Titanfall 2

Titanfall 2 é um videojogo de tiro na primeira pessoa (first person shooter) produzido pela Respawn Entertainment e publicado pela Electronic Arts em outubro de 2016 para Xbox One, Windows PC e PlayStation 4.

É a Sequência de Titanfall (2014), o jogo foca-se na história de Jack Cooper, um soldado que aspira ser um piloto de um Titan, enormes robots Mecha usados na guerra.

Titanfall 2 recebeu críticas bastante positivas por parte da imprensa da especialidade. De acordo com o website Metacritic, Titanfall 2 recebeu “aclamação universal” na versão Xbox One e “análises geralmente favoráveis” nas versões PlayStation 4 e Windows. Os elogios foram sobretudo para com a campanha de um jogador, a jogabilidade e o multijogador com muitas análises a fazerem notar que o jogo foi uma enorme melhoria em relação ao seu antecessor. Recebeu diversos prêmios, incluindo o de “Escolha dos Críticos” nos Golden Joystick Awards de 2016. No entanto de acordo com a Electronic Arts, Titanfall 2 não vendeu de acordo com as suas expectativas.

Não espere sentado

É preciso aguardar até o limite do cronômetro no canto inferior esquerdo da tela para convocar seu robô Titã para a batalha. Fique de olho no indicador de percentual, que começa em 0% e só permite invocar Titãs quando alcança 100%.

Felizmente, há formas de agilizar o processo. Quase todas as atividades realizadas para o bem de seu time contribuem para apressar sua chegada: completar objetivos, roubar baterias ou matar seus inimigos são bons modos de diminuir o tempo de espera por um Titã novinho em folha.

Pense vertical

Enquanto os rivais Battlefield e Call of Duty estimulam os soldados a correr em um campo aberto, Titanfall 2 permite uma exploração mais criativa dos cenários. Assim, ficar preso ao chão é um convite às derrotas rápidas. Em vez disso, capriche nas corridas pelas paredes e saltos duplos, já que movimentos verticais são ótimos para confundir os oponentes.

Aproveite os corredores e conjuntos de prédios estreitos para emendar uma série de corridas pela parede, já que esse “combo” aéreo aumenta drasticamente a velocidade do piloto. Quando ficar craque em andar pelas paredes, tente se agachar entre um salto e outro em pleno ar, já que a deslizada aumenta ainda mais a aceleração.

Experimente diferentes robôs

Aproveite as primeiras horas de jogo para testar cada modelo de Titã e descobrir qual deles combina melhor com o seu estilo de gameplay, já que cada robô cumpre um propósito totalmente diferente nos combates.

Scorch, por exemplo, é bem equilibrado em ataque e defesa, o que o torna uma boa pedida para iniciantes. Enquanto Ion deve ser usado por campers devido ao seu armamento de longa distância, Ronin é a pedida ideal para combates mano a mano. É uma boa ideia testar Legion por último, já que suas armas são muito poderosas, mas demoram para ter seu tempo dominado.

Granada amiga

Robôs não são a única alternativa explosiva para os combates: há diversos tipos de granadas para os soldados, como as incendiárias e elétricas, então seja criativo. Enquanto as granadas Frag “apenas” causam um grande impacto explosivo, as elétricas podem ser utilizadas para atordoar e cegar outros pilotos.

Lembre-se que é possível segurar a granada em suas mãos por alguns segundos antes do arremesso e, especialmente, que apertar “triângulo” no PlayStation ou “Y” no Xbox largará a granada no chão. Esta é uma ótima tática para surpreender os inimigos que estão em seu encalço.

Pilha certa

Qualquer que seja o mapa de combate, há sempre um objeto de interesse: as baterias espalhadas pelo cenário. Seu piloto pode usá-las tanto para abastecer o seu próprio Titã quanto para ajudar os robôs de seus aliados aplicando um aumento de poder. Tente, então, ajudar os companheiros que precisam de uma mãozinha.

Lembre-se de ficar alerta, pois as baterias são encaixadas no topo dos Titãs, o que significa que inimigos podem atacá-lo pelas costas e roubar sua carga. Por outro lado, se avistar um Titã rival com um buraco na área da bateria, aproveite para surpreendê-lo atirando uma granada no orifício, o que causará um estrago gigantesco.

Estude os mapas

Dominar os mapas separa os amadores de profissionais. Não adianta nada ser o melhor piloto de Titãs do mundo se você não souber o que fazer com o seu poder. Como em todo multiplayer competitivo, a chave para a vitória reside em decorar cada detalhe dos cenários e saber utilizá-lo a seu favor.

Repita os cenários várias vezes e combine estratégias com seus amigos em jogos online. Quando você conseguir visualizar automaticamente os melhores esconderijos e os pontos perfeitos para emboscadas, dará um grande passo para a vitória.

Jogue a campanha

Pode parecer uma dica meio besta, mas é extremamente importante. A campanha vai te dar uma sensação ótima de como o jogo (e tudo que você pode fazer nele) funciona. Sem falar que a história é bem bacana, então com certeza não vai ser tempo perdido. Aproveite para também testar diferentes kits de Titãs. Sempre bom praticar sem alguém do seu próprio time te chamando de noob.

Escolha seu modo de jogo

Titanfall 2 possui vários modos de jogo com pontos positivos e negativos em cada um. Escolha o que você se sente mais à vontade e foque nele. Aqui a lista de modos:

Amped Hardpoint – Capture o ponto de controle.

Bounty Hunt – Ganhe pontos por matar os inimigos e os NPCs.

Pilots vs. Pilots – Batalha em equipe sem Titãs.

Capture the Flag – Capture a bandeira.

Attrition – Deathmatch em equipe que inclui titãs e NPCs.

Skirmish – Deathmatch menor do que o modo Attrition.

Last Titan Standing – O oposto de Pilots vs. Pilots.

Free for All – Cada um por si.

Acostume-se com o sistema de níveis

Existe seu nível de piloto, nível do Titã e nível da arma. Usar um Titã ou arma específico vai desbloquear habilidades e mods relacionados. Você também vai receber itens cosméticos, como pinturas para o Titã e para as armas. Gostou de uma combinação? Então invista nela e boa sorte!

Junte-se a uma Rede

Todos os jogadores fazem parte da Advocate Network, mas é possível se juntar a outros grupos, que parecem muito com clãs de outros games. Escolha uma que possui jogadores que gostam de jogar como você, é um dos principais jeitos de se divertir jogando. Essa não é uma dica de jogo, mas é uma dicas para jogar Titanfall 2 valiosa.

Na dúvida, use o básico

Os equipamentos default são bons pra quem está começando. O rifle de assalto cumpre seu papel, o gancho é ótimo para se mover pelo mapa e o Titã ION é ótimo para iniciantes. Não tenha vergonha de apelar pro feijão com arroz.

