Cuphead

Cuphead é um jogo eletrônico de run and gun e plataforma feito pelos irmãos canadenses Chad e Jared Moldenhauer com o nome de Studio MDHR, desenhado no estilo dos desenhos animados da década de 1930. Como Cuphead, o jogador luta contra uma série de chefes para pagar uma dívida adquirida com o diabo. O jogo foi inspirado em animações década de 1930, como as do Fleischer Studios e procurou manter a obra em qualidades subversivas e surrealistas. Cuphead foi lançado em 29 de setembro de 2017 para Xbox One e Microsoft Windows.

Jogabilidade

Além dos gráficos extremamente detalhistas e fiéis aos velhos cartoons, o jogo chama a atenção pela particularidade, lembrando os jogos de plataforma dos anos 90 em 8 e 16 bit. É possível perceber referências a alguns desses jogos, como Contra, Mega Man X, Gunstar Heroes, Street Fighter III e Thunderforce (quando das fases aéreas). As fases são repletas de inimigos, que atacam das mais diversas formas: saltando em direção ao jogador, caminhando ou atirando projéteis. O jogo também possui fases aéreas, com o personagem pilotando um avião, onde o objetivo é destruir os inimigos atirando projéteis e bombas. Outra referência a jogos vintage está no sistema de navegação entre fases através de um mapa ao estilo Super Mario World e Donkey Kong Country.

Primeiro de tudo: ajuste seus controles

O jogo requer o máximo de precisão, e a configuração inicial dos controles do game simplesmente pode não ser a recomendável para você. Felizmente, “Cuphead” dá liberdade total para ajuste de controles para que o jogador encontre a forma mais confortável de jogar.

Recomendação: o tiro no botão “X” do controle do Xbox dificulta a movimentação rápida do personagem, então é altamente indicado trocar o botão do tiro para um gatilho de sua preferência. As outras alterações ficam por sua conta, mas só essa mudança já altera completamente o jogo.

Ficou preso? Procure atalhos

“Cuphead” é um jogo de chefes difíceis, que testarão sua coordenação motora e sua capacidade de reconhecimento de padrões de ataque. A tendência é que você fique preso em algum momento do jogo em algum chefe.

O game também tem uma mecânica peculiar, em que novos caminhos só são abertos quando você derrota algum chefe. Isso pode ser particularmente preocupante quando você está preso diante de um adversário.

Os desenvolvedores, no entanto, incluíram atalhos nas três ilhas que compõem o jogo, que são caminhos escondidos que dão acesso a áreas  bloqueadas do mapa. Isso vai te dar acesso a novas fases que estariam bloqueadas pelos caminhos normais, dando o tempo para refrescar sua cabeça com outros oponentes antes de voltar a encarar aquele monstro em que você havia ficado preso.

Alterne suas armas

Cada chefe em “Cuphead” tem suas próprias características, o que significa que não existe uma estratégia ideal que funcione contra todos os inimigos. Você precisa moldar sua estratégia para enfrentar cada adversário, e isso passa por escolher sabiamente suas armas.

Se o inimigo não te dá tempo para respirar, uma opção é usar a arma Chaser, que causa pouco dano, mas não depende de mira para acertar o adversário, permitindo que você cause dano constante enquanto se concentra em desviar dos ataques. Enquanto isso, se o adversário permite a aproximação, vale a pena trazer a arma Spread para o combate, que tem um alcance baixo, mas causa bom dano.

A arma Charger causa o maior estrago, mas tem uma cadência de tiro pequena. Ao segurar o botão de tiro, ela não dispara automaticamente, mas sim carrega o disparo para causar mais dano. Um tiro totalmente carregado gera o dano máximo nos inimigos, mas é necessário ter pontaria. Use com sabedoria em chefes que abrem uma janela mínima de ataque.

Faça as fases Run n Gun com atenção

Elas são opcionais, mas são fundamentais para a experiência completa de jogo. Além de divertidas, elas também trazem moedas que podem ser usadas na loja do Porkrind para comprar power-ups e novas armas para seus personagens.

É importante também ficar atento aos seus arredores enquanto faz essas fases. Há moedas escondidas que só vão ser percebidas se você estiver de olho no que acontece em volta do seu personagem.

Fique de olho no mapa também

As fases Run n Gun dão o maior número de moedas do jogo, mas para poder comprar tudo que está disponível na loja do Porkrind, você vai precisar de mais. As moedas estão escondidas pelo mapa, atrás de árvores, pedras e objetos do cenário em geral. Tente caminhar por trás de lugares que parecem inofensivos para ganhar todas as moedas, e fale também com todos os personagens que você encontra pelo cenário.

Compre a habilidade de dash invisível

“Cuphead” tem um quê de “Dark Souls” no sentido em que você está constantemente acuado e seu foco deve ser primeiro a defesa para esperar aberturas para o ataque. Isso fica muito mais fácil com a habilidade Invisible Dash, que torna o seu personagem invulnerável no instante em que você usa o movimento de esquiva. Quando você dominar esse movimento,  fugir de armadilhas sem sofrer dano fica bem mais simples, tornando a batalha menos complicada e permitindo uma pontuação melhor ao fim da fase.

Uma outra habilidade importante é a que dá mais corações. O problema desse recurso é que ele reduz bastante o dano médio da sua arma. Isso significa que você vai resistir a mais pancadas, mas a luta vai durar mais, o que pode anular a vantagem. Pense bem se vale a pena.

Domine o parry o quanto antes

No início do jogo, você dificilmente vai perceber o quão importante é esse recurso, mas as fases finais do jogo vão exigir que você domine esse movimento. Comece a treinar o quanto antes, pressionando o botão de pulo em objetos pintados com a cor rosa no momento correto.

O recurso pode servir simplesmente para desviar de um projétil disparado na sua direção, mas neste caso uma esquiva bem planejada permitiria evitar dano em boa parte dos casos. É a segunda parte do parry que é importante, que proporciona alcançar plataformas que não são alcançáveis com um pulo simples. As fases finais vão te cobrar isso, então domine o mais rápido possível.

Outra função importante do parry é aumentar instantaneamente sua barra de especial, permitindo que você use sua habilidade Super mais rapidamente. Isso também vai ser importante nos chefes mais complicados do fim do jogo.

Conheça seu Super e saiba a hora de usá-lo

Cada arma tem uma habilidade especial, mas o jogo tem três técnicas “Super” que independem da arma que você está usando. Você conquista essas habilidades com as fases de mausoléu; existe uma delas em cada ilha.

Você ganha acesso ao Super quando acumula cinco cartinhas no canto inferior esquerdo da tela. Se você tentar usar a habilidade especial antes de juntar cinco, você irá apenas disparar o especial da sua arma.

Cada habilidade tem uma utilidade especial. O Super I é o mais simples: é um disparo horizontal poderoso que causa altos danos, mas não funciona se o inimigo estiver acima de você; já o Super II torna o personagem invulnerável por alguns segundos.

O Super III permite controlar um fantasma poderoso, mas é o mais complexo de dominar. O fantasma se movimenta de acordo com a movimentação do seu personagem, então você precisa sincronizar o ataque da sua arma com o do espírito para maximizar o dano. A forma mais eficiente de fazer isso é travar a mira do seu personagem, o que permite controlar apenas a movimentação do especial sem precisar correr pelo cenário sem direção e correndo riscos.

Todas as técnicas são poderosas se você souber como usá-las, mas mais importante ainda é saber quando utilizá-las. Cada chefe tem várias etapas; isso significa que você pode ter mais facilidade ou dificuldade em diferentes momentos do mesmo oponente. Guarde seu especial para a etapa que mais lhe trouxer problemas, a menos que você tenha dominado a mecânica do parry, que permite encher o Super mais facilmente e proporciona mais disparos do seu especial. 

Aprenda com os erros

Assim que começar a jogar, você vai perceber que o game é extremamente difícil e que vai acabar morrendo várias e várias vezes. Antes de jogar o controle na parede, se acalme e tente ver o que está causando as suas falhas.

O jogo pode ser desafiante, mas ele é bem justo e tenta te ensinar a ser melhor a cada fase. Por isso, é bom ficar de olho nos padrões dos inimigos e como dominar os controles. Também tenha paciência, shooters de plataformas não foram feitos necessariamente para você sair correndo e atirando sem ver nada.

Colete todas as moedas

Ao longo das diversas fases, você encontrará moedas que pode coletar. Nossa recomendação é que sempre tente pegar todas, já que isso garante dinheiro suficiente para gastar nas lojas com upgrades e melhorias temporárias para seu personagem. Também não tenha medo de gastar as moedas, mas compre só aquilo que realmente for usar nas partidas.

Aprenda todos os comandos

Considerando que nas fases mais avançadas você terá que lidar com inimigos vindo de todos os lugares, é uma ótima ideia saber os comandos com maestria.

Logo no começo, você terá um tutorial sobre os controles. Nossa dica é que preste atenção neles, já que você terá que usar tudo com grande frequência e agilidade em todas as fases.

Não se mova se for desnecessário

Em pouco tempo, você perceberá que Cuphead é extremamente frenético e que é preciso se movimentar o tempo todo em diversas situações. Ainda assim, haverá muitos momentos que ficar parado te ajudará muito mais.

Há inimigos e chefes com posições fixas e que lançam ataques em projéteis, por exemplo. Em vez de ficar andando pela tela como um louco, você pode ficar em uma só posição e só pular ou agachar para desviar dos ataques enquanto também atira no inimigo.

Use seu dinheiro sabiamente

Existem 40 moedas ao todo em Cuphead, sendo que 30 delas você consegue jogando as fases exploráveis e as outras 10 fazendo o tutorial, conversando com outros personagens e até mesmo fuçando locais escondidos nos quatro mapas de Inkwell Isle.

No começo do jogo, você obtém 1 moeda no tutorial e mais 3 falando com o personagem sentado na ponte. Eu recomendo muito que a primeira coisa que você compre na loja de Porkrind seja a Smoke Bomb, pois com ela equipada você fica invencível durante o Dash, algo que te ajudará muito em diversas situações de aperto. Após isso, faça a fase Forest Follies, coletando todas as 5 moedas que estão bastante visíveis, volte até a loja e compre agora a arma Spread, que é uma das mais úteis graças ao seu disparo que alcança várias direções. Outras armas excelentes para você comprar são a Charge Shot, que pode não ter tiro automático, mas causa um tremendo estrago no adversário, e a Chaser, que lhe dá um disparo teleguiado.

Antes de lutar contra qualquer chefe, visite o Mausoléu do Mundo 1

Depois que você passar da fase Forest Follies, uma ponte surgirá. Atravesse-a e siga pelo mapa até chegar no Mausoléu. Lá dentro você precisará derrotar uma certa quantidade de fantasmas rosados para adquirir a Super Art Energy Beam, a mais útil do jogo. Além de ser um ótimo local para você treinar seu Parry, ter essa habilidade poderosa equipada antes de encarar os chefes é uma verdadeira mão na roda.

Lembre-se que você pode transformar seu avião

Os chefes de Cuphead que você enfrenta no avião requerem tremenda agilidade em muitos momentos para desviar de suas investidas. Muita gente esquece, no entanto, que o avião no seu formato normal é lento. O modo miniatura dele, embora seja péssimo para causar dano, tem uma mobilidade excelente. Portanto, caso veja que não está conseguindo se esquivar a tempo com sua aeronave de alguma investida do inimigo, transforme-a para fazer isso e depois volte ao normal para continuar atirando.

Após você se habituar a fazer essa troca, as batalhas aéreas ficarão muito mais fáceis.

Preste atenção nos ataques dos chefes

Embora os chefes tenham vários ataques e formas, a grande maioria segue um padrão. Fique atento aos ataques para entender a melhor maneira de se esquivar. O jogo lhe dá vidas infinitas porque a ideia é que você morra várias vezes mesmo, para aprender com seus erros e não repeti-los mais.

