The Evil Within 2

The Evil Within 2 [a] é um videogame de terror de sobrevivência em terceira pessoa desenvolvido pela Tango Gameworks e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi lançado mundialmente em outubro de 2017 e é a sequela do videogame de 2014 The Evil Within. O jogo recebeu críticas geralmente positivas; como seu antecessor, recebeu elogios por seu visual, atmosfera e jogabilidade, mas recebeu algumas críticas por sua história e personagens.

Não tenha medo… de fugir

Naturalmente, The Evil Within 2 te dá medo. Ele foi feito para isso. Monstros assustadores, sustos mil, mas nem sempre precisa ser assim. Quando se deparar com uma criatura desconhecida que você não sabe bem o que faz ou como ataca, não tenha medo de fugir!

O game te dá todas as possibilidades para tentar se esconder ou despistar inimigos normais. Ainda que não seja tão adequado, é possível escapar com algum trabalho extra, seja por vida curta ou falta de munição. Contudo, tenha cuidado: os monstros são bem inteligentes e não deixarão que você suma sem mais nem menos.

Siga sempre o comunicador

O comunicador é uma importante ferramenta em The Evil Within 2 e coloca muita informação à disposição de Sebastian. Saiba seguir suas dicas e encontrar a localidade de outros elementos, itens ou sobreviventes no STEM.

Sem o comunicador, sua vida vai ficar bem mais complicada. Explicamos isso pois suas dicas podem parecer meros tutoriais do próprio jogo, mas não são. Não as ignore em hipótese alguma se quiser sobreviver um pouco mais.

Jogue com calma (na medida do possível)

Apesar de ter elementos de ação, The Evil Within 2 é um game para ser explorado nos mínimos detalhes. Jogue com calma, não pense em correr para terminar e ver logo a sequência de cenas finais.

Explore os cantos escuros, destrua caixotes para revelar itens e, claro, não deixe de aproveitar cada segundo da campanha. Essa dica é ainda mais recomendada nas dificuldades mais altas, carregadas de desafio superior.

Prefira sempre a furtividade

Por falar em calma, a furtividade é sua amiga em The Evil Within 2. Escolha permanecer nas sombras, evite combates e encontros indesejados. Os jogadores que fazem isso têm mais chance de sobreviver por algum tempo sem ser interrompidos. É no acobertamento que você encontra menus para matar automaticamente inimigos distraídos.

Como já deixamos claro, as sombras são suas amigas. Esgueire-se por cantos e escolha ficar atrás de móveis ao longo dos mapas que são dentro das casas, ou por trás de objetos diversos em outros locais de Union. Fique sempre atento ao ícone de olho que aparece no topo da tela. Se ele mudar, quer dizer que um inimigo te viu. Uma boa dica para distrair oponentes e usar mais a furtividade é, por exemplo, lançar objetos como garrafas em outro canto do cenário.

Economize balas

Chegamos àquela dica precisamente voltada para o gênero de sobrevivência de horror: economize balas. Não é brincadeira, já que toda a munição é escassa ao longo do jogo. As armas brancas, de corte, fazem um trabalho melhor para eliminar monstros mais simples ou abrir caixotes.

É claro que teremos momentos nos quais as balas serão imprescindíveis e você terá que descarregar pentes inteiros para eliminar os inimigos. Contudo, é sempre bom ter aquela reserva adicional, para fazer com que uma batalha de chefe seja mais simples, por exemplo.

Machado: a melhor arma branca

Por falar em armas brancas… Elas são as armas de corte, que não gastam munição e te oferecem ataques praticamente infinitos contra qualquer monstro padrão. Dentre elas, o machado é a melhor, com golpes mais fortes e precisos.

Na maioria do tempo, Sebastian terá a clássica “faquinha” à sua disposição, mas a partir do momento em que conseguimos o machado, a experiência de combate muda completamente. Não tenha medo de usá-lo no lugar das armas de fogo, inclusive.