Use o seu radar

Tudo que você precisa saber sobre o que está acontecendo ao seu redor pode ser descoberto apenas observando os indicadores. O radar é um deles, corpos de aliados caídos também podem significar inimigos por perto, então fique atendo. Aliás…

Atenção com o ambiente

Seja pelos telhados ou pelos flancos, você precisa estar pronto para inimigos surgirem de QUALQUER lugar do mapa. Tipo, mesmo. O jogo te dá muitas opções de movimentação, então não é impossível chegar em locais que você julgaria impossível.

Não tenha medo de subir nos Titãs

Uma ótima forma de causar dano em um titã enquanto você está a pé é subir em cima de um deles. Primeiro você vai roubar uma das baterias dele e depois jogar granadas em espaços abertos. Vai sem medo. Ou quase isso. Se sobreviver, entregue essas baterias para titãs aliados e GG.

Cumpra os objetivos

Fazer as missões não é apenas uma forma de ganhar, é uma forma de ganhar com estilo. Ao completar objetivos você consegue seu Titã mais rápido, então esqueça a ideia de jogar pelos frags. A gente nem deveria precisar falar isso, mas tanta gente esquece que é uma das dicas para jogar Titanfall 2 mais importantes.

Não esqueça de desviar

Muitos pilotos ficam tão empolgados com o jogo que esquecem que o Titã pode se mover rapidamente em qualquer direção. Não tenha medo de usar essa habilidade para desviar de tiros, ela pode salvar MESMO a sua vida. Esquivar, jovem gafanhoto, é uma das dicas para jogar Titanfall 2 mais importantes que você vai aprender.

Ligue o Auto-Run e corra pelas paredes

“Titanfall 2” é um jogo de ritmo acelerado, que coloca os jogadores em partidas rápidas e mantém a ação em alta o tempo todo. Ser um “camper” ou ficar aguardando o inimigo vir na sua direção quase nunca funciona. O negócio aqui é sair correndo pelas paredes, pular plataformas e surpreender seus adversários pelos flancos. Para acionar a corrida é preciso pressionar o analógico, o que logo fica cansativo.

Para resolver esse problema, existe uma opção de corrida automática no menu de controles. Ative essa opção sem medo: a maioria dos jogadores faz isso para economizar tempo e também a durabilidade do controle.

Para conseguir chegar nos inimigos em alta velocidade e escapar de emboscadas a tempo, o melhor caminho é sempre utilizar boosts de pulo e as paredes. O seu personagem se desloca bem mais rápido ao andar por paredes do que em uma corrida normal em linha reta no chão. Tenha isso em mente e treine para dominar essa mecânica, combinando saltos para alcançar distâncias ainda mais longas. Quanto mais rápido você for na movimentação, mais chances terá de surpreender os inimigos.

Teste todos os Boosts e habilidades

Em “Titanfall 2” existem boosts que podem ser equipados no seu piloto para garantir melhorias em algumas frentes. Para ativar um boost, é preciso esperar a barra Titan (que está na parte superior da sua tela) ficar preenchida. Existem dezenas deles, que servem para melhorar sua velocidade, dano com armas do piloto, entre outros.

Não existe exatamente uma escolha correta, já que tudo vai depender do seu estilo de jogo. Por conta disso, teste todos eles até achar os que se encaixam melhor no seu caso. É possível trocá-los no meio da partida também, então brinque bastante com os boosts para encontrar o ideal.

As habilidades também são essenciais para a vitória. Ao contrário dos boosts, elas têm um cooldown próprio, bem mais rápido. O problema é que nem todas elas estão liberadas logo no começo, então é preciso atingir alguns níveis para desbloquear todas.

Algumas habilidades iniciais são muito boas, incluindo o gancho, que já vem liberado. Vá testando todas, assim como fez com os boosts, para encontrar a melhor combinação para o seu piloto.

Teste titãs diferentes no modo campanha

Além de trazer uma história que mostra os laços entre um piloto e seu titã, a inédita campanha de Titanfall 2 é um bom momento para testar os diferentes modelos de titãs. O Ion é o mais equilibrado de todos, mas o Ronin, mais leve e rápido, pode surpreender nos combates.

Quem prefere aguentar muitos tiros pode usar o Scorch, que é pesadão e cheio de armadura. Sua lança-granadas causa muito dano, embora tenha pouca munição. O Tone é bastante equilibrado, com um canhão principal muito forte. Contudo, há quem prefira o Ronin, que é leve e rápido e pode usar uma espécie de espada para fortes ataques de perto.

O Northstar é um pouco mais complicado de usar, já que pode disparar mísseis e pode flutar acima do cenário, e o Legion é perigoso com sua poderosa metralhadora. Teste todos e escolha seu favorito.

Não se preocupe com o loadout

Como em outros jogos de tiro, você pode montar seu loadout, ou seja, sua configuração de armas e de habilidades para usar nas partidas multiplayer. Assim, é possível ter diversas configurações de titãs e armamentos para usar e trocar rapidamente durante as partidas.

Contudo, caso você ache muito complicado ficar escolhendo qual arma usar ou qual titã receber apoio, selecione o loadout padrão. O rifle de assalto é forte, o gancho dá mais mobilidade e o titã Ion é bom para iniciantes.

Atire sem mirar e use o radar

É meio automático: na maioria dos FPS, ao avistarmos o inimigo, rapidamente pressionamos o botão da mira antes de atirar nele. Esse tempo precioso perdido neste movimento pode nos levar a morte, principalmente em um game com ação veloz como Titanfall 2. Como você é um piloto rápido, atire sem mirar a uma distância média do adversário. É mais eficaz. Além disso, há uma habilidade das armas que facilitam o tiro certeiro sem a mira. Use e abuse disso.

Dicas finais

Se você pressionar o botão de pulo enquanto se ejeta do Titã, vai saltar da cadeira e conseguir ir mais alto, ideal para plataformas em lugares inacessíveis por meios convencionais.

Hologramas seguram balas e podem servir como cobertura.

Dar bateria para um Titã aliado aumenta consideravelmente a sua barra de Titã.

Arc Granades dão um dano enorme em torretas.

Algumas animações de execução são mais demoradas que as outras, fique ligeiro para não ficar vulnerável por muito tempo.

Referências:

Blog Nuuvem, Uol, Br Ing, wikipedia, techtudo.

Middle Earth: Shadow of War

Middle Earth: Shadow of War é um jogo de RPG de ação ambientado no universo da saga “O Senhor dos Anéis” do autor J. R. R. Tolkien, desenvolvido pela Monolith Productions e distribuído pela Warner Bros. Interactive Entertainment. É uma sequência do jogo Middle-earth: Shadow of Mordor de 2014 e foi lançado para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em 10 de outubro de 2017.

Shadow of War foi bem recebido pelos críticos, com elogios com relação ao gameplay e melhorias no sistema de jogo, embora alguns elementos da história e mudanças nos personagens provocaram reações negativas, assim como a inclusão de microtransações.

