Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (メタルギアソリッドV ザ・ファントム・ペイン Metaru Gia Soriddo Faibu Za Fantomu Pein?) é um jogo eletrônico de ação-aventura furtiva com elementos de RPG, produzido pela Kojima Productions e realizado, desenhado, co-produzido e co-escrito por Hideo Kojima. Foi publicado pela Konami para Microsoft Windows, PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360 e Xbox One a 1 de Setembro de 2015. The Phantom Pain é o oitavo título canónico na série Metal Gear e o sexto dentro da sua cronologia fictícia. O jogo serve como continuação para Metal Gear Solid V: Ground Zeroes, mas a sua história é anterior aos eventos ocorridos no jogo original Metal Gear original. Contém o mesmo subtítulo, Tactical Espionage Operations, usado pela primeira vez em Metal Gear Solid: Peace Walker.

A acção acontece em 1984, nove anos depois de Ground Zeroes, e segue o mercenário Punished “Venom” Snake,[N 1] à medida que este se aventura em África (no decorrer da Guerra Civil Angolana, na fronteira Angola-Zaire) e no Afeganistão durante a Guerra Soviética-Afegã, para procurar vingança sobre as pessoas que destruíram as suas forças e que quase o mataram durante os eventos ocorridos em Ground Zeroes.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain teve um orçamento de produção superior a $80 milhões e é composto por dois projectos que já tinham sido anunciados pelo estúdio Kojima Productions, disfarçado na forma de um engano complexo. O primeiro é Metal Gear Solid V: Ground Zeroes, revelado originalmente numa demonstração do motor FOX Engine durante o evento de comemoração do 25º aniversário da série Metal Gear em Agosto de 2012. O segundo é The Phantom Pain, mostrado em um vídeo nos prémios Spike TV Video Game Awards em Dezembro de 2012, e apresentado como um produto da empresa fictícia Moby Dick Studios, com o logótipo de Metal Gear Solid V virtualmente escurecido. A 27 de Março de 2013 foi revelado a verdadeira natureza de ambos os projetos durante a Game Developers Conference, onde Kojima anunciou que Ground Zeroes serve como prólogo para The Phantom Pain e ambos os títulos combinam num único trabalho, editados separadamente.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain recebeu aclamação universal por parte da critica especializada. Os elogios focarem-se nos seus visuais e sobretudo na jogabilidade, por conter mecânicas muito detalhadas e sistemas interligados que permitem dar ao jogador uma enorme liberdade na forma como aborda os objectivos. No entanto, a história foi objecto de alguma critica, com algumas análises a referirem a sua falta de foco e por ser muito dispersa, enquanto que outros reconhecem o seu poder emotivo e a exploração que faz de temas adultos. Metal Gear Solid V: The Phantom Pain recebeu pontuações perfeitas de várias publicações, incluindo Famitsu, GameSpot, God is a Geek, IGN, The Telegraph e a revista Time, descrito por alguns como o melhor da série assim como um dos melhores jogos do ano.

Encontre um bom ponto de observação e marque tudo

Antes de entrar em qualquer acampamento para encontrar inteligência ou resgatar alguém, considere dar uma vasculhada na região a procura de algum ponto de vantagem. Após isso, use o seu binóculo e vasculhe a área, procurando rotas de fuga e marcando cada um dos guardas que você encontrar. É possível marcar um número ilimitado de pontos de interesse com o binóculo (aproximando o zoom usando o direcional digital). Lembre-se disso para estar sempre um passo a frente do seu inimigo.

Faça as missões de interpretes

Você fala os dialetos africanos? E as línguas faladas no Afeganistão? Eu imagino que não, então pode ser uma ótima ideia você começar fazendo as missões de interpretes em cada um dos mapas para poder “desbloquear” as legendas dos diálogos dos inimigos. Dessa forma, você consegue entender o que eles estão falando e, muitas das vezes, isso é crucial para a sua sobrevivência dentro do jogo.

Interrogue os soldados

Informação é a alma do negócio em Metal Gear, e para obte-la, você precisa interrogar os soldados inimigos. Para isso, pegue-os por trás e interrogue-os, antes de coloca-los para dormir. É possível, aliás, usar inimigos sob a sua custódia para atrair mais soldados e organizar emboscadas.

Tranquilize mais do que mate

O tranquilizador é seu amigo, e você não ganha nada a mais ao matar os soldados adversários. Aliás, tranquilizando inimigos, você pode interroga-los depois, basta dar aquele chutinho de leve neles para acorda-los.

O Fulton é o seu melhor amigo

O “Fulton” é um equipamento que parece um balão e permite que você mande praticamente tudo de útil do jogo para o céu. Quando você faz isso, um helicóptero do seu time vai levar o que foi enviado para a “Mother Base” para integrar o seu arsenal.

A princípio você pode enviar somente coisas mais leves, como soldados para compor o seu exército e animais de pequeno porte que vão para uma espécie de zoológico da base. Com o tempo será possível enviar até mesmo veículos de combate.

Existem algumas coisas que você não deve fazer. A primeira é utilizar o “Fulton” em ambientes fechados, já que o balão vai estourar no teto. Fique sempre atento à porcentagem de sucesso da extração, que aparece abaixo do ícone do balão. Também não se deve utilizar esse equipamento na frente dos inimigos, que vão atirar no balão e disparar o alarme.

Enquanto não liberar o “Fulton” não há muito motivo para explorar, então foque em chegar até a missão que dá esse equipamento o quanto antes. Após consegui-lo, cada missão vira também uma busca por suprimentos. Com melhorias no binóculo é possível ver o nível dos soldados e então escolher os melhores para mandar para a sua base. Veículos e contêineres de suprimentos também estarão na lista de prioridades.

Desenvolver as habilidades do Fulton é algo que você quer fazer bem cedo dentro do jogo, já que com ele você pode mandar soldados, animais e basicamente tudo de volta para a sua base. A maioria desses itens tem uso dentro dela, e caso não tenham, você pode vende-los.

Procure pelos materiais nas bases inimigas

Na dica acima, você aprendeu a povoar a sua base de trabalhadores. Agora você precisa encontrar os materiais que eles vão usar para fabricar upgrades e afins. Vasculhar bases dos inimigos é fundamental para isso. Para você não ficar perdendo tempo procurando os itens às cegas, traga o seu cachorro nas missões, pois ele marca os itens automaticamente no mapa.

Atualize as plataformas e a sessão de P&D da sua base primeiro

Agora que você tem soldados e materiais, o que atualizar na base antes? A resposta depende do seu estilo de jogo, mas dois itens extremamente importantes são as sessões de P&D (R&D em inglês) e as plataformas. A primeira ajuda no desenvolvimento geral da base e a segunda aumenta os materiais que você ganha no mapa, além de agilizar o tempo de processamento deles.

Traga os amigos pra festa

O sistema de companheiros do jogo traz diversos companheiros disponíveis para acompanhar Snake nas missões. Cada um deles tem características próprias que são mais adequadas dependendo da missão em que você se encontra. Use-os sabiamente.

Use o binóculo para bolar sua estratégia

Preparação é a chave em “Metal Gear Solid V”. Cada nova missão ou invasão pode ser abordada de inúmeras maneiras e a sua escolha vai tornar o caminho mais fácil ou bem mais difícil. Principalmente se o objetivo for invadir sem disparar alarmes, saber a posição dos inimigos e seus equipamentos antes de a ação começar é essencial. Para isso existe o seu binóculo.

Você terá acesso a ele assim que chegar no Afeganistão, e ele será um dos seus melhores amigos. Os inimigos que você encontrar com o binóculo ficam marcados, mesmo após você parar de usá-lo. O mesmo vale para veículos, suprimentos, reféns e o que mais de importante você conseguir encontrar.

Sempre que for invadir um local, vá até uma área que dê visão suficiente, use o binóculo, marque tudo que conseguir e então decida a melhor estratégia. Esse é o meio mais seguro de jogar.

