The Last of Us Part II

Jogo eletrônico de ação aventura e sobrevivência, The Last of Us Part II é desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony Interactive Entertainment. É uma sequência de The Last of Us, de 2013, e foi lançado em 19 de junho de 2020 exclusivamente para PlayStation 4. Ambientado cinco anos após os eventos do primeiro jogo e vinte e cinco anos após o início de um fenômeno epidêmico causado por uma mutação do fungo Cordyceps, os jogadores assumem o papel de Ellie, com 19 anos de idade, que entra em conflito com cultos misteriosos em um Estados Unidos pós-apocalíptico. O jogo contém elementos de survival horror e é jogado numa perspectiva de terceira pessoa. Os jogadores podem usar armas de fogo, arcos, armas improvisadas, esquiva e furtividade para se defenderem de seres humanos hostis e criaturas infectadas.

The Last of Us Part II foi oficialmente revelado durante o evento PlayStation Experience em dezembro de 2016. O jogo é realizado por Neil Druckmann e escrito por Druckmann e Halley Gross e a música é novamente composta pelo argentino Gustavo Santaolalla. Troy Baker e Ashley Johnson voltam a ter os papéis de Joel e Ellie, respectivamente. Estava programado para ser lançado em maio de 2020, mas foi adiado para junho devido à problemas logísticos causados pela pandemia de COVID-19.

The Last of Us Part II foi aclamado pela crítica especializada segundo o agregador de resenhas Metacritic. Os elogios foram direcionados à jogabilidade aprimorada em relação ao seu antecessor e fidelidade visual, enquanto seu enredo e as apresentações de seus temas através da violência receberam opiniões divididas da crítica e do público.

Jogabilidade

The Last of Us Part II é um jogo eletrônico de ação – aventura e sobrevivência jogado numa perspectiva de terceira pessoa. Os jogadores podem usar armas de fogo, arcos, armas improvisadas, esquiva e furtividade para se defender de humanos hostis e criaturas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. As mecânicas de jogabilidade de Part II foram aprimoradas em relação ao jogo anterior. No jogo, o jogador pode explorar um ambiente mais aberto, sendo capaz de alcançar pontos mais altos, pulando e escalando enquanto joga com uma Ellie mais ágil. Os jogadores também podem deitar no chão para se esconder dos inimigos. Durante o jogo, os jogadores terão personagens não jogáveis os ajudando. Além disso, grande parte do jogo é passado em Seattle, Washington.

O jogo trás de volta o “Modo de Escuta” permitindo que os jogadores localizem os inimigos através de um senso maior de audição e percepção espacial; os inimigos ficam indicados com contornos visíveis através de paredes e objetos. Além disso, os jogadores podem coletar suprimentos para melhorar suas habilidades em uma árvore de habilidades, com os três principais galhos da árvore sendo Sobrevivência, Fabricação e Furtividade. Sobrevivência melhora a saúde, alcance do Modo de Escuta, e aumenta a distância de jogar coisas nos inimigos. Fabricação permitem atualizações no combate corpo a corpo, aumentam a velocidade de fabricação de Ellie e a capacidade de fabricar bombas de fumaça e de choque. Furtividade melhora a movimentação enquanto deitado no chão, assassinatos furtivos mais rápidos, e a possibilidade de usar silenciadores nas pistolas. Part II também introduz cães de guarda que podem rastrear o cheiro do jogador.

Use o mapa quando o tiver

Em determinado momento do jogo você poderá usar um mapa para se orientar. Nele, Ellie marca os pontos de interesse e, apesar de The Last of Us Part II ser um jogo linear, ele oferece uma experiência de “semi-mundo aberto” ao possibilitar que você visite prédios, lojas e lugares opcionais. Por mais que não sejam necessários para a história, os locais podem oferecer momentos únicos e colecionáveis para completar suas estatísticas no jogo, então você não vai desperdiçar tempo investigando cada prédio.

Crie armadilhas explosivas e coquetéis

Nem sempre temos paciência para craftar logo antes de uma batalha contra infectados ou humanos, mas sem dúvidas as armadilhas e coquetéis são ferramentas muito úteis, especialmente contra o primeiro grupo. Por mais que já tenhamos aprendido a usá-los no primeiro game com Joel, saiba que aqui a IA melhorada incentiva que o jogador se preocupe mais com ataques alternativos, que podem te ajudar a criar estratégias enquanto lida com outras hordas e ainda economizam balas.

Melhore suas habilidades furtivas

Ellie tem árvores de habilidades que podem ser melhoradas conforme o jogador encontra manuais e guias pelo cenário e junta pílulas suficientes para desbloquear novos pontos. Há melhorias para combate corpo a corpo, precisão de movimentos e sobrevivência, fabricação de itens e, claro, as habilidades furtivas. Por mais que seu estilo de gameplay possa ser focado em uma abordagem mais agressiva, é fato que a furtividade pode salvar sua pele em grande parte do jogo. Melhorar as habilidades furtivas inclui ouvir melhor a presença de adversário por trás de paredes, fazer menos barulho ao se locomover e agachar, aumentar a velocidade dos durante ataques furtivos — diminuindo os riscos de ser descoberta –, entre outras melhorias significativas.Isso ajudará bastante em pontos cruciais do jogo — mas claro que fica a seu critério escolher a forma que melhor se adequa ao seu gameplay.

