Albion Online

Albion Online (AO) é um MMORPG de fantasia medieval desenvolvido pela Sandbox Interactive, um estúdio baseado em Berlim, Alemanha. Durante os estágios beta de desenvolvimento, os jogadores puderam comprar “Founder’s Packs” para obter acesso aos testes beta fechados que foram executados de forma intermitente pela Sandbox Interactive, geralmente após um intervalo de alguns meses de desenvolvimento. Esses pacotes do Founder não estão mais disponíveis desde o lançamento do jogo completo. O Albion Online removeu seu modelo free-to-play por várias razões em 30 de dezembro de 2015.

Desde o seu lançamento em 17 de julho de 2017, Albion online agora oferece uma seleção de “Starter Packs”, que concedem aos jogadores acesso ao jogo e oferecem uma quantidade variável de ouro para começar. Depois que um jogador compra qualquer um dos pacotes iniciais, ele terá acesso ilimitado ao jogo, sem taxas obrigatórias extras. Os jogadores também podem comprar a associação por um período limitado, sem os benefícios dos pacotes iniciais. A partir de 10 de abril de 2019, o Albion Online passou a ser gratuito para jogar .

O caminho das pedras:

Em algum lugar dos confins do continente oriental de Albion, num lugar desolado de paz oprimido pelas disputas políticas, as histórias de um novo começo se tornam realidade. Era a hora de escrever a história de um novo herói.

Bem-vindos, Aventureiro. Você chegou ao lugar certo — e ao jogo certo. Albion Online é um MMORPG medieval da Sandbox, projetado inteiramente com o objetivo de proporcionar uma vivência equilibrada e desafiadora. Do desenho de animação simplista, mas cheio de impacto, até a abordagem minimalista do estilo de arte esteticamente agradável, o jogo exige atenção.

Dito isso, estou aqui hoje para fornecer-lhe algumas orientações sobre a linha de conduta inicial ao dar os primeiros passos no mundo de Albion. Comecemos com a primeira coisa que se pensa naturalmente ao conectar no jogo: o Painel do Destino.

O Painel do Destino: ponto central da progressão

Ao entrar no jogo pela primeira vez, você notará que não há ninguém para dar uma missão nem NPCs para direcionar a sua jornada. Não se preocupe: isso é intencional. Em Albion Online, você escreve a sua história e determina o próprio caminho. No entanto, o Painel do Destino está disponível como um sistema de apoio para ajudar a definir melhor quem você deseja se tornar como jogador. A primeira coisa que você deverá fazer é abrir o Painel do Destino; para isso, aperte a tecla de atalho “N”.

Sim, a princípio, o painel do destino parecerá muito complexo, mas não desanime: só serão necessários alguns momentos para perceber que se trata de algo mais coerente do que parece. Ele será o seu guia tácito da progressão de personagem em Albion, acessível a qualquer hora e de qualquer lugar. Você começará a progressão no painel do destino assim que se conectar. Depois de fechar o painel do destino, veja a parte inferior central da tela. Lá estarão as tarefas iniciais do painel do destino que você deverá concluir para começar a sua jornada. 

Agora que você já compreendeu o estilo básico de progressão e começou a sua jornada em Albion, falemos sobre as primeiras tarefas em que você deverá se envolver.

O começo da jornada

Ao chegar às praias da costa de Albion, você poderá se direcionar a três lugares: o Cruzamento Oeste, o Cruzamento Central ou o Cruzamento Leste. Se você planeja começar a sua jornada com um acompanhante, a viagem entre cada cidade inicial é um processo bem simples. Para isso, fale com o Planejador de Viagem localizado nas docas de cada cidade inicial. É possível viajar entre cada cidade inicial… por uma pequena quantia, é claro (achou que ia sair assim, de graça?).

Antes de fazer alguma coisa, abra o correio, localizado na parte superior da tela. Além de itens de vaidade que o Pacote de Fundador lhe dá, você encontrará também um cavalo e um boi que facilitam o deslocamento pelo mundo de Albion. Porém, atenção: se você entrar nas Zonas Vermelhas e alguém o matar, você poderá ficar sem os seus itens de Fundador, inclusive as montarias.

Como dito anteriormente, a primeira tarefa se localiza na parte inferior central da tela na lista de verificação do painel do destino. Comece a coletar as pedras e troncos iniciais e mate os inocentes coelhinhos para o seu bel-prazer! Não se esqueça de saquear os pelegos de coelho depois de matá-los. É bem útil conseguir mais dos recursos que você coletar, pois cada um deles é útil de alguma maneira.

Depois de concluída a tarefa inicial de coletar recursos, é hora de criar os primeiros itens: ferramentas de coleta e armas. Vá até o primeiro NPC que você encontrar no jogo, no meio do mapa, que lhe fornecerá a bancada necessária para criar os equipamentos e as ferramentas iniciais. Comece as suas primeiras criações!

Produção ilimitada

Agora que você está com os recursos no inventário, poderá fazer suas primeiras ferramentas e armas. As ferramentas de coleta são um componente imensamente importante do sistema de produção de Albion Online, pois elas permitem coletar recursos de grau mais elevado que produzem, portanto, armas e armaduras mais fortes.

Os recursos são apresentados em oito graus. Cada grau é gradativamente mais difícil de encontrar no mundo aberto, pois a escassez de recursos é um fator muito tangível no mundo de Albion. Só o melhor dos melhores conseguirá manter o grau mais alto de equipamentos, portanto vale ressaltar que se trata de um mundo bem competitivo. Será necessário ter as ferramentas do grau adequado para coletar recursos do mesmo grau. Dito isso, tenha sempre as ferramentas à mão se você planeja coletar e produzir o próprio equipamento. Tendo em mente que você planeja ser o melhor dos melhores, comece a criar suas ferramentas de grau 1. Esse será o seu primeiro passo para atingir o objetivo máximo de desbloquear o grau 8. Com suas ferramentas à mão, colete madeira, pedra e pelegos (ou use os adicionais que você coletou anteriormente) para criar as primeiras armas e armaduras em Albion.

Sistema sem classes: você é o que você usa

Para produzir a espada, o escudo e a armadura de couro, vejamos novamente o painel do destino. Embora você esteja empunhando uma espada e um escudo no momento, é importante notar que, assim que você adquirir fama o suficiente (leia-se “experiência”) para progredir para armas e armaduras de grau 2, suas opções de equipamentos tornam-se ilimitadas. Isso porque a abordagem de Albion Online quanto à progressão de personagem não confina o jogador a uma função específica, ao contrário: ela lhe permite criar o personagem e o estilo de jogo de sua preferência.

Em poucas palavras: você é o que você usa. Um dia você pode jogar como um mago de fogo que usa roupas de tecido e ataques pirofóricos que incendeiam os inimigos. Outro dia, no entanto, você pode ser um tanque totalmente blindado com armadura para proteger os aliados de levas de mortos-vivos nas masmorras de Albion. Tudo isso é possível com um personagem.

Alinhada com a natureza simples do design de Albion está a simplicidade do sistema sem classes. Quando você se equipar com uma armadura ou uma arma, notará que, do lado direito da tela, novas habilidades estarão presentes. Se você se equipar com um tipo diferente de armadura ou arma, verá que essas habilidades mudaram. Exatamente: você é o que você usa. O uso dos três tipos de armadura resultará em diferentes habilidades e um estilo de jogo totalmente novo e revigorante em cada mudança. Isso abre uma porta para a infinita teoria da produção. O único fator limitante é o grau de inventividade que você se permitirá, criando assim um estilo de jogo que define você como jogador.

Agora que estamos num ponto em que você começou a entender o painel do destino, a progressão e o sistema sem classes de Albion Online, é hora de pegar no correio o seu equipamento exclusivo de grau 3 e também o cavalo ou o boi — se estiverem incluídos no seu Pacote de Fundador — e partir para a aventura em mundo aberto.

Olhe por onde anda

Como novo jogador, é importante compreender que novos desafios se apresentam ao longo do caminho. Há uma curva de aprendizado para sobreviver em Albion Online, pois trata-se de uma das características essenciais do jogo. Daremos algumas dicas para garantir que você tenha uma vivência memorável e agradável.

Para começar, é importantíssimo entender o sistema de zonas de Albion Online. Há quatro tipos de zona, cada um com novos desafios e oportunidades desafiadoras. Para reconhecer cada tipo de zona, aperte a tecla de atalho “M” e abra o mapa múndi. Elas se coordenam por cor com base no tipo de zona e, portanto, dos riscos envolvidos.

Variação de zonas: risco x recompensa

Zonas verdes

A primeira das quatro é a zona verde. É o tipo de zona em que você se encontra — a única zona totalmente segura em Albion. Nessas zonas encontram-se recursos de grau 1 a 4.

Você estará seguro portando seu equipamento e suas montarias de fundador por essas zonas, pois há muito poucos perigos além dos primeiros mobs que matará em mundo aberto. Se você morrer numa zona verde, não se desespere, pois você só cairá momentaneamente e sofrerá uma perda de durabilidade em vez de realmente morrer e perder todo o equipamento.

