The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Prey

Prey é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa e sobrevivência desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado mundialmente em 5 de maio de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. A história se passa no futuro em uma história alternativa e acompanha Morgan Yu, um pesquisador na estação espacial Talos 1 que precisa combater os alienígenas hostis Typhoon depois deles escaparem de seu confinamento. O jogador tem a sua disposição várias armas, itens e habilidades que lhe permitem combater os alienígenas e explorar o mundo aberto da estação espacial.

O título não tem relação com o jogo Prey de 2006, desenvolvido pela Human Head Studios, sendo considerado uma reimaginação da propriedade intelectual com uma narrativa totalmente nova. Prey 2, uma sequência do jogo original, começou a ser desenvolvida pela Human Head, porém enfrentou diversas dificuldades depois dos direitos terem sido comprados pela Bethesda em 2011, acabando por ser cancelado em 2014. A Arkane assumiu o projeto, porém não usou nenhum trabalho feito anteriormente, apenas incorporando o nome e a temática geral do protagonista ser perseguido por alienígenas. Este Prey foi desenvolvido como um sucessor espiritual de System Shock, oferecendo ao jogador diversos meios de progredir pelo jogo.

Não se deixe enganar pelo fôlego

O fôlego é uma ferramenta que a jogabilidade insere para deixar a experiência mais difícil, limitada e realista. Não se deixe enganar pela barrinha que guia o fôlego do personagem: ele tem mais do que parece. Basta manter sob controle para não gastar tudo de uma vez e não ficar cansado frente a um inimigo.

O fôlego é gasto quando se usa armas de combate corporal ou quando se corre, então não é algo tão constante. Além disso, habilidades e melhorias fazem com que o fôlego seja um problema ainda menor. Basta saber administrar e você não terá problemas com isso ao longo do jogo.

Modifique a sensibilidade do controle

Seja no joystick ou no teclado e mouse, a sensibilidade padrão do controle de Prey é muito alta, tanto na vertical quanto na horizontal. Qualquer “toque” para o lado e o personagem se movimenta de forma bem rápida, mais do que o necessário.

Para deixar a experiência mais dinâmica, vá ao menu de opções do jogo e selecione as modificações de controle. Reduze em um ou dois níveis a sensibilidade e o resultado já vai ser bem mais aceitável do que o padrão.

Jogue com a tela mais clara

Outra dica que envolve as configurações no menu está no brilho padrão do jogo. Se for possível, aumente um pouco um brilho, sem que atrapalhe sua experiência ou prejudique a atmosfera de tensão que Prey carrega.

Isso por um motivo simples: alguns cenários são escuros demais e escondem inimigos, que também são escuros e saem dos cantos mais inesperados. É claro que usar a lanterna é uma altetnativa, mas ela tem bateria escassa e demora para recarregar. Vá ao menu de configurações e tente aumentar um pouco o brilho, mas só um pouco.

Salve o jogo sempre que possível

Essa dica parece óbvia, até por conta de o jogo ter um sistema de salvamento semiautomático, mas acredite, não é tão óbvia quanto parece. No meio da tensão e da ação, o jogador pode esquecer de salvar facilmente e morrer, obrigando-o a retornar muito no cenário – e você vai morrer bastante, dada a dificuldade do game.

O salvamento pode ser feito no menu básico de pause do jogo, mas não pode ser feito duas vezes seguidas. A principal dica é salvar em “salas seguras”, locais onde você sabe que não há inimigos e onde se pode parar para respirar um pouco.

Não atire tanto

Como em todo jogo de terror e tensão, em Prey a munição é escassa, mais do que se imagina, já que algumas armas nem mesmo usam balas. Algumas você vai encontrar pelo caminho, enquanto outras podem servir como tiros rápidos, apenas para desacelerar inimigos.

As armas funcionam mais como ferramentas do que como itens de destruição, com exceção de uma ou outra. Por isso, use-as sempre com inteligência, sem ficar com o dedo pressionado direto no botão de tiro.

Gaste bem os Neuromods

Os Neuromods permitem que o personagem principal seja melhorado, mas também define quanto menos humano ele fica, ao longo das modificações genéticas que entram no seu corpo. Porém, a principal dica é que você economize os Neuromods que conseguir no início da aventura.

Gastar os Neuromods no início pode ser um grande desperdício, principalmente porque ganhamos eles em muita quantidade nas primeiras horas de jogo, quando ainda não temos muitas ameaças. Tenha paciência que, pouco depois disso, eles serão mais valiosos e mais uteis. Junte-os para gastar melhor depois desse período.

Gloo: a melhor arma

A arma Gloo é uma das melhores e mais uteis do jogo – e ela não mata inimigos, ao menos não sozinha. A Gloo serve para paralisar alvos por um determinado tempo, ou no mínimo reduz seu avanço e permite uma escapada rápida. O ideal com a Gloo é imobilizar inimigos para depois usar uma arma mais pesada e abatê-los com apenas um tiro.

Não ignore os corpos

Os humanos vivos em Prey são poucos. A maioria que você vai encontrar estão mortos ou morrendo. Não deixe de parar por alguns segundos e coletar os itens de cada um deles, pode-se surpreender com o que será encontrado.

Para vasculhar os itens, pressione o botão de ação próximo dos corpos. É possível coletar tudo de uma vez ou só os itens que desejar, dado o espaço disponível na bagagem do personagem. O importante é nunca deixar nada útil passar – e são muitos os itens úteis, seja para reparo da armadura ou para melhorar o personagem.

Vasculhe absolutamente tudo

Quando digo para vasculhar tudo, é literalmente tudo que é possível interagir no cenário, desde lixeiras a armários e gaveteiros. Muitas vezes há itens valiosos como kits médicos, munição de escopeta e kits de reparo do traje em locais que você menos espera. Até mesmo itens mais comuns como qualquer tipo de comida ou materiais que você poderá reciclar mais tarde podem ser um mão na roda.

Além disso, esses containers podem servir de armazém pessoal caso seu inventário esteja relativamente cheio e você está longe de uma máquina recicladora. Só não esqueça em qual móvel deixou seus itens!

Vidros foram feitos para serem quebrados

Ao longo de Prey você encontrará grandes painéis de vidro, intitulados Looking Glass. Neles, você verá vídeos importantes para a trama, mas depois que assisti-los, é uma boa ideia quebrar essa superfície com sua fiel chave inglesa, pois muitas vezes há caminhos e salas escondidas por detrás. Sabe-se lá que tipo de cofre você pode encontrar, não é?

E não se preocupe em não poder mais assistir aos vídeos, pois é possível reparar os painéis, normalmente utilizando comandos em um PC próximo.

Recicle armas também

Além de mandar para o reciclador todas as tralhas que achar pela Talos I, é possível também colocar armas sobressalentes na máquina, resultando em materiais. Toda vez que encontra mais um Canhão Gloo dando sopa por aí, saiba que pode ser uma excelente ideia reservar um espaço no seu inventário para reciclá-lo depois.

Isso é especialmente efetivo pois a maioria das armas resulta em materiais minerais, utilizados na confecção de kits médicos, munição e Neuromods — ou seja, algo que você vai usar bastante.

Torretas são suas amigas

Diferente de Portal, em Prey as torretas são aliadas valiosas, especialmente no início do jogo. Sim, vale muito a pena carregar uma delas para novos ambientes que, muito provavelmente, estarão repletos de mímicos e outros inimigos. Elas atiram automaticamente em qualquer alienígena em seu campo de visão e, muitas vezes, podem limpar uma sala inteira sozinhas.

Mais tarde no game, elas passam a ser menos efetivas conforme você descobre e enfrenta tipos diferentes de aliens, mas em grandes quantidades ainda podem ser muito úteis. Em determinados pontos, elas serão inimigas, caso estejam sob controle de um Tecnopata.

Leia todos os emails

Se você é como eu e não suporta ver sua caixa de entrada com emails não lidos, essa dica é redundante. Mas saiba que inspecionar cada estação de trabalho e cada computador da Talos I pode resultar na obtenção de senhas para cofres ou portas.

É importante vasculhar tudo para adquirir senhas e também novas missões opcionais. Eu recomendaria que você lesse os emails, pois há histórias e anedotas interessantes sobre o dia-a-dia da Talos I.

Priorize habilidades que auxiliem na exploração

É completamente entendível dar prioridade ao combate, principalmente num jogo em que os inimigos aparentam ser muito mais fortes que você e podem se esconder em qualquer lugar. Porém, em função de ficar mais forte, a exploração é imprescindível.

Ao encontrar os primeiros Neuromods – pequenos aparelhos oculares que injetam agulhas diretamente no seu cérebro; funcionam como os pontos de experiência em Prey – você se depará, inicialmente, com três variações da sua árvore de habilidades. Nessas habilidades, há três essenciais que, caso opte pela exploração extensiva, são essenciais:

Hacking: acessar computadores e portas trancadas sem senhas e cartões de acesso pode ser a coisa mais útil e aliviante de se fazer em Prey. Para ter esse tipo de acessibilidade, será necessário investir na habilidade de hacking – com ela, como dito acima, você poderá acessar computadores (ler emails, autorizar acessos etc) e abrir portas trancadas com senhas que podem te levar a recompensas e recursos interessantes.

Repair: como o nome sugere, essa habilidade te auxiliará a consertar máquinas de craft, computadores e portas eletrônicas no geral. Ao consertar esse tipo de equipamento, você conseguirá ter acesso aos objetivos de sidequests – sendo que algumas dependem exclusivamente dessa habilidade para serem concluídas.

Leverage: talvez a mais útil dessas três, essa habilidade concede uma espécie de ”super força” ao protagonista, sendo possível levantar itens pesados para criar passagens, abrir atalhos, descobrir lugares secretos, abrir portas emperradas e usar itens do cenário como armas.

Lembre-se que com a exploração você poderá posteriormente investir em habilidades que te deixam mais poderoso, deixando tudo mais fácil.

