XCOM 2

XCOM 2 é um videojogo táctico por turnos produzido pela Firaxis Games e publicado pela 2K Games para Microsoft Windows, OS X e Linux a 5 de fevereiro de 2016. Em XCOM 2 a história tem lugar 20 anos depois dos eventos ocorrido em XCOM: Enemy Unknown (2012), depois do XCOM ter perdido a guerra contra as forças alienígenas.

De acordo com o site de pontuações agregadas Metacritic, XCOM 2 recebeu “aclamação universal” por parte dos críticos profissionais.

Jogabilidade

Vinte anos se passaram desde que os líderes mundiais ofereceram uma rendição incondicional às forças alienígenas e o XCOM, a última linha de defesa do planeta, foi dizimada e dispersa. Agora, os alienígenas governam a Terra, construindo cidades brilhantes que prometem um futuro brilhante para a humanidade na superfície, enquanto ocultam uma agenda sinistra abaixo e eliminam todos os que discordam de sua nova ordem. Somente aqueles que vivem nos limites do mundo têm uma margem de liberdade. Aqui, uma força se reúne mais uma vez para defender a humanidade. Sempre em fuga, as forças remanescentes do XCOM devem encontrar uma maneira de ressuscitar das cinzas, expor a verdade insidiosa por trás da ocupação e eliminar a ameaça alienígena de uma vez por todas.

Assuma o comando do Avenger, uma nave alienígena convertida na sede móvel da XCOM. Guie sua força de ataque ao redor do mundo, construa apoio popular e exponha os planos sinistros dos alienígenas.

Classes

Especialista

O especialista é o mais versátil das classes de soldados, como eles podem cumprir várias funções diferentes. Especialistas vêm equipados com um Gremlin que pode executar várias tarefas durante o combate. Considere a função que deseja um especialista específico a desempenhar, e tente atualizar sua árvore de habilidade em conformidade. Por exemplo, um especialista de suporte deve ter o protocolo médico, do Protocolo de ressureição, ou habilidades de Médico de Campo, a fim de curar de forma eficaz e reviver seus companheiros de pelotão.

O Gremlin do especialista também pode cortar em tecnologia alienígena durante certas missões. Se uma missão envolve hackear um objetivo particular, você deve priorizar mover o Especialista em proximidade com a localização do objetivo, a fim de completar o corte dentro das voltas atribuídas. Em vez do Especialista, considerar se o seu Gremlin pode executar uma tarefa importante, como a cura de um companheiro ou danificar um inimigo, antes de tê-los participar em outras tarefas.

Ranger

Equipado com uma espada poderosa e reduzir a capacidade, a classe ranger é destinado ao combate de perto. A Ranger é mais eficaz quando correndo para cortar um alien no rosto, de modo a tentar equipar proteções adicionais em seus Rangers antes de enviá-los em combate. Quando possível, ter um especialista em aplicar o seu protocolo de ajuda a um ranger, se você pretende mover o ranger em direção ao território inimigo. Isto irá aplicar um impulso de defesa volta única para o seu Ranger, o que lhes permite mover mais agressivamente com proteção adicional.

Aplicar atualizações que melhoram a mobilidade e danos do ranger irá ajudá-los a ter melhores chances de garantir mortes em seus alvos. Aumentando a sua chance de crítico também irá aumentar significativamente a produção de dano global do Ranger e eficácia.

Atirador 

A classe Sharpshooter serve como o atirador para o seu plantel. Vêm equipados com um rifle sniper maciço, bem como uma poderosa arma para combate de perto. A eficácia destas armas Sharpshooter depende da sua distância de um alvo inimigo. O Sharpshooter beneficia fortemente com o aumento de objetivo.

Logo no início de uma missão, posicione o Sharpshooter em um telhado ou em algum lugar com vista área, e depois coloque o Sharpshooter em Overwatch, para que possam defender a sua equipe. Se você usar Sharpshooters mais ofensivamente, considere desbloquear as habilidades retornar o fogo e as mãos relâmpago em sua árvore de habilidade.Essas habilidades permitem que o Sharpshooter a esgueirar-se efetivamente em tiros extra com a sua pistola, sem o uso de curvas.

Granadeiro

Como o especialista em demolições residentes, o Granadeiro usa um lançador de granadas e metralhadora para fornecer energia explosiva no seu plantel. o Lançador de granadas do Granadeiro pode chegar muito longe, garantindo danos com hits bem colocados. O Grenadier também pode transportar granadas como seu item de utilidade. Pesquisa granadas experimentais no campo de provas, a fim de equipar granadas avançadas em seus Granadeiros.

Granadeiros pode causar uma quantidade significativa de dano à distância, por isso certifique-se de aproveitar todas as oportunidades para arremessar granadas contra os inimigos feridos para acabar com eles sempre que possível. Granadas também causar veículos a explodir, danificando quaisquer espectadores usando o veículo para a tampa. Se você ver um inimigo agachado atrás de um veículo, chuck uma granada em sua direção para desferir um golpe letal.

Operador psi

A Operadora Psi é um soldado único, que deve passar por treinamento intensivo no laboratório Psi para ganhar habilidades psiônicos especiais, incluindo o controle da mente. Somente rookies pode ser treinado na Psi Lab, e esta é a única maneira de adicionar Psi para o seu time. Após o treinamento, o seu novo operativo Psi receberá uma das quatro habilidades de partida aleatórios. Você deve Psionics primeira pesquisa, a fim de construir a instalação Psi Lab, então priorizar esta pesquisa quando você tê-lo disponível.

Se a sua operativo Psi é a sorte de ter a capacidade Dominação, certifique-se de usá-lo estrategicamente no campo de batalha, uma vez que só pode ser usado uma vez por missão.Domination permite que seu operativo Psi tomar permanentemente o controle de um inimigo para a duração da missão, tornando-os um aliado. Tente tomar o controle de um inimigo poderoso para desencadear ataques mais devastadores sobre alvos inimigos.

Treinar recrutas extra

Após uma missão desafiadora, o seu time provavelmente vai voltar com vários soldados feridos ou abalados. soldados Idealmente, você deve ter mais treinados espera em modo de espera no caso de você encontrar uma outra missão, enquanto seus principais membros do esquadrão estão em licença médica. Tente recrutar novos recrutas sempre que você tem os suprimentos de sobra, para garantir que tem um suprimento constante de soldados saudáveis ​​quando você precisar deles.

Tenha em mente que recrutas calouros não precisa ter experiência de campo para ganhar uma promoção classe. Construir o Guerilla Tactics escola cedo e sempre tem rookies em treinamento para que os soldados de substituição estão prontos quando seus membros do esquadrão favoritos não estão disponíveis.

Equilibrar classes

Ao criar um pelotão antes de uma missão, é melhor escolher um soldado de cada tipo de classe, desde que você tem uma variedade de soldados para escolher. Tente evitar ter vários membros do esquadrão do mesmo tipo de classe para que você pode ter uma equipa mais equilibrada.No entanto, esta regra é um pouco flexível, uma vez que você comprou o upgrade tamanho esquadrão na Tactics Escola Guerilla. Com cinco ou seis membros do esquadrão, tendo uma classe duplicado é quase inevitável.

Como você acumular mais recrutas, você acabará por ter vários soldados que pertencem à mesma classe. Tente balancear suas habilidades como eles subir de nível, de modo que você pode ter ofensivas e defensivas soldados equilibradas para escolher. Se você deve ter mais do que um soldado da mesma classe no seu plantel, equipá-los com diferentes itens de utilitário para garantir a sua equipe ainda é capaz de uma variedade de tarefas durante o combate.

Diversificar o utilitário Loadout

Cada soldado tem vários slots de itens de utilidade na sua loadout, que desbloquear à medida que ganham promoções. Ter um esquadrão inteiro ir para a batalha com nada além de granadas pode levar a um resultado indesejado durante as missões avançadas. Manter um fluxo constante de pesquisa sobre cadáveres e outras preciosidades, a fim de ter novos equipamentos para o departamento de engenharia para construir. Tem Chief Shen construir uma variedade de itens de utilidade para o seu time, então equipar cada membro do esquadrão com diferentes itens de utilidade de um outro. Um esquadrão que tem Mindshields, Medkits, Mimic Beacons, e granadas terá um desempenho muito melhor do que uma equipa que só carrega um único tipo de item de utilidade.

Aplicar Sims combate pessoal

Sims combate pessoal (PCS) são de caráter específico atualizações que se aplicam melhorias únicas para as estatísticas de um personagem. Você pode adquirir novos PCs atualizações durante a batalha por pegar gotas de loot dos inimigos caídos. Essas atualizações também podem ser compradas no mercado negro para uma parte da Intel.

Trabalho certos de PCS melhor para certos tipos de classe, então escolha sabiamente antes de confirmar PCS de um personagem Uma vez por PCS é aplicada a um personagem, ele pode ser substituído, mas não foi removido. Considere os tipos de PCS atualizações que funcionam melhor para cada classe, para que você possa aplicá-las aos membros do esquadrão adequadas quando novos se tornam disponíveis.

Saia da cobertura apenas em casos extremos

A primeira coisa que você aprende em XCOM é: ARRANJE ALGUM LUGAR PARA ESCONDER-SE E FIQUE NELE SEMPRE! Mas isso não é uma verdade absoluta, já que, às vezes, você precisa arriscar, principalmente caso esteja no fim de um round, quando os soldados já estão sem granadas (mais sobre isso em breve) e com a energia baixa. Mais vale a pena flanquear um inimigo e garantir um tiro certeiro naquele turno (e acabar com a batalha), do que arriscar errar um tiro e ser acertado pelo revide do inimigo no próximo round.

Abuse das granadas

XCOM 2 é um RPG de estratégia tático baseado em cover. O nome do estilo de jogo é bem grande, mas ele dá uma dica importante de como vencer as batalhas com mais facilidade. Para isso, você vai precisar de granadas, montes delas. E o que você vai fazer com elas? Destruir as proteções em que os seus inimigos estiverem escondidos, é claro!

É muito melhor começar o seu turno atirando uma granada e destruindo as muretas e depois com um tiro certeiro num inimigo “flanqueado” (ou sem proteção) do que ser conservador e trocar tiros por vários turnos, ainda mais quando você tem uma contagem regressiva de turnos para encontrar o seu objetivo.

Outro detalhe, use suas granadas no começo das batalhas, e não no fim. É melhor garantir que o máximo de inimigos morra o mais cedo possível, para trocar tiros no final do que ao contrário, assim você garante que a maioria dos seus soldados vai chegar viva no fim das batalhas.