Busque recursos

Exploração sempre fez parte da essência de The Last of Us. Enquanto vasculha prédios, lojas e casas abandonadas, não poupe tempo em checar todos os cômodos em busca de recursos. Algumas salas podem estar vazias, mas dificilmente você sairá de mãos vazias de algum local. Munição é escassa, mas há muitos itens úteis pelo caminho: pílulas para melhorar as habilidades da personagem, ferramentas para aprimoramento de armas, itens para produção de kits médicos e armadilhas e muito mais. Olhe sempre os cofres e busque as senhas, mesmo os mais vazios vão encher os bolsos de Ellie. De quebra, você ainda encontrará pelos locais abandonados notas e cartas que contam mais da vida que havia ali antes do caos.

Aprimore as armas

Pelo cenário você encontrará mesas de ferramentas onde é possível melhorar aspectos importantes de suas armas, de forma mais detalhada do que no game anterior. Diminuir a cadência do tiro, aumentar a velocidade de recarga, melhorar a estabilidade ao segurar… todos esses pontos são importantes para fazer com que as valiosas munições sejam melhor aproveitadas.

Crie estratégias de ataque

Não há uma regra fixa para os ataques de sucesso, tudo depende da abordagem que você escolher. Mas, caso opte por avançar a sala em stealth, algumas dicas podem ajudar a poupar algumas vidas e curativos: Uma opção é eliminar os Estaladores antes dos demais inimigos, por serem praticamente mortais, assim você evita que algum passo em falso desperte a atenção deste infectado. Chamar a atenção dos Corredores e Perseguidores para armadilhas de bomba e molotovs poupa muito tempo e faz um estrago em massa, o que torna a eliminação dos restantes ainda mais rápida.

No caso de locais amplamente vigiados por humanos, opte por atacar os adversários mais afastados para não chamar atenção dos demais: comece pelas beiradas até chegar ao centro da ação. Cuidado com inimigos nos andares superiores, lajes e varandas, que podem te ver por janelas. Use o Modo Escuta para “escanear” todo o ambiente, ter ideia da posição de inimigos em pisos superiores ou inferiores, e eliminar os que estiver ao seu alcance sem notificar os demais. Se um inimigo achar um corpo morto, as buscas por você serão mais intensas. Use e abuse das coberturas, grama alta, caçambas e veículos para se esconder.

Cuidado com os Trôpegos, novo tipo de infectado

Por mais assustadores que possam ser os novos infectados, eles não tão difíceis de desvencilhar. É só ter um pouco de paciência — e algumas surpresinhas às mãos: armadilhas terrestres são excelentes para deter trôpegos. Coquetéis e bombas explosivas causam dano e o atordoam por um tempo útil para que você se recupere e ganhe distância. A propósito, distância é a palavra! Trôpegos soltam uma espécie de líquido corrosivo em suas vítimas: fique alerta aos sinais de ataque.

Cuidado com seu rastro

Alguns inimigos do grupo chamado WLF (Washington Liberation Front) andam acompanhados de cães loucos para farejar seu cheiro por trás das coberturas e paredes. Você os ouvirá conversando com os animais, questionando se eles ouviram ou sentiram algo. Neste momento é provável que seu rastro esteja prestes a revelar seu esconderijo. Tenha sempre em mãos um tijolo ou garrafa para distrair a atenção do animal. Ao mudá-lo de direção, você ganha tempo para se esconder novamente; use o Modo Escuta para saber quando seu cheiro está despertando a atenção dos bichos. Fique sempre em movimento e tenha distância dos cachorros — ou os enfrente, se preferir, mas esteja ciente de que são rápidos, podem dar ataques mortais e principalmente chamam a atenção de todos os humanos do local, que imediatamente apontam a mira para você.

Explore até gastar as botas de Ellie

Se tem um jogo que te motiva a explorar, esse é The Last of Us: Parte 2. Do começo ao fim, é importante que você vasculhe cada cantinho dos locais, principalmente vidros de máquinas de lanche. Se você for um jogar paciente e persistente, irá encontrar muitos itens (para construir equipamentos); munições (que estão mais escassas e com espaço menor de carregamento); e outros artefatos importantíssimos. Coldres, Armas novas, Manuais de Evolução e Colecionáveis só podem ser encontrados se você seguir a cartilha de um bom escoteiro. Isso, certamente, fará você entrar muito mais preparado nos combates e traçar estratégias mais assertivas ao enfrentar situações de risco.

Cima + Baixo + Frente – Não, não é cheat code

Essa dica é uma extensão da primeira. Em TLOU2 você tem uma liberdade imensa para explorar. Entretanto, há uma dica importante para se ter em mente. A liberdade que você tem, te permite olhar para baixo, para frente e para cima. Calma, não se assuste – Explicarei!

Baixo: Ellie agora pode deitar e rastejar no chão. Portanto, há lugares secretos que só pode ser adentrador, se você deitar.

Frente: Verifique vidros de Lojas e fendas. Isso pode fazer você encontrar lugares escondidos cheios de itens bons.