Desbloqueie a habilidade “Mimic” assim que possível

No começo do jogo, você estará limitado apenas a habilidades humanas (skills azuis). Prosseguindo na história e fazendo missões principais, Morgan vai ter acesso às skills dos aliens abordo da estação espacial, os Typhons. E a primeira habilidade essencial dessa nova árvore na variação “Morph” é a skill Mimic.

Usando o Mimic você é capaz de se transformar em objetos do cenário, desde uma caneca a um rolo de papel higiênico. Sabe aquela porta barricada que tem apenas um espacinho de baixo? Se transforme numa banana e passe por de baixo. Essa habilidade será um complemento do seu potencial de exploração, te deixando ainda mais livre para encontrar segredos no jogo.

Desligue o marcador da missão principal

Não sei se enfatizei isso o bastante, mas Prey é um jogo de exploração. Por mais tentador que seja seguir na história e desvendar os segredos da Talos I e os envolvidos no incidente na estação, se faça um favor e desligue o indicador da missão principal. Dessa forma você ficará menos preso a um único objetivo e mais a vontade para explorar melhor áreas que você não esteve e/ou explorou pouco.

Graça ao bom senso dos desenvolvedores, isso pode ser feito facilmente indo no menu de Objetivos e simplesmente desmarcando o indicador principal da missão.

No combate vale tudo

Quando eu digo tudo, é exatamente isso o que quer dizer. Ou quase tudo. Vários inimigos – principalmente os que aparecem mais para frente – podem ser um desafio que beira a frustração se você ligar o modo “automático” de simplesmente correr pra cima deles e apertar o botão de atirar. Além de gastar bala à toa, a eficiência desse combate simplório vai te deixar na mão muitas vezes.

Combine seus poderes, explore a possibilidade das suas armas e do ambiente. Cada área da estação possui algo que você pode usar como arma ou combinar para realizar execuções poderosas: arremessar móveis, eletrônicos e tudo que achar pela frente nos inimigos – quanto mais pesado o objeto, mais dano irá causar. Imobilize primeiro os inimigos com a Gloo Canon e bata neles com sua wrench, e assim por diante. A imaginação é o limite.

A dificuldade padrão é o bastante

Esse tópico pode ser um pouco polêmico – principalmente caso se considere como um ótimo jogador de FPS e adora um desafio. Dificuldades mais altas parecem ser tentadoras e um padrão para esses jogadores, mas eu aconselharia tomar um pouco mais de cuidado aqui. Prey não é o típico run and gun como Doom, e sim um jogo onde o racionamento de recursos e tomada de decisão são fatores cruciais.

No início da sua jornada é onde as coisas são mais difíceis. Sem poderes alienígenas, sem armas com upgrades, sem saber no que investir e inventário limitado. Os inimigos batem forte e muitas vezes correr vai ser a opção mais sensata, então, não se acanhe de começar o jogo na dificuldade padrão. Quando você se sentir mais familiar, dificuldades mais altas (inclusive a dificuldade Nightmare) são desafios a serem considerados.

Toda a abertura

Claro, que a gente tá dando uma roubadinha com essa dica, mas a sequência de abertura espetacular de Prey como já é suficiente para te deixar vidrado no jogo. Como um novo funcionário da TranStar Corporation, Morgan Yu te leva por um passeio de helicóptero através de uma deslumbrante paisagem urbana com o objetivo de passar por testes de rotina em uma instalação operada por seu irmão.

Mas como você bem sabe, a “rotina” não é bem uma garantia duradoura, e logo a própria natureza da vida e da memória de Morgan é posta em questão. A Arkane criou essa sequência inteira com bastante cuidado, introduzindo uma variedade de features para a mecânica do jogo, enquanto preparava um cenário para uma história arrebatador.

Até o mapa aberto tem informações importantes para você

A história ambiental é uma ferramenta inestimável para desenvolvedores de games, e a equipe da Arkane tem alavancou esse features ainda mais em sua recente campanha. Morgan pode invadir terminais e ler segmentos de e-mail privados que revelam eventos-chave na catástrofe da estação espacial Talos I. O museu da estação esboça a história da construção, completa ainda com iluminação dramática e placas iluminadas.

Até mesmo os próprios corpos, congelados e retorcidos em agonia, ajudam a criar a terrível história de TranStar e o que está em jogo logo ali na Terra.

Construa suas próprias plataformas (BYOP)

A dica do gameplay de Prey? Empoderar você com tantas escolhas quanto possível. Essa filosofia é exemplificada no GLOO Cannon, um dispositivo que aciona uma cola de rápida expansão. Você pode usar isso para desacelerar os inimigos e diminuir a distância de um ataque corpo a corpo ou para construir plataformas até áreas difíceis de alcançar. Ou você também pode ignorar o Cannon completamente.

Só depende de você

0451

A lendária sequência numérica já vista em títulos como System Shock, Deus Ex, e inúmeros outros é totalmente mostrada aqui no game. Prey se inspira em seus antecessores.

Os imitadores

Talos I está sendo consumido por uma infestação alienígena Typhon. Essas ameaças perigosas e fantasmagóricas assumem muitas formas. Literalmente. O Imitador, uma pequena criatura com velocidade assustadora, pode assumir a forma de quase qualquer objeto na estação. Agora cada caneca descartada ou objeto pequeno poderia ser algum perigo disfarçado.

Morgan, como você ainda vai descobrir, pode destravar essas habilidades… mas tudo tem seu preço.

Economize Neuromods para comprar as skills certas

Essa é bem subjetiva, mas vai te ajudar a aguentar mais facilmente o tranco do game depois de um tempo. Como havia dito, é necessário sim que você colete muita coisa no jogo e, também, se comportar como um urubu carniceiro checando todo bendito cadáver que aparecer no caminho para coletar itens melhores. Primeiro, invista na skill Necrópsia. Com ela, você coletará ainda mais material exótico dos Typhons que detonar pelo seu caminho te ajudando a fabricar bons itens sem se preocupar em esgotar esse material rapidamente. A outra skill recomendada para dedicar seus preciosos neuromods é a de expansão de inventário. Novamente isso tudo é relacionado com a dica anterior.

Há jeitos melhores de tirar itens pesados do seu caminho

Mais uma vez, Prey insiste que o jogador pense fora da caixinha. Não serão raras as vezes que você se deparará com objetos pesados que impedirão seu percurso em algum momento. O jeito mais óbvio e contraindicado é queimar neuromods para comprar a skill de força física. Porém, é bem mais inteligente usar as ferramentas que o cenário te oferece. Há diversos explosivos espalhados na Talos-1. Portanto, use-os a seu favor. Leve esses objetos perto das coisas que barram o caminho e simplesmente meta um tiro para explodir tudo. Te livrará dor de cabeça e ainda te permite comprar habilidades melhores.

Use as benditas Torretas

Facilmente outra habilidade que indico para melhorar sempre que possível é a de hacking. Como disse, Prey é difícil (às vezes, desnecessariamente difícil), mas há as boas maneiras de contornar essa característica ingrata ao gamer casual: as torretas. Seja as terrestres ou os robôs aéreos que te caçam na primeira olhada, o jeito é hacker tudo o que for possível. Esses pequenos robôs voadores te ajudarão em pouco tempo a limpar o cenário já que vagam incessantemente por aí. Já as torretas terrestres, é bom transportá-las para locais que você sabe que encontrará inimigos mais poderosos.

Também é só seguir uma receita de bolo. Posicione suas torretas em locais estratégicos, já seguros. Depois, atraia seus inimigos até a sala com os robôs e os congele com o Canhão Gloo, Voiláa! Desse modo você consegue se livrar de muitos Fantasmas rapidamente a quase nenhum custo de esforço. Lembre-se sempre de levar ao menos uma enquanto perambula pela Talos-1 principalmente em áreas grandes como o Lobby que sempre terão inimigos novos te aguardando.

É importante ressaltar isso porque muitos jogadores podem subestimar o desafio que eles oferecem. Acredite, essas criaturas são pequenas, rápidas e, quando em grupos de 3 ou 4, conseguem te matar rapidinho. Portanto, fique atento. Ao desconfiar de um objeto, já prepare o Canhão Gloo para congelá-lo (ao menor contato, é revelado se é um alien ou não). Caso for, prepare sua chave inglesa ou 9mm é acabe com a raça do maldito.

Referências:

Nos Bastidores, Jogazera, Blog Playstation, Br Ing, wikipedia, techtudo.

Sea of Thieves

Sea of Thieves é um jogo eletrônico de ação-aventura produzido pela Rare e publicado pela Xbox Game Studios exclusivamente para Xbox One e Windows 10, sendo lançado em 20 de março de 2018.

O jogo contem elementos de jogabilidade na primeira pessoa e utiliza conteúdo gerado pelos usuários, em que os jogadores tem a possibilidade de criar as suas próprias historias usando as ferramentas disponibilizadas pelo jogo. Num cenário de piratas, em Sea of Thieves os jogadores podem jogar cooperativamente num ambiente multijogador em mundo aberto.

Tudo começa na Cantina

Uma vez passado tela do lobby , escolhido o modo de jogo que deseja, seja na tripulação ou sozinho com um pequeno barco, apareceremos na cantina. Embora o local sugira que terá um papel maior na versão final, por enquanto, é apenas o ponto de partida da nossa aventura, e um lugar para relaxar, recarregando nossa jarra cheia de cerveja gratuitamente. Se você jogar com os amigos, ou usando a função de matchmaking do jogo, espere até que todos os seus companheiros apareçam.

Lojas, as empresas piratas e o cais

Do lado de fora da cantina, podemos ver uma série de edifícios de madeira, dentro dos quais podem ser empresas comerciais ou lojas próprias. Na versão atual, encontraremos algumas lojas de objetos puramente cosméticos, e apenas uma empresa pirata, a dos caçadores de tesouros. No início do jogo, não temos moeadas, teremos que ir à empresa comercial para comprar nossa primeira missão. Não tenha medo, a primeira é gratuito, e depois você poderá comprar outras missões. Além do dinheiro, a empresa nos recompensará com níveis de prestígio, o que nos permitirá acessar missões mais complexas e lucrativas.