No meu time de seis, eu carrego sempre dois granadeiros, um ou dois franco-atiradores, um ou dois rangers e um especialista (com medkits e a habilidade de cura à distância com o drone).

Emboscadas

Você começa a maioria das partidas com cobertura, então aproveite-se dela ao máximo. Para isso, você deve montar emboscadas, e isso é mais fácil do que parece. Chegue perto dos seus inimigos sem se revelar e ligue o Overwatch com todos os seus soldados, menos um deles.

Com o último soldado, de preferência o com a maior chance de acerto, atire no inimigo e pronto, veja o grupo de soldados inimigos procurando uma cobertura e levando balaços de todos os seus soldados que estiverem em Overwatch.

O melhor de tudo é que eles não levam penalidade de reação nesse caso, já que você está emboscando o inimigo, é como dar de 4 a 6 tiros em inimigos que não estão se cobrindo. Raramente os inimigos sobrevivem a isso.

Cuidado com as espadas

Os Rangers do jogo ganharam uma habilidade muito legal, que é poder usar uma espada para fazer picadinho dos seus inimigos. A habilidade tira um monte de vida, e pode acabar sendo o seu recurso principal com esses personagens, mas cuidado, alguns inimigos contra-atacam os ataques de espada e tiram um monte de vida quando fazem isso, principalmente os Mutons.

Avance com cuidado e não espalhe seus soldados

Compactação é a chave para o sucesso. Nunca separe os seus soldados em dois grupos, pois, apesar de estarem em maior número no campo de batalha, os seus inimigos sempre estão espalhados em grupos de 2 ou 3. Enfrenta-los com um mesmo grupo de 2 ou 3 pode ser fatal para o seu esquadrão, já que você quase sempre vai ter equipamentos menos avançados que os seus inimigos. A sua vantagem principal quase sempre vai ser nos números, por que diabos você vai abrir mão dela?

Não saia correndo pelo cenário chamando a atenção dos seus inimigos. O motivo é o mesmo acima, é melhor matar grupos pequenos de inimigos do que chamar todo mundo pra luta ao mesmo tempo. Acredite, mesmo que você enfrente cinco inimigos com um grupo de seis, a vida fica bem mais complicada do que enfrentar três contra seis, e você pode considerar-se sortudo se não perder nenhum soldado nessa situação.

Mire na cabeça

Outra grande adição ao game foi um tipo de inimigo um tanto familiar, os Lost. Esses “zumbis” são fracos e muitos morrem com apenas um tiro, mas em grandes números podem ser mortais, para o seu time e o para o seus inimigos; contudo, por mais que as hordas destes monstros sejam grandes, é possível vencê-los com facilidade. Ao matar um lost, seu personagem ganha um turno extra para garantir que não seja cercado por essas criaturas, portanto, tente sempre eliminar o máximo desses inimigos. Ah, e nunca use explosivos, a não ser que você queira multiplicar o problema. Eles são extremante sensíveis ao som e um grande estrondo irá atrair mais inimigo

Montando Time

Sempre tenha ao menos um soldado de cada classe no time de ataque. Ranger serão ótimos para reconhecimento de campo, assim como para combates em curta distância. Atiradores facilmente acertarão alvos distantes e lançadores de granada se livrarão de vários inimigos de uma só vez.

Nunca deixe os soldados sozinhos, sem proteção, mesmo se estiverem atrás de uma boa cobertura. Procure mover os soldados em pares, para que um possa sempre ajudar o outro. Vipers podem facilmente puxar soldados por grandes distâncias, e reforços inimigos ou disfarçados podem aparecer bem ao lado. 

Armadura

Depois de certo momento no jogo, inimigos equipados com armaduras e escudos começarão a aparecer no campo de batalha. É importante lembrar que é preciso ter muito cuidado com a armadura do inimigo, pois cada ponto deste equipamento diminui um ponto no dano causado pelos soldados.

Sprint

Se não estiver certo de que não há inimigos virando a esquina, não use a habilidade Sprint no campo de batalha. Caso contrário, poderá cair dentro de um grupo de inimigos, completamente despreparado. O mesmo vale quando se movimentar com quase todos os seus soldados abatidos ou fora do ponto de ação.

Se este for o caso e houver tempo, termine a sua vez e espere pelo resto do time. Não há nada pior do que correr para dentro de um grupo de inimigos sem poder fazer nada quando seus soldados estiverem terminado as ações.

Ocultamento

A habilidade de ocultamento é quebrada quando um dos seus soldados executa qualquer ação – jogar uma granada, atacar um inimigo ou até mesmo hackear –, ou se eles fazem muito barulho, como quebrar uma janela. Planeje as ações que não cometa erros bobos. 

Algumas habilidades, contudo, não quebram a ocultação. É o caso das não ofensivas, como curar as unidades.

Missões

Algumas missões terão limite de tempo para que os objetivos sejam efetuados, porém, em geral, são balanceadas. Procure sempre abater primeiro os Sectoids, Vipers ou Stun Lancers, caso os encontre no campo de batalha.

Marcadores Vermelhos

Quando andar de forma oculta, não confie completamente nos marcadores vermelhos que representam o limite de percepção dos inimigos, especialmente em cidades e grandes florestas. Tente posicionar os soldados de forma que eles estejam cobertos pelo terreno por todos os lados possíveis. Caso contrário, é possível encontrar que grupos de inimigos venham do nada e acabem com os seus planos.

Referências:

Xcom, Game Detonado, Critical Hits, wikipedia, techtudo.

Middle Earth: Shadow of War

Middle Earth: Shadow of War é um jogo de RPG de ação ambientado no universo da saga “O Senhor dos Anéis” do autor J. R. R. Tolkien, desenvolvido pela Monolith Productions e distribuído pela Warner Bros. Interactive Entertainment. É uma sequência do jogo Middle-earth: Shadow of Mordor de 2014 e foi lançado para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em 10 de outubro de 2017.

Shadow of War foi bem recebido pelos críticos, com elogios com relação ao gameplay e melhorias no sistema de jogo, embora alguns elementos da história e mudanças nos personagens provocaram reações negativas, assim como a inclusão de microtransações.

Estude o inimigo

O exército de Sauron é composto por muitos capitães e seus Uruk’s subordinados. Os subordinados são inimigos mais fracos, que podem ser derrotados facilmente. Já os capitães são Uruk’s promovidos, que possuem poder de ataque e resistência muito maior aos de outros Uruk’s. Não obstante, esses capitães possuem também fraquezas e forças únicas que você precisa saber antes de enfrentá-los.

Ao marcar um capitão, ronde os arredores e procure por documentos que informem mais detalhes dele. Um outro caminho mais fácil de obter tais informações é interrogando delatores. Para saber quem são, basta ativar a visão espectral e procurar pelos inimigos de silhueta verde. Inimigos comuns podem também saber informações sobre os capitães, mas muitas vezes não é o suficiente.

Modo Furtivo

O modo furtivo é a sua melhor tática para se dar bem no começo do jogo. A medida que avança na campanha, você poderá evoluir Talion para lutar bem contra grandes quantidades de inimigos, contudo, no início da campanha é bom evitar o combate contra muitos Uruk’s.

No modo furtivo, Talion pode matar inimigos e se locomover sem ser notado pelos outros. Este modo também é útil quando se deseja despistar inimigos que estão lhe perseguindo. Quando encontrar mato alto, você pode se ocultar nele e atrair inimigos para que os derrote rapidamente.

Evolua ao seu modo

Com elementos RPG muito bem visíveis, em Shadow of Mordor você deverá evoluir Talion para que ele possa melhorar em combate. A cada level evoluído, novos pontos de habilidade serão dados para que você desbloqueie novas habilidades.

A dica aqui é evoluir o guardião no seu modo de jogo. Por exemplo: se você foca no combate corpo a corpo, evolua técnicas de finalização ou de montaria em Caragors; se você prefere ser mais furtivo, melhore seus atributos de dano a distância, morte furtiva e movimentação mais rápida.

Equipe-se bem

Ao derrotar um capitão, lhe é concedido uma Runa para que você possa equipar em sua espada, arco ou adaga. Essa Runa lhe dará vantagem em batalha, como melhorar seu ataque crítico, aumento de energia e/ou velocidade de ataque. Para desbloquear um novo espaço de Runa é necessário gastar Mirians – dinheiro do jogo -, além de precisar ter level mínimo em alguns casos.

Aproveite o jogo

Shadow of Mordor é um jogo com mapas gigantescos, com ricos detalhes e referência a cultura Tolkiana. Há dezenas de missões secundárias para fazer, itens para coletar, vilões para derrotar e conquistas para desbloquear.

Segundo o site How Long to Beat, Shadow of Mordor conta com 11 horas de jogo de campanha principal, e mais oito horas de conteúdo adicional, como Side Quests e desafios. Como se não bastasse, há dezenas de apêndices sobre detalhes sutis da história do jogo, que renderão mais algumas horas de entretenimento.

Cuidado: morrer deixará os inimigos mais fortes

A morte traz consequências mais impactantes do que você imagina em Middle-earth: Shadow of Mordor. Os guerreiros orc da região em que você foi assassinado acabam ficando mais fortes por meio do “sistema de nêmesis”, que acaba promovendo os soldados de baixo escalão e aumentando ainda mais a força dos inimigos mais poderosos.

Não é apenas o adversário que matou Talion que leva o crédito, mas sim todos aqueles que sobreviveram à briga. Portanto, pense duas vezes antes de enfrentar um pelotão de forma despreparada — ou eles vão acabar se tornando uma grande dor de cabeça para você depois de um tempo.

Seja cuidadoso com a sua vida

Há poucas formas de recuperar a vida em Middle-earth: Shadow of Mordor, mas a principal delas é buscar pelas pequenas plantas e ervas que crescem pelos cenários. No entanto, não fique tão confiante ao ver elas reaparecendo pelo mapa, pois dentro das fortalezas elas não irão crescer novamente caso sejam utilizadas.

Cuidado é crucial nessas horas, ou seu destino não será muito agradável.

Corra quando precisar

Se você já passou pela primeira dica, vai se lembrar o quão importante é se manter vivo para não dificultar ainda mais as coisas. Portanto, se sua vida começar a ficar muito baixa, não tenha medo de correr. Seguir para os pontos com ervas para recuperar a saúde talvez seja a opção mais indicada para não encontrar Boromir de uma forma cruel.