Sempre mova a câmera

Essa dica está ligada com outras que citamos mais acima: a câmera é um dos segredos para se dar bem em The Evil Within 2. Alguns inimigos atacam sem aviso, silenciosos e, principalmente, por trás.

Ter todo o cuidado para não receber um golpe desprevenido ou morrer sem ser alertado é primordial no game. Infelizmente, não dá para olhar para a frente sempre, então é ideal que você sempre vigie outros ângulos da cena.

Jogar no ‘Easy’ não é vergonha

Por fim, saiba que The Evil Within 2 tem pelo menos três níveis de dificuldade iniciais. Começar no mais fácil não é vergonha alguma e, inclusive, é indicado pelo próprio diretor do jogo, Shinji Mikami – que foi o produtor e co-criador do primeiro.

The Evil Within 2 já é difícil por natureza, dada a variedade de momentos tensos, e jogar no “Casual”, o nível mais fácil, ajuda na adaptação dos controles e no desenrolar da história. Depois, é possível repetir a partida, em dificuldade superior, mas não se acanhe em começar pela mais simples – mesmo nesta dificuldade há um certo desafio alto.

Ande sempre escondido

The Evil Within 2 é um game que precisa ser jogado com cautela. O seu personagem, Sebastian, não é particularmente rápido ou forte e você terá que aprender a sobreviver sabendo isso. Considere sempre os campos de visão dos inimigos, seus movimentos e os locais onde você pode se esconder.

Sendo um game de terror de sobrevivência, você também necessita de itens essenciais como munições, mas estará limitado a um inventário não muito grande. A melhor estratégia então será andar escondido e tentar pegar seus adversários com sua faca, sempre por trás. Cada zumbi que você mata dessa forma é mais uma bala que pode o salvar no futuro.

Não seja impulsivo se for visto

Se você for descoberto por algum zumbi, não entre logo em pânico. Não é boa ideia começar disparando, mas sim procurar outro local para se esconder. Se você conseguir quebrar o campo de visão com o inimigo há boas hipóteses dele se esquecer de sua presença.

Tenha apenas cuidado com os arbustos, pois embora eles sejam bons para você se esconder, os mais altos podem também quebrar sua visão.

Estude suas redondeza

Como você não vai ter acesso a um mini-mapa, é muito importante percorrer seu caminho com cautela. Alguns zumbis estão sentados ou deitados nas ervas, um pouco camuflados e parecendo até mortos. Você não deve confiar em nada que não tenha sido morto por você, logo evite pisar nesses mortos-vivos ou eles vão acabar o atacando quando menos esperar.

Para o ajudar, você tem um ícone de alerta em cima da tela que indica se alguém está atento a sua presença. Se o olho estiver escaneando, isso significa que alguém está procurando você. Se por outro lado estiver apenas olhando em frente sem pestanejar então é melhor fugiu porque alguém está indo na sua direção!

Não esqueça que esse é um game de mundo aberto

The Evil Within é um game que o vai recompensar pela exploração. É necessário entrar em edifícios para pegar itens que vão ser muito necessários na sua sobrevivência. Logo, é útil que vá explorando suas redondezas enquanto se dirige para seu objetivo principal.

Além disso, andar pelo meio das ruas vai provavelmente levar você até à morte. Felizmente, o game tem muitos atalhos e vielas para você percorrer, fazendo com que fique mais escondido. Estabeleça sua rota por caminhos alternativos para aumentar suas chances de sobrevivência.

Complete todas as missões, incluindo as secundárias

É muito importante que você não só complete suas missões, mas também alguns objetivos opcionais que pode pegar. Essas missões secundárias devem ser completadas assim que possível porque vão conceder a você recompensas muito úteis, como novas armas e bolsas que aumentam sua capacidade de inventário.

