Rocket League

Rocket League é um jogo eletrônico de futebol veicular desenvolvido e publicado pela Psyonix. Foi lançado pela primeira vez para Microsoft Windows e PlayStation 4 em julho de 2015, com as portes para o Xbox One, MacOS, Linux e Nintendo Switch sendo lançados posteriormente. Em junho de 2016, a 505 Games começou a distribuir uma versão física para o PlayStation 4 e Xbox One, com a Warner Bros. Interactive Entertainment assumindo essas funções até o final de 2017.

Descrito como “futebol, mas com carros movidos a foguete”, Rocket League tem de um a quatro jogadores designados para cada uma das duas equipes, usando veículos movidos a foguete para acertar o gol do adversário e marcar pontos ao longo de uma partida. O jogo inclui modos para um jogador e multijogadores, que podem ser jogados localmente e on-line, incluindo jogos multi-plataforma entre as versões de PlayStation 4 e Microsoft Windows, bem como cross-play entre as versões de Xbox One, Switch e Windows. Atualizações posteriores permitiram a modificação de regras básicas e novos modos de jogo, incluindo os baseados em hóquei no gelo e basquete.

Rocket League é uma continuação de Supersonic Acrobatic Rocket-Powered Battle-Cars, publicado pela Psyonix em 2008 para o PlayStation 3. Battle-Cars recebeu críticas mistas e não foi um grande sucesso, mas ganhou uma base de fãs leais. A Psyonix continuou a se sustentar através do trabalho de desenvolvimento de contrato para outros estúdios, enquanto procurava desenvolver uma sequência. A empresa iniciou o desenvolvimento formal de Rocket League por volta de 2013, refinando a jogabilidade de Battle-Cars para lidar com críticas e comentários dos fãs. A desenvolvedora também reconheceu sua falta de marketing para o título anterior, e se envolveu tanto nas mídias sociais quanto nas promoções, incluindo oferecer o jogo como um download gratuito para membros da PlayStation Plus no lançamento, a fim de promover o jogo.

Rocket League foi elogiado pela crítica, recebendo uma recepção positiva por suas melhorias em comparação com Battle-Cars, seus gráficos e jogabilidade multijogador, apesar de alguns críticos serem céticos quanto ao motor de física do jogo. O jogo ganhou vários prêmios da indústria. e alcançou mais de seis milhões de vendas e 40 milhões de jogadores até o início de 2018. Rocket League também foi adotado como um eSport, com jogadores profissionais participando da ESL e da Major League Gaming, juntamente com as próprias competições da Psyonix através do Rocket League Championship Series (RLCS).

Como jogar

A mecânica básica de Rocket League é bem simples. Há dois times em campo e você precisa empurrar a bola gigante para o gol do adversário. O tamanho dos times varia, de 1 vs. 1 até 4 vs. 4. Para chegar ao seu objetivo você precisará jogar tanto no ataque quanto na defesa, jogando a bola para o campo adversário e tirando-a do seu lado.

Turbo

Um dos poucos elementos que você pode administrar para ganhar vantagem no jogo é o turbo, o qual garante velocidade e força extra. Ele é indicado por um medidor no canto inferior direito da tela que vai de 0 a 100. Quando seu turbo acaba você precisa adquirir mais nos pontos luminosos do campo. Locais com uma bola de energia garantem turbo completo, enquanto outros pontos apenas preenchem um pouco.

Giros no ar

Um truque que inicialmente pode passar despercebido é o fato que após um pulo seu carro pode girar no ar. Esses giros podem colocar efeito na bola e até jogá-la para direções diferentes ao invés de apenas empurrá-la para frente. Uma vez no ar, use o analógico esquerdo para girar seu carro, tanto na horizontal quanto na vertical. Porém, é bem difícil acertar o timing do giro com a bola.

Personalizando seu carro

No menu principal há a opção “Garage” na qual você pode realizar mudanças estéticas no seu carro. É possível escolher tipos diferentes de veículo, decalques, pintura, pneus, cor do turbo, acessórios e até antenas e bandeiras. Quanto mais você jogar, mais itens são desbloqueados para personalizar seu veículo.

Chat

Há muitas opções de chat disponíveis em Rocket League. As principais seriam o chat por voz, pressionando o botão R1 e o chat por texto, utilizando o painel de toque. No entanto, no calor da partida há também a opção de mensagens predeterminadas. Basta pressionar o direcional digital dependendo da situação: Cima para informações, Esquerda para elogios, Direita para reações e Baixo para desculpas.

Treine

Mesmo o jogo sendo muito simples, necessita de um conhecimento e experiência para não fazer feio. Por isso, jogue um pouco sozinho antes de enfrentar outros jogadores. Domine os comandos, entenda o jogo. Aí depois de algumas partidas, aí conseguirá jogar online e não fazer tão feio.