Use o Braço Biônico para atrair inimigos

O seu Braço Biônico não serve só para a estética do Big Boss, ele tem várias habilidades que vão sendo liberadas com o tempo. A mais básica delas é uma das mais úteis no início do jogo: chamar a atenção do inimigo.

Pressione LB para abrir o seu menu e então RB para emitir o som que o braço faz ao girar o punho, isso vai atrair o inimigo mais próximo sem alertar inimigos distantes, no melhor estilo “Assassin’s Creed”. Assim que o adversário chegar onde você está escondido, é possível usar o combate corpo-a-corpo para apagá-lo sem fazer barulho.

Procure o filhote de lobo

Há vários companheiros que podem te ajudar no campo de batalha, e o cavalo é apenas o primeiro deles. Um, em especial, precisa da sua atenção para ser pego: o D-Dog.

Esse lobo pode ser encontrado no deserto do Afeganistão e deve ser mandado com o “Fulton” para a “Mother Base” para que cresça e possa te ajudar nas missões. O seu poder é farejar os inimigos e identificá-los à distância, o que em determinados momentos é mais preciso que o binóculo.

Após as primeiras missões do jogo, fique atento para o barulho dos latidos e então procure-o para mandá-lo para a base.

Evolua o departamento de R&D

A “Mother Base” conta com diversas áreas e departamentos diferentes, onde você pode alocar seus soldados para executar diversas tarefas, desde missões em campo para trazer suprimentos até fazer pesquisas para novos e úteis equipamentos, bem como melhorias para os que você já tem.

Escolher quando melhorar cada área da base sem acabar com os recursos que também podem ser usados no campo de batalha para pedir reforço é a grande questão aqui. Na dúvida, foque no R&D.

Esse departamento é o responsável pelas pesquisas avançadas no que diz respeito a equipamentos e vai liberar as melhores ferramentas para evoluir o seu jogo, desde melhorias no binóculo até novas formas de usar o “Fulton”.

Mas não fique bitolado só nessa área: as outras também trazem melhorias interessantes que podem ser aproveitadas de outras formas.

Inimigos se adaptam

“Metal Gear Solid V” não deixa você abusar das mesmas estratégias sem tentar se adaptar. Vamos supor que você sempre tentará invadir os locais: equipe sua arma de tranquilizantes e derrube todos os inimigos com tiros na cabeça. Após algum tempo, eles vão utilizar capacetes que evitam seus dardos.

Isso vale para coletes, armamentos e até para forma como eles vão patrulhar o ambiente. Se você pegava os soldados adversários quando estavam sozinhos, eles vão patrulhar em equipe. Tudo isso para dificultar a sua vida.

Por esses motivos é importante variar a sua estratégia e diminuir as possibilidades de o inimigo se adaptar. Você pode usar seus soldados da “Mother Base” para fazer missões que visam destruir estoques de capacetes e coletes, por exemplo, evitando que na sua próxima incursão os espertinhos estejam preparados para sua chegada.

Viagem rápida

Viajar pelo mundo de “Metal Gear Solid V” não é tarefa trivial, nem mesmo a cavalo ou com veículos, especialmente se o objetivo for chegar em bases secretas que exigem voltas e voltas por florestas ou desertos. Para isso existem as viagens rápidas.

O meio é o mais caricato possível. Você usará uma das famosas caixas de papelão para se disfarçar de encomenda e ser levado por um caminhão inimigo até o ponto escolhido. Esses pontos precisam ser liberados primeiro.

Você identificará os pontos de viagem pela cor da chapa de metal alaranjada. Sempre que encontrar um deles, interaja com a placa logo na frente para liberar o local para viagens futuras. Agora basta entrar na caixa em cimada chapa de metal para ser levado.

Destrua equipamentos inimigos

As bases de inimigos contam com diversos equipamentos que os colocam em vantagem sobre você, portanto destruí-los vai virar esse jogo. Fique atento a radares, sistemas de segurança e até mesmo luzes de busca.

Ao destruir um radar, por exemplo, você permitirá que seu helicóptero pouse na base inimiga ou faça incursões para bombardear alvos e chamar atenção dos inimigos. Já destruir os sistemas de comunicação impedirá a comunicação dos seus alvos com outras bases, impedindo que eles peçam reforços. Tem ainda o sistema de energia da base, que ao ser destruído desliga todas as luzes, dando a vantagem das sombras se você escolheu invadir de noite.

Escolha a sua abordagem e quebre os recursos dos inimigos para ter sempre a vantagem.

Não menospreze as caixas de papelão

As caixas de papelão não são só piadas da cabeça louca do Kojima, são também equipamentos úteis no campo de batalha que vão muito além do “esconder para não ser visto”. Com as melhorias vindas da “Mother Base”, suas caixas são mais mortais do que nunca.

Um novo uso bem útil é colar os pôsteres que você acha pelo mundo nas caixas para distrair os inimigos, que param para olhar a bizarrice enquanto você se prepara para nocauteá-lo. Cada pôster tem um efeito diferente. Os militares fazem o inimigo bater continência para a caixa, já modelos de biquíni deixam eles bobos sem saber o que fazer.

Outro uso interessante das caixas é para descer colinas em instantes, já que se você correr e pular no chão com a caixa em uma descida ela vai deslizar em alta velocidade até chegar em um ambiente plano. Vai te lembrar dos bons momentos da infância e ainda acelerar o jogo.

Capturando os soldados perdidos de forma fácil

Vários soldados da antiga “Mother Base” estão vagando pelo mundo agora, sem rumo e desesperados por salvação. Diversas missões secundárias vão pedir para capturá-los de volta, já que são ótimos recursos para a sua base.

A tarefa, no entanto não é fácil, e ao primeiro sinal de perigo eles vão sair correndo como loucos e para capturá-los, especialmente nesse mundo hostil e repleto de inimigos, não vai ser nada fácil. Ainda bem que existem truques para isso.

Usar a caixa de papelão (olha ela aqui mais uma vez), vai fazer com que o soldado lembre que você é o Big Boss e venha bater continência para a caixa, o que dá abertura para mandá-lo com o “Fulton” para o céu e completar a missão.

Outra maneira fácil de atrair os soldados é usar música. Isso mesmo, é possível usar o seu I-Droid para reproduzir música que os seus inimigos ouvem. Fitas como “Love Deterrence”, “Paz’s Humming” e “Ride of the Valkiries” vão atrair os soldados até a sua posição.

Parte da história está nas fitas

Uma diferença brutal do “Metal Gear Solid V” em relação aos antigos está na narrativa. Aqui ela é bem solta e algumas vezes parece até perder pontas, sem aqueles monólogos do Snake ou conversas detalhadas sobre os resultados das missões.

Provavelmente com a treta do Kojima com a Konami por conta do tempo de produção, muito da história do jogo foi jogada nessas fitas cassete. Entre no seu menu para encontrar várias delas após cada missão, e lembre que as marcadas em amarelo contam coisas importantes da história.

Não é a forma ideal, já que fica cansativo escutar tudo, mas ao menos é um jeito de entender o que está rolando no mundo sem ficar perdido.

Muliplyer online

Acesso

Metal Gear Online foi adicionado a Metal Gear Solid V via atualização gratuita. Assim que abrir o jogo ele perguntará ao usuário se deseja realizar o download. Com a instalação concluída, Metal Gear Online estará totalmente acessível pelo menu inicial, na opção com o nome do modo multiplayer.

O que é

Metal Gear Online é a porção totalmente online e multiplayer de MGS 5. Não tem qualquer relação com a história ou a campanha, com exceção do personagem criado no início da narração, que aparece no menu de MGO. Aqui é possível participar de embates online contra outros jogadores e acumular pontos ou posições no ranking.

Criação de classe

Ao entrar pela primeira vez é preciso escolher a classe de personagem que vai te definir no jogo: Batedor é o soldado que atira de longe, especialista em rifles e abates; Vanguarda tem prestígio em média distância; e  Infiltrador é o personagem especializado em ataques mais corporais e próximos, com armas de curto alcance. 

