The Order: 1886

The Order: 1886 é um videogame de ação-aventura em terceira pessoa produzido pelo estúdio Ready at Dawn com a colaboração do SCE Santa Monica Studio. Foi publicado pela Sony Computer Entertainment em exclusivo para a PlayStation 4 a 20 de Fevereiro de 2015. The Order: 1886 foi anunciado durante a conferencia de imprensa da Sony na Electronic Entertainment Expo em Junho de 2013.

A história fala de um grupo de cavaleiros conhecidos como A Ordem (The Order, no original) – uma força de indivíduos dedicados, fundada há séculos pelo Rei Artur para confrontar criaturas hostis. A ação decorre em 1886 numa realidade alternativa, em que Sir Galahad é um dos mais respeitados cavaleiros da Ordem. Sir Galahad e três dos seus mais leais parceiros, irão precisar de toda a ajuda para lutar contra os rebeldes e outras ameaças que espreitam Londres neo-vitoriana.

The Order: 1886 teve uma recepção mediana por parte dos críticos. Nos sites de criticas agregadas GameRankings e Metacritic tem a pontuação 64.65% e 65/100, respectivamente. Os críticos foram consensuais ao afirmarem que o ponto forte do jogo são os aspectos gráficos, o mundo fantástico, os níveis de produção e o desempenho técnico, com alguns mesmo a referir ser o melhor que viram numa consola, mas que no entanto o jogo tem demasiados erros, difíceis de superar, incluindo a longevidade e a excessiva utilização de quick time event’s (QTE) e de elementos cinematográficos, alienando o jogador da experiência.

The Order: 1886 foi distinguido com o prémio “Efeitos Especiais numa Produção em Tempo Real”, atribuído nos Visual Effects Society Awards de 2016.

Jogabilidade

The Order é um jogo de tiro em terceira pessoa simples. Os comandos respondem de forma excelente e sem transtornos. A curva de aprendizado é bastante curta e não exige muitas habilidades do jogador. O sistema de cobertura também é eficiente e atende bem as necessidades.

Durante o gameplay é possível andar, andar em um passo mais acelerado e correr. Entretanto, o jogador não tem total controle sobre suas ações. Em determinados momentos só é possível andar, o que torna o passar do tempo bastante lento. Além disso, Gallahad também pode se pendurar, realizar saltos mas, assim como dito anteriormente, esses movimentos só estão disponíveis em partes específicas, onde o jogo obriga o jogador a realizá-los.

Outro ponto de destaque são os quicktime events. Eles são partes constantes do jogo e fazem parte da experiência do enredo. Em determinados momentos o jogador deve apertar um botão, seja para finalizar um inimigo, completar uma ação ou para prosseguir adiante. Não existe nenhum problema técnico nesses momentos, todavia eles são muitos repetitivos e acabam por quebrar o clima do jogo.

Seguindo neste sentido, podemos dizer que o gameplay às vezes pode ser “esticado” mas, em alguns casos, o jogador não tem a sensação de “jogar” o game de fato.

Até as esperadas batalhas contras os lobisomens são inteiramente moldadas em “aperte um botão na hora certa”. Este fato acabou por ser o grande desapontamento da obra, uma vez que o próprio estúdio havia ressaltado que os combates com estes “seres” seriam impressionante.

Apesar do ritmo mais cadenciado, em certas partes o game se mostra bastante intenso com muitos tiroteios, explosões  e inimigos. São esses momentos que mostram o verdadeiro potencial do título. Mesmo que a variação de inimigos seja quase nula, é possível se divertir e experimentar uma boa variação de armas.

Enredo

Durante os séculos XVII e XVIII, alguns humanos começaram a sofrer um tipo de mutação. Muitos foram, de alguma maneira, atingidos por este surto e com isso iniciou-se uma guerra entre as pessoas saudáveis e os modificados – chamados de mestiços.

