Middle Earth: Shadow of War

Middle Earth: Shadow of War é um jogo de RPG de ação ambientado no universo da saga “O Senhor dos Anéis” do autor J. R. R. Tolkien, desenvolvido pela Monolith Productions e distribuído pela Warner Bros. Interactive Entertainment. É uma sequência do jogo Middle-earth: Shadow of Mordor de 2014 e foi lançado para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em 10 de outubro de 2017.

Shadow of War foi bem recebido pelos críticos, com elogios com relação ao gameplay e melhorias no sistema de jogo, embora alguns elementos da história e mudanças nos personagens provocaram reações negativas, assim como a inclusão de microtransações.

Estude o inimigo

O exército de Sauron é composto por muitos capitães e seus Uruk’s subordinados. Os subordinados são inimigos mais fracos, que podem ser derrotados facilmente. Já os capitães são Uruk’s promovidos, que possuem poder de ataque e resistência muito maior aos de outros Uruk’s. Não obstante, esses capitães possuem também fraquezas e forças únicas que você precisa saber antes de enfrentá-los.

Ao marcar um capitão, ronde os arredores e procure por documentos que informem mais detalhes dele. Um outro caminho mais fácil de obter tais informações é interrogando delatores. Para saber quem são, basta ativar a visão espectral e procurar pelos inimigos de silhueta verde. Inimigos comuns podem também saber informações sobre os capitães, mas muitas vezes não é o suficiente.

Modo Furtivo

O modo furtivo é a sua melhor tática para se dar bem no começo do jogo. A medida que avança na campanha, você poderá evoluir Talion para lutar bem contra grandes quantidades de inimigos, contudo, no início da campanha é bom evitar o combate contra muitos Uruk’s.

No modo furtivo, Talion pode matar inimigos e se locomover sem ser notado pelos outros. Este modo também é útil quando se deseja despistar inimigos que estão lhe perseguindo. Quando encontrar mato alto, você pode se ocultar nele e atrair inimigos para que os derrote rapidamente.

Evolua ao seu modo

Com elementos RPG muito bem visíveis, em Shadow of Mordor você deverá evoluir Talion para que ele possa melhorar em combate. A cada level evoluído, novos pontos de habilidade serão dados para que você desbloqueie novas habilidades.

A dica aqui é evoluir o guardião no seu modo de jogo. Por exemplo: se você foca no combate corpo a corpo, evolua técnicas de finalização ou de montaria em Caragors; se você prefere ser mais furtivo, melhore seus atributos de dano a distância, morte furtiva e movimentação mais rápida.

Equipe-se bem

Ao derrotar um capitão, lhe é concedido uma Runa para que você possa equipar em sua espada, arco ou adaga. Essa Runa lhe dará vantagem em batalha, como melhorar seu ataque crítico, aumento de energia e/ou velocidade de ataque. Para desbloquear um novo espaço de Runa é necessário gastar Mirians – dinheiro do jogo -, além de precisar ter level mínimo em alguns casos.

Aproveite o jogo

Shadow of Mordor é um jogo com mapas gigantescos, com ricos detalhes e referência a cultura Tolkiana. Há dezenas de missões secundárias para fazer, itens para coletar, vilões para derrotar e conquistas para desbloquear.

Segundo o site How Long to Beat, Shadow of Mordor conta com 11 horas de jogo de campanha principal, e mais oito horas de conteúdo adicional, como Side Quests e desafios. Como se não bastasse, há dezenas de apêndices sobre detalhes sutis da história do jogo, que renderão mais algumas horas de entretenimento.

Cuidado: morrer deixará os inimigos mais fortes

A morte traz consequências mais impactantes do que você imagina em Middle-earth: Shadow of Mordor. Os guerreiros orc da região em que você foi assassinado acabam ficando mais fortes por meio do “sistema de nêmesis”, que acaba promovendo os soldados de baixo escalão e aumentando ainda mais a força dos inimigos mais poderosos.