Cima: Além de Ellie poder subir em móveis, caminhões e muros, também pode utilizar a Corda. Assim, há lugares que só pode ser acessados se você subir no cenário.

Bônus: Há momentos em que Ellie nada, assim como Joel. Portanto, sempre que estiver nadando, busque buracos escondidos, ou locais escuros. Ali você pode encontrar coisas muito valiosas.

Quem não é visto, não é lembrado

Se tem uma coisa que a gente aprende com Joel é: Furtividade é vida. Em The Last of Us Part II, acreditem, MAIS AINDA. O número de inimigos está muito maior. O nível de percepção deles está muito mais aguçado, portanto, uma estratégia furtiva é a melhor pedida.

Pensando nisso, temos algumas maneiras de encarar os inimigos. O fato de podermos deitar, não ajuda só na exploração, mas certamente é um elemento crucial para se esconder em gramas altas. Temos de novo a abordagem que captura o inimigo desavisado por trás. Também possuímos, novamente, o silencioso e mortal Arco e Flecha. Porém, agora temos a possibilidade de construir silenciadores para sua pistola. Assim, não há desculpa para você não enfrentar inimigos como se fosse um fantasma.

Isso trará vários benefícios, como economizar munição, itens e principalmente, não alertar inimigos faz uma diferença gigante na hora de um combate.

Cuidado: cão bravo

Não é maldade, mas sim pura sobrevivência. A adição dos cachorros são uma elemento que deixa o combate mais picante. Isso porque sua estratégia de furtividade pode ir por água abaixo, umas vez que os doguinhos não percebem só movimento e barulho, mas também o cheiro. Portanto, uma dica importantíssima quando eles aparecerem, elimine-os primeiro.

Eles são inimigos muito perigosos, velozes, que conferem um alto dano e ainda despertam a atenção de todos. Eliminá-los com arco e flecha ou com o silenciador é uma ideia valiosa.

Entre tijolos e garrafas, quebraram-se todos

Assim como no primeiro, tijolos e garrafas são elementos importantíssimos para montar sua estratégia. Seguindo o mesmo padrão, você pode utilizar para despistar infectados e humanos, mas também pode usá-los para atacar o inimigo e assim atordoá-lo, podendo finalizar ou agarrar. A dica é, há locais que existe uma abundância desse tipo de item. Utilize-os sem dó, principalmente quando há cachorros, será de extrema valia. Quando necessário, você pode utilizar esses itens para bater nos inimigos como uma arma de mão.

Já falando em armas de mão, aqui vai uma dica extra. Fique muito de olho da vida útil da sua arma. Veja qual o inimigos está utilizando e a vida útil dela. Existe umas melhores do que as outras, óbvio. Para mim, a mais equilibrada é a machadinha, com alto poder de dano, com vida útil boa e bem veloz.

A esquiva é sua maior aliada

Uma das principais mecânicas que mudaram o estilo de jogar em The Last of Us: Parte 2 é a esquiva. No jogo anterior, Joel era mais forte, mais parrudo, porém mais lento. Nesse agora, Ellie é ágil e veloz, fazendo muito sentido ter a esquiva como aliada.

Dessa maneira, infectados e humanos tentarão te arrebentar a todo custo. Dominar essa arte é essencial para combates frenéticos – principalmente contra os corredores. Mas cuidado, quando você parte para cima de um inimigo que tenha arma de fogo na mão, desista, não é uma boa ideia, pois aqui é The Last of Us, não Matrix.

Cofres não tem dinheiro e essa é a maior riqueza

Assim como no primeiro jogo, cofres são elementos super importantes para esse jogo. Entretanto, diferente do primeiro game, não é apenas só encontrar o código que o cofre será aberto. Dessa vez, está bem mais difícil encontrar as senhas, pois os itens dentro dos cofres são bem valiosos.

Pois bem, a dica é a seguinte. Sempre que você encontrar um cofre, a combinação não estará muito longe. TLOU2 não tem backtracking, ou seja, se você passar daquela área, dificilmente poderá voltar.

Outro ponto importante: nem sempre há um código em uma carta, entregue de bandeja. Portanto você deverá, em alguns casos, procurar as respostas em paredes e, ás vezes, até fazendo cálculos.

O que não mata, evolui

Não é segredo para ninguém que há 5 tipos de evoluções que você vai conquistando ao longo do jogo. Cada uma delas traz focos diferentes. Uma é determinante para a sobrevivência, outra melhora itens, outra te deixa mais poderoso para o combate e assim por diante. Portanto, uma das coisas que eu fazia e que me deixou bem equilibrado e preparado para o combate é não utilizar todos os remédios que eu tinha de uma vez. Isso porque as evoluções vão sendo desbloqueadas ao longo do game, por essa razão é sempre importante você ter pílulas de evolução para quando abrir uma nota coluna, você escolher melhor o que irá evoluir.

Outra dica importante. Fique atento às suas necessidades no jogo. Seja no combate, seja nos itens. Dessa maneira, saberá bem que parte deverá evoluir para que seja útil e melhor seu desempenho.