As zonas verdes são lugares perfeitos para começar as primeiras aventuras PvE (jogador contra o ambiente) em Albion, portanto use o seu tempo para aprender os detalhes de combate e coleta de recursos nessas zonas. Se você vier a morrer nas zonas verdes, não se preocupe! Os espectadores rirão com você no processo.

Zonas amarelas

A seguir, temos as zonas amarelas. Lá encontram-se recursos de grau 3 a 5, além de uma pequena quantidade de grau 6. Será a primeira zona em que poderá realmente encontrar PvP (jogador contra jogador) em Albion Online. No entanto, assim como nas zonas verdes, se você morrer numa zona amarela, cairá momentaneamente e sofrerá uma perda de durabilidade em vez de soltar todos os itens. Portanto, você se sentirá relativamente seguro se portar o equipamento de Fundador por zonas amarelas.

A única diferença é que, nelas, você deverá ficar de ouvido em pé e preparar-se para ocasionais jogadores furtivos que tentem matá-lo. Isso é possível se você sinalizar PvP. Para sinalizar-se como hostil, clique no ícone de “escudo” próximo à barra de pontos de vida. Só se sinalize se realmente estiver procurando PvP. Se você ficar sem sinalização, terá um bônus de amigável que ajudará a defender-se dos que possam atacá-lo.

Seja você um pacifista ou um matador, é importante manter-se alerta e preparado para os poucos perigos que uma zona amarela oferece.

Zonas vermelhas

Em terceiro, as zonas vermelhas. Nessas zonas, espera-se encontrar recursos de grau 4 a 6. É aí que a adrenalina começa a correr, quando se percebe que a relação entre risco e recompensa começa a fazer a diferença no jogo.

Se você morrer numa zona vermelha, não há como voltar: todos os itens do personagem cairão como espólios ao vencedor. Se você planeja entrar nas zonas vermelhas, aconselho depositar num banco os itens de Fundador, inclusive o cavalo e o boi, pois com certeza você não quer ver esses itens saqueados tão cedo no jogo! Nessas áreas não há bônus de jogador amigável: todos estão dispostos a jogar em PvP.

Se você entrar mesmo em zonas vermelhas, esteja totalmente ciente dos riscos e recompensas que o aguardam. Se você matar um jogador, todo o saque é seu — e vice-versa, caso algum jogador o mate.

É importante ter em mente que Albion Online apoia todos os que quiserem jogar individualmente. Quando houver mais de 10 inimigos próximos numa zona vermelha, eles aparecerão no minimapa como bolinhas vermelhas. É um alerta de perigo certo, um sinal que pode ser a oportunidade para você escapar de uma luta indesejada a menos, é claro… que você queira ser o herói!

Zonas pretas

Por fim, temos as zonas pretas. Lá os jogadores encontrarão recursos de grau 5 a 8. É o ômega de todos os tipos de zonas e, de longe, a mais perigosa (e recompensadora) de todas. Como nas zonas vermelhas, se você morrer numa zona preta, soltará todos os itens do inventário, inclusive os equipados. Não há bônus de jogador amigável e nenhum indicador de perigo no minimapa, nem nada que o ajudará além de coragem e mérito. Quando você chegar ao ponto de entrar em zonas pretas, estará pronto para o mais alto nível de competição em mundo aberto que Albion tem a oferecer. 

Tenha em mente que diferentes graus de mobs estarão presentes pelo mundo de Albion! Da mesma forma que ocorre com os graus de itens, os mobs em Albion funcionam de forma semelhante. Eles se apresentam em oito graus progressivos de dificuldade e raridade. Os mobs mais fáceis estarão nas zonas verdes e os mais desafiadores nas zonas pretas. 

Ao compreender os diversos tipos de zona e a proporção entre risco e recompensas em cada uma, você terá um entendimento sólido de quando e como se aproximar de cada zona, sabendo dos riscos que você está disposto a enfrentar. Mesmo depois de ter chegado tão longe, ainda precisamos falar de um assunto importantíssimo. É o assunto que testará toda a sua dedicação, integridade e experiência geral no Albion Online: entrar numa guilda.

Guildas e disputa por território

Embora seja possível jogar individualmente em Albion Online, recomendamos entrar numa guilda que se alinhe com seus objetivos e aspirações no jogo. Fazer parte de uma guilda aumenta em muito o prazer de jogar Albion Online. A maior parte da ação em Albion ocorre entre guildas rivais que buscam dizimar as adversárias. Você pode se perguntar: como as guildas podem se enfrentar fora do mundo aberto PvP? A resposta nos leva ao próximo tema: batalhas Guilda contra Guilda.

Guilda x Guilda

Guilda x Guilda (GvG) em Albion Online é onde os mais corajosos se enfrentam em disputas de 5 x 5 por controle de território. É um sistema complexo. Em poucas palavras, as guildas podem reclamar o domínio de territórios e acumulam grandes quantidades de terra no mundo de Albion. Nos territórios adquiridos, as guildas podem edificar uma grande variedade de construções para refinar materiais, produzir equipamentos, cultivar a terra e ter acesso a mais armazenamento. Uma guilda rival pode desafiar a guilda ocupante, roubar-lhe a terra e reivindicá-la como sua, inclusive a infraestrutura nela construída.

Se você jogou algum MOBA recentemente, estará familiarizado com a natureza da competição GvG em Albion e não terá problemas em participar e sair-se bem na disputa! É um destaque no PvP em Albion com muita adrenalina envolvida. É um excelente motivo para fornecer conteúdo de transmissão para seus espectadores.

Quanto aos nossos jogadores solo e em pequena escala, não se preocupem! Vocês ainda poderão ter um pedaço de terra em Albion Online sem o medo de perdê-lo para uma guilda mais forte. Trata-se do nosso sistema de Ilha do Jogador.

Ilhas de jogador: terra para todos

Em Albion Online, as Ilhas do Jogador foram projetadas como uma transição para a propriedade de terras, mas os menos capazes de manter territórios conquistados! Por um preço módico, todos podem comprar uma ilha de jogador em qualquer uma das cidades principais de Albion. É possível aprimorar a ilha do jogador em 6 graus, cada um com mais espaço de terra que o grau anterior. Claro, quanto mais espaço de terra, mais lotes para construir.

O principal é que a Ilha do Jogador é totalmente particular e acessível somente para o proprietário e para os visitantes autorizados. A ilha não pode ser conquistada. Ela pertence e sempre pertencerá ao jogador.

Para o alto e avante!

Se você chegou até aqui no nosso guia, está pronto para transitar pelo mundo de Albion Online num ambiente descontraído. Há muito conhecimento para adquirir durante o jogo, mas não se desanime! À medida que você faz a sua história no mundo aberto, tudo passará a fazer sentido. Siga o painel do destino, determine o seu estilo de jogo, fique atento à sua localização e — o mais importante — entre numa guilda! Lembre-se: Albion é um jogo projetado para ser simples, mas com todos os detalhes necessários para oferecer uma vivência inesquecível!

Economia conduzida por jogadores

O jogador constrói o próprio destino!

Seja um conjunto de armadura poderoso, um bastão mágico ou um conjunto de ferramentas robusto – todos os itens são forjados pelos jogadores, assim como a economia é conduzida pelos mesmos!

Além disso, o jogo possui ainda um sistema de ilha pessoal, que fica fora do mundo, ou seja, na costa de Albion onde você pode construir e manter uma fazenda, inclusive com cultivo e animais e um conjunto totalmente novo de construções.

Assim você pode gerar comida e abastecer os esforços de guerra da sua guilda ou vende-los no mercado para obter lucro!

Personalização do personagem

Para criar o personagem perfeito, você precisa conhecer os diversos caminhos pelos quais seu destino pode levá-lo. É aí que entra em cena o Painel do Destino! Ele mostra tudo o que você é e o que poderia ser — e não é pouca coisa!

Durante o seu progresso você pode mudar de ideia e reaver suas escolhas! O que torna todo o processo por si só muito divertido e abre margem para bastante experimentação!

Esqueça o que conhece de outros MMOs. Não há classes em Albion Online, ou seja, não há restrições de equipamentos. Experimente projetar e criar seu próprio estilo — no Albion Online, você é o que usa! (Frase está que foi usada como marketing do jogo!)

Uma base de jogadores robusta

Com aproximadamente 30.000 usuários ativos por mês jogando em um único servidor gigante, o mundo de Albion está em constante estado de movimento. Com uma ampla gama de atividades em grupo disponíveis, seu próximo mergulho em masmorras, ataque avançado ou batalha de mundo aberto está sempre à mão.

Conteúdo sazonal

No ano passado, foi introduzido as temporadas GvG e o Desafio do Aventureiro mensal. Estes oferecem recompensas exclusivas, desde montagens poderosas a roupas e móveis exclusivos, até Fama e Prata.