Os humanos eram liderados por ninguém menos que o Rei Arthur em companhia dos cavaleiros da Távola Redonda. Arthur por muito tempo se viu em desvantagem de força, apesar da superioridade numérica. A guerra estava sendo perdida quando o Rei encontrou um misterioso líquido que continha poderes regenerativos. Chamado de Blackwater, o elixir possibilitou que a Ordem equilibrasse os combates e conquistasse algumas vitórias.

A era Vitoriana

O game se passa no mesmo período da Revolução Industrial (Séc. XIX), no entanto os avanços econômicos e tecnológicos de The Order: 1886 são muito diferentes da história que conhecemos. Máquinas voadoras, tecnologias futuristas, comunicação sem fios e diversos outros recursos estarão fortemente presentes no título.

As engenhocas e equipamentos são de responsabilidade de Nikola Tesla, um importante inventor da época. Tesla, a princípio, contribui cientifica e tecnologicamente com seus conhecimentos em engenharia, mas com o desenrolar da trama o personagem recebe um papel de destaque.

O título explora uma Londres alternativa, muito ao estilo Steampunk. Um mundo composto de máquinas, robôs e muita ficção científica. Filmes e animes como: Van Helsing, A Liga Extraordinária e Full Metal Alchemist já exploraram essa temática.

Neste ambiente, a Ordem, uma entidade militar de elite diretamente descendente dos cavaleiros de Arthur, ainda combate os mestiços. Contudo, os cavaleiros devem cuidar de outros assuntos também complexos.

O game coloca o jogador no papel de Sir Gallahad, um dos mais respeitados cavaleiros da Ordem. Gallahad é acompanhado por Sir Percival, Lady Igraine e o Marquês de Lafayette. Todos eles são pessoas que tentam zelar pela soberania e integridade do Reino, entretanto uma revolução ameaça dissolver a sociedade e uma guerra civil deve ser evitada a qualquer a custo. Além disso, os mutantes são uma ameaça constante.

A narrativa se mostra como uma premissa muito interessante e é neste ponto que o game apresenta sua maior controvérsia. Durante o gameplay, vários são os momentos onde o jogador assiste a vários minutos de cut-scenes, quicktime events, diálogos tediosos, vagos e pouco explicativos. Existem capítulos inteiros onde nada acontece, forçando o player a somente assistir sem nenhuma ação ou interação. Este tipo de abordagem é muito frustrante àqueles que esperavam uma experiência um pouco mais interativa.

Apesar da história nos colocar em um ambiente extremamente interessante, a Ready at Down cuidou para que o jogador, na maior parte do jogo, fosse um mero expectador. O sistema de exploração também contribui de forma significativa para o sentimento de impotência do jogador. Os cenários, apesar de belos, não têm muitas possibilidades de exploração. As opções se resumem apenas a analisar fotos e coletar arquivos de áudio, nada além disso.

The Order: 1886 é um game 100% linear. Não possui caminhos alternativos, escolhas e a tomada de decisões está longe dos domínios do jogador. Como exposto, a trama se desenrola de forma lenta, quase arrastada, o que contribui para afastar os mais sedentos por ação.

Visual

The Order: 1886 se destaca em seu visual. Cenários, personagens, armas, ambientes etc são incrivelmente detalhados. Podemos afirmar, sem medo de errar, que se trata de um dos jogos mais bonitos de todos os tempos.

Não são raras as vezes onde ficamos simplesmente contemplando o espetáculo visual. Os personagens principais são muito fiéis aos seres humanos reais. A Ready at Dawn realmente produziu um verdadeiro jogo de nova geração.

The Order:1886 é aquele jogo que você coloca como exibição em sua casa para impressionar as pessoas e mostrar a elas o quanto os vídeo games evoluíram nos últimos anos.