Navegação, primeiros passos no barco

A navegação em Sea of Thieves é o elemento principal, um bom navegador ou uma equipe combinada irá cumprir suas missões de forma mais rápida e segura. Existem dois tipos de barco, um pequeno para um ou dois piratas, e o grande barco para tripulações de até quatro piratas. Seja qual for o nosso barco, terá alguns instrumentos básicos de navegação.

A primeira coisa que devemos fazer ao embarcar no navio é ir para a cabine do capitão, sempre acessível a partir do convés, propor a missão ou as missões que compramos e votar na mesa do capitão para a missão que queremos realizar. Todos os piratas votam para escolher a missão lá.

Uma vez que uma missão foi aceita, teremos um ou vários pergaminhos acessíveis em um menu radial que aparece enquanto pressionamos o RB. Para os caçadores de tesouros existem dois tipos de pergaminhos, mapas de tesouros e trilhas de piratas. Enquanto com os mapas devemos examinar o mapa do navio para encontrar uma ilha que corresponda à do desenho, nos pergaminhos teremos que ir para a ilha indicada, ele terá as “charadas” de onde o tesouro está escondido, e assim você vai chegando perto, novas dicas vão aparecendo no pergaminho.

Uma vez que o destino foi decidido, alguém deve estar no leme (volante), e o resto da tripulação deve ser dividida entre o mapa na cabine do capitão onde o timoneiro deve ser informado sobre onde ir e o restante manuseia as velas.

Manejar corretamente as velas é essencial para capturar as correntes do vento e usá-las para nossa vantagem e manobrar com o barco em momentos difíceis.

Quando quisermos “estacionar”, devemos abaixar a âncora, que estará no convés, ou ao lado do leme dependendo do tamanho do barco. Navegue e vá para a ilha, sempre tendo o cuidado de evitar ilhotas e rochas que possam estar no seu caminho, se você não quer acabar afundado.

Quando você chega ao destino, recomendo que você se aproxime com as velas a meio mastro para evitar bater na ilha e, finalmente, ancorar o mais próximo possível da costa.

A caça ao tesouro

Uma vez que você está desembarcado, é hora de procurar o baú do tesouro, para isso e de acordo com a missão, você terá que se guiar através da ilha com a ajuda da bússola (acessível no menu radial que aparece pressionando LB), seguindo as pistas ou procurando o lugar marcado com uma cruz vermelha em seu mapa da missão. Quando você acredita que está no ponto indicado, tire a pá do menu radial de objetos (LB) e desenterre tesouros. No começo, pode ser um pouco confuso, e você falhará algumas vezes, mas logo você perceberá que não é complicado. Busque por madeira na ilha (para tapar buracos no navio), munição e bananas (regeneram a sua vida)

Na sua busca, muitos inimigos poderão aparecer, sejam jogadores reais ou figuras do próprio jogo. Depois leve o tesouro para o barco, alguns tem maldições, então fique de olho neles. Leve o tesouro para o ganancioso que te dá missões.

Na volta, você com muitos tesouros, evite tretas, mas se não tiver como sair: aproveite o vendo, use a âncora para fazer drift, meta bala nos inimigos sem pena, entre no canhão e se atire no navio deles, se eles te acertarem vá tapar os buracos e tirar a água com o balde. O legal é no meio da confusão, ir no navio inimigo, não matar ninguém e levar o ouro deles nas caladas.

Sempre que possível, jogue acompanhado

Explorar e desbravar os sete mares ao lado de outros jogadores é, de longe, uma experiência muito mais agradável. Além disso, as missões ficam mais fáceis quando se está acompanhado, já que o seu navio estará mais seguro com outros homens a bordo.

A desvantagem ao iniciar sozinho, com um barco mais frágil e compacto, é que você ficará mais exposto e não terá a ajuda caso tenha a embarcação invadida por outros grupos. Sempre que possível, jogue acompanhado para acumular ouro mais rápido.

Conserte o navio

Independentemente da embarcação a ser escolhida, saiba que todas podem afundar ao serem danificadas. Fique de olho em alguns sinais do navio, pois você poderá perder ouro ao vê-lo naufragar.

Use o balde para tirar a água em excesso, que fica na área inferior ao convés, e utilize madeira para fechar os buracos de colisões ou disparos inimigos. Em barcos maiores, procure distribuir as tarefas de restauração entre os seus aliados.

Pegue missões antes de partir

Antes de partir para uma viagem, certifique-se de ter ao menos três jornadas ativas em seu inventário – de preferência, uma de cada facção para progredir igualmente. Para ativá-las, fale com os mercadores nos postos avançados e defina o objetivo.

É importante ressaltar que, conforme o progresso, solicitações de missões passam a ter um custo em ouro. Portanto, escolha com atenção e foque em objetivos mais simples, caso você esteja sozinho, ou que dão mais trabalho, se você estiver com os amigos – eliminar hordas de caveiras, por exemplo, é um ótimo objetivo para se cumprir em equipe.

Você pode ativar qualquer uma das três jornadas disponíveis em seu inventário dentro do próprio navio, a partir da mesa de missões – que fica alocada na mesma área do mapa.

Caso a jornada não esteja ativa, você não conseguirá visualizar o seu objetivo, assim como o mapa do destino a ser descoberto. Se a jogatina for em modo cooperativo, os seus companheiros ainda podem votar se desejam ou não seguir com a proposta de aventura.

Preparação é fundamental

O sistema de navegação é, sem dúvidas, um dos pontos mais altos de Sea of Thieves. Embora seja um pouco complexo à primeira vista, o processo de preparação se torna natural à medida que o jogador progride e faz novas viagens.

Antes de explorar os sete mares, lembre-se de içar as velas e posicioná-las estrategicamente para que o barco navegue de acordo com a maré. Outro ponto importante é prender e soltar a âncora antes de embarcar ou chegar a um novo local.

Colete recursos pelos cenários

É importante coletar madeira e outros tipos de matéria-prima para reabastecer o estoque do navio. Explore os cenários de forma minuciosa e colete recursos em baús, caixas e outros objetos de interação posicionados nas ilhas.

Entenda a roda de itens antes de explorar o mundo

Sea of Thieves é escasso em explicações e tutoriais, mas de forma proposital justamente para estimular o jogador a descobrir sozinho seus objetivos e atividades pelo mundo. Isso fica claro assim que o personagem desperta em uma ilha sem qualquer tipo de instrução.

Por conta disso, é altamente recomendável dar uma atenção especial aos recursos disponíveis na roda de itens. Dedique-se a aprender as funcionalidades de itens essenciais, como o binóculo, a bússola, enxada, lanterna e até dos itens consumíveis – comer banana, por exemplo, restabelece a barra de vida.

Entregue o ouro em segurança

A dinâmica de jogo é bastante simples, porém pode causar confusão por não trazer muitas explicações. Ao aceitar jornadas em uma das três facções de mercadores, nos postos avançados, cumpra o objetivo e leve o baú de tesouro ao mercador que lhe ofereceu a missão.

Caso você não volte com o baú, o prêmio em dinheiro não será concedido. Tenha em mente que quem abre a arca para entregar o ouro é o mercador, então transportar o item em segurança até ele é uma das partes mais importantes do loop de missão. Apenas tome cuidado para não ser atacado por um Kraken ou piratas rivais durante o percurso.

Escolha seu pirata

Assim que o jogo iniciar, você terá a opção de escolher o seu personagem. O jogo não possui um editor específico e sim um gerador automático de piratas. Utilize-o para gerá-los a vontade, até achar um com o qual você se identifique. Você pode salvar os piratas de que gostar clicando na opção Favoritos, assim não perde o modelo enquanto vai experimentando com as criações aleatórias da Rare.

Monte uma tripulação

Em “Sea of Thieves”, você encontrará um mundo repleto de lugares secretos, enigmas, tesouros e claro, outros jogadores prontos para afundar seu navio. A decisão de como explorar tudo isso é sua. Assim que abrir o jogo, você poderá definir o número de pessoas que aceita em sua tripulação, que pode ter no máximo 4 jogadores.

Você até pode jogar sozinho, mas é bastante recomendável pelo menos mais um tripulante: a experiência de jogo foi pensada para partidas cooperativas, seja na exploração das ilhas de “Sea of Thieves” ou na hora de conduzir a embarcação de forma eficiente.

Caso você não tenha nenhum amigo para jogar no momento, pode utilizar o ‘matchmaking’ do próprio jogo e montar sua equipe com outros jogadores que encontrar online. Como todos os assinantes do Xbox Game Pass receberam “Sea of Thieves” no catálogo, gente procurando outros jogadores não vai faltar!

Tudo para ser lendário

Seu objetivo em Sea of Thieves no final do jogo, se é que podemos dizer que o game tem um final, é se tornar um pirata lendário. Isso traz uma série de benefícios como um barco todo elegante, vestimentas, armas e muito mais do que um jogador que está neste nível merece. Os produtores do game acreditam que outros jogadores vão ficar intimidados ao ver este pirata lendário ou vão querer se juntar a ele, já que ele tem acesso a mapas com tesouros mais raros e valiosos.

O mundo do game também não deve esquecer as façanhas deste pirata lendário. Chegar nesse status vai dar um esconderijo próprio, que os outros jogadores não terão acesso. Uma das vantagens é ali ser o seu ponto de respawn, seja morrendo em uma aventura, seja começando o game novamente. A ideia, segundo os desenvolvedores, é fazer com que o mito de um lugar desconhecido e acessível se espalhe pela comunidade.

Para chegar lá, você vai ter muito trabalho realizando missões e trabalhos, comércio, descobrir tesouros, enfrentar esqueletos e monstros, além de outros jogadores.

Conversar bastante… E escutar também

Por ser totalmente online, Sea of Thieves tem chat por voz como um dos melhores recursos para se comunicar com seus companheiros de navegação ou até explorando o mundo sozinho.

Como em qualquer “party”, você consegue conversar com seus colegas em qualquer lugar, o que ajuda a ver quem vai mover as velas para pegar velocidade, quem vai tirar água do porão, quem vai cuidar dos canhões e quem vai pegar no leme.