Referências:

Albion Online, Gamers News, wikipedia,

Xenoblade Chronicles X

Xenoblade Chronicles X, chamado no Japão de Xenoblade X (ゼノブレイドクロス Zenobureido Kurosu?), é um jogo eletrônico de RPG de ação desenvolvido pela Monolith Soft e publicado pela Nintendo. Foi lançado exclusivamente para o Wii U em abril de 2015 no Japão e em dezembro no resto do mundo. Ele faz parte da metassérie Xeno e é um sucessor espiritual de Xenoblade Chronicles de 2010, porém não possui nenhuma conexão narrativa com títulos anteriores. A jogabilidade tem navegação em um mundo aberto, missões paralelas relacionadas com personagens coadjuvantes e um sistema de batalha em tempo real.

A história se passa no desconhecido planeta Mira. A espécie humana escapou da destruição da Terra depois de uma guerra entre duas espécies alienígenas, porém poucas naves sobreviveram. Em uma dessas naves estava a colônia de Nova Los Angeles, que consegue escapar por pouco e cai no planeta Mira. O personagem principal é um avatar customizável que é resgatado da hibernação por uma mulher chamada Elma e recrutado como parte da BLADE, força que protege Nova Los Angeles e está em busca da Vida, uma parte da nave vital para sua sobrevivência, ao mesmo tempo que enfrenta os ataques dos alienígenas ganglions.

O desenvolvimento de Xenoblade Chronicles X começou logo depois da finalização de Xenoblade Chronicles. Vários membros da equipe original retornaram, como o diretor Koh Kojima, o diretor executivo e co-roteirista Tetsuya Takahashi, o co-roteirista Yuichiro Takeda, o produtor Shingo Kawabata e os artistas Kunihiko Tanaka e Kouichi Mugitani. A equipe enfrentou o desafio de criar um mundo vasto para ser explorado sob um orçamento limitado. A implementação de um modo multijogador online foi um problema pela inexperiência da equipe, forçando uma reescrita da história e mudança de protagonista. A música foi composta por Hiroyuki Sawano.

O jogo foi anunciado pela primeira vez em 2013 para ser lançado no ano seguinte, porém posteriormente foi adiado até 2015. A localização foi feita pela Nintendo Treehouse e 8-4, com mudanças de conteúdo sendo implementadas para seu lançamento ocidental. Xenoblade Chronicles X foi um sucesso comercial e foi muito bem recebido pela crítica, que elogiou a exploração, combate, gráficos e funções multijogador, porém criticaram sua narrativa e estrutura de missões. A motor de jogo e fundação estabelecidas no título foram depois empregados no próximo jogo da série Xeno, Xenoblade Chronicles 2 de 2017.

Jogabilidade

Xenoblade Chronicles X é um RPG eletrônico de ação em que o jogador controla um avatar customizável; é possível ajustar o gênero, características faciais, tamanho e características do corpo e voz do personagem. O avatar trabalha a partir da base central de Nova Los Angeles (NLA) e pode explorar os cinco continentes que formam o mundo aberto do planeta Mira, isto acompanhado por um grupo de companheiros. Missões são divididas em missões de história que avançam a narrativa principal, missões de afinidade que fortalecem os laços entre o avatar e seus companheiros, missões de pequena escala que tem como recompensa dinheiro e elementos adicionais e missões paralelas dadas pelos cidadãos de NLA. As missões acessíveis são limitadas a partir do quanto de Mira foi explorado, algo que está ligado a porcentagem de conclusão da narrativa principal. Finalizar missões e enfrentar inimigos concede ao jogador vários tipos de pontos de experiência; pontos normais aumentam a vida e estatísticas gerais do personagem, enquanto Pontos de Classe aumentam a determinada classe do avatar.

O avatar pode assumir diferentes papéis dentro da BLADE, cada uma das quais concede benefícios diferentes e específicos: desbravadores liberam o acesso a novos locais, interceptores defendem equipes de pesquisa de formas de vida hostis, devastadores por sua vez procuraramativamente por formas de vida hostis, recuperadores vão atrás de destroços da nave Baleia Branca, curadores exploraram novos locais e coletam dados para a BLADE, prospectores coletam recursos raros, abastecedores desenvolvem equipamentos e mediadores solucionam conflitos entre os habitantes de NLA. O avatar inicialmente explora Mira a pé, porém mais adiante no jogo adquire acesso a mechas transformáveis depois de realizar um conjunto específico de missões. Esses mechas, chamados de Skells, possuem um modo de caminhada bípede e também um modo de veículo. Cada Skell tem uma quantidade de combustível limitada, não podendo ser usado caso fique sem combustível, a menos que seja reabastecido. Os mechas ficam mantidos em um hangar especial na NLA, onde podem ser customizados e equipados com novas armas ou emprestados a outros membros do grupo. Existem três tipos de Skell, com qualidade de armadura e capacidade de combustível cada vez maiores, permitindo maior autonomia e eficiência em batalha. Os mechas também possuem um “seguro”, que pode ser usado para concertar e manter as máquinas em funcionamento. Vários modelos de Skells podem ser comprados e melhorados no decorrer do jogo.

Além dos inimigos normais oriundos da força antagonista, também é possível enfrentar as formas de vida nativas de Mira. Algumas criaturas são dóceis até serem atacadas, enquanto outros atacam ao visualizar o jogador. Cada personagem ataca automaticamente com seu conjunto designado de armas em um ritmo constante; cada membro da equipe possui pontos de vida e pontos de tensão, com um medidor de moral determinando sua eficiência em combate. A força do ataque varia dependendo da posição de cada personagem. Curar membros da equipe em batalha pode ser feito por meio de Artes, porém é feito principalmente com quick time events conectados ao sistema de Voz da Alma, um conjunto de comandos que aciona um Desafio da Alma, que cura toda a equipe ou concede outros efeitos positivos. A moral da equipe aumenta caso um Desafio da Alma seja completado bem sucedidamente. Membros derrotados serão reavivados e a equipe recuperará pontos de vida caso uma batalha seja vencida. O avatar, caso seja derrotado, pode ser teletransportado para um local seguro ou reavivado por outros membros da equipe, contanto que derrotem todos os inimigos restantes em trinta segundos.

O grupo é formado pelo avatar e até outros três membros controlados pela inteligência artificial. Cada personagem possui uma arma branca, uma arma de distância e um conjunto de habilidades chamadas de Artes. Novas Artes são desbloqueadas após aumentar o nível de um personagem a partir do ganho de pontos de experiência, com Artes baseadas em classes sendo desbloqueadas ao aumentar o patamar da classe. Porções de pontos de experiência também podem ser usadas a fim de fortalecer Artes. As Artes possuem habilidades diferentes, indo desde ataques normais ou poderosos, apoio ao grupo e até infligir ou remover condições negativas. Cada Arte possui um período de recarregamento depois de ser usada que varia depende daquela que foi usada. Um tempo secundário de recarregamento é ativado quando a habilidade fica disponível novamente, acionando efeitos adicionais se o medidor chegar ao fim. Pontos de tensão aumentam a cada ataque normal e são usados para acionar artes especiais, que incluem ataques poderosos e reavivar companheiros caídos. Um personagem entra em “Overdrive” se seus pontos de tensão ficam altos o suficiente, algo que aumenta a força dos ataques e diminui o tempo de recuperação. Mecânicas de batalha com os Skells são idênticas a aquelas a pé, com habilidades adicionais incluindo aumentar a defesa de membros da equipe que não estão usando Skells. Um mecha derrotado é evacuado para NLA a fim de ser consertado, com a situação da equipe e do Skell sendo determinados por um último quick time event acionado no final de uma batalha mal-sucedida; uma performance perfeita nesse evento concede vantagens adicionais para o grupo.

Xenoblade Chronicles X, além da campanha para um jogador, possui também um elemento multijogador. Os jogadores podem emprestar seu avatar para os grupos de outros jogadores online, formando assim unidades chamadas de esquadrões. Estas podem ter até 32 jogadores e permitem o compartilhamento de relatórios e a participação ativa em batalhas nos mundos de outros jogadores. Esquadrões podem participar de “tarefas”, missões randômicas de tempo limitado em que jogadores coletam determinada quantidade de recursos dos ambientes de Mira. As recompensas são itens e equipamentos. Algumas missões multijogador colocam equipes contra o Nêmesis Global, um monstro especialmente poderoso. Opções de viagem rápida são desbloqueadas quando novas áreas são descobertas, acessadas por meio de assentos vermelhos especiais no ambiente e postos da BLADE. Funções relacionados ao mapeamento de Mira, pontos de viagem rápida, ajuste do equipamento do personagem e mensagens dos elementos um jogador e multijogador são lidadas por meio do Wii U GamePad. O jogo também é compatível com a função Off-TV Play do console.