Outro aspecto importante é qualidade técnica do título. Não existe delay de renderização, sendo que é praticamente impossível diferenciar uma cena de computação gráfica com um gameplay. Além disso, o game é perfeito do ponto de vista técnico. Não encontramos bugs, nem personagens atravessando paredes, falhas, ou queda na taxa de quadros por segundo. Em uma geração marcada por problemas, a Ready at Dawn mostrou que é possível criar um jogo sem os gigantescos pacotes de correções.

O jogo não conta com modo multiplayer

Em Fevereiro de 2014 foi divulgado que The Order não terá modo multiplayer. Essa notícia acabou deixando a maioria dos fãs decepcionados, isso porque no Modo campanha o protagonista é acompanhado por seus três companheiros: Marquis de Lafayette, Sir Percival e Lady Igraine.

Então a falta de um modo multiplayer não faz muito sentido.

Classificação

Como foi dito no preview do The Order: 1886, o jogo é classificado para maiores de 18 anos por conta da alta violência e nudez. Mas não é só nudez feminina não, além de peitos, teremos também pênis na tela.

Quem confirmou isso foi o Órgão de Classificação Etária dos EUA, o ESRB. Segundo eles, no jogo poderemos ver nudez explicita em bordeis e cenas parciais de sexo entre os personagens.

Não julgue The Order: 1886 sem jogá-lo

Uma coisa é fato, você não deve se basear totalmente na opinião de uma pessoa (ou site) para decidir se vale ou não a pena comprar um certo jogo. E o diretor criativo de The Order: 1886, Ru Weerasuriya nos lembrou isso quando as criticas de The Order começaram a surgir na internet.

Algumas dessas pessoas que tiveram acesso antecipado ao título, dizem que o jogo te coloca em situações inesperadas às vezes após algumas cutscenes. São os famosos quick time events, onde você deve apertar uma sequência de botões para dar continuidade a cena. Essas pessoas dizem que os eventos são totalmente inesperados porque as cutscenes do jogo são muito cinematográficas, assim ficando fácil se distrair ou até mesmo achar que é CG e baixar a guarda.

Dublagem em português

Foi revelado na Brasil Game Show de 2013 que o jogo será legendado e dublado em português brasileiro, assim como os demais exclusivos de porte da Sony como InFamous: Second Son e Killzone: Shadow Fall.

Sempre use a cobertura

O sistema de cobertura é um dos pilares da jogabilidade de The Order. Muito similar ao que é visto em games como Gears of War, o recurso é extremamente importante para um bom desempenho.

Durante qualquer combate, é essencial que você pressione Bola próximo a uma parede ou obstáculo. Isso fará com que o personagem se esconda, dificultando muito a mira dos adversários.

Experimente diferentes armas

Durante a campanha, não é difícil que você se acostume a usar apenas uma das armas do game, simplesmente ignorando as outras opções. Apesar da suposta praticidade, você perderá muito poder de fogo.

Além disso, não deixe de experimentar as diversas armas disponíveis, que podem se adaptar muito bem as diferentes situações.

Fique de olho na munição

Ficar sem munição durante uma batalha tensa pode ser fatal em The Order. Então, é importante que você mantenha seu estoque sempre abastecido.

Sempre consulte o número de balas disponíveis no canto da tela. Não deixe também de coletar a munição deixada pelos oponentes mortos.

Mire na cabeça

Entre as grandes qualidades de The Order, o jogador encontra um sistema de mira muito  preciso. Com isso, você poderá dar tiros certeiros com as mais diversas armas.

Procure sempre mirar na cabeça dos oponentes. Assim, você os derrotará mais rapidamente e ainda economizará muita munição.

Fique atento aos quick time events

Durante a campanha, você passará por diversas cenas de corte interativas, onde será necessário pressionar uma sequencia de botões para que o personagem realize ações variadas.

Essas quick time events podem ser um tanto repentinos. Então, esteja sempre alerta para não perder o tempo das ações.

Sempre opte por mortes silenciosas

Uma das melhores maneiras de evitar confrontos contra dezenas de oponentes, é ser extremamente silencioso em suas mortes. Para isso, ande vagarosamente e procure abater os inimigos com golpes de faca pelas costas.