Não é apenas o adversário que matou Talion que leva o crédito, mas sim todos aqueles que sobreviveram à briga. Portanto, pense duas vezes antes de enfrentar um pelotão de forma despreparada — ou eles vão acabar se tornando uma grande dor de cabeça para você depois de um tempo.

Seja cuidadoso com a sua vida

Há poucas formas de recuperar a vida em Middle-earth: Shadow of Mordor, mas a principal delas é buscar pelas pequenas plantas e ervas que crescem pelos cenários. No entanto, não fique tão confiante ao ver elas reaparecendo pelo mapa, pois dentro das fortalezas elas não irão crescer novamente caso sejam utilizadas.

Cuidado é crucial nessas horas, ou seu destino não será muito agradável.

Corra quando precisar

Se você já passou pela primeira dica, vai se lembrar o quão importante é se manter vivo para não dificultar ainda mais as coisas. Portanto, se sua vida começar a ficar muito baixa, não tenha medo de correr. Seguir para os pontos com ervas para recuperar a saúde talvez seja a opção mais indicada para não encontrar Boromir de uma forma cruel.

É bem provável que os orcs te provoquem pela sua manobra “estratégica”, mas talvez eles não fiquem tão animados assim quando você voltar preparado para uma segunda rodada.

Procure aumentar a sua vida

Ok, já sabemos que a cabeça de Talion é colocada em risco constantemente, então nada mais justo do que aumentar a barra de vida para deixar as batalhas um pouquinho menos perigosas, não?

Em Middle-earth: Shadow of Mordor é possível aumentar alguns atributos coletando Mirian a partir das missões marcadas em branco pelo mapa. Maximizar a vida do nosso protagonista será uma sábia escolha para aguentar as incansáveis hordas de orcs que vão te acompanhar pela Terra Média.

Habilidades de Ranger podem salvar sua pele

Outros upgrades para Talion incluem aprimorar suas habilidades nas classes “Ranger” e “Wraith”. Como a primeira influencia diretamente no seu combate corpo-a-corpo, é bem aconselhável seguir por ela para aumentar seu leque de opções durante as brigas — principalmente no começo do jogo.

Maximizar uma determinada habilidade também é aconselhável para deixar o jogo mais fácil.

Não se preocupe muito com os artefatos

Há pequenas missões em Middle-earth: Shadow of Mordor que consistem em procurar artefatos únicos, garantindo uma quantia bônus de pontos de experiência. Apesar de parecer bem tentador, a XP extra não compensa tanto assim por conta do tempo investido, então só se preocupe com elas se você quiser conhecer um pouco mais sobre a Terra Média.

Fique de olho nas runas amarelas

As armas podem ser aprimoradas por meio de runas especiais para aumentar o dano que você causa ou ainda diminuir o tempo de recarga. No entanto, há uma classe específica de runas que podem chamar muito mais a sua atenção: as “Epic Runes”, que contam com um brilho dourado ao redor delas.

Infelizmente, não espere que seja fácil encontrar por elas, afinal elas só poderão cair de orcs de alto escalão e uruk-hais. Você pode seguir para eles assim que sentir que suas habilidades estão à altura dos desafios, sendo mais aconselhável enfrentá-los depois de desbloquear uma das habilidades que garantem uma qualidade melhor para os itens encontrados.

Cuidado com os caragors

Caragors são animais ferozes que percorrem pelos cenários, mas com o tempo você poderá domesticá-los para que eles te ajudem nas missões. Até lá, tome cuidado para que você não se transforme em uma refeição, ainda mais quando encontrá-los pelos cenários no início do jogo.