Construa itens e melhore suas armas

The Evil Within 2 tem um sistema de construção fácil. Você apenas tem que pegar os materiais pelo mundo e os usar para criar itens. Embora o possa fazer em qualquer parte, o melhor será mesmo planejar o que quer fazer e levar seus itens a um banco de trabalho que pode encontrar em alguns pontos seguros. E ao fazer isso aproveite para criar um pouco de tudo, pois não sabe que itens vão fazer falta enquanto andar em suas aventuras. No início do game, tente se focar principalmente em munições para sua pistola de mão.

Nos bancos de trabalho, você também pode melhorar suas armas e, nesse caso, deverá começar a fazer o mais cedo possível. Cada melhoramento que você faça não vai ficar ativo apenas na arma que você está usando no momento, mas em todas da mesma categoria. Ou seja, se você melhorar uma pistola fraca na realidade todas as pistolas que pegar no futuro vão ter esse melhoramento incluído.

Evite entrar em combates desnecessários

Nesse início de jogo, seu personagem não terá várias habilidades que ajudam em combates. Sejam eles corpo a corpo ou com armas de fogo. Dessa forma, vá “comendo pelas beiradas”. Sim, elimine zumbis desgarrados para ganhar o gel verde que ajuda justamente a melhorar suas habilidades. Mas evite confrontos com grupos de monstros ou com criaturas que parecem assustadoras (elas são fortes, vai por mim).

Use os arbustos para passar desapercebido

The Evil Within 2 usa o bom e velho arbusto (consagrado em Assassin’s Creed, Uncharted e tantos outros jogos) como camuflagem. Portanto, aproveite os arbustos em Unity para andar camuflado e/ou fazer um aproach ninja antes de fazer aquele ataque furtivo.

Faça as missões paralelas

Sempre que possível, faças as missões paralelas em Unity. A primeira que já aparece logo de cara é para procurar por um armazém de armas. Do it (faça). Além de pegar munição pra chuchu, você conseguirá ótimas armas, como o virote (besta) e a shotgun.

Rifle “sniper” no telhado

Unity se parece com uma cidade de interior, cheia de casas pequenas, igreja e parque. Porém, há um prédio nela. E é nele que você precisa subir. Não chega a ser um arranha céu, mas é uma construção alta que se destaque dentre as outras. Em uma das laterais da construção há uma escada. Suba e procure pelos corpos de membros da Mobius. Só cuidado com os zumbis errantes que você pode encontrar por lá.

Reviste os soldados Mobius

Sempre que possível, reviste os soldados da Mobius mortos em Unity. Eles tem os melhores loots. Desde munição, porções generosas de gel e até itens que só eles lhe darão, como melhores repositórios de munição, seringas curativas etc. É claro que o jogo, sabendo disso, escolhe a dedo os locais para os policiais estarem caídos. Geralmente perto de algo em risco. Mas, mesmo assim, é possível saquear vários corpos e voltar com recompensas bem legais.

Se avistar uma imagem de santa, quebre-a

Calma. Sebastian Castellanos não virou nenhum religioso fanático. É que as imagens de santa em The Evil Within 2 contém chaves para você desbloquear itens em um armário que fica ao lado da cadeira elétrica na qual você obtém seus poderes.

Deixe para craftar em refúgios

Em The Evil Within 2 é possível melhorar armas e criar os itens que você usa no jogo. É possível fazer isso em bancadas espalhadas pela cidade. Logo de cara você encontra uma, no abrigo do O’Neil. O abrigo é um dos refúgios do jogo. Você até encontrará bancadas (workbenchs) “soltas” em algumas casas na Unity. Porém, criar itens nesses locais custará o dobro dos materiais que os refúgios lhe cobram. A não ser que você precise muito, guarde seus itens para criar em refúgios.