Noções básicas sobre combate

As lutas no Xenoblade Chronicles X ocorrem em tempo real, e você vai batalhar inimigos em um campo de batalha interativo enquanto confiando seus ataques principais e secundários. Seu ataque principal é bastante de fácil acesso, e seus ataques secundários estão localizados na parte inferior da tela. A maioria dos inimigos que você vai encontrar no início do jogo são pequenos, mas em breve ficarão mais difíceis.

Em primeiro lugar, não se envolva com difíceis inimigos em combate, pelo menos inicialmente. Se você ver um personagem de nível 55, não queira começar uma briga com ele, a menos que você esteja absolutamente pronto. Caso contrário, sua party de batalha será abatida. Deixe esses caras em paz até você subir de nível adequadamente – e não se preocupe com a chegar lá, o mundo da Mira é grande o suficiente e você terá muitas oportunidades.

O próximo é a capacidade de escolher a sua classe. Lá não é uma escolha errada em si, mas sim um que define seu estilo de jogo. Com cada classe que você selecionar, há uma árvore de habilidade que cresce com cada nível que você aumenta. Por exemplo, nível 10, você pode abrir o número de opções disponíveis.

Classes

Abaixo estão algumas das classes que você terá disponível no jogo e o estilo de jogo que são mais adequados.

Atacante: Essa classe é ideal para o corpo a corpo. Se você prefere atacar inimigos por perto, você vai querer essa classe, como você vai aumentar seu poder de ataque e a contagem de bônus de HP com cada encontro que você entrar. As armas padrão para essa classe envolvem uma espada e um rifle de assalto, mas obviamente você pode abrir sua gama com novas artes e habilidades que aprendeu com cada nível adicional, incluindo o mergulho de poder, lâmina Tornado explosão furiosa, entre outros. Existem várias rotas que você pode tomar para você classificar-se, incluindo escudo Trooper e Samurai Gunner, então não se esqueça de olhar em cada um e ver o que eles têm para oferecer.

Commando: Este aqui é mais para a precisão, como Commando vai te ensinar o básico quando se trata de encontrar boas manobras durante uma luta. Você terá duplas espadas e armas para esta classe, com melhorias que podem ser feitas em termos de precisão e evasão. Também tem seu próprio sistema de classe, com diferentes níveis disponíveis para escolher como você classificar-se, incluindo Viper alado e Full Metal Jaguar, entre outros.

Enforcer: Esta classe em particular é mais sobre o suporte do que investida, como você vai ser capaz de fazer escolhas mais decisivas com seu grupo de batalha. Como tal, suas armas são provavelmente os mais fracos do grupo com essa classe, com apenas um Raygun e faca para escolher. Dito isto, se você se tornar um mestre, você tem escolhas disponíveis mais tarde sobre, como ser capaz de desativar os inimigos com o Psycorruptor e carregando armas de grande energia com explosão  com Esgrimista.

A escolha é sua, e lá não é um mau disponível, mas não se esqueça de experimentar. Você pode aprender um novo estilo de jogo favorito, se você tomar um caminho diferente do que o que você está acostumado.

Utilizando vozes da alma

Como uma lâmina operativa, você terá opções quando se trata de batalha – mas o aaque você não quer ignorar é a voz da alma. Esta é uma opção de diálogo que pode fornecer uma ajuda secundária sempre que entrar em combate, oferecendo uma quantidade extra de dano,

Nós iremos quebrar as vozes de alma ainda mais em um próximo artigo, mas estas podem fornecer um número de vantagens em batalha, dependendo de qual opção de diálogo você faz. Alguns oferecem dano adicional, enquanto outros reduzem seu período de cooldown.

Você vai eventualmente ser introduzido as vozes conforme o jogo prossegue, então não se preocupe sobre tornar-se oprimido por eles. Às vezes a melhor escolha de conversa será melhor na batalha.

Construindo o esquadrão certo

Falando de membros da party, você vai correr em diferentes personagens ao longo de Xenoblade Chronicles que ajudarão a adequar seu estilo de jogo. Cada um desses personagens fornecem duas artes de assinatura, você será capaz de adicionar ao seu estilo de batalha e quanto mais você trabalhar com com eles, a melhor afinidade que você vai construir com eles, criando mais de uma ligação como resultado.

Existem 18 membros diferentes para escolher, cada um trazendo algo novo para a mesa. Por exemplo, Alexa é uma classe partidária Eagle Plus com poderosas habilidades de Overclock e tensão máxima, bem como aleatórias artes e habilidades que podem ser aplicadas em batalha.

Novamente, experimentação pode ir um longo caminho com esses personagens, como você pode ver quem será útil ao longo do jogo e criar afinidade para ajudar a tornar a sua party de batalha ainda mais completa.

Salvar algumas missões secundárias para mais tarde 

O mundo de Mira contém cinco continentes diferentes que oferecem sua parcela de desafios e side quests. Dito isto, você deve tomar o tempo para olhar ao redor e ver o que é oferecido antes de saltar em missões.

Na verdade, você pode salvar algumas das missões e inimigos para mais tarde, quando você é mais adequadamente equipado para o trabalho ou fazer uma party que pode lidar com inimigos maiores. Indo contra as criaturas de nível mais alto, por exemplo, é como assinar uma sentença de morte, se você não está preparado.

Por todos os meios resolver as quests principais, desde que eles ajudarão você subir de nível com eficiência e introduzir os personagens que você pode adicionar a sua festa. Novamente, estas farão toda a diferença conforme você melhora e eventualmente lida com alguns dos mais perigosos inimigos no jogo.

Nunca é demais para obter mais informações 

Com o vasto mundo apresentado em Xenoblade Chronicles X, nunca é demais para buscar mais informações, como você pode usá-los sua vantagem quando se trata de localizar quests secundárias, bem como locais escondidos onde você pode encontrar itens para seu personagem.

Para fazer isso, visite a todos os distritos na área e converse com quem você se deparar. Há um número de pessoas com informações essenciais para ajudá-lo a seguir em frente, mesmo se é algo tão pequeno como como derrotar um monstro.

Também nunca é demais para tomar notas devido o grande volume de informação no jogo. Isso é uma coisa boa, embora, como você vai ser capaz de localizar algumas das melhor side quests e prepare-se para um desafio monstro bom quando a situação pedir isso.

Coletar, coletar, coletar

Finalmente, você será capaz de encontrar colecionáveis em todo o mundo, que você pode colocar em seu Collectopedia. De lá, você pode visitar lugares nas cinco províncias e ver quais são mais raras.Também, certifique-se do estoque de pedras azuis, porque isto vão vir a calhar como você vem através de missões de afinidade no jogo. Por ter uma ampla coleção de estas, você será capaz de terminar a maioria destas missões sem nenhum problema e ter outros a participar do seu grupo imediatamente, em vez de moagem para ganhar a confiança deles.

Existem muitos colecionáveis, e você será capaz de adquirir, incluindo Vegs, frutos, flores, animais, insetos, natureza, peças e outros itens estranhos. Há uma tonelada ao longo de Mira e Nova Los Angeles, então não se sinta mal se você perder alguma coisa – você sempre pode voltar e continuar procurando sem penalidade.

Através da recolha de todos os itens em uma determinada linha ou categoria, você ganhará recompensas, incluindo uma arma especial e/ou o tipo de armadura que você pode equipar seu personagem. Certamente vale a pena olhar em volta e ver o que você pode encontrar, só para completar a sua coleção e aumentar o seu arsenal.

Mate monstros com nível equivalente ao seu nível

Assim como em Xenoblade Chronicles, lançado originalmente para Wii em 2012, é preciso caçar muitos monstros para adquirir equipamentos, armas melhores e, consequentemente, subir de nível.

No entanto, o hostil ecossistema do RPG é perigoso o bastante para abrigar criaturas colossais de level superior. Em vista disso, não tenha medo de fugir dos confrontos contra monstros poderosos, que podem acabar com o protagonista com um único golpe.

Antes de iniciar a batalha, atente-se ao nível do oponente sinalizado logo acima de sua posição exata no cenário. Caso o seu alvo de missão esteja próximo a outra criatura mais forte, procure atrair o objeto de interesse com disparos de longa distância.

Descubra novas localidades

Assim como em qualquer outro RPG, é de extrema importância explorar os cenários de Chronicles X de forma minuciosa para descobrir localidades inéditas. O desbloqueio de bases aliadas garante mais recursos para sustentar a cidade de New Los Angeles e, é claro, facilita a locomoção pelo mapa graças ao recurso de viagem rápida – é bom lembrar que você só pode ser transportado após ter visitado e descoberto a área desejada.

Além disso, todos os locais do jogo escondem segredos enigmáticos, como novos NPCs, missões, inimigos e matérias-primas. Durante o período de exploração no planeta Mira, ainda é possível descobrir baús escondidos repleto de ferramentas, itens e acessórios indispensáveis.

Combine arts e classes diferentes

As Arts, bastante conhecidas dos fãs da série, são habilidades especiais que podem ser usadas durante os embates. Enquanto os personagens executam investidas automáticas, é necessário gerenciar as Arts para que certas combinações poderosas de ataque sejam concebidas.