Converse com todos os personagens nos mapas

Os habitantes de Inkwell Isles lhe fornecem pistas sobre coisas que você pode fazer ou descobrir. Às vezes, falar com um deles depois de realizar uma determinada ação, como por exemplo encontrar um caminho escondido dentro do mapa, o fará lhe dar uma recompensa.

O que dá para fazer depois de zerar?

Como assim, terminou o jogo? Então meus parabéns! Depois que você chega ao fim do game existem cinco coisas que você pode fazer para continuar jogando.

Encontrar as moedas que faltaram

Conforme foi dito mais acima, há 40 moedas para você pegar e a chance de você não ter apanhado todas após finalizar o game é considerável. Se você coletou todas as trinta que estão nas seis fases exploráveis, a do tutorial e as três com o personagem na ponte do Mundo 1, faltarão apenas seis. Confira abaixo como consegui-las.

Moeda escondida no Mundo 1: Fale com o personagem com cabeça de machado após derrotar todos os chefes deste mundo, aí conseguirá pegar uma moeda nas árvores ao lado dele.

Moedas escondidas no Mundo 2: Vá até o local da fase Aviary Action e ande pelo caminho por trás dela, pelas montanhas, até chegar do outro lado. Depois disso, volte e converse com a garota com cabeça de pão de gengibre para que ela lhe dê a moeda.

Perto da fase do Dragão, converse com o malabarista depois de executar Parry 4x seguidas sem cair no chão e ele lhe dará uma moeda por seu esforço. Perto da saída para o Mundo 3 há uma carroça verde com outra moeda.

Moeda escondida no Mundo 3: Olhe atrás do estande perto da loja para achar a moeda.

Moeda escondida no Finale: Atrás dos dados vermelhos do lado de fora do casino, no lado esquerdo.

Dificuldade Expert

Vencer cada um dos chefes no novo nível de dificuldade Expert. Se você achava o jogo difícil, prepare-se, pois o Expert sim vai testar suas habilidades, com inimigos muitíssimo mais agressivos.

Dificuldade Expert + Nota S: Realizar o objetivo descrito acima, mas de maneira perfeita, derrotando cada chefe no Expert sem tomar dano, fazendo três parry e usando 6 cartas de ataque especial para ganhar a nota S. Vale ressaltar que você não precisa disso para obter uma Conquista. Faça apenas se gostou muito mesmo do jogo e está interessado neste grande desafio proporcionado por Cuphead.

Atualização: Descobri que o tempo também é um fator determinante para obter o S, embora às vezes você consiga essa nota mesmo demorando mais de 2 minutos para vencer o adversário, ou um tempo maior do que esse no caso do King Dice.

Modo Preto e Branco

Sua quarta opção do que fazer depois de zerar é desbloquear o modo Preto e Branco. Conforme o próprio nome do modo diz, ele permite que você jogue com visual monocromático, podendo também alterar o áudio do jogo para que fique ainda mais de época. Para habilitar isso, é necessário completar todas as seis fases exploráveis sem disparar um tiro sequer, o que também lhe dá uma Conquista. Quando tiver sucesso nisso numa fase, ganhará nela a nota P, de Pacifista.

Utilize Smoke Bomb de modo a desviar dos inimigos com mais facilidade ou então Twin Heart para ter 5 HP e aumentar suas chances de sobreviver sem atirar, lembrando que Parry está liberado, então use e abuse disso. Sua Super Art deverá ser Invincibility, que lhe dará alguns segundos preciosos de invulnerabilidade, os quais você deve usar nos momentos mais complicados. A exceção fica por conta da fase Forest Follies, onde vale mais a pena utilizar a Super Art Giant Ghost, manipulando seu fantasma perto da máquina Acorn Maker para que ele suma ao lado dela e você possa fazer uso do Parry no coração rosa que surge, para pular por cima deste inimigo. Dá também para passar dessa etapa da fase pegando impulso nos disparos rosa efetuados pelos cogumelos.

Terminando as fases sem atirar, fale com a tartaruga do Mundo 3 e pronto, poderá jogar o game em Preto e Branco.

Ferramentas de Evasão

Como na maioria dos jogos desse estilo, a evasão é uma estratégia chave se você quiser ir longe. Cuphead dá aos jogadores várias maneiras de evadir ataques, mas cabe a você saber quando usar essas habilidades. As duas principais habilidades que você deveria usar com freqüência são o dash e o agachar. Dash (Y no layout padrão do controle) pode ser feito no chão ou no ar. Seu personagem irá se mover a uma distância definida, portanto, certifique-se de que você não está se metendo em algo ruim. Depois de um dash, você pode executar outra ação, como um parry se você tiver feito dash no ar, ou simplesmente atacar imediatamente após um dash.

Dash é mais do que apenas uma outra maneira de se mover. Você pode fazer um dash em qualquer ponto durante o seu salto, o que significa que você pode usar o dash para parar seu salto ou para alterar sua trajetória, se você achar que está prestes a pular em um inimigo. O dash é muito rápido e pode tirar você de uma situação ruim quando cronometrado corretamente.

A maioria das pessoas negligencia a capacidade de agachar. Embora esta não seja uma nova habilidade por qualquer meio, seu personagem fica muito baixo no chão. Isso faz com que agachar seja extremamente útil para evadir ataques que você pode ter pensado serem inevitáveis. Você pode até atirar enquanto se agacha, tornando essa habilidade ainda mais útil. 

Batalhas de chefe

A maioria dos níveis do jogo são batalhas de chefe. Concluir essas batalhas épicas contra um ou mais inimigos às vezes desbloqueiam o acesso a novas áreas, por isso é importante não deixar qualquer nível para trás. As batalhas de chefe geralmente são divididas em múltiplas fases, com cada fase oferecendo um padrão de ataque diferente e geralmente ficando cada vez mais difícil com cada nova fase.

Enquanto muitos outros jogos têm batalhas de chefe com várias fases, os chefes em Cuphead são geralmente mais aleatórios do que os de outros jogos. Por exemplo, você pode conhecer o padrão de ataque de um chefe, mas a ordem dos ataques ou a velocidade em que as fases mudam podem mudar a cada vez que você joga. Você não pode apenas aprender um padrão e esperar ganhar em Cuphead.

Quando você derrota um chefe, você recebe uma letra com base no seu tempo de conclusão, pontos de vida restantes, número de vezes que você deu parry com sucesso, quantos ataques EX e Super Movimentos usou e o nível de dificuldade em que você jogou. Para obter um perfeito A + na maioria das batalhas de chefe, você não precisa tomar nenhum dano, da parry pelo menos três vezes, use pelo menos seis ataques EX ou dois Super Movimentos e completar a batalha na configuração de dificuldade Regular. Há também um limite de tempo específico que varia dependendo da batalha do chefe. Passe desse limite e você não ganhará uma nota A +.

Referências:

Olhar digital, Play Replay, Game Hall, Game Detonado, wikipedia.

The Surge 2

The Surge 2 é um jogo de RPG de ação desenvolvido pela Deck13 Interactive e publicado pela Focus Home Interactive para Microsoft Windows , PlayStation 4 e Xbox One . É a sequela de The Surge de 2017.

Gameplay 

The Surge 2 é um jogo de role-playing de ação jogado de uma perspectiva de terceira pessoa. O jogo apresenta um criador de personagem que permite aos jogadores personalizar as aparências e o sexo do avatar do jogador.  Os jogadores podem utilizar uma variedade de armas brancas para derrotar os inimigos, cujos membros podem ser alvejados e removidos individualmente. Os jogadores também podem evitar e desviar de ataques, o que exige que os jogadores angulem adequadamente suas armas equipadas.  Drones de combatee consumíveis como bio-sensores também podem ser implantados. Quando os jogadores matam ou desmembram seus oponentes, eles podem coletar e equipar as armas, aprimoramentos de armadura ou tecnologia deixados por eles. A cidade de Jericó, o cenário do jogo, oferece caminhos alternativos que os jogadores podem explorar livremente. No jogo, os jogadores encontrarão diferentes personagens não jogáveis e terão que fazer escolhas diferentes que afetarão o mundo e a história do jogo. Os jogadores também podem deixar mensagens de graffiti no mundo do jogo para outros jogadores verem. 

Use o drone de combate

Logo de cara, o segundo jogo da série introduz um recurso muito bem-vindo: o drone de combate. Com ele, é possível atirar nos inimigos de longe, sem tanto alarde, o que garante uma boa dose de estratégia e concede uma liberdade maior na hora de formular a melhor abordagem.

Mantenha o estoque de omnicélulas (a munição do game) sempre cheio e priorize o uso do robô para quando houver um grande número de criaturas num mesmo ambiente. Assim você se mantém longe de ataques corpo a corpo, por exemplo, e ganha tempo com uma distração para recuperar a barra de saúde. Definitivamente, o drone é o grande salvador em momentos críticos.

O Contra-ataque faz a diferença

Uma das grandes novidades de The Surge 2 é a sua dinâmica de parry, que consiste em revidar ataques rivais com investidas fulminantes. Embora o contra-ataque seja um tanto arriscado e tenha uma lenta curva de aprendizado, você certamente ficará em vantagem na batalha ao conseguir executá-lo com maestria.

Se você estiver jogando no controle, seja de PS4 ou Xbox One, pressione o botão de bloqueio e utilize o analógico direito para manipular a arma em posição de defesa. Para realizar um contra-ataque devastador, é preciso posicionar o armamento do personagem no mesmo ângulo de ataque do adversário, no tempo certo. Saiba que o jogo não permite aparar ataques de qualquer inimigo, então é importante saber com quem você está lidando antes de se arriscar.

Desmembre inimigos

Assim como no jogo anterior, o sistema de personalização é todo baseado na mecânica de desmembrar inimigos. Você pode focar em diferentes partes do corpo e utilizar golpes de finalização para decepar o componente desejado e obter matéria-prima. Corte a cabeça do alvo, por exemplo, e ganhe peças para criar novas proteções de cabeça.

Caso você queira aprimorar uma arma, o ideal é focar no braço do inimigo que esteja munido com o equipamento almejado para cortá-lo. Fique atento também às partes das criaturas robóticas, já que há uma grande chance de o loot conceder implantes extras.

Implantes são essenciais para sobreviver

Os implantes são itens equipáveis que servem para complementar e conceder efeitos especiais ao traje. Conforme o personagem sobe de nível, novos espaços de implantes são desbloqueados e podem ser gerenciados em campo, eliminando a dependência de um Medcentro.

Alguns implantes consomem potência de núcleo – a barra em azul alocada no centro da tela -, portanto fique de olho nela para não gastar o estoque todo de uma vez. Lembre-se de que os implantes também podem ser aprimorados para aumentar a quantidade de pré-cargas – o item que restaura vida – a serem feitas durante os embates.

Morreu? Corra para recuperar a sucata

Como é de praxe nos jogos inspirados na fórmula masoquista de Dark Souls, o personagem deixa seus recursos no local da morte depois de ser derrubado pelo oponente. Em The Surge 2, a situação é mais crítica, já que há um cronômetro para indicar o tempo que o jogador tem de resgatar a sucata até que ela expire para sempre. Quando você morrer, preste atenção ao contador e corra ao local da morte para não perder nada.

O Medcentro é o seu local seguro

Os Medcentros funcionam como as fogueiras de Dark Souls, ou seja, são locais seguros onde é possível salvar o progresso, subir de nível, criar e melhorar itens e equipamentos. Tenha em mente que, ao morrer, o personagem vai ressurgir no último Medcentro encontrado, então considere procurá-los o quanto antes assim que uma nova área for descoberta.

Evolua o personagem

Se você não quer sofrer mais que o necessário com a dificuldade acima da média, certifique-se de evoluir seus atributos nas estações de Medcentro, no módulo do núcleo de energia. Obtenha pontos de módulo ao coletar sucata de inimigos abatidos para distribuir entre as três opções disponíveis: vida, vigor e bateria.