Defesa

Em Rocket League os times com a defesa mais organizada costumam levar a melhor sobre as equipes mais desorganizadas. Procure defender-se com movimentos horizontais. Isso dificulta o adversário e proporciona várias roubadas de bola, que normalmente resulta em ótimos contra-ataques.

Posicione-se

Acompanhe as disputas pela bola a certa distância. Preveja o próximo destino da bola, tente se adiantar e criar boas chances de marcar.

Chegue na bola

Depois de cada gol, partida é iniciada com a bola no centro do campo, sem a posse para nenhum dos times. Use seu nitro para chegar até ela rapidamente. Dependendo do posicionamento e da distância dos adversários, é possível chutar direto para o gol, com uma grande chance de marcar.

Pratique finalizações

Finalizações é uma das coisas mais difíceis de aprender em Rocket League. Teste jogadas na arena de treinamento do game, onde você poderá correr, chutar e melhorar sua pontaria.

Não corra atrás da bola sem pensar primeiro

Sabemos o quanto os jogadores adoram correr atrás da bola e tentar marcar rapidamente um gol. Mas essa não é a melhor maneira de ganhar a partida. Antes de pensar em marcar gols, apenas observe o jogo por algum tempo, entendendo como você pode ser mais útil para o seu time.

Acompanhe a movimentação da bola no jogo e procure se adiantar dos seus oponentes, pensando estrategicamente antes de sair correndo. Isso pode significar vários tipos de abordagens:

No início da partida, se você não estiver perto da bola, não corra atrás dela. Esse é um trabalho para o jogador que está mais próximo da bola. Use esse tempo para recuar e manter os olhos no jogo, estando pronto para se posicionar rapidamente onde for preciso;

Se você conseguir pegar a bola, tenha calma e pense se é melhor ir direto para a marcação ou fazer um passe para um jogador do seu time;

Está sozinho na defesa? Então não saia voando na direção da bola. O adversário vai aproveitar esse erro para usar o seu desespero contra você (e ninguém gosta de tomar um chapéu, não é mesmo?) Espere que a bola chegue até a sua área e você terá mais chances de defender com sucesso.

Personalize a sua visibilidade e controle

Em um jogo onde é essencial não errar o alvo, é fácil entender porque as definições da câmera e dos controles são muito importantes. Existem várias definições que poderão ajudar os jogadores na partida: desde reduzir a distância da câmera para a bola ser maior na tela, personalizar os comandos para serem mais intuitivos ou usar a câmera mais adequada à sua situação.

Existem vários exemplos do que você pode fazer fora da configuração padrão e recomendamos que experimente várias definições no modo de Jogo Livre.

Uma das escolhas mais populares entre os profissionais de Rocket League é o uso de câmera livre, algo que dá uma visão completamente diferente da partida. Para quem quer liberdade de movimentos e estudar amplamente o jogo, a câmera livre é essencial. Mas isso não significa que não seja útil usar a câmera da bola em certos momentos, como quando você achar a bola.

Saiba como usar o nitro e quando pegar as cargas de turbo

O nitro é um dos componentes mais importantes em Rocket League, sendo frequentemente a diferença entre derrota ou vitória no jogo. O gerenciamento do nitro é algo que todos os jogadores precisam ter em atenção e é bom lembrar que não vale a pena gastá-lo sem ter uma estratégia.

Seja porque quer atacar rapidamente com a bola ou salvar a sua área no último segundo, é vital que exista um motivo para gastar nitro. Tente manter um nível estável de nitro ao longo da partida, pegando cargas de turbo apenas nos momentos mais calmos.

A melhor defesa pode ser o ataque

Rocket League não é um jogo que encoraja os jogadores a se atacarem, mas essa componente existe e pode ser explorada com sucesso. Se o time adversário está roubando a bola, porque não atacar diretamente o carro dele? Com um ataque bem preciso, você pode até explodir o carro do adversário e obrigá-lo a reiniciar na área dele.
Mas um dos melhores momentos para atacar é quando você sabe que não vai chegar na bola a tempo do adversário pegar nela. Ele até pode chegar primeiro, mas você pode se jogar contra ele e roubar a bola.

O poder de derrapar

Derrapar (no original chamado de powerslide) pode ser um movimento salvador na hora de impedir um gol adversário ou de chutar a bola de forma precisa. Com o botão de derrapar, você consegue dar uma viragem muito mais rápida do que conseguiria com uma curva normal, reorientando o carro como quiser.

Experimente esta função no jogo e rapidamente você vai entender porque é uma das funções mais importantes para aprender. Usando a derrapagem, o seu carro faz uma curva muito mais rápida, mais precisa e é muito mais fácil orientar o nariz do veículo para a bola.