Pausa para o cafezinho

Quem não gosta de um café quentinho? Ainda mais passando o perrengue que o Castellanos passa em The Evil Within 2. Qual não foi minha surpresa quando, ao adentrar no primeiro refúgio do jogo, dei de cara com uma máquina de café. E, para minha surpresa ainda maior, o café recuperou completamente minha energia. Incrível! Portanto, se estiver voltando para um refúgio após uma missão e a energia não estiver lá essas coisas, tente economizar suas seringas já pensando naquele café quentinho do refúgio. Só não abuse, pois o café demora um tempinho para ficar pronto novamente.

Olho vivo no indicador de som

Em The Evil Within 2, há um indicador de barulho que fica na sua tela. Sempre que um zumbi ou monstro estiver por perto, o sensor mostrará umas ondas de som (parecem também com um eletrocardiograma, se você já viu um). Quanto mais perto do zumbi, mais ondas você verá. Portanto, sempre que tiver ondinha, tem zumbizinho. 

Upgrades

O mais importante de tudo; foque em estamina. Saiba que o personagem tem um péssimo fôlego. Sua barra é pequena e esvazia rápido. Então melhore dois níveis dessa barra. Você poderá ter uma chance melhor de correr de uma encrenca.

Depois dessa barra procure melhorar atributos que não envolvam o ataque. Não fará grande diferença. Veja os upgrades de estamina, vida etc, mas não de seu ataque.

Perceba as melhorias “laterais”. Toda árvore possui o principal a ser melhorado e o que rodeia a melhoria. Veja o que melhor te ajudará na progressão do jogo.

Particularmente, eu investi um pouco na árvore de furtividade. Diminuindo o ruído dos meus passos e aumentando a velocidade da caminhada agachada. Com isso, a dica que dei sobre o ataque furtivo fica ainda melhor se pensar por esse lado.

Melhoria de arma

Pense na melhoria da sua pistola. Claro, esse foco voltado mais para o início do jogo. Não gaste suas peças com nada diferente do que a capacidade de balas no pente e a cadência de tiro.

Sobre a quantidade de balas a explicação é muito simples; quanto mais munição disponível, melhor. Lembrando que arma de fogo é apenas para momentos de alta dificuldade, seja eles quais forem. E outro ponto é de você não deixar munição para trás no cenário. Se sua arma estiver cheia, você não coletará as balas, nem mesmo para ficarem em inventário. O que faria sentido se fosse assim, mas fazer o que né?!

A cadência vai te ajudar diretamente em momentos de aperto. Caso esteja sendo seguido por muitos inimigos ou tenha alguma criatura muito forte e é preciso mata-lo o quanto antes, a velocidade de disparo da arma será essencial. Ficaria muito difícil matar duas ou três criaturas que te perseguem se a sua arma demora para atirar.

Essas duas melhorias, você pode gastar peças para um upgrade cada ou dois. Fica a seu critério. Depois de estar bom o suficiente nesses dois aspectos, você pode pensar no resto. Na potência, na velocidade de recarga ou em outra arma.

Procure as chaves

Caso não tenha saco para procurar as famigeradas chaves, com certeza encontrará a localização delas na internet. Mas lembre-se, na grande maioria das ocasiões elas ficam dentro de estátuas. Não é tão fácil de encontra-las, mas ajudaria muito caso encontre.

As chaves lhe darão acesso aos armários da sala de upgrades. Com uma chave em mãos, então a sorte estará lançada. Mas praticamente, sempre, você obterá bons itens.

Referências:

Alvanista, Última ficha, Aficionado, wikipedia, techtudo.

Resident Evil 7: Biohazard

Resident Evil 7: Biohazard, conhecido no Japão como Biohazard 7: Resident Evil (バイオハザード7 レジデント イービル, Baiohazādo 7 Rejidento Ībiru?) é um jogo eletrônico do gênero survival horror produzido pela Capcom e lançado em 24 de janeiro de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, com a versão de PlayStation 4 tendo suporte completo para PlayStation VR. O jogo é o décimo primeiro título principal da série Resident Evil, sendo o terceiro deles a usar perspectiva em primeira pessoa.