Mas há um recurso bem interessante. Quando você se aproxima de piratas que não estão em seu grupo, você começa a escutar suas vozes ao longe. Quando entra no navio deles, por exemplo, consegue escutar tudo. Depois de uma batalha com muitas mortes, todos se encontram em um barco fantasma e lá também dá para conversar. Já imaginou qual é o papo nesses momentos?

Tesouros especiais dos esqueletos

Imagine você navegando pelo final da tarde, aquele sol bonito, mar calmo e uma brisa suave quando, de repente, você dá de cara com uma nuvem em forma de caveira no horizonte. Ela chama a sua atenção e logo você parte com a promessa e a expectativa de que há algo bom ali.

E há algo bom! Os maiores tesouros do game estão nesses QGs dos esqueletos, que aparecem aleatoriamente no mapa. Só que, por ter coisas valiosas, todos os piratas do jogo vão para o local e, além de ter que eliminar os esqueletos para carregar o seu navio de tesouros, você terá que enfrentar uma dezena de jogadores. Tem coragem e habilidade?

Kraken(s)

Você vai navegar bastante em Sea of Thieves mas tudo bem. O mar é belíssimo assim como os cenários. E mesmo que existam ilhas no mapa, há muito que não aparece nas cartilhas de navegação. Por isso, surpresas vão aparecer… Boas ou ruins.

Uma dessas surpresas é o Kraken (ou seriam Krakens). Ele aparece quando você menos espera e ataca o seu navio, levando tudo o que você deixou nele. Já pensou em voltar de missões carregado e se deparar com seus tentáculos gigantes? Ele é forte, mas acho que é possível derrotar ele. Essa derrota do Kraken certamente vai ser uma história muito contada pela comunidade.

Crie sua própria história

Por mais que você tenha um mundo enorme pela frente, a história de Sea of Thieves quem faz é você. Todas as suas conquistas sozinho ou com amigos, todos os acontecimentos e os encontros, se tornam uma história de piratas a ser contada — eu mesmo já estou aumentando as coisas que acontecem comigo: já naveguei bêbado de rum e ajudei um companheiro a não ser comido por dois tubarões por conta da minha boa mira.

Ainda mais se você alcança o posto de pirata lendário, poderá acessar o tal esconderijo secreto e muito mais.

Hora de zarpar!  

Você já tem uma tripulação e seu navio, agora é hora de começar a aventura pirata. Aí vem a parte mais interessante do jogo, a navegação. No início é normal ficar meio perdido com os controles, mas com pouco tempo as coisas fluem naturalmente e você terá uma experiência agradável vagando pelos mares. Entenda como navegar de forma fácil:

Âncora: O primeiro passo para fazer seu navio “andar” é erguer a âncora. Próximo a popa (parte de trás do navio), existe uma engenhoca que você e sua tripulação podem rodar para subir a âncora. Para parar o navio basta abaixar a âncora novamente. Na corveta, um jogador sozinho pode subir e descer a âncora facilmente. Já no galeão, o ideal é que pelo menos dois jogadores executarem a tarefa para não demorar muito.

Velas: Nas laterais do barco estão os suportes onde as velas são amarradas. Elas podem ser içadas e abaixadas por algum membro da tripulação a qualquer momento. Logo atrás dessa amarra, existe uma roldana que permite movimenta-las, para ficarem na melhor posição em relação ao vento, gerando assim mais velocidade ao barco. O segredo aqui é sempre ficar atento as bandeirinhas instaladas em cima do mastro: elas balançam para o lado que o vento estiver apontando.

Então, basta virar a vela para a mesma direção das bandeiras e o barco terá um impulso extra para chegar ao destino ou escapar de alguma emboscada.

Timão: Você está navegando, então alguém precisa controlar o navio. Esse jogador ficará responsável pelo timão, que é o volante da embarcação. O controle é bem simples, ao girar o timão para a direita ou para a esquerda o barco fará uma curva para a direção desejada. Assim que estiver no rumo certo, basta centralizar a engenhoca novamente e você chegará ao seu destino. Para não ficar perdido, fique de olho na bússola ao seu lado.

Canhões: Entre krakens e navios inimigos, vira e mexe você precisa defender a embarcação de alguma coisa. Para isso existem fileiras de canhões em ambas as laterais do navio.

O primeiro passo para usá-los é colocar munição, que você pode levar no inventário ou pegar na parte de suprimentos do navio. Munição para os canhões também é encontrada nas ilhas e em navios naufragados. Após carregar o canhão, um pavio aparecerá para indicar que ele está pronto para o uso. A partir daí é como em qualquer jogo de tiro: mire e atire!

Mesa de Missões: É aqui que o grupo de piratas decide o que vai fazer durante a partida. Cada jogador pode carregar uma missão e é preciso escolher uma delas para fazer. Todos colocam as missões na mesa e votam naquilo que querem fazer primeiro. Aquela que receber mais votos será considerada a missão ativa. Os piratas são uma sociedade democrática!

Mapa: Assim que a missão for escolhida, cada jogador receberá um ou mais mapas indicando onde estão os tesouros, suprimentos ou inimigos a serem destruídos. Cada mapa contém o desenho de uma ilha que você deve achar no mapa global, que fica numa mesa grande em seu navio. Use o mapa global para achar as ilhas e marcá-las, ver a posição do seu barco, ajudar o capitão a guiar o navio e encontrar outras locações que podem aparecer pelo caminho da embarcação.

Tenha sempre suprimentos!

Existem 3 suprimentos principais que podem ser guardados no navio. Eles podem ser encontrados nas ilhas ou em barcos naufragados. Quase todos ficam guardados em barris no andar mais baixo da sua embarcação. São eles:

Bolas de canhão: Esse em especial fica na parte superior do navio, próximo a porta da cabine. Nada mais são que a munição dos seus canhões. Você pode levar algumas com você, afinal existem canhões nas ilhas também e você pode usá-los para defendê-la de invasores e deixar as outras no barril para usar sempre que precisar

Madeira: Durante o combate, navegando por tempestades ou em acidentes na direção, seu barco fatalmente será danificado. Para consertar os buracos e evitar que seu navio afunde, use uma madeira. Basta chegar próximo ao buraco com uma equipada e apertar o botão indicado para efetuar o conserto.

Bananas: Não é só o navio que se danifica nessa jornada. Seu personagem pode entrar em combate de espadas com caveiras amaldiçoadas, trocar tiros com outros jogadores ou mesmo cair de um penhasco. Para recuperar a sua barra de vida, basta comer uma banana. Tenha sempre algumas com você e quantas possíveis no seu navio.

Itens e armas

Um bom pirata precisa de muito mais do que uma perna de pau e um tapa olho para conseguir seus tesouros. Para isso o jogo te oferece uma vasta seleção de itens e armas para levar nas suas aventuras. Confira os mais importantes:

Pá: Necessária para cavar os tesouros escondidos debaixo da terra. Sempre que achar que está sobre o X do mapa, use-a para tentar achá-los.

Bússola: O jogo não tem aqueles indicadores que mostram exatamente o que fazer em cada missão ou onde estão enterrados os tesouros, então nada de GPS. Para chegar ao local desejado e achar onde está o X dos mapas, é necessário usar a bússola para se guiar.

Relógio: O jogo tem um sistema de dia e noite e um contador de tempo interno. Certas missões precisam ser executadas antes que o tempo acabe, para isso fique sempre atento ao seu relógio de bolso para saber que horas são.

Balde: Se seu navio estiver furado, ou enfrentando uma tempestade, ele vai começar a se encher de água de baixo para cima. Para evitar que ele afunde ou perca velocidade, use o balde para retirar a água acumulada.

Acordeon: A princípio ele serve somente para animar as viagens com cantigas piratas e comemorar algum feito, mas existem missões que precisam do seu uso para serem completadas.

Caneca: Após completar as missões, ou mesmo durante elas, afinal você é um pirata, não pode faltar o rum. Só tome cuidado para não ficar muito bêbado.

Luneta: Essencial para avistar terra, barcos inimigos e observar gaivotas voando quando não se tem o que fazer, acredite é mais legal do que parece.

Lanterna: Como dito acima, o jogo tem um sistema de noite, que fora do navio dificulta muito a sua visão. Tenha sempre a lanterna com você para esse tipo de missão.

Armas: Todo pirata pode carregar 2 armas. Uma delas é a sua fiel espada, enquanto a outra, de longo alcance, você pode escolher. Existe uma versão que se compara a pistola, outra a uma escopeta e uma com mira de longo alcance. Independente da que achar melhor, não esqueça de carregar suas balas no navio, próximo a mesa do mapa.

Missões, facções e outposts!

Um dos lugares mais importantes do jogo são os outposts. Nessas ilhas é possível pegar novas missões, comprar itens para o seu personagem, encontrar outros jogadores nas tavernas e ainda customizar o seu navio. Mas cuidado, se seu navio estiver carregado de tesouro, o outpost é um lugar perigoso, pois está sempre repleto de outros jogadores que definitivamente vão te roubar. Tente esconder o seu navio em torno da ilha, abaixe as velas e desligue as lanternas se estiver a noite. Caso estiver de dia, deixe alguém tomando conta dos tesouros enquanto os outros vão vendendo.

As missões podem ser obtidas de 3 facções diferentes, cada uma com seu foco. A medida que você vai às completando, sua reputação com cada uma das facções vai aumentando, possibilitando que você pegue missões mais desafiadoras e até mesmo as chamadas grandes viagens, uma espécie de conteúdo endgame. Confira abaixo as facções:

Mercadores: Os mercadores querem sempre recursos para usarem nas suas vendas. Para isso eles vão te pedir para procurar animais raros pelas ilhas, suprimentos básicos e avançados e outras surpresas mais. As missões deles vêm sempre com tempo para serem cumpridas, então fique atento ao relógio.

Acumuladores de tesouros: Essa facção está sempre atrás de ouro e tesouros enterrados. Suas missões envolvem pegar um ou mais mapas com alguma ilha desenhada e um x marcado e ir atrás do tesouro perdido. Quando for evoluindo sua reputação com essa facção, algumas missões se tornarão enigmas que precisam ser desvendados para achar o tesouro.