Por fim, lembre-se que não é só o personagem que evolui; as armas também. Então, nesse game a escassez de ferramentas para melhorar seu armamento é muito grande. A dica é, analise qual é a arma que você mais utiliza. Veja o ponto mais importante para ela. Normalmente é importante evoluir o arco e flecha, capacidade de munição, velocidade de recarga e, se sobrar uma graninha, miras telescópicas sempre vão bem.

Analise os locais

Uma dica que parece óbvia, mas ela pode fazer toda a diferença. Quando você tem uma etapa de enfrentamento é de suma importância que consiga identificar locais para se esconder ou para possíveis escapadas. Isso te dará inúmeras opções de abordagens contra inimigos de todos os tipos. Vale destacar que agora Ellie pode pular cercas, subir em telhados, entrar embaixo de caminhões e se camuflar nas gramas altas. Análise com cautela esses aspectos do cenário, mas não se esqueça de sempre utilizar o R1, modo escuta. Em The Last of Us: Parte 2 está muito mais difícil de perceber o oponente, mas ainda dá pra – pelo menos – ter uma ideia de onde ele está.

Quem não arrisca, petisca sim

Ellie tem mais itens para serem construídos. Portanto, o uso das matérias primas – Álcool, trapo, Lâmina, Explosivos, garrafas, etc, competem muito mais para ver quem será utilizado. Álcool, por exemplo, é usado para fazer Kit médico e bomba. Portanto, saiba qual deles poderá ser mais necessário (optei sempre pelo kit médico).

Outro ponto importante. Com exceção do kit médico, todos os outros itens podem ser opcionalmente reservados para quando a necessidade bater. Então se você perceber que há falta de lâminas nesse trecho que está passando, evite ao máximo usar itens que precisem delas para serem craftados. Assim sendo, você terá passagens um pouco mais seguras tendo sempre reservas importantes de equipamentos poderosos.

Dicas de combate para iniciantes

Matar inimigos furtivamente pelas costas é sempre o método mais seguro, mas se o inimigos estiver perto o suficiente, você pode surpreendê-lo também pelo lado ou até mesmo de frente, desde que esteja em uma cobertura para fechar rapidamente a lacuna que existe até o momento em que ele te vê.

Atirar enquanto agachado aumentará bastante a sua precisão. Atirar deitado aumenta essa precisão ainda mais!

Use garrafas e tijolos com frequência. Jogue-os em seu oponente para um choque temporário e finalize-os com um ataque corpo a corpo, ou use-os para atrair infectados a um local e surpreenda-os com uma bomba ou um coquetel molotov.

Ao matar furtivamente NPCs humanos, certifique-se de sair da área antes que seus camaradas apareçam. Eles vão alarmar os outros e acabar com a sua cobertura. Para evitar isso, mate furtivamente apenas aqueles que estiverem distantes do grupo.

Muitas vezes, você terá um companheiro ao seu lado. Portanto, não tenha medo de deixá-los fazer o trabalho sujo. Se for pego de surpresa e precisar colocar uma pequena distância entre você e seu inimigo, seu parceiro ocasionalmente fará um assassinato furtivo ou até matará o inimigo enquanto ele estiver focado em você.

Ficar embaixo de um carro não é uma invisibilidade garantida – os inimigos procurarão você em cada canto.

Existem muitos itens colecionáveis em todo o mundo, mas fique atento para os coldres para tornar a troca de armas mais eficiente.

Fugir é uma boa opção. As áreas de combate são grandes o suficiente para que Ellie possa fugir de uma luta, permitindo que você recupere o fôlego e, muitas vezes, reative seu status de furtividade. Observe que, mesmo se você estiver se escondendo, seus inimigos estarão em alerta máximo se souberem que você está por ali em algum lugar.

Se houver inimigos humanos e infectados em uma mesma área, uma boa opção é colocá-los para atacarem uns aos outros. É um movimento eficaz e que economiza munição.

Tenha cuidado ao criar itens! Assim como no original, The Last of Us Part II não congela o tempo enquanto você acessa o inventário e usa o menu de criação, portanto, verifique se você está em um local seguro antes de fazer isso.

Dicas de combate para veteranos

Experimente várias estratégias. Usar um coquetel molotov pode matar um inimigo e atrair estaladores para as chamas é uma delas. Montar minas explosivas em pontos de entrada e depois atrair inimigos fará um trabalho rápido para quem se aproximar.

Se você usar silenciadores na pistola, preste atenção à contagem de tiros silenciados que aparece embaixo do ícone da arma. Você não vai querer ser pego por causa do barulho de um tiro acidental.

Quando você leva um tiro e é derrubado, pode atirar a partir desse local propenso, retaliando rapidamente ao invés de perder tempo se levantando.

Ao lutar contra inimigos humanos, você geralmente tem muitos objetos para se esconder atrás e prédios com vários andares. Se estiver morrendo muito, tente abordar o cenário de um novo ângulo ou direção.

Referências:

O Vicio, Combo Infinito, Br Ing, wikipedia.

E aí, o que acha deste game, comente logo abaixo sobre The Last of Us Part II!