A partir do nível 10, você será capaz de alterar as especialidades dos personagens, deixando de ser apenas um Drifter, ou seja, um jovem aprendiz de Mira. É possível criar heróis com atributos equilibrados, que sabem lidar razoavelmente bem com qualquer tipo de armamento, e grupos capacitados para armas únicas.

Pretende priorizar o corpo a corpo ao invés de ataques a distância, por exemplo? Saiba que você pode fazer isso a qualquer momento a partir da aba de skills no menu.

Cuidado onde pisa 

Não são apenas as criaturas do planeta alienígena de Mira que podem dificultar a vida de sua equipe de sobreviventes. Por contar com um ecossistema ameaçador, constituído por uma incrível diversidade de fauna e flora, os ambientes de Xenoblade Chronicles X também são capazes de acabar com a sua longa jornada.

Seja um pântano envolto em veneno ou superfícies rochosas banhadas em lava vulcânica, saiba que você pode morrer facilmente para os elementos do cenário. Procure ficar sempre de olho onde pisa para não perder a viagem por fatores evitáveis.

Encontre a equipe ideal

Para que novos aliados sejam recrutados para o seu grupo de combatentes de Mira, é preciso concluir determinadas missões de afinidade. Não hesite em fazê-las, pois são elas que vão apresentar personagens importantes para completar o time.

Uma boa dica é nunca reunir heróis com a mesma especialidade. Tente montar a equipe com peças-chave diversificadas, que variam entre guerreiros especializados em armas diferentes e soldados com pleno domínio de habilidades de cura.

Tenha paciência para dominar o sistema de combate

O tático sistema de batalha é complexo, profundo e requer bastante estratégia. Lembre-se de sempre apertar o botão “R” durante os encontros para focar no inimigo pretendido. Se você ainda não foi avistado pelo alvo, mantenha o “R” pressionado e segure “X” para surpreendê-lo com um poderoso ataque surpresa.

Embora o combate seja tático e cadenciado, movimentar-se é uma necessidade, uma vez que investidas executadas pela lateral do inimigo, por exemplo, causam mais dano. Fique bem atento, pois certas habilidades só funcionam quando reproduzidas de ângulos específicos.

Outro fator que deve ser levado em consideração durante os confrontos é o tempo de resfriamento da skill. Cada Art leva um tempo para recarregar depois de ser usada, então é necessário estudar a movimentação do inimigo para saber o momento exato de utilizá-la.

Consulte o manual

Pode até parecer algo estranho nos dias de hoje, mas Xenoblade Chronicles X exige que os usuários menos familiarizados com a série consultem o manual digital com frequência, já que o jogo não faz questão nenhuma de esclarecer como as mecânicas funcionam.

Do mesmo modo que era comum ter os manuais em mãos para conseguir decifrar os segredos dos clássicos RPGs da década de 1990, em Xenoblade Chronicles X, você também terá que abrir o guia (no caso, digital) para entender todas as funcionalidades. Infelizmente, o conteúdo explicativo está limitado ao inglês, o que pode acabar dificultando o aprendizado de quem não domina o idioma.

Referências:

Game Detonado, Wikipedia, techtudo.

Mad Max

Mad Max é um videojogo de acção-aventura focado em combates com veículos num ambiente em mundo aberto pós-apocalíptico, baseado na série de filmes Mad Max. Oficialmente revelado em Junho de 2013 durante a conferencia de imprensa da Sony na E3, Mad Max foi produzido pelo estúdio sueco Avalanche Studios e publicado pela Warner Bros. Interactive Entertainment em Setembro de 2015 para PlayStation 4, Xbox One, e PC (Linux e Microsoft Windows).

Controles básicos: cuidado

Os controles básicos em Mad Max são um pouco atrapalhados, pois fogem do padrão de muitos games de ação em terceira pessoa. Para fazer Max correr, o jogador deve segurar um dos gatilhos traseiros do controle (o R2 no PS4, por exemplo), enquanto o salto é ativado com o outro botão do estilo. Apesar de pouco prática, essa é uma questão de costume.

O controle para atirar também pode confundir bastante. Para mirar, usa-se uma das teclas superiores da frente (como L1/LB) e atira-se com o gatilho de trás (R2/RT). O jogo ensina os movimentos básicos, mas só a prática vai fazer de você um craque.

Sistema de luta

O sistema de luta de Mad Max se assemelha a outros títulos da Warner, como Sombras de Mordor e Batman Arkham Knight. O combate é feito com apenas dois botões básicos: golpe e contra-ataque, com algumas variações em outras teclas, como a esquiva localizada no R1/RB.

Para brigar da forma certa, pressione o botão de soco continuamente por alguns segundos a mais do que o normal. Assim, você irá aplicar o golpe com mais eficácia nos inimigos. Preste atenção ao marcador em cima da cabeça dos adversários e pressione triângulo/Y para bloquear o ataque e contra-atacar corretamente.

Beba água e coma

Mad Max é um título mais difícil de sobreviver do que outros jogos de aventura e mundo aberto. Quando o protagonista sofre danos, o herói não recupera a vida automaticamente ao descansar, a não ser que volte para a base. Para se curar, é preciso achar comida ou água.

Água e comida são facilmente encontrados em acampamentos inimigos, mas o personagem vai sempre precisar beber e comer para se manter saudável. Com isso, o que era simples pode se tornar uma missão árdua. Para recuperar vida, basta parar por um tempo e se alimentar.

Dirigindo

Ao contrário dos controles para mover Max, os comandos para dirigir o carro, felizmente, são intuitivos, práticos e funcionam muito bem.

Não se preocupe em sair da pista, pois não há uma divisão clara. Na verdade, o que acontece é que o veículo fica mais lento fora da trilha indicada, porém não é nada que realmente atrapalhe tanto no desempenho do carro.

Fuce todos os restos

No universo de Mad Max, tudo é aproveitável. Qualquer objeto pode se tornar uma adição ao possante ou uma nova arma. O jogo oferece restos de itens destruídos, chamados de sucatas, mas que servem como a moeda do título. Por isso, não tenha dúvidas: colete tudo o que estiver destacado em amarelo na tela.

As sucatas permitem melhorar o veículo, armas e até as habilidades de Max. Com isso, é importante lembrar que praticamente tudo deixa entulho, desde inimigos derrotados a torres derrubadas ou outros carros destruídos. Tente não deixar nada para trás.

Melhorando o carro

O Magnus Opus, novo carro de Max no jogo, é o coração da jogabilidade e também um forte elemento na mitologia da saga. Mais do que cuidar de Max ou renovar as armas, é preciso adicionar melhorias ao carro constantemente.

O veículo representa a vida em Mad Max, de certa forma. Andar pelo deserto sem o possante seria suicídio, então é melhor não fugir dos investimentos no Magnus. O mais divertido é que o carro é bastante personalizável, e, por isso, o usuário dificilmente vai se cansar de modificar detalhes.

Combate em quatro rodas

O que seria de Mad Max se não fosse pelos combates em quatro rodas? Quem já assistiu ao filme mais recente sabe bem que os carros são parte importante do enredo. As batalhas entre veículos estão presentes desde o primeiro longa-metragem da franquia, mas ganham força em “Mad Max: Estrada da Fúria”.

No game, será necessário lutar com diversos tipos de inimigos e veículos. Então, use sem medo o turbo do carro, assim como manobras e armas para destroçar inimigos. Se o protagonista for muito prejudicado, tente parar por alguns segundos até que o carro seja recuperado.

Gasolina

A gasolina é outro item valioso em Mad Max. Assim como o herói precisa de água, o veículo necessita de combustível com frequência.

Mas não se preocupe: a gasolina acaba lentamente, porém, para carregar mais, é preciso encontrar galões em acampamentos e bases de adversários.

Economize munição

Acabar com war boys usando sua arma pode ser muito legal, nós concordamos, mas especialmente no começo do jogo munição não é algo que se encontra em todos os cantos. É melhor guardar para situações em que você realmente esteja em apuros.

Não se esqueça da sua lanterna

Não é preciso dizer que lanternas funcionam melhor em ambientes escuros, mas é fácil se esquecer de sua existência nas primeiras horas de jogo. A lanterna é ativada automaticamente durante a noite, mas ao entrar em locais escuros durante o dia ela não faz o mesmo. Ver bem por onde anda é essencial para evitar armadilhas e ataques surpresa.

Domine os campos

É uma boa ideia sempre visitar todos os campos de exploração de petróleo e outros materiais ao chegar em uma nova área. Além de ser uma experiência divertida, após conquistados, os campos lhe dão uma grande soma de sucata periodicamente, o que sem dúvida vai ajudá-lo.

Use entradas alternativas

Falando em campos, a maioria deles possui mais de uma entrada, e nem sempre a porta da frente é a melhor opção. Conversar com NPCs pelo deserto pode lhe informar das entradas secretas, ou você pode descobri-las por si mesmo — elas geralmente ficam marcadas com tinta amarela ou um punhado de madeira.