A história segue a busca do civil Ethan Winters por sua esposa Mia, que o leva a uma mansão agrícola aparentemente abandonada e habitada pela família Baker. Ethan faz uso de armas e ferramentas na luta contra os membros da família e os “Mofados”, uma forma humanoide de bactéria. Itens de cura são usados em caso de lesão e há enigmas que precisam ser resolvidos para dar prosseguimento a história.

Resident Evil 7 foi anunciado durante a E3 2016 depois de vários rumores. Mais tarde naquele dia, uma demonstração intitulada Resident Evil 7 Teaser: Beginning Hour foi lançada na PlayStation Store para os assinantes da PlayStation Plus. Liderado por Koshi Nakanishi, diretor de Resident Evil: Revelations, a equipe de desenvolvimento foi composta por cerca de 120 pessoas. Em vez de ser centrado na ação como seus antecessores Resident Evil 5 e 6, os elementos de survival horror e a exploração tiveram prioridade no novo título. Para isso, o jogo utiliza uma perspectiva em primeira pessoa. Eles usaram o novo motor gráfico RE Engine, que já tinha sido testado na demonstração em realidade virtual KITCHEN na E3 de 2015.

Jogabilidade

Mia ataca Ethan, personagem controlável pelo jogador de uma perspectiva em primeira pessoa.

O jogador controla o protagonista, Ethan, a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. Embora Ethan seja um civil que ofereça poucas habilidades de combate, ele pode usar uma variedade de armas de fogo, incluindo pistolas, espingardas, lança-chamas, explosivos e motosserras, que auxiliam no combate contra os inimigos, descritos como “Mofados”. Além disso, o personagem pode fazer um giro rápido de 180 graus para evitar as criaturas, assim como bloquear ataques recebidos para reduzir os danos causados. Os membros da família Baker estão presentes em grande parte do jogo, mas só podem ser temporariamente incapacitados pelo jogador. No entanto, esses combates são totalmente evitáveis por meio de discrição ou a fuga. O jogo também oferece outros elementos populares da série Resident Evil, tais como enigmas, gestão de recursos e ervas curativas.

Ao contrário de Resident Evil 5 e 6, a jogabilidade enfatiza o horror e a exploração ao invés da ação. O inventário usa um sistema baseado em grade com uma capacidade inicial de 12 itens, mas pode ser expandido várias vezes ao longo da campanha. Um item pode ocupar dois espaços no inventário e quatro deles podem ser acessados pelos botões direcionais. Baús conectados entre si são encontrados em salas seguras e também servem para gerenciar e armazenar objetos para uso posterior. Ainda é possível usar, examinar ou combinar itens através do inventário.

Muitos dos enigmas do jogo exigem que os itens sejam examinados sob certas condições para revelar seus segredos. Os gravadores podem ser usados para salvar manualmente o progresso, que dependendo do nível de dificuldade escolhido, podem exigir o uso de uma fita cassete. Fitas de vídeo estão espalhadas pelo cenário, que se encontradas por Ethan, colocam o jogador na perspectiva de um personagem diferente e muitas vezes revelam informações da trama ou oferecem pistas necessárias para resolver um enigma. A edição de PlayStation 4 inclui um modo para PlayStation VR, tornando o jogo totalmente jogável com o acessório, mas a jogabilidade permanece idêntica entre os dois aparelhos. Uma versão em realidade virtual compatível com o Microsoft Windows e o Xbox One será lançada em 2018.

A versão do Nintendo Switch funciona por meio de Streaming, ou seja o jogador terá que pagar por uma assinatura para poder jogar, o jogo é processado em servidores em nuvem.

Tenha sempre mais de um “save”

Uma boa ideia é salvar sempre que encontrar um gravador no jogo, mesmo que aparentemente não precise. Além disso, tenha sempre mais de um “savegame”, já que é fácil ficar preso em alguma parte e não ter como voltar.