É bem provável que os orcs te provoquem pela sua manobra “estratégica”, mas talvez eles não fiquem tão animados assim quando você voltar preparado para uma segunda rodada.

Procure aumentar a sua vida

Ok, já sabemos que a cabeça de Talion é colocada em risco constantemente, então nada mais justo do que aumentar a barra de vida para deixar as batalhas um pouquinho menos perigosas, não?

Em Middle-earth: Shadow of Mordor é possível aumentar alguns atributos coletando Mirian a partir das missões marcadas em branco pelo mapa. Maximizar a vida do nosso protagonista será uma sábia escolha para aguentar as incansáveis hordas de orcs que vão te acompanhar pela Terra Média.

Habilidades de Ranger podem salvar sua pele

Outros upgrades para Talion incluem aprimorar suas habilidades nas classes “Ranger” e “Wraith”. Como a primeira influencia diretamente no seu combate corpo-a-corpo, é bem aconselhável seguir por ela para aumentar seu leque de opções durante as brigas — principalmente no começo do jogo.

Maximizar uma determinada habilidade também é aconselhável para deixar o jogo mais fácil.

Não se preocupe muito com os artefatos

Há pequenas missões em Middle-earth: Shadow of Mordor que consistem em procurar artefatos únicos, garantindo uma quantia bônus de pontos de experiência. Apesar de parecer bem tentador, a XP extra não compensa tanto assim por conta do tempo investido, então só se preocupe com elas se você quiser conhecer um pouco mais sobre a Terra Média.

Fique de olho nas runas amarelas

As armas podem ser aprimoradas por meio de runas especiais para aumentar o dano que você causa ou ainda diminuir o tempo de recarga. No entanto, há uma classe específica de runas que podem chamar muito mais a sua atenção: as “Epic Runes”, que contam com um brilho dourado ao redor delas.

Infelizmente, não espere que seja fácil encontrar por elas, afinal elas só poderão cair de orcs de alto escalão e uruk-hais. Você pode seguir para eles assim que sentir que suas habilidades estão à altura dos desafios, sendo mais aconselhável enfrentá-los depois de desbloquear uma das habilidades que garantem uma qualidade melhor para os itens encontrados.

Cuidado com os caragors

Caragors são animais ferozes que percorrem pelos cenários, mas com o tempo você poderá domesticá-los para que eles te ajudem nas missões. Até lá, tome cuidado para que você não se transforme em uma refeição, ainda mais quando encontrá-los pelos cenários no início do jogo.

Sua presença também pode ser muito estratégica, principalmente quando você conseguir libertar uma dessas feras de uma jaula em meio à um acampamento orc. Deixe que ela faça o trabalho sujo, pelo menos por agora…

Desvie e contra-ataque na hora certa

Middle-earth: Shadow of Mordor apresenta uma mecânica de defesa muito similar a da série Batman Arkham, possibilitando entrar em combate e desferir um golpe fatal mesmo quando o inimigo estiver pronto para atacar.

A possibilidade para isso aparecerá como um comando na cabeça do orc atacante, então é bom praticar para manter a ofensiva sempre presente durante os combates.

Mesmo assim, alguns ataques não podem ser bloqueados ou contra-atacados — então você deverá desviar no tempo certo para não sofrer danos. O esquema continua o mesmo: quando um ataque estiver prestes a ser desferido, um botão aparecerá no adversário informando que o momento de fugir está perto.

Muito cuidado com veneno e armas de longo alcance

Se você for entrar em uma fortaleza, faça questão de matar os arqueiros primeiro, assim não terá que lidar com eles durante toda a expedição. Além disso, é essencial tomar conta contra os ataques venenosos, principalmente vindo de orcs de elite. Evitar estes dois problemas irá manter sua vida fora da área de perigo.

Descubra o medo dos seus inimigos

Alguns orcs deixam marcas verdes depois de morrerem, sendo possível descobrir algumas informações interessantes sobre os inimigos mais poderosos. Eles também revelam o maior temor deles, como medo de fogo, de ser atacado por um caragor ou de ser traído por um guarda-costas.

Assim que você descobrir este ponto fraco, é hora de trabalhar para deixar seu inimigo de frente com esta vulnerabilidade e facilitar o seu trabalho.

Mate os guarda-costas primeiro

Enfrentar um chefe guerreiro é sempre complicado. Além da sua força incrível, ele conta com a ajuda de mais alguns orcs de elite, então sempre tenha cuidado para não acabar cercado e sofrer uma morte com essa situação.

Um meio de superar esse desafio é eliminar primeiro os guarda-costas e aos poucos deixar o combate mais tranquilo. Mas não respire tão levemente assim, afinal o chefe ainda te espera para um difícil confronto.

Esperamos que, depois de tantas dicas, sua aventura pela Terra Média fique um pouco mais fácil — e temos certeza que você conseguirá matar tantos orcs que deixarão um certo anão enciumado pela sua contagem superar a dele.

Retirada estratégica

Embora Talion seja bastante poderoso, até o herói pode ter grandes dificuldades contra vastos números de oponentes – e acreditem em nós, vão ter situações com mais de 10 inimigos ao mesmo tempo. Com um pouco de sorte e habilidade, podem sair vitoriosos até das situações mais complicadas, mas não fiquem cercados. Se pressionarem no botão de desvio podem ganhar alguns metros aos oponentes, e isso oferece a oportunidade para usarem o arco para abaterem rapidamente alguns adversários. Tenham atenção ao cenário, e se virem um barril explosivo, tentem atrair os orcs para perto antes de o rebentarem. Se mesmo assim estiverem em dificuldade, fujam. Podem simplesmente ignorar a situação, ou se quiserem voltar a atacar, esperem por uma oportunidade para atacarem de forma furtiva.

Aproveitem-se do sistema Nemesis

Não entrem cegos numa batalha contra uma personagem do sistema Nemesis. Tentem encontrar um Orc informador, ou outras formas de conseguir informações, para descobrirem as vantagens e desvantagens de cada oponente. Se souberem tirarem vantagem desta informação podem facilitar imenso a vossa tarefa. Com o avançar do jogo vão descobrir que os inimigos têm menos fraquezas para explorarem, mas existe sempre uma maneira. Também é muito importante evitar os pontos fortes do adversário. Se atacarem de uma certa forma podem causar raiva ao inimigo, por exemplo, o que vai dificultar imenso o objetivo. Tenham ainda em atenção o facto de alguns inimigos fugirem, por isso estejam preparados para isso – perder minutos a tentar matar um capitão, para depois o deixar fugir, pode ser muito frustrante.

Esta é a função primária do sistema Nemesis, mas quando começa o segundo ato, terão a hipótese de construir um exército. Vão colocar os vossos capitães em confronto com os adversários do sistema Nemesis, o que também tem os seus pontos de interesse. Também existem novas batalhas em arenas, onde os inimigos lutam entre si. Aprendam as particularidades de cada classe, e aproveitem-se disso mesmo, seja comandando o vosso exército, ou em combate direto.

Dominem as Feras

Com tudo o que há para fazer, é fácil deixar com que a capacidade para usar montadas caia no esquecimento. Podem montar Caragors, Graugs, e Drakes, cada um oferecendo diferentes vantagens estratégicas. Os inimigos do Nemesis têm também atributos relacionados com estas criaturas – alguns ficam furiosos quando vêm um, outros ficam apavorados, e outros dominam-nos. Usem-nos para ganharem vantagem nos combates, mas também como meio de transporte. Os Caragors são rápidos, ideias para cobrirem grandes distâncias, e ainda podem usar flechas quando estão montados. Os Graugs são resistentes e fortes, ideais para combates a curta distância, mas a sua lentidão não os validam como meio de transporte. Os Drakes têm o encanto de voarem, mas são a montada de que gostámos menos. Ainda assim, a perspetiva que oferecem do campo de batalha é fantástica.

Apontem às pernas

Uma flecha em cheio na cabeça é um tiro crítico garantido, mas se acertarem na perna vão ter outras vantagens estratégicas. Se o fizerem, seu oponente vai ficar parado no lugar, exposto para explorarem fraquezas. Isto será particularmente útil contra inimigos Nemesis que não sejam imunes a flechas. Esta tática é também excelente para parar inimigos em fuga que não queiram matar, como os Orcs informadores.

Ao vencedor, os espólios

Para Shadow of War a Monolith remodelou por completo o sistema de espólios (ou loot, se preferirem). Agora vão receber otipos de armas, peças, e gemas durante a aventura, com diferentes graus de raridade e qualidade. Enquanto os itens mais comuns só incluem estatísticas, as variedades rara e épica costumam trazer várias vantagens ou efeitos secundários. O segredo aqui não está em tentar arranjar as melhores armas e descartar as outras, mas antes em guardar armas capazes de causar efeitos diferentes. Como os inimigos têm vários tipos de fraquezas, convém adaptar o armamento e a armadura a preceito.

Outra componente nova são as gemas que podem equipar, itens que normalmente são largados por uns orcs especiais com uma marca branca em cima da sua cabeça. Sempre que virem um destes orcs, tentem matá-lo, porque vão precisar de todas as gemas que conseguirem mais próximo do final do jogo. As gemas mais poderosas podem ter um efeito esmagador no desempenho de Talion, como aumentar o dano causado ou a saúde em 30%, por exemplo. So passadas 30 horas de jogo conseguimos criar a nossa primeira gema de qualidade máxima, o que implica que terão de investir a sério na procura destas gemas. Prestem atenção ao mini-mapa, onde estes Orcs são também identificados por setas brancas.

Habilidades

Perfect Counter: Depois do Execution – que é extremamente útil sem dúvida, procura desbloquear o Perfect Counter bem cedo também. É essencial ao enfrentar hordas de inimigos, ser capaz de os imobilizar tempo suficiente para te focares num Captain ou para aplicar uma execução no chão. Eventualmente esta pode ser melhorada para recuperar ammo ou para matar instantaneamente grunts mais frágeis.

Wraith Chain: Na Predator Skill Tree, terás de desbloquear umas quantas habilidades até chegar à Wraith Chain – mas assim que o conseguires, as missões furtivas serão muito mais simples. Utilizando Focus, podes teleportar a tua forma wraith para inimigos nas redondezas, eliminando múltiplos oponentes em cascata, algo muito útil quando não podemos mesmo ser identificados ou quando queremos invadir uma fortaleza sem ser detetados.

