Wolfenstein: Youngblood

Wolfenstein: Youngblood é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela MachineGames e Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado em julho de 2019 para Microsoft Windows, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One, e em novembro para Google Stadia. É um derivado da série Wolfenstein e sequência de Wolfenstein II: The New Colossus de 2017, se passando em Paris em 1980 em uma história alternativa em que a Alemanha Nazista venceu a Segunda Guerra Mundial. A narrativa segue as irmãs Jess e Soph Blazkowicz, que vão à procura de seu pai B.J. depois dele ter desaparecido.

Jogabilidade

Wolfenstein: Youngblood é um jogo eletrônico de tiro jogado a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. Os jogadores podem escolher assumir o controle de Jess ou Soph Blazkowicz, com a outra personagem sendo controlada pela inteligência artificial ou por outro jogador em um modo cooperativo. Diferentemente de títulos anteriores da série, as missões de Youngblood podem ser completadas de forma não-linear. Novas habilidades e equipamentos podem ser desbloqueadas no decorrer da história.

Primeiro passos

Separem um tempo para se familiarizarem com o esquema de controle e as habilidades únicas de cada mecha na sala de treinamento. Não há limite de tempo nos tutoriais, então pratiquem até se sentirem confortáveis no comando das máquinas antes de iniciarem as missões.

Elementos do HUD como sua saúde e o aquecimento das suas armas são exibidos como luzes nas laterais da janela da sua cabine. Fiquem sempre atentos a elas para saberem quando se curar ou deixar suas armas esfriarem.

Antes de cada missão, vocês começarão no abrigo nazista abandonado. Explorem os diferentes andares do complexo utilizando a alavanca do elevador na sua cadeira no jogo.

Há alguns easter eggs espalhados pelo jogo, só esperando que alguém os encontre…

Panzerhund

O Panzerhund é construído para se aproximar do alvo e causar dano. Usem a habilidade de corrida para ganhar um aumento de velocidade e conseguir esmagar inimigos como um aríete, depois causem dano com o lança-chamas.

Drone

O Drone é a máquina de movimentação mais versátil que vocês vão pilotar, contando com controle vertical completo. Usem a altitude a seu favor para avançar sorrateiramente pelo complexo nazista.

Prestem atenção nos padrões de patrulhamento dos nazistas e movimentem-se de acordo para não serem detectados. Lembrem-se de usar o dispositivo de ocultamento e também o ataque elétrico de curto alcance para evitar ou eliminar inimigos no seu caminho.

Quando forem hackear, virem o controle devagar até encontrarem a posição certa e então segurem-no até o HUD ficar verde.

Zitadelle

O Zitadelle é grande, corpulento e altamente armado. Cheguem com tudo e façam as balas e foguetes voarem, Cyberpilotos! Só não deixem suas armas superaquecerem ou elas ficarão desativadas por um breve instante.

Seu escudo/PEM tem um tempo de recarga moderado, então tentem guardá-lo para lutas contra vários inimigos. (Ou um inimigo grande!)

Separem um tempo depois de cada confronto para verificar se estão precisando de reparos. É recomendado se curar antes da batalha seguinte.

Consiga as duas habilidades iniciais o quanto antes

Assim que você começar o jogo e escolher qual das irmãs vai controlar, terá de optar por um poder inicial: ficar invisível para ataques furtivos garantidos, ou a pancada, que pode quebrar algumas portas e paredes mais frágeis.

Escolher uma delas não quer dizer abrir mão da outra, que ainda estará disponível na sua árvore de habilidades. Como vários segredos da jornada dependem delas, vários com ótimas recompensas, o ideal é investir na sua segunda opção assim que possível para não deixar nada para trás.

Arremesse suas facas nos grandões

O combate corpo-a-corpo está muito forte em “Wolfenstein: Youngblood”. Isso porque várias habilidades da árvore são focadas no uso das facas e machadinhas, especialmente no arremesso delas.

Com alguns upgrades, seu arremesso vai ficar sobre-humano e causar dano alto e direto na vida dos inimigos. Isso fará com que você possa enfrentar até inimigos de níveis mais altos com facilidade, matando mesmo os mais pesados com um ou dois arremessos.

Não bastasse o dano absurdo, ainda é possível recuperar as armas arremessadas depois do golpe. Não perca tempo e invista nas habilidades com facas.

Use os sinais de ânimo

Os sinais de ânimo são como os emoticons dos jogos online, mas com a diferença de que dão um bônus aos seus atributos, desde armadura até dano.

Para usá-lo basta utilizar o D-Pad no controle ou a letra “T” no teclado. A sua personagem vai fazer uma graça e aplicar o bônus indicado no menu. Se você estiver jogando sozinho, é possível escolher também o sinal da sua irmã.

Como o tempo de recarga é bem curto, use e abuse dos sinais de ânimo durante o combate.

Visite Abby e as catacumbas regularmente

As catacumbas são a base da resistência no jogo. Lá você encontrará os principais membros do grupo que quer liberar Paris das garras dos nazistas. Além disso, é o local onde se encontra a Abby, a melhor amiga das filhas do nosso Terror Billy.

É importante sempre voltar nas catacumbas quando estiver dando um tempo entre uma missão ou outra. O primeiro motivo é para conseguir as sidequests, que são dadas pelos membros da resistência. O segundo é receber as missões diárias e semanais da Abby, que fica em uma mesa no centro do local.

Use a arma correta em cada situação

As armas têm diferentes tipos de munição, que servem para diferentes tipos de inimigos. Alguns nazistas têm armaduras pesadas e variam na quantidade de vida e velocidade de movimento. Para combater cada um deles de forma eficiente é preciso saber quais são as melhores armas.

Ao abrir a roda de seleção de armas, repare no ícone ao lado do contador de munição. Se ele for um quadradinho igual este na imagem, significa que as balas dessa arma têm boa penetração em armaduras e escudos. Caso contrário, ela causa dano extra em tecidos humanos.

Além disso, é importante dominar as distâncias de funcionamento de cada arma e suas melhorias. Com um pouco de prática você pega o jeito e logo e logo estará libertando Paris sem muito esforço.

Consiga os bônus na melhoria de armas

Uma das novidades de “Wolfenstein: Youngblood” é a personalização detalhada das armas, que podem ser modificadas desde a coronha até o cano. Como o jogo se transformou em um RPG, as armas agora possuem atributos que influenciam muito no combate e são modificados drasticamente com as melhorias.

É importante ficar atento aos bônus por usar várias melhorias de uma mesma marca. Na Sturmgewehr, por exemplo, o rifle de assalto do jogo, é possível conseguir bônus de dano, munição ou tiros na cabeça. A partir do nível 25 é possível melhorar ainda mais esses upgrades, uma verdadeira “inception” de números que no fim vão significar miolos nazistas explodindo de forma mais rápida.