Todos os atributos são igualmente valiosos no decorrer da jornada, mas o vigor deve ser prioridade na lista de quem está começando a desbravar o game agora. A saúde aumenta a barra de vida, enquanto o vigor possibilita um número maior de ações durante as batalhas, significa ter mais resistência. Por outro lado, fortalecer a eficiência da bateria eleva a reposição de vida a cada uso de injeção – algo que não é tão relevante no início tendo em vista o modesto nível e poder de ataque dos inimigos.

Faça upgrades

Em comparação ao jogo anterior, pouca coisa mudou no sistema de upgrades de itens. A mecânica de montagem funciona de forma bastante simples: use sucata e componentes para subir o nível de armas e armaduras. Todas os itens são criados inicialmente no Grau I (GQ I) e recebem novos atributos e status à medida que são melhorados no Medcentro.

Procure acompanhar o progresso das armas pelo menu de pausa para saber se algum de seus equipamentos já pode ser evoluído com as peças obtidas. É realmente difícil sobreviver às ameaças da cidade de Jericho e progredir na história sem desbloquear o potencial total dos equipamentos, então concentre-se em evoluir todos os encaixes.

Busque vingança e seja recompensado

Se você estiver online e conectado ao servidor do jogo, saiba que é possível vingar a morte de outros jogadores reais para ganhar bônus de sucata e peças extras de montagem. O oponente passível de revanche possui um ícone de caveira alocado em sua barra de vida, como um indicador, sendo facilmente detectável. Ao avistá-lo, não hesite em iniciar o confronto, pois a recompensa que será concedida vale o desafio.

Um boa (e intrigante) história

“The Surge 2” não deixa o jogador às escuras quando o assunto é a sua história. De cara você fica sabendo que encarna um sobrevivente de um acidente de avião que foi parar na cidade de Jericho. Para deixar as coisas mais legais, o jogo permite que você defina aparência, gênero e história do personagem.

A cidade, em si, encontra-se em convulsão social depois dos acontecimentos do primeiro game. Breve resumo com spoilers: um enxame de nanorobôs criados para recuperar o equilíbrio ecológico da Terra foi liberado na atmosfera acabou se tornando uma doença capaz de deixar os usuários de implantes mecânicos – muita gente, no mundo do jogo – e máquinas completamente fora de controle.

No decorrer do game, além de receber pílulas de tudo o que ocorreu por meio de arquivos de áudio, o jogador também tem acesso a missões paralelas que expandem a trama.

O resultado é que, em vez de ter uma narrativa misteriosa, “The Surge 2” traz uma história palpável e que mantém o jogador interessado, especialmente quando colocado diante de algumas reviravoltas que dão diferentes propósitos à jornada.

O mapa do jogo, que concentra a ação em poucas localidades, mas com diversas áreas e atalhos a serem localizados, também evita que os jogadores fiquem perdidos tentando descobrir onde ir.

Sistemas de jogo que funcionam

“The Surge 2” não se afasta de suas origens quando falamos de sistema básico de jogo. Temos as tradicionais barras de saúde e vigor, bem como o sistema de “alto risco, alta recompensa”: andar por aí carregando uma grande quantidade de sucata (que é a moeda do jogo, usada para evoluir o personagem, armas e aprimoramentos e também comprar determinados itens) garante recompensas melhores ao matar inimigos. Se você for derrotado, porém, terá um tempo limitado para retornar ao local e reaver seus itens.

Isso abre uma possibilidade estratégica, uma vez que quando você está perto do seu local de morte, sua barra de saúde se regenera. E, uma vez que você coleta a sucata perdida, você recupera totalmente sua saúde. Sendo assim, morrer para aquele chefão complicado pode ser a saída para ter um ponto de recuperação de saúde no meio da luta e tornar o embate mais favorável.

Já quem é avesso a riscos pode armazenar sua sucata em um dos med-centros, que estão para “The Surge 2” como as fogueiras estão para “Dark Souls”.

Além disso, conforme você ataca os inimigos e dá parry nos ataques, você acumula cargas de bateria. Essas cargas servem não apenas para você usar um item recarregável que recupera sua saúde, mas também permite que você use o sistema mais atrativo do game: as execuções.

Funciona assim: conforme você trava o alvo em um inimigo, é possível escolher qual parte do corpo irá atacar. São seis delas, sendo braços, pernas, corpo e cabeça. Uma vez que cada uma delas recebe dano suficiente, é possível usar uma carga de bateria para decepar a parte escolhida.

Além de finalizar os oponentes instantaneamente, esse “fatality” também permite que você adquira as armas dos inimigos, bem como esquemas de suas armaduras para que você as construa posteriormente.

Por fim, há mais dois elementos. Os implantes, que são uma espécie de “perks” que dão características específicas ao personagem – como recuperar saúde após uma finalização – e o drone, que acumula modos de operação distintos.

Dar prioridade à Vida, Vigor e Eficiência da Bateria

Isto é mais uma opinião pessoal. Na prática, não sei se é o melhor, mas foi o que fiz e resultou até ao momento. Inicialmente, investi a minha sucata sempre na Vida e Vigor e um pouco menos na Eficiência da Bateria. Só passado algumas vezes de ter evoluído estes aspetos, é que comecei a melhorar equipamentos. Fica ao vosso critério, mas acho mais importante ter mais vida e poder atacar mais vezes, mesmo que os ataques sejam mais fracos ou tenhamos menos defesa.

Matar inimigos com caveira na cabeça

Existem inimigos no terreno, os quais até já podem ter morto anteriormente, mas agora têm uma caveira vermelha sob as suas cabeças. Isto significa que esse inimigo matou um jogador humano. Ao derrotar este inimigo, irão obter materiais para criar equipamentos ou fazer melhoramentos. Sempre que os avistarem, não hesitem em defrontá-los.

Levar sucata para as lutas com bosses

Por norma, noutros jogos do género, todos tentamos ir sem qualquer tipo de sucata (almas/ecos de sangue) para as batalhas com os bosses. Porém, The Surge 2 muda um isso e é aconselhado a terem um pouco de sucata convosco. Ao morrer em combate com um boss, a vossa sucata estará lá à espera para ser recuperada, mas com a particularidade que também recuperam vida. Ou seja, o ideal é deixar a sucata no campo durante um bocado e quando já tiverem pouca vida, aproximem-se para a apanhar e ganhar uma barra de vida cheia novamente.

Enfrentar bosses com Eficiência da Bateria no máximo

Ainda no seguimento das batalhas com os bosses, é altamente aconselhável entrar em combate com os mesmos com a vossa barra da Eficiência da Bateria algo preenchida. Isto irá permitir que possam usar essa energia para recuperar vida. Para tal precisam ter ativos os implantes “Regenerador Celular” e “Circuito Medivoltaico”.

Seja Agressivo!

Em The Surge 2, você pode se curar com seu estoque de energia e cargas apenas de energia quando atacar com sucesso um inimigo. O ataque é a melhor defesa! Tente gerar o máximo de energia possível para se manter melhor.

Abandone o implante de auto-recuperação

Também ajuda a abandonar o implante inútil Auto-Heal. Este implante cura automaticamente quando você está prestes a morrer. Pode parecer útil, mas na verdade você não vai adiantar nada se for um veterano do Dark Souls. Livre-se dele e encaixe-o em um implante diferente o mais rápido possível.

Cuidado com as desvantagens da engrenagem da classe Golias

Equipar o equipamento com a maior defesa pode parecer uma ótima idéia, mas você também encontrará sérias desvantagens. O equipamento da classe Golias, que é o mais pesado e oferece a maior defesa, geralmente concede uma penalidade de resistência ou torna seus ataques mais lentos. Alguns até diminuem a quantidade de energia que você gera por ataque. É melhor ficar com uma armadura mais leve para evitar ataques, em vez de absorver mais danos.

Se você é iniciante, tente usar a lança

Lanças são uma classe de arma que é bastante ideal para iniciantes. Eles são rápidos em atacar, têm bom alcance em seus inimigos, e existem algumas lanças incríveis para encontrar, mesmo no início do jogo. Caso contrário, você vai querer usar armas rápidas, como as Lâminas de 1 Mão ou Punhais. Quanto mais rápido você puder atacar, mais fácil poderá escapar de situações ruins.

Aprenda quando desencadear ataques cobrados

Ataques cobrados são movimentos poderosos que todas as armas podem desencadear. Eles levam um momento para carregar (naturalmente), mas o dano extra que eles fazem vale a pena esperar. O truque da maioria dos encontros é apenas encontrar uma boa oportunidade para desencadear um ataque carregado, eles também são ótimos em quebrar armaduras. Uma vez que a armadura é destruída em um inimigo, o resto da luta pode ser trivial.

Troque armas constantemente – você as encontrará em todos os lugares

Ao contrário de Dark Souls, onde você pode ficar com a mesma arma por muito tempo, The Surge 2 incentiva você a trocar. Algumas armas são simplesmente melhores do que outras. Abandone as armas antigas e adote as novas.

Explorar as fraquezas dos inimigos para facilitar a vida

Muitos inimigos têm fraquezas únicas que você pode explorar e trata-se de qual parte do corpo você ataca. Por exemplo, quando você chega ao Jardim e precisa lidar com os robôs aqui, pode atacar uma variedade de diferentes partes do corpo para enfraquecê-los. Atirar na cabeça deles com o seu drone interromperá o ataque a laser. Atacar suas pernas pode imobilizá-las completamente.

Explorar, Explorar, Explorar

Cada área é um labirinto de passagens e corredores e é importante explorar todos os cantos e recantos que puder. Você pode abrir muitos atalhos que facilitam muito as viagens futuras por essas áreas. E há itens, armas e implantes que você não vai querer perder.

Há onde melhorar

Mas “The Surge 2” também traz alguns tropeços. Um deles, ao menos na versão de avaliação, diz respeito ao desempenho do game em si.

Jogando no Xbox One X, por diversas vezes enfrentei quedas bruscas no FPS, mesmo com o jogo no modo “desempenho” (que sacrifica parte da qualidade gráfica em prol de manter os quadros estáveis).

Nenhuma dessas quedas ocorreu durante combates (felizmente), mas sim enquanto eu explorava os cenários. Considerando que esse é o tipo de falha que mais me irrita em um game, passei muito perto de perder a paciência.

Outro ponto a ser melhorado é a variedade de chefões. É curioso que o jogo comece com um boss inovador, com mecânicas específicas – que são bastante satisfatórias quando descobertas pela primeira vez -, mas acabe perdendo parte desse fôlego conforme progride, apostando mais no tamanho e na dificuldade da encrenca do que em fazer o jogador usar o cérebro.

Esses erros, no entanto, não apagam o avanço que “The Surge 2” representa em relação ao seu antecessor. Inclusive, fica aqui a dica: se você quiser se aventurar na franquia, pode ignorar o primeiro jogo e partir de cara para esse, já que a história é bem contextualizada e o game, em si, é muito melhor.

Referências:

Huf Games, The Pixel Glitch, Uol, techtudo, wikipedia.

Bloodborne

Bloodborne (ブラッドボーン Buraddobōn?) é um jogo eletrônico de ação-aventura produzido pela From Software e publicado pela Sony Computer Entertainment a 24 de Março de 2015. Sendo o quarto game da série Souls, inicialmente exclusivo para a PlayStation 4 e mais tarde para PC e Xbox.

Bloodborne foi realizado por Hidetaka Miyazaki, diretor de Demon’s Souls e Dark Souls. Miyazaki afirmou que o jogo nunca foi produzido com o sentido de ser Demon’s Souls II, porque a Sony Computer Entertainment queria uma nova IP para a PlayStation 4. Foi anunciado pela Sony a 9 de junho de 2014 durante a Electronic Entertainment Expo 2014, onde foi bem recebido pela crítica ganhando diversos prêmios e nomeações. Bloodborne foi descrito por Paul Sullivan da Sony como “Dark Souls com Caçadeiras”.