Para isso, quando salvar, escolha um espaço vazio, em vez de gravar por cima do progresso já alcançado. Isso ajuda até mesmo a voltar e ter ideias diferentes para passar por algum local ou resolver um quebra-cabeça.

Caixas de itens

Os caixotes estão de volta! Comuns em Resident Evil, eles guardam itens, que são revelados ao serem quebrados pelo jogador, com uma faca ou arma. É mais recomendado usar somente a faca, pois não gasta balas, ao menos até o meio do jogo.

Após a metade do jogo, alguns caixotes podem conter armadilhas, e isso vai tirar vida do personagem, caso sejam abertos de perto, com a faca. Neste caso, gaste um tiro apenas para abri-los, de longe.

Armas

Procure andar com pelo menos duas armas de fogo, além de uma faca, seja ela o canivete ou a faca de caça, obtida mais adiante. É possível que uma arma fique sem balas muito rapidamente, por isso tente usar apenas uma de cada vez.

A segunda arma fica para situações de emergência ou contra inimigos mais fortes. Porém, ainda assim, quando obter melhorias para a mochila, tente carregar mais armas, o quanto puder. O ideal é começar com ao menos duas.

Itens

Seus itens ocupam espaço na mochila, e ela só aumenta ao longo do game de acordo com melhorias que você coleta pelo caminho. Tente equilibrar na hora da arrumação com armas, munição e itens de cura.

Porém, é recomendado sempre deixar pelo menos um ou dois espaços livres, para itens importantes que encontramos na história, seja uma chave para abrir porta ou uma manivela para levantar a ponte que barra seu caminho.

Portas

Procure sempre deixar as portas fechadas, quando for possível fazer isso. Aperte o botão de ação na porta para que ela se feche. Acontece que os inimigos comuns não passam por elas, então é sempre um bom meio de se proteger.

Isso não se aplica a inimigos especiais, como Jack e Marguerite, estes sim abrem as portas para caçar os personagens. De qualquer forma, é sempre uma boa ideia mantê-las fechadas, por onde passar.

Inimigos

Os inimigos comuns de Resident Evil 7, formados por um tipo de lodo negro, surgem sem qualquer aviso do chão e perseguem os personagens onde quer que forem, mas não passam em portas fechadas, como mencionado logo acima.

Além disso, a principal dica com eles é fugir enquanto puder. Não que sejam grandes ameaças, mas podem ser um gasto de balas desnecessário. Se possível, mate-os com a faca. Se não, apenas esquive e vá para a porta mais próxima, correndo.

Baú

Em cada quarto com um gravador para salvar o progresso há ainda um baú verde, contendo os itens que o usuário guardou. Os baús estão interligados ao longo do jogo, então os itens que guardar no início vão estar disponíveis até o fim.

Eles são uma boa solução para reduzir o espaço ocupado na mochila do personagem ou para guardar um item que não vai usar naquele momento, mas sim mais adiante. Sempre que puder, reorganize o inventário por aqui.

Chaves especiais

Há três chaves especiais que podem ser resgatadas ao longo do jogo: escorpião, corvo e cobra. Elas abrem as portas que possuem estes animais adornados, de forma bem chamativa, e espalhadas pela menção principal.

Sempre que encontrar uma chave dessas, tente andar com ela, para que possa abrir a porta necessária que encontrar pelo caminho. Algumas delas servem para continuar a história, enquanto outras apenas escondem itens valiosos, como o lança-granadas.

Dificuldade

Essa dica é para quem ainda vai começar o jogo, na verdade. É possível escolher seu nível de dificuldade, mas não é possível modificá-lo depois que o game é iniciado, portante escolha com sabedoria.