Outra dica é sempre usar a cobertura, mesmo antes de ser visto. Isso garantirá que você não seja visto.

Armas

Lance de indução de arco –arma de longo alcance que usa arcos de eletricidade como munição. Ele sempre salta para o inimigo mais próximo de onde você estava apontando, então você só precisa apontar em sua direção geral.

Triple Barrel Shotgun – como um barril de duplo padrão, com um cano extra. 30% mais poder destrutivo. Qualquer um que deflagrou é um rei do próximo trimestre. Não visando necessário qualquer – apenas correr para seu adversário e aperte.

M2 Auto Falchion-Rifle-Lycans são vulneráveis à sua explosão de concussão.

Rifle de termite-dispara uma nuvem de poeira de termite, que pode ser inflamada pelo foguete (que é o fogo alternativo para este rifle). Basicamente, funciona como um lança-chamas de ação retardada e é ótimo para inimigos protegidos por cobertura.

Granadas-ótimo para confundir seus inimigos. A única coisa que pode ser vista através da fumaça são clarões, que permitirão que você determine aproximam locais dos seus inimigos e atirar/soco-los antes que eles cheguem a seus sentidos.

Granadas – todas as granadas no jogo explodirem quatro segundos depois de puxar o pino. Tenha isso em mente ao tentar cozinhá-los, então eles não explodiram na sua mão. 

Quedas de corpo a corpo – abordagem seu inimigo furtivamente e pressione triângulo. Bastante útil em situações de um contra um, especialmente se você estiver olhando para despachar alguém discretamente. Todos a letalidade com nenhum do ruído.

Combates

Furar a tampa –  Cada tiro que você tomar é um grande revés.Colocar objetos sólidos entre você e seu inimigo é uma coisa boa. O jogo ainda permite que você dê tiros trás capa, embora estas raramente funcionam para fora. Pressione L2 para espreitar para fora e objectivo. Pressione-o novamente para mergulhar em. Inclinando o direcional analógico esquerdo e pressione círculo permitirá que você saltar de uma capa a outra.

Espere o seu tempo – quando lutando empunhando arma adversários, esperá-los ao fogo, em seguida, usar o tempo de inatividade entre as fotos de Primavera da cobertura e ter a sua vingança.Lento e firme ganha a corrida.

Respire fundo – quando o que está sendo demitido na, profundidade de campo é alterado, a fim de tornar mais difícil com o objetivo. Seu primeiro instinto será lutar sua maneira fora de uma situação ruim, mas não. Protejam-se, esperar que seus sinais vitais voltar ao normal e seu objetivo é constante. Em seguida, atire.

Blacksight – permite-lhe tempo lento e executar seus tiros com precisão adicionado. No flipside, você não pode usá-lo o tempo todo. Guarde para quando você realmente precisa dele.

Diversificar – não dependem de uma arma só. Combine as armas, granadas e ataques corpo a corpo para a melhor estratégia de combate.

Referências:

Meu PS, Game For Fun, Game Detonado, wikipedia, techtudo.

The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Wolfenstein II: The New Colossus

Wolfenstein II: The New Colossus é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela MachineGames e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em outubro de 2017, com uma versão para Nintendo Switch estreando em junho de 2018. É o oitavo título principal da série Wolfenstein e uma sequência direta de Wolfenstein: The New Order de 2014, se passando nos Estados Unidos durante a década de 1960 em uma história alternativa em que a Alemanha Nazista venceu a Segunda Guerra Mundial. A narrativa segue o soltado norte-americano B.J. Blazkowicz e seus aliados enquanto lutam para combater e derrubar o regime nazista que tomou seu país natal.