Bloodborne recebeu aclamação critica aquando do seu lançamento. Nos sites de pontuações agregadas GameRankings e Metacritic tem as médias de 91,62% e 93/100, respectivamente. A atmosfera, o enredo, a música, a apresentação, a jogabilidade e a direção em geral, foram elogiadas. Uma das principais críticas foram dirigidas aos tempos de carregamento muito longos. No entanto, em 23 de abril de 2015, a From Software disponibilizou uma atualização que resolveu o problema.

Jogabilidade

Apesar de ter elementos similares de um role playing de ação iguais a Demon’s Souls e Dark Souls, existem diferenças significativas nas mecânicas de Bloodborne. O combate tem um ritmo mais rápido e requer uma abordagem mais ofensiva para que os jogadores possam sobreviver a densas hordas de inimigos. O jogador é muito mais ágil para poder desempenhar saltos em redor dos inimigos enquanto estão na mira. O novo estilo “risco vs recompensa” está acentuado através do sistema de regeneração de energia, permitindo aos jogadores, dentro de uma pequena janela de tempo, recuperar a saúde perdida atacando de novo os inimigos.

O arsenal de Bloodborne é mais dinâmico que o armamento convencional de estilo medieval/fantasia da série Souls. Entre as classes que o jogador pode escolher, as armas de corpo-a-corpo podem se transformar em dois estados alternativos, em que cada um dá uma abordagem diferente em relação ao combate. O cutelo, por exemplo, no seu estado inicial pode ser usado para despachar rapidamente os inimigos em áreas apertadas, mas quando transformada no seu estado secundário torna-se uma lâmina mais estendida adequada para controlo de multidões. Os escudos estão disponíveis em Bloodborne, porém segundo o produtor não vai adiantar ficar se defendendo, pois os inimigos são muito agressivos, o jogador pode empunhar uma arma de fogo na sua mão esquerda que pode ser usada para atordoar os inimigos, seguido por um ataque crítico com a arma corpo-a-corpo do jogador.

Similar a Dark Souls, os inimigos derrotados deixam “cair” pontos de experiência com o nome Blood Echoes. Se o jogador morrer, os Blood Echoes ficam no local da sua morte; o jogador pode ir buscá-los de novo a esse ponto. No entanto, se o jogador morrer de novo durante o caminho para recuperar os Blood Echoes, estes ficam para sempre perdidos. Os Blood Echoes também podem ser capturados por outros oponentes, identificados por olhos de cor púrpura. Ao derrotar esses oponentes, o jogador recupera as Blood Echoes. Os inimigos também deixam cair Blood Vials (poções de energia) e Balas de Prata, que servem como munição para as várias armas. Os jogadores podem sacrificar energia de saúde e assim receber Balas de Sangue.

Durante o evento PlayStation Experience em dezembro de 2014 em Las Vegas, Miyazaki revelou a característica Chalice Dungeon, que vai gerando progressivamente novas áreas para os jogadores irem lutando cooperativamente.

Tudo bem se você morrer

Quase imediatamente após começar o jogo você já estará preso numa sala com um lobisomem faminto. Armado apenas com seus punhos e uma barra de vida pequena, as coisas não estão ao seu favor. Aceite a morte; o jogo a usa para apresentá-lo ao Hunter’s Dream, o único lugar no jogo onde você estará (quase) seguro e poderá retornar para aprimorar suas armas e comprar itens para sua jornada.

Fique de olho em atalhos e Lanternas

Yharnam é imensa, mas explorá-la por completo revelará:

Atalhos

Passagens estreitas cobertas de entulho, escadas e portas fechadas que escondem novos e velhos caminhos uma vez abertas, permitirão atravessar as áreas da cidade mais rapidamente.

Lanternas

Situadas em quase toda região do jogo, elas permitem que volte ao Hunter’s Dream quando quiser para comprar mais itens, aprimorar armas, passar de nível e restaurar sua vida (e na volta, se transportar para qualquer Lanterna que já tenha acendido, não só a de onde veio).

Escolha suas armas iniciais

Você terá de escolher uma entre três armas de combate corpo a corpo iniciais, e uma entre duas de longo alcance. Cada arma branca possui duas formas, que pode ter opções de ataque mais concentrados em um alvo ou em área, rápidos ou lentos.

As armas que você NÃO escolher serão vendidas pelos Mensageiros na loja do Hunter’s Dream, mas terá que usar sua escolha inicial por um tempo. Aqui está uma breve descrição.

Armas de Combate Corpo a Corpo

O Hunter Axe é lento, mas poderoso (e seus ataques custam bastante Stamina). Sua segunda forma é um machado monstruoso de duas mãos. Seu potencial de dano é o maior entre as armas iniciais, mas não possui nenhuma propriedade especial. Seu potencial de Rally é o maior entre as armas iniciais.

A Threaded Cane é o oposto, uma arma rápida, mas com potencial de dano menor. Na forma de bastão pode ser usada como uma espada de esgrima. Sua segunda forma é um chicote, que atinge vários inimigos se estiverem próximos. Ela também possui a propriedade “Righteous” que causa mais dano contra certos inimigos em sua forma de bastão, e quando se transforma em chicote, é considerada uma arma “Serrated”, que causa mais danos contra bestas. Seu potencial de Rally é o menor entre as armas iniciais.

O Saw Cleaver pode ser considerado um meio termo entre as outras duas de velocidade e dano. Na sua primeira forma, também possui a propriedade especial “Serrated”, causando mais dano contra inimigos bestiais. Sua segunda forma se estende, como se fosse um canivete gigante, com ótimo alcance e bons golpes em área. Seu potencial de Rally fica entre as outras armas iniciais.

Armas de Longo Alcance

O Hunter Blunderbuss é mais poderoso se usado em distâncias menores, apesar do indicador de dano dele parecer menor, se trata de um número de dano POR BALA, que são muitas no mesmo tiro.

A Hunter Pistol causa menos dano total, mas tem alcance maior, e é mais rápida no gatilho, o que pode ajudar em contra-ataques (também é boa para atrair a atenção de um inimigo por vez).

Aprenda a se Esquivar e usar Rally e Parry

Ao contrário de Dark Souls, onde você pode se proteger com um escudo enorme e jogar defensivamente, Bloodborne exige que você seja mais proativo e favorece quem toma a iniciativa no combate. Aqui estão pontos importantes sobre o combate que deve saber:

Respeite sua barra de Stamina

Conforme ataca, se esquiva ou corre, sua barra verde de Stamina será consumida. Se acabar por completo, você estará exposto ao ataque inimigo. Certifique-se que seus golpes acertem o alvo, crie distância do inimigo quando precisar se recuperar e não seja ganancioso.

Parry, e o poderoso Riposte Visceral

Usando sua arma de longo alcance, você pode também dar parry no inimigo, mas tem que ser usado no momento exato. Espere o inimigo iniciar o golpe — faça uma manobra ofensiva falsa ou um rápido movimento — e assim que eles forem atacar, atire com sua pistola ou rifle.

Se acertar, irá causar dano, interromper o ataque e deixar o inimigo exposto a um riposte ‘visceral’. É algo que leva tempo pra pegar o jeito, mas quando conseguir, valerá a pena, o dano ao inimigo é imenso, quase sempre eliminando por completo inimigos normais — e o melhor de tudo é que muitos chefes são susceptíveis à manobra.

Recupere seu HP com Rally

Uma mecânica interessante para aprender é o ‘rally’: sempre que sofrer um ataque em Bloodborne, você terá uma janela se poucos segundos onde, se atacar de volta rápido o suficiente, irá recuperar um pouco — ou até a maioria — do seu HP perdido. It can save on healing items, so make sure you give as good as you get. O valor exato por golpe depende da arma usada.

Use pedrinhas para atrair inimigos um a um

Yharnam possui grupos grandes de inimigos perambulando pelas suas ruas. Se jogar no meio deles é um jeito rápido de morrer.
Você pode pegar pedrinhas que alguns inimigos dropam (corvos principalmente), ou comprá-las dos Bath Messengers no Hunter’s Dream. Arremesse-as em inimigos para chamar a atenção de partes do grupo e derrotá-los um a um.

Dividir para conquistar é o lema: você também pode usar tiros de pistola, molotovs ou até golpes rápidos pelas costas naquele inimigo que já está meio afastado do grupo para quebrá-los.

Invista em novos equipamentos

Você começa o jogo só com a roupa do corpo, meio gasta. Assim que puder, tente encontrar equipamento melhor.

Sua primeira visita ao Hunter’s Dream será a fonte da sua primeira arma, mas não se esqueça de procurar também por roupas que o protegerão melhor (procure nos esgotos de Yharman ou até com os Bath Messengers no Hunter’s Dream) e também mais truques como firepaper e molotovs para virar o jogo contra inimigos mais fortes.

Sem isso, sua vida será muito mais complicada, se estiver tendo muita dificuldade, lembre-se de usar tudo que estiver à sua disposição, e aprimorar sempre que possível.

No Sonho do Caçador, é possível comprar novos equipamentos. Conforme você progride na história e derrota outros chefes, muitos sets de armaduras ficam disponíveis para a compra.

Os equipamentos de Bloodborne possuem atributos mistos, e não há exatamente um que seja bem melhor que o outro no começo do game. Está em uma área que pode ser envenenado? Procure por vestimentas que aumentem sua resistência a veneno. Os inimigos estão jogando coquetéis molotov? Equipe uma armadura com resistência a fogo.

Há outros status, como defesa contra ataques perfurantes ou de contusão, que também variam de cenário para cenário. Se você já possuir alternativas de sets no começo do game, investir em defesa física alta pode ser um bom coringa para qualquer situação. Os conjuntos “Vestes de Caçador” e “Explorador de Tumba” são um dos melhores no primeiro momento.

Recuperando seus Blood Echoes

Todo inimigo que derrotará em Bloodborne fornecerá uma espécie de recurso chamado ‘Blood Echoes’ que vai se acumulando conforme vence mais inimigos pelo jogo. Este recurso é usado para tudo: comprar equipamento e passar seu personagem de nível. Mas tem um porém: se morrer, perderá todos os Blood Echoes, deixando tudo no lugar onde morreu. A única maneira de recuperá-los é voltando ao local da sua última morte e interagindo com eles SEM morrer novamente (desaparecem para sempre nesse caso). E, diferente de Dark Souls, aqui alguns inimigos roubam seus Blood Echoes! Se não os encontrar no chão, olhe bem nos olhos dos inimigos por perto, algum deles pode ter um brilho diferente nos olhos, indicando quem é o ladrão.

Se você teve uma jornada difícil, e estava cheio de Blood Echoes quando morrer, pode ser devastador. Em alguns casos a melhor estratégia é apenas correr. Fique de olho na sua barra de Stamina e corra pelos inimigos até chegar no local onde morreu. Quando estiver carregando seus Blood Echoes novamente, identifique o melhor caminho ou atalho até a Lanterna mais próxima e gaste-os!

Não lute contra Father Gascoigne primeiro

As ruas labirínticas de Yharnam fazem sua jornada nunca ser linear. Como resultado, o primeiro encontro com um chefe pode ser num cemitério cheio de lápides de metal, encarando o já insano, e insanamente rápido, Father Gascoigne. Melhor voltar outra hora. Tente encontrar o gigantesco Cleric Beast primeiro. Ainda será uma luta difícil, mas a enorme besta é bem mais lenta, e telegrafa seus ataques com mais clareza. Além disso, a batalha será numa ponte sem nada no seu caminho para atrapalhar.

Invista no seu personagem: níveis e fortificação

Se tiver a impressão que as armas não estão causando muito dano ou que os inimigos estão dando muito dano, pode ser a hora de aumentar seu poder. Blood Stone (Shards), encontradas por Yharnam podem ser usadas, junto com Blood Echoes, para aumentar o poder, ou fortalecer — suas armas.