The Last of Us

The Last of Us é um jogo eletrônico de ação-aventura e sobrevivência desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony Computer Entertainment. Ele foi lançado exclusivamente para PlayStation 3 em 14 de junho de 2013. Na história, os jogadores controlam Joel, um homem encarregado de escoltar uma adolescente chamada Ellie através de um Estados Unidos pós-apocalíptico. The Last of Us é jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa, com os jogadores usando armas de fogo, armas improvisadas e furtividade a fim de defenderem-se de humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. Um “Modo de Escuta” permite a localização de inimigos por meio de uma escuta e percepção espacial aprimoradas. Armas podem ser melhoradas usando itens recolhidos do ambiente. Há um modo multijogador online em que até oito jogadores podem entrar em diferentes modos de partidas cooperativas ou competitivas.

O desenvolvimento de The Last of Us começou em 2009 logo depois da finalização de Uncharted 2: Among Thieves, o título anterior da Naughty Dog. A relação entre Joel e Ellie foi o foco central do jogo, com todos os outros elementos de história e jogabilidade desenvolvendo-se ao seu redor. A equipe criativa escolheu os atores Troy Baker e Ashley Johnson a fim de interpretarem os personagens principais, que realizaram a captura de movimentos e dublagem para seus respectivos papéis. Ambos auxiliaram o diretor de criação Neil Druckmann com o desenvolvimento da história e personagens. Novos motores de jogo foram criados para satisfazer as necessidades técnicas, com a inteligência artificial de Ellie sendo um grande ponto de desenvolvimento e aprimoramento. A trilha sonora original foi composta por Gustavo Santaolalla, enquanto os efeitos sonoros assumiram um ponto de vista mais naturalista e minimalista do que em outros jogos de ação.

The Last of Us foi anunciado em 2011, gerando grande expectativa. Ele foi aclamado pela crítica especializada, com elogios sendo direcionados particularmente para sua caracterização, enredo, subtexto e exploração da condição humana. O título tornou-se um dos jogos mais bem vendidos do PlayStation 3, vendendo mais de 1,3 milhões de cópias apenas em sua primeira semana e mais de oito milhões depois de catorze meses. The Last of Us é considerado como um dos melhores jogos eletrônicos da história, tendo vencido vários prêmios de Jogo do Ano. Um conteúdo para download chamado Left Behind foi lançado em fevereiro de 2014, com sua história se passando antes do jogo principal e centrando-se em Ellie e sua melhor amiga Riley. Uma remasterização intitulada The Last of Us Remastered foi lançada em julho de 2014 para PlayStation 4, enquanto sua sequência The Last of Us Part II foi anunciada em dezembro de 2016.

Jogabilidade

The Last of Us é um jogo eletrônico pós-apocalíptico de ação aventura e sobrevivência apresentado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O jogador atravessa ambientes arruinados, passando por locais como cidades, edifícios e esgotos a fim de avançar pela história. Armas de fogo, armas improvisadas e furtividade são usadas para derrotar humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. O jogador controla durante a maior parte da história o personagem de Joel, um homem encarregado de escoltar uma garota chamada Ellie através dos Estados Unidos; ela e outros companheiros ocasionais são controlados por uma inteligência artificial. Ellie torna-se temporariamente a personagem jogável durante um segmento da história.

O jogador usa no combate tanto armas de longo alcance (como rifles, espingardas e arcos) quanto de curto alcance (como pistolas, revólveres e espingardas curtas); também é possível utilizar armas brancas (como canos e tacos de beisebol). Garrafas e tijolos podem ser jogados para distrair, tontear ou atacar inimigos. The Last of Us possui um sistema de criação que permite que o jogador aprimore armas em mesas de trabalho usando itens coletados nos ambientes. Equipamentos como kits médicos e coquetéis Molotov podem ser encontrados ou produzidos com os materiais recolhidos. Habilidades físicas, como um medidor de saúde e velocidade de criação, podem ser melhoradas ao coletar pílulas e plantas medicinais. O medidor de saúde do jogador pode ser recarregado por meio de kits médicos caso o personagem tome algum dano.

Apesar do jogador ter a opção de atacar os inimigos diretamente, ele também pode empregar táticas furtivas para atacar ou passar pelos oponentes sem ser detectado. O combate furtivo usa uma mecânica chamada de “Modo de Escuta”, que permite que o jogador localize inimigos por meio de uma escuta aprimorada e percepção espacial. Ao usar o Modo de Escuta, a silhueta dos inimigos torna-se visível, permitindo que o jogador veja adversários em diferentes locais. Um sistema de cobertura dinâmico está presente em que o jogador pode agachar-se atrás de obstáculos a fim de obter uma vantagem tática durante o combate. The Last of Us possui diversos períodos sem nenhum combate, frequentemente envolvendo apenas conversas entre os personagens. O jogador resolve quebra-cabeças simples, como utilizar painéis flutuantes para transportar Ellie, que não sabe nadar, através de corpos de água ou usar escadas e lixeiras a fim de alcançar áreas mais altas. Colecionáveis de história, como bilhetes, mapas e quadrinhos, podem ser encontrados e vistos em um menu.

O jogo contém um sistema de inteligência artificial em que inimigos humanos hostis reagem a qualquer situação de combate em que são colocados. Se um oponente descobre o jogador, ele pode chamar por ajuda ou tirar vantagem do jogador quando este está distraído, sem munição ou no meio de uma luta. Companheiros como Ellie podem auxiliar no combate ao jogarem objetos em ameaças com o objetivo de tonteá-las, revelando a localização de inimigos ou usando uma faca e pistola para atacarem adversários.

