The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Prey

Prey é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa e sobrevivência desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado mundialmente em 5 de maio de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. A história se passa no futuro em uma história alternativa e acompanha Morgan Yu, um pesquisador na estação espacial Talos 1 que precisa combater os alienígenas hostis Typhoon depois deles escaparem de seu confinamento. O jogador tem a sua disposição várias armas, itens e habilidades que lhe permitem combater os alienígenas e explorar o mundo aberto da estação espacial.

O título não tem relação com o jogo Prey de 2006, desenvolvido pela Human Head Studios, sendo considerado uma reimaginação da propriedade intelectual com uma narrativa totalmente nova. Prey 2, uma sequência do jogo original, começou a ser desenvolvida pela Human Head, porém enfrentou diversas dificuldades depois dos direitos terem sido comprados pela Bethesda em 2011, acabando por ser cancelado em 2014. A Arkane assumiu o projeto, porém não usou nenhum trabalho feito anteriormente, apenas incorporando o nome e a temática geral do protagonista ser perseguido por alienígenas. Este Prey foi desenvolvido como um sucessor espiritual de System Shock, oferecendo ao jogador diversos meios de progredir pelo jogo.

Não se deixe enganar pelo fôlego

O fôlego é uma ferramenta que a jogabilidade insere para deixar a experiência mais difícil, limitada e realista. Não se deixe enganar pela barrinha que guia o fôlego do personagem: ele tem mais do que parece. Basta manter sob controle para não gastar tudo de uma vez e não ficar cansado frente a um inimigo.

O fôlego é gasto quando se usa armas de combate corporal ou quando se corre, então não é algo tão constante. Além disso, habilidades e melhorias fazem com que o fôlego seja um problema ainda menor. Basta saber administrar e você não terá problemas com isso ao longo do jogo.

Modifique a sensibilidade do controle

Seja no joystick ou no teclado e mouse, a sensibilidade padrão do controle de Prey é muito alta, tanto na vertical quanto na horizontal. Qualquer “toque” para o lado e o personagem se movimenta de forma bem rápida, mais do que o necessário.

Para deixar a experiência mais dinâmica, vá ao menu de opções do jogo e selecione as modificações de controle. Reduze em um ou dois níveis a sensibilidade e o resultado já vai ser bem mais aceitável do que o padrão.

Jogue com a tela mais clara

Outra dica que envolve as configurações no menu está no brilho padrão do jogo. Se for possível, aumente um pouco um brilho, sem que atrapalhe sua experiência ou prejudique a atmosfera de tensão que Prey carrega.

Isso por um motivo simples: alguns cenários são escuros demais e escondem inimigos, que também são escuros e saem dos cantos mais inesperados. É claro que usar a lanterna é uma altetnativa, mas ela tem bateria escassa e demora para recarregar. Vá ao menu de configurações e tente aumentar um pouco o brilho, mas só um pouco.

Salve o jogo sempre que possível

Essa dica parece óbvia, até por conta de o jogo ter um sistema de salvamento semiautomático, mas acredite, não é tão óbvia quanto parece. No meio da tensão e da ação, o jogador pode esquecer de salvar facilmente e morrer, obrigando-o a retornar muito no cenário – e você vai morrer bastante, dada a dificuldade do game.

O salvamento pode ser feito no menu básico de pause do jogo, mas não pode ser feito duas vezes seguidas. A principal dica é salvar em “salas seguras”, locais onde você sabe que não há inimigos e onde se pode parar para respirar um pouco.

Não atire tanto

Como em todo jogo de terror e tensão, em Prey a munição é escassa, mais do que se imagina, já que algumas armas nem mesmo usam balas. Algumas você vai encontrar pelo caminho, enquanto outras podem servir como tiros rápidos, apenas para desacelerar inimigos.

As armas funcionam mais como ferramentas do que como itens de destruição, com exceção de uma ou outra. Por isso, use-as sempre com inteligência, sem ficar com o dedo pressionado direto no botão de tiro.

Gaste bem os Neuromods

Os Neuromods permitem que o personagem principal seja melhorado, mas também define quanto menos humano ele fica, ao longo das modificações genéticas que entram no seu corpo. Porém, a principal dica é que você economize os Neuromods que conseguir no início da aventura.

Gastar os Neuromods no início pode ser um grande desperdício, principalmente porque ganhamos eles em muita quantidade nas primeiras horas de jogo, quando ainda não temos muitas ameaças. Tenha paciência que, pouco depois disso, eles serão mais valiosos e mais uteis. Junte-os para gastar melhor depois desse período.

Gloo: a melhor arma

A arma Gloo é uma das melhores e mais uteis do jogo – e ela não mata inimigos, ao menos não sozinha. A Gloo serve para paralisar alvos por um determinado tempo, ou no mínimo reduz seu avanço e permite uma escapada rápida. O ideal com a Gloo é imobilizar inimigos para depois usar uma arma mais pesada e abatê-los com apenas um tiro.

Não ignore os corpos

Os humanos vivos em Prey são poucos. A maioria que você vai encontrar estão mortos ou morrendo. Não deixe de parar por alguns segundos e coletar os itens de cada um deles, pode-se surpreender com o que será encontrado.

Para vasculhar os itens, pressione o botão de ação próximo dos corpos. É possível coletar tudo de uma vez ou só os itens que desejar, dado o espaço disponível na bagagem do personagem. O importante é nunca deixar nada útil passar – e são muitos os itens úteis, seja para reparo da armadura ou para melhorar o personagem.

Vasculhe absolutamente tudo

Quando digo para vasculhar tudo, é literalmente tudo que é possível interagir no cenário, desde lixeiras a armários e gaveteiros. Muitas vezes há itens valiosos como kits médicos, munição de escopeta e kits de reparo do traje em locais que você menos espera. Até mesmo itens mais comuns como qualquer tipo de comida ou materiais que você poderá reciclar mais tarde podem ser um mão na roda.

Além disso, esses containers podem servir de armazém pessoal caso seu inventário esteja relativamente cheio e você está longe de uma máquina recicladora. Só não esqueça em qual móvel deixou seus itens!

Vidros foram feitos para serem quebrados

Ao longo de Prey você encontrará grandes painéis de vidro, intitulados Looking Glass. Neles, você verá vídeos importantes para a trama, mas depois que assisti-los, é uma boa ideia quebrar essa superfície com sua fiel chave inglesa, pois muitas vezes há caminhos e salas escondidas por detrás. Sabe-se lá que tipo de cofre você pode encontrar, não é?

E não se preocupe em não poder mais assistir aos vídeos, pois é possível reparar os painéis, normalmente utilizando comandos em um PC próximo.

Recicle armas também

Além de mandar para o reciclador todas as tralhas que achar pela Talos I, é possível também colocar armas sobressalentes na máquina, resultando em materiais. Toda vez que encontra mais um Canhão Gloo dando sopa por aí, saiba que pode ser uma excelente ideia reservar um espaço no seu inventário para reciclá-lo depois.

Isso é especialmente efetivo pois a maioria das armas resulta em materiais minerais, utilizados na confecção de kits médicos, munição e Neuromods — ou seja, algo que você vai usar bastante.

Torretas são suas amigas

Diferente de Portal, em Prey as torretas são aliadas valiosas, especialmente no início do jogo. Sim, vale muito a pena carregar uma delas para novos ambientes que, muito provavelmente, estarão repletos de mímicos e outros inimigos. Elas atiram automaticamente em qualquer alienígena em seu campo de visão e, muitas vezes, podem limpar uma sala inteira sozinhas.

