechas daquele tipo no alvo, permitindo que você acumule flechas boas de graça.

Livrinho de aventuras

Enquanto se aventura por Skyrim, é fácil esquecer de parar e ler alguns livros. Mas às vezes vale a pena fazer uma pausa para curtir uma boa leitura. O livro Kolb and the Dragon: A book for Nord Boys, é um livrinho no estilo “Escolha sua própria aventura”. Escolha um caminho no final de cada página para saber o que vai acontecer com seu herói. E não vale roubar!

O cavaleiro sem cabeça

Um dos segredos mais assustadores de The Elder Scrolls V: Skyrim é o cavaleiro sem cabeça que você pode encontrar cavalgando por Skyrim em seu alazão espectral. Ele pode ser difícil de achar, mas se você segui-lo até seu destino final, irá chegar até Hamvir’s Rest para enfrentar uma dezena de mortos-vivos e um caixão com… um crânio dentro.

The Chill: A prisão de Winterhold

The Chill é um dos segredos mais escondidos de The Elder Scrolls V: Skyrim. Sua localização é fácil de deixar passar, já que ela está na beirada do mapa, passando além do Colégio de Winterhold. Essa caverna é, na verdade, uma prisão para Winterhold com um Frost Atronach que serve como guarda. Você pode ser mandado para a cadeia se for preso por um guarda de Winterhold, mas eu não recomento. Mesmo que você escape, terá que encarar três Frost Atronachs na saída da cadeia.

Picos escondidos de Solstheim

Os próximos segredos dependem da expansão Dragonborn. A ilha de Solstheim disponível nesse DLC tem muito a oferecer, como os quatro montes escondidos que representam os pontos mais altos de sua geografia. Você não encontrará esses locais no seu mapa até alcançar o topo de cada pico, e eles exigem um pouco de habilidade para serem escalados. Mas vale a pena, porque a vista deles é impressionante.

Monte um dragão imortal

O DLC Dragonborn te oferece a oportunidade de montar em dragões, mas de que adianta isso se o monstrão pode morrer? Se você viajar de volta para a Garganta do Mundo após aprender o grito que te permite controlar dragões, você pode conjurar um dragão especial que é um NPC importante, portanto, não pode morrer ou se voltar contra você como outros dragões treinados.

O Ebony Knight

Você precisa atingir o nível 80 antes do Cavaleiro de Ébano aparecer na porta da sua casa com um simples pedido: uma luta até a morte. E ele é bem forte, usando as melhores armas e armaduras do jogo e até mesmo usando seus próprios gritos mágicos! Não tenha vergonha de chamar um amiguinho para a luta… ou até mesmo um dragão.

Aranhas explosivas

O DLC Dragonborn também tem uma pequena área Spider Imbuing Chamber em The Elder Scrolls V: Skyrim. Após completar White Ridge Barrow na ilha de Solstheim, você irá encontrar um grande dispositivo de fabricação de itens que usa gemas e Albino Spider Pods para criar aranhas explosivas arremessáveis. É isso mesmo o que você leu.

Thu’ums

Os Thu’ums ou Gritos são características de qualquer Dohvakiin. Ao nascer, os Dragonborns tem a características de absorver o poder de dragões e usar como gritos de guerreiro. Os gritos tem vários efeitos e são muito úteis durante o jogo. Há alguns Thu’ums que funcionam como uma espécie de magia como conjuração e alteração, mas são poderes na realidade de Skyrim.

Ao matar um dragão, o Dohvakiin recebe a alma do dragão. Quando ele suga essa alma, ele ganha o grito do dragão que é determinado pelo tipo de dragão. Ao ganhar esse grito, o herói pode usá-lo para o momento que precisar e sem pestanejar.

Gráficos

Originalmente, The Elder Scrolls V: Skyrim não apresentou os melhores gráficos nem na época. Ele tinha gráficos muito bons, mas já tínhamos jogos superiores como Battlefield 3. Graficamente, o game, para os dias de hoje é ruim e por isso muitos jogadores instalam modificações para melhorias gráficas.

Para a época, os efeitos de iluminação, fumaça, fogo e até mesmo as texturas eram bons. Não deixavam a desejar. Skyrim usa a mesma Engine de “Fallout” 3 e “Fallout: New Vegas”, mas com um polimento e uma dedicação maior no game.

Apesar de toda essa maravilha, os personagens e NPC’s não tem expressões faciais bem trabalhadas. É tudo muito morto e isso tira um pouco da imersão, mas não atrapalha a experiência.

Para nós da Taverna 42, Skyrim tem nota 7,0 no quesito gráfico. Avaliando pela época, o jogo tinha gráficos bons, efeitos bons, não incomodava o jogador e dava para se divertir com esses efeitos.

Trilha Sonora e Sons

The Elder Scrolls V: Skyrim tem ótima trilha sonora e ótimos sons. Esse sem dúvida é um dos pontos mais fortes de Skyrim. Os sons são muito realistas, o barulho das espadas, as magias, os monstros, o vento, a chuva, tudo é muito bem utilizado e tudo é muito bem colocado.

A trilha sonora inspira o jogador, mas ela aparece melhor em momentos de batalha. Durante as viagens pelo mapas, o game toca músicas calmas e tranquilas. Há instrumentos musicais que são tocados pelos NPC’s do jogo e que podem ser tocador pelo jogador.

Durante as batalhas, a trilha sonora é demais! A inspiração e a adrenalina vem na hora da batalha graças a essa trilha sonora.

Para nós da Taverna 42, a trilha sonora e os sons tem nota 9,0. Inspira o jogador quando precisa, dá uma melhor imersão ao game e é marcante.

O jogo

A jogabilidade é ótima, o sistema de evolução do personagem é bem trabalhado, há uma gama muito alta de magias, espadas armaduras, escudos, roupagens, itens, livros e muito mais do que o mundo de Skyrim tem a oferecer. Hoje em dia, o jogo está ótimo para jogar e não apresenta alguns bugs.

Os controles são bem encaixados, há uma variedade enorme de itens e objetos tanto ativos quanto passivos, há uma quantidade alta de magias, a liberdade de customização e criação é enorme e o caminho que você vai seguir é totalmente livre.

Referências:

Taverna, Palpite Digital, Br Ing, techtudo, wikipedia.

Comente abaixo sobre The Elder Scrolls V: Skyrim!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.