Colete todo o loot

É bem simples coletar toda a sucata na maioria dos lugares em que você visita, apenas fique atento a escadas amarelas, espaços abaixo de rampas e caminhos alternativos. Se você está procurando por um último ponto de sucata em determinada zona, na maioria das vezes você está pensando demais e está bem debaixo do nariz. Investigue cada canto e refaça seus passos.

Construa grupos de limpeza

Sucata é o principal recurso em “Mad Max”. Você usa as peças para aprimorar o carro e o próprio Max. Você encontra sucata em vários pontos do mapa, explorando ruínas, abatendo inimigos ou coletando caixas em tempestades de areia. Sempre que você destrói um carro inimigo, sucata voa pela estrada e você perde um tempão parando o carro, descendo e recolhendo o lixo. Para facilitar a vida, assim que entrar no forte de um novo aliado, procure pelo grupo de limpeza e reúna as partes de projeto necessárias para montá-lo. Esse grupo recolhe automaticamente a sucata deixada pelos inimigos na estrada – mas só no território do aliado! Por isso, repita o processo sempre que entrar em um forte novo.

Construa grupos de sucata

Os grupos de sucata devem ser construídos nos fortes aliados. Localize o projeto e vá atrás das partes necessárias. Uma vez montado, o grupo de sucata coleta peças nos acampamentos que você tomar dos inimigos, mesmo nas horas em que você não está jogando. Isso aumenta bastante o seu ganho de sucata em cada partida. Atenção: Se você joga no PS4 ou no Xbox One, não deixe o jogo suspenso! Encerre o game antes de desligar o console, ou o tempo não vai passar e você vai deixar de ganhar muita sucata!

Evolua o arpão

O Magnum Opus possui algumas armas, mas a mais versátil delas é o arpão. Sempre que desbloquear uma nova evolução para ele, instale o mais rápido possível. Com um arpão de nível alto, você consegue derrubar todo tipo de espantalho, arrancar pedaços de armadura dos carros mais fortes e outras peripécias. É uma ferramenta com muitas utilidades!

Melhore a suspensão do Magnum Opus

Você pode mexer em muitas partes do Magnum Opus, o novo carro de Max, mas sempre que puder, evolua a suspensão. Isso vai deixar o veículo mais fácil de manobrar. Participar de provas de corrida é uma atividade opcional, exceto por dois eventos que fazem parte da história principal. Vencer essas provas envolve muito mais controle preciso do que alta velocidade, por isso, aprimore a suspensão sempre que puder!

Veja quais desafios completar

No menu Lenda, você vê uma série de desafios que pode completar enquanto joga, como atropelar 15 inimigos ou explodir 10 carros, por exemplo. Sempre que você completa um deles, ganha tokens para usar com Griffa, o místico que faz o papel de psicólogo para Max e evolui vantagens passivas do personagem. Você vai completar vários desafios por acaso, apenas jogando, mas se ficar de olho nas atividades que estão próximas da conclusão e trabalhar ativamente para isso, vai ganhar tokens de Griffa bem mais rápido!

Visite Griffa com regularidade

O jogo vira e mexe avisa quando Griffa está na área e você pode localizar o místico se guiando pelo símbolo dele no mapa e pelas pedras com pinturas aborígenes onde ele se esconde. Vá até ele para gastar os tokens e melhorar habilidades passivas. Lembre-se apenas que você deve gastar todos os pontos em cada visita. Certas escolhas são óbvias, como aumentar a vida máxima e melhorar a absorção de comida. Outras, como armas corpo-a-corpo mais resistentes ou ganho extra de sucata, variam em importância conforme o seu estilo de jogo.

Sempre que sobrar um token, use em Adaptação

A habilidade Adaptação faz com que Max economize combustível e durante boa parte do game, é meio inútil: o Magnum Opus é bem econômico. Porém, quando você libera a opção de instalar lança-chamas no carro, tudo muda. Essas belezinhas consomem doses cavalares de gasolina. Para diminuir o gasto, lembre-se de investir um ou dois tokens na habilidade Adaptação quando visitar Griffa.

Tenha sempre um galão de gasolina para os balões

Enquanto joga, fique sempre de olho nos balões, seja no símbolo do mapa ou quando avistar um no cenário. Se o balão estiver sem combustível, você vai precisar levar um galão até ele ou até o gerador. Suba com o balão até conseguir enxergar boa parte da área com os binóculos e assim marcar pontos de interesse e perigos. Os balões, assim como acampamentos e fortes, servem como pontos para viagem rápida depois de você tomar um novo caminho.

Use Chum para localizar campos minados

Você precisa do cachorro para encontrar as minas e desarmá-las, mas vamos admitir: procurar campos minados no buggy é muito ruim, afinal você não tem as armas do Magnum Opus. O melhor é ficar atento aos alertas do mecânico Chumbucket sobre os campos minados e esperar que ele marque o local no mapa. Só então pegue o buggy e volte até o ponto com o buggy.

Sempre elimine o motorista

Durante os combates na estrada com war boys, compensa muito mais eliminar o motorista e seguir seu caminho do que explodir seu carro. Pode até ser divertido, mas conforme avança, os veículos ficam mais resistentes e no fim das contas não dão muita sucata.

Projetos nas fortalezas

Reserve um tempo para completar os projetos nas fortalezas. Gasolina, água e principalmente munição garantidas são coisas que não podem ser ignoradas em Mad Max. As peças para construir as fortalezas podem ser marcadas no mapa, e não é difícil encontrá-las.

Resolva no braço!

Inicialmente, vale mais a pena focas nas habilidades de combate corpo-a-corpo de Max, ao invés de focar em armas. Situações de pancadaria são cada vez maiores, então é melhor garantir que as habilidades de pugilista estejam em dia.

Fazer curvas nunca foi tão fácil

Se precisar fazer uma curva bem fechada em alta velocidade, pode usar o botão de investida (Quadrado ou X + a direção que você deseja virar) para uma transição suave.

Conheçam o novo Boss, igual ao anterior

Existem vários Bosses espalhados pelo mundo de Mad Max, que são normalmente os últimos inimigos que vão enfrentar quando querem conquistar uma base adversária. Por regra, podem procurar conselhos de sobreviventes sobre a melhor forma para derrubar estes inimigos, mas depois de conquistarmos algumas bases, deixamos de o fazer.

Estes Bosses vão iniciar a batalha ativando lança-chamas, com o propósito de vos manter presos na área, mas esta sua ação é também o seu maior erro. Esperem junto do fogo por uma carga do Boss, desviem-se, e depois ataquem-no de forma a fique junto do fogo durante algum tempo. É uma ‘batota’ que acaba por acelerar o que é por norma um processo muito repetitivo. Assim que derrotarem o Boss, aproveitem os materiais extra que ganharam.

Dicas finais

Scrap é bastante importante ao longo do jogo e é a moeda que é usada para quase tudo. Destrua todos os acampamentos que encontrar ao longo do seu caminho, com o intuito de conquistar o máximo de moedas possível.

Conduzir contra coisas poderá danificar o seu veículo. Portanto, se precisar de repará-lo, simplesmente deixe o seu veículo ou aguente o d-pad, quando ele não estiver em movimento.

Qualquer alimento que encontre no seu trajeto em Wasteland poderá ajudá-lo imenso. Se verificar que não precisa de aumentar a sua saúde no momento em que encontrar comida, então guarda-a e consuma somente quando realmente precisar dela.

Reabasteça a sua água sempre que possível e procure fontes de água através do seu mapa, quando não tiver o seu pote cheio. Dessa forma, garante que a sua saúde se mantém estável ao longo do seu percurso.

As munições são mercadorias bastante raras. Colecione-as a partir dos seus inimigos e evite desperdiçar as munições para caprichos. Utilize-as somente para enfrentar alvos difíceis e sempre que necessitar de matar.

Utilize o arpão para retirar as pessoas dentro dos veículos dos inimigos. Poderá entregar os veículos dos seus inimigos numa fortaleza para acrescentá-los à sua coleção

Sempre que estiver a lutar de pé, vire a câmara na direção do inimigo para evitar ser atingido pelas costas. Pode ser fatal!

Utilize os locais para desbloquear pontos de interesse em determinadas regiões e obter acesso rápido em viagens.

Referências:

Mais Tecnologia, Gamelogia, Game Reactor, Blog Playstation, Uol, Br Ing, techtudo, wikipedia.

The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Prey

Prey é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa e sobrevivência desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado mundialmente em 5 de maio de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. A história se passa no futuro em uma história alternativa e acompanha Morgan Yu, um pesquisador na estação espacial Talos 1 que precisa combater os alienígenas hostis Typhoon depois deles escaparem de seu confinamento. O jogador tem a sua disposição várias armas, itens e habilidades que lhe permitem combater os alienígenas e explorar o mundo aberto da estação espacial.