Mais tarde no game, elas passam a ser menos efetivas conforme você descobre e enfrenta tipos diferentes de aliens, mas em grandes quantidades ainda podem ser muito úteis. Em determinados pontos, elas serão inimigas, caso estejam sob controle de um Tecnopata.

Leia todos os emails

Se você é como eu e não suporta ver sua caixa de entrada com emails não lidos, essa dica é redundante. Mas saiba que inspecionar cada estação de trabalho e cada computador da Talos I pode resultar na obtenção de senhas para cofres ou portas.

É importante vasculhar tudo para adquirir senhas e também novas missões opcionais. Eu recomendaria que você lesse os emails, pois há histórias e anedotas interessantes sobre o dia-a-dia da Talos I.

Priorize habilidades que auxiliem na exploração

É completamente entendível dar prioridade ao combate, principalmente num jogo em que os inimigos aparentam ser muito mais fortes que você e podem se esconder em qualquer lugar. Porém, em função de ficar mais forte, a exploração é imprescindível.

Ao encontrar os primeiros Neuromods – pequenos aparelhos oculares que injetam agulhas diretamente no seu cérebro; funcionam como os pontos de experiência em Prey – você se depará, inicialmente, com três variações da sua árvore de habilidades. Nessas habilidades, há três essenciais que, caso opte pela exploração extensiva, são essenciais:

Hacking: acessar computadores e portas trancadas sem senhas e cartões de acesso pode ser a coisa mais útil e aliviante de se fazer em Prey. Para ter esse tipo de acessibilidade, será necessário investir na habilidade de hacking – com ela, como dito acima, você poderá acessar computadores (ler emails, autorizar acessos etc) e abrir portas trancadas com senhas que podem te levar a recompensas e recursos interessantes.

Repair: como o nome sugere, essa habilidade te auxiliará a consertar máquinas de craft, computadores e portas eletrônicas no geral. Ao consertar esse tipo de equipamento, você conseguirá ter acesso aos objetivos de sidequests – sendo que algumas dependem exclusivamente dessa habilidade para serem concluídas.

Leverage: talvez a mais útil dessas três, essa habilidade concede uma espécie de ”super força” ao protagonista, sendo possível levantar itens pesados para criar passagens, abrir atalhos, descobrir lugares secretos, abrir portas emperradas e usar itens do cenário como armas.

Lembre-se que com a exploração você poderá posteriormente investir em habilidades que te deixam mais poderoso, deixando tudo mais fácil.

Desbloqueie a habilidade “Mimic” assim que possível

No começo do jogo, você estará limitado apenas a habilidades humanas (skills azuis). Prosseguindo na história e fazendo missões principais, Morgan vai ter acesso às skills dos aliens abordo da estação espacial, os Typhons. E a primeira habilidade essencial dessa nova árvore na variação “Morph” é a skill Mimic.

Usando o Mimic você é capaz de se transformar em objetos do cenário, desde uma caneca a um rolo de papel higiênico. Sabe aquela porta barricada que tem apenas um espacinho de baixo? Se transforme numa banana e passe por de baixo. Essa habilidade será um complemento do seu potencial de exploração, te deixando ainda mais livre para encontrar segredos no jogo.

Desligue o marcador da missão principal

Não sei se enfatizei isso o bastante, mas Prey é um jogo de exploração. Por mais tentador que seja seguir na história e desvendar os segredos da Talos I e os envolvidos no incidente na estação, se faça um favor e desligue o indicador da missão principal. Dessa forma você ficará menos preso a um único objetivo e mais a vontade para explorar melhor áreas que você não esteve e/ou explorou pouco.

Graça ao bom senso dos desenvolvedores, isso pode ser feito facilmente indo no menu de Objetivos e simplesmente desmarcando o indicador principal da missão.

No combate vale tudo

Quando eu digo tudo, é exatamente isso o que quer dizer. Ou quase tudo. Vários inimigos – principalmente os que aparecem mais para frente – podem ser um desafio que beira a frustração se você ligar o modo “automático” de simplesmente correr pra cima deles e apertar o botão de atirar. Além de gastar bala à toa, a eficiência desse combate simplório vai te deixar na mão muitas vezes.

Combine seus poderes, explore a possibilidade das suas armas e do ambiente. Cada área da estação possui algo que você pode usar como arma ou combinar para realizar execuções poderosas: arremessar móveis, eletrônicos e tudo que achar pela frente nos inimigos – quanto mais pesado o objeto, mais dano irá causar. Imobilize primeiro os inimigos com a Gloo Canon e bata neles com sua wrench, e assim por diante. A imaginação é o limite.

A dificuldade padrão é o bastante

Esse tópico pode ser um pouco polêmico – principalmente caso se considere como um ótimo jogador de FPS e adora um desafio. Dificuldades mais altas parecem ser tentadoras e um padrão para esses jogadores, mas eu aconselharia tomar um pouco mais de cuidado aqui. Prey não é o típico run and gun como Doom, e sim um jogo onde o racionamento de recursos e tomada de decisão são fatores cruciais.

No início da sua jornada é onde as coisas são mais difíceis. Sem poderes alienígenas, sem armas com upgrades, sem saber no que investir e inventário limitado. Os inimigos batem forte e muitas vezes correr vai ser a opção mais sensata, então, não se acanhe de começar o jogo na dificuldade padrão. Quando você se sentir mais familiar, dificuldades mais altas (inclusive a dificuldade Nightmare) são desafios a serem considerados.

Toda a abertura

Claro, que a gente tá dando uma roubadinha com essa dica, mas a sequência de abertura espetacular de Prey como já é suficiente para te deixar vidrado no jogo. Como um novo funcionário da TranStar Corporation, Morgan Yu te leva por um passeio de helicóptero através de uma deslumbrante paisagem urbana com o objetivo de passar por testes de rotina em uma instalação operada por seu irmão.

Mas como você bem sabe, a “rotina” não é bem uma garantia duradoura, e logo a própria natureza da vida e da memória de Morgan é posta em questão. A Arkane criou essa sequência inteira com bastante cuidado, introduzindo uma variedade de features para a mecânica do jogo, enquanto preparava um cenário para uma história arrebatador.

Até o mapa aberto tem informações importantes para você

A história ambiental é uma ferramenta inestimável para desenvolvedores de games, e a equipe da Arkane tem alavancou esse features ainda mais em sua recente campanha. Morgan pode invadir terminais e ler segmentos de e-mail privados que revelam eventos-chave na catástrofe da estação espacial Talos I. O museu da estação esboça a história da construção, completa ainda com iluminação dramática e placas iluminadas.

Até mesmo os próprios corpos, congelados e retorcidos em agonia, ajudam a criar a terrível história de TranStar e o que está em jogo logo ali na Terra.

Construa suas próprias plataformas (BYOP)

A dica do gameplay de Prey? Empoderar você com tantas escolhas quanto possível. Essa filosofia é exemplificada no GLOO Cannon, um dispositivo que aciona uma cola de rápida expansão. Você pode usar isso para desacelerar os inimigos e diminuir a distância de um ataque corpo a corpo ou para construir plataformas até áreas difíceis de alcançar. Ou você também pode ignorar o Cannon completamente.