Estude o inimigo

O exército de Sauron é composto por muitos capitães e seus Uruk’s subordinados. Os subordinados são inimigos mais fracos, que podem ser derrotados facilmente. Já os capitães são Uruk’s promovidos, que possuem poder de ataque e resistência muito maior aos de outros Uruk’s. Não obstante, esses capitães possuem também fraquezas e forças únicas que você precisa saber antes de enfrentá-los.

Ao marcar um capitão, ronde os arredores e procure por documentos que informem mais detalhes dele. Um outro caminho mais fácil de obter tais informações é interrogando delatores. Para saber quem são, basta ativar a visão espectral e procurar pelos inimigos de silhueta verde. Inimigos comuns podem também saber informações sobre os capitães, mas muitas vezes não é o suficiente.

Modo Furtivo

O modo furtivo é a sua melhor tática para se dar bem no começo do jogo. A medida que avança na campanha, você poderá evoluir Talion para lutar bem contra grandes quantidades de inimigos, contudo, no início da campanha é bom evitar o combate contra muitos Uruk’s.

No modo furtivo, Talion pode matar inimigos e se locomover sem ser notado pelos outros. Este modo também é útil quando se deseja despistar inimigos que estão lhe perseguindo. Quando encontrar mato alto, você pode se ocultar nele e atrair inimigos para que os derrote rapidamente.

Evolua ao seu modo

Com elementos RPG muito bem visíveis, em Shadow of Mordor você deverá evoluir Talion para que ele possa melhorar em combate. A cada level evoluído, novos pontos de habilidade serão dados para que você desbloqueie novas habilidades.

A dica aqui é evoluir o guardião no seu modo de jogo. Por exemplo: se você foca no combate corpo a corpo, evolua técnicas de finalização ou de montaria em Caragors; se você prefere ser mais furtivo, melhore seus atributos de dano a distância, morte furtiva e movimentação mais rápida.

Equipe-se bem

Ao derrotar um capitão, lhe é concedido uma Runa para que você possa equipar em sua espada, arco ou adaga. Essa Runa lhe dará vantagem em batalha, como melhorar seu ataque crítico, aumento de energia e/ou velocidade de ataque. Para desbloquear um novo espaço de Runa é necessário gastar Mirians – dinheiro do jogo -, além de precisar ter level mínimo em alguns casos.

Aproveite o jogo

Shadow of Mordor é um jogo com mapas gigantescos, com ricos detalhes e referência a cultura Tolkiana. Há dezenas de missões secundárias para fazer, itens para coletar, vilões para derrotar e conquistas para desbloquear.

Segundo o site How Long to Beat, Shadow of Mordor conta com 11 horas de jogo de campanha principal, e mais oito horas de conteúdo adicional, como Side Quests e desafios. Como se não bastasse, há dezenas de apêndices sobre detalhes sutis da história do jogo, que renderão mais algumas horas de entretenimento.

Cuidado: morrer deixará os inimigos mais fortes

A morte traz consequências mais impactantes do que você imagina em Middle-earth: Shadow of Mordor. Os guerreiros orc da região em que você foi assassinado acabam ficando mais fortes por meio do “sistema de nêmesis”, que acaba promovendo os soldados de baixo escalão e aumentando ainda mais a força dos inimigos mais poderosos.

Não é apenas o adversário que matou Talion que leva o crédito, mas sim todos aqueles que sobreviveram à briga. Portanto, pense duas vezes antes de enfrentar um pelotão de forma despreparada — ou eles vão acabar se tornando uma grande dor de cabeça para você depois de um tempo.

Seja cuidadoso com a sua vida

Há poucas formas de recuperar a vida em Middle-earth: Shadow of Mordor, mas a principal delas é buscar pelas pequenas plantas e ervas que crescem pelos cenários. No entanto, não fique tão confiante ao ver elas reaparecendo pelo mapa, pois dentro das fortalezas elas não irão crescer novamente caso sejam utilizadas.

Cuidado é crucial nessas horas, ou seu destino não será muito agradável.

Corra quando precisar

Se você já passou pela primeira dica, vai se lembrar o quão importante é se manter vivo para não dificultar ainda mais as coisas. Portanto, se sua vida começar a ficar muito baixa, não tenha medo de correr. Seguir para os pontos com ervas para recuperar a saúde talvez seja a opção mais indicada para não encontrar Boromir de uma forma cruel.

É bem provável que os orcs te provoquem pela sua manobra “estratégica”, mas talvez eles não fiquem tão animados assim quando você voltar preparado para uma segunda rodada.

Procure aumentar a sua vida

Ok, já sabemos que a cabeça de Talion é colocada em risco constantemente, então nada mais justo do que aumentar a barra de vida para deixar as batalhas um pouquinho menos perigosas, não?

Em Middle-earth: Shadow of Mordor é possível aumentar alguns atributos coletando Mirian a partir das missões marcadas em branco pelo mapa. Maximizar a vida do nosso protagonista será uma sábia escolha para aguentar as incansáveis hordas de orcs que vão te acompanhar pela Terra Média.

Habilidades de Ranger podem salvar sua pele

Outros upgrades para Talion incluem aprimorar suas habilidades nas classes “Ranger” e “Wraith”. Como a primeira influencia diretamente no seu combate corpo-a-corpo, é bem aconselhável seguir por ela para aumentar seu leque de opções durante as brigas — principalmente no começo do jogo.

Maximizar uma determinada habilidade também é aconselhável para deixar o jogo mais fácil.

Não se preocupe muito com os artefatos

Há pequenas missões em Middle-earth: Shadow of Mordor que consistem em procurar artefatos únicos, garantindo uma quantia bônus de pontos de experiência. Apesar de parecer bem tentador, a XP extra não compensa tanto assim por conta do tempo investido, então só se preocupe com elas se você quiser conhecer um pouco mais sobre a Terra Média.

Fique de olho nas runas amarelas

As armas podem ser aprimoradas por meio de runas especiais para aumentar o dano que você causa ou ainda diminuir o tempo de recarga. No entanto, há uma classe específica de runas que podem chamar muito mais a sua atenção: as “Epic Runes”, que contam com um brilho dourado ao redor delas.

Infelizmente, não espere que seja fácil encontrar por elas, afinal elas só poderão cair de orcs de alto escalão e uruk-hais. Você pode seguir para eles assim que sentir que suas habilidades estão à altura dos desafios, sendo mais aconselhável enfrentá-los depois de desbloquear uma das habilidades que garantem uma qualidade melhor para os itens encontrados.

Cuidado com os caragors

Caragors são animais ferozes que percorrem pelos cenários, mas com o tempo você poderá domesticá-los para que eles te ajudem nas missões. Até lá, tome cuidado para que você não se transforme em uma refeição, ainda mais quando encontrá-los pelos cenários no início do jogo.

Sua presença também pode ser muito estratégica, principalmente quando você conseguir libertar uma dessas feras de uma jaula em meio à um acampamento orc. Deixe que ela faça o trabalho sujo, pelo menos por agora…

Desvie e contra-ataque na hora certa

Middle-earth: Shadow of Mordor apresenta uma mecânica de defesa muito similar a da série Batman Arkham, possibilitando entrar em combate e desferir um golpe fatal mesmo quando o inimigo estiver pronto para atacar.