Área livre

Assim que entrar no jogo o personagem ficará em área neutra, ainda fora das partidas online. Nesse espaço é possível configurar o personagem, definir armas e habilidades. Pode-se treinar táticas de abordagem, praticar a mira em locais de tiro e mais. A jogabilidade é idêntica a da campanha, com os mesmos comandos.

Modos online

Por enquanto, Metal Gear Online tem três modos distintos: Bounty Hunter, que funciona no esquema “azul versus vermelho” entre duas equipes que disputam o domínio do mapa; Cloak And Dagger, que deixa o desafio maior enquanto uma equipe inteira fica invisível e a outra precisa impedir seu avanço; e, por fim, Comm Control, que coloca os jogadores na disputa por pontos específicos de cada localidade. Novamente, a jogabilidade dos personagens nestes modos é idêntica a da campanha, então vai do gosto de cada pessoa em que tipo de partida prefere jogar.

Fulton e furtividade

Assim como na campanha, é possível eliminar os inimigos de duas formas no multiplayer: letal e não-letal. A forma letal é a que envolve armas e tiros ou golpes diretos nos adversários. Já a não-letal envolve abater seus inimigos sem que eles morram, para chegar próximo e realizar a extração com Fulton, como Snake faz na história com os soldados que abate. A furtividade sempre conta e também é levada a sério no multiplayer.

Objetivos e instruções

Uma boa dica é ficar sempre de olho nas instruções de cada partida que ficam na tela do mapa, ativada ao pressionar o botão de opções. Apesar dos finais fixos, cada partida pode mudar de acordo com o que os adversários fizerem. Não deixe de se atualizar para não perder a vantagem.

Dicas finais

Coloque C4 em veículos e use o “Fulton” neles para criar uma arma mortal contra helicópteros inimigos.

Matar inimigos não diminui o ranking da sua missão desde que você não seja visto, a escolha por ser letal é sua.

Use o “Fulton” em um contêiner e suba nele para deixar o campo de batalha direto para o seu helicóptero.

Com algumas melhorias no seu cavalo, é possível fazê-lo defecar nas estradas. Isso fará com que veículos inimigos derrapem ao passar pelo local.

Chapéus como o “Chicken Hat” e o Lil’ Chick Hat habilitam o modo fácil do jogo, caso você esteja com dificuldades.

Visite a base regularmente e atire dardos nos seus soldados para aumentar a moral do time mais rápido que ir falando com um por vez.

Há diamantes escondidos na “Mother Base”, interrogue seus soldados para achá-los.

Encontre um tradutor o mais rápido possível e então interrogue os inimigos para recursos superiores.

Use o “Phantom Cigar” para passar o tempo e invadir de noite.

Referências:

Critical hits, Uol, techtudo, wikipedia.

The Last of Us

The Last of Us é um jogo eletrônico de ação-aventura e sobrevivência desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony Computer Entertainment. Ele foi lançado exclusivamente para PlayStation 3 em 14 de junho de 2013. Na história, os jogadores controlam Joel, um homem encarregado de escoltar uma adolescente chamada Ellie através de um Estados Unidos pós-apocalíptico. The Last of Us é jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa, com os jogadores usando armas de fogo, armas improvisadas e furtividade a fim de defenderem-se de humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. Um “Modo de Escuta” permite a localização de inimigos por meio de uma escuta e percepção espacial aprimoradas. Armas podem ser melhoradas usando itens recolhidos do ambiente. Há um modo multijogador online em que até oito jogadores podem entrar em diferentes modos de partidas cooperativas ou competitivas.

O desenvolvimento de The Last of Us começou em 2009 logo depois da finalização de Uncharted 2: Among Thieves, o título anterior da Naughty Dog. A relação entre Joel e Ellie foi o foco central do jogo, com todos os outros elementos de história e jogabilidade desenvolvendo-se ao seu redor. A equipe criativa escolheu os atores Troy Baker e Ashley Johnson a fim de interpretarem os personagens principais, que realizaram a captura de movimentos e dublagem para seus respectivos papéis. Ambos auxiliaram o diretor de criação Neil Druckmann com o desenvolvimento da história e personagens. Novos motores de jogo foram criados para satisfazer as necessidades técnicas, com a inteligência artificial de Ellie sendo um grande ponto de desenvolvimento e aprimoramento. A trilha sonora original foi composta por Gustavo Santaolalla, enquanto os efeitos sonoros assumiram um ponto de vista mais naturalista e minimalista do que em outros jogos de ação.

The Last of Us foi anunciado em 2011, gerando grande expectativa. Ele foi aclamado pela crítica especializada, com elogios sendo direcionados particularmente para sua caracterização, enredo, subtexto e exploração da condição humana. O título tornou-se um dos jogos mais bem vendidos do PlayStation 3, vendendo mais de 1,3 milhões de cópias apenas em sua primeira semana e mais de oito milhões depois de catorze meses. The Last of Us é considerado como um dos melhores jogos eletrônicos da história, tendo vencido vários prêmios de Jogo do Ano. Um conteúdo para download chamado Left Behind foi lançado em fevereiro de 2014, com sua história se passando antes do jogo principal e centrando-se em Ellie e sua melhor amiga Riley. Uma remasterização intitulada The Last of Us Remastered foi lançada em julho de 2014 para PlayStation 4, enquanto sua sequência The Last of Us Part II foi anunciada em dezembro de 2016.

Jogabilidade

The Last of Us é um jogo eletrônico pós-apocalíptico de ação aventura e sobrevivência apresentado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O jogador atravessa ambientes arruinados, passando por locais como cidades, edifícios e esgotos a fim de avançar pela história. Armas de fogo, armas improvisadas e furtividade são usadas para derrotar humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. O jogador controla durante a maior parte da história o personagem de Joel, um homem encarregado de escoltar uma garota chamada Ellie através dos Estados Unidos; ela e outros companheiros ocasionais são controlados por uma inteligência artificial. Ellie torna-se temporariamente a personagem jogável durante um segmento da história.

O jogador usa no combate tanto armas de longo alcance (como rifles, espingardas e arcos) quanto de curto alcance (como pistolas, revólveres e espingardas curtas); também é possível utilizar armas brancas (como canos e tacos de beisebol). Garrafas e tijolos podem ser jogados para distrair, tontear ou atacar inimigos. The Last of Us possui um sistema de criação que permite que o jogador aprimore armas em mesas de trabalho usando itens coletados nos ambientes. Equipamentos como kits médicos e coquetéis Molotov podem ser encontrados ou produzidos com os materiais recolhidos. Habilidades físicas, como um medidor de saúde e velocidade de criação, podem ser melhoradas ao coletar pílulas e plantas medicinais. O medidor de saúde do jogador pode ser recarregado por meio de kits médicos caso o personagem tome algum dano.

Apesar do jogador ter a opção de atacar os inimigos diretamente, ele também pode empregar táticas furtivas para atacar ou passar pelos oponentes sem ser detectado. O combate furtivo usa uma mecânica chamada de “Modo de Escuta”, que permite que o jogador localize inimigos por meio de uma escuta aprimorada e percepção espacial. Ao usar o Modo de Escuta, a silhueta dos inimigos torna-se visível, permitindo que o jogador veja adversários em diferentes locais. Um sistema de cobertura dinâmico está presente em que o jogador pode agachar-se atrás de obstáculos a fim de obter uma vantagem tática durante o combate. The Last of Us possui diversos períodos sem nenhum combate, frequentemente envolvendo apenas conversas entre os personagens. O jogador resolve quebra-cabeças simples, como utilizar painéis flutuantes para transportar Ellie, que não sabe nadar, através de corpos de água ou usar escadas e lixeiras a fim de alcançar áreas mais altas. Colecionáveis de história, como bilhetes, mapas e quadrinhos, podem ser encontrados e vistos em um menu.

O jogo contém um sistema de inteligência artificial em que inimigos humanos hostis reagem a qualquer situação de combate em que são colocados. Se um oponente descobre o jogador, ele pode chamar por ajuda ou tirar vantagem do jogador quando este está distraído, sem munição ou no meio de uma luta. Companheiros como Ellie podem auxiliar no combate ao jogarem objetos em ameaças com o objetivo de tonteá-las, revelando a localização de inimigos ou usando uma faca e pistola para atacarem adversários.