Blood Echoes também podem ser usados para aumentar o poder do personagem. Após seu primeiro encontro com um chefe (mesmo se tiver morrido) receberá pelo menos um ponto de ‘Insight’. Este recurso possui muitos efeitos e utilizações no jogo. O primeiro que descobrirá, é que com ele, poderá ver e interagir com a forma desperta da Plain Doll no Hunter’s Dream. Uma vez acordada, ela pode ‘canalizar’ seus Blood Echoes, permitindo investir pontos de atributo no seu personagem, aumentando sua vida, destreza, força e outros atributos.

Use os sinos de convocação para o multiplayer

Um caçador nunca está sozinho… Se estiver tendo muito trabalho com uma área ou luta de chefe, ou se apenas quiser explorar o jogo acompanhado, pode usar seu Beckoning Bell — obtido no início do jogo — para convocar a ajuda de outros caçadores pagando um ponto de Insight.

Assim seu mundo se abrirá e poderá se conectar com jogadores que ofereceram ajuda naquela área. Obter mais Insight para poder fazer isso sempre que quiser pode ser difícil no início, mas sempre que encontrar um chefe pela primeira vez receberá pelo menos um ponto, e se consumir um item chamado Madman’s Knowledge receberá um ponto. Se preferir jogar com amigos, pode utilizar uma senha na configuração de rede do jogo.

É claro que, a vida dos chefes será ajustada quando receber ajuda, mas lutas cooperativas são sempre muito divertidas em Bloodborne. Tome cuidado, pois ao abrir seu mundo para caçadores amigos pode também atrair a atenção de caçadores de caçadores… Se receber uma notificação que seu mundo foi invadido por um outro jogador, prepare-se para lutar (ou se esconder).

Outros jogadores deixaram mensagens para você

Se jogar online, encontrará mensagens espalhadas pelo chão, nas mãos de pequenas criaturas. Eles são os Messengers, são amigáveis apesar da aparência, e as mensagens que seguram foram enviadas por outros jogadores reais. Na maioria das vezes são avisos de armadilhas, ou até mesmo dicas de certas vulnerabilidades de alguns inimigos, mas tome cuidado. Alguns jogadores podem mentir de propósito para causar confusão!

As mensagens podem ser marcadas como Fine (boa), ou Foul (ruim) usando o touchpad do DualShock 4. Se quiser deixar mensagens para outros jogadores, pode usar o item chamado Notebook. Outros jogadores verão sua mensagem, e caso a marquem como boa, você instantâneamente é curado levemente, não importa onde esteja.

“Tesouro adiante”, “Cuidado com emboscada” e “Tema inimigo forte” são apenas alguns exemplos do que pode ser encontrado nos recados. Se você suspeitar da veracidade das informações, é possível olhar as avaliações que uma anotação recebeu. Caso você veja algo que queira alertar para os demais jogadores, utilize o item “Caderno de Anotações”.

Além dos Messengers, pode encontrar também os fantasmas de outros jogadores. Estes espectros podem dar uma idéia de como morreram à sua volta. Assim pode deduzir a posição de armadilhas ou inimigos, então vale a pena interagir com eles.

Insista!

Bloodborne vai contra a maré atual, fazendo cada jornada sua pelas ruas de Yharnam acabar em morte atrás de morte horrenda. Isto faz parte da experiência de Bloodborne, e garanto que a primeira vez que testemunhar algumas mortes, nem se importará, de tão diferente ou revelador que será. O jogo martela a idéia de que você não pode relaxar nem por um segundo, então sempre respeite mesmo os inimigos aparentemente fracos e fique atento ao seu redor. Mais do que em muitos casos, aqui você sente que o jogo não vai ficando mais fácil; você é que está ficando melhor! Em pouco tempo estará rindo dos seus desafios iniciais.

Atributos para focar

Assim que você inicia o game, é possível criar o seu personagem. Aspectos estéticos à parte, você tem a opção de definir a história por trás do seu protagonista, cada uma com atributos diferentes. No final das contas, nenhum é absurdamente diferente do outro – apenas o último, que não adiciona nenhum status, apenas dificuldade.

Caso seja um novato na série, uma boa opção é encontrar uma construção de atributos com maior Vitalidade e Vigor, que são traduzidos basicamente na barra de vida e stamina, respectivamente. Caso não se adeque bem à build, é possível compensar com o aumento de nível, portanto não se preocupe.

Subir de nível

Se você acabou de começar ou jogou apenas 30 minutos ou menos, provavelmente ainda não encontrou a forma de melhorar seus status. Em Dark Souls, o personagem pode subir de nível em qualquer fogueira, enquanto em Dark Souls II era necessário conversar com uma mulher em Majula.

Bloodborne segue a mecânica do último jogo da From Software, e você consegue aprimorar seus atributos com a boneca do Sonho do Caçador. Se ela ainda estiver inumana, você deve enfrentar – enfrentá-lo, e não necessariamente derrotá-lo – o primeiro chefe na ponte perto da primeira lanterna do game para habilitar a boneca.

Levels podem ser aprimorados com ecos de sangue, que servem tanto como moeda quanto como experiência. Os status principais para o modo história devem ser: Vitalidade e Vigor, com Força em segundo plano. Só tome cuidado para não aumentar demais um deles e se esquecer do outro, ou seja, sempre os mantenha balanceados.

O que fazer com Dano de Sangue, Perícia e Arcano? De uma forma literal, podemos traduzi-los como: força da arma de fogo, agilidade e magia – apesar de algumas armas físicas também se beneficiarem dele. Eles são necessários para equipar algumas armas e magias do jogo, mas elas não estão disponíveis no começo. Só os aumente se encontrar algo que necessite deles.

Ataques viscerais

Conforme mencionamos acima, realizar um parry é uma das maneiras para conseguir uma abertura para um ataque visceral. De forma resumida, trata-se de um golpe em forma de animação, que tira muito HP e deixa o oponente caído no chão.

Um ataque visceral só funciona em um inimigo atordoado, e há três maneiras para deixá-lo nesse estado: a primeira é realizar um parry; a segunda é acertar um golpe carregado de R2 por trás, seja no modo furtivo – caminhe devagar até o inimigo – ou em uma brecha; e a terceira é através do golpe de queda – ataque enquanto cai de uma plataforma.

Essas três alternativas deixam o monstro parado e sem reação, pronto para receber um ataque visceral. Para realizá-lo, basta chegar próximo ao inimigo e apertar R1, garantindo um golpe três a quatro vezes mais forte que o convencional. Enquanto você estiver na animação, seu personagem fica invulnerável para todos os outros inimigos, portanto (excluir) não se preocupe.

Vale a pena comprar frascos de sangue e balas e mercúrio?

A resposta mais direta para essa pergunta é “não”. Tanto os frascos de sangue quanto as balas de mercúrio são facilmente encontrados em diversas áreas do jogo. Na primeira lanterna de Yarham, por exemplo, você pode seguir o caminho pela esquerda, matar os dois ogros, descer para os esgotos e limpar os inimigos de lá para ganhar os itens.

Conforme você avança no game, vai descobrir que há muitos outros cenários com recompensas parecidas, como o cemitério do lado direito da Grande Catedral, que fornece muita munição.

Comprar esses itens talvez valha a pena se você estiver ansioso para enfrentar um boss e não quiser perder tempo com a coleta. De qualquer outra maneira, guarde seus preciosos ecos para aumentar o seu nível ou comprar equipamentos melhores nos mensageiros.

Movimentos exclusivos do lock-on

Naturalmente, o lock-on pode parecer a melhor alternativa sempre, já que estamos acostumados com este sistema há anos em qualquer jogo de ação. Entretanto, em Bloodborne é possível jogar com e sem o recurso, pois cada uma dessas mecânicas possuem benefícios e punições diferentes. Com o passar do tempo, o ideal é saber a hora de utilizá-las.

Quando um oponente está em foco, novos movimentos ficam disponíveis, como os dashs, que são pequenas investidas para os lados, para frente ou para trás. Essas esquivas rápidas são ideiais para oponentes maiores e lentos. O recurso permite também que o arremesso de objetos e tiros seja realizado com precisão. Contudo, ataques que cobrem uma grande área – utilizados principalmente por chefes – podem acertá-lo depois de uma esquiva com lock-on.

Por mais estranho que pareça, não manter a câmera fixa tem suas vantanges. Por exemplo: quando há três ou quatro humanos na mesma área, é possível atacar todos de uma só vez sem o lock-on. Além do mais, desviar de ataques inimigos resultam em cambalhotas, que, apesar de lentas, possuem alcance maior que os dashs em termos de esquiva.

Se você não utilizar o recurso de trava de mira, é possível correr e alcançar as costas dos chefes de uma maneira mais fácil e eficiente, pois a movimentação do personagem é bem mais rápida. Entretanto, uma cambalhota para trás pode atrapalhar a câmera e colocá-lo em uma posição desvantajosa.

Recuperação de HP

O sistema de recuperação de vida é explicado no começo do jogo através de uma anotação no Sonho do Caçador. Ou seja, muitas pessoas podem passar batido por ela e não entender bem essa mecânica de jogo. Mas não se preocupe, ela é bem simples.

Em Bloodborne, toda vez que você receber um dano, a sua barra de HP não desce imediatamente – salvo exceções, como condições especiais de veneno, frenesi e afins. Em vez de perder vida, um pequeno marcador branco desce no marcador de HP, sinalizando que ali será a quantidade de vitalidade restante.

Se o sangue inimigo acertá-lo nesse período – ou, em outras palavras, se você acertar golpes no oponente –, todo ataque vai recuperar um pouco desta barra. Ou seja, é possível recuperar grande parte do HP perdido nas batalhas apenas derrotanto os inimigos. Contudo, uma vez que o marcador branco desce de vez, não há como recuperá-lo com golpes.

Cálices

Cálices são ites utilizados nos altares do Sonho do Caçador para gerar dungeons procedurais, ou seja, completamente aleatórias. Em outras palavras, utilizar o mesmo item não cria um local de exploração igual para duas pessoas, algo que aumenta o fator replay do game. Nestes lugares, há elementos exclusivos, como armas e inimigos que não vemos durante a campanha.

Contudo, não tenha pressa em finalizá-los. Todos os progressos nos Cálices são herdados no New Game Plus, sem alterar a dificuldade. Isso quer dizer que não há nada essencial para a história, e é possível concluí-los em qualquer momento.

Tenho quatro caminhos para seguir. O que fazer?

A From Software é famosa por criar excelentes level designs em seus jogos, que mesmo sem um mapa ou indicador, sinaliza ao jogador para onde ele deve ir. Contudo, este sistema pode assustar um pouco os novatos da série, como foi o caso do relato de experiência de um dos nossos redatores.

Se em algum momento você tiver muitas opções de caminhos para seguir a partir de um mesmo local, não se desespere. Escolha uma delas e o explore sem medo de estar perdendo algo das outras alternativas.

Caso existam quatro caminhos, um deles pode ser um atalho, outro pode levar a um baú, um terceiro estará trancado para você no momento e o quarto o colocará no caminho certo. Apesar de ter um mundo aberto, Bloodborne apenas ilude o jogador com a falsa sensação de opções de rotas. De alguma maneira, você sempre acaba seguindo para o local correto.

Em alguns casos raros, existe sim a opção de progredir para dois caminhos diferentes – sem ter uma barreira de progressão. Se isso acontecer, escolha um deles e verifique se o seu level está compatível. Se sim, dê continuidade, mas sem se esquecer de retornar à rota que foi deixada de lado em algum momento do game.

Estude os inimigos

Analisar o comportamento dos monstros é crucial para poder eliminá-los e até para poder fugir deles. Ao encontrar um inimigo que você nunca viu antes, tente identificar seus padrões de ataque e movimentação, sua velocidade e, o mais importante, seu tempo de recuperação entre seus golpes. Somente desse modo é possível criar uma estratégia de combate eficiente. A dica é esperar o monstro entrar neste tempo de recuperação e atacá-lo.