A possibilidade para isso aparecerá como um comando na cabeça do orc atacante, então é bom praticar para manter a ofensiva sempre presente durante os combates.

Mesmo assim, alguns ataques não podem ser bloqueados ou contra-atacados — então você deverá desviar no tempo certo para não sofrer danos. O esquema continua o mesmo: quando um ataque estiver prestes a ser desferido, um botão aparecerá no adversário informando que o momento de fugir está perto.

Muito cuidado com veneno e armas de longo alcance

Se você for entrar em uma fortaleza, faça questão de matar os arqueiros primeiro, assim não terá que lidar com eles durante toda a expedição. Além disso, é essencial tomar conta contra os ataques venenosos, principalmente vindo de orcs de elite. Evitar estes dois problemas irá manter sua vida fora da área de perigo.

Descubra o medo dos seus inimigos

Alguns orcs deixam marcas verdes depois de morrerem, sendo possível descobrir algumas informações interessantes sobre os inimigos mais poderosos. Eles também revelam o maior temor deles, como medo de fogo, de ser atacado por um caragor ou de ser traído por um guarda-costas.

Assim que você descobrir este ponto fraco, é hora de trabalhar para deixar seu inimigo de frente com esta vulnerabilidade e facilitar o seu trabalho.

Mate os guarda-costas primeiro

Enfrentar um chefe guerreiro é sempre complicado. Além da sua força incrível, ele conta com a ajuda de mais alguns orcs de elite, então sempre tenha cuidado para não acabar cercado e sofrer uma morte com essa situação.

Um meio de superar esse desafio é eliminar primeiro os guarda-costas e aos poucos deixar o combate mais tranquilo. Mas não respire tão levemente assim, afinal o chefe ainda te espera para um difícil confronto.

Esperamos que, depois de tantas dicas, sua aventura pela Terra Média fique um pouco mais fácil — e temos certeza que você conseguirá matar tantos orcs que deixarão um certo anão enciumado pela sua contagem superar a dele.

Retirada estratégica

Embora Talion seja bastante poderoso, até o herói pode ter grandes dificuldades contra vastos números de oponentes – e acreditem em nós, vão ter situações com mais de 10 inimigos ao mesmo tempo. Com um pouco de sorte e habilidade, podem sair vitoriosos até das situações mais complicadas, mas não fiquem cercados. Se pressionarem no botão de desvio podem ganhar alguns metros aos oponentes, e isso oferece a oportunidade para usarem o arco para abaterem rapidamente alguns adversários. Tenham atenção ao cenário, e se virem um barril explosivo, tentem atrair os orcs para perto antes de o rebentarem. Se mesmo assim estiverem em dificuldade, fujam. Podem simplesmente ignorar a situação, ou se quiserem voltar a atacar, esperem por uma oportunidade para atacarem de forma furtiva.

Aproveitem-se do sistema Nemesis

Não entrem cegos numa batalha contra uma personagem do sistema Nemesis. Tentem encontrar um Orc informador, ou outras formas de conseguir informações, para descobrirem as vantagens e desvantagens de cada oponente. Se souberem tirarem vantagem desta informação podem facilitar imenso a vossa tarefa. Com o avançar do jogo vão descobrir que os inimigos têm menos fraquezas para explorarem, mas existe sempre uma maneira. Também é muito importante evitar os pontos fortes do adversário. Se atacarem de uma certa forma podem causar raiva ao inimigo, por exemplo, o que vai dificultar imenso o objetivo. Tenham ainda em atenção o facto de alguns inimigos fugirem, por isso estejam preparados para isso – perder minutos a tentar matar um capitão, para depois o deixar fugir, pode ser muito frustrante.

Esta é a função primária do sistema Nemesis, mas quando começa o segundo ato, terão a hipótese de construir um exército. Vão colocar os vossos capitães em confronto com os adversários do sistema Nemesis, o que também tem os seus pontos de interesse. Também existem novas batalhas em arenas, onde os inimigos lutam entre si. Aprendam as particularidades de cada classe, e aproveitem-se disso mesmo, seja comandando o vosso exército, ou em combate direto.

Dominem as Feras

Com tudo o que há para fazer, é fácil deixar com que a capacidade para usar montadas caia no esquecimento. Podem montar Caragors, Graugs, e Drakes, cada um oferecendo diferentes vantagens estratégicas. Os inimigos do Nemesis têm também atributos relacionados com estas criaturas – alguns ficam furiosos quando vêm um, outros ficam apavorados, e outros dominam-nos. Usem-nos para ganharem vantagem nos combates, mas também como meio de transporte. Os Caragors são rápidos, ideias para cobrirem grandes distâncias, e ainda podem usar flechas quando estão montados. Os Graugs são resistentes e fortes, ideais para combates a curta distância, mas a sua lentidão não os validam como meio de transporte. Os Drakes têm o encanto de voarem, mas são a montada de que gostámos menos. Ainda assim, a perspetiva que oferecem do campo de batalha é fantástica.

Apontem às pernas

Uma flecha em cheio na cabeça é um tiro crítico garantido, mas se acertarem na perna vão ter outras vantagens estratégicas. Se o fizerem, seu oponente vai ficar parado no lugar, exposto para explorarem fraquezas. Isto será particularmente útil contra inimigos Nemesis que não sejam imunes a flechas. Esta tática é também excelente para parar inimigos em fuga que não queiram matar, como os Orcs informadores.

Ao vencedor, os espólios

Para Shadow of War a Monolith remodelou por completo o sistema de espólios (ou loot, se preferirem). Agora vão receber otipos de armas, peças, e gemas durante a aventura, com diferentes graus de raridade e qualidade. Enquanto os itens mais comuns só incluem estatísticas, as variedades rara e épica costumam trazer várias vantagens ou efeitos secundários. O segredo aqui não está em tentar arranjar as melhores armas e descartar as outras, mas antes em guardar armas capazes de causar efeitos diferentes. Como os inimigos têm vários tipos de fraquezas, convém adaptar o armamento e a armadura a preceito.

Outra componente nova são as gemas que podem equipar, itens que normalmente são largados por uns orcs especiais com uma marca branca em cima da sua cabeça. Sempre que virem um destes orcs, tentem matá-lo, porque vão precisar de todas as gemas que conseguirem mais próximo do final do jogo. As gemas mais poderosas podem ter um efeito esmagador no desempenho de Talion, como aumentar o dano causado ou a saúde em 30%, por exemplo. So passadas 30 horas de jogo conseguimos criar a nossa primeira gema de qualidade máxima, o que implica que terão de investir a sério na procura destas gemas. Prestem atenção ao mini-mapa, onde estes Orcs são também identificados por setas brancas.