Ordem das almas: Os integrantes da ordem das almas são envoltos em misticismo e buscam caveiras de antigos piratas mortos-vivos para seus rituais. Basicamente as missões envolvem combate com chefes escondidos em ilhas distantes. Ao destruir esses esqueletos mortos-vivos, você poderá pegar sua caveira e trazer de volta para sua recompensa em ouro.

Dicas importantes!

Agora que você sabe tudo que precisa para começar sua aventura, fique ligado nessas dicas especiais para se dar bem no jogo:

Esconda bem seus tesouros: Com tantas missões ao mesmo tempo, é normal que o navio fique com vários tesouros e suprimentos. Guarde eles na parte mais baixa do seu navio, ou mesmo no topo do seu mastro. Outros jogadores podem roubar o seu tesouro num momento de vacilo, então dificulte a tarefa deles.

Navegue sem lanternas ligadas: Se você quer evitar o combate durante as longas noites de SoT, navegue com as lanternas desligadas. Fica bem mais difícil de ser visto a distância e facilita que você chegue ao seu destino em segurança.

Comunicação é a chave: Durante a navegação todos precisam saber o que fazer, para isso é muito importante usar o chat do jogo. Se não for possível usar um microfone, use as frases prontas na roda de chat, isso facilitará a comunicação. Saber a nomenclatura das partes do navio como proa e popa, ajuda na comunicação e faz a experiência ficar mais real também.

Armas podem ser usadas debaixo d’água: Algumas missões ou mesmo explorações aleatórias podem envolver entrar em um navio naufragado e consequentemente mergulhar. Tome cuidado com os tubarões que te atacam, você pode usar suas armas debaixo d’água para matá-los.

Homem ao mar!: Em algum momento da sua aventura, algum de seus tripulantes pode acabar caindo no mar, ou mesmo você! Pela minha experiência até agora, não compensa virar o barco para o resgate. É isso mesmo. Mas não se preocupe, assim que o barco tomar certa distância, uma sereia aparecerá e você terá a opção de teletransportar de volta para a embarcação.

Drift na água: Você pode fazer uma espécie de “drift” no barco para girar ele na direção do barco inimigo, ou mesmo parar próximo a uma ilha. Para isso basta descer sua âncora ainda em movimento acelerado e girar o o timão para esquerda ou direita.

A morte é só mais um passo!: Você vai morrer varias vezes durante o jogo e acabar parando em um barco assustador digno de piratas do caribe, com um capitão morto-vivo navegando para o além. Use a porta que irá se abrir para voltar novamente ao seu barco.

Referências:

Windows Club, Uol, Br Ing, techtudo, wikipedia.

The Crew 2

The Crew 2 é um jogo eletrônico de corrida, desenvolvido pela Ivory Tower e publicado pela Ubisoft para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. É a sequencia de seu título antecessor, The Crew de 2014. Possui um ambiente de mundo aberto persistente para vagar livremente em uma escala reduzida do mapa dos Estados Unidos. O jogo permite que os jogadores controlem uma variedade de veículos, incluindo carros, motocicletas, barcos e aviões. O jogo foi lançado em 29 de junho de 2018.

 Jogabilidade

Semelhante ao seu antecessor, The Crew 2 é um jogo de corrida. No jogo, os jogadores assumem o controle de um piloto de corrida relativamente desconhecido, que está tentando fazer o seu caminho para se tornar bem sucedido em várias disciplinas. Possui um ambiente de mundo aberto persistente para corridas e vagueamento livre em uma escala reduzida do mapa dos Estados Unidos. Além dos carros, o jogador também podem controlar outros tipos de veículos, incluindo aviões, motocicletas e barcos. Cada veículo tem sua própria física de controle, o que significa que a jogabilidade é diferente quando os jogadores estão controlando diferentes tipos de veículos. Os jogadores podem alternar entre o controle de ar, terra e veículos do mar instantaneamente. O jogo possui quatro mundos de hub diferentes, cada um com seu próprio tema e estilo de jogo. Esses temas incluem off-road, street racing, pro racing e freestyle. A personalização do veículo também será exibida no jogo. Semelhante ao primeiro jogo, colocará uma grande ênfase no multiplayer. Ele também possui um modo de multiplayer cooperativo, que permite aos jogadores se juntarem a diferentes eventos de invasão de rali. Este modo também pode ser jogado solo com uma inteligência artificial.

Escolha seu carango

“The Crew 2” oferece categorias diferentes de competições divididas em quatro “famílias”:

Corrida de rua, Corrida profissional, Freestyle, Off-road.

Cada uma tem classes diferentes de veículos e de corridas, e não é obrigatório completá-las em alguma sequência. Na maior parte do tempo, o jogador pode escolher livremente, e quase ignorar completamente aquelas que não curtir tanto.

A maior novidade são as corridas Xtreme, que misturam diferentes máquinas em uma troca em tempo real. É muito divertido ver a mudança, assistir enquanto seu carro pula de um penhasco e se transforma em um barco durante a queda, antes de cair em um rio.

Tão divertido que é difícil entender por que o jogo não explora mais essa característica. O jogador ainda pode mudar livremente no mundo aberto, mas na maior parte das corridas está limitado a apenas um veículo.

A simplificação pelo menos facilita a identificação dos controles. Se a simulação não é tão fiel, as piruetas mais difíceis de avião são rapidamente dominadas. Em pouco tempo, qualquer um pode se sentir um ás da aviação.

Terra dos livres – e lar do imprevisível

Outra grande atração de “The Crew 2” é o mundo aberto disponível entre as corridas. Ou melhor, o país aberto. O jogador pode percorrer por todos os Estados Unidos de costa a costa – com uma certa escala, é claro.

Muita coisa pode incomodar os próprios americanos, como os momentos em que neva na Flórida, mas nada comprometedor para o público brasileiro. Pelo contrário, de certa forma o game até ajuda o turista a se situar melhor no país, com diversos pontos importantes retratados de forma satisfatória.

O que mais prejudica mesmo são as físicas terríveis apresentadas. É virtualmente impossível saber antes qual será a reação de seu veículo em um colisão. Em algumas, ele pode simplesmente atravessar postes de iluminação como se fossem papel. Em outras, tem perda total ao dar de frente com um arbusto dos mais inocentes.

Junte sua turma

Em português, “crew” pode ser traduzido como “tripulação” ou até “turma”. Essa era a proposta do primeiro game e continua sendo de certa forma nesta sequência. Tanto que o mundo aberto sempre exibe os outros jogadores online e dá uma certa sensação de algo vivo.

Por isso mesmo que é difícil entender por que o game não oferece a oportunidade de competir com outros lobos solitários. É possível cooperar em eventos com sua turma, sim, mas não há corridas contra adversários reais. A Ubisoft promete que o recurso será adicionado, assim como outras novidades ao longo do tempo, mas por enquanto ficou devendo – e feio.

“The Crew 2” tem lá suas horas de diversão, com uma quantidade absurda de veículos e outros detalhes à disposição do jogador, mas não é daqueles que ficam na mente das pessoas enquanto não estão jogando. Talvez seja essa a ideia. No fim, dá quase pena que tanto trabalho tenha sido gasto para algo tão passageiro.

Use o nitro

Em The Crew 2, todos os veículos à disposição do personagem são modificados. Isso significa que lanchas, aviões, carros e motos, inclusive transportes off-road, podem usar o recurso do nitro a qualquer momento durante as disputas.

O nitro, diferentemente de outros jogos de corrida, tem o seu uso ilimitado e depende do medidor posicionado no canto inferior direito da tela. O medidor é preenchido conforme o jogador realiza manobras perigosas, ultrapassagens e recordes de velocidade, então o melhor a fazer é se arriscar em ações perigosas.

Revezamento é tudo

A possibilidade de trocar de veículo em tempo real, por meio de um único botão, não foi implementada à toa ao imenso mundo aberto. A ideia é que o jogador utilize a mudança quando bem entender para acumular pontos, seguidores e dinheiro mais rápido.

Ao invés de seguir as tarefas do jogo com um único tipo de veículo, procure se arriscar em outras modalidades para evoluir suas habilidades de piloto em todas as verticais. Saiba que há itens e prêmios exclusivos a quem cumprir todas as atividades com barcos, aviões, motos e carros.

Melhore sua coleção

Ao terminar corridas e desafios, o item conhecido como “mercadoria” é concedido como prêmio de maneira randômica. A “mercadoria” é uma espécie de caixa surpresa que entrega itens melhores, e você pode equipá-los a qualquer momento eu seus veículos a partir do menu de pausa.

O sistema é semelhante ao que se vê em jogos como Destiny, Diablo e The Division, com itens separados por cores e níveis de raridade, embora não seja tão robusto, uma vez que os acessórios não modificam consideravelmente aspectos visuais.

Dedique-se a melhorar o veículo ativo sempre ao final de um evento, pois a evolução de desempenho faz muita diferença ao encarar desafios avançados. Lembre-se também de se desfazer dos itens inutilizados. É importante transformá-los em sucata para abrir espaço no limitado inventário do piloto.

Invista em novos veículos

Como todo jogo de corrida que se preze, The Crew 2 oferece um vasto catálogo de veículos em sua loja. Use o dinheiro virtual acumulado durante as partidas para comprar novos carros, barcos, motos e aviões. Isso porque certas missões da história exigem veículos mais potentes, ou seja, você terá que desembolsar uma grana extra se quiser continuar progredindo na campanha.

Uma boa dica para quem quer investir nos melhores carros é repetir missões da história. Eventos maiores geralmente concedem mais dinheiro, principalmente quando o piloto for capaz de ficar entre os três primeiros colocados. Além disso, ao amplificar o nível de dificuldade selecionando missões no “difícil”, as chances de juntar dinheiro e itens são maiores.

Domine o freio

Embora The Crew 2 proporcione uma experiência totalmente arcade, uma coisa é certa: frear durante uma curva acentuada, assim como na vida real, não é recomendado. Isso faz com que o veículo perca muita velocidade e, consequentemente, sinta dificuldade ao arrancar.