Bird of Prey: Na árvore Ranged praticamente todas as habilidades são úteis, mas de início, a Bird of Prey é a mais importante. Permite-te abrandar o tempo e focar o disparo em pleno ar. Combinado com o Shadow Strider, podes saltar e executar um duplo salto, mudando de direção no enquadramento do teu alvo, antes de abrandar o tempo para desencadear uma chuva de setas num grupo, ou marcar um barril para explodir mesmo antes de aterrares no meio deles e limpar as sobras.

Ice Storm: Na árvore Wraith está uma das habilidades mais úteis para desbloquear desde cedo, Ice Storm. Quando estás a enfrentar demasiados Orcs ou um Captain poderoso, o Ice Storm permite-te congelar um alvo, prendendo-o no mesmo sítio e deixando-o fora da batalha, ou para usar um ataque flurry e acumular might rapidamente.

Call Caragor: Finalmente, a “Skill tree” Mounted é sempre útil para abusar das fraquezas dos inimigos, sendo que nada é mais útil que invocar um Caragor quando a necessidade aperta. Esta habilidade é especialmente adequada quando enfrentamos um Captain que tem medo ou é especialmente sensível a beasts – É inclusive possível invocar um Caragor no interior da sala de um Commander durante o assalto a uma fortaleza.

Não te esqueças de realizar o upgrade à habilidade para invocar outros tipos de beast e capitalizar as fraquezas dos teus oponentes.

Referências:

Game Reactor, Voxel, ING, techtudo, wikipedia.

Prey

Prey é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa e sobrevivência desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado mundialmente em 5 de maio de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. A história se passa no futuro em uma história alternativa e acompanha Morgan Yu, um pesquisador na estação espacial Talos 1 que precisa combater os alienígenas hostis Typhoon depois deles escaparem de seu confinamento. O jogador tem a sua disposição várias armas, itens e habilidades que lhe permitem combater os alienígenas e explorar o mundo aberto da estação espacial.

O título não tem relação com o jogo Prey de 2006, desenvolvido pela Human Head Studios, sendo considerado uma reimaginação da propriedade intelectual com uma narrativa totalmente nova. Prey 2, uma sequência do jogo original, começou a ser desenvolvida pela Human Head, porém enfrentou diversas dificuldades depois dos direitos terem sido comprados pela Bethesda em 2011, acabando por ser cancelado em 2014. A Arkane assumiu o projeto, porém não usou nenhum trabalho feito anteriormente, apenas incorporando o nome e a temática geral do protagonista ser perseguido por alienígenas. Este Prey foi desenvolvido como um sucessor espiritual de System Shock, oferecendo ao jogador diversos meios de progredir pelo jogo.

Não se deixe enganar pelo fôlego

O fôlego é uma ferramenta que a jogabilidade insere para deixar a experiência mais difícil, limitada e realista. Não se deixe enganar pela barrinha que guia o fôlego do personagem: ele tem mais do que parece. Basta manter sob controle para não gastar tudo de uma vez e não ficar cansado frente a um inimigo.

O fôlego é gasto quando se usa armas de combate corporal ou quando se corre, então não é algo tão constante. Além disso, habilidades e melhorias fazem com que o fôlego seja um problema ainda menor. Basta saber administrar e você não terá problemas com isso ao longo do jogo.

Modifique a sensibilidade do controle

Seja no joystick ou no teclado e mouse, a sensibilidade padrão do controle de Prey é muito alta, tanto na vertical quanto na horizontal. Qualquer “toque” para o lado e o personagem se movimenta de forma bem rápida, mais do que o necessário.

Para deixar a experiência mais dinâmica, vá ao menu de opções do jogo e selecione as modificações de controle. Reduze em um ou dois níveis a sensibilidade e o resultado já vai ser bem mais aceitável do que o padrão.

Jogue com a tela mais clara

Outra dica que envolve as configurações no menu está no brilho padrão do jogo. Se for possível, aumente um pouco um brilho, sem que atrapalhe sua experiência ou prejudique a atmosfera de tensão que Prey carrega.

Isso por um motivo simples: alguns cenários são escuros demais e escondem inimigos, que também são escuros e saem dos cantos mais inesperados. É claro que usar a lanterna é uma altetnativa, mas ela tem bateria escassa e demora para recarregar. Vá ao menu de configurações e tente aumentar um pouco o brilho, mas só um pouco.

Salve o jogo sempre que possível

Essa dica parece óbvia, até por conta de o jogo ter um sistema de salvamento semiautomático, mas acredite, não é tão óbvia quanto parece. No meio da tensão e da ação, o jogador pode esquecer de salvar facilmente e morrer, obrigando-o a retornar muito no cenário – e você vai morrer bastante, dada a dificuldade do game.

O salvamento pode ser feito no menu básico de pause do jogo, mas não pode ser feito duas vezes seguidas. A principal dica é salvar em “salas seguras”, locais onde você sabe que não há inimigos e onde se pode parar para respirar um pouco.

Não atire tanto

Como em todo jogo de terror e tensão, em Prey a munição é escassa, mais do que se imagina, já que algumas armas nem mesmo usam balas. Algumas você vai encontrar pelo caminho, enquanto outras podem servir como tiros rápidos, apenas para desacelerar inimigos.

As armas funcionam mais como ferramentas do que como itens de destruição, com exceção de uma ou outra. Por isso, use-as sempre com inteligência, sem ficar com o dedo pressionado direto no botão de tiro.

Gaste bem os Neuromods

Os Neuromods permitem que o personagem principal seja melhorado, mas também define quanto menos humano ele fica, ao longo das modificações genéticas que entram no seu corpo. Porém, a principal dica é que você economize os Neuromods que conseguir no início da aventura.

Gastar os Neuromods no início pode ser um grande desperdício, principalmente porque ganhamos eles em muita quantidade nas primeiras horas de jogo, quando ainda não temos muitas ameaças. Tenha paciência que, pouco depois disso, eles serão mais valiosos e mais uteis. Junte-os para gastar melhor depois desse período.

Gloo: a melhor arma

A arma Gloo é uma das melhores e mais uteis do jogo – e ela não mata inimigos, ao menos não sozinha. A Gloo serve para paralisar alvos por um determinado tempo, ou no mínimo reduz seu avanço e permite uma escapada rápida. O ideal com a Gloo é imobilizar inimigos para depois usar uma arma mais pesada e abatê-los com apenas um tiro.

Não ignore os corpos

Os humanos vivos em Prey são poucos. A maioria que você vai encontrar estão mortos ou morrendo. Não deixe de parar por alguns segundos e coletar os itens de cada um deles, pode-se surpreender com o que será encontrado.

Para vasculhar os itens, pressione o botão de ação próximo dos corpos. É possível coletar tudo de uma vez ou só os itens que desejar, dado o espaço disponível na bagagem do personagem. O importante é nunca deixar nada útil passar – e são muitos os itens úteis, seja para reparo da armadura ou para melhorar o personagem.

Vasculhe absolutamente tudo

Quando digo para vasculhar tudo, é literalmente tudo que é possível interagir no cenário, desde lixeiras a armários e gaveteiros. Muitas vezes há itens valiosos como kits médicos, munição de escopeta e kits de reparo do traje em locais que você menos espera. Até mesmo itens mais comuns como qualquer tipo de comida ou materiais que você poderá reciclar mais tarde podem ser um mão na roda.

Além disso, esses containers podem servir de armazém pessoal caso seu inventário esteja relativamente cheio e você está longe de uma máquina recicladora. Só não esqueça em qual móvel deixou seus itens!

Vidros foram feitos para serem quebrados

Ao longo de Prey você encontrará grandes painéis de vidro, intitulados Looking Glass. Neles, você verá vídeos importantes para a trama, mas depois que assisti-los, é uma boa ideia quebrar essa superfície com sua fiel chave inglesa, pois muitas vezes há caminhos e salas escondidas por detrás. Sabe-se lá que tipo de cofre você pode encontrar, não é?

E não se preocupe em não poder mais assistir aos vídeos, pois é possível reparar os painéis, normalmente utilizando comandos em um PC próximo.

Recicle armas também

Além de mandar para o reciclador todas as tralhas que achar pela Talos I, é possível também colocar armas sobressalentes na máquina, resultando em materiais. Toda vez que encontra mais um Canhão Gloo dando sopa por aí, saiba que pode ser uma excelente ideia reservar um espaço no seu inventário para reciclá-lo depois.

Isso é especialmente efetivo pois a maioria das armas resulta em materiais minerais, utilizados na confecção de kits médicos, munição e Neuromods — ou seja, algo que você vai usar bastante.

Torretas são suas amigas

Diferente de Portal, em Prey as torretas são aliadas valiosas, especialmente no início do jogo. Sim, vale muito a pena carregar uma delas para novos ambientes que, muito provavelmente, estarão repletos de mímicos e outros inimigos. Elas atiram automaticamente em qualquer alienígena em seu campo de visão e, muitas vezes, podem limpar uma sala inteira sozinhas.

Mais tarde no game, elas passam a ser menos efetivas conforme você descobre e enfrenta tipos diferentes de aliens, mas em grandes quantidades ainda podem ser muito úteis. Em determinados pontos, elas serão inimigas, caso estejam sob controle de um Tecnopata.

Leia todos os emails

Se você é como eu e não suporta ver sua caixa de entrada com emails não lidos, essa dica é redundante. Mas saiba que inspecionar cada estação de trabalho e cada computador da Talos I pode resultar na obtenção de senhas para cofres ou portas.

É importante vasculhar tudo para adquirir senhas e também novas missões opcionais. Eu recomendaria que você lesse os emails, pois há histórias e anedotas interessantes sobre o dia-a-dia da Talos I.

Priorize habilidades que auxiliem na exploração

É completamente entendível dar prioridade ao combate, principalmente num jogo em que os inimigos aparentam ser muito mais fortes que você e podem se esconder em qualquer lugar. Porém, em função de ficar mais forte, a exploração é imprescindível.

Ao encontrar os primeiros Neuromods – pequenos aparelhos oculares que injetam agulhas diretamente no seu cérebro; funcionam como os pontos de experiência em Prey – você se depará, inicialmente, com três variações da sua árvore de habilidades. Nessas habilidades, há três essenciais que, caso opte pela exploração extensiva, são essenciais:

Hacking: acessar computadores e portas trancadas sem senhas e cartões de acesso pode ser a coisa mais útil e aliviante de se fazer em Prey. Para ter esse tipo de acessibilidade, será necessário investir na habilidade de hacking – com ela, como dito acima, você poderá acessar computadores (ler emails, autorizar acessos etc) e abrir portas trancadas com senhas que podem te levar a recompensas e recursos interessantes.