O modo multijogador online permite que até oito jogadores participem de partidas competitivas ou cooperativas. Existem três modos multijogador: Ataque de Suprimentos, Sobrevivência e Interrogação. Os dois primeiros são mata-matas em equipes, com o segundo excluindo a opção de renascimento; o último coloca equipes investigando a localização da caixa de fecho inimiga, com a primeira a capturar a caixa vencendo. O jogador escolhe uma Facção em cada modo – Caçadores (grupo de sobreviventes hostis) ou Vaga-Lumes (grupo miliciano revolucionário) – e mantém seu grupo vivo ao coletar suprimentos durante as partidas. Cada partida equivale a um dia; ao sobreviver por doze “semanas”, os jogadores completam a jornada e podem escolher uma nova Facção. Matar inimigos, ressuscitar aliados e criar itens rendem ao jogador partes que podem ser convertidas em suprimentos; essas também podem ser adquiridas procurando em corpos de inimigos. Os jogadores são capazes de carregar mais equipamentos ao ganharem pontos enquanto crescem os suprimentos do grupo. Os jogadores podem conectar seu jogo ao seu perfil no Facebook, alterando assim os nomes e rostos dos outros jogadores a fim de serem iguais aos seus amigos de Facebook. Os jogadores também podem customizar seus personagens com chapéus, capacetes, máscaras e emblemas.

Priorize evoluir a barra de vida de Joel

No decorrer da campanha, Joel encontrará alguns comprimidos de suplementos. Embora cada jogador deva evoluir da forma como desejar a construção do personagem, é extremamente recomendável que um dos primeiros passos seja elevar a barra de saúde de Joel ao nível máximo.

Tenha sempre facas para abater estaladores 

Se você já jogou The Last of Us sabe dos perigos que representam os Estaladores. Existem algumas formas de se executar o inimigo rapidamente. Uma delas é utilizando lâminas. Construa facas e movimente-se bem devagar para se aproximar da criatura. Com dois metros de distância será possível executar o ser sem correr grandes perigos.

Em grupos com vários inimigos mate do mais forte para o mais fraco

Fora da Zona de Quarenta, Joel enfrentará inimigos com um tempo de infecção variado, exibindo diferentes comportamentos. Podemos utilizar como exemplo um dos primeiros contatos dos protagonistas com as criaturas. As salas trazem recém infectados, corredores e um estalador. Elimine primeiro o estalador e em seguida aplique golpes nos demais infectados.

Sempre avance contra os inimigos silenciosamente

Joel não é Nathan Drake. Na maioria das vezes os tiroteios irão terminar de uma péssima maneira para o protagonista. Avance com cuidado, mantendo o silêncio, contra inimigos humanos e seja mais cauteloso ainda ao lidar contra infectados. Observe o chão para não passar por cima de objetos quebrados, gerando ruídos significantes. O simples fato de pressionar a alavanca de maneira mais incisiva pode chamar a atenção dos inimigos.

Atire somente em último caso

“Faça o tiro valer a pena”. A frase dita por Joel para Ellie é de importância vital para os jogadores. Seguindo a dica anterior, evite disparar em ocasiões onde se pode abater o inimigo de forma silenciosa. Além de evitar chamar a atenção de outros adversários, Joel economizará a rara munição para situações onde esta seja a única solução.

Contra corredores busque locais com apenas uma passagem

Os corredores são uma pedra no sapato de Joel. Apesar de não serem tão inocentes quanto os recém infectados, nem tão perigosos como os estaladores e os vermes, os corredores podem causar estrago quando atacam em grande número. Procure levar os inimigos para salas com apenas uma entrada, fique de costas para a parede e empilhe os corpos com duros golpes, ferramentas modificadas e se necessário tiros.

Explore todos os cantos dos cenários 

The Last of Us não é o tipo do game que entrega os recursos aos usuários facilmente. Evite deixar para trás partes do cenário que não façam parte do trajeto linear. Explore portas trancadas, cômodos distantes, extremidades das ruas e fundo dos lagos, tendo sempre em mente que se correr algumas ferramentas decisivas poderão ser deixadas para trás.

CORRA!!!

Esse, com certeza, é o ensinamento mais importante de todos e que vai permear parte das outras nove dicas. No mundo de The Last of Us, a velocidade das pernas é sua melhor amiga em todos os momentos. Está sendo cercado de inimigos? Já enxerga a saída? Quer se livrar de uma situação difícil? Então fuja!

Essa foi a primeira indicação citada pelo nosso redator Durval Ramos quando perguntado sobre esse artigo. Para ele, o dedo colado no botão L2 do controle é a melhor maneira de sobreviver ao título, seja você um adepto da jogabilidade mais estratégica ou um amigo do Rambo.

É claro, ao fugir, Joel fará muito barulho e atrairá a atenção dos inimigos. Ainda assim, muitas vezes, é preferível sofrer um pouco de dano e seguir em frente do que tentar outro tipo de abordagem e acabar morrendo.

Não subestime o poder de seus punhos

Temos aqui mais um caso em que é preferível sofrer pouco dano. Em salas com poucos Runners, principalmente no início do game, prefira atacar fisicamente os inimigos do que gastar munição com eles. Esteja sempre em posse de pedaços de madeira, canos de ferro, tijolos ou garrafas, que tornam o assassinato violento muito mais rápido.

Utilizando armas desse tipo, os “zumbis” ou seres humanos inimigos caem com quatro golpes. Com as mãos, é preciso de quatro a sete acertos para acabar com a raça de um oponente, caso você não esteja próximo a uma parede. Pressione o botão quadrado sem parar e, no caso dos combates contra pessoas, fique atento também ao triângulo, para evitar que o adversário recupere a vantagem.

Aqui, duas exceções podem ser feitas. A primeira se relaciona a momentos em que também se está enfrentando Clickers, que são invulneráveis a ataques com as mãos. Além disso, fique atento aos soldados que portam armas, já que você estará indefeso contra disparos enquanto desce a porrada em um companheiro. Nesse caso, vale mais a pena agarrar o inimigo em questão e aproveitar o escudo humano para fazer uso da primeira dica.

Evite o confronto

Tudo bem que essa dica meio que contradiz as anteriores, mas você sabe como dizem: a melhor defesa é quando seu oponente não pode atacar. E um inimigo que não enxerga Joel não poderá agir contra ele, continuando as atividades normais de seu dia. A furtividade é uma grande aliada em The Last of Us.

E não estamos falando nem de matar os oponentes um a um, na surdina. Muitas vezes, o ideal mesmo é deixar o instinto assassino de lado e permitir que os oponentes vivam para ver outro dia, passando pelas laterais dos cenários e deixando o recinto silenciosamente. Afinal de contas, de nada adianta ser silencioso para matar um inimigo e, com isso, acabar sendo visto pelo restante do exército.

Quando atacar, prefira os sufocamentos com o quadrado e guarde as facas apenas para os Clickers, que são mais fortes e mortíferos. Cuidado com a lanterna nos arredores de inimigos comuns e sempre ande abaixado. Joel provavelmente ficará com dores nas coxas mais tarde, mas é melhor viver com as pernas doloridas do que morrer com o pescoço dilacerado.

Tijolo > garrafa

Ao longo de todo o game, dois artigos serão mais utilizados do que qualquer arma. Os tijolos e as garrafas são itens abundantes e multiuso, já que servem tanto para criar distrações quanto para explodirem a cabeça dos inimigos. Só que, nessa briga, os itens de construção se saem muito melhores que os antigos recipientes.

Tudo bem, as garrafas são de vidro e fazem muito mais barulho, configurando um engodo melhor para levar os inimigos para longe. Mas os tijolos combinam esse poder com a possibilidade de serem utilizados como uma arma letal de uso único, eficazes contra tudo, desde humanos até Clickers.