Habilidades

Perfect Counter: Depois do Execution – que é extremamente útil sem dúvida, procura desbloquear o Perfect Counter bem cedo também. É essencial ao enfrentar hordas de inimigos, ser capaz de os imobilizar tempo suficiente para te focares num Captain ou para aplicar uma execução no chão. Eventualmente esta pode ser melhorada para recuperar ammo ou para matar instantaneamente grunts mais frágeis.

Wraith Chain: Na Predator Skill Tree, terás de desbloquear umas quantas habilidades até chegar à Wraith Chain – mas assim que o conseguires, as missões furtivas serão muito mais simples. Utilizando Focus, podes teleportar a tua forma wraith para inimigos nas redondezas, eliminando múltiplos oponentes em cascata, algo muito útil quando não podemos mesmo ser identificados ou quando queremos invadir uma fortaleza sem ser detetados.

Bird of Prey: Na árvore Ranged praticamente todas as habilidades são úteis, mas de início, a Bird of Prey é a mais importante. Permite-te abrandar o tempo e focar o disparo em pleno ar. Combinado com o Shadow Strider, podes saltar e executar um duplo salto, mudando de direção no enquadramento do teu alvo, antes de abrandar o tempo para desencadear uma chuva de setas num grupo, ou marcar um barril para explodir mesmo antes de aterrares no meio deles e limpar as sobras.

Ice Storm: Na árvore Wraith está uma das habilidades mais úteis para desbloquear desde cedo, Ice Storm. Quando estás a enfrentar demasiados Orcs ou um Captain poderoso, o Ice Storm permite-te congelar um alvo, prendendo-o no mesmo sítio e deixando-o fora da batalha, ou para usar um ataque flurry e acumular might rapidamente.

Call Caragor: Finalmente, a “Skill tree” Mounted é sempre útil para abusar das fraquezas dos inimigos, sendo que nada é mais útil que invocar um Caragor quando a necessidade aperta. Esta habilidade é especialmente adequada quando enfrentamos um Captain que tem medo ou é especialmente sensível a beasts – É inclusive possível invocar um Caragor no interior da sala de um Commander durante o assalto a uma fortaleza.

Não te esqueças de realizar o upgrade à habilidade para invocar outros tipos de beast e capitalizar as fraquezas dos teus oponentes.

Referências:

Game Reactor, Voxel, ING, techtudo, wikipedia.

The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Control

Control é um jogo eletrônico de ação-aventura de tiro em terceira pessoa desenvolvido pela Remedy Entertainment e publicado pela 505 Games. Ele foi lançado em 27 de agosto de 2019 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One.

Jogabilidade

Control é jogado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa em que o jogador controla Jesse Faden. A protagonista enfrenta diversos tipos de inimigos usando a chamada Arma de Serviço, uma arma de fogo sobrenatural que pode assumir várias formas. A pistola pode ser modificada a fim de aprimorar sua eficiência.[1] Além disso, o jogador também tem acesso a poderes sobrenaturais e de telecinese. Por exemplo, Jesse pode usar detritos como uma forma de escudo defensivo ou ainda atirá-los em inimigos, transformando-os em armas. O jogador pode adquirir Objetos de Poder ao completar missões paralelas ou ao explorar o mundo de jogo. Itens encontrados podem ser usados para desbloquear novas habilidades, como a capacidade de fazer Jesse levitar no ar.

Sinopse

Jesse Faden (Courtney Hope), após uma experiência traumática durante sua infância lhe ter concedido poderes sobrenaturais, procura respostas no Departamento Federal de Controle, uma agência governamental clandestina encarregada de estudar e conter fenômenos sobrenaturais. Quando a sede do Departamento, chamada de Antiga Casa, é invadida por uma força estranha conhecida apenas como Ruído, Jesse se transforma na diretora da agência por meio de um processo ritualístico. Ela passa a ser assombrada pelo ex-diretor Zachariah Trench (James McCaffrey) e deve encontrar seu caminho através dos corredores da Antiga Casa a fim de derrotar o Ruído e descobrir as respostas para o mistério.

Depois que uma agência secreta em Nova York é invadida por uma ameaça de outro mundo, você se torna a nova Diretora lutando para recuperar Control.

Control é a história de Jesse Faden e de sua busca pessoal por respostas enquanto ela evolui no papel de Diretora. O mundo de Control tem sua própria história, assim como os aliados que Jesse encontra pelo caminho. Jesse trabalha com outros agentes do Departamento e descobre segredos e experimentos obscuros.

Mundo mais importante que a história

Enquanto as demais desenvolvedoras criam primeiramente a história base que será o pano de fundo para o mundo do jogo que estão desenvolvendo, a Remedy segue justamente o caminho oposto.

Em Control, o foco é desenvolver um universo que mistura ficção científica com horror, que recebe o nome de “New Weird”, e é justamente isso que você sentirá no primeiro contato com este jogo.

Fica claro que o ponto mais importante não é contar uma boa história para o jogador, mas inseri-lo em um mundo onde nada faz sentido inicialmente, mas à medida que vai sendo explorado as peças começam a se encaixar.

Aqui você encarna na pele de Jesse Faden (interpretada pela atriz Courtney Hope – que também participou de Quantum Break), que possui poderes sobrenaturais e está em busca de seu irmão que sumiu há anos. Recentes pistas levam a agente ao Federal Bureau of Control (FBC) em Nova York, um prédio governamental que foi tomado por uma criatura de outro plano chamada de ‘O Ruído’.

Ao chegar lá você dá de cara com um lugar quase vazio com vários corpos de funcionários pairando no ar, como se estivessem enforcados no teto. E não demora para que alguns deles ganhem vida sobre uma aura vermelha e partam para atacar a recém-chegada protagonista.

Logo no começo ao explorar o local de entrada você chegará na sala do antigo diretor e ao lado de seu corpo está a “Arma de Serviço”, que você usará o tempo inteiro até o final do jogo. Jesse, então, assume o papel de nova diretora do local, mas não por vontade própria.

O lugar é grande e está todo corrompido pela tal entidade planar. Em meio à exploração, você encontrará pessoas que não foram corrompidas pelo Ruído. Através destes personagens será possível entender um pouco do que aconteceu, mas a narrativa não foca muito neste ponto. Para realmente entender bem a trama do jogo, será preciso ler todos documentos e gravações que encontrar pelo caminho.

Como dito, Control é um jogo em que o seu mundo é mais importante que a trama. E como você explora esse universo único é que torna a jogabilidade diferente dos outros lançamentos do ano.

Faça as Sidequests

“Control” não conta só com uma campanha, o jogo também possui várias missões secundárias interessantes para completar. Fazer essas missões é essencial, não só para expandir a história como por conta das recompensas que fornece.

Várias modificações e habilidades são conseguidas somente nessas missões e algumas delas vão facilitar demais o progresso na campanha, especialmente contra os chefes mais chatos. Se isso não é motivação suficiente, ainda tem conquistas/troféus que exigem completar todas elas.