O modo multijogador online permite que até oito jogadores participem de partidas competitivas ou cooperativas. Existem três modos multijogador: Ataque de Suprimentos, Sobrevivência e Interrogação. Os dois primeiros são mata-matas em equipes, com o segundo excluindo a opção de renascimento; o último coloca equipes investigando a localização da caixa de fecho inimiga, com a primeira a capturar a caixa vencendo. O jogador escolhe uma Facção em cada modo – Caçadores (grupo de sobreviventes hostis) ou Vaga-Lumes (grupo miliciano revolucionário) – e mantém seu grupo vivo ao coletar suprimentos durante as partidas. Cada partida equivale a um dia; ao sobreviver por doze “semanas”, os jogadores completam a jornada e podem escolher uma nova Facção. Matar inimigos, ressuscitar aliados e criar itens rendem ao jogador partes que podem ser convertidas em suprimentos; essas também podem ser adquiridas procurando em corpos de inimigos. Os jogadores são capazes de carregar mais equipamentos ao ganharem pontos enquanto crescem os suprimentos do grupo. Os jogadores podem conectar seu jogo ao seu perfil no Facebook, alterando assim os nomes e rostos dos outros jogadores a fim de serem iguais aos seus amigos de Facebook. Os jogadores também podem customizar seus personagens com chapéus, capacetes, máscaras e emblemas.

Priorize evoluir a barra de vida de Joel

No decorrer da campanha, Joel encontrará alguns comprimidos de suplementos. Embora cada jogador deva evoluir da forma como desejar a construção do personagem, é extremamente recomendável que um dos primeiros passos seja elevar a barra de saúde de Joel ao nível máximo.

Tenha sempre facas para abater estaladores 

Se você já jogou The Last of Us sabe dos perigos que representam os Estaladores. Existem algumas formas de se executar o inimigo rapidamente. Uma delas é utilizando lâminas. Construa facas e movimente-se bem devagar para se aproximar da criatura. Com dois metros de distância será possível executar o ser sem correr grandes perigos.

Em grupos com vários inimigos mate do mais forte para o mais fraco

Fora da Zona de Quarenta, Joel enfrentará inimigos com um tempo de infecção variado, exibindo diferentes comportamentos. Podemos utilizar como exemplo um dos primeiros contatos dos protagonistas com as criaturas. As salas trazem recém infectados, corredores e um estalador. Elimine primeiro o estalador e em seguida aplique golpes nos demais infectados.

Sempre avance contra os inimigos silenciosamente

Joel não é Nathan Drake. Na maioria das vezes os tiroteios irão terminar de uma péssima maneira para o protagonista. Avance com cuidado, mantendo o silêncio, contra inimigos humanos e seja mais cauteloso ainda ao lidar contra infectados. Observe o chão para não passar por cima de objetos quebrados, gerando ruídos significantes. O simples fato de pressionar a alavanca de maneira mais incisiva pode chamar a atenção dos inimigos.

Atire somente em último caso

“Faça o tiro valer a pena”. A frase dita por Joel para Ellie é de importância vital para os jogadores. Seguindo a dica anterior, evite disparar em ocasiões onde se pode abater o inimigo de forma silenciosa. Além de evitar chamar a atenção de outros adversários, Joel economizará a rara munição para situações onde esta seja a única solução.

Contra corredores busque locais com apenas uma passagem

Os corredores são uma pedra no sapato de Joel. Apesar de não serem tão inocentes quanto os recém infectados, nem tão perigosos como os estaladores e os vermes, os corredores podem causar estrago quando atacam em grande número. Procure levar os inimigos para salas com apenas uma entrada, fique de costas para a parede e empilhe os corpos com duros golpes, ferramentas modificadas e se necessário tiros.

Explore todos os cantos dos cenários 

The Last of Us não é o tipo do game que entrega os recursos aos usuários facilmente. Evite deixar para trás partes do cenário que não façam parte do trajeto linear. Explore portas trancadas, cômodos distantes, extremidades das ruas e fundo dos lagos, tendo sempre em mente que se correr algumas ferramentas decisivas poderão ser deixadas para trás.

CORRA!!!

Esse, com certeza, é o ensinamento mais importante de todos e que vai permear parte das outras nove dicas. No mundo de The Last of Us, a velocidade das pernas é sua melhor amiga em todos os momentos. Está sendo cercado de inimigos? Já enxerga a saída? Quer se livrar de uma situação difícil? Então fuja!

Essa foi a primeira indicação citada pelo nosso redator Durval Ramos quando perguntado sobre esse artigo. Para ele, o dedo colado no botão L2 do controle é a melhor maneira de sobreviver ao título, seja você um adepto da jogabilidade mais estratégica ou um amigo do Rambo.

É claro, ao fugir, Joel fará muito barulho e atrairá a atenção dos inimigos. Ainda assim, muitas vezes, é preferível sofrer um pouco de dano e seguir em frente do que tentar outro tipo de abordagem e acabar morrendo.