Só depende de você

0451

A lendária sequência numérica já vista em títulos como System Shock, Deus Ex, e inúmeros outros é totalmente mostrada aqui no game. Prey se inspira em seus antecessores.

Os imitadores

Talos I está sendo consumido por uma infestação alienígena Typhon. Essas ameaças perigosas e fantasmagóricas assumem muitas formas. Literalmente. O Imitador, uma pequena criatura com velocidade assustadora, pode assumir a forma de quase qualquer objeto na estação. Agora cada caneca descartada ou objeto pequeno poderia ser algum perigo disfarçado.

Morgan, como você ainda vai descobrir, pode destravar essas habilidades… mas tudo tem seu preço.

Economize Neuromods para comprar as skills certas

Essa é bem subjetiva, mas vai te ajudar a aguentar mais facilmente o tranco do game depois de um tempo. Como havia dito, é necessário sim que você colete muita coisa no jogo e, também, se comportar como um urubu carniceiro checando todo bendito cadáver que aparecer no caminho para coletar itens melhores. Primeiro, invista na skill Necrópsia. Com ela, você coletará ainda mais material exótico dos Typhons que detonar pelo seu caminho te ajudando a fabricar bons itens sem se preocupar em esgotar esse material rapidamente. A outra skill recomendada para dedicar seus preciosos neuromods é a de expansão de inventário. Novamente isso tudo é relacionado com a dica anterior.

Há jeitos melhores de tirar itens pesados do seu caminho

Mais uma vez, Prey insiste que o jogador pense fora da caixinha. Não serão raras as vezes que você se deparará com objetos pesados que impedirão seu percurso em algum momento. O jeito mais óbvio e contraindicado é queimar neuromods para comprar a skill de força física. Porém, é bem mais inteligente usar as ferramentas que o cenário te oferece. Há diversos explosivos espalhados na Talos-1. Portanto, use-os a seu favor. Leve esses objetos perto das coisas que barram o caminho e simplesmente meta um tiro para explodir tudo. Te livrará dor de cabeça e ainda te permite comprar habilidades melhores.

Use as benditas Torretas

Facilmente outra habilidade que indico para melhorar sempre que possível é a de hacking. Como disse, Prey é difícil (às vezes, desnecessariamente difícil), mas há as boas maneiras de contornar essa característica ingrata ao gamer casual: as torretas. Seja as terrestres ou os robôs aéreos que te caçam na primeira olhada, o jeito é hacker tudo o que for possível. Esses pequenos robôs voadores te ajudarão em pouco tempo a limpar o cenário já que vagam incessantemente por aí. Já as torretas terrestres, é bom transportá-las para locais que você sabe que encontrará inimigos mais poderosos.

Também é só seguir uma receita de bolo. Posicione suas torretas em locais estratégicos, já seguros. Depois, atraia seus inimigos até a sala com os robôs e os congele com o Canhão Gloo, Voiláa! Desse modo você consegue se livrar de muitos Fantasmas rapidamente a quase nenhum custo de esforço. Lembre-se sempre de levar ao menos uma enquanto perambula pela Talos-1 principalmente em áreas grandes como o Lobby que sempre terão inimigos novos te aguardando.

É importante ressaltar isso porque muitos jogadores podem subestimar o desafio que eles oferecem. Acredite, essas criaturas são pequenas, rápidas e, quando em grupos de 3 ou 4, conseguem te matar rapidinho. Portanto, fique atento. Ao desconfiar de um objeto, já prepare o Canhão Gloo para congelá-lo (ao menor contato, é revelado se é um alien ou não). Caso for, prepare sua chave inglesa ou 9mm é acabe com a raça do maldito.

Referências:

Nos Bastidores, Jogazera, Blog Playstation, Br Ing, wikipedia, techtudo.

Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint

Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint (comumente referido como Ghost Recon Breakpoint) é um próximo on-line shooter tático jogo de vídeo desenvolvido pela Ubisoft Paris e publicado pela Ubisoft. Foi lançado mundialmente em 4 de outubro de 2019, para o Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, e em novembro de 2019 para o Google Stadia. O jogo é a décima primeira edição da franquia Ghost Recon do Tom Clancy e é uma sequência narrativa do Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands um jogo de 2017.

O jogo é ambientado em um mundo aberto chamado Auroa, uma ilha fictícia no Oceano Pacífico. O jogador assume o papel do Tenente-Coronel Anthony “Nomad” Perryman, um Agente das Forças Especiais enviado à ilha para investigar uma série de distúrbios envolvendo a Skell Technology, uma Empresa militar privada em Auroa.

Conheça a Auroa!

Escolha entre milhares de combinações de personalização para criar seu Ghost perfeito. Todos os aspectos do Ghost são personalizáveis.

Então os jogadores se descobrem em uma ilha em um arquipélago remoto no meio do Oceano Pacífico, próxima ao polo sul, chamado Auroa. É lá que fica a Skell Technology, a gigante do Vale do Silício. É aqui que os jogadores ajustam seus Ghosts, desde a aparência até as habilidades. Há milhares de combinações disponíveis, incluindo equipamentos, armas que podem ser aprimoradas e um novo sistema de classes especializadas em furtividade, combate à distância ou assalto.

Você terá 20 províncias para explorar no lançamento, das alturas dos fiordes e picos nevados até as profundezas dos pântanos. Você conhecerá vários personagens e facções nessas províncias. Eles influenciarão sua missão para libertar de Auroa do controle dos Wolves.

Os Wolves, cujo líder é o antigo parceiro Coronel Cole D. Walker, são uma unidade letal do exército americano que se rebelou e está disposta a usar máquinas assassinas para erradicar os Ghosts. Os Wolves têm o mesmo treinamento e experiência dos Ghosts, e assumiram o controle de Auroa e do recurso mais importante da ilha: os drones.

Cuide de seus ferimentos

Faça bom uso do seu bivaque. Produza itens, ative melhores temporárias e viaje rapidamente para pontos de interesse. Prepare-se para sua próxima missão no bivaque.

Ajuste o carregamento de acordo com seu estilo de jogo.

Passe na Loja da Maria para obter ajuda com o progresso do personagem e para comprar armas, veículos e equipamentos. Acesse a Loja diretamente do bivaque.

Equipe as ferramentas necessárias na Roda de Itens, pelo menu de inventário.

Mova-se silenciosamente, proteja-se atrás de coberturas e fique de olho nos seus níveis de vida.

Experimente novas ferramentas e funções, como camuflagem com o solo e drones em miniatura para atirar em vários alvos ao mesmo tempo.

Escolha a ferramenta certa para cada situação. É mais fácil enfrentar um behemoth com uma PEM ou um lança-foguetes.

Conclua desafios para alcançar certos ranks, obter mais competências e aprender mais sobre sua classe escolhida.

E não se esqueça de que você pode vivenciar tudo isso cooperativamente!

Painel de objetivos

A campanha principal não esgota tudo o que pode ser feito em Auroa. Use o Painel de Objetivos para registrar suas metas atuais.

Bivaque

Acampe com parceiros de equipe, planeje missões, aperfeiçoe estratégias, e ajuste o equipamento, classe e armas no bivaque. Também é possível acessar veículos e usar Créditos Skell para comprar e vender itens na loja. Use os binóculos e drones para escanear e desbloquear mais bivaques e viajar rapidamente por Auroa.

Personalização

Criar seu personagem é o primeiro passo da personalização. Também é possível personalizar as armas no Armeiro.