Por isso, tenha sempre um em seu inventário. Caso prefira usar a garrafa para distração, colete o vidro, jogue-o longe, mas não se esqueça de pegar o tijolo novamente. Em um momento de pânico, ele pode se tornar seu melhor amigo.

CHECAR TUDO

Tijolos e garrafas são os itens mais abundantes de The Last of Us, mas os cenários escondem muito mais do que isso. Seja cauteloso e não corra pela aventura. Entre em cada sala. Abra cada gaveta. Verifique todos os armários. Olhe cada cantinho. Parafusos, lâminas, panos, álcool, adesivos, munição. Tesouros deixados por sobreviventes do passado.

Itens desse tipo nunca são demais e, acredite, você vai precisar de todos eles. O game da Naughty Dog alterna momentos de calmaria extrema com combates frenéticos e tensos, que com certeza deixarão você sem itens de cura e armas. Por isso, é sempre importante recarregar o inventário antes da chegada da próxima situação desse tipo.

Escolha bem as evoluções

Como muitos jogos da atualidade, The Last of Us também empresta elementos de RPGs e traz uma árvore de habilidades. A evolução acontece por meio de escassos medicamentos, que são encontrados ao longo da aventura e permitem a melhoria de diversos atributos. Apesar de todos serem bastante úteis, existem aqueles que são essenciais para que você possa seguir em frente de forma tranquila.

Desde o início do game, foque suas pílulas na habilidade Shiv Master, que dá a você a opção de utilizar uma faca por meio de QTE caso seja atacado por um Clicker. Acredite, ela poupará você de muitas mortes. A seguir, aumente a quantidade total de sua energia para os combates mais complexos da metade para o final do game. Por último na lista de prioridades está a distância do Listen Mode, que facilitará muito sua vida durante as incursões furtivas.

As armas também podem ser modificadas e, aqui, dois upgrades são fundamentais. O aumento na capacidade máxima de munição permitirá que você se defenda por mais tempo antes de precisar procurar um abrigo. Depois, melhore o tempo de recarregamento, de forma a evitar ser cercado ou pego desprevenido sem bala alguma.

Kits médicos e facas nunca são demais

Esqueça as modificações de porretes e bastões. Apesar delas serem úteis em momentos de desespero, não vale a pena gastar um conjunto completo de lâminas em um artigo como esse. Pelo contrário, invista os cortantes em facas, que podem salvar você dos Clickers – como citado na dica anterior – ou tornar os assassinatos furtivos ainda mais rápidos.

Além disso, foque sempre na criação de itens médicos e deixe coquetéis molotov para serem produzidos quando seus kits de cura atingirem a capacidade máxima. Por mais que a arma incendiária seja muito boa para controle de multidões, é melhor sempre ter artigos de primeiros socorros, pois eles são essenciais durante toda a aventura.

Além disso, não se esqueça de sempre produzir itens para evitar ficar com a mochila lotada. Consulte seu inventário o tempo todo e sempre construa coisas com as peças soltas, de forma a poder pegar mais e mais artigos pelo cenário. Em The Last of Us, principalmente nas dificuldades mais altas, cada recurso é precioso e pode significar a diferença entre viver e morrer.

Treine muito

Para muita gente, o arco e as bombas de fumaça podem parecer um desperdício de espaço no inventário. Mas acredite, nos piores momentos da aventura, até mesmo esses artigos difíceis de usar se tornarão essenciais. Saber fazer uso deles de forma versátil dará a você grande vantagem no combate contra humanos e criaturas do inferno.

Se necessário, carregue um jogo salvo diversas vezes apenas para praticar a utilização dos dois itens. Acostume-se com o balanço e recuo do arco e a trajetória bizarra das flechas. Descubra que as flechas podem servir tanto para assassinar um inimigo furtivamente quanto como uma forma de chamar a atenção de alguém para longe de você.

Bombas de fumaça podem não ser letais, mas também servem ao mesmo fim. O alvo aqui são os soldados inimigos, que ficarão assustados e atentos com uma detonação de névoa negra, enquanto você e Ellie escapam sorrateiramente por uma porta lateral. Eles nem vão ver, literalmente, o que está acontecendo.

Aproveite-se da imperfeição

Não existe inteligência artificial perfeita. Então, procure usar esse fator em benefício próprio durante a jogatina de The Last of Us. O comportamento agressivo e violento dos inimigos humanos pode ser freado por atitudes simples que, por mais que não acabem com o perigo, podem gerar preciosos segundos de respiro.

Ao ser atacado por uma grande tropa de inimigos, por exemplo, atire longe um tijolo ou garrafa. Mesmo que eles vejam que foi você quem lançou o objeto, se virarão em direção ao barulho por um segundo, talvez esperando mais um atacante vindo daquele lado. Aproveite para fugir.

Da mesma maneira, utilize o espírito combatente e, por vezes, estúpido de seus companheiros para obter vantagem nos combates. Aproveite enquanto Ellie ou Bill atiram feito loucos nos inimigos, atraindo a atenção deles, para se esconder, usar itens de cura ou mirar bem para fazer valer cada disparo.

Voltando no tempo

The Last of Us é como uma montanha-russa, alternando sequências de calmaria, onde você pode buscar itens e se preparar para o futuro, com combates intensos e até mesmo “apelões” que acabarão com sua munição, itens de cura e dignidade. Na primeira vez, você nunca saberá o que está adiante e tudo o que pode fazer é se preparar para o pior.

Graças à tecnologia moderna, porém, existe uma maneira de evitar situações realmente aflitivas. Muitas vezes, por desatenção ou tentativas frustradas de ataque, você se verá atacado de todos os lados. Mesmo assim, conseguirá sobreviver, só que bem próximo da morte.

Vale a pena recarregar um jogo salvo e voltar para o início do combate, tentando assumir outro tipo de abordagem ou mirando melhor para economizar balas. Acredite, tal estratégia vai além de uma necessidade narcisista por perfeição e fará com que você, no futuro, agradeça à versão do passado por ter retornado no tempo e feito as coisas da maneira correta.

Aprenda a atirar 

Tire algum tempo para praticar a sua pontaria. Ela pode valer momentos importantes na luta por sobrevivência. Para quem está começando, um bom lugar para treinar é o modo multiplayer do jogo. Ainda é essencial escolher com sabedoria as melhores armas para cada momento e tipos de combate

Conheça seu inimigo 

Antes de começar a atirar, é importante diferenciar os tipos de criaturas contra as quais você vai lutar. A cada estágio de infecção, os zumbis ficam mais resistentes. Entretanto, eles também têm fraquezas. Os infectados são perigosos, mas você também deve estar pronto para lidar com seres humanos de diversas facções e com motivações diferentes. Fique esperto para não perder boas oportunidades de ataque e fuga!

Sem medo de voltar atrás 

Se você perceber que a vaca está indo para o brejo, não hesite em voltar atrás e considerar outra estratégia de ataque/fuga. Vários cenários possuem caminhos “mais fáceis” para atacar ou fugir de zumbis e inimigos humanos

“Antes um covarde vivo…” 

Pense no velho ditado como seu mantra. Se você quer ser um Rambo, The Last of Us não é o melhor lugar. Em várias situações, você consegue prosseguir sem ter derrotado todos os inimigos em uma cena. Tenha sempre um tijolo ou garrafa à mão para afastar os inimigos e corra como se não houvesse amanhã!

Referências:

Noticias R7, Voxel, The Enemy, Techtudo, Wikipedia.

The Witcher 3: Wild Hunt

The Witcher 3: Wild Hunt (em polonês: Wiedźmin 3: Dziki Gon) é um jogo eletrônico de ação do subgênero RPG desenvolvido pela CD Projekt RED e lançado no dia 19 de maio de 2015 para as plataformas Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, sendo o terceiro título da série de jogos The Witcher. Ele sucede The Witcher (2007) e The Witcher 2: Assassins of Kings (2011), que foram baseados na série de livros de fantasia Wiedźmin, do escritor polonês Andrzej Sapkowski.