Os 10 tipos de jogadores de Rocket League

A Dinvidade

Característica do jogador: Perfeição

Normalmente encontrado: Em seus sonhos e pesadelos

Você fica apavorado só de pensar quanto tempo esses caras ficam pulando em Rocket League. Ou você não ficaria muito impressionado com a forma como eles pulam em cima de você, fazendo acrobacias absurdas no ar, ao mesmo tempo que dominam a bola perfeitamente só com o pneu traseiro esquerdo? Eles fazem umas manobras de um jeito que você nunca viu antes, e conseguem fazer um gol no adversário antes de suas lágrimas sequer saírem da sua íris. Esse cara é como se fosse o Neo do filme Matrix do Rocket League: ele não precisa de companheiros – ele quase não precisa da física.

O motorista de Domingo

Característica do jogador: objeção de consciência

Normalmente encontrado: Em qualquer lugar onde não tem bola

Há uma grande diferença entre quem opta por ficar no gol e simplesmente quem prefere ficar do lado errado do campo em qualquer momento. O motorista de domingo opta por esta última, e você não consegue entender o que realmente está acontecendo em sua cabeça. Eles estão com medo da bola? A conexão deles têm lag o tempo todo? Eles moralmente são contra o esporte? Por que eles estão dirigindo em direção as extremidades do campo? Não importa: o seu jeito estranho de andar sem destino vai lhe custar o jogo, para qualquer que seja a resposta.

O embaraçoso

Característica do jogador: muito ruim

Normalmente encontrado: falhando

Considerando que o motorista de domingo, por qualquer motivo, coloca 100 jardas entre ele e a ação em todos os momentos, o embaraçoso não falha por falta de tentativa – pois ele busca a glória. Só há um problema: ele é, provavelmente, o pior tipo de jogador que você já viu. Alguém deve perguntar no chat “Como você é PRO?” – E uma mensagem aponta diretamente para o cara se contorcendo no meio do campo. Mas sua tag diz que não se trata de um novato, e ainda assim, eles parecem ser incapazes de manter a dianteira do seu carro para cima. Talvez passe pela sua cabeça que eles estão bêbados. Talvez eles simplesmente estão sentados em cima do seu gamepad ou estão jogando de forma irônica? Mas, em todo caso, você tem que dar o direito do benefício da dúvida, pois ninguém é tão ruim assim. É quase impressionante.

O general da poltrona

Característica do jogador: provável insegurança

Normalmente encontrado: na janela do chat

EU CUIDO DISSO! EU CUIDO DISSO! DEFENDENDO! TENTE A CHANCE! DEFENDENDO!

O general da poltrona late suas ordens em um sentido geral, embora aparentemente de forma aleatória e com pouca coesão em relação ao que está acontecendo dentro de campo. Mas isso é legal, eles claramente só precisam se sentir como se estivessem no controle, assim você permitindo que ele grite suas diretrizes digitais por cinco minutos, vai fazê-lo se sentir melhor. Apesar do fato que eles sempre vão gritar “DEFENDENDO” logo no ponta pé inicial do jogo e, em seguida, fazer exatamente o contrário.

O “AFK (Away from Keybord)” – Aquele que fica longe do teclado

Característica do jogador: ficar muito, muito parado

Normalmente encontrado: em qualquer lugar que ele é deixado

Seu carro fica totalmente parado – é a manifestação virtual de uma pessoa que tem assuntos mais urgentes para tratar. Mas a sua mente entra em um processo letárgico quando começa a refletir sobre qual o real motivo de alguém entrar em um jogo e deixar de dar a devida atenção para ele. Poderia ser algo inocente: como o chamado da natureza, por exemplo, ou a pizza que ele pediu deve ter chegado. Mas e se for algo mais sinistro? E se em algum lugar do mundo, um pobre jogador de Rocket League acaba de ser assaltado com uma faca? E se a sua esposa está jogando placas na sua cabeça? E se ele estiver sofrendo uma combustão espontânea? Você nunca vai saber. É claro, o jogo vai acabar tirando o avatar de campo sozinho depois de um tempo ocioso e vai deixá-lo no lugar frio e vazio chamado “menu iniciar”. Deixando você com aquele mistério perturbador que vai assombrá-lo por, bem… os próximos minutos pelo menos.

O Demolidor

Característica do jogador: Estranhamente agressivo

Normalmente encontrado: Transformando seu carro em cinzas

Temos que admitir: às vezes, jogando o player em vez da bola é uma grande estratégia. Mas esse tipo de caso é mais extremo do que isso. Esse tipo de jogador deve estar confundindo o jogo com um outro chamado Destruction Derby. Seu objetivo não é fazer gol, mas sim destruir. O que significa que você gasta a maior parte do jogo fugindo desse tipo de jogador, enquanto ele caça você ou qualquer outro que estiver com ou sem a bola. É muito irritante.

O 50/50

Característica do jogador: Meio brilhante, meio terrívelmente engraçado

Normalmente encontrado: Fazendo as coisas de um jeito muito mais difícil do que elas precisam ser.