Use bem o fogo

Você pode usar as tochas, mas também pode comprar bombas de coquetel molotov. Uma dica é jogar bombas de óleo nos adversários para deixá-los encharcados e, em seguida, jogar o coquetel para dar mais dano usando o fogo. É uma boa estratégia para quando estiver com a vida curta.

Cuide de sua vida

Ter itens para recuperar a energia de seu personagem é importante. Mas há uma dica importante relacionada à vida do herói: quando você é atingido, sua vida diminui, mas, ao bater no adversário rapidamente, ela se recupera aos poucos. Um risco branco na barra de vida mostra o quanto o personagem irá perder de vida caso não acerte o monstro nos próximos segundos. Bater no inimigo enquanto ele está na animação de sua morte também ajuda a recuperar um pouco da vida.

Referências:

Voxel, Blog Playstation, Br Ing, Wikipedia.

Sekiro: Shadows Die Twice

Sekiro: Shadows Die Twice é um jogo eletrônico de ação-aventura desenvolvido pela FromSoftware e publicado pela Activision. Foi lançado em 22 de março de 2019 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo se passa em uma versão mágica e fictícia do período Sengoku no Japão, e segue um shinobi que tenta se vingar de um clã samurai que o atacou e sequestrou seu lorde.

A jogabilidade é focada em furtividade, exploração e combate, com ênfase especial em batalhas contra chefes. Embora a maior parte do jogo ocorra em áreas fictícias, algumas áreas são fortemente inspiradas em edifícios e locais do mundo real no Japão. O jogo também faz fortes referências à mitologia e filosofia budista. Enquanto criava o jogo, o diretor Hidetaka Miyazaki queria criar uma nova propriedade intelectual (IP) que marcasse um ponto de partida da série de jogos Souls, também feita pela FromSoftware, e buscou inspiração em séries como Tenchu.

Sekiro foi aclamado pela crítica, que comumente compararam e contrastaram com os jogos da série Souls. Enquanto seu alto nível de dificuldade recebeu algumas críticas, os elogios foram direcionados para sua jogabilidade, história e cenário. Dentro de dez dias de seu lançamento, o jogo vendeu mais de dois milhões de cópias em todo o mundo.

Jogabilidade

Sekiro: Shadows Die Twice é um jogo eletrônico de ação-aventura jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. Embora comparado com a série Souls, da FromSoftware, o jogo não apresenta elementos de RPG, como criação de personagens, classes e upgrades de equipamentos, além de não ter elementos multiplayer. Em vez de atacar para reduzir os pontos de vida de um inimigo, o combate em Sekiro gira em torno de uma katana para atacar seu equilíbrio, o que eventualmente leva a uma abertura que permite um único golpe mortal. O jogo também possui elementos furtivos, permitindo que os jogadores eliminem imediatamente inimigos se eles puderem ficar no alcance sem serem detectados. Além disso, o personagem do jogador tem a habilidade de usar várias ferramentas para ajudar no combate e exploração, como um gancho e uma tocha. Se o personagem jogador morrer, ele terá a opção de ser revivido no local sob certas condições, em vez de reaparecer em pontos de checkpoint anteriores.

Treine muito no início

Sekiro tem como base uma das mecânicas que geralmente é reservada para os jogadores mais veteranos e hardcore, o chamado “Parry” ou aparar. Essa técnica consiste em pressionar o botão de defesa no exato momento em que o golpe do inimigo acerta o seu personagem. Em Sekiro, aparar quebra a postura dos inimigos e permite um golpe mortal.

Não bastando a dificuldade de dominar essa técnica, o jogo ainda conta com diversas melhorias para seu braço shinobi, dezenas de habilidades escondidas e várias outras técnicas fundamentais como desviar e pular. Dominar tudo isso direto no campo de batalha seria muito frustrante e é por isso que a From Sofware colocou pela primeira vez uma espécie de modo treino dentro do jogo.

Logo no início da aventura você será apresentado ao Hanbei, o Imortal, um NPC que como o nome diz não pode ser morto. Ele fornece lições sobre cada uma das técnicas apresentadas no início do jogo e adiciona outras assim que seu personagem for aprendendo novas habilidades no decorrer do jogo. A qualquer momento você pode desafiá-lo para um combate ou repassar as lições. Como o jogo pode ser muito frustrante em alguns momentos, treinar para melhorar suas habilidades é o melhor caminho para superar os desafios.

Guarde suas moedas em bolsas

Em “Dark Souls”, sempre que o seu personagem morre as almas são perdidas. Em Sekiro isso acontece com seus pontos de habilidade e moedas. Os pontos de habilidade não têm como serem protegidos e dependem da sorte para serem preservados, já as moedas podem e só exigem uma pequena porcentagem do seu montante.

Moedas guardadas em bolsas não são perdidas após morrer. A forma de fazer isso é comprando as bolsas de moedas dos vendedores pelo caminho. A bolsa pequena guarda 100 moedas, já a grande guarda 500 moedas e uma maior ainda guarda até mil moedas. O custo da bolsa pequena é 10 moedas, da média 50 e da grande 100 moedas, já a grande guarda 500 moedas e uma maior ainda guarda até mil moedas. O custo da bolsa pequena é 10 moedas, da média 50 e da grande 100.

Ao usar a bolsa no seu menu ou vendendo para um comerciante as moedas voltam para você e a bolsa se perde, portanto só use-as no momento em que for comprar algo importante.

Use a furtividade e a verticalidade

Uma das grandes novidades de Sekiro é a mecânica de furtividade, que permite executar os inimigos mais fracos com um único golpe desde que o Lobo não tenha sido notado. Esse abate pode ser feito por trás, pelos lados e também pelo alto, bastando pular na direção do inimigo e pressionar R1/RB no momento em que um círculo vermelho aparecer nele.

Isso é especialmente importante para conseguir vencer os inimigos mais fortes, chamados de “mini boss”, que exigem dois golpes mortais para serem finalizados. Quase sempre existe um caminho que leva até as costas deles e garantem que um golpe mortal seja executado antes mesmo da luta começar, facilitando muito a sua vida difícil pelo Japão Feudal.

Outro uso da furtividade é para passar por áreas inteiras sem ter de lutar com ninguém. Principalmente quando se faz uso da verticalidade. O seu personagem é equipado com um gancho que garante acesso aos telhados das casas e construções, fazendo a travessia pelos cenários rápidas e seguras, além de oferecer uma gama de locais propícios para abates silenciosos.

Lembre-se de coletar as moedas e itens

Uma das grandes pegadinhas de Sekiro é precisar pressionar quadrado no PS4 ou X no Xbox para coletar as moedas e itens deixados pelos inimigos depois de vencê-los. Ao limpar uma área, lembre-se sempre de passar perto dos corpos pressionando o botão para coletar tudo.

Use o Pause

Finalmente podemos pausar a ação em um jogo recente da From Software e isso tem muito significado em Sekiro. É possível trocar as melhorias do seu braço Shinobi, alterar os itens de seleção rápida e claro, dar uma respirada no meio de um combate tenso.

Como a estratégia para cada adversário é diferente e exige trocas de equipamentos, lembre sempre de usar o botão de pause para fazer o preparo ideal antes e durante as lutas, inclusive para alterar qualquer estratégia que tenha dado errado e experimentar novas ideias.

Repita áreas para coletar experiência

Embora não exista um sistema de nível parecido com “Bloodborne “ou “Dark Souls’, Sekiro fornece diversas árvores de habilidades para melhorar o seu combate. As habilidades passivas, por exemplo, podem melhorar a sua guarda contra inimigos com espada ou causar mais dano a guarda dos adversários quando você executar um “parry” e ainda melhorar sua furtividade, evitando que inimigos te ouçam quando agachado.

Para liberar as habilidades é preciso comprá-las com pontos de habilidade nos santuários. Esses pontos são ganhos sempre que a barra azul no canto superior direito da sua tela é preenchida, que por sua vez precisa que você elimine inimigos para ser completada. Nada melhor então do que repetir algumas áreas para comprar aquela habilidade necessária, especialmente porque após atingir um nível na barra, ele não volta mais atrás até ser gasto, mesmo morrendo.

Lembre-se de orar nos santuários

Os santuários não ficam salvos para viajar e repousar quando você os vê pela primeira vez, é preciso sentar e orar neles. Eles são também responsáveis pelo checkpoint, garantindo que você volte ali no caso de morrer. Portanto nada de passar reto por eles.

Compre Cabaças

A Cabaça Curativa não é a única do jogo. Os vendedores têm diversas outras que podem ser utilizadas para curar e se fortalecer contra efeitos negativos como terror, veneno e fogo. Elas custam 1800 moedas e podem ser conseguidas em diferentes vendedores pelo mundo.

Com a cabaça púrpura por exemplo, você conseguirá finalmente enfrentar os chefes decapitados ou espectrais. O mais legal é que assim como a cabaça de cura, essas outras são reabastecidas ao repousar em um santuário.

Explore os cenários e enfrente os mini chefes

Os itens disponíveis no jogo, de açúcares dos monges à cinzas, podem decidir a sua batalha. Embora vários deles possam ser encontrados ao derrotar inimigos, muitos estão espalhados pelo mapa, esperando somente você chegar para pegá-los. Além desses itens mais comuns, também é possível encontrar as sementes de cabaça escondidas por aí, que garantem mais uma cura para usar durante o jogo.

A importância de explorar não para por aí, diversos vendedores e NPCs com quests estão te esperando em locais escondidos e o contato com eles pode render melhorias essenciais para enfrentar os chefes do jogo.

No meio do caminho também estão os mini chefes, que são difíceis de derrotar mas garantem duas coisas. A primeira é um bom desafio que serve como treinamento para melhorar no jogo, a segunda são os colares de conta, que servem para melhorar a sua vitalidade e postura. Embora seja tentador deixá-los para trás, tente sempre vencer os que encontrar no caminho para não passar dificuldade nos chefes mais avançados do jogo.

Observa e Ataca

Se já és um jogador veterano de Dark Souls, pode ser tentador aproximares-te de cada situação a pé à medida que as encontras. Desta feita, uma vez que Sekiro apresenta ambientes mais abertos, é bom saberes que existe mais do que uma opção de abordares uma determinada situação. Por exemplo, se te deparares com três inimigos numa área relativamente pequena, podes sempre procurar por um local mais alto, ter uma melhor noção do território e ver se existem outras tácticas que te permitam separar os inimigos.

Em Sekiro, vais descobrir que os níveis possuem uma certa verticalidade e ela existe por uma razão. Usa os telhados e bermas com o teu gancho para teres acesso a áreas secretas, descobrir bordas que te permitem executar ataques silenciosos, entre outros. Isto funciona especialmente bem quando estás a defrontar oponentes com capacidades de longo alcance: desde que investigues os teus arredores, poderás facilmente encontrar uma estratégia que te permite eliminá-los de forma silenciosa e regressa às sombras.

Itens são significativamente mais importantes agora

Durante as tuas aventuras em Sekiro: Shadows Die Twice, vais frequentemente encontrar itens específicos ou candies que irão melhorar certos atributos, desde aumentar o teu potencial ofensivo que permite que os teus passos sejam mais silenciosos. Isto não é nada particularmente novo – especialmente quando comparados com outros títulos da From Software – contudo, a potência destes itens é aumentada.

Como resultado, se tiveres a oportunidade de enfrentares um miniboss equipado com alguns upgrades, fá-lo! Os itens estão no jogo para serem usados, e não armazenados. Nos termos mais simples: se o item for útil para determinada situação, usa-lo. O aumento da eficácia dos itens significa que definitivamente terás uma melhoria durante um pequeno período de tempo e frequentemente serão a diferença entre a vida e morte.

Descida

Durante a maioria do tempo, irá usar esta mecânica para investigar o território, usando o gancho para subir para andares mais altos e investigares os teus arredores – mas serás também capaz de desferir um golpe poderoso quando saltares e aterrares em cima de um inimigo.