Com o novo Armeiro e o sistema de armas, você vai perceber as mudanças trazidas por cada acessório e como a arma funciona. Os novos sistemas Mark e de desmonte de armas foram implementados para aprimorar essa experiência. Cada arma tem um sistema de progressão Mark vinculado a pequenas melhorias de estatísticas e passivas.

Este recurso dá mais profundidade para jogadores que queiram personalizar suas armas.

É possível salvar carregamentos diferentes para situações distintas e alternar entre eles para ajustar sua abordagem em cada missão.

A personalização das armas não se limita a definir acessórios. Você também pode escolher pinturas para cada acessório de arma.

Missões

Central Social

Erewhon é o ponto de partida para missões novas. É aqui que você visualiza as informações das missões, interage com outros Ghosts, e aprimora e compra novos equipamentos e armas.

Missões de facção

Você terá acesso a 14 missões de facção diárias a partir do lançamento. Estas missões oferecem vários objetivos para apoiar as facções conforme elas evoluem.

Classes

Você poderá desbloquear 4 classes disponíveis na Árvore de Habilidades no lançamento.

Assalto: Técnica da classe – Coragem Verdadeira:Redução de recuo e aumento de resistência a dano,eliminações, cura, e duração estendida.Item da classe – Granada de Gás:Dispositivo de controle de área lançado à mão,dano prolongado.Competências da classe:Saúde extra,  bônus com rifles de assalto e espingardas.

Atirador de Precisão: Técnica da classe – Romper Blindagem: Balas de alta penetração com bônus de dano e velocidade inicial. Item da classe – Lançador de Sensores: Dispositivo lançado que marca inimigos em uma área grande. Competências da classe: Prender a respiração por mais tempo ao mirar, bônus com fuzis de precisão e DMRs.

Pantera: Técnica da classe – Camuflar e Fugir: -Desapareça por trás de uma cortina de fumaça.Item da classe – Spray de Invisibilidade:Autoaplicável, deixa o usuário indetectável por drones.Competências da classe:Saúde bônus, aumenta a velocidade de movimento, supressores em armas de mão e submetralhadoras não reduzem o dano, bônus com rifles de assalto e espingardas.

Médico de Campo:  Técnica da classe – Drone de Cura:Cura e reanima membros da equipe.Item da classe – Kit Médico:Dispositivo de uso manual que cura ferimentos e concede saúde extra.Competências da classe:Reanimação mais rápida, carrega corpos mais rápido, pode se reanimar.

Modo Foto

Gostaríamos de anunciar que Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint terá um modo foto disponível já no lançamento! Ative o modo foto para usá-lo. Vá para menu, opções, e configurações. Lá você encontrará as opções do modo foto.

Pressione F4 no computador ou L3+R3 nos consoles para alternar para o modo foto.

As fotos ficarão guardadas no disco rígido do console. Descubra mais informações sobre o modo foto nos guias dos consoles PlayStation®4 e Xbox One.

Colha todo o loot que encontrar

Independente de estar em uma missão principal, paralela, ou apenas explorando o mapa casualmente, crie o hábito de revistar todos os ambientes que encontrar, desde pequenos prédios a grandes fortes, pois neles é possível descobrir ótimo loot para melhorar seu personagem com novas armas, armaduras, itens e dinheiro. Fique de olho no mapa no canto inferior da tela, pois ele também indica visualmente a localização dos itens na área. Só saia de uma área depois de fazer a limpa nos itens.

Tenha a vantagem aérea

Ao invés de atacar os inimigos em linha reta vindo do chão, o que o torna naturalmente mais vulnerável, é uma boa ideia aproveitar seu paraquedas e cair em pontos estratégicos de surpresa. Ninguém espera um ataque vindo do céu, então vale a pena gastar seus pontos de experiência comprando a melhoria de habilidade do paraquedas bem cedo também, logo depois de investir no boost de experiência. Ataques sorrateiros vindos de cima são a melhor tática de abordagem de Breakpoint!

De olho no fôlego

Evite correr o tempo inteiro com seu soldado, pois o fôlego dos personagens não é infinito, e você pode precisar da energia para escapar de momentos mais tensos. Ao esgotar a barra de fôlego, seu herói ficará fadigado e a barra de fôlego cairá pela metade. Nessas horas, é preciso usar o seu cantil para se hidratar e recuperar a stamina, então tome o cuidado de preencher o cantil nos pontos de descanso em acampamentos ou em fontes de água potável sempre que passar por uma.

Invista na visão térmica

Além das habilidades de paraquedas e boost de XP, outra melhoria essencial para comprar o quanto antes é a visão térmica. Após equipar essa nova skill, seu soldado conseguirá ver os inimigos mesmo nos momentos de chuva forte, nevasca ou noite fechada, já que eles serão indicados por sua visão de calor, no melhor estilo Predador. Evite entrar em emboscadas noturnas antes de comprar essa valiosa melhoria.

Faça bom uso dos recursos de acampamento

Ao sentar para descansar em um bivaque você poderá executar uma série de ações. Será possível acessar a loja da Martha, que vende equipamentos e armas, passar o tempo para definir se você vai operar com ou sem sol, chamar veículos e até mesmo criar rações com os recursos que você encontra no mundo.

Além de todas essas opções, uma em especial deve ser sempre renovada, a preparação. Você pode escolher uma entre uma série da ações para garantir um bônus temporário. A nossa recomendação é escolher sempre a chamada “Recursos”, que garante um bônus de experiência muito bom por uma hora.

Use seu drone para encontrar novos locais e inimigos

O seu drone é importantíssimo em “Ghost Recon: Breakpoint”. Ele serve para várias atividades, especialmente após alguns upgrades na sua árvore de habilidades. Quando estiver explorando, procure um ponto alto e libere seu drone. Faça com que ele voe o mais alto possível e olhe ao redor para encontrar pontos de interesse. Alguns desses locais serão bases inimigas importantes que você terá que invadir mais tarde em alguma missão da campanha, outros serão locais com tesouros e documentos escondidos que servem para a sua progressão.

Planeje sua abordagem e priorize os tipos de inimigo

Jogo de tiro tático sem planejamento vira bagunça. Por isso é importante, mais uma vez, usar o drone para planejar suas ações. Com ele é possível marcar os inimigos nas bases, encontrar locais que possam ter informações e escolher os melhores locais para invadir. Essa estratégia é ainda mais importante para o modo cooperativo, onde comunicação e posicionamento importam, e informação é a palavra-chave.

Após marcar os inimigos e definir o percurso, escolha os alvos que devem ser abatidos primeiro. Os inimigos têm várias funções, e algumas delas podem estragar os seus planos ou piorar a sua situação. O Radialista, por exemplo, pode chamar reforços indesejados. Ninguém quer que tropas de Wolves cheguem para acabar com os planos, portanto lide com eles primeiro. Drones inimigos, snipers e fogueteiros vêm logo na sequência e devem ser eliminados o mais rápido possível.

Esconda os corpos

Durante as missões você deverá lidar com uma série de inimigos, já que dezenas deles ficam de guarda em cada uma das bases do jogo. Se o seu objetivo for permanecer escondido, pode preparar as costas para carregar os “tangos” e não deixar rastros.

Corpos expostos, se forem vistos, ativam o estado de alerta dos inimigos, que começam a patrulhar a área. Drones ficam mais agressivos e vão dificultar muito sua estratégia de não fazer barulho. Carregue os corpos e esconda em locais de difícil acesso ou que estejam fora do caminho normal dos inimigos.