Repair: como o nome sugere, essa habilidade te auxiliará a consertar máquinas de craft, computadores e portas eletrônicas no geral. Ao consertar esse tipo de equipamento, você conseguirá ter acesso aos objetivos de sidequests – sendo que algumas dependem exclusivamente dessa habilidade para serem concluídas.

Leverage: talvez a mais útil dessas três, essa habilidade concede uma espécie de ”super força” ao protagonista, sendo possível levantar itens pesados para criar passagens, abrir atalhos, descobrir lugares secretos, abrir portas emperradas e usar itens do cenário como armas.

Lembre-se que com a exploração você poderá posteriormente investir em habilidades que te deixam mais poderoso, deixando tudo mais fácil.

Desbloqueie a habilidade “Mimic” assim que possível

No começo do jogo, você estará limitado apenas a habilidades humanas (skills azuis). Prosseguindo na história e fazendo missões principais, Morgan vai ter acesso às skills dos aliens abordo da estação espacial, os Typhons. E a primeira habilidade essencial dessa nova árvore na variação “Morph” é a skill Mimic.

Usando o Mimic você é capaz de se transformar em objetos do cenário, desde uma caneca a um rolo de papel higiênico. Sabe aquela porta barricada que tem apenas um espacinho de baixo? Se transforme numa banana e passe por de baixo. Essa habilidade será um complemento do seu potencial de exploração, te deixando ainda mais livre para encontrar segredos no jogo.

Desligue o marcador da missão principal

Não sei se enfatizei isso o bastante, mas Prey é um jogo de exploração. Por mais tentador que seja seguir na história e desvendar os segredos da Talos I e os envolvidos no incidente na estação, se faça um favor e desligue o indicador da missão principal. Dessa forma você ficará menos preso a um único objetivo e mais a vontade para explorar melhor áreas que você não esteve e/ou explorou pouco.

Graça ao bom senso dos desenvolvedores, isso pode ser feito facilmente indo no menu de Objetivos e simplesmente desmarcando o indicador principal da missão.

No combate vale tudo

Quando eu digo tudo, é exatamente isso o que quer dizer. Ou quase tudo. Vários inimigos – principalmente os que aparecem mais para frente – podem ser um desafio que beira a frustração se você ligar o modo “automático” de simplesmente correr pra cima deles e apertar o botão de atirar. Além de gastar bala à toa, a eficiência desse combate simplório vai te deixar na mão muitas vezes.

Combine seus poderes, explore a possibilidade das suas armas e do ambiente. Cada área da estação possui algo que você pode usar como arma ou combinar para realizar execuções poderosas: arremessar móveis, eletrônicos e tudo que achar pela frente nos inimigos – quanto mais pesado o objeto, mais dano irá causar. Imobilize primeiro os inimigos com a Gloo Canon e bata neles com sua wrench, e assim por diante. A imaginação é o limite.

A dificuldade padrão é o bastante

Esse tópico pode ser um pouco polêmico – principalmente caso se considere como um ótimo jogador de FPS e adora um desafio. Dificuldades mais altas parecem ser tentadoras e um padrão para esses jogadores, mas eu aconselharia tomar um pouco mais de cuidado aqui. Prey não é o típico run and gun como Doom, e sim um jogo onde o racionamento de recursos e tomada de decisão são fatores cruciais.

No início da sua jornada é onde as coisas são mais difíceis. Sem poderes alienígenas, sem armas com upgrades, sem saber no que investir e inventário limitado. Os inimigos batem forte e muitas vezes correr vai ser a opção mais sensata, então, não se acanhe de começar o jogo na dificuldade padrão. Quando você se sentir mais familiar, dificuldades mais altas (inclusive a dificuldade Nightmare) são desafios a serem considerados.

Toda a abertura

Claro, que a gente tá dando uma roubadinha com essa dica, mas a sequência de abertura espetacular de Prey como já é suficiente para te deixar vidrado no jogo. Como um novo funcionário da TranStar Corporation, Morgan Yu te leva por um passeio de helicóptero através de uma deslumbrante paisagem urbana com o objetivo de passar por testes de rotina em uma instalação operada por seu irmão.

Mas como você bem sabe, a “rotina” não é bem uma garantia duradoura, e logo a própria natureza da vida e da memória de Morgan é posta em questão. A Arkane criou essa sequência inteira com bastante cuidado, introduzindo uma variedade de features para a mecânica do jogo, enquanto preparava um cenário para uma história arrebatador.

Até o mapa aberto tem informações importantes para você

A história ambiental é uma ferramenta inestimável para desenvolvedores de games, e a equipe da Arkane tem alavancou esse features ainda mais em sua recente campanha. Morgan pode invadir terminais e ler segmentos de e-mail privados que revelam eventos-chave na catástrofe da estação espacial Talos I. O museu da estação esboça a história da construção, completa ainda com iluminação dramática e placas iluminadas.

Até mesmo os próprios corpos, congelados e retorcidos em agonia, ajudam a criar a terrível história de TranStar e o que está em jogo logo ali na Terra.

Construa suas próprias plataformas (BYOP)

A dica do gameplay de Prey? Empoderar você com tantas escolhas quanto possível. Essa filosofia é exemplificada no GLOO Cannon, um dispositivo que aciona uma cola de rápida expansão. Você pode usar isso para desacelerar os inimigos e diminuir a distância de um ataque corpo a corpo ou para construir plataformas até áreas difíceis de alcançar. Ou você também pode ignorar o Cannon completamente.

Só depende de você

0451

A lendária sequência numérica já vista em títulos como System Shock, Deus Ex, e inúmeros outros é totalmente mostrada aqui no game. Prey se inspira em seus antecessores.

Os imitadores

Talos I está sendo consumido por uma infestação alienígena Typhon. Essas ameaças perigosas e fantasmagóricas assumem muitas formas. Literalmente. O Imitador, uma pequena criatura com velocidade assustadora, pode assumir a forma de quase qualquer objeto na estação. Agora cada caneca descartada ou objeto pequeno poderia ser algum perigo disfarçado.

Morgan, como você ainda vai descobrir, pode destravar essas habilidades… mas tudo tem seu preço.

Economize Neuromods para comprar as skills certas

Essa é bem subjetiva, mas vai te ajudar a aguentar mais facilmente o tranco do game depois de um tempo. Como havia dito, é necessário sim que você colete muita coisa no jogo e, também, se comportar como um urubu carniceiro checando todo bendito cadáver que aparecer no caminho para coletar itens melhores. Primeiro, invista na skill Necrópsia. Com ela, você coletará ainda mais material exótico dos Typhons que detonar pelo seu caminho te ajudando a fabricar bons itens sem se preocupar em esgotar esse material rapidamente. A outra skill recomendada para dedicar seus preciosos neuromods é a de expansão de inventário. Novamente isso tudo é relacionado com a dica anterior.

Há jeitos melhores de tirar itens pesados do seu caminho

Mais uma vez, Prey insiste que o jogador pense fora da caixinha. Não serão raras as vezes que você se deparará com objetos pesados que impedirão seu percurso em algum momento. O jeito mais óbvio e contraindicado é queimar neuromods para comprar a skill de força física. Porém, é bem mais inteligente usar as ferramentas que o cenário te oferece. Há diversos explosivos espalhados na Talos-1. Portanto, use-os a seu favor. Leve esses objetos perto das coisas que barram o caminho e simplesmente meta um tiro para explodir tudo. Te livrará dor de cabeça e ainda te permite comprar habilidades melhores.

Use as benditas Torretas

Facilmente outra habilidade que indico para melhorar sempre que possível é a de hacking. Como disse, Prey é difícil (às vezes, desnecessariamente difícil), mas há as boas maneiras de contornar essa característica ingrata ao gamer casual: as torretas. Seja as terrestres ou os robôs aéreos que te caçam na primeira olhada, o jeito é hacker tudo o que for possível. Esses pequenos robôs voadores te ajudarão em pouco tempo a limpar o cenário já que vagam incessantemente por aí. Já as torretas terrestres, é bom transportá-las para locais que você sabe que encontrará inimigos mais poderosos.

Também é só seguir uma receita de bolo. Posicione suas torretas em locais estratégicos, já seguros. Depois, atraia seus inimigos até a sala com os robôs e os congele com o Canhão Gloo, Voiláa! Desse modo você consegue se livrar de muitos Fantasmas rapidamente a quase nenhum custo de esforço. Lembre-se sempre de levar ao menos uma enquanto perambula pela Talos-1 principalmente em áreas grandes como o Lobby que sempre terão inimigos novos te aguardando.

É importante ressaltar isso porque muitos jogadores podem subestimar o desafio que eles oferecem. Acredite, essas criaturas são pequenas, rápidas e, quando em grupos de 3 ou 4, conseguem te matar rapidinho. Portanto, fique atento. Ao desconfiar de um objeto, já prepare o Canhão Gloo para congelá-lo (ao menor contato, é revelado se é um alien ou não). Caso for, prepare sua chave inglesa ou 9mm é acabe com a raça do maldito.

Referências:

Nos Bastidores, Jogazera, Blog Playstation, Br Ing, wikipedia, techtudo.

The Surge 2

The Surge 2 é um jogo de RPG de ação desenvolvido pela Deck13 Interactive e publicado pela Focus Home Interactive para Microsoft Windows , PlayStation 4 e Xbox One . É a sequela de The Surge de 2017.

Gameplay 

The Surge 2 é um jogo de role-playing de ação jogado de uma perspectiva de terceira pessoa. O jogo apresenta um criador de personagem que permite aos jogadores personalizar as aparências e o sexo do avatar do jogador.  Os jogadores podem utilizar uma variedade de armas brancas para derrotar os inimigos, cujos membros podem ser alvejados e removidos individualmente. Os jogadores também podem evitar e desviar de ataques, o que exige que os jogadores angulem adequadamente suas armas equipadas.  Drones de combatee consumíveis como bio-sensores também podem ser implantados. Quando os jogadores matam ou desmembram seus oponentes, eles podem coletar e equipar as armas, aprimoramentos de armadura ou tecnologia deixados por eles. A cidade de Jericó, o cenário do jogo, oferece caminhos alternativos que os jogadores podem explorar livremente. No jogo, os jogadores encontrarão diferentes personagens não jogáveis e terão que fazer escolhas diferentes que afetarão o mundo e a história do jogo. Os jogadores também podem deixar mensagens de graffiti no mundo do jogo para outros jogadores verem. 