Ambientado em um gigantesco cenário medieval que dá liberdade total ao jogador, o game, que possui uma jogabilidade não linear e é jogado através de uma perspectiva em terceira pessoa, tem o lendário bruxo Geralt de Rívia como seu protagonista, o qual inicia uma longa jornada pelos Reinos do Norte. Enquanto a ordem planetária enfrenta uma grande mudança, com o misterioso e macabro exército de cavaleiros vermelhos conhecido como a “Caçada Selvagem” deixando somente sangue e ruína por onde passa, o jogador terá de enfrentar diversos perigos usando espadas e magia num mundo em crise à medida que interage com outros personagens e completa missões para o progresso da história, podendo viajar a pé, a barco, ou montado em Carpeado, o cavalo inseparável de Geralt.

A trama

Embora a história de The Witcher se desdobre em diversas mídias — em especial nos livros —, neste artigo vamos resumir somente a trama dos dois primeiros jogos para ajudar novos aventureiros a entender melhor suas jornadas em The Witcher 3.

The Witcher

A história de The Witcher é relativamente simples e começa com Geralt de Rívia, sem memórias de seu passado — o que possibilitou à equipe da CD Projekt Red trabalhar com mais liberdade, sem precisar se prender demais à trama dos livros —, que precisa lidar com um grupo conhecido como Salamandra. Boa parte do jogo se resume a caçar os indivíduos desse grupo, que atua como principais antagonistas da história.

Após a Salamandra roubar o mutagênico usado na criação de bruxos, Geralt precisa encontrar e matar Jacques de Aldersberg, um homem que almeja criar um exército de super soldados usando a fórmula dos bruxos.

Ao final do game, Geralt impede o assassinato do Rei Foltest de Temeria e descobre que o assassino também é um bruxo.

The Witcher 2

A tentativa de assassinato de Foltest não foi um ato isolado, e outros reis dos Reinos do Norte não tiveram a mesma sorte que o governante de Temeria: ao longo da região, diversos reis estão sendo assassinados subitamente. A intenção é de desestabilizar o Norte e facilitar uma invasão por parte do Império de Nilfgaard vindo do sul.

Desde o princípio fica evidente que a história de The Witcher 2 é muito mais complexa e elaborada que a do jogo anterior, e são os acontecimentos deste game que têm relevância para o desenrolar da trama de The Witcher 3. Portanto, é importante saber o que rolou no segundo game para saber exatamente o que responder no início de Wild Hunt nas versões para PS4 e Xbox One (e na de PC, se você não jogou os games anteriores).

No início do jogo Geralt de Rívia está preso. O bruxo é mantido encarcerado por Vernon Roche, o líder do serviço secreto de Temeria. Somos então apresentados ao prólogo do game, que mostra que Geralt se tornou guarda-costas de Foltest após a tentativa de assassinato.

O Lobo Branco então segue Foltest rumo ao castelo da Baronesa Mary Louisa La Valette, mãe de seus dois filhos bastardos. O Rei de Teméria quer a guarda das crianças e, durante a invasão ao castelo, Geralt encontra Aryan La Valette, o filho mais velho da Baronesa. É dada ao jogador a opção de matá-lo ou rendê-lo, e essa é a primeira escolha a ter influência sobre a trama de The Witcher 3.

Após a tomada do castelo, Foltest toma as crianças e sofre outra tentativa de assassinato… e dessa vez não escapa. O assassino escapa e a culpa cai sobre Geralt, que é levado preso. Em seu cárcere, o bruxo relata os acontecimentos a Vernon Roche, que acredita em sua versão dos fatos e decide ajudá-lo a caçar o verdadeiro criminoso.

A dupla se junta a Triss Merigold e sai em uma jornada em busca do assassino dos reis. Eles descobrem que o criminoso é Letho de Gulet, um bruxo da Escola da Víbora. Ao se depararem com o assassino pela primeira vez, Letho sequestra Triss e foge. E aqui o game dá ao jogador a opção de seguir com Vernon ou se aliar a Iorveth e os Scoia’tael, um grupo de não-humanos que pregam a igualdade entre as raças. Essa escolha é a segunda a impactar na trama de Wild Hunt.

Se aliado a Vernon, Geralt luta a favor do Rei Henselt; se aliado a Iorveth, o bruxo luta ao lado de Saskia, a líder dos rebeldes e aliada dos Scoia’tael.

Após este evento, Geralt continua sua busca por Letho e chega a Loc Muinne. Caso o bruxo tenha se aliado a Vernon de Roche, a história segue rumo ao resgate de Anaïs, a última filha viva de Foltest (os demais morrem ao longo da trama) e única herdeira do trono de Temeria. Por outro lado, se a aliança foi feita com Iorveth, Geralt sai no resgate de Philippa Eilhart, a líder das feiticeiras.

Triss sobrevive ao sequestro independente da opção do jogador, e essa é a terceira escolha a impactar na história de The Witcher 3.

Ao final do jogo, um conclave visa decidir o que vai ser dos Reinos do Norte sem alguns de seus principais reis. Durante a reunião, Saskia (sob a influência de Philippa Eilhart) se transforma em dragão e inicia um ataque ao local, levando Síle de Tansarville a recorrer ao seu dispositivo de teletransporte para fugir do local.

Geralt sabe que a máquina está com problemas e que Síle pode morrer no processo de teleporte, e é dada ao jogador a opção de alertá-la ou não. Essa opção é levada em conta no terceiro jogo.

The Witcher 3: Wild Hunt – Quem são os Witchers?

Os Witchers são bruxos treinados desde crianças para combater monstros e criaturas sombrias. Por se tratarem de humanos, eles passam por um processo de mutação que concede mais força, agilidade e algumas habilidades e mágicas especiais, mas por outro lado, resulta em esterilidade. Dessa forma, por não serem capazes de gerar filhos, os bruxos acabam adotando crianças — que normalmente são treinadas assim como seus pais.

Existem quatro grandes escolas de bruxos no mundo de The Witcher: a Escola do Lobo, a Escola do Gato, a Escola do Grifo e a Escola da Víbora. É nesses lugares que jovens são transformados em bruxos e passam por rigorosos treinamentos.

Na série, os bruxos se tornaram importantes ferramentas da humanidade (ainda que sejam odiados por boa parte dela) depois da Conjunção das Esferas, o evento cataclísmico que uniu dimensões em um só mundo, obrigando raças como anões, gnomos, elfos, humanos e monstros de todo o tipo a conviverem entre si — e nem sempre de forma pacífica. Foi esse mesmo evento quem trouxe ao mundo a mágica, elemento bastante importante na série The Witcher.

Preciso ler os livros para entender o jogo?

Não, não é necessário ler os livros para não se perder no enredo do jogo. Os games, na verdade, servem como uma espécie de continuação das obras de Andrzej Sapkowski.

O mundo de The Witcher

O imenso mundo de The Witcher abriga diversas localidades importantes, cada uma com suas peculiaridades e histórias próprias. Para te preparar para uma nova aventura em The Witcher 3: Wild Hunt ou ajudar a compreender melhor sua empreitada já iniciada, relacionamos abaixo as principais áreas do jogo.

O Continente

As aventuras de The Witcher se desdobram n’O Continente, uma imensa área dividida entre os Reinos do Norte e o Império de Nilfgaard.

Os Reinos do Norte

Obviamente, os Reinos do Norte englobam os Estados do norte do mapa d’O Continente que, mesmo com uma outra diferença e atritos pontuais, são fortes aliados contra o Império de Nilfgaard.

O Império Nilfgaard

É o grande império do Sul d’O Continente e lar dos cavaleiros negros, os vilões da série The Witcher. Embora tenha assinado um tratado de paz com os Reinos do Norte, as forças do Império de Nilfgaard marcharam para a guerra em direção ao norte no final de The Witcher 2.

Kaer Morhen

Lar dos bruxos da Escola do Lobo, a fortaleza de Kaer Morhen foi invadida por um grupo de indivíduos que eram contra a existência dos bruxos. Durante o cerco, todos os estudiosos, estudantes e vários bruxos foram mortos em uma brutal chacina da qual pouquíssimos sobreviveram.