Recicle e melhore suas armas constantemente

Seus pontos de equipamento têm uma certa importância em “Ghost Recon: Breakpoint” e servem para acessar os locais e missões mais difíceis do jogo. Para melhorá-lo será preciso sempre estar atrás de novos equipamentos de raridade mais alta e com melhor desempenho. O problema é que, como em todo jogo desse tipo, sua mochila vai ficando cheia de equipamentos inferiores que já não servem para muita coisa.

Então é possível desmontar as armas indesejadas na sua mochila e receber diversas peças que podem ser usadas para melhorar as atuais. Ao comprar todas as melhorias de uma arma – usando as peças das outras -, ela libera uma habilidade passiva que vai aumentar a sua eficiência em combate. Não fique com item dando bobeira na mochila: desmonte e consiga outros melhores.

Procure por informações e documentos…

Para liberar novas missões e informações importantes para completar as tarefas da campanha, será preciso explorar bem o mapa de Auroa, a ilha de “Ghost Recon: Breakpoint”. Nos locais secretos do mapa você encontrará diversos documentos que levam à conclusão de investigações no seu menu e liberam novas etapas das missões atuais.

Outras informações podem ser conseguidas com inimigos e civis. No caso dos inimigos, procure antes com o seu drone aqueles que vão ficar com o ícone de um “i” sobre a cabeça: eles podem ser interrogados para extrair informações importantes. Já os civis só pedem para que você não esteja em combate para contar o que sabem.

Fixe as missões para se localizar

O ponto alto de “Ghost Recon: Breakpoint” é o seu sistema de interfaces. O menu de edição de missões é muito intuitivo e é possível marcar somente as missões que você quer no canto esquerdo da tela. Após fixar as missões, será possível procurar os locais no mapa e também acessar as informações durante o jogo ao pressionar o botão que mostra a interface.

Como são centenas de missões de armas, acessórios, facção, secundárias e principais, marcar as que você vai fazer em determinada região é essencial para priorizar e economiza um bom tempo.

Sempre procure pelas caixas de armas

Auroa está repleta de armas e equipamentos a serem encontrados. Nem todas as armas são iguais e existem algumas que você pode priorizar, especialmente se quiser aumentar a letalidade do estilo de jogo. Fique atento também às várias caixas de armas escondidas pela ilha: elas geralmente podem ser encontradas em campos inimigos, perto de destroços militares e localizadas em áreas ocultas que exigem um olhar atento. Nem sempre é necessário eliminar inimigos para coletar sua carga com equipamento decente. Portanto, vasculhe o ambiente em busca de novas oportunidades de saques (e caia fora se a coisa apertar).

Você pode trocar entre as classes de Breakpoint a qualquer momento do jogo

Breakpoint permite que você alterne entre essas classes em tempo real. Portanto, não tenha medo de experimentar cada uma delas para ver qual combina com seu estilo de jogo. Você pode alternar entre cada uma das quatro classes ao descansar nos acampamentos do jogo, o que lhe dá muitas opções para enfrentar os obstáculos que estão à frente. No entanto, precisará de uma quantidade razoável de XP para desbloquear cada classe e suas vantagens, portanto, esteja preparado para dedicar o tempo necessário.

Desmonte os itens ao invés de vendê-los

Créditos Skell podem ser obtidos em caixas de espólios e inimigos por toda Auroa. Sendo assim, não venda seus equipamentos velhos na lojinha do game. Ao invés disso, desmonte-os e acumule peças e materiais para aumentar os níveis das armas. Melhorar uma arma de Mk1 até Mk3 concede bônus específicos que podem melhorar suas características como dano, precisão e controle.

Visite a Loja da Maria de uma em uma hora (pode ser acessada em qualquer bivaque)

Se estiver tendo dificuldades de sobreviver em alguma área se nível mais alto e não estiver encontrando equipamentos que melhorem a pontuação de equipamento (nível geral de força e resistência do protagonista, considere visitar a lojinha da Maria em Erewhon ou em qualquer bivaque em Auroa. A lojinha oferece opções de equipamentos de defesa e armas que podem ajudar a subir de nível de poder de equipamento rapidamente e gastando uma quantia satisfatória de créditos Skell. A lojinha é atualizada sempre de uma em uma hora, então faça visitas periódicas.

Priorize a furtividade ao menos para eliminar a maioria dos inimigos de um local

Embora Breakpoint permita que você escolha seu método de engajamento em combate, é válido ressaltar a importância da furtividade. Bases inimigas e locais diversos costumam estar sempre muito bem protegidos, e um combate direto é praticamente pedir para ser derrotado. Tenha paciência, use binóculo e drone para identificar inimigos, equipe um silenciador em suas armas e se esgueire pelos arredores de onde quer invadir. Elimine soldados desgarrados e duplas de inimigos. Tome cuidado para não abater ninguém em local aberto próximo de outros inimigos, pois corpos encontrados colocam toda a base/local em alerta.

Referências:

Ghost Recon, Game Blast, Uol, Red Bull, techtudo, wikipedia.

Death Stranding

Death Stranding (デス・ストランディング Desu Sutorandingu?) é um jogo eletrônico de ação desenvolvido pela Kojima Productions e publicado pela Sony Interactive Entertainment. Foi lançado no dia 8 de novembro de 2019 para PlayStation 4 e será lançado em 2020 para Microsoft Windows. É o primeiro jogo da companhia e seu diretor Hideo Kojima após a dissolução da empresa como subsidiária da Konami, em 2015. O seu elenco conta com os atores Norman Reedus, Troy Baker, Mads Mikkelsen, Léa Seydoux e Lindsay Wagner. O diretor Guillermo del Toro também participará do jogo, mas sua voz e movimentos serão capturados por outra pessoa. O título refere-se ao fenômeno do arrojamento, em que animais marinhos encalham em praias.

Death Stranding foi anunciado oficialmente durante a conferência de imprensa da Sony na Electronic Entertainment Expo de 2016. Seu desenvolvimento completo começou em 2017 utilizando o motor de jogo Decima, criado originalmente pela Guerrilla Games e aprimorado por esta e pela Kojima Productions. Um dos principais aspectos do jogo é a conexão entre vida e morte, com Kojima inspirando-se em um conto do escritor Kōbō Abe (The Man Who Turned Into A Stick (棒になった男 – Bō ni natta otoko) para o desenvolvimento dos temas e jogabilidade do título.

Death Stranding recebeu críticas geralmente favoráveis ​​através da crítica especializada, que o viram como uma experiência única e elogiaram sua dublagem, trilha sonora e gráficos, embora muitos tenham sido polarizados por sua jogabilidade e história.

Entregas

Faça várias entregas por viagem. Cumprir diferentes pedidos destrava ferramentas e uma conexão quiral aprimorada. Quanto maior o nível, mais estruturas estarão disponíveis para a construção, como pontes e torres. Esses recursos serão bastante úteis para poupar tempo de andança.

Entregando itens requisitados ou recuperando a carga perdida vai aumentar a reputação de Sam Bridges como entregador. Quanto mais popular, mais a capacidade de carga é melhorada.

O jogador não está sozinho no universo de Death Stranding. Conforme as criações são colocadas no mundo, os outros jogadores poderão curtir as obras, melhorando os próprios atributos. Claro que é uma via de mão dupla: aproveite as ferramentas deixadas pelos amigos para conseguir caminhos rápidos e melhores.