Outro detalhe que você deve ficar atento é com a perícia da arma. Quanto mais uma arma for usada em combate, mais experiência com ela sua personagem vai ganhar, o que garante alguns bônus pra lá de especiais.

Os inimigos mais fortes tem pontos fracos

Existem diversos mini-chefes no jogo, que contam com armadura pesadíssima e ataques especiais. Soldados de elite podem ter suas placas de armadura arrancadas para gerar mais dano, enquanto os Panzerhund, que parecem cachorros de metal e cospem fogo, têm canos expostos que podem ser atingidos para explodir.

Descobrir o ponto fraco de cada um deles cabe a você. Portanto, fique esperto e tente diversas abordagens para descobrir a fraqueza do inimigo e usar na próxima vez que encontrá-los.

Como conseguir as armas especiais?

Você irá notar que várias portas do jogo estão trancadas e necessitam de uma arma específica para serem abertas, como a Laserkraftwork ou a Diesel. Por conta disso é capaz de você ficar procurando essas armas em todos os cantos e acabar se enrolando na progressão.

A dica é não ligar para essas portas no início, já que você poderá voltar a qualquer momento para as regiões que visitou em Paris e então abri-las. As armas especiais vão ser dadas no decorrer da narrativa de forma natural. Portanto curta a ambientação e se divirta com o tiroteio.

Inimigos surgem novamente

Ao chegar em uma nova região, diversos inimigos vão estar esperando e patrulhando cada canto da cidade. Sua reação será matar um por um, seja sorrateiramente ou no melhor estilo Rambo. Ao avançar para a próxima área você vai ficar sem vida e terá a brilhante ideia de voltar para buscar aquela cura que deixou na área que tinha limpado minutos atrás. O problema é que, ao chegar lá, você será baleado pelos novos inimigos que surgiram no local.

Por se tratar de um jogo que depende de experiência e deixa você treinar para ficar mais forte, “Wolfenstein: Youngblood” faz inimigos darem o famoso “Respawn” nas áreas do cenário. Portanto, sempre que for de uma área para a outra, recupere sua vida, munição e se prepare para reencontrar os inimigos.

Não é possível pausar o jogo

Uma dica importante que você deve manter na memória para não se estressar é que não existe pause em “Wolfenstein: Youngblood”. Acessar o menu de armas, missões ou mesmo a tela de configurações no PC não pausa a jogatina, e os inimigos vão te atacar, mesmo que não esteja jogando online.

Portanto, nada de abrir o menu em locais perigosos ou ficar desatento e esquecer que a ação por aqui não para nunca.

Verifique a lista de tarefas de Abby

Uma vez que você tenha algumas horas de jogo, Abby nas Catacombs abrirá sua lista de tarefas, que é basicamente um gerador de missão ambiental. Você pode aceitar desafios diários ou semanais para concluir, e você também pode pegá-los o mais cedo possível para que possa começar a trabalhar. A maioria deles é desbloqueada sem que você pense sobre isso, mas certifique-se de verificar de vez em quando e colocar ênfase em usar a arma correspondente ou procurar certos inimigos para acumular o registro e acumular esses preciosos globos de experiência. Ele é adicionado rapidamente, e através do menu você pode repetir missões antigas para pegar grandes potes de XP se você estiver à beira de um nível.

Use sua habilidade acrobática

Não ignore sua natureza ágil em Wolfenstein: Youngblood. Jess e Soph têm um fantástico salto duplo desonrado em seu arsenal, que você deve usar quando estiver na plataforma, mas você também deve pensar em como isso se aplica na batalha. Eu me encontrei pulando para evitar lasers inimigos e tiros. Desviar o olhar é fácil quando você pula, desliza e corre (há uma habilidade que permite que você faça uma rápida esquiva) e faz com que escapar da morte seja muito mais fácil quando os nazistas pressionam ou você está cercado. Suba nas paredes e se esconda atrás da arquitetura, então pule e pise em alguns fascistas pulando e pressionando Circle / B. Aproveite suas habilidades em acrobacias para tirar o fôlego de um tiroteio. Se você não é um pato sentado!

Pep gosta de não amanhã

Como está preso em um posicionamento desajeitado de botões no D-Pad, pode ser difícil conseguir um bônus de ânimo no calor da batalha, especialmente se você não for o mais destro dos seres. No entanto, eles são absolutamente essenciais para a sua sobrevivência, especialmente quando você está em grave perigo. Economize quando estiver começando para receber um dos melhores sinais de vital importância – escolha um que preencha sua saúde ou seu medidor de armadura – e toque nele quando estiver perto da morte para recuperar a saúde. É mais fácil quando você pensa nelas como habilidades para salvar vidas com um rápido cooldown. Você também pode atribuir sinais para a irmã oposta se estiver jogando sozinho. Eu dei a Soph dano duplo cedo, então eu teria um monte de dano caótico ao rasgar grupos de nazistas com meu rifle. Como você pode imaginar, foi super eficaz.

Use o AI solo para sua vantagem

Jess ou Soph vão deformar a sua pessoa se você tentar abrir uma porta ou abrir uma caixa de vida compartilhada ao jogar sozinho, e você pode usar isso para tirá-la do caminho do perigo se ela estiver em perigo ou rapidamente ultrapassar um objetivo que você está lutando, forçando a porta aberta. Youngblood pode fazer fronteira injusta com suas taxas de spawn inimigas, às vezes – lute um pouco, atacando a IA quando precisar! Eles também são super capazes sozinhos, então não tenha medo de tocar sozinho se você precisar. Apenas seja avisado, eles podem te pegar se você estiver em uma plataforma ou andar diferente para eles.

Queime uma vida para salvar um

Muitas vezes você vai entrar em arranhões onde você está de joelhos e sua irmã está prestes a morrer também. Pode parecer que o fim está próximo, mas para antecipar a morte iminente e um subsequente fim de jogo, há mérito em sangrar a pressa para que você possa usar sua vida em comum e reviver sua irmã enquanto ela ainda está para baixo. Neste caso, você queimaria uma vida para salvar uma, mas é isso ou você está morto e você tem que começar o nível novamente. Dado que o checkpoint pode ser bastante brutal, vale sempre a pena utilizar esta tática se você estiver à beira da morte.

Seja frugal com seus pontos de habilidade

Não desperdice, não quero como eles dizem – o mesmo vale para pontos de habilidade em Youngblood. Escopo fora as árvores no jogo para as habilidades que realmente importam – consulte o nosso guia de melhores habilidades para alguns ponteiros lá. Muitas vezes as melhores habilidades são bloqueadas por trás de algumas arbitrárias bobas que custam um ou dois pontos, então vale a pena gastar um pouco para ter acesso a uma habilidade melhor mais tarde. Tente e mantenha o foco em sua build também – assim que você encontrar um estilo de jogo, desfrute de arma para habilidades que complementem – talvez melhore seus stealth Cloak over Crush se essa for sua abordagem – e garanta que você economize seus pontos quando novos níveis desbloquearem nos níveis 10, 20 e 30.