O Comeback Kid, o 50/50, é um jogador curioso. Ele mostra uma habilidade estranha, mas ao mesmo tempo chega a ter um brilhantismo impressionante quando ele resolve fazer vários gols de uma forma terrível. Eles geralmente jogam como Semi-Pro – o rank “dores de crescimento”. No Semi-Pro você sabe o que está fazendo, mas ocasionalmente o seu jeito engraçado de jogar pode ser motivo de chacota. Os 50/50 usam seus dedos no chat apenas para dizer algo tão sutil como “ugh, eu sou normalmente melhor do que isso, mas no momento eu estou apenas tendo um jogo ruim”, mas logo depois faz alguns gols de bicicleta, o gol da vitória do seu time e entra para a história. Um jogo de duas metades, por assim dizer.

O que pede desculpas por tudo

Característica do jogador: Pensa que é desprezível

Normalmente encontrado: choramingando

Quando sofre gols: “Desculpe! Desculpa! Desculpa!”
Quando perde a bola: “Desculpe! Desculpa! Desculpa!”
Atinge o companheiro de sua equipe: “Desculpe! Desculpa! Desculpa!”
Toca a bola: “Desculpe! Desculpa! Desculpa!
Tem a audácia de existir: “Desculpe! Desculpa! Desculpa!”

O examinador

Característica do jogador: Não foi possível bater na porta de um celeiro com um banjo

Normalmente encontrado: Seis polegadas à direita da bola

O examinador pode claramente jogar o game melhor que alguns jogadores, mas no mínimo, falta um pouco de percepção de profundidade. Eles provavelmente marcariam uma série dos melhores e mais extravagantes gols aéreos de Rocket League que você já viu, se não fosse o fato de que eles continuam cronometrando seus saltos cerca de três segundos adiantados. É quase uma arte o quão perto eles podem chegar à bola, sem fazer qualquer diferença perceptível para o resultado do jogo; é um pouco como assistir um jogo de capoeira motorizado.

O Bot

Característica do jogador: é um robô

Normalmente encontrado: Tranquilamente planejando a dominação mundial

“Esse cara é um pouco rude”, você pensa consigo mesmo. “Ou apenas humilde, talvez? Ele não responde nenhuma das minhas mensagens sobre seus tiros frios ou seus saves épicos, nem das minhas desculpas.” Mas deixando tudo isso de lado, você acha seu companheiro de equipe um pouco estoico, silenciosamente desligado, as coisas vão ficando ainda mais em silêncio e você não consegue tirá-lo do jogo. “Talvez ele seja apenas um canadense ou finlandês ou algo assim”, você pensa. Mas então você olha a sua tag e no local onde tem tem “XX” no inicio/fim não tem números, mas sim referências a filmes ou personagens de jogos de videogames. Ele simplesmente é chamado de “Jet”. Ele é um bot. Você ficou falando com um bot nos quatro últimos minutos sem perceber, enquanto todos os outros jogadores que estão em campo ficaram questionando a sua sanidade. Mas sabemos que você realmente não mente: você apenas ajudou o Rocket League a passar no teste de Turing.

Referências:

Gamelogia, Ligados Game, Redbull, Wikipedia, techtudo.

The Last of Us

The Last of Us é um jogo eletrônico de ação-aventura e sobrevivência desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony Computer Entertainment. Ele foi lançado exclusivamente para PlayStation 3 em 14 de junho de 2013. Na história, os jogadores controlam Joel, um homem encarregado de escoltar uma adolescente chamada Ellie através de um Estados Unidos pós-apocalíptico. The Last of Us é jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa, com os jogadores usando armas de fogo, armas improvisadas e furtividade a fim de defenderem-se de humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. Um “Modo de Escuta” permite a localização de inimigos por meio de uma escuta e percepção espacial aprimoradas. Armas podem ser melhoradas usando itens recolhidos do ambiente. Há um modo multijogador online em que até oito jogadores podem entrar em diferentes modos de partidas cooperativas ou competitivas.

O desenvolvimento de The Last of Us começou em 2009 logo depois da finalização de Uncharted 2: Among Thieves, o título anterior da Naughty Dog. A relação entre Joel e Ellie foi o foco central do jogo, com todos os outros elementos de história e jogabilidade desenvolvendo-se ao seu redor. A equipe criativa escolheu os atores Troy Baker e Ashley Johnson a fim de interpretarem os personagens principais, que realizaram a captura de movimentos e dublagem para seus respectivos papéis. Ambos auxiliaram o diretor de criação Neil Druckmann com o desenvolvimento da história e personagens. Novos motores de jogo foram criados para satisfazer as necessidades técnicas, com a inteligência artificial de Ellie sendo um grande ponto de desenvolvimento e aprimoramento. A trilha sonora original foi composta por Gustavo Santaolalla, enquanto os efeitos sonoros assumiram um ponto de vista mais naturalista e minimalista do que em outros jogos de ação.