Sua presença também pode ser muito estratégica, principalmente quando você conseguir libertar uma dessas feras de uma jaula em meio à um acampamento orc. Deixe que ela faça o trabalho sujo, pelo menos por agora…

Desvie e contra-ataque na hora certa

Middle-earth: Shadow of Mordor apresenta uma mecânica de defesa muito similar a da série Batman Arkham, possibilitando entrar em combate e desferir um golpe fatal mesmo quando o inimigo estiver pronto para atacar.

A possibilidade para isso aparecerá como um comando na cabeça do orc atacante, então é bom praticar para manter a ofensiva sempre presente durante os combates.

Mesmo assim, alguns ataques não podem ser bloqueados ou contra-atacados — então você deverá desviar no tempo certo para não sofrer danos. O esquema continua o mesmo: quando um ataque estiver prestes a ser desferido, um botão aparecerá no adversário informando que o momento de fugir está perto.

Muito cuidado com veneno e armas de longo alcance

Se você for entrar em uma fortaleza, faça questão de matar os arqueiros primeiro, assim não terá que lidar com eles durante toda a expedição. Além disso, é essencial tomar conta contra os ataques venenosos, principalmente vindo de orcs de elite. Evitar estes dois problemas irá manter sua vida fora da área de perigo.

Descubra o medo dos seus inimigos

Alguns orcs deixam marcas verdes depois de morrerem, sendo possível descobrir algumas informações interessantes sobre os inimigos mais poderosos. Eles também revelam o maior temor deles, como medo de fogo, de ser atacado por um caragor ou de ser traído por um guarda-costas.

Assim que você descobrir este ponto fraco, é hora de trabalhar para deixar seu inimigo de frente com esta vulnerabilidade e facilitar o seu trabalho.

Mate os guarda-costas primeiro

Enfrentar um chefe guerreiro é sempre complicado. Além da sua força incrível, ele conta com a ajuda de mais alguns orcs de elite, então sempre tenha cuidado para não acabar cercado e sofrer uma morte com essa situação.

Um meio de superar esse desafio é eliminar primeiro os guarda-costas e aos poucos deixar o combate mais tranquilo. Mas não respire tão levemente assim, afinal o chefe ainda te espera para um difícil confronto.

Esperamos que, depois de tantas dicas, sua aventura pela Terra Média fique um pouco mais fácil — e temos certeza que você conseguirá matar tantos orcs que deixarão um certo anão enciumado pela sua contagem superar a dele.

Retirada estratégica

Embora Talion seja bastante poderoso, até o herói pode ter grandes dificuldades contra vastos números de oponentes – e acreditem em nós, vão ter situações com mais de 10 inimigos ao mesmo tempo. Com um pouco de sorte e habilidade, podem sair vitoriosos até das situações mais complicadas, mas não fiquem cercados. Se pressionarem no botão de desvio podem ganhar alguns metros aos oponentes, e isso oferece a oportunidade para usarem o arco para abaterem rapidamente alguns adversários. Tenham atenção ao cenário, e se virem um barril explosivo, tentem atrair os orcs para perto antes de o rebentarem. Se mesmo assim estiverem em dificuldade, fujam. Podem simplesmente ignorar a situação, ou se quiserem voltar a atacar, esperem por uma oportunidade para atacarem de forma furtiva.

Aproveitem-se do sistema Nemesis

Não entrem cegos numa batalha contra uma personagem do sistema Nemesis. Tentem encontrar um Orc informador, ou outras formas de conseguir informações, para descobrirem as vantagens e desvantagens de cada oponente. Se souberem tirarem vantagem desta informação podem facilitar imenso a vossa tarefa. Com o avançar do jogo vão descobrir que os inimigos têm menos fraquezas para explorarem, mas existe sempre uma maneira. Também é muito importante evitar os pontos fortes do adversário. Se atacarem de uma certa forma podem causar raiva ao inimigo, por exemplo, o que vai dificultar imenso o objetivo. Tenham ainda em atenção o facto de alguns inimigos fugirem, por isso estejam preparados para isso – perder minutos a tentar matar um capitão, para depois o deixar fugir, pode ser muito frustrante.