A história é organizada em capítulos, que os jogadores completam para progredir. Uma escolha no prólogo altera o enredo inteiro do jogo; alguns caracteres e pequenos pontos de plotagem são substituídos em todas as linhas do tempo. O jogo apresenta uma variedade de armas, a maioria das quais pode ser de dupla empunhadura. Um sistema de cobertura também está presente. Continuando com o New Order, a equipe de desenvolvimento teve como objetivo caracterizar Blazkowicz para os jogadores adotarem sua personalidade.

Wolfenstein II: The New Colossus foi lançado com uma resposta crítica positiva. Um elogio especial foi dirigido aos personagens, narrativa, mecânica de tiro, bem como a apresentação geral do jogo. O jogo foi indicado para vários prêmios de fim de ano, incluindo indicações ao 35º Annual Golden Joystick Awards e ao The Game Awards 2017, o último em que recebeu o prêmio de “Melhor Jogo de Ação”.

Jogabilidade

Wolfenstein II: The New Colossus é um jogo de tiro de ação e aventura executado a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. Para progredir na história, os jogadores lutam contra inimigos ao longo dos níveis. O jogo utiliza um sistema de saúde no qual a saúde dos jogadores é dividida em seções separadas que se regeneram; se uma seção inteira for perdida, os jogadores devem usar um pacote de saúde para reabastecer a saúde perdida. Os jogadores usam ataques corpo a corpo, armas de fogo e explosivos para lutar contra inimigos e podem correr, pular e ocasionalmente nadar para navegar pelos locais. Ataques corpo-a-corpo podem ser usados ​​para derrubar inimigos sem serem detectados. Alternativamente, os jogadores podem emboscar inimigos, o que muitas vezes resulta em um tiroteio intenso entre as duas partes. Comandantes inimigos podem pedir reforços várias vezes.

Um sistema de cobertura pode ser usado em combate como assistência contra inimigos. Os jogadores têm a capacidade de se apoiar, cobrir e ocultar, o que pode ser usado como uma vantagem tática durante tiroteios e níveis furtivos. Palafitas também estão disponíveis durante alguns segmentos de jogo para mais uma vantagem tática. O jogo oferece aos jogadores uma ampla variedade de opções de armas; eles podem ser encontrados no chão, recuperados de inimigos mortos ou removidos de sua posição estacionária e carregados. A munição de armas deve ser recuperada manualmente do solo ou de inimigos mortos. Os jogadores têm acesso a um inventário de armas, o que permite que eles carreguem tantas armas quanto encontrarem. Os jogadores têm a capacidade de misturar livremente armas para empunhar duas vezes, dando-lhes uma vantagem sobre os inimigos, causando o dobro de dano. Os jogadores também podem personalizar armas através do uso de atualizações. Escopos e supressores também podem ser ligados a armas.

A América caiu

Forças nazistas andam livremente pelas ruas, sem controle nem resistência. Mas não por muito tempo. B. J. Blazkowicz está de volta em Wolfenstein II: The New Colossus, e ele está pronto para liderar a resistência e revidar. Com o lançamento de Wolfenstein II essa sexta-feira, montamos todo um dossiê cheio de informações para ajudar você a libertar a América. Da história e da ambientação às armas, à jogabilidade e mais, aqui tem tudo que você precisa saber sobre The New Colossus.

Histórica e Ambientação

Nazistas em Main Street, EUA. Um elenco de personagens coloridos. E um retrato do verdadeiro mal. Vejam esses destaques e assistam aos vídeos que mostram tudo, desde os novos cenários do jogo até o novos aliados de B. J. – e um velho inimigo.

Mate o Kommandant

A primeira dica que queremos dar é simples. Ao jogar através de Wolfenstein 2: The New Colossus, você terá a oportunidade de encontrar e eliminar os Kommandants, que podem chamar reforços. Embora esses inimigos não sejam excepcionalmente difíceis de matar, sua capacidade de chamar reforços pode realmente te prejudicar, então, matá-los será uma boa ideia à medida que você explora o mundo e encontra todos os segredos escondidos que dos nazistas.