The Last of Us foi anunciado em 2011, gerando grande expectativa. Ele foi aclamado pela crítica especializada, com elogios sendo direcionados particularmente para sua caracterização, enredo, subtexto e exploração da condição humana. O título tornou-se um dos jogos mais bem vendidos do PlayStation 3, vendendo mais de 1,3 milhões de cópias apenas em sua primeira semana e mais de oito milhões depois de catorze meses. The Last of Us é considerado como um dos melhores jogos eletrônicos da história, tendo vencido vários prêmios de Jogo do Ano. Um conteúdo para download chamado Left Behind foi lançado em fevereiro de 2014, com sua história se passando antes do jogo principal e centrando-se em Ellie e sua melhor amiga Riley. Uma remasterização intitulada The Last of Us Remastered foi lançada em julho de 2014 para PlayStation 4, enquanto sua sequência The Last of Us Part II foi anunciada em dezembro de 2016.

Jogabilidade

The Last of Us é um jogo eletrônico pós-apocalíptico de ação aventura e sobrevivência apresentado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O jogador atravessa ambientes arruinados, passando por locais como cidades, edifícios e esgotos a fim de avançar pela história. Armas de fogo, armas improvisadas e furtividade são usadas para derrotar humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. O jogador controla durante a maior parte da história o personagem de Joel, um homem encarregado de escoltar uma garota chamada Ellie através dos Estados Unidos; ela e outros companheiros ocasionais são controlados por uma inteligência artificial. Ellie torna-se temporariamente a personagem jogável durante um segmento da história.

O jogador usa no combate tanto armas de longo alcance (como rifles, espingardas e arcos) quanto de curto alcance (como pistolas, revólveres e espingardas curtas); também é possível utilizar armas brancas (como canos e tacos de beisebol). Garrafas e tijolos podem ser jogados para distrair, tontear ou atacar inimigos. The Last of Us possui um sistema de criação que permite que o jogador aprimore armas em mesas de trabalho usando itens coletados nos ambientes. Equipamentos como kits médicos e coquetéis Molotov podem ser encontrados ou produzidos com os materiais recolhidos. Habilidades físicas, como um medidor de saúde e velocidade de criação, podem ser melhoradas ao coletar pílulas e plantas medicinais. O medidor de saúde do jogador pode ser recarregado por meio de kits médicos caso o personagem tome algum dano.

Apesar do jogador ter a opção de atacar os inimigos diretamente, ele também pode empregar táticas furtivas para atacar ou passar pelos oponentes sem ser detectado. O combate furtivo usa uma mecânica chamada de “Modo de Escuta”, que permite que o jogador localize inimigos por meio de uma escuta aprimorada e percepção espacial. Ao usar o Modo de Escuta, a silhueta dos inimigos torna-se visível, permitindo que o jogador veja adversários em diferentes locais. Um sistema de cobertura dinâmico está presente em que o jogador pode agachar-se atrás de obstáculos a fim de obter uma vantagem tática durante o combate. The Last of Us possui diversos períodos sem nenhum combate, frequentemente envolvendo apenas conversas entre os personagens. O jogador resolve quebra-cabeças simples, como utilizar painéis flutuantes para transportar Ellie, que não sabe nadar, através de corpos de água ou usar escadas e lixeiras a fim de alcançar áreas mais altas. Colecionáveis de história, como bilhetes, mapas e quadrinhos, podem ser encontrados e vistos em um menu.

O jogo contém um sistema de inteligência artificial em que inimigos humanos hostis reagem a qualquer situação de combate em que são colocados. Se um oponente descobre o jogador, ele pode chamar por ajuda ou tirar vantagem do jogador quando este está distraído, sem munição ou no meio de uma luta. Companheiros como Ellie podem auxiliar no combate ao jogarem objetos em ameaças com o objetivo de tonteá-las, revelando a localização de inimigos ou usando uma faca e pistola para atacarem adversários.

O modo multijogador online permite que até oito jogadores participem de partidas competitivas ou cooperativas. Existem três modos multijogador: Ataque de Suprimentos, Sobrevivência e Interrogação. Os dois primeiros são mata-matas em equipes, com o segundo excluindo a opção de renascimento; o último coloca equipes investigando a localização da caixa de fecho inimiga, com a primeira a capturar a caixa vencendo. O jogador escolhe uma Facção em cada modo – Caçadores (grupo de sobreviventes hostis) ou Vaga-Lumes (grupo miliciano revolucionário) – e mantém seu grupo vivo ao coletar suprimentos durante as partidas. Cada partida equivale a um dia; ao sobreviver por doze “semanas”, os jogadores completam a jornada e podem escolher uma nova Facção. Matar inimigos, ressuscitar aliados e criar itens rendem ao jogador partes que podem ser convertidas em suprimentos; essas também podem ser adquiridas procurando em corpos de inimigos. Os jogadores são capazes de carregar mais equipamentos ao ganharem pontos enquanto crescem os suprimentos do grupo. Os jogadores podem conectar seu jogo ao seu perfil no Facebook, alterando assim os nomes e rostos dos outros jogadores a fim de serem iguais aos seus amigos de Facebook. Os jogadores também podem customizar seus personagens com chapéus, capacetes, máscaras e emblemas.