Se deseja apenas aproveitar a história, e contar com mais itens disponíveis no cenário, escolha a dificuldade Fácil. Se pretende aproveitar o jogo de forma como ele foi feito, escolha a Normal. Após terminar uma vez, a dificuldade Hospício é liberada – essa é a mais difícil de todas e é recomendada apenas para quem quer um verdadeiro desafio em Resident Evil 7.

Economize munição

Trazendo de volta elementos do survival horror, Resident Evil 7 tem recursos como munições e itens de cura bastante limitados. Para se dar bem no jogo é fundamental fazer bom uso de suas munições, em especial a das armas mais potentes.

A dica aqui é evitar o combate e fugir dos inimigos sempre que possível.

Explore o ambiente

Como os recursos são limitados, é importantíssimo explorar os cenários para buscar por itens escondidos.

Resident Evil 7 apresenta cenários bagunçados e bastante escuros, e é fundamental garantir que cada cantinho seja examinado, bem como gavetas, armários e prateleiras, que guardam itens e recursos importantes para a progressão no jogo.

Utilize o cenário a seu favor

Os cenários escondem perigos, mas também podem ser fundamentais para enfrentar os perigos do jogo. Isso acontece especialmente na batalha contra os chefes, onde há valiosos elementos dos cenários que podem ser usados a seu favor.

Também é possível utilizar alguns recursos e elementos dos cenários para “driblar” inimigos e despistá-los momentaneamente, já que muitas vezes o combate direto deve ser evitado.

Assista às fitas VHS

Se você vai jogar Resident Evil 7 pela primeira vez, as fitas em VHS encontradas ao longo do jogo fornecem importantes dicas para resolver puzzles, além de indicar caminhos e localização de itens-chave para a conclusão da história.

Além disso, elas trazem um pedaço importante da história do jogo, complementando o enredo e fornecendo uma maior profundidade para a história.

Atenção aos files

Eles já foram fundamentais em Resident Evil, e em RE7 eles voltaram a ter grande importância. Assim como as fitas VHS, os files encontrados durante o jogo oferecem dicas para resolução de puzzles além de trazer importantes detalhes sobre o enredo que se desenrola no jogo.

Lê-los atentamente, pode ajudar o jogador a ter uma progressão mais rápida e também a descobrir quais os mistérios que envolvem Mia, a família Baker e sua propriedade.

O medo é seu maior inimigo

Como um bom jogo de terror, Resident Evil 7 apresenta diversos elementos capazes de fazer o jogador se perder em seu próprio medo. Além dos tradicionais jumpscares, o jogo usa de outros artifícios para causar medo e terror nos jogadores, como por exemplo o gore, intimidação e também ansiedade.

Uma vez domadas essas sensações, que estão entre as mais primitivas, a progressão no jogo não deve ser grande problema para o jogador, mas o desafio é justamente domar o medo que é naturalmente presente em uma história tão intrigante e misteriosa e enfrentando tantos perigos quanto os que estão presentes em RE7.

Tome notas sobre os quebra-cabeças

A casa principal do Resident Evil 7 pode até ser menor do que a mansão do primeiro game, mas ela possui muitos segredos e quebra-cabeças para resolver.

Em boa parte do tempo esses puzzles vão exigir que você volte em busca de itens ou pistas – ‘você não conseguirá abrir isso até achar tal objeto’, esse tipo de coisa. Algumas vezes, porém, você não vai conseguir o objeto que precisa logo de cara e talvez você se esqueça de onde era para ir depois de conseguí-lo. Se você se deparar com um desses mistérios que claramente precisa de algum objeto que você não tem ainda, use um caderno (ou um aplicativo de notas no seu celular) e marque o lugar do quebra-cabeças assim como o item necessário para desvendá-lo para não se perder.

Não corra o tempo todo, você pode perder algo

Correr é útil quando se está sendo perseguido mas pode ser uma boa ideia andar quando estiver sozinho.