Você também adquirirá Códigos de Enigma de qualquer Kommandant que você mata, e você pode usá-los na Enigma Machine para desbloquear missões secretas chamadas Überkommandant. Essas missões secretas permitirão matar inimigos nazistas de alto escalão, dando-lhe ainda mais a fazer no jogo.

Procure Colecionáveis

Há mais de 200 objetos colecionáveis escondidos em torno do mundo do jogo. Os colecionáveis contam mais sobre a história do jogo de forma profunda, que é algo que qualquer fã de Wolfenstein poderá apreciar. Portanto, não tenha medo de aproveitar seu tempo e explorar cada sala que você vê.

Use seu Mapa

Pode ser tentador ignorar o mapa em um FPS, mas fazer isso em Wolfenstein 2: The New Colossus significa que você vai perder muita coisa. Explorar o mundo é sempre uma boa ideia em jogos como o Wolfenstein 2, e ignorar o mapa significa que você vai perder os itens vitais para entender a história do jogo, como colecionáveis ​​e outras coisas. Certifique-se de usar seu mapa para ficar atento a coisas que você ainda obteve, e certifique-se de obtê-las para aproveitar ao máximo o deslumbrante e arrepiante mundo do jogo.

Usar seu mapa também significa que você poderá encontrar maneiras diferentes de fazer as coisas. Enquanto a campanha em Wolfenstein 2 pode ser mais linear do que os jogos de mundo aberto como Fallout 4, isso não significa que haja apenas um caminho para percorrer do ponto A ao ponto B, e você sempre deve procurar o caminho mais diferente se você quiser tornar o jogo ainda mais interessante.

Estude suas Vantagens, escolha com cuidado

Com um total de 18 Vantagens para escolher, pode ser tentador apenas ir e começar a desbloquear cada uma delas. Em vez disso, certifique-se de que está estudando cada uma das Vantagens, seus efeitos e o que elas têm para oferecer antes de gastar seus pontos nelas. Você também será capaz de melhorar suas Vantagens cinco vezes, então certifique-se de verificar o que as melhorias fazem também.

Prefira a Faca

Munições não chegam a ser raras, mas não é bom desperdiçar quando se pode usar a faca. Tente caminhar por trás dos adversários e executá-los. É bom para evitar gastar bala e também para não chamar atenção de mais guardas e acabar criando uma enorme confusão sem motivo.

Troque suas Armas

Se precisar atirar, no entanto, esteja preparado para variar entre as suas armas. Há pistolas, submetralhadoras, fuzis e muito mais. Aperte o R1 (RB) e seu menu com o arsenal abrirá. Varie bastante, e note que sempre as últimas duas armas já selecionadas serão acionadas pelo botão triângulo (Y).

Como matar Robôs

Para matar robôs, tente surpreendê-los por trás. Seu ponto fraco é a parte traseira. Jogue uma granada, ele ficará paralisado, então dê a volta e atire. Assim, você conseguirá derrotá-los facilmente.

Deslize

Saber se mover com rapidez é fundamental. Além da corrida tradicional, tente dominar o movimento de deslize. Com ele, você consegue evitar ataques e ainda chega mais rápido a possíveis objetos para lhe proteger.

Não fique parado

Esqueça jogar como “camper”, parado atrás sempre de uma caixa ou pilastra. Em algumas situações, funciona, mas na maioria, se o inimigo te encontrar, ele vai atirar até destruir a caixa ou a parede e acabar te acertando. Movimentar-se pode ser uma opção bem melhor do que “camperar”.

Colete Itens

Explore bastante os ambientes. Em Wolfenstein: The New Order, há muito conteúdo disponível pelo caminho. Muitas armas, coletes, capacetes… Não perca nada! É possível terminar o jogo zerando as fases bem rápido, mas explore mais e você aproveita mais o game.

Configurações

O usuário pode escolher se quer que seu jogo tenha dicas de onde há estes itens, que ficarão brilhando no chão, e também pequenos tutoriais sobre as ações que pode fazer. Dependendo do seu perfil, isso pode facilitar muito o jogo, então pode-se remover estas funções, que são ativadas por padrão.