Destrua os escudos inimigos com o tipo certo de munição

Um dos principais modificadores de combate em Youngblood é a existência de dois tipos diferentes de munição, dependendo de qual arma você está usando – e não se preocupe com o fato de eles se estenderem fora de sua linha inicial de rifles. Você quer atualizar uma arma para cada tipo de munição para que você possa causar um dano poderoso na barreira e se livrar dos problemas antes que eles se tornem esmagadores. Isso deve vir naturalmente, mas realmente não se preocupe em tentar usar munição de espingarda contra os massivos soldados a laser que precisam de balas de rifle para quebrar seus escudos. O jogo realmente quer que você compre este aspecto de seu tiroteio, e ele não vai desistir a menos que você perca toda a sua munição!

Missões secundárias

Fora de subir de nível, a única maneira de ganhar pontos de habilidade de forma confiável é fazer missões secundárias, e dado que algumas habilidades são mais importantes que o XP, você quer fazer o maior número possível de missões secundárias no começo para deixá-lo preparado e sentindo perigoso. Visite as catacumbas depois da sua primeira missão e crie o hábito de limpar as áreas, fazendo o máximo possível de missões antes de voltar e transformá-las em reforços gigantescos no XP. Repita ad nauseum até que você esteja seguindo para as missões secundárias mais perigosas e você deve subir de nível rapidamente, dando a você acesso a melhores habilidades e pontos para desbloqueá-las.

Utilize armas que combinem com os escudos

Alguns de seus inimigos têm escudos os protegendo. A barra de durabilidade dessa proteção extra vai aparecer por cima de suas barras de vida e você tem de destruir primeiro o escudo para conseguir machucar o oponente.

Existem dois tipos de barreiras, as duras e as suaves, que são representadas por quadrados largos ou estreitos do lado da barre de durabilidade. Você deve ter em conta essa informação e utilizar uma arma com o mesmo símbolo conforme o tipo de escudo.

Não se esqueça de lutar corpo-a-corpo

É fácil esquecer essa opção quando se tem tantas armas para escolher, mas essa forma de eliminar inimigos pode ser muito útil. Sempre que um oponente não esteja atento, essa é uma forma muito boa de o eliminar furtivamente.

Visite áreas antigas      

Á medida que você avança na história do game, vai ganhar novas armas especiais. Além disso, vai ser possível abrir portas que estavam inacessíveis antes.

Por isso, é uma boa estratégia visitar novamente áreas pelas quais já tinha passado antes sempre que ganhe armas ou habilidades novas.

MAIS DICAS

Não esqueçam do botão de pânico!

Quando lembrarem do botão de pânico, não apenas o apertem; batam nele como se fosse seu despertador.

Todas as armas superaquecem. Peguem leve no gatilho e fiquem de olho nos indicadores de superaquecimento no canto da tela.

É possível queimar todas as bandeiras nazistas no jogo.

Se também estiverem jogando Wolfenstein: Youngblood, fiquem atentos a conexões entre os dois jogos.

Não se esqueçam de fazer pausas regulares durante sessões de RV prolongadas.

Referêcnias:

Bethesda, Aficionados, GameMe, Uol, Wikipedia.

The Last of Us

The Last of Us é um jogo eletrônico de ação-aventura e sobrevivência desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony Computer Entertainment. Ele foi lançado exclusivamente para PlayStation 3 em 14 de junho de 2013. Na história, os jogadores controlam Joel, um homem encarregado de escoltar uma adolescente chamada Ellie através de um Estados Unidos pós-apocalíptico. The Last of Us é jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa, com os jogadores usando armas de fogo, armas improvisadas e furtividade a fim de defenderem-se de humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. Um “Modo de Escuta” permite a localização de inimigos por meio de uma escuta e percepção espacial aprimoradas. Armas podem ser melhoradas usando itens recolhidos do ambiente. Há um modo multijogador online em que até oito jogadores podem entrar em diferentes modos de partidas cooperativas ou competitivas.

O desenvolvimento de The Last of Us começou em 2009 logo depois da finalização de Uncharted 2: Among Thieves, o título anterior da Naughty Dog. A relação entre Joel e Ellie foi o foco central do jogo, com todos os outros elementos de história e jogabilidade desenvolvendo-se ao seu redor. A equipe criativa escolheu os atores Troy Baker e Ashley Johnson a fim de interpretarem os personagens principais, que realizaram a captura de movimentos e dublagem para seus respectivos papéis. Ambos auxiliaram o diretor de criação Neil Druckmann com o desenvolvimento da história e personagens. Novos motores de jogo foram criados para satisfazer as necessidades técnicas, com a inteligência artificial de Ellie sendo um grande ponto de desenvolvimento e aprimoramento. A trilha sonora original foi composta por Gustavo Santaolalla, enquanto os efeitos sonoros assumiram um ponto de vista mais naturalista e minimalista do que em outros jogos de ação.

The Last of Us foi anunciado em 2011, gerando grande expectativa. Ele foi aclamado pela crítica especializada, com elogios sendo direcionados particularmente para sua caracterização, enredo, subtexto e exploração da condição humana. O título tornou-se um dos jogos mais bem vendidos do PlayStation 3, vendendo mais de 1,3 milhões de cópias apenas em sua primeira semana e mais de oito milhões depois de catorze meses. The Last of Us é considerado como um dos melhores jogos eletrônicos da história, tendo vencido vários prêmios de Jogo do Ano. Um conteúdo para download chamado Left Behind foi lançado em fevereiro de 2014, com sua história se passando antes do jogo principal e centrando-se em Ellie e sua melhor amiga Riley. Uma remasterização intitulada The Last of Us Remastered foi lançada em julho de 2014 para PlayStation 4, enquanto sua sequência The Last of Us Part II foi anunciada em dezembro de 2016.

Jogabilidade

The Last of Us é um jogo eletrônico pós-apocalíptico de ação aventura e sobrevivência apresentado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O jogador atravessa ambientes arruinados, passando por locais como cidades, edifícios e esgotos a fim de avançar pela história. Armas de fogo, armas improvisadas e furtividade são usadas para derrotar humanos hostis e criaturas canibalísticas infectadas por uma mutação do fungo Cordyceps. O jogador controla durante a maior parte da história o personagem de Joel, um homem encarregado de escoltar uma garota chamada Ellie através dos Estados Unidos; ela e outros companheiros ocasionais são controlados por uma inteligência artificial. Ellie torna-se temporariamente a personagem jogável durante um segmento da história.