Use o drone de combate

Logo de cara, o segundo jogo da série introduz um recurso muito bem-vindo: o drone de combate. Com ele, é possível atirar nos inimigos de longe, sem tanto alarde, o que garante uma boa dose de estratégia e concede uma liberdade maior na hora de formular a melhor abordagem.

Mantenha o estoque de omnicélulas (a munição do game) sempre cheio e priorize o uso do robô para quando houver um grande número de criaturas num mesmo ambiente. Assim você se mantém longe de ataques corpo a corpo, por exemplo, e ganha tempo com uma distração para recuperar a barra de saúde. Definitivamente, o drone é o grande salvador em momentos críticos.

O Contra-ataque faz a diferença

Uma das grandes novidades de The Surge 2 é a sua dinâmica de parry, que consiste em revidar ataques rivais com investidas fulminantes. Embora o contra-ataque seja um tanto arriscado e tenha uma lenta curva de aprendizado, você certamente ficará em vantagem na batalha ao conseguir executá-lo com maestria.

Se você estiver jogando no controle, seja de PS4 ou Xbox One, pressione o botão de bloqueio e utilize o analógico direito para manipular a arma em posição de defesa. Para realizar um contra-ataque devastador, é preciso posicionar o armamento do personagem no mesmo ângulo de ataque do adversário, no tempo certo. Saiba que o jogo não permite aparar ataques de qualquer inimigo, então é importante saber com quem você está lidando antes de se arriscar.

Desmembre inimigos

Assim como no jogo anterior, o sistema de personalização é todo baseado na mecânica de desmembrar inimigos. Você pode focar em diferentes partes do corpo e utilizar golpes de finalização para decepar o componente desejado e obter matéria-prima. Corte a cabeça do alvo, por exemplo, e ganhe peças para criar novas proteções de cabeça.

Caso você queira aprimorar uma arma, o ideal é focar no braço do inimigo que esteja munido com o equipamento almejado para cortá-lo. Fique atento também às partes das criaturas robóticas, já que há uma grande chance de o loot conceder implantes extras.

Implantes são essenciais para sobreviver

Os implantes são itens equipáveis que servem para complementar e conceder efeitos especiais ao traje. Conforme o personagem sobe de nível, novos espaços de implantes são desbloqueados e podem ser gerenciados em campo, eliminando a dependência de um Medcentro.

Alguns implantes consomem potência de núcleo – a barra em azul alocada no centro da tela -, portanto fique de olho nela para não gastar o estoque todo de uma vez. Lembre-se de que os implantes também podem ser aprimorados para aumentar a quantidade de pré-cargas – o item que restaura vida – a serem feitas durante os embates.

Morreu? Corra para recuperar a sucata

Como é de praxe nos jogos inspirados na fórmula masoquista de Dark Souls, o personagem deixa seus recursos no local da morte depois de ser derrubado pelo oponente. Em The Surge 2, a situação é mais crítica, já que há um cronômetro para indicar o tempo que o jogador tem de resgatar a sucata até que ela expire para sempre. Quando você morrer, preste atenção ao contador e corra ao local da morte para não perder nada.

O Medcentro é o seu local seguro

Os Medcentros funcionam como as fogueiras de Dark Souls, ou seja, são locais seguros onde é possível salvar o progresso, subir de nível, criar e melhorar itens e equipamentos. Tenha em mente que, ao morrer, o personagem vai ressurgir no último Medcentro encontrado, então considere procurá-los o quanto antes assim que uma nova área for descoberta.

Evolua o personagem

Se você não quer sofrer mais que o necessário com a dificuldade acima da média, certifique-se de evoluir seus atributos nas estações de Medcentro, no módulo do núcleo de energia. Obtenha pontos de módulo ao coletar sucata de inimigos abatidos para distribuir entre as três opções disponíveis: vida, vigor e bateria.

Todos os atributos são igualmente valiosos no decorrer da jornada, mas o vigor deve ser prioridade na lista de quem está começando a desbravar o game agora. A saúde aumenta a barra de vida, enquanto o vigor possibilita um número maior de ações durante as batalhas, significa ter mais resistência. Por outro lado, fortalecer a eficiência da bateria eleva a reposição de vida a cada uso de injeção – algo que não é tão relevante no início tendo em vista o modesto nível e poder de ataque dos inimigos.

Faça upgrades

Em comparação ao jogo anterior, pouca coisa mudou no sistema de upgrades de itens. A mecânica de montagem funciona de forma bastante simples: use sucata e componentes para subir o nível de armas e armaduras. Todas os itens são criados inicialmente no Grau I (GQ I) e recebem novos atributos e status à medida que são melhorados no Medcentro.

Procure acompanhar o progresso das armas pelo menu de pausa para saber se algum de seus equipamentos já pode ser evoluído com as peças obtidas. É realmente difícil sobreviver às ameaças da cidade de Jericho e progredir na história sem desbloquear o potencial total dos equipamentos, então concentre-se em evoluir todos os encaixes.

Busque vingança e seja recompensado

Se você estiver online e conectado ao servidor do jogo, saiba que é possível vingar a morte de outros jogadores reais para ganhar bônus de sucata e peças extras de montagem. O oponente passível de revanche possui um ícone de caveira alocado em sua barra de vida, como um indicador, sendo facilmente detectável. Ao avistá-lo, não hesite em iniciar o confronto, pois a recompensa que será concedida vale o desafio.

Um boa (e intrigante) história

“The Surge 2” não deixa o jogador às escuras quando o assunto é a sua história. De cara você fica sabendo que encarna um sobrevivente de um acidente de avião que foi parar na cidade de Jericho. Para deixar as coisas mais legais, o jogo permite que você defina aparência, gênero e história do personagem.

A cidade, em si, encontra-se em convulsão social depois dos acontecimentos do primeiro game. Breve resumo com spoilers: um enxame de nanorobôs criados para recuperar o equilíbrio ecológico da Terra foi liberado na atmosfera acabou se tornando uma doença capaz de deixar os usuários de implantes mecânicos – muita gente, no mundo do jogo – e máquinas completamente fora de controle.

No decorrer do game, além de receber pílulas de tudo o que ocorreu por meio de arquivos de áudio, o jogador também tem acesso a missões paralelas que expandem a trama.

O resultado é que, em vez de ter uma narrativa misteriosa, “The Surge 2” traz uma história palpável e que mantém o jogador interessado, especialmente quando colocado diante de algumas reviravoltas que dão diferentes propósitos à jornada.

O mapa do jogo, que concentra a ação em poucas localidades, mas com diversas áreas e atalhos a serem localizados, também evita que os jogadores fiquem perdidos tentando descobrir onde ir.

Sistemas de jogo que funcionam

“The Surge 2” não se afasta de suas origens quando falamos de sistema básico de jogo. Temos as tradicionais barras de saúde e vigor, bem como o sistema de “alto risco, alta recompensa”: andar por aí carregando uma grande quantidade de sucata (que é a moeda do jogo, usada para evoluir o personagem, armas e aprimoramentos e também comprar determinados itens) garante recompensas melhores ao matar inimigos. Se você for derrotado, porém, terá um tempo limitado para retornar ao local e reaver seus itens.

Isso abre uma possibilidade estratégica, uma vez que quando você está perto do seu local de morte, sua barra de saúde se regenera. E, uma vez que você coleta a sucata perdida, você recupera totalmente sua saúde. Sendo assim, morrer para aquele chefão complicado pode ser a saída para ter um ponto de recuperação de saúde no meio da luta e tornar o embate mais favorável.

Já quem é avesso a riscos pode armazenar sua sucata em um dos med-centros, que estão para “The Surge 2” como as fogueiras estão para “Dark Souls”.

Além disso, conforme você ataca os inimigos e dá parry nos ataques, você acumula cargas de bateria. Essas cargas servem não apenas para você usar um item recarregável que recupera sua saúde, mas também permite que você use o sistema mais atrativo do game: as execuções.

Funciona assim: conforme você trava o alvo em um inimigo, é possível escolher qual parte do corpo irá atacar. São seis delas, sendo braços, pernas, corpo e cabeça. Uma vez que cada uma delas recebe dano suficiente, é possível usar uma carga de bateria para decepar a parte escolhida.

Além de finalizar os oponentes instantaneamente, esse “fatality” também permite que você adquira as armas dos inimigos, bem como esquemas de suas armaduras para que você as construa posteriormente.

Por fim, há mais dois elementos. Os implantes, que são uma espécie de “perks” que dão características específicas ao personagem – como recuperar saúde após uma finalização – e o drone, que acumula modos de operação distintos.

Dar prioridade à Vida, Vigor e Eficiência da Bateria

Isto é mais uma opinião pessoal. Na prática, não sei se é o melhor, mas foi o que fiz e resultou até ao momento. Inicialmente, investi a minha sucata sempre na Vida e Vigor e um pouco menos na Eficiência da Bateria. Só passado algumas vezes de ter evoluído estes aspetos, é que comecei a melhorar equipamentos. Fica ao vosso critério, mas acho mais importante ter mais vida e poder atacar mais vezes, mesmo que os ataques sejam mais fracos ou tenhamos menos defesa.

Matar inimigos com caveira na cabeça

Existem inimigos no terreno, os quais até já podem ter morto anteriormente, mas agora têm uma caveira vermelha sob as suas cabeças. Isto significa que esse inimigo matou um jogador humano. Ao derrotar este inimigo, irão obter materiais para criar equipamentos ou fazer melhoramentos. Sempre que os avistarem, não hesitem em defrontá-los.

Levar sucata para as lutas com bosses

Por norma, noutros jogos do género, todos tentamos ir sem qualquer tipo de sucata (almas/ecos de sangue) para as batalhas com os bosses. Porém, The Surge 2 muda um isso e é aconselhado a terem um pouco de sucata convosco. Ao morrer em combate com um boss, a vossa sucata estará lá à espera para ser recuperada, mas com a particularidade que também recuperam vida. Ou seja, o ideal é deixar a sucata no campo durante um bocado e quando já tiverem pouca vida, aproximem-se para a apanhar e ganhar uma barra de vida cheia novamente.

Enfrentar bosses com Eficiência da Bateria no máximo

Ainda no seguimento das batalhas com os bosses, é altamente aconselhável entrar em combate com os mesmos com a vossa barra da Eficiência da Bateria algo preenchida. Isto irá permitir que possam usar essa energia para recuperar vida. Para tal precisam ter ativos os implantes “Regenerador Celular” e “Circuito Medivoltaico”.

Seja Agressivo!