As caixas postais espalhadas no mundo funcionam como um cofre que permitem guardar itens temporariamente para o protagonista conseguir carregar ainda mais peso.

Carregamento

O gerenciamento é importante. Os pedidos vão exigir itens leves ou uma quantidade grande de cargas pesadas. É importante avaliar a distância e como serão transportados os itens. No início, saiba realocar os produtos no corpo de Bridges e, depois, use veículos, bolsas e tudo o que tiver direito.

O jogador precisa ter uma noção não somente do próprio corpo, mas também do terreno a ser enfrentado. Mesmo que a carga esteja montada no protagonista, os lugares íngremes ou os rios podem dificultar a vida.

Fique atento aos comandos do R2 e L2 que vão auxiliar na hora de manter o equilíbrio. Os MULEs vão tentar desequilibrar e o próprio ambiente parece agir contra o Sam.

A luta contra os EPs

Os BTs são os seres assustadores de Death Stranding. Nestas horas, furtividade é a principal aliada neste momento. O Odradrek, equipamento funcionado pelo BB, vai apontar a localização dos monstros, por isso, evite ficar próximo. Segure o fôlego para conseguir escapar despercebido.

Há a opção de derrotar os EPs e coletar Cristais Quirais. Com as armas corretas, é uma boa forma de obter recursos especiais para a construção de ferramentas.

Mesmo com o aparecimento dos monstros, continue na missão de entregar os pedidos. É possível que novos equipamentos surjam e facilitem a vida contra as criaturas.

Construa as estradas assim que possível

Assim que Sam alcançar Lake Knot City na região central do país, os jogadores podem construir estradas pelo mapa que interligam os terminais, dando fácil acesso aos principais pontos de interesse.

Para isso, é preciso doar boas quantias de cristais quirais, metais e cerâmicas para a autopavimentadora que vai criar as rodovias a partir de carbono.

Essas estruturas ainda são coletivas, ou seja, as estradas que outros jogadores criarem também podem aparecer para você. Por isso é uma boa se conectar diretamente com quem estiver empenhado nas construções, assim vocês podem se ajudar e todos saem ganhando.

Fique de olho nas construções de outros jogadores

Um dos pontos fortes do multiplayer de Death Stranding é a conexão entre os mundos dos jogadores, que faz com que as construções de outra pessoa apareçam aleatoriamente em seu mapa.

Algumas entregas vão fazer Sam carregar mais de 100 quilos, então será bem complicado levar as cargas e os itens de escalada que são cruciais em áreas íngremes e montanhosas.

O jeito mais fácil é fuçar o mapa para encontrar cordas, escadas, pontes ou qualquer construção útil que outros jogadores deixaram por aí e traçar uma rota personalizada por eles — assim você carrega menos carga e ainda consegue fazer um caminho até o objetivo.

Sempre carregue um CQP

O CQP (que significa “construtor quiral portátil”) é o seu mais novo melhor amigo. Ele é uma tecnologia capaz de construir diversas estruturas, como geradores de energia, quartos privados, abrigos contra a chuva temporal e outras coisas úteis.

Em trajetos muito longos que envolvem montanhas, Sam pode ficar cansado ou a energia de sua moto pode acabar, deixando o jogador em uma bela enrascada.

Por isso, é sempre bom ter um CQP acoplado no porta-ferramentas da mochila, assim não sobrecarrega o peso das cargas nas costas e ainda tem um belíssimo “plano B” se as coisas derem errado.

Use e abuse da previsão do clima

Ao decorrer do jogo, Sam acaba adquirindo dois recursos importantes para manter as rotas ainda mais seguras: a previsão do tempo e a criação de abrigos contra a chuva temporal.

Prever o tempo faz com que o jogador fique ciente de quando e onde a “chuva temporal”, causada pela presença de BTs (os monstros do “outro lado”), vai acontecer para poder traçar uma rota que evite os inimigos.

Já para criar um abrigo é preciso de um CQP (já citado aqui antes). Ao interagir com a estrutura, o jogador pode acelerar o tempo até a “chuva temporal” parar e a área já estiver livre dos BTs. Ela ainda restaura o dano de suas cargas, sendo também um belo lugar para Sam descansar.

Preste atenção nas placas espalhadas pelo mapa

Os jogadores podem se ajudar indiretamente colocando placas que avisam de pontos de interesse ou perigos em determinadas áreas. Algumas avisam onde tem BTs ou MULEs (inimigos humanos), outras já apontam fontes termais que restauram a estamina de Sam.

Por mostrarem tanto o que é negativo quanto positivo para o jogador, é sempre bom ficar de olho nelas quando o mapa for aberto. Elas podem dar uma dica valiosa para que a sua viagem não seja interrompida por fatores desagradáveis.

Algumas placas ainda são interativas e podem restauram a energia do protagonista, acelerar sua velocidade, acalmar o BB, entre outras coisas. Então não deixe de passar por elas!

Use bem o espaço e equipamento

Muito do desafio de Death Stranding diz respeito ao gerenciamento de inventário e bom uso do sistema de física do game. Para melhorar os movimentos do protagonista Sam, é uma boa ideia equipar as suas escadas e equipamento de escalada nos seus braços e pernas, distribuindo bem o peso de tudo para que o personagem não tropece sem necessidade. Deixe para guardar na caixa de ferramentas os itens de médio e grande porte.

Corra com cuidado

Sempre que Sam estiver correndo pelo mapa, aumentam as chances de que o personagem caia acidentalmente. Quando o terreno é inóspito, repleto de rampas ou pedras, a corrida é ainda mais arriscada, então prefira andar devagar por essas áreas. Lembre que Sam possui uma espécie de pulo duplo: quando for saltar, aperte o botão de pulo novamente para que o personagem faça um salto longo, ideal para atravessar pequenos buracos e abismos.

Não esqueça de descansar

Sam é uma pessoa comum e não aguenta correr por muito tempo sem parar para descansar. Quando o personagem estiver fadigado, aumentam as chances de tropeçar e perder sua valiosa carga, então pare um pouco de tempos em tempos. Lembre que você pode segurar os botões L2 e R2 nos terrenos mais íngremes para descer com cautela extra.

Equilibre bem as encomendas

Quando as encomendas nas costas de Sam forem muito pesadas, você perceberá que o personagem e as caixas balançam para os lados enquanto ele anda. Tente caminhar de forma a regular sozinho o peso, novamente apertando os botões L2 ou R2 enquanto se vira para garantir que nada caia no chão. A tentação de largar itens pode ser grande, mas eles somem e são considerados perdidos de vez caso você fique a mais de mil metros de distância deles. Sendo assim, guarde os itens que não for transportar ou utilizar.

Ganhe muitos likes

A conexão da sociedade em Death Stranding passa por profundos elementos online. No geral, contribuir para fazer um mundo melhor é a chave para receber curtidas de outros jogadores: melhore as estruturas deixadas para trás por outras pessoas, entregue itens pedidos por outros jogadores e construa atalhos úteis na exploração. Cada curtida recebida gera uma notificação e um pequeno aumento de fôlego. Se a obra de outro jogador estiver atrapalhando seu progresso, segure o botão Options para destruí-la. Quanto mais likes você der, mais curtidas receberá de volta, então não tenha vergonha de enviar muitos joinhas.