Fique em Movimento

Os inimigos em “Control” são tão esquisitos quanto as mutações do cenário. Eles se movem de maneira estranha e atacam em conjunto, com uma vontade de encurtar as distâncias. Como são vários tipos deles e os combates se passam em locais fechados, é preciso se manter sempre em movimento.

Atire, esquive, foque os inimigos mais importantes e sempre mantenha as pernas trabalhando, buscando locais seguros para derrubar mais inimigos.

Quando acabar a munição, use habilidades

A munição das suas armas em Control acabam num piscar de olhos e geralmente são insuficientes para eliminar um inimigo. Para aliviar a barra, pelo menos ela recarrega sozinha, bastando ficar alguns segundos sem uso.

O problema é que esse tempo é suficiente para complicar a sua vida contra alguns inimigos. É aí que entram as habilidades. Utilizar seus poderes paranormais não impede a arma de se recarregar, o que torna essa janela de tempo ideal para usá-los contra os inimigos e se manter sempre na ofensiva.

Treine com suas habilidades para saber quais as melhores contra cada inimigo e use sempre que estiver sem balas na arma.

Qual é a importância das habilidades de Control

Eles são indispensáveis ​​para desbloquear habilidades no decorrer do seu jogo, e não apenas isso, mas você também pode abrir pontos de habilidade com os quais você pode concluir as missões, incluindo missões secundárias. Esses pontos melhorarão suas habilidades para que você cause grandes danos, mais durabilidade, entre outros benefícios que lhe serão concedidos.

As habilidades: Levantar por levitação, Proteger, Fugir, Aproveite, luta confusa, Lançamento.

Para que você possa entender sua utilidade e quando usá-los no Control, forneceremos um breve resumo de cada um deles.

Elevação por levitação: esta é uma habilidade muito importante, pois permite que você permaneça no ar por um certo tempo; sendo suspenso, você pode fazer coisas diferentes. Recomendamos o desbloqueio para que você possa entrar em algumas áreas onde encontrará itens colecionáveis.

Proteger: com essa capacidade, você pode usar alguns objetos ou lixo para fazer uma barra de proteção à sua frente, isso permite que você se proteja contra danos, evitando sair do local, faça-o para que você possa se mover livremente ao carregá-lo.

Iludir: com essa habilidade, você pode evitar o fogo, objetos e até chegar perto quando precisar atravessar uma das áreas rapidamente. O importante é que você aprenda a dominá-lo da melhor maneira.

Aproveite: é uma habilidade que permite controlar seus oponentes com baixos níveis de HP com sua mente, fazendo com que eles lutem por você. O mais importante é que, após seus próprios inimigos lutarem por você, eles morrerão automaticamente.

Luta confusa: é uma habilidade que você terá disponível por padrão; você não deve desbloqueá-la, pois causa muitos danos aos seus inimigos.

Para finalizar este guia para iniciantes, temos a capacidade de lançar: Permite que você tenha a força necessária para levantar qualquer objeto encontrado e jogá-lo em seus inimigos, além de destruir paredes e pisos para usar os detritos em sua defesa.

Não melhore armas até liberar todas

Existem cinco armas em “Control”, que são liberadas a medida que o jogador avança na história, e são construídas com os itens que você encontra pelo cenário. Cada uma delas tem um propósito diferente e servem para determinados tipos de inimigos e estilo de jogo.

Até você liberar todas, o recomendado é não gastar seus escassos recursos melhorando as que você já conseguiu, já que há o risco de a próxima arma ser a sua favorita e a que foi melhorada ficar para escanteio.

Não demora tanto para conseguir todas elas, portanto não custa nada esperar um pouco, especialmente porque os inimigos até então podem ser derrotados tranquilamente com seu arsenal básico e modificações.

Invista em pontos de vida

Não são só as armas que podem ser melhoradas em “Control”, também é possível instalar modificações na personagem principal, Jesse faden, para que ela melhore em vários aspectos. Dentre as várias opções, a nossa dica é sempre focar na vida, tanto nos que aumentam a quantidade máxima, quanto os que melhoram a regeneração.

Focar na vida é importante por conta do sistema de níveis do jogo, que só vale para os seus inimigos. Eles vão de um a seis, mas você estará sempre no mesmo degrau, dependendo das suas modificações. A barra vida é por muito a que mais sofre nesse sistema e você irá ficar com ela quase vazia durante vários momentos.

Até por isso, mesmo quando o assunto for habilidades, especialmente no início do jogo, o ideal é também focar nas que melhoram os seus pontos de vida. A princípio você não terá muitas habilidades disponíveis e os inimigos não vão representar tanto perigo, então investir na sua vida desde já é uma boa.

Não construa Mods

É possível construir os Mods com seus recursos em “Control”, mas isso é um desperdício enorme, que vai fazer falta mais para frente. Como eles podem ser encontrados pelo cenário e nas missões secundárias, gastar os seus recursos com eles só fará falta para outras áreas importantes do seu personagem.

O que você deve fazer, em vez disso, é destruir os Mods que não servem mais ou que estão abaixo dos que você já possuí. Ao fazer isso você acumulará mais materiais para fazer o que você não acha no jogo, como melhorar o nível das suas armas.

Combate corpo a corpo é importante

Não é só a sua arma que vai garantir que você chegue ao final de “Control”. Com a pouca quantidade de munição nas armas, que precisam ser recarregadas a quase todo o momento, você vai depender bastante dos punhos também.

O combate corpo a corpo é importantíssimo e muito poderoso. É possível melhorar suas habilidades nessa área durante o jogo, portanto não foque somente nas armas e vida, vez ou outra invista nos seus punhos.

Leia os colecionáveis

Ao todo existem 120 colecionáveis em “Contro”l, o que rende um troféu/conquista para aqueles que os coletarem. Muito mais que souvenirs, os colecionáveis expandem e explicam de forma importante a história do jogo. Cada documento, fita ou vídeo é uma ponta a mais de imersão no universo proposto pela Remedy.

Outro motivo são as Side Quests. Muitos delas são ativadas ao encontrar um colecionável, como já descrevemos acima, completá-las é importante para ter os melhores equipamentos. Portanto, nada de só passar pelos colecionáveis ou deixá-los no inventário, tire um tempinho para ler e se aprofundar na proposta do jogo.

Explore

Há muitos segredos escondidos nas diversas salas da FBC, o prédio onde se passa a campanha do jogo. Desde os colecionáveis até referências a outros jogos da Remedy. Há até uma referência ao Hideo Kojima, que é um dos cientistas do local.

Se isso não é motivo suficiente para explorar cada cantinho do prédio, ainda existem várias caixas com recursos e modificadores escondidas nos locais mais improváveis. Portanto explore sempre, se for preciso, use o mapa para se localizar e voltar para onde parou.

Atenção a seus arredores

A protagonista Jesse Faden possui poderes telecinéticos. Saber usá-los em objetos ao seu redor será um grande recurso durante o gameplay. Extintores de incêndio e as mesas são alguns exemplos de coisas que podem ser arremessadas contra seus inimigos.