Cada cômodo das casas está cheio de itens camuflados, e muitos deles são úteis: ervas, balas, etc. O ícone para pegar esses itens comuns só aparece quando se está a uma certa distância deles, então se você correr o tempo todo é provável que perca um monte de coisas legais. Vá com calma e investigue cada cantinho de cada sala. É um ótimo investimento a longo prazo.

Sua defesa é melhor do que você imagina

Bloqueie ataques normais com suas próprias mãos. Segurar o botão L1/LT faz com que você levante os braços para bloquear ataques inimigos. Apesar de parecer perda de tempo, essa defesa pode ser bem efetiva dependendo do ataque.

Naturalmente, se alguém está avançando na sua direção com uma arma enorme ou uma serra elétrica, defender-se não vai ajudar muito e você ainda vai tomar quantidades massivas de dano. Mas se é um ataque comum, mesmo de um Mofado, é possível bloqueá-lo para tomar dano reduzido (ou nulo).

Isso significa que você pode ir no mano a mano com um Mofado usando apenas uma faca e derrotá-lo facilmente alternando entre bloqueios e ataques – se você tiver coragem pra isso.

Mantenha distância ao atirar em inimigos

Usar a faca contra os Mofados pode ser uma boa ideia mas para outros perigos, como as armas que citamos acima, é melhor manter distância.

Quando estiver usando uma arma de fogo, lembre-se que esse é um Resident Evil (mesmo que tenha quem ache que não é) e não um shooter. Você não quer ter que lidar com um inimigo fungando no seu cangote bem na hora que você tem que recarregar ou trocar de arma.

Mantenha uma distância saudável e não tenha medo de correr para ganhar mais espaço.

Cheque seus objetivos

Essa dica é bem simples, mas você ficaria surpreso com a quantidade de tempo que levamos para nos adaptar a isso. RE7 tem uma lista de objetivos que fala para você o que fazer a seguir.

Só que essa lista não fica piscando na sua tela como em outros jogos. Se você estiver perdido em algum momento, apenas abra o menu e veja qual o seu objetivo. Ficar de olho nisso vai te ajudar muito na hora de prosseguir.

Combine itens de acordo com seu estilo de jogo

Combine fluidos com ervas para obter cura. Combinar itens é parte do DNA do Resident Evil e nesse não poderia ser diferente. Porém existem diversas maneiras de combinar itens.

Use essa diversidade toda a seu favor baseando-se no jeito que você joga. Se você toma muito dano, parece uma boa ideia combinar seus fluidos químicos com ervas para ter mais kits de primeiros socorros. Por outro lado, se você geralmente consegue evitar o dano talvez seja melhor combinar os fluidos com pólvora para ter mais munição.

Explore a mansão de forma furtiva

Em vários momentos do jogo, enquanto estiver explorando a casa, os membros da família ficam procurando por você. Algumas vezes, eles vão te atacar em um momento pré-determinado (meio que nem o Nemesis no RE3), mas a maior parte do tempo eles vão se comportar como o alien de Alien Isolation.

Isso significa que eles ficam andando a esmo pela casa, então, se você conseguir ficar fora do caminho deles, estará livre para explorar a casa e continuar resolvendo os quebra-cabeças sem entrar em muitas brigas.

Investigue cada sala e corredor para se certificar de que eles estão seguros, e você pode completar boa parte do jogo sem se meter em confusão.

Use as salas do save a seu favor

Existem algumas salas de save na casa, e a primeira que você vai encontrar é a lavanderia. Essas salas garantem que você não será atacado e geralmente providenciam munição e kits de cura extra. Cada uma delas também possui um baú que permite que você guarde itens – e os retire em outro.

Estranhamente, as salas de save também funcionam como campos de força contra os membros da família quando eles estão correndo atrás de você. Entre numa dessas e eles magicamente esquecerão que você está lá. É esquisito, mas aproveite.

Referências:

Redbull, Residentevel, Techtudo, Wikipedia

Comenta aqui abaixo sobre Resident Evil 7: Biohazard!