Ajudas durante a viagem

Algumas rotas de entrega de Death Stranding consomem muito tempo de viagem. Felizmente, há alguns itens e elementos que tornam o caminho mais tranquilo. Passe por cima de um sinal BB para deixar o feto feliz e aliviar o seu estresse. Passe por cima de uma seta para ganhar mais velocidade em seu veículo. Se estiver com dificuldades para encontrar bons transportes, vasculhe as garagens em busca das motos de outros jogadores. Se você criar mais de quatro veículos, suas sobras serão desmontadas e enviadas online para ajudar outros jogadores também.

Dicas de combate

Mules são os inimigos mais recorrentes de Death Stranding, e a melhor forma de lutar é segurar o botão L2 para preparar seu Strand, e então pressionar R2 para dar parry enquanto o tempo desacelera. Se o inimigo soltar um item, vale a pena pegá-lo rápido para atacar as demais ameaças mais próximas. Quando o inimigo cair, olhe os símbolos acima dele; se aparecerem dois círculos, eles logo levantarão para seguir lutando. Ataque até aparecerem estrelas, o que indica que eles continuarão caídos, sem representar uma ameaça para Sam.

Crie checkpoints pelo caminho

A distância entre dois abrigos pode ser muito grande, então é uma boa ideia deixar caixas de correio no meio do caminho entre seus dois postos de descanso. Nas caixas você pode deixar parte das suas encomendas guardadas, e então viajar mais leve. Outra boa ideia é construir geradores do lado de fora dos bunkers dos Preppers, os personagens holográficos que aguardam suas entregas. Essa é uma ótima forma de ganhar mais likes de outros jogadores. Para o caminho de volta, também vale a pena asfaltar e criar estradas, o que economiza bastante tempo e bateria, pois os veículos rodam mais leves no meio de estradas.

Gerencie bem o seu sangue

Algumas armas disponíveis em Death Stranding funcionam movidas à sangue. Ao utilizá-las, as armas podem sugar o sangue do próprio Sam caso você não tenha uma bolsa de sangue devidamente equipada. Quando for utilizar uma arma de sangue, aperte o botão esquerdo do D-Pad para equipar uma bolsinha de sangue e evitar que o Sam perca energia de forma desnecessária.

Escadas e âncoras são as ferramentas essenciais de Death Stranding, e são úteis até o fim do jogo.

Sempre que encontrar algum obstáculo significativo, é provável que a solução mais simples envolva um destes itens, seja para subir ou descer de algum lugar.

Especialmente ao explorar regiões que ainda não foram conectadas à rede quiral, recomendo levar ao menos duas âncoras e escadas, já que nunca se sabe quando vai se encontrar uma parede ou penhasco.

Preste atenção nas suas botas

Assim como o próprio Sam, as botas que ele utiliza se desgastam com o tempo, ao ponto de ficarem completamente inutilizadas se o jogador não trocá-las.

Por que isso é ruim? Bom, andar descalço pelos terrenos repletos de pedregulhos do mundo de Death Stranding significa que Sam pode começar a sangrar profundamente pelos pés, se não resolvido com o tempo, pode até causar sua morte.

Por isso, carregue pares extras — Sam tem um gancho especial capaz de segurá-las em seu uniforme — e sempre que notar que o desgaste já está significativo (geralmente ao atingir a cor amarela na faixa de durabilidade no canto inferior esquerdo da tela), e fabrique novas botas em lugares conectados à UCA sempre que possível.

Sempre confie na bondade dos estranhos

Pegue coisas de outras pessoas e fabrique os seus próprios equipamentos usando materiais preciosos. Procure itens e veículos em locais compartilhados.

Usar os equipamentos de outro jogador é uma boa estratégia, mas não esqueça de também deixar equipamentos seus para o próximo.

Cuidado com a quantidade de peso que você carrega

Esta é uma das dicas mais importantes para quem está começando a jogar Death Stranding. No começo do jogo, Sam é bastante atrapalhado e vai tropeçar bastante. Para evitar que isso aconteça, abra o menu do jogo, vá na carga e aperte triângulo para que o jogo organize-a da melhor maneira possível.

Dessa forma, Sam se desequilibra menos e você consegue chegar mais facilmente perto do limite de peso que ele consegue carregar. Ele ainda vai tropeçar, mas bem menos do que antes.

Construa (ou evolua) estruturas

Um dos aspectos mais especiais de Death Stranding é ver o mundo ganhar mais forma ao juntar as diferentes partes da região à rede quiral, e a forma mais clara disso são com a construção de novas estruturas.

Por meio de itens como o CQP, o jogador pode construir pontes, torres de vigia, os já mencionados abrigos contra a chuva, caixas postais, entre tantos outras.

Não só isso, as estruturas que outros construíram estarão no seu mundo, e você poderá ajudá-los (e a si mesmo) ao evoluí-los, doando materiais para atingir níveis melhores e resistirem melhor às chuvas temporais.

O melhor exemplo disso é a autoestrada da região central, que requer uma enorme quantidade de recursos em diferentes regiões do mapa, e por isso precisa de um trabalho comunitário (ainda que indireto) para ser completada.

Não se apegue aos veículos

Em certo ponto, é possível desbloquear (e, posteriormente, fabricar) veículos como motocicletas e caminhonetes para atravessar o mundo mais facilmente.

Ao conectar as regiões à rede quiral, também será possível encontrar veículos de outros jogadores espalhados pelo mundo.

Por isso, se você encontrar um terreno em que for essencialmente impossível seguir com o veículo, não há problema em abandoná-lo. No outro ponto, é provável que haja uma caminhonete e moto semelhantes, criadas por outras pessoas, que também ficaram por lá

(Isso se complica um pouco, claro, caso você esteja carregando uma grande quantidade de itens para entrega)

Aproveite e compartilhe com o mundo

Relacionado aos pontos acima, Death Stranding reforça que seus jogadores estão, em maior ou menor escala, conectados e unidos uns com ou outros, e suas ações podem refletir de certa forma no game dos outros.

Cargas perdidas por jogadores conectados podem ser entregues para eles, da mesma forma que qualquer coisa que você perder irá para o jogo de outros. É possível doar materiais e itens que você não precisa, do mesmo modo em que é possível resgatar o equipamento dos outros.

Death Stranding é uma experiência compartilhada, ainda que de forma não-convencional, e por isso é melhor aproveitado se você cooperar com os outros de pequenas formas.

Recicle!

Isso é uma dica para a vida real também, mas reciclagem é uma ação essencial em Death Stranding, especialmente por ser um mundo em que recursos são tão escassos que o ideal é reaproveitá-los de outras formas.

Itens como botas, escadas, âncoras e granadas desgastadas com a chuva temporal podem ser recicladas e seus materiais usados para criar outros equipamentos.

Maletas e barris de materiais também devem ser reciclados para que centros de distribuição e abrigos para que abastecê-los e permitir ao jogador a construir mais coisas, então é aconselhável parte destes materiais espalhados pelo mundo – desde que não tenha coisas demais para cuidar, claro.

Um entregador prevenido vale por dois

Já que o assunto é se preparar, agora é hora de definir o melhor caminho. O mapa no menu do Death Stranding é extremamente detalhado, com uma definição muito clara da topologia e todos os elementos naturais que você irá enfrentar pelo caminho, como rios, montanhas e erosões. Evitar o máximo de percalços é possível fazendo uma boa marcação de caminho no mapa.