O título não tem relação com o jogo Prey de 2006, desenvolvido pela Human Head Studios, sendo considerado uma reimaginação da propriedade intelectual com uma narrativa totalmente nova. Prey 2, uma sequência do jogo original, começou a ser desenvolvida pela Human Head, porém enfrentou diversas dificuldades depois dos direitos terem sido comprados pela Bethesda em 2011, acabando por ser cancelado em 2014. A Arkane assumiu o projeto, porém não usou nenhum trabalho feito anteriormente, apenas incorporando o nome e a temática geral do protagonista ser perseguido por alienígenas. Este Prey foi desenvolvido como um sucessor espiritual de System Shock, oferecendo ao jogador diversos meios de progredir pelo jogo.

Não se deixe enganar pelo fôlego

O fôlego é uma ferramenta que a jogabilidade insere para deixar a experiência mais difícil, limitada e realista. Não se deixe enganar pela barrinha que guia o fôlego do personagem: ele tem mais do que parece. Basta manter sob controle para não gastar tudo de uma vez e não ficar cansado frente a um inimigo.

O fôlego é gasto quando se usa armas de combate corporal ou quando se corre, então não é algo tão constante. Além disso, habilidades e melhorias fazem com que o fôlego seja um problema ainda menor. Basta saber administrar e você não terá problemas com isso ao longo do jogo.

Modifique a sensibilidade do controle

Seja no joystick ou no teclado e mouse, a sensibilidade padrão do controle de Prey é muito alta, tanto na vertical quanto na horizontal. Qualquer “toque” para o lado e o personagem se movimenta de forma bem rápida, mais do que o necessário.

Para deixar a experiência mais dinâmica, vá ao menu de opções do jogo e selecione as modificações de controle. Reduze em um ou dois níveis a sensibilidade e o resultado já vai ser bem mais aceitável do que o padrão.

Jogue com a tela mais clara

Outra dica que envolve as configurações no menu está no brilho padrão do jogo. Se for possível, aumente um pouco um brilho, sem que atrapalhe sua experiência ou prejudique a atmosfera de tensão que Prey carrega.

Isso por um motivo simples: alguns cenários são escuros demais e escondem inimigos, que também são escuros e saem dos cantos mais inesperados. É claro que usar a lanterna é uma altetnativa, mas ela tem bateria escassa e demora para recarregar. Vá ao menu de configurações e tente aumentar um pouco o brilho, mas só um pouco.

Salve o jogo sempre que possível

Essa dica parece óbvia, até por conta de o jogo ter um sistema de salvamento semiautomático, mas acredite, não é tão óbvia quanto parece. No meio da tensão e da ação, o jogador pode esquecer de salvar facilmente e morrer, obrigando-o a retornar muito no cenário – e você vai morrer bastante, dada a dificuldade do game.

O salvamento pode ser feito no menu básico de pause do jogo, mas não pode ser feito duas vezes seguidas. A principal dica é salvar em “salas seguras”, locais onde você sabe que não há inimigos e onde se pode parar para respirar um pouco.

Não atire tanto

Como em todo jogo de terror e tensão, em Prey a munição é escassa, mais do que se imagina, já que algumas armas nem mesmo usam balas. Algumas você vai encontrar pelo caminho, enquanto outras podem servir como tiros rápidos, apenas para desacelerar inimigos.

As armas funcionam mais como ferramentas do que como itens de destruição, com exceção de uma ou outra. Por isso, use-as sempre com inteligência, sem ficar com o dedo pressionado direto no botão de tiro.

Gaste bem os Neuromods

Os Neuromods permitem que o personagem principal seja melhorado, mas também define quanto menos humano ele fica, ao longo das modificações genéticas que entram no seu corpo. Porém, a principal dica é que você economize os Neuromods que conseguir no início da aventura.

Gastar os Neuromods no início pode ser um grande desperdício, principalmente porque ganhamos eles em muita quantidade nas primeiras horas de jogo, quando ainda não temos muitas ameaças. Tenha paciência que, pouco depois disso, eles serão mais valiosos e mais uteis. Junte-os para gastar melhor depois desse período.

Gloo: a melhor arma

A arma Gloo é uma das melhores e mais uteis do jogo – e ela não mata inimigos, ao menos não sozinha. A Gloo serve para paralisar alvos por um determinado tempo, ou no mínimo reduz seu avanço e permite uma escapada rápida. O ideal com a Gloo é imobilizar inimigos para depois usar uma arma mais pesada e abatê-los com apenas um tiro.

Não ignore os corpos

Os humanos vivos em Prey são poucos. A maioria que você vai encontrar estão mortos ou morrendo. Não deixe de parar por alguns segundos e coletar os itens de cada um deles, pode-se surpreender com o que será encontrado.

Para vasculhar os itens, pressione o botão de ação próximo dos corpos. É possível coletar tudo de uma vez ou só os itens que desejar, dado o espaço disponível na bagagem do personagem. O importante é nunca deixar nada útil passar – e são muitos os itens úteis, seja para reparo da armadura ou para melhorar o personagem.

Vasculhe absolutamente tudo

Quando digo para vasculhar tudo, é literalmente tudo que é possível interagir no cenário, desde lixeiras a armários e gaveteiros. Muitas vezes há itens valiosos como kits médicos, munição de escopeta e kits de reparo do traje em locais que você menos espera. Até mesmo itens mais comuns como qualquer tipo de comida ou materiais que você poderá reciclar mais tarde podem ser um mão na roda.

Além disso, esses containers podem servir de armazém pessoal caso seu inventário esteja relativamente cheio e você está longe de uma máquina recicladora. Só não esqueça em qual móvel deixou seus itens!

Vidros foram feitos para serem quebrados

Ao longo de Prey você encontrará grandes painéis de vidro, intitulados Looking Glass. Neles, você verá vídeos importantes para a trama, mas depois que assisti-los, é uma boa ideia quebrar essa superfície com sua fiel chave inglesa, pois muitas vezes há caminhos e salas escondidas por detrás. Sabe-se lá que tipo de cofre você pode encontrar, não é?

E não se preocupe em não poder mais assistir aos vídeos, pois é possível reparar os painéis, normalmente utilizando comandos em um PC próximo.

Recicle armas também

Além de mandar para o reciclador todas as tralhas que achar pela Talos I, é possível também colocar armas sobressalentes na máquina, resultando em materiais. Toda vez que encontra mais um Canhão Gloo dando sopa por aí, saiba que pode ser uma excelente ideia reservar um espaço no seu inventário para reciclá-lo depois.

Isso é especialmente efetivo pois a maioria das armas resulta em materiais minerais, utilizados na confecção de kits médicos, munição e Neuromods — ou seja, algo que você vai usar bastante.

Torretas são suas amigas

Diferente de Portal, em Prey as torretas são aliadas valiosas, especialmente no início do jogo. Sim, vale muito a pena carregar uma delas para novos ambientes que, muito provavelmente, estarão repletos de mímicos e outros inimigos. Elas atiram automaticamente em qualquer alienígena em seu campo de visão e, muitas vezes, podem limpar uma sala inteira sozinhas.

Mais tarde no game, elas passam a ser menos efetivas conforme você descobre e enfrenta tipos diferentes de aliens, mas em grandes quantidades ainda podem ser muito úteis. Em determinados pontos, elas serão inimigas, caso estejam sob controle de um Tecnopata.

Leia todos os emails

Se você é como eu e não suporta ver sua caixa de entrada com emails não lidos, essa dica é redundante. Mas saiba que inspecionar cada estação de trabalho e cada computador da Talos I pode resultar na obtenção de senhas para cofres ou portas.

É importante vasculhar tudo para adquirir senhas e também novas missões opcionais. Eu recomendaria que você lesse os emails, pois há histórias e anedotas interessantes sobre o dia-a-dia da Talos I.

Priorize habilidades que auxiliem na exploração

É completamente entendível dar prioridade ao combate, principalmente num jogo em que os inimigos aparentam ser muito mais fortes que você e podem se esconder em qualquer lugar. Porém, em função de ficar mais forte, a exploração é imprescindível.

Ao encontrar os primeiros Neuromods – pequenos aparelhos oculares que injetam agulhas diretamente no seu cérebro; funcionam como os pontos de experiência em Prey – você se depará, inicialmente, com três variações da sua árvore de habilidades. Nessas habilidades, há três essenciais que, caso opte pela exploração extensiva, são essenciais:

Hacking: acessar computadores e portas trancadas sem senhas e cartões de acesso pode ser a coisa mais útil e aliviante de se fazer em Prey. Para ter esse tipo de acessibilidade, será necessário investir na habilidade de hacking – com ela, como dito acima, você poderá acessar computadores (ler emails, autorizar acessos etc) e abrir portas trancadas com senhas que podem te levar a recompensas e recursos interessantes.

Repair: como o nome sugere, essa habilidade te auxiliará a consertar máquinas de craft, computadores e portas eletrônicas no geral. Ao consertar esse tipo de equipamento, você conseguirá ter acesso aos objetivos de sidequests – sendo que algumas dependem exclusivamente dessa habilidade para serem concluídas.