Quem é quem em The Witcher

Embora The Witcher 3 apresente cada um dos personagens por meio de um glossário e algumas sequências de flashback, relembrar é viver (e não custa nada começar o novo jogo já com alguma bagagem acumulada).

Geralt de Rívia

O protagonista da série The Witcher é um poderoso bruxo de cabelos prateados. O processe de mutação de Geralt foi tão violento que além de transformá-lo em um dos mais fortes bruxos da série o deixou ainda com cabelos brancos no processo.

Quando criança, Geralt foi abandonado por sua mãe na fortaleza da Escola do Lobo, o local conhecido como Kaer Morhen, onde foi treinado e transformado em no bruxo conhecido como o Lobo Branco.

Ciri

A bela moça de cabelos brancos vista nos trailers foi adotada por Geralt quando ainda criança. Ciri foi treinada para ser uma bruxa em Kaer Morhen, mas não chegou a sofrer nenhuma mutação.

Graças às suas habilidades, Ciri tem papel fundamental na trama de The Witcher 3: Wild Hunt.

Triss Merigold

Grande amiga e por vezes amante de Geralt, Triss é uma feiticeira muito poderosa que acompanha o Lobo Branco nos dois primeiros jogos.

Yennefer de Vengerberg

Grande amor de Geralt nos livros, Yennefer faz sua primeira participação nos jogos no terceiro The Witcher. Assim como Triss, Yennefer é uma feiticeira de alta classe e tem grande amor por Ciri, de quem cuida como uma filha e ajuda a treinar suas habilidades mágicas.

Dandelion

Famoso bardo que segue Geralt em diversas de suas aventuras, as quais Dandelion usa como inspiração para suas canções.

Vesemir

Um dos mais experientes bruxos de Kaer Morhen, Vesemir serve como uma espécie de figura paterna para Geralt. Tem grande conhecimento sobre monstros, além de ser um exímio guerreiro. Vesemir sobreviveu ao cerco a Kaer Morhen.

Letho de Gulet

Bruxo da extinta Escola da Víbora, Letho se aliou a feiticeiras e ao império de Nilfgaard com a função de assassinar os reis dos Reinos do Norte e desestabilizar a política da região. Dependendo das suas escolhas em The Witcher 2 (ou em um determinado diálogo em The Witcher 3), Letho pode estar ou não morto.

Síle de Tansarville

Síle é uma feiticeira que inicialmente se aliou a Geralt, mas em seguida se revelou como aliada de Letho em sua missão de matar os reis. Assim como Letho, também pode ou não estar morta dependendo das suas escolhas.

Philippa Eilhart

É a poderosa líder das feiticeiras e uma importante personagem tanto nos livros quanto em The Witcher 2.

Treine e busque Locais de poder para aumentar seu level

Para aumentar o level do seu personagem, habilitar novas skills e se transformar em um cara durão em The Witcher 3, você vai precisar de muitos pontos de XP. Você recebe um pouco toda vez que mata um inimigo, mas para realmente dar saltos e ganhar mais pontos você precisa focar em concluir algumas missões, seja paralelas ou da história. As missões principais lhe dão mais XPs que as secundárias, mas todas são importantes para somar no final das contas.

Procure também por Locais de Poder, que são pedras cheias de energia que, quando absorvidas pelo bruxo, lhe dão um ponto de habilidade toda vez que você encontra a pedra pela primeira vez. Além disso, cada tipo de pedra traz um up em alguma habilidade mágica de Geralt.

Treinar e descobrir novos lugares sempre vai lhe render bons pontos de XP que automaticamente lhe darão mais levels.

Não se assuste com as mecânicas de combate

O tutorial do game apresenta ao jogador um monte de comandos. Ataques, defesas, contra-ataques, diferentes magias, menus de utilização de itens, travar combate e assim por diante. Inicialmente é muito difícil se lembrar de tudo isso e não há qualquer problema em nãos e lembrar de todas as técnicas!

Tenha em mente que inicialmente você só precisa aprender três coisas: a utilizar o ataque normal, a pular para se desviar dos ataques dos inimigos e abrir e utilizar o menu de magias. Só isso! Conforme o jogo for avançando, você vai aprendendo as técnicas mais avançadas conforme elas forem sendo necessárias.

Fique atento a missões secundárias escondidas em diálogos

Exemplo: a missão principal inicial do game, que não é nenhum spoiler, que consiste em caçar e matar um Grifo. Em um determinado momento o jogo estabelece que precisará falar e conhecer uma Herbalista da região. Chegando lá, conversa vai, conversa vem, é mencionado um ponto onde os personagens discutem a respeito de uma moça ferida e sofrendo ali num sofá. A Herbalista diz que ela vai morrer, pois o mal que a comete não tem cura. Seu personagem diz que existe uma poção de bruxo chamado Andorinha que talvez possa curá-la. E a conversa fica por isso mesmo.

Não existe qualquer opção de aceitar um contrato para fazer a poção ou de dar a poção para a moça doente. Ou para falar com ela para ver o que ela acha disso. Fiquei meio encucado com a conversa e proposta solta no diálogo e resolvi entrar no menu do game e em seu inventário. Tinha lá a receita para a poção da Andorinha e já havia colhido alguns itens, faltando apenas um. Por sorte, ou inteligência do game, a Herbalista que também vende itens de poções tinha o que me faltava para criar a poção.

Volte a falar com a Herbalista com a poção em seu inventário e aparecerá um novo diálogo onde posso escolher dar a poção para a moça doente! Assim, cumprindo uma missão secundária escondida, ganhará vários itens, receitas e uma boa quantidade de pontos de experiências! E era uma missão que em nenhum momento o jogo disse que eu poderia fazer. Foi apenas uma conversa solta que deu indícios de que poderia realizar algo ali.

Não há problemas parar uma missão principal para executar secundárias

Dá tranquilo para fazer algumas missões secundárias enquanto a missão principal está sendo executada por etapas. O fato do jogador entrar num contrato secundário não anula as etapas já realizadas da missão principal. E algumas missões, principalmente no começo do jogo, são importante para que você chegue ao nível 2 e tenha a habilidade de recuperar energia automaticamente, sem mencionar que algumas dão espadas e equipamentos que lhe fortalecem antes de ir encontrar o Grifo.

Às vezes não vale a pena viajar longas distancias para ver um ponto de interrogação que indica ter algo a ser feito ali. Eventualmente irá para as proximidades, então verifique aquele ponto. Sendo assim, se há uma missão secundária por perto, vale parar a principal e correr ali para ver qual é.

Pesquise fraquezas de monstros no bestiário!

Essa é até meio óbvia, mas muitos possuem preguiça de olhar os glossários, que possuem textos grandes e pequenos para ficar lendo no meio da jogatina. Porém há alguns monstros que vale a pena olhar e verificar suas fraquezas no bestiário. Principalmente aqueles fracos a certos tipos de magias. É rápido e simples!

O glossário é uma boa também para aprender mais sobre os personagens e suas histórias e o passado deles. É meio cansativo ler tudo sempre que aparece no game, mas tire um tempo quando estiver para parar de jogar para ler alguma coisa ali.

O Poder da Persuasão

Logo que você começa a ganhar pontos de habilidades, você verá que existem muitas opções de upgrade, em vários tipos de segmentos, como força, magia, alquimia, etc. Mas uma das que você precisa desenvolver mais rapidamente é a do sinal Axii. Usar o sinal Axii nos inimigos em combate vai deixá-los temporariamente atordoados, permitindo que você desça o cacete neles enquanto estão indefesos. Você pode ignorá-los também, enquanto foca em outros inimigos.

Agora, o uso mais importante do poder Axii está na hora dos diálogos. Existem momentos em que você precisa tirar informações das pessoas e muita gente não gosta dos bruxos. Ao invés de ouvir as lamentações deles e várias negativas, use o poder de persuasão que o Axii lhe proporciona, influenciando em suas ações. Isso evita alguns combates desnecessários também.