Ao pressionar quadrado, é possível marcar um ponto. Segure o botão e arraste até o próximo local desejado e solte. Isso criará uma linha estilo GPS dentro do jogo, bastando então segui-la para chegar aonde você quer. Lembre-se que não basta traçar dois pontos até o local da entrega, vá traçando diversos desvios para evitar os terrenos mais acidentados, buscando o caminho mais rápido e também seguro. Uma linha reta que passe por uma montanha enorme vai exigir mais que os desvios.

Além disso, por conta do Stranding System, você poderá ver placas deixadas por outros jogadores, que geralmente sinalizam que naquela local existem EPs, MULAS e outros inimigos que podem te atrapalhar. Enfrentá-los ou desviar é escolha sua, o importante é estar preparado.

Se ficar meio perdidão, pressione L1 para ativar o módulo bússola, que te joga em uma espécie de tela em primeira pessoa. Nessa tela é possível utilizar o D-Pad para virar para a direção dos pontos importantes e marcados no mapa sem precisar ficar se localizando pelo menu.

Use seu Scan para saber por onde andar

O Scan é imprescindível para navegar pelo mundo de “Death Stranding”. Ele coloca pequenas marcações e ícones por longas distâncias, mostrando por onde é melhor navegar e quais locais devem ser evitados.

Antes de atravessar um rio, por exemplo, sempre utilize o seu Scan. Os locais que forem marcados com bolinhas azuis podem ser atravessados com facilidade. Já os amarelos vão cobrir o Sam até o peito, deixando o bebê estressado. Os pontos vermelhos significam que o local é muito fundo, o que te fará ser arrastado pela correnteza, e soltará boa parte das suas cargas das costas. O mesmo vale para locais íngremes.

Além de ajudar na navegação, o Scan ainda indica recursos, como cristais quirais e criptobiontes, que podem ser coletados pelo caminho. Também indica caixas deixadas por outros entregadores e até mesmo a posição de inimigos. Faça bom uso dessa ferramenta.

Evite a chuva

A Chuva Temporal é um dos principais danos que o Death Stranding trouxe para a América criada por Hideo Kojima. Quando em contato com essa chuva, materiais e células vivas têm o seu tempo acelerado, o que envelhece os seres vivos e estraga as suas cargas.

Sam tem um traje feito para evitar essa chuva, mas ele não protege as cargas. Se você for até o seu menu de cargas, notará que existe uma barra de vida para as caixas, e outra para a carga em si. A Chuva Temporal corrói esse recipiente e depois estraga a sua carga em poucos minutos.

O ideal é evitar pegar chuva, mas nem sempre é possível. Para garantir que a sua carga chegue inteira e você receba mais curtidas pela boa entrega, tente sempre manter o recipiente intacto. Para isso, leve sempre o Spray de Recuperação de cargas. Esse item recupera os recipientes, tirando toda a ferrugem causada pela chuva. Ele inclusive recupera alguns dos seus equipamentos. Você pode direcioná-los direto para as costas, ou para frente se suas cargas estiverem empilhadas em um trator flutuante.

Em certo ponto, o Stranding System terá uma construção específica para isso: uma proteção para chuva que já atira o spray nas caixas. Mas ele chegará bem mais para frente no jogo, então não conte com ele no início. Outro recurso que chega mais tarde e protege da chuva é a caminhonete, que é coberta. Mas sem estradas pode ser um martírio ir para alguns lugares com ela.

Bastões revelam sua posição para os MULAs

Diferente dos jogos anteriores do Kojima, em “Death Stranding” o foco em combate e furtividade é bem superficial. Os inimigos são menos inteligentes e não contam com tantos estados de alerta como nos jogos anteriores. Para compensar, eles possuem um truque que vai revelar a sua posição caso falte atenção.

As MULAs são os inimigos humanos, que ficam de olho nos entregadores para roubar a carga e guardar em seus armários protegidos em um acampamento. Para detectar os entregadores, eles colocam bastões no chão que leem as etiquetas das suas cargas. Se você notar o bastão amarelo fincado no chão, desvie, caso contrário ele vai revelar a sua posição.

Se você caiu no truque dos caras, procure logo um local para esconder, como matos altos. Caso você esteja confiante, apenas encare de frente, um por um. O combate não é muito desafiador, então também é uma boa opção. Se eles roubarem a sua carga, vá até o acampamento mais próximo e procure no armário, sua carga provavelmente vai estar lá.

Leia os e-mails

Durante a sua jornada, Sam vai se conectar com diversas pessoas, compartilhar experiências e também acompanhar os resultados das mudanças do mundo na vida destas pessoas. Eventualmente elas irão enviar emails para contar as novidades e conversar um pouco.

Somente por abrir esses emails você ganhará algumas curtidas dessas pessoas, o que, somado às informações extras sobre o mundo e mecânicas, já valeria a pena. Mas o interessante mesmo é que alguns desses emails contém informações para missões secundárias e colecionáveis. Fique atento para descrições de pontos brilhantes, águas termais e muito mais.

Leia as entrevistas

A história de “Death Stranding” não é tão complicada como parecia, mas existem dezenas de detalhes que ficam escondidos e vão fazer os jogadores que encontrarem se aprofundar mais na narrativa proposta para o jogo. A maior parte delas será encontrada nas chamadas entrevistas, documentos que ficam no seu menu de informações.

A cada nova etapa alcançada em um relacionamento com um dos personagens, você poderá ganhar uma nova entrevista, que conta diversos detalhes do mundo antes, durante e depois do Death Stranding. Se você quer dominar todos os segredos do jogo, faça sempre uma visitinha para esse menu.

Troféus fáceis

Se você curte ir atrás de troféus, existem alguns muito simples de serem obtidos logo nas primeiras horas de jogo. Gritar, dormir, fazer xixi e trocar suas botas pela primeira vez, por exemplo, lhe darão troféus. Basicamente, você ganha um troféu sempre que utiliza uma mecânica do jogo pela primeira vez.

Cuide do BB

O famoso bebê de “Death Stranding” passará quase que o tempo todo ao seu lado. Acalmá-lo para que seu nível de stress não fique elevado pode ser a diferença entre a vida e a morte quando você estiver cercado por BTs. Se ele começar a chorar, aperte L1, depois d-pad para baixo e quadrado para escolher a opção de acalmar o BB. Descansar no quarto e em fontes termais também ajudam nesse processo.

Faça bastante xixi

É uma das mecânicas mais engraçadas do jogo e tem três utilidades. A primeira é que o xixi faz crescer cogumelos que podem ser vistos por outros jogadores. A segunda, e mais importante, é que xixi serve para criar Granadas EX No.1, que podem ser utilizadas contra os BTs.

Dicas finais

É possível escapar dos EPs mesmo depois de ser pego. Não deixe eles te derrubarem e saia da zona de alcatrão. Assim que sair, se abaixe, você estará seguro e escondido de novo.

Se for derrubado, você também pode escapar do EP gigante. Corra para fora da zona do alcatrão e ele irá desaparecer para o outro mundo junto com todos os inimigos da área.

Ajude a construir estradas, elas aceleram a travessia pelo mundo.

Faça entregas secundárias para conseguir equipamentos melhores ao ganhar mais estrelas de afinidade com o local.

Use os esqueletos corretos para cada terreno, focando na velocidade e na integridade da carga.

Referências:

Jovem Nerd, Critical Hits, Meu PS4, The Enemy, Uol, Techtudo, Wikipedia.