Não subestime o poder de seus punhos

Temos aqui mais um caso em que é preferível sofrer pouco dano. Em salas com poucos Runners, principalmente no início do game, prefira atacar fisicamente os inimigos do que gastar munição com eles. Esteja sempre em posse de pedaços de madeira, canos de ferro, tijolos ou garrafas, que tornam o assassinato violento muito mais rápido.

Utilizando armas desse tipo, os “zumbis” ou seres humanos inimigos caem com quatro golpes. Com as mãos, é preciso de quatro a sete acertos para acabar com a raça de um oponente, caso você não esteja próximo a uma parede. Pressione o botão quadrado sem parar e, no caso dos combates contra pessoas, fique atento também ao triângulo, para evitar que o adversário recupere a vantagem.

Aqui, duas exceções podem ser feitas. A primeira se relaciona a momentos em que também se está enfrentando Clickers, que são invulneráveis a ataques com as mãos. Além disso, fique atento aos soldados que portam armas, já que você estará indefeso contra disparos enquanto desce a porrada em um companheiro. Nesse caso, vale mais a pena agarrar o inimigo em questão e aproveitar o escudo humano para fazer uso da primeira dica.

Evite o confronto

Tudo bem que essa dica meio que contradiz as anteriores, mas você sabe como dizem: a melhor defesa é quando seu oponente não pode atacar. E um inimigo que não enxerga Joel não poderá agir contra ele, continuando as atividades normais de seu dia. A furtividade é uma grande aliada em The Last of Us.

E não estamos falando nem de matar os oponentes um a um, na surdina. Muitas vezes, o ideal mesmo é deixar o instinto assassino de lado e permitir que os oponentes vivam para ver outro dia, passando pelas laterais dos cenários e deixando o recinto silenciosamente. Afinal de contas, de nada adianta ser silencioso para matar um inimigo e, com isso, acabar sendo visto pelo restante do exército.

Quando atacar, prefira os sufocamentos com o quadrado e guarde as facas apenas para os Clickers, que são mais fortes e mortíferos. Cuidado com a lanterna nos arredores de inimigos comuns e sempre ande abaixado. Joel provavelmente ficará com dores nas coxas mais tarde, mas é melhor viver com as pernas doloridas do que morrer com o pescoço dilacerado.

Tijolo > garrafa

Ao longo de todo o game, dois artigos serão mais utilizados do que qualquer arma. Os tijolos e as garrafas são itens abundantes e multiuso, já que servem tanto para criar distrações quanto para explodirem a cabeça dos inimigos. Só que, nessa briga, os itens de construção se saem muito melhores que os antigos recipientes.

Tudo bem, as garrafas são de vidro e fazem muito mais barulho, configurando um engodo melhor para levar os inimigos para longe. Mas os tijolos combinam esse poder com a possibilidade de serem utilizados como uma arma letal de uso único, eficazes contra tudo, desde humanos até Clickers.

Por isso, tenha sempre um em seu inventário. Caso prefira usar a garrafa para distração, colete o vidro, jogue-o longe, mas não se esqueça de pegar o tijolo novamente. Em um momento de pânico, ele pode se tornar seu melhor amigo.

CHECAR TUDO

Tijolos e garrafas são os itens mais abundantes de The Last of Us, mas os cenários escondem muito mais do que isso. Seja cauteloso e não corra pela aventura. Entre em cada sala. Abra cada gaveta. Verifique todos os armários. Olhe cada cantinho. Parafusos, lâminas, panos, álcool, adesivos, munição. Tesouros deixados por sobreviventes do passado.

Itens desse tipo nunca são demais e, acredite, você vai precisar de todos eles. O game da Naughty Dog alterna momentos de calmaria extrema com combates frenéticos e tensos, que com certeza deixarão você sem itens de cura e armas. Por isso, é sempre importante recarregar o inventário antes da chegada da próxima situação desse tipo.

Escolha bem as evoluções

Como muitos jogos da atualidade, The Last of Us também empresta elementos de RPGs e traz uma árvore de habilidades. A evolução acontece por meio de escassos medicamentos, que são encontrados ao longo da aventura e permitem a melhoria de diversos atributos. Apesar de todos serem bastante úteis, existem aqueles que são essenciais para que você possa seguir em frente de forma tranquila.

Desde o início do game, foque suas pílulas na habilidade Shiv Master, que dá a você a opção de utilizar uma faca por meio de QTE caso seja atacado por um Clicker. Acredite, ela poupará você de muitas mortes. A seguir, aumente a quantidade total de sua energia para os combates mais complexos da metade para o final do game. Por último na lista de prioridades está a distância do Listen Mode, que facilitará muito sua vida durante as incursões furtivas.

As armas também podem ser modificadas e, aqui, dois upgrades são fundamentais. O aumento na capacidade máxima de munição permitirá que você se defenda por mais tempo antes de precisar procurar um abrigo. Depois, melhore o tempo de recarregamento, de forma a evitar ser cercado ou pego desprevenido sem bala alguma.

Kits médicos e facas nunca são demais

Esqueça as modificações de porretes e bastões. Apesar delas serem úteis em momentos de desespero, não vale a pena gastar um conjunto completo de lâminas em um artigo como esse. Pelo contrário, invista os cortantes em facas, que podem salvar você dos Clickers – como citado na dica anterior – ou tornar os assassinatos furtivos ainda mais rápidos.