O jogador usa no combate tanto armas de longo alcance (como rifles, espingardas e arcos) quanto de curto alcance (como pistolas, revólveres e espingardas curtas); também é possível utilizar armas brancas (como canos e tacos de beisebol). Garrafas e tijolos podem ser jogados para distrair, tontear ou atacar inimigos. The Last of Us possui um sistema de criação que permite que o jogador aprimore armas em mesas de trabalho usando itens coletados nos ambientes. Equipamentos como kits médicos e coquetéis Molotov podem ser encontrados ou produzidos com os materiais recolhidos. Habilidades físicas, como um medidor de saúde e velocidade de criação, podem ser melhoradas ao coletar pílulas e plantas medicinais. O medidor de saúde do jogador pode ser recarregado por meio de kits médicos caso o personagem tome algum dano.

Apesar do jogador ter a opção de atacar os inimigos diretamente, ele também pode empregar táticas furtivas para atacar ou passar pelos oponentes sem ser detectado. O combate furtivo usa uma mecânica chamada de “Modo de Escuta”, que permite que o jogador localize inimigos por meio de uma escuta aprimorada e percepção espacial. Ao usar o Modo de Escuta, a silhueta dos inimigos torna-se visível, permitindo que o jogador veja adversários em diferentes locais. Um sistema de cobertura dinâmico está presente em que o jogador pode agachar-se atrás de obstáculos a fim de obter uma vantagem tática durante o combate. The Last of Us possui diversos períodos sem nenhum combate, frequentemente envolvendo apenas conversas entre os personagens. O jogador resolve quebra-cabeças simples, como utilizar painéis flutuantes para transportar Ellie, que não sabe nadar, através de corpos de água ou usar escadas e lixeiras a fim de alcançar áreas mais altas. Colecionáveis de história, como bilhetes, mapas e quadrinhos, podem ser encontrados e vistos em um menu.

O jogo contém um sistema de inteligência artificial em que inimigos humanos hostis reagem a qualquer situação de combate em que são colocados. Se um oponente descobre o jogador, ele pode chamar por ajuda ou tirar vantagem do jogador quando este está distraído, sem munição ou no meio de uma luta. Companheiros como Ellie podem auxiliar no combate ao jogarem objetos em ameaças com o objetivo de tonteá-las, revelando a localização de inimigos ou usando uma faca e pistola para atacarem adversários.

O modo multijogador online permite que até oito jogadores participem de partidas competitivas ou cooperativas. Existem três modos multijogador: Ataque de Suprimentos, Sobrevivência e Interrogação. Os dois primeiros são mata-matas em equipes, com o segundo excluindo a opção de renascimento; o último coloca equipes investigando a localização da caixa de fecho inimiga, com a primeira a capturar a caixa vencendo. O jogador escolhe uma Facção em cada modo – Caçadores (grupo de sobreviventes hostis) ou Vaga-Lumes (grupo miliciano revolucionário) – e mantém seu grupo vivo ao coletar suprimentos durante as partidas. Cada partida equivale a um dia; ao sobreviver por doze “semanas”, os jogadores completam a jornada e podem escolher uma nova Facção. Matar inimigos, ressuscitar aliados e criar itens rendem ao jogador partes que podem ser convertidas em suprimentos; essas também podem ser adquiridas procurando em corpos de inimigos. Os jogadores são capazes de carregar mais equipamentos ao ganharem pontos enquanto crescem os suprimentos do grupo. Os jogadores podem conectar seu jogo ao seu perfil no Facebook, alterando assim os nomes e rostos dos outros jogadores a fim de serem iguais aos seus amigos de Facebook. Os jogadores também podem customizar seus personagens com chapéus, capacetes, máscaras e emblemas.

Priorize evoluir a barra de vida de Joel

No decorrer da campanha, Joel encontrará alguns comprimidos de suplementos. Embora cada jogador deva evoluir da forma como desejar a construção do personagem, é extremamente recomendável que um dos primeiros passos seja elevar a barra de saúde de Joel ao nível máximo.

Tenha sempre facas para abater estaladores 

Se você já jogou The Last of Us sabe dos perigos que representam os Estaladores. Existem algumas formas de se executar o inimigo rapidamente. Uma delas é utilizando lâminas. Construa facas e movimente-se bem devagar para se aproximar da criatura. Com dois metros de distância será possível executar o ser sem correr grandes perigos.

Em grupos com vários inimigos mate do mais forte para o mais fraco

Fora da Zona de Quarenta, Joel enfrentará inimigos com um tempo de infecção variado, exibindo diferentes comportamentos. Podemos utilizar como exemplo um dos primeiros contatos dos protagonistas com as criaturas. As salas trazem recém infectados, corredores e um estalador. Elimine primeiro o estalador e em seguida aplique golpes nos demais infectados.

Sempre avance contra os inimigos silenciosamente

Joel não é Nathan Drake. Na maioria das vezes os tiroteios irão terminar de uma péssima maneira para o protagonista. Avance com cuidado, mantendo o silêncio, contra inimigos humanos e seja mais cauteloso ainda ao lidar contra infectados. Observe o chão para não passar por cima de objetos quebrados, gerando ruídos significantes. O simples fato de pressionar a alavanca de maneira mais incisiva pode chamar a atenção dos inimigos.

Atire somente em último caso

“Faça o tiro valer a pena”. A frase dita por Joel para Ellie é de importância vital para os jogadores. Seguindo a dica anterior, evite disparar em ocasiões onde se pode abater o inimigo de forma silenciosa. Além de evitar chamar a atenção de outros adversários, Joel economizará a rara munição para situações onde esta seja a única solução.

Contra corredores busque locais com apenas uma passagem

Os corredores são uma pedra no sapato de Joel. Apesar de não serem tão inocentes quanto os recém infectados, nem tão perigosos como os estaladores e os vermes, os corredores podem causar estrago quando atacam em grande número. Procure levar os inimigos para salas com apenas uma entrada, fique de costas para a parede e empilhe os corpos com duros golpes, ferramentas modificadas e se necessário tiros.

Explore todos os cantos dos cenários 

The Last of Us não é o tipo do game que entrega os recursos aos usuários facilmente. Evite deixar para trás partes do cenário que não façam parte do trajeto linear. Explore portas trancadas, cômodos distantes, extremidades das ruas e fundo dos lagos, tendo sempre em mente que se correr algumas ferramentas decisivas poderão ser deixadas para trás.

CORRA!!!

Esse, com certeza, é o ensinamento mais importante de todos e que vai permear parte das outras nove dicas. No mundo de The Last of Us, a velocidade das pernas é sua melhor amiga em todos os momentos. Está sendo cercado de inimigos? Já enxerga a saída? Quer se livrar de uma situação difícil? Então fuja!