Levitar te dará o controle da situação

A telecinese de Jesse não serve apenas para objetos. Ela pode pegar uma propulsãozinha e sair do chão com a levitação. Isso te ajudará a desviar de ataques dos adversários, te dará um posicionamento bom de ataque e também ajuda a alcançar objetos em lugares inacessíveis normalmente.

Defenda-se como puder

Não é só de ataques que se faz um game. Jesse precisará se defender também. Evadir é uma habilidade que permitirá que a personagem se afaste do inimigo rapidamente. Além disso, ela pode criar escudos usando objetos à sua volta.

A Arma de Serviço te ajudará muito

A Arma de Serviço, também conhecida como a “Arma do Diretor” é a pistola que Jesse carrega. Ela possui cinco formas diferentes, e os jogadores precisarão aprender a usá-la e adaptá-la para cada situação.

Control e o Mundo Invertido

O cenário da aventura de Jesse em Control lembra muito o Laboratório de Hawkins, que ficou imortalizado na série Stranger Things, da Netflix. É o chamado “Federal Bureau of Control”, uma organização que mistura realidade e misticismo em um prédio que é todo dividido em áreas.

E, assim como no seriado, tem áreas “limpas” e outras “contaminadas”. Só que não tem Mundo Invertido ou Demogorgon por aqui, mas sim algo chamado “Ruído”, ou “Hiss” em inglês. É uma espécie de “entidade” que deixa tudo no prédio muito louco. Não que esse Bureau já não seja maluco, com paredes que se movem e coisas do tipo.

Porém, com o Ruído, tudo fica pior. Pessoas ficam levitando pelos cenários, como em um transe, e outras são corrompidas a ponto de te atacarem. Guardas, executivos e diversas criaturas bem esquisitas que foram “criadas” com a ajuda da “entidade”. É um cenário já bastante complexo por si só, não é?

Pois bem, adicione “múltiplas realidades”, como um multiverso, e você estará no meio da trama de Control. No fim das contas, porém, é tudo sobre como Jesse e seu irmão foram expostos a um evento sobrenatural encoberto pelo Control na infância, e agora, 17 anos depois, ela encontrou a organização e quer respostas sobre o que houve com Dylan.

Ou seja, bichos misteriosos e combates frenéticos à parte, é uma história sobre família. Sobre ir atrás de quem lhe fez mal e também machucou quem você ama. E, claro, tem diversos plot twists e revelações que ninguém está esperando. Não daremos spoiler no review, mas o que você precisa saber é: o enredo é um dos pontos fortes de Control.

A forma como a narrativa se desenrola é muito interessante, a construção da personagem principal é bem feita e o ritmo de como as informações vão sendo coletadas e assimiladas também agrada. O final é algo que vai sendo construído a cada “revelação” do jogo e, por mais que fique claro em um dado momento, ainda assim é recompensador.

Desempenho fora de Controle

Só que tudo que Control tem de envolvente e divertido é posto à prova com a performance pífia apresentado no PS4 Pro – plataforma usada para a avaliação do Meu PS4. Quedas de frames e travamentos constantes, além de loadings super demorados, fazem com que sua experiência seja bem menos agradável do que deveria. 

Os cenários são bem construídos e os gráficos são bacanas, tirando um detalhe ou outro (como os fios de cabelo de Jesse). A fotografia do jogo é bem interessante e, em várias ocasiões, o jogador que se interessa por isso, vai querer fazer capturas de tela (e, muito em breve, usar o Modo Foto).

A interação com os cenários também é incrível. Você pode quebrar quase tudo o que vê pela frente com suas habilidades paranormais e armas. Contudo, de nada adianta esse trabalho visual todo se o jogo não é reproduzido corretamente. Segundo os analistas da Digital Foundry, por exemplo, o número de fps chega a 10 em algumas cenas.

Isso é inadmissível, e espera-se que a Remedy corrija essas falhas com um patch, o mais rápido possível. Afinal, é injusto o jogador comprar um game caro, que pode custar mais de R$ 330 (edição Deluxe), para ter um desempenho tão ruim. Sem falar nos travamentos, que são bem constantes, especialmente ao final de missões e no loading.

São esses problemas que pesam negativamente na avaliação de Control, e fazem com que seja impossível colocá-lo no mesmo patamar de outros grandes títulos do ano, como KH3, Resident Evil 2 e até Sekiro: Shadows Die Twice, por exemplo. Em história e jogabilidade, não deixa a desejar em nada.

Referências:

Tudo Celular, Xbox Play, Meu PS4, Uol, wikipedia.

Angry Birds Go!

Bem-vindo à corrida na Ilha dos Porcos! Sinta a adrenalina ao detonar na pista em velocidades incríveis numa corrida emocionante até a linha de chegada. Mas cuidado! Fique atento a estradas perigosas e oponentes malvados que farão de tudo para chegar em primeiro lugar. Ultrapasse os adversários para ganhar recompensas, fazer upgrades do seu kart e se tornar o melhor motorista da Ilha dos Porcos! Preparar… Apontar… GO!
CORRA COMO OS PÁSSAROS OU OS PORCOS NUM MUNDO 3D! Pegue o volante e corra com seus personagens favoritos do Angry Birds (Red, Chuck, Stella, Rei Porco, Bigodão e muitos outros) e veja a Ilha dos Porcos vibrante num mundo rico e colorido em 3D! 

É o game de uma das maiores franquias da história dos jogos mobile para Android, iOS e Windows Phone. Nele, o usuário controla um dos passarinhos irritados em disputas no melhor estilo Mario Kart.

O app mantém a interface, com gráficos cartunescos, tradicional da série Angry Birds. Os modos de partidas, no entanto, são totalmente diferenciados e levam os personagens a um mundo muito diferente do normal.

A dinâmica de arremessar seu pássaro em direção a obstáculos para destruí-los e acertar os porcos a cada nível, não existe mais. Neste aplicativo, o jogador controla o passarinho e tem que vencer os porcos, mas nas pistas de corrida. Cada um possui seu kart e deve acelerar o máximo para terminar as provas em primeiro lugar.

Angry Birds Go! Agora requer uma conexão à internet. Depois do download inicial, será feito o download de conteúdo adicional e isso pode gerar taxas adicionais de transferência de dados, conforme o seu plano de dados. Você pode evitar cobrança de dados jogando por meio de uma conexão wi-fi.

Começando o jogo

Ao entrar pela primeira vez no jogo, você não é obrigado a criar um novo jogador (podendo utilizar o “Guest” que significa convidado). Na tela inicial, vá no botão “>” para começar seu jogo e depois selecione o primeiro item “Seedway” que na verdade é mais um pequeno tutorial para você aprender os controles básicos e como funciona a corrida.
Como nos outros jogos da Rovio, você verá uma série de imagens contendo uma historinha para você se entreter. Depois disso, é possível escolher qual modo você deseja utilizar para controlar a direção de seu carrinho podendo ser via touchscreen ou inclinar seu iPhone para os lados.