Fergus e Wyatt

Em um dado momento do jogo, você “opta” por um soldado ou outro e, a partir daí, desenvolve-se a trama. Você pode voltar ao menu de capítulos, regressar ao momento, e depois segui-la de outra forma no futuro. Assim, você explorará Wolfenstein: The New Order de duas formas diferentes.

Conteúdo extra

Além dos itens fundamentais para o jogo, o game ainda tem diversos easter eggs. É possível coletar obras, desbloquear os projetos conceituais de locais, as biografias dos personagens e solucionar enigmas em busca de recompensas. Não fique voltado somente à campanha linear, busque também estes extras.

Dificuldade, tiroteios e stealth

Wolfenstein sempre teve como característica o desafio das dificuldades. Com uma lista acima do normal, Wolfenstein 2: The New Colossus tem a dificuldade exata para você e para o seu desenvolvimento no jogo.

Você pode transformar o jogo no Call of Duty, no modo mais fácil. Ou pode transformar o jogo em uma mistura de Black com Dishonored nas dificuldades mais elevadas. Vamos focar na dificuldade mais normal, afinal de contas esse review tinha que sair o quanto antes não é mesmo?!

O jogo cobra de você um comportamento furtivo logo no início de sua jornada. Mostrando a importância de derrotar inimigos um a um sem ser visto. Pouco tempo depois temos que lidar com os oficiais de patente alta, que são responsáveis por acionar o alarme e transformar qualquer quartinho em um campo de guerra. Estes têm que ser eliminados o quanto antes e para isso o jogo te dá um indicador de distância e direção que eles se encontram. Não pense que isso facilita muito as coisas. Chegar até eles sem ser visto é um baita desafio e você com certeza morrerá bastante até encontrar a melhor maneira de fazê-lo.

Quando as coisas não dão certo ou quando você tem que partir pra cima é onde o jogo se consagra! Atirar em Wolfenstein 2 é uma das melhores experiências que eu já tive em jogos de tiro. Cada arma tem um impacto diferente, um coice diferente e um momento diferente. Não temos uma lista grande de armas, você terá em torno de 10 ou 12 opções, porém, completamente distintas. Além disso você deverá encontrar “partes” para poder melhorar cada uma das suas armas. Esses itens são encontrados durante as missões ou quando você termina alguma das simples missões secundárias que o jogo te possibilita, dentro da sua base. Coisas como tirar caixas do caminho ou alimentar um porco.

As batalhas são muito intensas e a IA do jogo te desafia a todo momento. Você escuta os inimigos se comunicando, planejando te flanquear ou lançar bombas e você que se vire, porque eles de fato vão fazer isso. É muito normal você tomar tiro pelas costas de um lugar que você achava seguro não chegar ninguém. Isso lembra bastante o jogo Black, um dos jogos mais queridos por amantes do FPS Hardcore. E isso é ótimo!

Mais da metade para o final do jogo, você poderá escolher acessórios que mudam completamente a maneira de lidar com fases seguintes. Você poderá escolher entre: ser ainda mais sorrateiro e caber em lugares mais estreitos, destruir paredes e portas com “ombradas”, ou ter pernas que te elevam, alcançando assim novas áreas para vasculhar ou se refugiar. Um belo fator replay para cada dificuldade que você decidir enfrentar.

Os inimigos possuem fortes armaduras que são destruídas conforme são atingidas, então não é interessante atirar de qualquer maneira, tiros pensados e sequenciais abatem mais rápido, headshots são decisivos. Aqui a sua habilidade é colocada a prova de uma maneira muito mais fina do que em jogos multiplayer.

Dicas finais

Você não precisa saber tudo antes de mergulhar em The New Colossus. Quem jogou o primeiro jogo vai continuar de onde ele parou. Mas, para quem é novo na franquia, reapresentamos a trama e os personagens, então você pode aproveitar o jogo de modo independente.