Essa foi a primeira indicação citada pelo nosso redator Durval Ramos quando perguntado sobre esse artigo. Para ele, o dedo colado no botão L2 do controle é a melhor maneira de sobreviver ao título, seja você um adepto da jogabilidade mais estratégica ou um amigo do Rambo.

É claro, ao fugir, Joel fará muito barulho e atrairá a atenção dos inimigos. Ainda assim, muitas vezes, é preferível sofrer um pouco de dano e seguir em frente do que tentar outro tipo de abordagem e acabar morrendo.

Não subestime o poder de seus punhos

Temos aqui mais um caso em que é preferível sofrer pouco dano. Em salas com poucos Runners, principalmente no início do game, prefira atacar fisicamente os inimigos do que gastar munição com eles. Esteja sempre em posse de pedaços de madeira, canos de ferro, tijolos ou garrafas, que tornam o assassinato violento muito mais rápido.

Utilizando armas desse tipo, os “zumbis” ou seres humanos inimigos caem com quatro golpes. Com as mãos, é preciso de quatro a sete acertos para acabar com a raça de um oponente, caso você não esteja próximo a uma parede. Pressione o botão quadrado sem parar e, no caso dos combates contra pessoas, fique atento também ao triângulo, para evitar que o adversário recupere a vantagem.

Aqui, duas exceções podem ser feitas. A primeira se relaciona a momentos em que também se está enfrentando Clickers, que são invulneráveis a ataques com as mãos. Além disso, fique atento aos soldados que portam armas, já que você estará indefeso contra disparos enquanto desce a porrada em um companheiro. Nesse caso, vale mais a pena agarrar o inimigo em questão e aproveitar o escudo humano para fazer uso da primeira dica.

Evite o confronto

Tudo bem que essa dica meio que contradiz as anteriores, mas você sabe como dizem: a melhor defesa é quando seu oponente não pode atacar. E um inimigo que não enxerga Joel não poderá agir contra ele, continuando as atividades normais de seu dia. A furtividade é uma grande aliada em The Last of Us.

E não estamos falando nem de matar os oponentes um a um, na surdina. Muitas vezes, o ideal mesmo é deixar o instinto assassino de lado e permitir que os oponentes vivam para ver outro dia, passando pelas laterais dos cenários e deixando o recinto silenciosamente. Afinal de contas, de nada adianta ser silencioso para matar um inimigo e, com isso, acabar sendo visto pelo restante do exército.

Quando atacar, prefira os sufocamentos com o quadrado e guarde as facas apenas para os Clickers, que são mais fortes e mortíferos. Cuidado com a lanterna nos arredores de inimigos comuns e sempre ande abaixado. Joel provavelmente ficará com dores nas coxas mais tarde, mas é melhor viver com as pernas doloridas do que morrer com o pescoço dilacerado.

Tijolo > garrafa

Ao longo de todo o game, dois artigos serão mais utilizados do que qualquer arma. Os tijolos e as garrafas são itens abundantes e multiuso, já que servem tanto para criar distrações quanto para explodirem a cabeça dos inimigos. Só que, nessa briga, os itens de construção se saem muito melhores que os antigos recipientes.

Tudo bem, as garrafas são de vidro e fazem muito mais barulho, configurando um engodo melhor para levar os inimigos para longe. Mas os tijolos combinam esse poder com a possibilidade de serem utilizados como uma arma letal de uso único, eficazes contra tudo, desde humanos até Clickers.

Por isso, tenha sempre um em seu inventário. Caso prefira usar a garrafa para distração, colete o vidro, jogue-o longe, mas não se esqueça de pegar o tijolo novamente. Em um momento de pânico, ele pode se tornar seu melhor amigo.

CHECAR TUDO

Tijolos e garrafas são os itens mais abundantes de The Last of Us, mas os cenários escondem muito mais do que isso. Seja cauteloso e não corra pela aventura. Entre em cada sala. Abra cada gaveta. Verifique todos os armários. Olhe cada cantinho. Parafusos, lâminas, panos, álcool, adesivos, munição. Tesouros deixados por sobreviventes do passado.

Itens desse tipo nunca são demais e, acredite, você vai precisar de todos eles. O game da Naughty Dog alterna momentos de calmaria extrema com combates frenéticos e tensos, que com certeza deixarão você sem itens de cura e armas. Por isso, é sempre importante recarregar o inventário antes da chegada da próxima situação desse tipo.

Escolha bem as evoluções

Como muitos jogos da atualidade, The Last of Us também empresta elementos de RPGs e traz uma árvore de habilidades. A evolução acontece por meio de escassos medicamentos, que são encontrados ao longo da aventura e permitem a melhoria de diversos atributos. Apesar de todos serem bastante úteis, existem aqueles que são essenciais para que você possa seguir em frente de forma tranquila.

Desde o início do game, foque suas pílulas na habilidade Shiv Master, que dá a você a opção de utilizar uma faca por meio de QTE caso seja atacado por um Clicker. Acredite, ela poupará você de muitas mortes. A seguir, aumente a quantidade total de sua energia para os combates mais complexos da metade para o final do game. Por último na lista de prioridades está a distância do Listen Mode, que facilitará muito sua vida durante as incursões furtivas.

As armas também podem ser modificadas e, aqui, dois upgrades são fundamentais. O aumento na capacidade máxima de munição permitirá que você se defenda por mais tempo antes de precisar procurar um abrigo. Depois, melhore o tempo de recarregamento, de forma a evitar ser cercado ou pego desprevenido sem bala alguma.

Kits médicos e facas nunca são demais

Esqueça as modificações de porretes e bastões. Apesar delas serem úteis em momentos de desespero, não vale a pena gastar um conjunto completo de lâminas em um artigo como esse. Pelo contrário, invista os cortantes em facas, que podem salvar você dos Clickers – como citado na dica anterior – ou tornar os assassinatos furtivos ainda mais rápidos.

Além disso, foque sempre na criação de itens médicos e deixe coquetéis molotov para serem produzidos quando seus kits de cura atingirem a capacidade máxima. Por mais que a arma incendiária seja muito boa para controle de multidões, é melhor sempre ter artigos de primeiros socorros, pois eles são essenciais durante toda a aventura.

Além disso, não se esqueça de sempre produzir itens para evitar ficar com a mochila lotada. Consulte seu inventário o tempo todo e sempre construa coisas com as peças soltas, de forma a poder pegar mais e mais artigos pelo cenário. Em The Last of Us, principalmente nas dificuldades mais altas, cada recurso é precioso e pode significar a diferença entre viver e morrer.