Em The Surge 2, você pode se curar com seu estoque de energia e cargas apenas de energia quando atacar com sucesso um inimigo. O ataque é a melhor defesa! Tente gerar o máximo de energia possível para se manter melhor.

Abandone o implante de auto-recuperação

Também ajuda a abandonar o implante inútil Auto-Heal. Este implante cura automaticamente quando você está prestes a morrer. Pode parecer útil, mas na verdade você não vai adiantar nada se for um veterano do Dark Souls. Livre-se dele e encaixe-o em um implante diferente o mais rápido possível.

Cuidado com as desvantagens da engrenagem da classe Golias

Equipar o equipamento com a maior defesa pode parecer uma ótima idéia, mas você também encontrará sérias desvantagens. O equipamento da classe Golias, que é o mais pesado e oferece a maior defesa, geralmente concede uma penalidade de resistência ou torna seus ataques mais lentos. Alguns até diminuem a quantidade de energia que você gera por ataque. É melhor ficar com uma armadura mais leve para evitar ataques, em vez de absorver mais danos.

Se você é iniciante, tente usar a lança

Lanças são uma classe de arma que é bastante ideal para iniciantes. Eles são rápidos em atacar, têm bom alcance em seus inimigos, e existem algumas lanças incríveis para encontrar, mesmo no início do jogo. Caso contrário, você vai querer usar armas rápidas, como as Lâminas de 1 Mão ou Punhais. Quanto mais rápido você puder atacar, mais fácil poderá escapar de situações ruins.

Aprenda quando desencadear ataques cobrados

Ataques cobrados são movimentos poderosos que todas as armas podem desencadear. Eles levam um momento para carregar (naturalmente), mas o dano extra que eles fazem vale a pena esperar. O truque da maioria dos encontros é apenas encontrar uma boa oportunidade para desencadear um ataque carregado, eles também são ótimos em quebrar armaduras. Uma vez que a armadura é destruída em um inimigo, o resto da luta pode ser trivial.

Troque armas constantemente – você as encontrará em todos os lugares

Ao contrário de Dark Souls, onde você pode ficar com a mesma arma por muito tempo, The Surge 2 incentiva você a trocar. Algumas armas são simplesmente melhores do que outras. Abandone as armas antigas e adote as novas.

Explorar as fraquezas dos inimigos para facilitar a vida

Muitos inimigos têm fraquezas únicas que você pode explorar e trata-se de qual parte do corpo você ataca. Por exemplo, quando você chega ao Jardim e precisa lidar com os robôs aqui, pode atacar uma variedade de diferentes partes do corpo para enfraquecê-los. Atirar na cabeça deles com o seu drone interromperá o ataque a laser. Atacar suas pernas pode imobilizá-las completamente.

Explorar, Explorar, Explorar

Cada área é um labirinto de passagens e corredores e é importante explorar todos os cantos e recantos que puder. Você pode abrir muitos atalhos que facilitam muito as viagens futuras por essas áreas. E há itens, armas e implantes que você não vai querer perder.

Há onde melhorar

Mas “The Surge 2” também traz alguns tropeços. Um deles, ao menos na versão de avaliação, diz respeito ao desempenho do game em si.

Jogando no Xbox One X, por diversas vezes enfrentei quedas bruscas no FPS, mesmo com o jogo no modo “desempenho” (que sacrifica parte da qualidade gráfica em prol de manter os quadros estáveis).

Nenhuma dessas quedas ocorreu durante combates (felizmente), mas sim enquanto eu explorava os cenários. Considerando que esse é o tipo de falha que mais me irrita em um game, passei muito perto de perder a paciência.

Outro ponto a ser melhorado é a variedade de chefões. É curioso que o jogo comece com um boss inovador, com mecânicas específicas – que são bastante satisfatórias quando descobertas pela primeira vez -, mas acabe perdendo parte desse fôlego conforme progride, apostando mais no tamanho e na dificuldade da encrenca do que em fazer o jogador usar o cérebro.

Esses erros, no entanto, não apagam o avanço que “The Surge 2” representa em relação ao seu antecessor. Inclusive, fica aqui a dica: se você quiser se aventurar na franquia, pode ignorar o primeiro jogo e partir de cara para esse, já que a história é bem contextualizada e o game, em si, é muito melhor.

Referências:

Huf Games, The Pixel Glitch, Uol, techtudo, wikipedia.

Wolfenstein: Youngblood

Wolfenstein: Youngblood é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela MachineGames e Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado em julho de 2019 para Microsoft Windows, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One, e em novembro para Google Stadia. É um derivado da série Wolfenstein e sequência de Wolfenstein II: The New Colossus de 2017, se passando em Paris em 1980 em uma história alternativa em que a Alemanha Nazista venceu a Segunda Guerra Mundial. A narrativa segue as irmãs Jess e Soph Blazkowicz, que vão à procura de seu pai B.J. depois dele ter desaparecido.

Jogabilidade

Wolfenstein: Youngblood é um jogo eletrônico de tiro jogado a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. Os jogadores podem escolher assumir o controle de Jess ou Soph Blazkowicz, com a outra personagem sendo controlada pela inteligência artificial ou por outro jogador em um modo cooperativo. Diferentemente de títulos anteriores da série, as missões de Youngblood podem ser completadas de forma não-linear. Novas habilidades e equipamentos podem ser desbloqueadas no decorrer da história.

Primeiro passos

Separem um tempo para se familiarizarem com o esquema de controle e as habilidades únicas de cada mecha na sala de treinamento. Não há limite de tempo nos tutoriais, então pratiquem até se sentirem confortáveis no comando das máquinas antes de iniciarem as missões.

Elementos do HUD como sua saúde e o aquecimento das suas armas são exibidos como luzes nas laterais da janela da sua cabine. Fiquem sempre atentos a elas para saberem quando se curar ou deixar suas armas esfriarem.

Antes de cada missão, vocês começarão no abrigo nazista abandonado. Explorem os diferentes andares do complexo utilizando a alavanca do elevador na sua cadeira no jogo.

Há alguns easter eggs espalhados pelo jogo, só esperando que alguém os encontre…

Panzerhund

O Panzerhund é construído para se aproximar do alvo e causar dano. Usem a habilidade de corrida para ganhar um aumento de velocidade e conseguir esmagar inimigos como um aríete, depois causem dano com o lança-chamas.

Drone

O Drone é a máquina de movimentação mais versátil que vocês vão pilotar, contando com controle vertical completo. Usem a altitude a seu favor para avançar sorrateiramente pelo complexo nazista.

Prestem atenção nos padrões de patrulhamento dos nazistas e movimentem-se de acordo para não serem detectados. Lembrem-se de usar o dispositivo de ocultamento e também o ataque elétrico de curto alcance para evitar ou eliminar inimigos no seu caminho.

Quando forem hackear, virem o controle devagar até encontrarem a posição certa e então segurem-no até o HUD ficar verde.

Zitadelle

O Zitadelle é grande, corpulento e altamente armado. Cheguem com tudo e façam as balas e foguetes voarem, Cyberpilotos! Só não deixem suas armas superaquecerem ou elas ficarão desativadas por um breve instante.

Seu escudo/PEM tem um tempo de recarga moderado, então tentem guardá-lo para lutas contra vários inimigos. (Ou um inimigo grande!)

Separem um tempo depois de cada confronto para verificar se estão precisando de reparos. É recomendado se curar antes da batalha seguinte.

Consiga as duas habilidades iniciais o quanto antes

Assim que você começar o jogo e escolher qual das irmãs vai controlar, terá de optar por um poder inicial: ficar invisível para ataques furtivos garantidos, ou a pancada, que pode quebrar algumas portas e paredes mais frágeis.

Escolher uma delas não quer dizer abrir mão da outra, que ainda estará disponível na sua árvore de habilidades. Como vários segredos da jornada dependem delas, vários com ótimas recompensas, o ideal é investir na sua segunda opção assim que possível para não deixar nada para trás.

Arremesse suas facas nos grandões

O combate corpo-a-corpo está muito forte em “Wolfenstein: Youngblood”. Isso porque várias habilidades da árvore são focadas no uso das facas e machadinhas, especialmente no arremesso delas.

Com alguns upgrades, seu arremesso vai ficar sobre-humano e causar dano alto e direto na vida dos inimigos. Isso fará com que você possa enfrentar até inimigos de níveis mais altos com facilidade, matando mesmo os mais pesados com um ou dois arremessos.

Não bastasse o dano absurdo, ainda é possível recuperar as armas arremessadas depois do golpe. Não perca tempo e invista nas habilidades com facas.

Use os sinais de ânimo

Os sinais de ânimo são como os emoticons dos jogos online, mas com a diferença de que dão um bônus aos seus atributos, desde armadura até dano.

Para usá-lo basta utilizar o D-Pad no controle ou a letra “T” no teclado. A sua personagem vai fazer uma graça e aplicar o bônus indicado no menu. Se você estiver jogando sozinho, é possível escolher também o sinal da sua irmã.

Como o tempo de recarga é bem curto, use e abuse dos sinais de ânimo durante o combate.

Visite Abby e as catacumbas regularmente

As catacumbas são a base da resistência no jogo. Lá você encontrará os principais membros do grupo que quer liberar Paris das garras dos nazistas. Além disso, é o local onde se encontra a Abby, a melhor amiga das filhas do nosso Terror Billy.

É importante sempre voltar nas catacumbas quando estiver dando um tempo entre uma missão ou outra. O primeiro motivo é para conseguir as sidequests, que são dadas pelos membros da resistência. O segundo é receber as missões diárias e semanais da Abby, que fica em uma mesa no centro do local.

Use a arma correta em cada situação

As armas têm diferentes tipos de munição, que servem para diferentes tipos de inimigos. Alguns nazistas têm armaduras pesadas e variam na quantidade de vida e velocidade de movimento. Para combater cada um deles de forma eficiente é preciso saber quais são as melhores armas.

Ao abrir a roda de seleção de armas, repare no ícone ao lado do contador de munição. Se ele for um quadradinho igual este na imagem, significa que as balas dessa arma têm boa penetração em armaduras e escudos. Caso contrário, ela causa dano extra em tecidos humanos.

Além disso, é importante dominar as distâncias de funcionamento de cada arma e suas melhorias. Com um pouco de prática você pega o jeito e logo e logo estará libertando Paris sem muito esforço.

Consiga os bônus na melhoria de armas

Uma das novidades de “Wolfenstein: Youngblood” é a personalização detalhada das armas, que podem ser modificadas desde a coronha até o cano. Como o jogo se transformou em um RPG, as armas agora possuem atributos que influenciam muito no combate e são modificados drasticamente com as melhorias.