Jogabilidade

A primeira corrida, que na verdade é mais um tutorial, você correrá sozinho e dará uma volta só para aprender a dirigir seu kart, já na segunda corrida você lembrará Angry Birds porque para começar uma corrida, você deve puxar seu kart, mirar e soltar para lançá-lo. Por último será uma corrida de verdade com os porquinhos como adversários.
Após finalizar esse tutorial, escolha um carrinho entre três disponíveis no começo do jogo, cada um contendo características específicas. Depois de escolhe você se encontrará em sua garagem e para começar a correr vá imediatamente ao canto inferior direito para começar uma nova corrida.
O interessante desse jogo é a capacidade de você realizar aprimoramentos em seu carrinho em todos quatro tipos: top speed (velocidade máxima), acceleration (aceleração), handling (controle) e strenght (força), sendo que para cada aprimoramento você deverá gastar certa quantia de moedas que você ganha durante toda corrida.

Colete o máximo de moedas e diamantes

Em cada uma das pistas no Angry Birds Go!, além de vencer as corridas, os jogadores podem coletar diversas moedas e diamantes. Elas não só aumentam a pontuação da volta, como também podem ser usadas em melhorias para os karts e recuperação dos personagens.

Sempre tente pegar o máximo de moedas por volta. Isso garantirá que não seja necessário jogar na mesma pista por diversas vezes para prosseguir no game.

Complete os desafios

Além de vencer porcos e pássaros nas corridas, os jogadores também podem fazer mais diamantes completando alguns desafios propostos pelo game. As tarefas costumam ser simples, mas rendem bons itens.

Fique atento à lista de tarefas exibida no início das corridas e obtenha novos itens com mais facilidade.

Capriche na largada

Um dos fatores mais decisivos para vencer corridas é uma boa largada. O jogo usa um esquema parecido com os antigos jogos da série Angry Birds, onde é necessário puxar o estilingue e soltar os karts no momento certo.

Aguarde até que o número um esteja na tela por uma fração de segundos e solte o estilingue para uma largada perfeita. Isso garantirá uma boa vantagem logo no início, além de mais facilidade para coletar itens na pista.

Prefira velocidade e aceleração

Praticamente após cada uma das corridas, você será convidado a melhorar o seu kart, para assim poder competir em corridas mais complicadas.

Prefira melhorar os atributos de velocidade e aceleração, para que seja mais fácil competir contra adversários mais competentes. Com isso, será mais fácil fazer ultrapassagens e se recuperar de trombadas.

Sempre use o Especial

Cada personagem de Angry Birds Go! Possui um ataque especial que pode ajudar muito nas corridas. Os golpes podem ser usados uma vez por corrida sem consumir moedas ou diamantes. Usos adicionais vão custar dinheiro, então tenha cuidado.

Aguarde o momento certo e toque no ícone em forma de raio para usar o Especial. É importante saber o efeito do golpe, para que seja possível potencializar o seu uso. Nunca deixe de usá-lo, já que eles não são acumulativos.

Poupe o fôlego dos personagens

Angry Birds Go! tem uma característica interessante: Os personagens ficam cansados depois de algumas poucas corridas. Caso planeje jogar por um período mais longo, use todas as vidas de um dos pássaros, para então começar a jogar com outro. Assim a ave cansada começará a se recuperar enquanto você joga.

Uma boa ideia é evitar a repetição de corridas, já que isso consome o fôlego da mesma forma. Aproveite as tentativas para desbloquear novas pistas e adversários. Em casos extremos, é possível usar alguns diamantes para recuperar os personagens cansados.

Diversos modos de jogo

Além da corrida tradicional, existem alguns outros modos de jogos para deixar o jogo mais atrativo como o Time Boom (fazer o melhor tempo possível), Fruit Splat (estilo Fruit Ninja onde deverá destruir o máximo de frutas possível durante a corrida), Versus (uma corrida um contra um onde você pode escolher entre três níveis (fácil, médio e difícil) cada um contendo uma certa quantidade de prêmio em moedas) e Champion Chase (após derrotar três vezes seu adversário, ele irá se tornar parte de sua equipe).

A cada fase, há uma série de missões. Em algumas, é preciso ganhar corridas. Em outras, é necessário fazer uma volta em um determinado tempo, coletar X frutas e também disputar uma batalha “versus”, ou seja, um contra um. Só ao completar todas estas missões, o usuário termina aquele nível.

Troca de Integrante

Cada integrante possui uma habilidade especial, por isso que você pode trocar de integrante a qualquer momento do jogo. Vale lembrar que independente do integrante, o carro é o mesmo para todos.

Cilindradas

Para cada tipo de corrida, tirando o “versus”, você deve ter uma quantidade mínima de cilindradas para conseguir participar. Para conseguir aumentar suas cilindradas, você deve fazer atualizações nos quatro quesitos de seu carro (velocidade máxima, aceleração, controle e força).
A questão é que para cada atualização custa a moeda do jogo que você consegue em cada corrida que participa, ou seja, caso não tenha cilindradas suficientes para poder participar dos tipos de corrida, você será obrigado a correr sempre no versus para arrecadar moedas e realizar atualizações até chegar na cilindrada desejada.

Configurações

Voltando para a tela inicial do jogo, é possível acessa a tela de configurações do jogo para alterar algumas opções como: restaurar as compras de dentro do jogo, alterar as configurações de som, alterar o modo de direção (touchscreen ou utilizando o sensor de movimento), visualizar os créditos do jogo e inserir códigos promocionais).

Integração com o Facebook

Outra funcionalidade interessante do jogo é que você consegue integrá-lo com sua conta do Facebook para adicionar todos seus amigos que também jogam o jogo, podendo desafiá-los e comparar suas pontuações em todas as corridas. 

Compras dentro do jogo

Devido ao jogo ser freemium, é possível comprar com dinheiro de verdade muitos itens no jogo desde comprar mais energias para você não precisar esperar para continuar seu jogo, comprar poderes especiais para utilizar durante uma partida (lembrando que cada integrante possui um poder especial único) e comprar carros mais potentes (é nesse ponto que o jogo chamou a atenção de toda a mídia, porque existem carros de diversos preços e o mais caro deles é um carro que pode chegar a custar mais de R$260,00.

Por Fim

Esse jogo da Rovio é bem interessante e divertido. Parecido com Mario Kart, esse estilo de jogo para celulares ainda não saturou, fazendo com que ainda tenha muito espaço no mercado e com isso a tendência de sempre atualizarem o jogo com novas fases, integrantes e itens é muito grande. Devido ao jogo ser freemium, você pode jogá-lo gratuitamente até sua energia acabar e para aqueles que não gostam de esperar para continuar jogando podem sempre recorrer às compras dentro do aplicativo para recarregar sua energia.

Veja esse e outros vídeos no nosso canal do youtube.

Referências:

Tudo celular, Google Play, Techtudo.

Comente aqui em baixo o que você acha sobre o Angry Birds Go!?