Treine muito

Para muita gente, o arco e as bombas de fumaça podem parecer um desperdício de espaço no inventário. Mas acredite, nos piores momentos da aventura, até mesmo esses artigos difíceis de usar se tornarão essenciais. Saber fazer uso deles de forma versátil dará a você grande vantagem no combate contra humanos e criaturas do inferno.

Se necessário, carregue um jogo salvo diversas vezes apenas para praticar a utilização dos dois itens. Acostume-se com o balanço e recuo do arco e a trajetória bizarra das flechas. Descubra que as flechas podem servir tanto para assassinar um inimigo furtivamente quanto como uma forma de chamar a atenção de alguém para longe de você.

Bombas de fumaça podem não ser letais, mas também servem ao mesmo fim. O alvo aqui são os soldados inimigos, que ficarão assustados e atentos com uma detonação de névoa negra, enquanto você e Ellie escapam sorrateiramente por uma porta lateral. Eles nem vão ver, literalmente, o que está acontecendo.

Aproveite-se da imperfeição

Não existe inteligência artificial perfeita. Então, procure usar esse fator em benefício próprio durante a jogatina de The Last of Us. O comportamento agressivo e violento dos inimigos humanos pode ser freado por atitudes simples que, por mais que não acabem com o perigo, podem gerar preciosos segundos de respiro.

Ao ser atacado por uma grande tropa de inimigos, por exemplo, atire longe um tijolo ou garrafa. Mesmo que eles vejam que foi você quem lançou o objeto, se virarão em direção ao barulho por um segundo, talvez esperando mais um atacante vindo daquele lado. Aproveite para fugir.

Da mesma maneira, utilize o espírito combatente e, por vezes, estúpido de seus companheiros para obter vantagem nos combates. Aproveite enquanto Ellie ou Bill atiram feito loucos nos inimigos, atraindo a atenção deles, para se esconder, usar itens de cura ou mirar bem para fazer valer cada disparo.

Voltando no tempo

The Last of Us é como uma montanha-russa, alternando sequências de calmaria, onde você pode buscar itens e se preparar para o futuro, com combates intensos e até mesmo “apelões” que acabarão com sua munição, itens de cura e dignidade. Na primeira vez, você nunca saberá o que está adiante e tudo o que pode fazer é se preparar para o pior.

Graças à tecnologia moderna, porém, existe uma maneira de evitar situações realmente aflitivas. Muitas vezes, por desatenção ou tentativas frustradas de ataque, você se verá atacado de todos os lados. Mesmo assim, conseguirá sobreviver, só que bem próximo da morte.

Vale a pena recarregar um jogo salvo e voltar para o início do combate, tentando assumir outro tipo de abordagem ou mirando melhor para economizar balas. Acredite, tal estratégia vai além de uma necessidade narcisista por perfeição e fará com que você, no futuro, agradeça à versão do passado por ter retornado no tempo e feito as coisas da maneira correta.

Aprenda a atirar 

Tire algum tempo para praticar a sua pontaria. Ela pode valer momentos importantes na luta por sobrevivência. Para quem está começando, um bom lugar para treinar é o modo multiplayer do jogo. Ainda é essencial escolher com sabedoria as melhores armas para cada momento e tipos de combate

Conheça seu inimigo 

Antes de começar a atirar, é importante diferenciar os tipos de criaturas contra as quais você vai lutar. A cada estágio de infecção, os zumbis ficam mais resistentes. Entretanto, eles também têm fraquezas. Os infectados são perigosos, mas você também deve estar pronto para lidar com seres humanos de diversas facções e com motivações diferentes. Fique esperto para não perder boas oportunidades de ataque e fuga!

Sem medo de voltar atrás 

Se você perceber que a vaca está indo para o brejo, não hesite em voltar atrás e considerar outra estratégia de ataque/fuga. Vários cenários possuem caminhos “mais fáceis” para atacar ou fugir de zumbis e inimigos humanos

“Antes um covarde vivo…” 

Pense no velho ditado como seu mantra. Se você quer ser um Rambo, The Last of Us não é o melhor lugar. Em várias situações, você consegue prosseguir sem ter derrotado todos os inimigos em uma cena. Tenha sempre um tijolo ou garrafa à mão para afastar os inimigos e corra como se não houvesse amanhã!

Referências:

Noticias R7, Voxel, The Enemy, Techtudo, Wikipedia.

Resident Evil 7: Biohazard

Resident Evil 7: Biohazard, conhecido no Japão como Biohazard 7: Resident Evil (バイオハザード7 レジデント イービル, Baiohazādo 7 Rejidento Ībiru?) é um jogo eletrônico do gênero survival horror produzido pela Capcom e lançado em 24 de janeiro de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, com a versão de PlayStation 4 tendo suporte completo para PlayStation VR. O jogo é o décimo primeiro título principal da série Resident Evil, sendo o terceiro deles a usar perspectiva em primeira pessoa.

A história segue a busca do civil Ethan Winters por sua esposa Mia, que o leva a uma mansão agrícola aparentemente abandonada e habitada pela família Baker. Ethan faz uso de armas e ferramentas na luta contra os membros da família e os “Mofados”, uma forma humanoide de bactéria. Itens de cura são usados em caso de lesão e há enigmas que precisam ser resolvidos para dar prosseguimento a história.

Resident Evil 7 foi anunciado durante a E3 2016 depois de vários rumores. Mais tarde naquele dia, uma demonstração intitulada Resident Evil 7 Teaser: Beginning Hour foi lançada na PlayStation Store para os assinantes da PlayStation Plus. Liderado por Koshi Nakanishi, diretor de Resident Evil: Revelations, a equipe de desenvolvimento foi composta por cerca de 120 pessoas. Em vez de ser centrado na ação como seus antecessores Resident Evil 5 e 6, os elementos de survival horror e a exploração tiveram prioridade no novo título. Para isso, o jogo utiliza uma perspectiva em primeira pessoa. Eles usaram o novo motor gráfico RE Engine, que já tinha sido testado na demonstração em realidade virtual KITCHEN na E3 de 2015.

Jogabilidade

Mia ataca Ethan, personagem controlável pelo jogador de uma perspectiva em primeira pessoa.

O jogador controla o protagonista, Ethan, a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. Embora Ethan seja um civil que ofereça poucas habilidades de combate, ele pode usar uma variedade de armas de fogo, incluindo pistolas, espingardas, lança-chamas, explosivos e motosserras, que auxiliam no combate contra os inimigos, descritos como “Mofados”. Além disso, o personagem pode fazer um giro rápido de 180 graus para evitar as criaturas, assim como bloquear ataques recebidos para reduzir os danos causados. Os membros da família Baker estão presentes em grande parte do jogo, mas só podem ser temporariamente incapacitados pelo jogador. No entanto, esses combates são totalmente evitáveis por meio de discrição ou a fuga. O jogo também oferece outros elementos populares da série Resident Evil, tais como enigmas, gestão de recursos e ervas curativas.