Isto pode ser um pouco difícil de perceber, mas torna-se mais fácil assim que assimilares o timing. Quando fizeres lock a um inimigo e saltares de uma borda acima deles, a retícula deles ficará vermelha – nesta fase, deverás premir o botão de ataque para lançares um ataque de execução devastador que eliminará a maioria dos inimigos de baixo nível. Irás também tirar um bom pedaço de saúde a Bosses e Minibosses. Só terás uma oportunidade para o fazeres e, se fores mal-sucedido, ficarás à mercê da lâmina do teu inimigo.

Mantém-te escondido o máximo de tempo possível

Apesar de ser furtivo poder parecer uma táctica óbvia num jogo onde estás a jogar como um Shinobi, pode ser fácil cair de volta nos velhos hábitos Soulsborne. Evita mergulhar em combates abruptamente com a espada erguida, com todos os itens e a pensares que és invencível. Descobrirás frequentemente que os inimigos gostam de se aglomerar à tua volta, e que eles podem surpreender-te se se encontrarem em esconderijos do nível enquanto exploras. Portanto, é melhor dividi-los um pouco. Utiliza a mecânica de agachamento, encontra locais de cobertura na erva alta ou solta-te das bordas para derrubá-los.

Isto permite-te matar muitos inimigos de baixo nível com um ataque stealth bem cronometrado (novamente, quando a retícula do alvo ficar vermelha), e também permitirá que, lentamente, reduzas o número de inimigos para um valor um pouco mais agradável. Se conseguires manter esta estratégia, podes até ser capaz de passar por um nível inteiro sem ser visto. As sombras podem morrer duas vezes, mas os teus inimigos só morrem uma.

Sê cuidadoso quando ressuscitares

Ressurreição é uma nova mecânica em Sekiro que permite-te reavivares a tua personagem depois de seres abatido por um inimigo, e será particularmente útil quando derrubares bosses ou minibosses difíceis. Só podes usá-la uma vez depois de teres descansado, no entanto, o que significa que não deverás premir simplesmente o botão de ressuscitar imediatamente depois dele aparecer.

É melhor esperar. Imediatamente após caíres, os inimigos vão-se dispersar um pouco, permitindo que tenhas um pouco mais de espaço antes do teu contra-ataque. Se planeaste o teu ataque antes de morreres, então serás capaz de atacar o inimigo já com pouca energia novamente e ter a vantagem; ou, escolhe uma abordagem diferente e tenta recuar depois de seres abatido a primeira vez. Ele também permite-te usar um Idol de regresso a casa para levar-te para a área de descanso mais próxima, se estás realmente a ter dificuldades. Se o usares precipitadamente, no entanto, podes muito bem estar a caminhar em direcção à tua “morte” – e perder tudo.

Procura outros caminhos

Se estás a ter dificuldades numa determinada área ou boss, tenta verificar os outros caminhos disponíveis que podes seguir, pois isso pode levar-te a uma área diferente um pouco mais direccionada para as tuas habilidades. Encontra um local mais adequado para derrotares inimigos de níveis mais baixos e poderás voltar com alguns equipamentos novos e brilhantes para derrubares aquele inimigo particularmente problemático.

Além disso, outros caminhos podem conter NPCs ou itens que poderás trazer de volta ao Dilapidated Temple, permitindo-te desbloquear um pouco mais da história e dos segredos obscuros do jogo. Por outras palavras, vale sempre a pena conferir outras opções em Sekiro antes de seguires a toda a velocidade. Lembra-te de fazer uma pausa e verificar os teus arredores.

Não tenhas medo de correr

Sim, sabemos que dissemos anteriormente que o devias evitar mas, inevitavelmente, vais-te sentir sobrecarregado e, nesse ponto, manter a pressão sobre os teus inimigos não é uma opção sensata. Uma vez que Sekiro é muito mais rápido que os seus precursores Soulsborne, terás muitas mais oportunidades de recuar quando precisares – e o teu maior trunfo quando se trata de fuga será o Gancho. Se conseguires chegar perto de um ponto que podes agarrar, é provável que também haja outro que te permitirá fugir com rapidez e segurança.

Há também uma penalidade bastante alta pela morte em Sekiro, incluindo um mecânico que, sem estragar nada, tornará a tua vida ainda mais difícil quantas mais vezes morreres. Se quiseres manter todas as tuas coisas, o melhor mesmo é correres – pode ser difícil para o teu orgulho mas certamente irá ajudar-te a longo prazo.

Domina os básicos de Posture

Posture é uma das mecânicas mais importantes para assimilares no que diz respeito ao combate em Sekiro. É representada pela barra abaixo da barra de saúde de um inimigo, ou a grande barra no topo de um boss, sendo que a tua se encontra na parte inferior do ecrã. Basicamente, ela diz quantos mais confrontos com espada um inimigo pode aguentar quando ambos estão presos num duelo.

Ela vai também ajudar-te a perceber quando deves atacar, esquivar, saltar e recuar. Desviar um ataque inimigo também vai ajudar a quebrar o impasse do duelo. Assim que um inimigo tenha o seu medidor de postura totalmente preenchido, poderás fazer um ataque crítico e matá-lo num único golpe. Muito do combate de Sekiro depende de uma compreensão do sistema de postura e dos ataques críticos, por isso, certifica-te que praticas durante as primeiras fases do jogo – domina as habilidades logo no início, mesmo quando achares que não vais precisar delas no futuro.

Parry e Ripostar

Como explicado acima, a postura tem um impacto significativo no fluxo do combate: pressionando o botão de defesa antes do ataque do teu inimigo vai permitir que te desvies e, imediatamente, dar-te a oportunidade de ripostares. O contra-ataque causará algum dano, mas tem cuidado caso o teu inimigo tenha outro ataque, já que poderás ficar preso no meio de um combo.

Os inimigos vão levar as tuas defesas em conta e, com bastante frequência, encontrarás uma sequência de ataques da qual terás de te desviar perfeitamente para conseguires fazer um contra-ataque. Felizmente, a janela para te defenderes é bastante misericordiosa, e rapidamente estarás a desviar ataques em rápida sucessão. Não te esqueças de praticar esta técnica no Dilapidated Temple contra Hanbei the Undying e, assim que perceberes o timing, estarás pronto para enfrentar o resto do jogo.

Visita o templo

Se fizeres questão de verificar todas as áreas que exploras, encontrarás muitos NPCs espalhados pelo mundo, que frequentemente concedem itens úteis que podes usar durante o resto do jogo. Alguns deles são incrivelmente eficazes, como um Mysterious Bell que poderás oferecer ao santuário.

Não há nenhum mal em fazer uma pequena pausa também – ou lutar contra Hanbei, que te deixar-se-á ser golpeado até à morte para poderes praticar as tuas habilidades de Shinobi ou Próteses à medida que as obtiveres. Em geral, também é útil esgotar todos os diálogos dos NPC antes de progredires, pois encontrarás muitas dicas úteis que podem levar a uma descoberta ao explorares áreas do jogo.

Domina o combate

Com alguns inimigos em Sekiro: Shadows Die Twice, encontrarás um Red Kanji que aparece acima das sua cabeças durante os ataques. Isso indica que o inimigo em breve fará um ataque que não pode ser bloqueado, então terás apenas uma fracção de segundo quando se trata da forma como terás de o abordar. Felizmente, é apenas um caso de pedra, papel e tesoura.

Se o inimigo estiver a aproximar-se de ti, terás de cronometrar um desvio e um contra-ataque. Se o inimigo tentar capturar-te, deverás esquivar-te para a esquerda ou para a direita e saíres do caminho. Se o inimigo estiver prestes a fazer um ataque de varredura, deves saltar para trás e para fora do caminho do perigo. Felizmente, descobrimos que esses ataques geralmente são bem telegrafados, e só precisas de seguir as acções do inimigo e reagir de acordo. Simples o suficiente – em teoria, pelo menos!

Pegue o loot dos corpos

Mesmo com o game lembrando de fazer isso logo no começo, você acaba esquecendo. Diferentemente de outros jogos da From, alguns itens não vão automaticamente para o seu inventário. Para coletar itens, dinheiro e mais, você precisa pressionar e segurar o botão de interação (Quadrado no PS4 e X no Xbox One) para “sugar eles para você. Ao limpar uma área, não se esqueça de fazer isso.

Conte com os pedaços de cerâmica para distração

Embora você colete muitos deles, eles são eficientes, mas podem ser complicados de usar. Por mais que dê para acartar na cara deles para distraí-los e conseguir passar sem um combate seja relativamente fácil, os inimigos vão lentamente tentar procurar você e, na posição certa, você consegue dar um golpe fatal. É bom para separar uma dupla de adversários.

Cuidado com o gancho

O gancho é muito útil para ir de ponto a ponto, principalmente no alto. Inimigos não podem acartar você, embora eles possam jogar coisas. Não fique no mesmo ponto, vá mudando para despistá-los ou se prepare antes de voltar ao combate, como consumir uma cabaça antes. Lembre-se que você pode ser visto durante os seus pulos.

Use os Ídolos do Escultor para comprar itens

Eles são parecidos com a fogueira de Dark Souls, já que salvam o game e recuperam sua vida, além de permitir viagem rápida. Mas você pode comprar certos itens para ajudar na jornada. Você pode comprar emblemas para usar habilidades do braço prostético. Mesmo que você receba esses itens ao eliminar alguns inimigos, nunca é demais comprar esses itens.

Itens extras não são perdidos

Você pode carregar um número limitado de itens. Os que você pegar acima desse limite são enviados aos Ídolos do Escultor. Caso no meio do caminho você se veja sem itens, vale a pena voltar par a pequena estátua para reabastecer

Há mais de uma árvore de habilidades

No começo, você pode ficar desapontado quando o Escultor dá a Árvore de Artes Shinobi pois parece que só vamos ter aquilo. Mas outras árvores de habilidades podem ser encontradas ao usar os textos exotéricos. Alguns são dados ao ajudar outros personagens, mas algumas estão em locais secretos.

Ataques perigosos nem sempre são bloqueáveis

Alguns inimigos quando atacam, mostram um kanji vermelho sobre a cabeça, indicando um ataque forte. Eles são de três jeitos: horizontais, para a frente e agarrões. Você precisa entender qual será e qual o melhor modo de evitá-los. Defender não é possível, mas você pode Refletir no momento certo. Ainda dá para esquivar ou pular sobre os inimigos.. Desbloqueando o contra-ataque Mikiri, você usa o botão de esquiva para parar os ataques. Cuidado com os agarrões, pois não há nenhum contra-ataque indicado para eles.

Regeneração de postura

A postura de Lobo volta mais rápido depois de um ataque quando ele está com a vida cheia do que quando ele está machucado. Essa barra aparece abaixo do personagem e se enche na cor amarela. E o mesmo vale para os inimigos. Chefes, por exemplo, podem precisar ter a postura quebrada para serem eliminados, mas se sua vida estiver baixa, eles vão levar mais tempo para isso, o que é uma vantagem. Caso você precise recuperar a sua postura, lembre-se que ela se recupera mais rápido se você estiver se defendendo. Só não fique segurando o botão de defesa enquanto estiver sendo atacado ou a postura será quebrada.

Golpes mortais podem recarregar a ressurreição

Como você bem sabe, Lobo pode ressuscitar no game. No começo, você pode fazer isso uma só vez, mas há uma segunda chance se você matar inimigos. O modo mais fácil é fazendo execuções, inclusive execuções furtivas. Há. também a estátua Bundled Jizo, que permite voltar à vida mais uma vez.