Leverage: talvez a mais útil dessas três, essa habilidade concede uma espécie de ”super força” ao protagonista, sendo possível levantar itens pesados para criar passagens, abrir atalhos, descobrir lugares secretos, abrir portas emperradas e usar itens do cenário como armas.

Lembre-se que com a exploração você poderá posteriormente investir em habilidades que te deixam mais poderoso, deixando tudo mais fácil.

Desbloqueie a habilidade “Mimic” assim que possível

No começo do jogo, você estará limitado apenas a habilidades humanas (skills azuis). Prosseguindo na história e fazendo missões principais, Morgan vai ter acesso às skills dos aliens abordo da estação espacial, os Typhons. E a primeira habilidade essencial dessa nova árvore na variação “Morph” é a skill Mimic.

Usando o Mimic você é capaz de se transformar em objetos do cenário, desde uma caneca a um rolo de papel higiênico. Sabe aquela porta barricada que tem apenas um espacinho de baixo? Se transforme numa banana e passe por de baixo. Essa habilidade será um complemento do seu potencial de exploração, te deixando ainda mais livre para encontrar segredos no jogo.

Desligue o marcador da missão principal

Não sei se enfatizei isso o bastante, mas Prey é um jogo de exploração. Por mais tentador que seja seguir na história e desvendar os segredos da Talos I e os envolvidos no incidente na estação, se faça um favor e desligue o indicador da missão principal. Dessa forma você ficará menos preso a um único objetivo e mais a vontade para explorar melhor áreas que você não esteve e/ou explorou pouco.

Graça ao bom senso dos desenvolvedores, isso pode ser feito facilmente indo no menu de Objetivos e simplesmente desmarcando o indicador principal da missão.

No combate vale tudo

Quando eu digo tudo, é exatamente isso o que quer dizer. Ou quase tudo. Vários inimigos – principalmente os que aparecem mais para frente – podem ser um desafio que beira a frustração se você ligar o modo “automático” de simplesmente correr pra cima deles e apertar o botão de atirar. Além de gastar bala à toa, a eficiência desse combate simplório vai te deixar na mão muitas vezes.

Combine seus poderes, explore a possibilidade das suas armas e do ambiente. Cada área da estação possui algo que você pode usar como arma ou combinar para realizar execuções poderosas: arremessar móveis, eletrônicos e tudo que achar pela frente nos inimigos – quanto mais pesado o objeto, mais dano irá causar. Imobilize primeiro os inimigos com a Gloo Canon e bata neles com sua wrench, e assim por diante. A imaginação é o limite.

A dificuldade padrão é o bastante

Esse tópico pode ser um pouco polêmico – principalmente caso se considere como um ótimo jogador de FPS e adora um desafio. Dificuldades mais altas parecem ser tentadoras e um padrão para esses jogadores, mas eu aconselharia tomar um pouco mais de cuidado aqui. Prey não é o típico run and gun como Doom, e sim um jogo onde o racionamento de recursos e tomada de decisão são fatores cruciais.

No início da sua jornada é onde as coisas são mais difíceis. Sem poderes alienígenas, sem armas com upgrades, sem saber no que investir e inventário limitado. Os inimigos batem forte e muitas vezes correr vai ser a opção mais sensata, então, não se acanhe de começar o jogo na dificuldade padrão. Quando você se sentir mais familiar, dificuldades mais altas (inclusive a dificuldade Nightmare) são desafios a serem considerados.

Toda a abertura

Claro, que a gente tá dando uma roubadinha com essa dica, mas a sequência de abertura espetacular de Prey como já é suficiente para te deixar vidrado no jogo. Como um novo funcionário da TranStar Corporation, Morgan Yu te leva por um passeio de helicóptero através de uma deslumbrante paisagem urbana com o objetivo de passar por testes de rotina em uma instalação operada por seu irmão.

Mas como você bem sabe, a “rotina” não é bem uma garantia duradoura, e logo a própria natureza da vida e da memória de Morgan é posta em questão. A Arkane criou essa sequência inteira com bastante cuidado, introduzindo uma variedade de features para a mecânica do jogo, enquanto preparava um cenário para uma história arrebatador.

Até o mapa aberto tem informações importantes para você

A história ambiental é uma ferramenta inestimável para desenvolvedores de games, e a equipe da Arkane tem alavancou esse features ainda mais em sua recente campanha. Morgan pode invadir terminais e ler segmentos de e-mail privados que revelam eventos-chave na catástrofe da estação espacial Talos I. O museu da estação esboça a história da construção, completa ainda com iluminação dramática e placas iluminadas.

Até mesmo os próprios corpos, congelados e retorcidos em agonia, ajudam a criar a terrível história de TranStar e o que está em jogo logo ali na Terra.

Construa suas próprias plataformas (BYOP)

A dica do gameplay de Prey? Empoderar você com tantas escolhas quanto possível. Essa filosofia é exemplificada no GLOO Cannon, um dispositivo que aciona uma cola de rápida expansão. Você pode usar isso para desacelerar os inimigos e diminuir a distância de um ataque corpo a corpo ou para construir plataformas até áreas difíceis de alcançar. Ou você também pode ignorar o Cannon completamente.

Só depende de você

0451

A lendária sequência numérica já vista em títulos como System Shock, Deus Ex, e inúmeros outros é totalmente mostrada aqui no game. Prey se inspira em seus antecessores.

Os imitadores

Talos I está sendo consumido por uma infestação alienígena Typhon. Essas ameaças perigosas e fantasmagóricas assumem muitas formas. Literalmente. O Imitador, uma pequena criatura com velocidade assustadora, pode assumir a forma de quase qualquer objeto na estação. Agora cada caneca descartada ou objeto pequeno poderia ser algum perigo disfarçado.

Morgan, como você ainda vai descobrir, pode destravar essas habilidades… mas tudo tem seu preço.

Economize Neuromods para comprar as skills certas

Essa é bem subjetiva, mas vai te ajudar a aguentar mais facilmente o tranco do game depois de um tempo. Como havia dito, é necessário sim que você colete muita coisa no jogo e, também, se comportar como um urubu carniceiro checando todo bendito cadáver que aparecer no caminho para coletar itens melhores. Primeiro, invista na skill Necrópsia. Com ela, você coletará ainda mais material exótico dos Typhons que detonar pelo seu caminho te ajudando a fabricar bons itens sem se preocupar em esgotar esse material rapidamente. A outra skill recomendada para dedicar seus preciosos neuromods é a de expansão de inventário. Novamente isso tudo é relacionado com a dica anterior.

Há jeitos melhores de tirar itens pesados do seu caminho

Mais uma vez, Prey insiste que o jogador pense fora da caixinha. Não serão raras as vezes que você se deparará com objetos pesados que impedirão seu percurso em algum momento. O jeito mais óbvio e contraindicado é queimar neuromods para comprar a skill de força física. Porém, é bem mais inteligente usar as ferramentas que o cenário te oferece. Há diversos explosivos espalhados na Talos-1. Portanto, use-os a seu favor. Leve esses objetos perto das coisas que barram o caminho e simplesmente meta um tiro para explodir tudo. Te livrará dor de cabeça e ainda te permite comprar habilidades melhores.

Use as benditas Torretas

Facilmente outra habilidade que indico para melhorar sempre que possível é a de hacking. Como disse, Prey é difícil (às vezes, desnecessariamente difícil), mas há as boas maneiras de contornar essa característica ingrata ao gamer casual: as torretas. Seja as terrestres ou os robôs aéreos que te caçam na primeira olhada, o jeito é hacker tudo o que for possível. Esses pequenos robôs voadores te ajudarão em pouco tempo a limpar o cenário já que vagam incessantemente por aí. Já as torretas terrestres, é bom transportá-las para locais que você sabe que encontrará inimigos mais poderosos.

Também é só seguir uma receita de bolo. Posicione suas torretas em locais estratégicos, já seguros. Depois, atraia seus inimigos até a sala com os robôs e os congele com o Canhão Gloo, Voiláa! Desse modo você consegue se livrar de muitos Fantasmas rapidamente a quase nenhum custo de esforço. Lembre-se sempre de levar ao menos uma enquanto perambula pela Talos-1 principalmente em áreas grandes como o Lobby que sempre terão inimigos novos te aguardando.

É importante ressaltar isso porque muitos jogadores podem subestimar o desafio que eles oferecem. Acredite, essas criaturas são pequenas, rápidas e, quando em grupos de 3 ou 4, conseguem te matar rapidinho. Portanto, fique atento. Ao desconfiar de um objeto, já prepare o Canhão Gloo para congelá-lo (ao menor contato, é revelado se é um alien ou não). Caso for, prepare sua chave inglesa ou 9mm é acabe com a raça do maldito.

Referências:

Nos Bastidores, Jogazera, Blog Playstation, Br Ing, wikipedia, techtudo.