Ao contrário de Resident Evil 5 e 6, a jogabilidade enfatiza o horror e a exploração ao invés da ação. O inventário usa um sistema baseado em grade com uma capacidade inicial de 12 itens, mas pode ser expandido várias vezes ao longo da campanha. Um item pode ocupar dois espaços no inventário e quatro deles podem ser acessados pelos botões direcionais. Baús conectados entre si são encontrados em salas seguras e também servem para gerenciar e armazenar objetos para uso posterior. Ainda é possível usar, examinar ou combinar itens através do inventário.

Muitos dos enigmas do jogo exigem que os itens sejam examinados sob certas condições para revelar seus segredos. Os gravadores podem ser usados para salvar manualmente o progresso, que dependendo do nível de dificuldade escolhido, podem exigir o uso de uma fita cassete. Fitas de vídeo estão espalhadas pelo cenário, que se encontradas por Ethan, colocam o jogador na perspectiva de um personagem diferente e muitas vezes revelam informações da trama ou oferecem pistas necessárias para resolver um enigma. A edição de PlayStation 4 inclui um modo para PlayStation VR, tornando o jogo totalmente jogável com o acessório, mas a jogabilidade permanece idêntica entre os dois aparelhos. Uma versão em realidade virtual compatível com o Microsoft Windows e o Xbox One será lançada em 2018.

A versão do Nintendo Switch funciona por meio de Streaming, ou seja o jogador terá que pagar por uma assinatura para poder jogar, o jogo é processado em servidores em nuvem.

Tenha sempre mais de um “save”

Uma boa ideia é salvar sempre que encontrar um gravador no jogo, mesmo que aparentemente não precise. Além disso, tenha sempre mais de um “savegame”, já que é fácil ficar preso em alguma parte e não ter como voltar.

Para isso, quando salvar, escolha um espaço vazio, em vez de gravar por cima do progresso já alcançado. Isso ajuda até mesmo a voltar e ter ideias diferentes para passar por algum local ou resolver um quebra-cabeça.

Caixas de itens

Os caixotes estão de volta! Comuns em Resident Evil, eles guardam itens, que são revelados ao serem quebrados pelo jogador, com uma faca ou arma. É mais recomendado usar somente a faca, pois não gasta balas, ao menos até o meio do jogo.

Após a metade do jogo, alguns caixotes podem conter armadilhas, e isso vai tirar vida do personagem, caso sejam abertos de perto, com a faca. Neste caso, gaste um tiro apenas para abri-los, de longe.

Armas

Procure andar com pelo menos duas armas de fogo, além de uma faca, seja ela o canivete ou a faca de caça, obtida mais adiante. É possível que uma arma fique sem balas muito rapidamente, por isso tente usar apenas uma de cada vez.

A segunda arma fica para situações de emergência ou contra inimigos mais fortes. Porém, ainda assim, quando obter melhorias para a mochila, tente carregar mais armas, o quanto puder. O ideal é começar com ao menos duas.

Itens

Seus itens ocupam espaço na mochila, e ela só aumenta ao longo do game de acordo com melhorias que você coleta pelo caminho. Tente equilibrar na hora da arrumação com armas, munição e itens de cura.

Porém, é recomendado sempre deixar pelo menos um ou dois espaços livres, para itens importantes que encontramos na história, seja uma chave para abrir porta ou uma manivela para levantar a ponte que barra seu caminho.

Portas

Procure sempre deixar as portas fechadas, quando for possível fazer isso. Aperte o botão de ação na porta para que ela se feche. Acontece que os inimigos comuns não passam por elas, então é sempre um bom meio de se proteger.

Isso não se aplica a inimigos especiais, como Jack e Marguerite, estes sim abrem as portas para caçar os personagens. De qualquer forma, é sempre uma boa ideia mantê-las fechadas, por onde passar.

Inimigos

Os inimigos comuns de Resident Evil 7, formados por um tipo de lodo negro, surgem sem qualquer aviso do chão e perseguem os personagens onde quer que forem, mas não passam em portas fechadas, como mencionado logo acima.

Além disso, a principal dica com eles é fugir enquanto puder. Não que sejam grandes ameaças, mas podem ser um gasto de balas desnecessário. Se possível, mate-os com a faca. Se não, apenas esquive e vá para a porta mais próxima, correndo.

Baú

Em cada quarto com um gravador para salvar o progresso há ainda um baú verde, contendo os itens que o usuário guardou. Os baús estão interligados ao longo do jogo, então os itens que guardar no início vão estar disponíveis até o fim.

Eles são uma boa solução para reduzir o espaço ocupado na mochila do personagem ou para guardar um item que não vai usar naquele momento, mas sim mais adiante. Sempre que puder, reorganize o inventário por aqui.

Chaves especiais

Há três chaves especiais que podem ser resgatadas ao longo do jogo: escorpião, corvo e cobra. Elas abrem as portas que possuem estes animais adornados, de forma bem chamativa, e espalhadas pela menção principal.

Sempre que encontrar uma chave dessas, tente andar com ela, para que possa abrir a porta necessária que encontrar pelo caminho. Algumas delas servem para continuar a história, enquanto outras apenas escondem itens valiosos, como o lança-granadas.

Dificuldade

Essa dica é para quem ainda vai começar o jogo, na verdade. É possível escolher seu nível de dificuldade, mas não é possível modificá-lo depois que o game é iniciado, portante escolha com sabedoria.

Se deseja apenas aproveitar a história, e contar com mais itens disponíveis no cenário, escolha a dificuldade Fácil. Se pretende aproveitar o jogo de forma como ele foi feito, escolha a Normal. Após terminar uma vez, a dificuldade Hospício é liberada – essa é a mais difícil de todas e é recomendada apenas para quem quer um verdadeiro desafio em Resident Evil 7.

Economize munição

Trazendo de volta elementos do survival horror, Resident Evil 7 tem recursos como munições e itens de cura bastante limitados. Para se dar bem no jogo é fundamental fazer bom uso de suas munições, em especial a das armas mais potentes.

A dica aqui é evitar o combate e fugir dos inimigos sempre que possível.

Explore o ambiente

Como os recursos são limitados, é importantíssimo explorar os cenários para buscar por itens escondidos.

Resident Evil 7 apresenta cenários bagunçados e bastante escuros, e é fundamental garantir que cada cantinho seja examinado, bem como gavetas, armários e prateleiras, que guardam itens e recursos importantes para a progressão no jogo.