Antes de se aventurar em provas de drift, treine suas habilidades de derrapagem pelo mundo aberto. Saber a hora certa de pressionar o botão de freio é algo que serve para todas as modalidades, sem exceção.

Recorra ao modo foto

O modo foto de The Crew 2 não é um mero complemento para registrar momentos incríveis. Aqui, o modo precisa ser usado para cumprir objetivos específicos de cada região, como tirar fotos em pontos turísticos de cada cidade norte-americana.

Ao explorar o mapa, você vai perceber que missões de fotografia surgem a todo momento. Os objetivos se resumem a alcançar um objeto ou localidade e registrar uma foto que capture não apenas o veículo, mas o objeto a ser considerado. Em geral são tarefas simples, mas que presenteiam o piloto com mercadoria, dinheiro e, é claro, seguidores. Dê uma atenção especial ao modo foto e capriche nas imagens.

Evite o freio de mão nas competições de drifting

Com base na sua experiência com outros jogos de corrida, você pode querer usar o freio de mão durante os eventos de drift do The Crew 2. No entanto, esta não é a melhor maneira de obter as pontuações mais altas.

O modelo de controle usado para drifting foi projetado para facilitar ao máximo a configuração do seu carro em uma trajetória lateral, com a habilidade de manter essa posição pelo tempo que cada curva permitir. Assim, apertar o botão de freio e girar o volante em uníssono é tudo o que é necessário para iniciar um drift.

Optar por essa abordagem lhe dá muito mais controle do que depender do freio de mão. Uma vez de lado, diminua a aceleração gentilmente, ao invés de colocar o “pé no freio”, para manter o deslizamento.

Use o “extreme mode” ao voar

Esse não é um recurso bem divulgado no jogo, mas há uma opção “extrema” disponível ao pilotar qualquer um dos aviões do The Crew 2. Com o apertar de um botão (quadrado no PS4, X no Xbox One), seu avião se tornará muito mais sensível às entradas de seu direcional analógico, o que aumentará sua capacidade de executar loops audaciosos, rolar e voar de cabeça para baixo.

Isso lhe dá mais espaço para respirar e completar as missões de acrobacias aéreas, especialmente quando elas se tornam mais desafiadoras no final do jogo. No entanto, o movimento extremo torna o avião mais tenso e difícil de controlar.

Assim, recomendamos que use a opção imediatamente ao começar a jogar, para que você se acostume a controlar o avião dessa forma, antes que as coisas fiquem mais pesadas mais tarde.

Reduzir o “arrasto” aumenta sua velocidade sobre a água

Outro truque que não é totalmente explicado dentro do jogo em si é a capacidade de usar o stick esquerdo como um meio de ganhar velocidade em barcos. Puxar o analógico para trás levantará um pouco a frente do barco, o que reduz o arrasto e aumenta sua velocidade máxima.

A questão é que o barco torna-se um pouco menos responsivo em curvas e, como tal, pode ser difícil posicioná-lo com precisão para alcançar a linha de corrida perfeita.

Nosso conselho é usar o truque sempre que você estiver correndo em trechos de água que, aproximadamente, seguem uma linha reta. Assim que estiver em curvas mais complicadas, volte a usar o analógico esquerdo de forma “normal”.

Resista à tentação de sair da estrada

Quando estiver correndo offroad por todos os cantos do país, que não têm rotas pré-definidas entre pontos de verificação, vale a pena separar um tempinho para pensar antes de atravessar as árvores, colinas ou pântanos.

É claro que você não quer diminuir a velocidade ao traçar o melhor caminho até o próximo checkpoint – contudo, ter uma ideia clara pode economizar uma enorme quantidade de tempo.

A última coisa que você quer é acabar tendo que escolher entre uma floresta densa ou atolar em um rio ou lago raso. Depois de memorizar a geografia, você pode, é claro, acelerar e usar seu conhecimento a seu favor.

Foque em longos usos do nitro, e não em pequenos disparos

Cada veículo de The Crew 2 vem com nitro por padrão. E por mais tentador que seja usá-lo sempre que possível, é melhor deixar o medidor encher ao máximo antes de iniciar o aumento de velocidade que ele oferece. Em quase todos os casos, é preferível usar o nitro por longos períodos, ao invés de usá-lo em pequenos pedaços atrofiados.

Demora um pouco até que seu veículo atinja a velocidade máxima depois de pressionar o botão de nitro, então se o seu medidor estiver apenas parcialmente carregado, provavelmente você nem sequer chegará perto de atingir seu potencial máximo. Essa é uma ótima maneira de se frustrar, pois você apenas se encontrará com os líderes por instantes e voltará para trás quando seu nitro acabar.

Esperar que a barra de nitro atinja o máximo, e gastar tudo de uma só vez em sequência, é o caminho para alcançar os maiores ganhos. Seja paciente e a velocidade virá.

Observe as ondas

Navegar por uma linha suave, com o mínimo de interrupção possível, é a chave para definir o tempo mais rápido em uma lancha, e uma das melhores maneiras de fazer exatamente isso é manter o olho no movimento das ondas.

Como regra geral, evite se mover em direção das ondas, pois a aceleração aumenta a altura da água que seu barco precisa para se deslocar e isso pode fazer com que você bata ao longo da superfície da crista, em vez de deslizar por ela.

Junto com o ritmo natural das ondas, evite o rastro criado por outros barcos. Portanto, não siga diretamente atrás de seus oponentes, pois isso irá atrasá-lo significativamente. Por outro lado, cortar na frente de alguém, ao ultrapassá-lo, é uma ótima maneira de reduzir a velocidade deles e limitar qualquer ameaça que representem.

Status e seguidores

Os jogadores progridem no jogo ganhando seguidores ao participarem de Eventos Principais, Habilidades e atividades secundárias. Depois de ganhar seguidores suficientes, seu Status aumentará.

Há cinco níveis de Status em The Crew 2: Novato, Popular, Famoso, Estrela, Ícone.

A cada novo Status alcançado, os jogadores desbloqueiam novas atividades e disciplinas.

No entanto, a jornada até o topo não termina quando se chega ao Status de ÍCONE! Depois disso, você pode continuar subindo de nível, de ÍCONE 1 a ÍCONE 9999.

Para cada nível alcançado, você ganha um ponto de ÍCONE. A cada 10 níveis, você recebe mercadoria. A cada 100 níveis (até o nível 600), você recebe como recompensa um veículo gratuito: isso equivale a 6 veículos, no total, incluindo 1 exclusivo.

Um placar de líderes global exibirá o nível e a classificação dos jogadores, e estará visível no QG de cada Família.

Personalização da performance do veículo

Além da progressão do Status, você também poderá melhorar seus veículos em The Crew 2. Todos os veículos têm um Nível de Performance específico e pertencem a uma categoria (determinada pela disciplina).

Sendo assim, é possível comprar diversas variações do mesmo modelo de veículo: por exemplo, sua forma de Street Race, sua forma de Touring e sua forma de Rally Raid (no caso de todas essas existirem para um mesmo modelo).

Depois, você pode equipar vários tipos de peças para ajustar a performance dos seus veículos, de acordo com diferentes parâmetros. Exemplos incluem o motor do veículo, a transmissão, o escapamento, a ECU, entre outros.

Existem quatro níveis de raridade de peça: Comum, Incomum, Raro e Épico. Quanto mais raras as peças, melhor será a performance do veículo quando elas estiverem equipadas. Um novo nível de raridade – Lendário – chegará em setembro com nossa atualização Gator Rush.

Além disso, certas peças também terão atributos bônus, chamados de ACESSÓRIOS, que as tornam ainda mais poderosas e únicas. Quarenta ACESSÓRIOS diferentes estarão disponíveis para personalizar ainda mais a performance dos seus veículos e levá-los ao extremo do seu estilo de jogo preferido!

Eventos principais

Para cada nível de Status novo alcançado, você desbloqueará uma nova Disciplina por Família, assim como o grupo de Eventos Principais associado a ela. Você pode encará-los na ordem que desejar.

O jogador pode entrar em um evento que ainda não tenha desbloqueado, quando convidado por um amigo. Ele receberá um veículo emprestado para poder participar.

Os eventos têm dois níveis de dificuldade: normal e difícil. Para ter acesso ao modo difícil, o jogador precisa ter completado o evento no modo normal.

Dependendo da atividade selecionada, seu objetivo pode mudar de um evento para outro. Ele pode variar entre terminar entre os 3 primeiros, atingir determinada pontuação ou superar um tempo definido. Aqui estão alguns exemplos (observe que pode haver exceções durante certos eventos):

Ao ser completado, cada evento fornece ao jogador seguidores, Bucks e mercadorias (peças de veículo). Quanto mais longo for o desafio, maior será a recompensa.

Habilidades

Habilidades são atividades curtas no Modo Livre espalhadas pelo mundo aberto do jogo, em terra, no ar ou na água.

Esses desafios são totalmente integrados à experiência do Modo Livre, e são acionados automaticamente ao passar pela bandeira de habilidade com qualquer veículo apropriado.

Habilidades lhe permitem progredir no jogo e ganhar Bucks, seguidores e, possivelmente, mercadorias. Elas também têm placares de líderes, permitindo que você dispute pela melhor colocação contra todos que ousarem encarar o desafio.

Completar Habilidades contribui para sua progressão dentro da Família associada.

Eventos de rivais

O caminho até o topo é sempre repleto de desafios, e um dos maiores que você vai encarar em The Crew 2 são os Rivais.

Você encontrará um Rival para desafiar e derrotar em toda Família, e pode desafiá-lo pela sua coroa no Evento de Rival após completar

70% de todas as atividades

da Família em questão.

Eventos de Rivais estão representados no mapa pelos seguintes ícones:

Vencer o Evento de Rival tem como recompensa um prêmio único e particularmente cobiçado: o Veículo Definitivo da Família.

Vencer todos os quatro Eventos de Rivais garante acesso ao Gran Finale – o maior desafio que o jogador terá que encarar, para conquistar as Família da Motornation!