Priorize evoluir a barra de vida de Joel

No decorrer da campanha, Joel encontrará alguns comprimidos de suplementos. Embora cada jogador deva evoluir da forma como desejar a construção do personagem, é extremamente recomendável que um dos primeiros passos seja elevar a barra de saúde de Joel ao nível máximo.

Tenha sempre facas para abater estaladores 

Se você já jogou The Last of Us sabe dos perigos que representam os Estaladores. Existem algumas formas de se executar o inimigo rapidamente. Uma delas é utilizando lâminas. Construa facas e movimente-se bem devagar para se aproximar da criatura. Com dois metros de distância será possível executar o ser sem correr grandes perigos.

Em grupos com vários inimigos mate do mais forte para o mais fraco

Fora da Zona de Quarenta, Joel enfrentará inimigos com um tempo de infecção variado, exibindo diferentes comportamentos. Podemos utilizar como exemplo um dos primeiros contatos dos protagonistas com as criaturas. As salas trazem recém infectados, corredores e um estalador. Elimine primeiro o estalador e em seguida aplique golpes nos demais infectados.

Sempre avance contra os inimigos silenciosamente

Joel não é Nathan Drake. Na maioria das vezes os tiroteios irão terminar de uma péssima maneira para o protagonista. Avance com cuidado, mantendo o silêncio, contra inimigos humanos e seja mais cauteloso ainda ao lidar contra infectados. Observe o chão para não passar por cima de objetos quebrados, gerando ruídos significantes. O simples fato de pressionar a alavanca de maneira mais incisiva pode chamar a atenção dos inimigos.

Atire somente em último caso

“Faça o tiro valer a pena”. A frase dita por Joel para Ellie é de importância vital para os jogadores. Seguindo a dica anterior, evite disparar em ocasiões onde se pode abater o inimigo de forma silenciosa. Além de evitar chamar a atenção de outros adversários, Joel economizará a rara munição para situações onde esta seja a única solução.

Contra corredores busque locais com apenas uma passagem

Os corredores são uma pedra no sapato de Joel. Apesar de não serem tão inocentes quanto os recém infectados, nem tão perigosos como os estaladores e os vermes, os corredores podem causar estrago quando atacam em grande número. Procure levar os inimigos para salas com apenas uma entrada, fique de costas para a parede e empilhe os corpos com duros golpes, ferramentas modificadas e se necessário tiros.

Explore todos os cantos dos cenários 

The Last of Us não é o tipo do game que entrega os recursos aos usuários facilmente. Evite deixar para trás partes do cenário que não façam parte do trajeto linear. Explore portas trancadas, cômodos distantes, extremidades das ruas e fundo dos lagos, tendo sempre em mente que se correr algumas ferramentas decisivas poderão ser deixadas para trás.

CORRA!!!

Esse, com certeza, é o ensinamento mais importante de todos e que vai permear parte das outras nove dicas. No mundo de The Last of Us, a velocidade das pernas é sua melhor amiga em todos os momentos. Está sendo cercado de inimigos? Já enxerga a saída? Quer se livrar de uma situação difícil? Então fuja!

Essa foi a primeira indicação citada pelo nosso redator Durval Ramos quando perguntado sobre esse artigo. Para ele, o dedo colado no botão L2 do controle é a melhor maneira de sobreviver ao título, seja você um adepto da jogabilidade mais estratégica ou um amigo do Rambo.

É claro, ao fugir, Joel fará muito barulho e atrairá a atenção dos inimigos. Ainda assim, muitas vezes, é preferível sofrer um pouco de dano e seguir em frente do que tentar outro tipo de abordagem e acabar morrendo.

Não subestime o poder de seus punhos

Temos aqui mais um caso em que é preferível sofrer pouco dano. Em salas com poucos Runners, principalmente no início do game, prefira atacar fisicamente os inimigos do que gastar munição com eles. Esteja sempre em posse de pedaços de madeira, canos de ferro, tijolos ou garrafas, que tornam o assassinato violento muito mais rápido.

Utilizando armas desse tipo, os “zumbis” ou seres humanos inimigos caem com quatro golpes. Com as mãos, é preciso de quatro a sete acertos para acabar com a raça de um oponente, caso você não esteja próximo a uma parede. Pressione o botão quadrado sem parar e, no caso dos combates contra pessoas, fique atento também ao triângulo, para evitar que o adversário recupere a vantagem.