Você pode deixar o game mais difícil

Mesmo sendo um game difícil, você pode deixar mais difícil — quem assim quiser, claro. Logo cedo no game, ao vencer o Ogre Acorrentado nos arredores de Ashina, você pode deixar de enfrentar o samurai e ir para a direita para encontrar um templo amaldiçoado. Usando o ganho, você pode chegar até uma caverna. Lá, você pode pegar o Sino Demoníaco, que está no Templo Senpou, no Monte Kongo. Ao tocar o sino, você obtém este item que faz os inimigos causarem mais dano em você, ao mesmo tempo que vão dar loot melhor.

Nem todos sub-chefes bloqueiam o progresso

Este é simples. Você sabe que não é obrigado a eliminar os inimigos em Sekiro. Você pode passar por eles, até mesmo por sub-chefes. Alguns bloqueiam o caminho com uma “neblina” nas portas e você precisa vencê-los. Mas outros não exigem isso e basta passar por eles. Lembre-se apenas que fazer isso evita o ganho de XP e de outros itens.

Sub-chefes têm fragilidades

Sim, e as mesmas que inimigos normais. Então, use a furtividade e pegue eles pelas costas para tirar uma barra inteira de vida. Só que você só vai poder fazer isso uma vez.

Reconheça o ambiente ao seu redor

Um dos fatores inovadores nos games Souls Like foi a introdução da jogabilidade stealth. Como a maioria dos jogos furtivos, vale a pena passar algum tempo para escanear a área, para descobrir rotas alternativas e saber com quantos inimigos o jogador está lidando. Depois de analisar o terreno, é possível traçar estratégias de ataque, ou até de fuga. Por ter elementos stealth, o jogador pode também alcançar inimigos pelas costas, o que garante morte instantânea de certos inimigos, e a perda de uma das vidas do boss (que exigem duas para serem derrotados).

Diminuir a vitalidade do inimigo

Parece meio óbvio, mas ao contrário do que se imagina, diminuir o life do inimigo não é a única maneira de derrotá-lo. Um elemento essencial que está presente na jogabilidade, tanto nos inimigos quanto no personagem controlado pelo jogador, é a postura. Quando a postura de alguém é quebrada, o mesmo fica vulnerável a sofrer um golpe letal. A postura é diminuída quando se defende, ou quando sofre um ataque (neste caso, diminuída em maior quantidade).

Porém não é fácil abalar a postura do oponente. E isso exige que o jogador esteja a todo momento atacando o adversário, pois, se parar de sofrer ataques, a postura do inimigo volta a se estabilizar.

Pensando nisso, utilizar a velha tática de acabar com a vida do oponente pode ser o mais indicado. Inevitavelmente, é uma tática de batalha mais segura, pois não é preciso estar não perto do oponente por tanto tempo. É possível trabalhar a batalha para soltar um ou dois ataques antes de se defender ou se afastar. Gradativamente, os ataques irão reduzir a vitalidade do adversário até a morte.

Farmar nunca é demais

A árvore de habilidades em Sekiro: Shadows Die Twice é bastante peculiar nos jogos Souls Like. Em Sekiro, pontos de experiência obtidos podem ser gastos em uma variedade de habilidades, desde diferentes tipos de defesa a diferentes movimentos baseados em próteses (ferramenta de ataque do personagem principal).

E a melhor maneira de ganhar experiência e melhorar seu personagem é voltando até aquela área com poucos inimigos, onde o jogador consegue matá-los com facilidade. É de bastante utilidade passar determinado tempo matando um grupo fácil de cinco ou seis inimigos na mesma área. Assim, o jogador obtém o xp necessário para ganhar um ponto de experiência e upar as habilidades do personagem.

Não tenha vergonha de fugir

Em Sekiro, pode acontecer de o melhor ataque ser fugir (momentaneamente) de uma luta. Quando o jogador deixa uma área de batalha, ou até se esconde em um ponto cego para os inimigos, eles vão parar de persegui-lo e voltar para as suas posições originais. Essa tática é bastante útil para áreas que possuam algum mini-boss ou boss junto a outros inimigos.

Com isso, a melhor maneira de atacar é limpando um ou dois inimigos por vez, esperar que o restante perca o jogador de vista, e matar mais um ou dois, até que o mini-chefe ou chefe seja o último oponente na área de combate. Essa tática é bem mais efetiva se praticada com certo nível de furtividade.

Às vezes, o bloqueio é a melhor opção

Se o combate direto for a única opção, e não der para fugir como citado na dica acima, o bloqueio é uma importante arma de ataque. Isso mesmo, de ataque! No início do game, o jogador é instruído a aprender os elementos básicos de combate, e o bloqueio (ou parry, em inglês) é de extrema importância para a jogabilidade em Sekiro.

Três opções são muito eficazes ao bloquear ataques inimigos. A primeira e mais básica delas é somente segurar o botão de bloqueio (LB), para resistir a uma série de ataques e deixar seu inimigo cansar, para então partir para o ataque. Mas cuidado, que defender demais tira a postura do jogador, abrindo a possibilidade de o rival lançar um ataque poderoso.

A segunda é aprender a, a partir do bloqueio, desviar a ofensiva inimiga, o que dá uma abertura ampla para um contra-ataque fácil e potente. E por último, habilidades de defesa podem ser adquiridas pelos pontos de experiência, e uma delas é extremamente útil contra oponentes que atacam de lanças com investidas. A habilidade é o contra-ataque Mikiri, que permite que jogador pise na lança inimiga, gerando assim uma oportunidade de realizar um contra-ataque mortal e matar o oponente, ou tirar uma vida do boss.

O jogo tem uma área de treinamento onde é possível treinar todas as táticas de defesa e ataque, initerruptamente.

O que você perde ao morrer e como amenizar essa perda

Morrer em Dark Souls é um pesadelo. Você perde seus itens e suas almas (que são os pontos de experiência para subir de nível), sendo que é possível recuperar tudo voltando até onde você morreu e coletando a chama que fica no local onde estaria seu corpo. Em Sekiro as regras são diferentes, basicamente menos tensas.

Em Dark Souls, voltar ao local onde você morreu nem sempre é moleza. É preciso enfrentar o mesmo percurso novamente, e não pode morrer antes de chegar lá, caso contrário você perde tudo que deixou para trás. Isso cria uma tensão terrível as vezes, especialmente quando morre muito distante de um ponto de renascimento, ou em algum chefe. Em Sekiro não tem essa de voltar para recuperar os itens do corpo. Morreu, já era.

A diferença em Sekiro é que nem tudo se perde ao morrer. Morrer lhe faz perder metade da barra de experiência e metade de seu dinheiro. Não é tanto quanto pode parecer. E existem algumas dicas para contornar essa penalidade da morte. Primeiro é que existe uma mecânica que sempre lhe dá uma segunda chance: ao morrer você sempre pode renascer no mesmo local uma vez. A morte só é permanente se você morrer após já ter ressuscitado.

Morreu em um percurso até um chefe? Você pode voltar ao Ídolo do Escultor (que são como as Fogueiras de Dark Souls) e reiniciar área. Isso trará os inimigos mortos de volta a vida, mas também irá recuperar toda sua vitalidade e sua habilidade de ressuscitar. Essa segunda chance é uma flexibilidade gigantesca em relação ao que não se pode fazer em Dark Souls.

Voltar ao Ídolo só é impossível em alguns casos, como nas batalhas contra certos chefes. Aí nesse caso não tem jeito: morrer faz parte do processo para aprender seus movimentos e golpes. Para poder ver os momentos de atacar e se defender. E em situações assim você pode se precaver de perder seus pontos de experiência e o dinheiro ao tomar alguns cuidados.

Primeiro o dinheiro: é possível comprar bolsas de dinheiro que não são perdidas ao morrer. Dá para trocar 110 moedas por um saco de 100 moedas. Você perde um pouco de dinheiro nesse processo, mas ganha a garantia que esse dinheiro não será perdido ao morrer. Vendedores espalhados pelo jogo podem lhe vender estas bolsas, que são limitadas, mas o suficiente para que você sempre tenha uma reserva necessária de dinheiro. Além disso, sempre use o dinheiro para comprar itens essenciais que estes vendedores possuam. Não fique andando por aí com quantias significativas de dinheiro. Compre bolsas ou gaste a grana com coisas úteis.

Quanto a experiência, é preciso entender que não se perde experiência quando a barra da mesma se encher e se tornar um ponto de habilidade. Exatamente! Chegou perto de uma área que você acha que é um chefe e sua barra de experiência está mais de 70% cheia? Retorne a uma área mais inicial, gaste uns 10 minutos matando inimigos mais fracos e garanta esse ponto de experiência. Aí vá para o chefe com essa barra vazia. Assim você não perde nada.

Pronto, dinheiro em bolsas ou parcialmente gasto, barra de experiência vazia. Vá para o chefe e morra quantas vezes for necessário. Sem uma perda significativa. Sim, morrer demais infecta as pessoas do jogo e lhe prejudica o Auxílio Oculto – a qual não explicarei aqui -, mas depois de vencido o chefe você pode comprar um item que cura essa praga de todo mundo. Moleza.

Aumentando sua Vitalidade, Postura e Ataque

Essa dica é mais uma explicação do que uma ajuda em si. Mas nas primeiras horas de Sekiro é normal o jogador querer entender isso logo e o jogo só lhe explicar um pouco mais adiante. A experiência ganha batalhando não lhe garante mais vitalidade, postura ou melhor ataque. A experiência serve para ganhar pontos que são gastos em uma árvore de habilidades. Esta árvore contém novos movimentos, habilidade passivas e melhorias de combate, mas não lhe dá mais status nos atributos mencionados aqui.

Vitalidade e postura se consegue aumentar ao derrotar os mini chefes do jogo. Cada chefe lhe dará uma conta de oração. Ao se juntar quatro destas contas um colar é criado e isso lhe permite ir até um Ídolo e aumentar ambos os atributos. Por isso é importante batalhar contra estes mini chefes. Eles detém um item essencial para ficar mais resistente contra os inimigos mais à frente da jornada.

Nas horas iniciais de Sekiro o jogo irá lhe dar uma área inicial e uma memória do passado para explorar. Intercale sua jornada entre ambos os lugares, tentando bater ambos os mini chefes desse lugares. Isso lhe dará mais contas de oração para quando chegar aos chefes finais das respectivas áreas. E não se assuste: a área da memória é muito mais difícil que a área inicial. Não é impossível, mas é complicada.

Quanto ao poder de ataque. Este só é adquirido ao vencer os chefes de cada área do jogo. Então não é algo que você deve entrar em desespero por não estar melhorando seu ataque. Nesse sentido o jogo até que é bem balanceado. Quebrar a postura acaba sendo mais importantes do que o dano que seu ataque causa a barra de saúde dos adversários. Uma boa dica contra os chefes é adquirir o contra ataque Mikiri e depois seu upgrade da mesma árvore a qual o movimento se encontra.

Mais importante ainda, talvez sejam as sementes da Cabaça curativa. Procure encontrá-las. Assim como as próteses para seu braço. A área da memória detém algumas próteses importantes. Então não deixe para explorar essa área muito tarde no game. Vou dizer que não me envergonho de ter pesquisado no YouTube as localizações das sementes e das próteses. Perder estes itens, por não enxergá-los ao passar por tais áreas, pode realmente deixar o game mais difícil conforme for progredindo na aventura. Fora que a diversão está realmente em usar os recursos do braço e nas estratégias para quebrar a postura dos mais diferentes inimigos.

E é isso. Espero que estas dicas sejam úteis para aqueles que estão iniciando no jogo, ou até mesmo naqueles pensando em adquirir o mesmo. Sekiro: Shadows Die Twice não é tão punitivo quanto Dark Souls. Mas, não se engane, o título ainda é bem difícil e tem todo esse estilo que a FromSoftware se orgulha tanto de ter. Entretanto sua porta de entrada é bem acessível. É um jogo que qualquer um – que se dedicar – consegue progredir e se sentir recompensado após desafios que realmente testam sua agilidade e destreza.

Referências:

Portallos, Arena Xbox, Br Ing, Uol, Eurogamer, Wikipedia.