É importante ficar atento aos bônus por usar várias melhorias de uma mesma marca. Na Sturmgewehr, por exemplo, o rifle de assalto do jogo, é possível conseguir bônus de dano, munição ou tiros na cabeça. A partir do nível 25 é possível melhorar ainda mais esses upgrades, uma verdadeira “inception” de números que no fim vão significar miolos nazistas explodindo de forma mais rápida.

Outro detalhe que você deve ficar atento é com a perícia da arma. Quanto mais uma arma for usada em combate, mais experiência com ela sua personagem vai ganhar, o que garante alguns bônus pra lá de especiais.

Os inimigos mais fortes tem pontos fracos

Existem diversos mini-chefes no jogo, que contam com armadura pesadíssima e ataques especiais. Soldados de elite podem ter suas placas de armadura arrancadas para gerar mais dano, enquanto os Panzerhund, que parecem cachorros de metal e cospem fogo, têm canos expostos que podem ser atingidos para explodir.

Descobrir o ponto fraco de cada um deles cabe a você. Portanto, fique esperto e tente diversas abordagens para descobrir a fraqueza do inimigo e usar na próxima vez que encontrá-los.

Como conseguir as armas especiais?

Você irá notar que várias portas do jogo estão trancadas e necessitam de uma arma específica para serem abertas, como a Laserkraftwork ou a Diesel. Por conta disso é capaz de você ficar procurando essas armas em todos os cantos e acabar se enrolando na progressão.

A dica é não ligar para essas portas no início, já que você poderá voltar a qualquer momento para as regiões que visitou em Paris e então abri-las. As armas especiais vão ser dadas no decorrer da narrativa de forma natural. Portanto curta a ambientação e se divirta com o tiroteio.

Inimigos surgem novamente

Ao chegar em uma nova região, diversos inimigos vão estar esperando e patrulhando cada canto da cidade. Sua reação será matar um por um, seja sorrateiramente ou no melhor estilo Rambo. Ao avançar para a próxima área você vai ficar sem vida e terá a brilhante ideia de voltar para buscar aquela cura que deixou na área que tinha limpado minutos atrás. O problema é que, ao chegar lá, você será baleado pelos novos inimigos que surgiram no local.

Por se tratar de um jogo que depende de experiência e deixa você treinar para ficar mais forte, “Wolfenstein: Youngblood” faz inimigos darem o famoso “Respawn” nas áreas do cenário. Portanto, sempre que for de uma área para a outra, recupere sua vida, munição e se prepare para reencontrar os inimigos.

Não é possível pausar o jogo

Uma dica importante que você deve manter na memória para não se estressar é que não existe pause em “Wolfenstein: Youngblood”. Acessar o menu de armas, missões ou mesmo a tela de configurações no PC não pausa a jogatina, e os inimigos vão te atacar, mesmo que não esteja jogando online.

Portanto, nada de abrir o menu em locais perigosos ou ficar desatento e esquecer que a ação por aqui não para nunca.

Verifique a lista de tarefas de Abby

Uma vez que você tenha algumas horas de jogo, Abby nas Catacombs abrirá sua lista de tarefas, que é basicamente um gerador de missão ambiental. Você pode aceitar desafios diários ou semanais para concluir, e você também pode pegá-los o mais cedo possível para que possa começar a trabalhar. A maioria deles é desbloqueada sem que você pense sobre isso, mas certifique-se de verificar de vez em quando e colocar ênfase em usar a arma correspondente ou procurar certos inimigos para acumular o registro e acumular esses preciosos globos de experiência. Ele é adicionado rapidamente, e através do menu você pode repetir missões antigas para pegar grandes potes de XP se você estiver à beira de um nível.

Use sua habilidade acrobática

Não ignore sua natureza ágil em Wolfenstein: Youngblood. Jess e Soph têm um fantástico salto duplo desonrado em seu arsenal, que você deve usar quando estiver na plataforma, mas você também deve pensar em como isso se aplica na batalha. Eu me encontrei pulando para evitar lasers inimigos e tiros. Desviar o olhar é fácil quando você pula, desliza e corre (há uma habilidade que permite que você faça uma rápida esquiva) e faz com que escapar da morte seja muito mais fácil quando os nazistas pressionam ou você está cercado. Suba nas paredes e se esconda atrás da arquitetura, então pule e pise em alguns fascistas pulando e pressionando Circle / B. Aproveite suas habilidades em acrobacias para tirar o fôlego de um tiroteio. Se você não é um pato sentado!

Pep gosta de não amanhã

Como está preso em um posicionamento desajeitado de botões no D-Pad, pode ser difícil conseguir um bônus de ânimo no calor da batalha, especialmente se você não for o mais destro dos seres. No entanto, eles são absolutamente essenciais para a sua sobrevivência, especialmente quando você está em grave perigo. Economize quando estiver começando para receber um dos melhores sinais de vital importância – escolha um que preencha sua saúde ou seu medidor de armadura – e toque nele quando estiver perto da morte para recuperar a saúde. É mais fácil quando você pensa nelas como habilidades para salvar vidas com um rápido cooldown. Você também pode atribuir sinais para a irmã oposta se estiver jogando sozinho. Eu dei a Soph dano duplo cedo, então eu teria um monte de dano caótico ao rasgar grupos de nazistas com meu rifle. Como você pode imaginar, foi super eficaz.

Use o AI solo para sua vantagem

Jess ou Soph vão deformar a sua pessoa se você tentar abrir uma porta ou abrir uma caixa de vida compartilhada ao jogar sozinho, e você pode usar isso para tirá-la do caminho do perigo se ela estiver em perigo ou rapidamente ultrapassar um objetivo que você está lutando, forçando a porta aberta. Youngblood pode fazer fronteira injusta com suas taxas de spawn inimigas, às vezes – lute um pouco, atacando a IA quando precisar! Eles também são super capazes sozinhos, então não tenha medo de tocar sozinho se você precisar. Apenas seja avisado, eles podem te pegar se você estiver em uma plataforma ou andar diferente para eles.

Queime uma vida para salvar um

Muitas vezes você vai entrar em arranhões onde você está de joelhos e sua irmã está prestes a morrer também. Pode parecer que o fim está próximo, mas para antecipar a morte iminente e um subsequente fim de jogo, há mérito em sangrar a pressa para que você possa usar sua vida em comum e reviver sua irmã enquanto ela ainda está para baixo. Neste caso, você queimaria uma vida para salvar uma, mas é isso ou você está morto e você tem que começar o nível novamente. Dado que o checkpoint pode ser bastante brutal, vale sempre a pena utilizar esta tática se você estiver à beira da morte.

Seja frugal com seus pontos de habilidade

Não desperdice, não quero como eles dizem – o mesmo vale para pontos de habilidade em Youngblood. Escopo fora as árvores no jogo para as habilidades que realmente importam – consulte o nosso guia de melhores habilidades para alguns ponteiros lá. Muitas vezes as melhores habilidades são bloqueadas por trás de algumas arbitrárias bobas que custam um ou dois pontos, então vale a pena gastar um pouco para ter acesso a uma habilidade melhor mais tarde. Tente e mantenha o foco em sua build também – assim que você encontrar um estilo de jogo, desfrute de arma para habilidades que complementem – talvez melhore seus stealth Cloak over Crush se essa for sua abordagem – e garanta que você economize seus pontos quando novos níveis desbloquearem nos níveis 10, 20 e 30.

Destrua os escudos inimigos com o tipo certo de munição

Um dos principais modificadores de combate em Youngblood é a existência de dois tipos diferentes de munição, dependendo de qual arma você está usando – e não se preocupe com o fato de eles se estenderem fora de sua linha inicial de rifles. Você quer atualizar uma arma para cada tipo de munição para que você possa causar um dano poderoso na barreira e se livrar dos problemas antes que eles se tornem esmagadores. Isso deve vir naturalmente, mas realmente não se preocupe em tentar usar munição de espingarda contra os massivos soldados a laser que precisam de balas de rifle para quebrar seus escudos. O jogo realmente quer que você compre este aspecto de seu tiroteio, e ele não vai desistir a menos que você perca toda a sua munição!

Missões secundárias

Fora de subir de nível, a única maneira de ganhar pontos de habilidade de forma confiável é fazer missões secundárias, e dado que algumas habilidades são mais importantes que o XP, você quer fazer o maior número possível de missões secundárias no começo para deixá-lo preparado e sentindo perigoso. Visite as catacumbas depois da sua primeira missão e crie o hábito de limpar as áreas, fazendo o máximo possível de missões antes de voltar e transformá-las em reforços gigantescos no XP. Repita ad nauseum até que você esteja seguindo para as missões secundárias mais perigosas e você deve subir de nível rapidamente, dando a você acesso a melhores habilidades e pontos para desbloqueá-las.

Utilize armas que combinem com os escudos

Alguns de seus inimigos têm escudos os protegendo. A barra de durabilidade dessa proteção extra vai aparecer por cima de suas barras de vida e você tem de destruir primeiro o escudo para conseguir machucar o oponente.

Existem dois tipos de barreiras, as duras e as suaves, que são representadas por quadrados largos ou estreitos do lado da barre de durabilidade. Você deve ter em conta essa informação e utilizar uma arma com o mesmo símbolo conforme o tipo de escudo.

Não se esqueça de lutar corpo-a-corpo

É fácil esquecer essa opção quando se tem tantas armas para escolher, mas essa forma de eliminar inimigos pode ser muito útil. Sempre que um oponente não esteja atento, essa é uma forma muito boa de o eliminar furtivamente.

Visite áreas antigas      

Á medida que você avança na história do game, vai ganhar novas armas especiais. Além disso, vai ser possível abrir portas que estavam inacessíveis antes.

Por isso, é uma boa estratégia visitar novamente áreas pelas quais já tinha passado antes sempre que ganhe armas ou habilidades novas.

MAIS DICAS

Não esqueçam do botão de pânico!

Quando lembrarem do botão de pânico, não apenas o apertem; batam nele como se fosse seu despertador.

Todas as armas superaquecem. Peguem leve no gatilho e fiquem de olho nos indicadores de superaquecimento no canto da tela.

É possível queimar todas as bandeiras nazistas no jogo.

Se também estiverem jogando Wolfenstein: Youngblood, fiquem atentos a conexões entre os dois jogos.

Não se esqueçam de fazer pausas regulares durante sessões de RV prolongadas.

Referêcnias:

Bethesda, Aficionados, GameMe, Uol, Wikipedia.