Série Live Xtrem

Para cada novo nível de Status alcançado, você será convidado a participar de um episódio da série Live Xtrem. Existem cinco eventos da série Live Xtrem, no total.

Todos eles são eventos multidisciplinares de três etapas, que exigem que você faça corridas em uma sucessão de ambientes diferentes. Esses eventos são para um jogador, e não podem ser jogados cooperativamente.

Vencer um evento da série Live Xtrem concede os mesmos tipos de recompensa que um Evento Principal.

Freestyle dinâmico

Como mencionado acima, The Crew 2 trata-se de alcançar o auge da cena automobilísticaà sua maneira. E para alguns pilotos, isso não acontece em corridas definidas ou eventos – eles querem a liberdade de ver o que conseguem realizar somente com base na adrenalina e na criatividade!

Para tanto, temos o Freestyle Dinâmico, um novo sistema que permite explorar o mundo e, ao mesmo tempo, realizar manobras insanas com total liberdade, no veículo da sua escolha.

Isso pode ser feito em qualquer lugar no mundo aberto, e embora a maioria das manobras costumem ser individuais, algumas necessitam de interação com outros jogadores.

No Freestyle Dinâmico você ganhará seguidores, e a quantidade vai variar dependendo da duração e da dificuldade da manobra realizada.

Referências:

The Crew Game, G1, Red Bull, Techtudo, Wikipedia.

Rage 2

Rage 2 (estilizado como RⒶGE 2 ) é um videogame de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela Avalanche Studios em conjunto com a id Software e publicado pela Bethesda Softworks. O jogo é a continuação do jogo Rage, de 2011. O jogo foi lançado para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em 14 de maio de 2019. Recebeu críticas mistas dos críticos, com elogios por seu combate, mas críticas por sua história, personagens e jogabilidade em mundo aberto.

Gameplay 

Rage 2 é um jogo de tiro em primeira pessoa . Os jogadores assumem o controle de um ranger chamado Walker, que é livre para explorar o mundo aberto de ficção apocalíptica do jogo . Os jogadores têm controle sobre alguns dos atributos de Walker, como gênero, habilidades ou vestuário. Walker é capaz de usar várias armas de fogo e ferramentas para lutar contra os inimigos, incluindo o retorno de armas, como a asa de asa. Os jogadores podem desenvolver as habilidades de Walker com poderes baseados em Nanotrite. Através de um modo chamado Overdrive, as armas de Walker causam mais dano, os inimigos perdem mais energia e são curados constantemente – proporcionando aos jogadores uma maneira agressiva de derrubar os inimigos. Nanotritos do primeiro jogo, que agem como poderes especiais e habilidades, também podem ser usados ​​para aumentar a eficiência do combate. O jogo também apresenta combate veicular, incluindo caminhões, buggies e girocopters, com o jogador sendo capaz de dirigir qualquer veículo no mundo do jogo. 

Seja agressivo e não fique parado

Contrariando as tendências do mercado de implementar mecânicas de furtividade aos jogos de tiro atuais, Rage 2 aposta em um combate dinâmico e frenético. Para sobreviver, é necessário partir para cima dos inimigos variando entre armas de longa e curta distância e usando habilidades desbloqueáveis.

A habilidade de esquiva, por exemplo, é essencial, uma vez que os inimigos são inteligentes e atacam com rapidez e precisão, além de nunca ficarem parados esperando uma ação do jogador. Ser agressivo também contribui para acumular combos que, consequentemente, liberam um golpe de finalização devastador conhecido como Sobremarcha.

Vá atrás de Arcas

As arcas são abrigos criogênicos que armazenam poderes experimentais e armas de alta tecnologia. É por meio delas que o protagonista consegue ampliar seu arsenal de armas e ficar mais forte com novos recursos de batalha. No começo da aventura, o ideal é buscar todas as estações indicadas no mapa para progredir nas missões da história com o personagem devidamente evoluído.

Os abrigos são sinalizados no minimapa por um ícone azul e ainda garantem uma boa quantia de dinheiro como prêmio. Quando descobertas, as arcas fortalecem as Operações dos aliados e ajudam a avançar na missão principal do Projeto Adaga.

Fortaleça o seu veículo

Assim como em qualquer outro jogo em mundo aberto, boa parte da aventura de Rage 2 se passa na estrada, no caminho entre uma atividade e outra. Contudo, o mundo pós-apocalíptico é hostil e não perdoa jogadores mais fracos. Aprimorar e fortalecer o veículo com novas peças e armas é a única forma de sobreviver.

Há diversos carros a serem desbloqueados no decorrer da aventura. Você pode adquirir peças novas diretamente dos comerciantes das cidades e ainda ganhar novos veículos como recompensa por vencer corridas no deserto. Também é preciso saber o momento certo de fugir – faça bom uso do nitro -, pois há comboios de nível superior circulando desde o início.

Explore o mapa

Há um propósito maior para se explorar o imenso mundo de Rage 2. A economia do jogo gira em torno de componentes que podem ser encontrados pelo mapa. Com feltrita, por exemplo, é possível aumentar taxas de dano, cadência e manuseio das armas, enquanto o dinheiro é usado para obter peças de comerciantes locais.

Você também pode encontrar acelerador de nanotritos para comprar vantagens de habilidades que já estão desbloqueadas. Abra o minimapa e procure por ícones marcados com um ponto de interrogação, que geralmente são pontos de interesse com recompensas satisfatórias.

O lixo é valioso

Enquanto estiver explorando, você vai encontrar muitos componentes indesejados que não vão servir para absolutamente nada. Deixe-os armazenados em seu inventário e vá ao comerciante mais próximo para vendê-los. O limite de armazenar lixo é de 1 mil, então lembre-se de se desfazer dele com regularidade.

Mantenha o estoque de itens sempre cheio

Antes de invadir uma base inimiga, certifique-se de que os estoques do seu inventário estão abastecidos. Infusão de saúde, por exemplo, que é o item usado para restabelecer a saúde, não pode faltar em momentos críticos. Você pode criar e aprimorar itens secundários a partir da aba “Inventário” do menu.

Por fim, é igualmente importante manter o estoque de Wingsuit, Granada e Drone de Torreta, visto que são itens essenciais para complementar o caos instaurado nos combates.

Parte da vida regenera sozinha

Você ainda precisa coletar itens de cura para recuperar sua vida, mas saiba que parte dela se auto-regenera. Então, na hora do aperto, procure algum lugar para se esconder e aguarde alguns segundos para regenerar pelo menos um pouco da sua vida.

Não poupe nenhuma caixa

As caixas de suprimentos em “Rage 2” são essenciais: trazem dinheiro, minérios, itens de cura, munição e materiais de criação. Existem milhares delas pelo jogo, e o ideal é que você nunca deixe de quebrá-las ou abri-las. As rosas ou metálicas são as mais importantes. Se o jogo indicar que existem algumas delas no local onde você está, pode investir seu tempo procurando por elas.

Use e abuse da Sobremarcha

Depois que você mata um determinado número de inimigos, é possível utilizar essa habilidade. Ela é extremamente útil pois aumenta consideravelmente seu dano e ainda por cima regenera sua vida.

Ajude o Marshall primeiro…

Quando você ganhar acesso ao mapa, terá três objetivos principais pela frente. O recomendado é que você primeiramente siga até o ponto de encontro com o Marshall, pois a missão dele lhe dá acesso à Escopeta de Combate, uma das melhores armas do jogo.

… depois vá até o Dr. Kvasir

Depois de ajudar o Marshall para obter a Escopeta de Combate, o ideal é que você siga para o local do Dr. Kvasir. Ao abrir a árvore de projetos dele, você consegue obter duas habilidades de Rastreamento que permitem descobrir com muito mais facilidade onde estão escondidos os Datapads e Contêineres de Suprimentos.

Não esqueça de “upar” suas habilidades e armas

Com tanta ação ininterrupta, pode ser que você esqueça de melhorar suas armas, itens e habilidades. Então, depois de algumas horas jogando, é sempre bom dar um pulinho no menu e ver aquilo que você melhorar com os recursos que obteve.

Apenas seu carro pode ser “tunado”

Embora existam vários veículos no jogo, somente aquele com o qual você começa tem a possibilidade de receber melhorias. Mas então por que ir atrás de outros carros? É mais para conseguir peças para serem utilizadas no seu veículo principal, já que nenhum dos demais transportes sobre rodas chega aos pés dele.

Colecionáveis não rendem troféus/conquistas

Diferentemente da maioria dos jogos, você não precisa se preocupar com os itens coletáveis caso seu objetivo seja obter um determinado troféu ou conquista, pois nenhum deles fornece isso em “Rage 2”.

Evolua as habilidades estrategicamente

Depois de destravar a Skill Tree das habilidades, preocupe-se em primeiro lugar com o cooldown, o tempo de recuperação necessário até que você possa utilizá-la de novo.

Evoluindo esse aspecto primeiro ficará bem mais fácil de colocar os ataques especiais em prática. Consequentemente, você aprenderá os melhores momentos para utilizar cada uma delas mais rápido, integrando-as ao seu estilo de jogo.

Use o modo Overdrive

Utilizar as habilidades em combate vai lentamente preenchendo a sua barra de Overdrive. Uma vez ativado, esse modo melhora temporariamente todos os seus nanotritos, fazendo com que os ataques causem mais dano. Além disso, sua vida passará a se regenerar de acordo com a lista abaixo:

Nível 1 – Regeneração com fator de 100%

Nível 2 – Regeneração com fator de 110%

Nível 3 – Regeneração com fator de 120%

Nível 4 – Regeneração com fator de 130%

Saltando como um louco

Rage 2 não é o seu típico “Cover shooter”, como Gears of War e tantos outros que forçam o jogador a adotar uma posição mais defensiva, em constante busca por abrigo. Pelo contrário, ele foi projetado para fazer com que os players ataquem os inimigos de frente, sem pararem para pensar sequer por um instante.

Por isso uma das habilidades mais importantes é o dash (Passada), uma esquiva rápida essencial para não ser atingido pelas ondas de inimigos. A habilidade é especialmente útil contra Authority Sentries e Cyber Crushers.