Aqui, duas exceções podem ser feitas. A primeira se relaciona a momentos em que também se está enfrentando Clickers, que são invulneráveis a ataques com as mãos. Além disso, fique atento aos soldados que portam armas, já que você estará indefeso contra disparos enquanto desce a porrada em um companheiro. Nesse caso, vale mais a pena agarrar o inimigo em questão e aproveitar o escudo humano para fazer uso da primeira dica.

Evite o confronto

Tudo bem que essa dica meio que contradiz as anteriores, mas você sabe como dizem: a melhor defesa é quando seu oponente não pode atacar. E um inimigo que não enxerga Joel não poderá agir contra ele, continuando as atividades normais de seu dia. A furtividade é uma grande aliada em The Last of Us.

E não estamos falando nem de matar os oponentes um a um, na surdina. Muitas vezes, o ideal mesmo é deixar o instinto assassino de lado e permitir que os oponentes vivam para ver outro dia, passando pelas laterais dos cenários e deixando o recinto silenciosamente. Afinal de contas, de nada adianta ser silencioso para matar um inimigo e, com isso, acabar sendo visto pelo restante do exército.

Quando atacar, prefira os sufocamentos com o quadrado e guarde as facas apenas para os Clickers, que são mais fortes e mortíferos. Cuidado com a lanterna nos arredores de inimigos comuns e sempre ande abaixado. Joel provavelmente ficará com dores nas coxas mais tarde, mas é melhor viver com as pernas doloridas do que morrer com o pescoço dilacerado.

Tijolo > garrafa

Ao longo de todo o game, dois artigos serão mais utilizados do que qualquer arma. Os tijolos e as garrafas são itens abundantes e multiuso, já que servem tanto para criar distrações quanto para explodirem a cabeça dos inimigos. Só que, nessa briga, os itens de construção se saem muito melhores que os antigos recipientes.

Tudo bem, as garrafas são de vidro e fazem muito mais barulho, configurando um engodo melhor para levar os inimigos para longe. Mas os tijolos combinam esse poder com a possibilidade de serem utilizados como uma arma letal de uso único, eficazes contra tudo, desde humanos até Clickers.

Por isso, tenha sempre um em seu inventário. Caso prefira usar a garrafa para distração, colete o vidro, jogue-o longe, mas não se esqueça de pegar o tijolo novamente. Em um momento de pânico, ele pode se tornar seu melhor amigo.

CHECAR TUDO

Tijolos e garrafas são os itens mais abundantes de The Last of Us, mas os cenários escondem muito mais do que isso. Seja cauteloso e não corra pela aventura. Entre em cada sala. Abra cada gaveta. Verifique todos os armários. Olhe cada cantinho. Parafusos, lâminas, panos, álcool, adesivos, munição. Tesouros deixados por sobreviventes do passado.

Itens desse tipo nunca são demais e, acredite, você vai precisar de todos eles. O game da Naughty Dog alterna momentos de calmaria extrema com combates frenéticos e tensos, que com certeza deixarão você sem itens de cura e armas. Por isso, é sempre importante recarregar o inventário antes da chegada da próxima situação desse tipo.

Escolha bem as evoluções

Como muitos jogos da atualidade, The Last of Us também empresta elementos de RPGs e traz uma árvore de habilidades. A evolução acontece por meio de escassos medicamentos, que são encontrados ao longo da aventura e permitem a melhoria de diversos atributos. Apesar de todos serem bastante úteis, existem aqueles que são essenciais para que você possa seguir em frente de forma tranquila.

Desde o início do game, foque suas pílulas na habilidade Shiv Master, que dá a você a opção de utilizar uma faca por meio de QTE caso seja atacado por um Clicker. Acredite, ela poupará você de muitas mortes. A seguir, aumente a quantidade total de sua energia para os combates mais complexos da metade para o final do game. Por último na lista de prioridades está a distância do Listen Mode, que facilitará muito sua vida durante as incursões furtivas.

As armas também podem ser modificadas e, aqui, dois upgrades são fundamentais. O aumento na capacidade máxima de munição permitirá que você se defenda por mais tempo antes de precisar procurar um abrigo. Depois, melhore o tempo de recarregamento, de forma a evitar ser cercado ou pego desprevenido sem bala alguma.

Kits médicos e facas nunca são demais

Esqueça as modificações de porretes e bastões. Apesar delas serem úteis em momentos de desespero, não vale a pena gastar um conjunto completo de lâminas em um artigo como esse. Pelo contrário, invista os cortantes em facas, que podem salvar você dos Clickers – como citado na dica anterior – ou tornar os assassinatos furtivos ainda mais rápidos.

Além disso, foque sempre na criação de itens médicos e deixe coquetéis molotov para serem produzidos quando seus kits de cura atingirem a capacidade máxima. Por mais que a arma incendiária seja muito boa para controle de multidões, é melhor sempre ter artigos de primeiros socorros, pois eles são essenciais durante toda a aventura.