Além disso, foque sempre na criação de itens médicos e deixe coquetéis molotov para serem produzidos quando seus kits de cura atingirem a capacidade máxima. Por mais que a arma incendiária seja muito boa para controle de multidões, é melhor sempre ter artigos de primeiros socorros, pois eles são essenciais durante toda a aventura.

Além disso, não se esqueça de sempre produzir itens para evitar ficar com a mochila lotada. Consulte seu inventário o tempo todo e sempre construa coisas com as peças soltas, de forma a poder pegar mais e mais artigos pelo cenário. Em The Last of Us, principalmente nas dificuldades mais altas, cada recurso é precioso e pode significar a diferença entre viver e morrer.

Treine muito

Para muita gente, o arco e as bombas de fumaça podem parecer um desperdício de espaço no inventário. Mas acredite, nos piores momentos da aventura, até mesmo esses artigos difíceis de usar se tornarão essenciais. Saber fazer uso deles de forma versátil dará a você grande vantagem no combate contra humanos e criaturas do inferno.

Se necessário, carregue um jogo salvo diversas vezes apenas para praticar a utilização dos dois itens. Acostume-se com o balanço e recuo do arco e a trajetória bizarra das flechas. Descubra que as flechas podem servir tanto para assassinar um inimigo furtivamente quanto como uma forma de chamar a atenção de alguém para longe de você.

Bombas de fumaça podem não ser letais, mas também servem ao mesmo fim. O alvo aqui são os soldados inimigos, que ficarão assustados e atentos com uma detonação de névoa negra, enquanto você e Ellie escapam sorrateiramente por uma porta lateral. Eles nem vão ver, literalmente, o que está acontecendo.

Aproveite-se da imperfeição

Não existe inteligência artificial perfeita. Então, procure usar esse fator em benefício próprio durante a jogatina de The Last of Us. O comportamento agressivo e violento dos inimigos humanos pode ser freado por atitudes simples que, por mais que não acabem com o perigo, podem gerar preciosos segundos de respiro.

Ao ser atacado por uma grande tropa de inimigos, por exemplo, atire longe um tijolo ou garrafa. Mesmo que eles vejam que foi você quem lançou o objeto, se virarão em direção ao barulho por um segundo, talvez esperando mais um atacante vindo daquele lado. Aproveite para fugir.

Da mesma maneira, utilize o espírito combatente e, por vezes, estúpido de seus companheiros para obter vantagem nos combates. Aproveite enquanto Ellie ou Bill atiram feito loucos nos inimigos, atraindo a atenção deles, para se esconder, usar itens de cura ou mirar bem para fazer valer cada disparo.

Voltando no tempo

The Last of Us é como uma montanha-russa, alternando sequências de calmaria, onde você pode buscar itens e se preparar para o futuro, com combates intensos e até mesmo “apelões” que acabarão com sua munição, itens de cura e dignidade. Na primeira vez, você nunca saberá o que está adiante e tudo o que pode fazer é se preparar para o pior.

Graças à tecnologia moderna, porém, existe uma maneira de evitar situações realmente aflitivas. Muitas vezes, por desatenção ou tentativas frustradas de ataque, você se verá atacado de todos os lados. Mesmo assim, conseguirá sobreviver, só que bem próximo da morte.

Vale a pena recarregar um jogo salvo e voltar para o início do combate, tentando assumir outro tipo de abordagem ou mirando melhor para economizar balas. Acredite, tal estratégia vai além de uma necessidade narcisista por perfeição e fará com que você, no futuro, agradeça à versão do passado por ter retornado no tempo e feito as coisas da maneira correta.

Aprenda a atirar 

Tire algum tempo para praticar a sua pontaria. Ela pode valer momentos importantes na luta por sobrevivência. Para quem está começando, um bom lugar para treinar é o modo multiplayer do jogo. Ainda é essencial escolher com sabedoria as melhores armas para cada momento e tipos de combate

Conheça seu inimigo 

Antes de começar a atirar, é importante diferenciar os tipos de criaturas contra as quais você vai lutar. A cada estágio de infecção, os zumbis ficam mais resistentes. Entretanto, eles também têm fraquezas. Os infectados são perigosos, mas você também deve estar pronto para lidar com seres humanos de diversas facções e com motivações diferentes. Fique esperto para não perder boas oportunidades de ataque e fuga!

Sem medo de voltar atrás 

Se você perceber que a vaca está indo para o brejo, não hesite em voltar atrás e considerar outra estratégia de ataque/fuga. Vários cenários possuem caminhos “mais fáceis” para atacar ou fugir de zumbis e inimigos humanos

“Antes um covarde vivo…” 

Pense no velho ditado como seu mantra. Se você quer ser um Rambo, The Last of Us não é o melhor lugar. Em várias situações, você consegue prosseguir sem ter derrotado todos os inimigos em uma cena. Tenha sempre um tijolo ou garrafa à mão para afastar os inimigos e corra como se não houvesse amanhã!

Referências:

Noticias R7, Voxel, The Enemy, Techtudo, Wikipedia.