A sequência de abertura do jogo apresenta aos jogadores uma escolha de linha do tempo. Na linha do tempo de Fergus, você ganha acesso ao já conhecido Laserkraftwerk, uma multiferramenta de alta energia capaz de derreter aço e transformar nazistas em cinzas. Escolher a linha do tempo de Wyatt te recompensa com o novo Dieselkraftwerk, uma arma bruta detonada remotamente que dispara tubos aderentes cheios de diesel dos nazistas. Ambas as armas são melhoráveis para dar ainda mais poder de fogo para matar nazistas. Falando nisso…

Melhorias de arma oferecem uma nova forma de personalizar a sua experiência em The New Colossus. Kits de melhoria – que podem ser descobertos por todo o jogo – permitem que B. J. altere dramaticamente a funcionalidade e versatilidade do seu arsenal.

Lembre-se de aplicar seus kits de melhoria desde o início e com frequência. Sendo um jogador caótico que prefere carregadores estendidos para suas escopetas, um jogador furtivo que prefere supressores para a pistola e submetralhadora ou um jogador tático que prefere uma mira para o seu fuzil de assalto e um PEM para suas granadas, as melhorias de armas podem fazer toda a diferença no calor da batalha. Planeje de acordo e faça os nazistas tremerem nas calças!

Os dispositivos adicionam um novo elemento à jogada. Essas melhorias especiais complementam estilos de jogo diferentes. Prefere a rota furtiva? A armadura compressora espreme o corpo de B. J. para caber em canos pequenos e locais estreitos para surpreender inimigos em locais inesperados. Para uma abordagem mais tática, B. J. pode optar pelo locomotor de batalha – dispositivo mecânico que te dá uma visão de cima do campo de batalha, além de acesso a parapeitos, telhados e outros locais difíceis de acessar. E finalmente, as ombreiras de ataque são uma armadura reforçada que deixa B. J. destruir paredes de concreto e cair obliterar nazistas deixando apenas uma névoa sangrenta no caminho.

Não há “jeito certo” de fazer manejo duplo. Se quiser ser tático e carregar uma arma com silenciador em uma mão e um fuzil de assalto na outra, vá em frente. Ou se quiser ser furtivo, agachar com frequência, espreitar pelos cantos e adicionar um silenciador às suas pistolas também. Ou mesmo se quiser só carregar duas armas pesadas, encontrar uma Schockhammer e se divertir. Experimente levando em conta as suas habilidades, estilo de jogo e o próprio nível. E sinta-se livre para mudar quando quiser!

Embora suportemos estilos de jogo diferentes – furtivo, tático e caótico – isso não é normativo. Seja flexível e faça o que funcionar melhor em cada situação.

No estilo furtivo, o objetivo é matar silenciosamente, inimigo a inimigo. Mas se você for pego, sempre há a possibilidade de pegar duas armas e limpar a sala!

Os nossos níveis são ainda maiores em The New Colossus, então invista em exploração. Você pode encontrar caminhos alternativos ou uma abordagem diferente para enfrentar um inimigo. Quase sempre há outra opção se você estiver com dificuldades. Se desviar do objetivo principal vai oferecer uma experiência mais recompensadora.

Machadinhas estão em todos os lugares, então se lembre de jogá-las com frequência para realizar eliminações de um acerto em inimigos menos protegidos. E não se esqueça de recuperá-las depois para ter sempre um bom suprimento delas.

O Martelo de Eva, o submarino que você roubou dos nazistas no primeiro jogo, foi transformado em uma base da resistência. É aqui que você vai coordenar as missões que podem acionar a revolução americana. Certifique-se de explorá-lo entre missões para encontrar segredos e missões secundárias ou apenas para conhecer melhor a sua crescente família de guerreiros da resistência.

Referências:

X Games Viciados, Bethesda, Ultima ficha, techtudo, wikipedia.