Além disso, não se esqueça de sempre produzir itens para evitar ficar com a mochila lotada. Consulte seu inventário o tempo todo e sempre construa coisas com as peças soltas, de forma a poder pegar mais e mais artigos pelo cenário. Em The Last of Us, principalmente nas dificuldades mais altas, cada recurso é precioso e pode significar a diferença entre viver e morrer.

Treine muito

Para muita gente, o arco e as bombas de fumaça podem parecer um desperdício de espaço no inventário. Mas acredite, nos piores momentos da aventura, até mesmo esses artigos difíceis de usar se tornarão essenciais. Saber fazer uso deles de forma versátil dará a você grande vantagem no combate contra humanos e criaturas do inferno.

Se necessário, carregue um jogo salvo diversas vezes apenas para praticar a utilização dos dois itens. Acostume-se com o balanço e recuo do arco e a trajetória bizarra das flechas. Descubra que as flechas podem servir tanto para assassinar um inimigo furtivamente quanto como uma forma de chamar a atenção de alguém para longe de você.

Bombas de fumaça podem não ser letais, mas também servem ao mesmo fim. O alvo aqui são os soldados inimigos, que ficarão assustados e atentos com uma detonação de névoa negra, enquanto você e Ellie escapam sorrateiramente por uma porta lateral. Eles nem vão ver, literalmente, o que está acontecendo.

Aproveite-se da imperfeição

Não existe inteligência artificial perfeita. Então, procure usar esse fator em benefício próprio durante a jogatina de The Last of Us. O comportamento agressivo e violento dos inimigos humanos pode ser freado por atitudes simples que, por mais que não acabem com o perigo, podem gerar preciosos segundos de respiro.

Ao ser atacado por uma grande tropa de inimigos, por exemplo, atire longe um tijolo ou garrafa. Mesmo que eles vejam que foi você quem lançou o objeto, se virarão em direção ao barulho por um segundo, talvez esperando mais um atacante vindo daquele lado. Aproveite para fugir.

Da mesma maneira, utilize o espírito combatente e, por vezes, estúpido de seus companheiros para obter vantagem nos combates. Aproveite enquanto Ellie ou Bill atiram feito loucos nos inimigos, atraindo a atenção deles, para se esconder, usar itens de cura ou mirar bem para fazer valer cada disparo.

Voltando no tempo

The Last of Us é como uma montanha-russa, alternando sequências de calmaria, onde você pode buscar itens e se preparar para o futuro, com combates intensos e até mesmo “apelões” que acabarão com sua munição, itens de cura e dignidade. Na primeira vez, você nunca saberá o que está adiante e tudo o que pode fazer é se preparar para o pior.

Graças à tecnologia moderna, porém, existe uma maneira de evitar situações realmente aflitivas. Muitas vezes, por desatenção ou tentativas frustradas de ataque, você se verá atacado de todos os lados. Mesmo assim, conseguirá sobreviver, só que bem próximo da morte.

Vale a pena recarregar um jogo salvo e voltar para o início do combate, tentando assumir outro tipo de abordagem ou mirando melhor para economizar balas. Acredite, tal estratégia vai além de uma necessidade narcisista por perfeição e fará com que você, no futuro, agradeça à versão do passado por ter retornado no tempo e feito as coisas da maneira correta.

Aprenda a atirar 

Tire algum tempo para praticar a sua pontaria. Ela pode valer momentos importantes na luta por sobrevivência. Para quem está começando, um bom lugar para treinar é o modo multiplayer do jogo. Ainda é essencial escolher com sabedoria as melhores armas para cada momento e tipos de combate

Conheça seu inimigo 

Antes de começar a atirar, é importante diferenciar os tipos de criaturas contra as quais você vai lutar. A cada estágio de infecção, os zumbis ficam mais resistentes. Entretanto, eles também têm fraquezas. Os infectados são perigosos, mas você também deve estar pronto para lidar com seres humanos de diversas facções e com motivações diferentes. Fique esperto para não perder boas oportunidades de ataque e fuga!

Sem medo de voltar atrás 

Se você perceber que a vaca está indo para o brejo, não hesite em voltar atrás e considerar outra estratégia de ataque/fuga. Vários cenários possuem caminhos “mais fáceis” para atacar ou fugir de zumbis e inimigos humanos

“Antes um covarde vivo…” 

Pense no velho ditado como seu mantra. Se você quer ser um Rambo, The Last of Us não é o melhor lugar. Em várias situações, você consegue prosseguir sem ter derrotado todos os inimigos em uma cena. Tenha sempre um tijolo ou garrafa à mão para afastar os inimigos e corra como se não houvesse amanhã!

Referências:

Noticias R7, Voxel, The Enemy, Techtudo, Wikipedia.