Utilize o cenário a seu favor

Os cenários escondem perigos, mas também podem ser fundamentais para enfrentar os perigos do jogo. Isso acontece especialmente na batalha contra os chefes, onde há valiosos elementos dos cenários que podem ser usados a seu favor.

Também é possível utilizar alguns recursos e elementos dos cenários para “driblar” inimigos e despistá-los momentaneamente, já que muitas vezes o combate direto deve ser evitado.

Assista às fitas VHS

Se você vai jogar Resident Evil 7 pela primeira vez, as fitas em VHS encontradas ao longo do jogo fornecem importantes dicas para resolver puzzles, além de indicar caminhos e localização de itens-chave para a conclusão da história.

Além disso, elas trazem um pedaço importante da história do jogo, complementando o enredo e fornecendo uma maior profundidade para a história.

Atenção aos files

Eles já foram fundamentais em Resident Evil, e em RE7 eles voltaram a ter grande importância. Assim como as fitas VHS, os files encontrados durante o jogo oferecem dicas para resolução de puzzles além de trazer importantes detalhes sobre o enredo que se desenrola no jogo.

Lê-los atentamente, pode ajudar o jogador a ter uma progressão mais rápida e também a descobrir quais os mistérios que envolvem Mia, a família Baker e sua propriedade.

O medo é seu maior inimigo

Como um bom jogo de terror, Resident Evil 7 apresenta diversos elementos capazes de fazer o jogador se perder em seu próprio medo. Além dos tradicionais jumpscares, o jogo usa de outros artifícios para causar medo e terror nos jogadores, como por exemplo o gore, intimidação e também ansiedade.

Uma vez domadas essas sensações, que estão entre as mais primitivas, a progressão no jogo não deve ser grande problema para o jogador, mas o desafio é justamente domar o medo que é naturalmente presente em uma história tão intrigante e misteriosa e enfrentando tantos perigos quanto os que estão presentes em RE7.

Tome notas sobre os quebra-cabeças

A casa principal do Resident Evil 7 pode até ser menor do que a mansão do primeiro game, mas ela possui muitos segredos e quebra-cabeças para resolver.

Em boa parte do tempo esses puzzles vão exigir que você volte em busca de itens ou pistas – ‘você não conseguirá abrir isso até achar tal objeto’, esse tipo de coisa. Algumas vezes, porém, você não vai conseguir o objeto que precisa logo de cara e talvez você se esqueça de onde era para ir depois de conseguí-lo. Se você se deparar com um desses mistérios que claramente precisa de algum objeto que você não tem ainda, use um caderno (ou um aplicativo de notas no seu celular) e marque o lugar do quebra-cabeças assim como o item necessário para desvendá-lo para não se perder.

Não corra o tempo todo, você pode perder algo

Correr é útil quando se está sendo perseguido mas pode ser uma boa ideia andar quando estiver sozinho.

Cada cômodo das casas está cheio de itens camuflados, e muitos deles são úteis: ervas, balas, etc. O ícone para pegar esses itens comuns só aparece quando se está a uma certa distância deles, então se você correr o tempo todo é provável que perca um monte de coisas legais. Vá com calma e investigue cada cantinho de cada sala. É um ótimo investimento a longo prazo.

Sua defesa é melhor do que você imagina

Bloqueie ataques normais com suas próprias mãos. Segurar o botão L1/LT faz com que você levante os braços para bloquear ataques inimigos. Apesar de parecer perda de tempo, essa defesa pode ser bem efetiva dependendo do ataque.

Naturalmente, se alguém está avançando na sua direção com uma arma enorme ou uma serra elétrica, defender-se não vai ajudar muito e você ainda vai tomar quantidades massivas de dano. Mas se é um ataque comum, mesmo de um Mofado, é possível bloqueá-lo para tomar dano reduzido (ou nulo).

Isso significa que você pode ir no mano a mano com um Mofado usando apenas uma faca e derrotá-lo facilmente alternando entre bloqueios e ataques – se você tiver coragem pra isso.

Mantenha distância ao atirar em inimigos

Usar a faca contra os Mofados pode ser uma boa ideia mas para outros perigos, como as armas que citamos acima, é melhor manter distância.

Quando estiver usando uma arma de fogo, lembre-se que esse é um Resident Evil (mesmo que tenha quem ache que não é) e não um shooter. Você não quer ter que lidar com um inimigo fungando no seu cangote bem na hora que você tem que recarregar ou trocar de arma.

Mantenha uma distância saudável e não tenha medo de correr para ganhar mais espaço.

Cheque seus objetivos

Essa dica é bem simples, mas você ficaria surpreso com a quantidade de tempo que levamos para nos adaptar a isso. RE7 tem uma lista de objetivos que fala para você o que fazer a seguir.

Só que essa lista não fica piscando na sua tela como em outros jogos. Se você estiver perdido em algum momento, apenas abra o menu e veja qual o seu objetivo. Ficar de olho nisso vai te ajudar muito na hora de prosseguir.

Combine itens de acordo com seu estilo de jogo

Combine fluidos com ervas para obter cura. Combinar itens é parte do DNA do Resident Evil e nesse não poderia ser diferente. Porém existem diversas maneiras de combinar itens.

Use essa diversidade toda a seu favor baseando-se no jeito que você joga. Se você toma muito dano, parece uma boa ideia combinar seus fluidos químicos com ervas para ter mais kits de primeiros socorros. Por outro lado, se você geralmente consegue evitar o dano talvez seja melhor combinar os fluidos com pólvora para ter mais munição.

Explore a mansão de forma furtiva

Em vários momentos do jogo, enquanto estiver explorando a casa, os membros da família ficam procurando por você. Algumas vezes, eles vão te atacar em um momento pré-determinado (meio que nem o Nemesis no RE3), mas a maior parte do tempo eles vão se comportar como o alien de Alien Isolation.

Isso significa que eles ficam andando a esmo pela casa, então, se você conseguir ficar fora do caminho deles, estará livre para explorar a casa e continuar resolvendo os quebra-cabeças sem entrar em muitas brigas.

Investigue cada sala e corredor para se certificar de que eles estão seguros, e você pode completar boa parte do jogo sem se meter em confusão.

Use as salas do save a seu favor

Existem algumas salas de save na casa, e a primeira que você vai encontrar é a lavanderia. Essas salas garantem que você não será atacado e geralmente providenciam munição e kits de cura extra. Cada uma delas também possui um baú que permite que você guarde itens – e os retire em outro.

Estranhamente, as salas de save também funcionam como campos de força contra os membros da família quando eles estão correndo atrás de você. Entre numa dessas e eles magicamente esquecerão que você está lá. É esquisito, mas aproveite.

Referências:

Redbull, Residentevel, Techtudo, Wikipedia

Comenta aqui abaixo sobre Resident Evil 7: Biohazard!