Dicas gerais

Colete todos os itens que puder, não deixe nada para trás: É muito difícil fazer dinheiro sem depender de bugs ou exploits em The Witcher 3, então para ganhar dinheiro honesto é preciso catar muita tralha e vender para os mercadores. Para garantir que nada passou batido, use sempre o sentido de bruxo para saber o que dá para pegar no ambiente;

Catar todo tipo de item também te ajuda a criar novos itens.: É possível fazer suas próprias poções ou visitar ferreiros para forjar armaduras e armas, o que pode sair bem mais barato do que as comprar já prontas;

Não venda todos os seus itens: Armaduras, por exemplo, podem receber upgrades e se tornarem muito melhores. Também existem itens um pouco complicados de dropar, então tente vender apenas o que o jogo marcar como “porcaria”;

Use os troféus que receber: Encontre algum que combine com seu estilo de jogo e equipe-o para receber bônus;

Não gaste dinheiro com poções de cura: use comida para encher sua barra de HP (pontos de vida). Poções são caras e você acha comida de graça quase o tempo todo;

Se optar por usar poções, preste atenção à barra de toxicidade. Se ela encher por completo, Geralt ficará envenenado e começará a perder pontos de vida;

Cuide bem dos NPCs: não atraia monstros para áreas populadas. NPCs mortos não voltam à vida e nem são substituídos (e isso vale inclusive para os mercadores);

Se estiver em um lugar seguro: sem inimigos à sua volta prontos para atacar, você pode meditar (o equivalente a dormir em The Witcher 3) para encher sua barra de HP. Meditar também renova o estoque de alguns itens no seu inventário e enche suas garrafas de poção;

Se em algum momento os guardas das cidades implicarem com você (seja por te pegarem “roubando” ou qualquer outra razão), corra para bem longe. Quando você voltar, eles já terão esquecido completamente de você;

Não perca tempo matando monstros para passar de nível: O melhor jeito de ganhar experiência em Wild Hunt é fazendo missões;

Jogue consciente de suas escolhas: Você pode fazer missões e cobrar algum dinheiro por suas ações (o que pode lhe render uma boa quantia de moedas) ou ser gente boa, não cobrar e ser recompensado de outra forma (com informações ou itens, por exemplo). Nem sempre ganhar dinheiro é a melhor opção, mas ganhar umas moedas de vez em quando não é má ideia;

Preste bastante atenção aos diálogos: Eles conduzem a história e revelam informações importantes com certa frequência;

Sempre atenção a vitalidade

A regeneração de vida de Gerald é extremamente lenta. Tanto dentro como fora de combate. Então você deve sempre estar atento para que sua vida sempre esteja cheia, para que nenhum inimigo te surpreenda. Uma dica é sempre ter no inventário muuuuuita comida! Durante e após um combate, encha a pança e seja feliz!

Namorar não dá XP

The Witcher é um RPG. Então você deve sempre upar seu personagem. Locais de poder sempre ajudam e missões secundárias, locais desconhecidos no mapa e contratos de bruxo te ajudam muito nisso. Afinal de contas, meditar não da XP!!

Equipamento

Um grande guerreiro não é nada sem um bom equipamento. E, convenhamos, só se torna um grande guerreiro aquele sobrevive. Para sobreviver em The Witcher 3: Wild Hunt, ter habilidade e nível alto nem sempre são suficientes; ter bons equipamentos poder ser a chave para progredir sem muitas dificuldades.

Por isso, vamos ensinar aqui a conseguir as melhores armas e armaduras disponíveis no início do jogo. Simbora!

Espadas

Todo bruxo carrega consigo duas espadas: uma de aço, para lutar contra humanos, humanóides e animais em geral; e uma de prata, para acabar com a raça de monstros e criaturas profanas. Você já começa sua aventura em The Witcher 3 com duas espadas, mas logo elas se mostram fracas demais para se manterem úteis.

Ainda bem no início do jogo é possível encontrar os diagramas para duas lâminas bastante fortes e que podem ser usadas por personagens de nível bem baixo (ou seja, são perfeitas para o início da jornada). Tratam-se das espadas serpentinas, que fazem parte do conjunto da Escola da Víbora. Abaixo, seguem as instruções para obtê-las:

1) vamos começar a partir da taberna de Pomar Branco. Volte pelo caminho onde encontrou o mercador atacado pelo grifo volte mais um pouco pela área arborizada e suba a pequena elevação no cenário à esquerda. Você vai encontrar uma coluna de tijolos inclinada, dando acesso a uma área mais alta. Suba por ali para encontrar um acampamento de bandidos bastante fracos (variam entre os níveis 1 e 2). Acabe com eles e colete os itens disponíveis nas caixas e baús, onde você vai encontrar o diagrama da espada de aço do conjunto da Escola da Víbora.

2) O diagrama para a segunda espada está no cemitério de Pomar Branco. Siga até lá com cautela, pois do lado de fora da igreja há uma aparição de nível 7 pronta para acabar com a sua farra. Caso seu nível ainda seja muito baixo, tente desviar das investidas do fantasma esquivando ou dando cambalhotas, alternando com dois ou três golpes fracos de espada. Após receber algum dano, a criatura fantasmagórica fugirá para o interior da igreja. Entre lá e desça até o subsolo, onde você deve terminar o serviço e dar um fim à pós-vida da aparição. Use seus sentidos bruxos ou acenda as tochas nas paredes para encontrar alguns corpos. Vasculhe-os para encontrar o diagrama da espada de prata do conjunto da Escola da Víbora.

3) você vai precisar dos seguintes ingredientes para forjar as duas espadas:

Espada de aço

1x Tiras de couro – compre-as ou desmonte armaduras ou pedaços de couro

1x Lingote de ferro – compre-os ou desmonte armaduras ou armas e forje os lingotes no ferreiro

1x Pó de esmeralda – mate aparições até obter este item (ou gaste uma fortuna comprando de algum mercador)

1x Extrato de veneno – obtenha matando carniçais

Espada de prata

1x Tiras de couro – compre-as ou desmonte armaduras ou pedaços de couro

2x Lingote de prata – compre-os ou desmonte armas ou itens de prata e forje os lingotes no ferreiro

1x Pó de esmeralda – mate aparições até obter este item (ou gaste uma fortuna comprando de algum mercador)

1x Extrato de veneno – obtenha matando carniçais

Leve estes itens ao ferreiro no acampamento do exército de Nilfgaard ao norte do mapa. Além dos ingredientes, você ainda vai precisar desembolsar 120 coroas para forjar essas duas belezinhas.

Depois de forjadas, estes são os atributos das duas espadas:

Armadura

Além de atacar, para progredir é preciso também se defender. E, como nosso amigo Geralt não usa escudos, a melhor forma de aumentar sua defesa em The Witcher 3 é utilizando armaduras. Vamos indicar aqui duas opções de equipamento para você usar no começo da jornada.

1) no início do jogo é um tanto complicado conseguir bons equipamentos, sendo o mais indicado o conjunto Temeriano disponível para download de graça na PSN, Xbox Live e Steam. E de graça só mesmo nessas lojas online, porque no jogo você vai precisar pagar por cada peça da armadura. O conjunto requer que o bruxo esteja no nível 4 e pode ser adquirido no NPC mercador Bram (aquele que você salvou do grifo no começo do jogo), em Pomar Branco. O conjunto completo vai custar algo em torno de 700 coroas, mas vai adicionar +91 pontos de defesa e pelo menos cinco diferentes tipos de resistência.

2) uma segunda opção é fazer upgrades. Seja na armadura inicial de Geralt ou em outras das quais você encontre diagramas, aprimorar esses equipamentos pode ser uma opção mais barata — mas não tão eficaz no começo da aventura quanto o DLC.

O mundo de The Witcher 3 é gigante e vai gastar muito tempo viajando. Então aproveite para explorar. Alguns pontos, marcados com uma interrogação, são pontos que merecem a sua atenção. Podem ser ninhos de monstros, tesouros escondidos e até missões que podem te dar uma ótima grana. Então explore tudo que o game tem a oferecer.

Referências:

Combo Infinito, Gamelogia, wikipedia, playreplay, Portallos.