Todos de uma vez

Aproveitando o embalo dos pulos, é obrigatório dominar a mecânica de salto gravitacional. Muito além de uma forma de desviar dos ataques alheios, ela pode ser usada como uma ferramenta de ataque em conjunto com a habilidade Enterrada (Slam), que faz o seu personagem descer pelos céus furiosamente até esmagar o chão e tudo aquilo que estiver acima dele. Quanto mais do alto você vem, mais forte fica o golpe.

Inimigos atingidos diretamente pelos seus punhos serão transformados em geleia de sangue. O impacto gerado afeta todos ao seu redor, fazendo voar alguns dos monstros mais leves. Essa é a oportunidade perfeita para brincar de tiro ao alvo. Entre no modo de mira e mande bala!

O Slam também tem outra função importante, que é a de anular o dano recebido por quedas muito altas. Na dúvida, se você pulou de um penhasco e está com medo de perder vida, mande ver na habilidade. 

Não seja louco de encarar o comboio…

… Sem a devida preparação! Dizemos isso porque o Phoenix (sempre ele!) é uma verdadeira máquina de guerra, tendo um enorme arsenal à disposição daqueles que quiserem fazer os upgrades. Algumas das opções incluem:

Blast: um pulso que desativa as defesas alheias e revela pontos fracos nos veículos alheios

Cruise Missile: Míssil teleguiado que vai em cheio rumo ao ponto fraco do veículo inimigo

20MM Cannons: Metralhadoras giratórias automáticas com munição de 20mm, perfeitas para complementar os mísseis guiados

Hellfire Mortar: uma chuva de morteiros que trará a morte de cima. Basta disparar e guiar em direção ao comboio

Se quiser mergulhar de verdade na briga, use o comando Ram do Phoenix. É como um Dash para o seu carro, perfeito para bater nos outros e jogar aqueles chatos direto para o penhasco. Depois de equipar o Phoenix com tudo o que listamos, vai sobrar poder de fogo para explodir qualquer comboio.

O freio de mão é seu aliado

Para fecharmos a lista, uma dica mais básica: não se esqueça de utilizar o freio de mão. Ele é a ferramenta perfeita para manobras rápidas e curvas fechadas. Em situações de combate, principalmente, uma guinada bem realizada pode tirar um caçador da sua cola e deixá-lo na posição perfeita para o contra-ataque.

Começando na Wasteland

Encontre todas as Arks espalhadas pelo mapa. São vitais para se obter todas as armas e habilidades no jogo. Você pode encontrar a localização das Arks falando com pessoas nas cidades, encontrando pistas nos data pads, ou apenas esbarrando nelas enquanto explora.

Passe bastante tempo com suas armas. Todas as armas podem ser melhoradas, ganhando funções adicionais, e muitas também possuem um segundo modo de tiro.

Rage 2 é sobre combate agressivo de linha de frente. Não se trata de um jogo de tiro de cobertura tradicional. Velocidade, agressão e violência reinam aqui. Entre na luta com as mãos sujas de sangue.

Junte Feltrite como se sua vida dependesse disso, já que vai acabar dependendo. Feltrite pode ser encontrado em caixotes pelo mundo, nos inimigos e em, meteoritos que caíram na Terra. Gaste Feltrite para melhorar suas armas e habilidades.

Gaste seus pontos de projeto! Tudo que faz no mundo te dá favor com um de três personagens principais. Conforme sobe de nível com eles, juntará pontos de projeto que podem ser gastos em melhorias adicionais. Aumentar a capacidade de munição é bastante útil, assim como poderes que o ajudam a encontrar data pads e baús.

Compre receitas dos vendedores pelo mundo para melhorar seus itens de arremesso como os Wingsticks, Granadas e Turret Drones.

Não se esqueça de vender seu lixo. Lojas em Wellspring, Gunbarrel, Oasis, Lagooney e Dreadwood comprarão todo o lixo que está carregando em troca de grana.

Enfie o nariz em todo canto do mapa. Nunca se sabe o que vai encontrar escondido por aí.

Seja criativo! Nem toda missão precisa ser resolvida com uma bala. Algumas vezes pode fazer um pouco de reconhecimento antes de iniciar um objetivo secundário, e acabar encontrando um botão que resolve todos os seus problemas.

Em algum lugar por aí, existe uma cadeira bem especial. Saberá quando a encontrar. Encontre a cadeira. A cadeira é vida. A cadeira é amor.

Trapaçear é divertido. Rage 2 coloca uma camada das antigas em cima de toda a diversão com um sistema de Cheats, o que quer dizer que sua ação insana vai ficar ainda mais… estranha. Use Cheats para dar um tempero (e risos) à sua jornada. (Nota: Troféus são desabilitados quando se usa Cheats.)

Veículos

Viu um veículo que curtiu na estrada? Roube e traga de volta à garagem em uma cidade como Wellspring, Gunbarrel, Lagooney ou Dreadwood para torná-lo seu. Uma vez que for dono de um veículo, pode chamá-lo a qualquer hora da aba do menu.

Não se preocupe se não puder encontrar seu veículo. Além de poder chamar qualquer um deles da aba Vehicles, também pode manter sua roda de armas abertas e chamar a Phoenix de lá.

Use o freio de mão. É seu melhor amigo quando estiver navegando as ruas de Rage 2.

Aprenda como usar a função de aríete da Phoenix. É divertido demais, não só para empurrar os outros para fora da estrada, mas também quando for enfrentar um comboio.

Falando nisso, não tente enfrentar um comboio antes de melhorar as armas e armadura da sua Phoenix.

A melhoria Ejector Seat para Phoenix é essencial. Quando estiver na velocidade máxima em sua Phoenix, segure o botão de saída e será lançado para fora do carro como um herói. Use um SLam depois para criar um combo estiloso.

Priorize a descoberta de Ark tek

Os Arks são o que você pensa que são: clãs intergalácticos que oferecem aos exploradores do deserto um eon de loot e também são os melhores power-ups e armas do jogo. Alguns deles podem ser encontrados através da campanha principal, enquanto outros tek só podem ser descobertos através da exploração, com o Junker’s Pass e a Dank Catacomb sendo o lar de Nanotríos e obras-primas de armeiros, como o Firestorm Revolver, Grav-Dart Launcher e Hyper-Cannon Railgun. Apenas certifique-se de explorar cada arca com cuidado, já que suas paredes são geralmente cheias de lixo que pode ser vendido para os comerciantes.

Confie no rosa, sempre

Rosa é uma cor proeminente em Rage 2, usada para indicar objetos interativos no terreno baldio. Baús, escadas, válvulas e interruptores de porta são pintados em neon rosa e manter os olhos abertos por uma pitada de cereja pode ajudar quando o assunto é navegar em missões secundárias ou campos de checklist e esconderijos. Fique sempre atento.

Mãos a obra

Rage 2 não é um jogo de tiro de cobertura. Ele pode ser tratado como um, porém como qualquer novo título do id Software, o game usa uma IA que é igualmente inteligente e cruel para derrubá-lo através de das paredes de tijolos para tirá-lo da sua zona de conforto. Então, em vez disso, não perdoe ninguém e parta para cima. Ao unir as 11 diferentes habilidades de Nanotrite (Slam ou Shatter, por exemplo) e seu medidor de Overdrive, você derrubará os enxames inimigos e forças opostas com facilidade, enquanto permanece no combo de sprint, slide e dash que pode ajudá-lo a sobreviver nos ambientes. Se os ataques corpo-a-corpo falharem, faça novas granadas e seja agressivo. E não se esqueça dos Wingsticks.

Melhore seu dano

Em outras palavras, reforce seus brinquedinhos com o máximo de status. O cyber doc – Doc Karl – da Wellspring é capaz de instalar implantes que permitem “re-especificar” seu Ranger e atualizar permanentemente sua saúde, Overdrive e dano universal. O custo para tanto são recursos mais valiosos que podem ser difíceis de encontrar, mas aumentam a quantidade de dano causado. Isso é bem importante, pois permite que você enfrente multidões e mutantes com facilidade e sem ter que alterar a dificuldade do jogo.

Compre todos os esquemas

A criação de itens em Rage 2 é uma bagunça. Materiais como Componentes Eletrônicos e Componentes Explosivos são necessários para granadas, Wingsticks e Infusões de Saúde, porém você também precisa dos esquemas correspondentes para criá-los. Felizmente, eles podem ser comprados de comerciantes e fornecedores em todo o deserto e, cada vez que você fizer isso, eles desbloquearão um novo nível de criação e aplicarão automaticamente os diferentes upgrades e benefícios em seus próximos níveis.

Torne-se um colecionador de veículos

Semelhante a Mad Max (2015), o deserto de Rage 2 permite tomar qualquer veículo (de trabalho) que encontrar. Rollas, Nippas, Pulverizadores e similares podem ser encontrados no lado da estrada ou em acampamentos de bandidos e Arks e todos os itens acima podem ser armazenados em sua garagem e convocados via menu. Quando você encontrar um veículo, basta levá-lo de volta a uma das cidades centrais – como Wellspring, Gunbarrel e Dreadwood – até que seja solicitado que você guarde sua nova carona.

Use cheat codes

Lembre-se do Game Shark ou Game Genie? A Avalanche e id Software certamente lembram. Cheat codes podem ser comprados e ativados via menu através de um NPC conhecido como Mangoo The Unborn – o mago do deserto. Sua cabana e três balões verdes podem ser encontrados em vários locais em The Wilds, Broken Tract e Sekreto Wetlands e seus destraváveis incluem aliados, pacotes de voz e impulsos mais proeminentes para Feltrite, Overdrive e Wingstick. Eles desativam temporariamente troféus e conquistas, mas não há sentimento melhor do que ouvir Danny Dyer (do EastEnders e do Human Traffic) e o locutor do NBA Jam te chamar de “muppet” enquanto você atravessa hordas de mutantes do deserto. Por isso, invista nas trapaças sem dó!

Referências:

Blog 2am gaming, Blog Playstation, Red Bull, techtudo, wikipedia.