Esta é a função primária do sistema Nemesis, mas quando começa o segundo ato, terão a hipótese de construir um exército. Vão colocar os vossos capitães em confronto com os adversários do sistema Nemesis, o que também tem os seus pontos de interesse. Também existem novas batalhas em arenas, onde os inimigos lutam entre si. Aprendam as particularidades de cada classe, e aproveitem-se disso mesmo, seja comandando o vosso exército, ou em combate direto.

Dominem as Feras

Com tudo o que há para fazer, é fácil deixar com que a capacidade para usar montadas caia no esquecimento. Podem montar Caragors, Graugs, e Drakes, cada um oferecendo diferentes vantagens estratégicas. Os inimigos do Nemesis têm também atributos relacionados com estas criaturas – alguns ficam furiosos quando vêm um, outros ficam apavorados, e outros dominam-nos. Usem-nos para ganharem vantagem nos combates, mas também como meio de transporte. Os Caragors são rápidos, ideias para cobrirem grandes distâncias, e ainda podem usar flechas quando estão montados. Os Graugs são resistentes e fortes, ideais para combates a curta distância, mas a sua lentidão não os validam como meio de transporte. Os Drakes têm o encanto de voarem, mas são a montada de que gostámos menos. Ainda assim, a perspetiva que oferecem do campo de batalha é fantástica.

Apontem às pernas

Uma flecha em cheio na cabeça é um tiro crítico garantido, mas se acertarem na perna vão ter outras vantagens estratégicas. Se o fizerem, seu oponente vai ficar parado no lugar, exposto para explorarem fraquezas. Isto será particularmente útil contra inimigos Nemesis que não sejam imunes a flechas. Esta tática é também excelente para parar inimigos em fuga que não queiram matar, como os Orcs informadores.

Ao vencedor, os espólios

Para Shadow of War a Monolith remodelou por completo o sistema de espólios (ou loot, se preferirem). Agora vão receber otipos de armas, peças, e gemas durante a aventura, com diferentes graus de raridade e qualidade. Enquanto os itens mais comuns só incluem estatísticas, as variedades rara e épica costumam trazer várias vantagens ou efeitos secundários. O segredo aqui não está em tentar arranjar as melhores armas e descartar as outras, mas antes em guardar armas capazes de causar efeitos diferentes. Como os inimigos têm vários tipos de fraquezas, convém adaptar o armamento e a armadura a preceito.

Outra componente nova são as gemas que podem equipar, itens que normalmente são largados por uns orcs especiais com uma marca branca em cima da sua cabeça. Sempre que virem um destes orcs, tentem matá-lo, porque vão precisar de todas as gemas que conseguirem mais próximo do final do jogo. As gemas mais poderosas podem ter um efeito esmagador no desempenho de Talion, como aumentar o dano causado ou a saúde em 30%, por exemplo. So passadas 30 horas de jogo conseguimos criar a nossa primeira gema de qualidade máxima, o que implica que terão de investir a sério na procura destas gemas. Prestem atenção ao mini-mapa, onde estes Orcs são também identificados por setas brancas.

Habilidades

Perfect Counter: Depois do Execution – que é extremamente útil sem dúvida, procura desbloquear o Perfect Counter bem cedo também. É essencial ao enfrentar hordas de inimigos, ser capaz de os imobilizar tempo suficiente para te focares num Captain ou para aplicar uma execução no chão. Eventualmente esta pode ser melhorada para recuperar ammo ou para matar instantaneamente grunts mais frágeis.

Wraith Chain: Na Predator Skill Tree, terás de desbloquear umas quantas habilidades até chegar à Wraith Chain – mas assim que o conseguires, as missões furtivas serão muito mais simples. Utilizando Focus, podes teleportar a tua forma wraith para inimigos nas redondezas, eliminando múltiplos oponentes em cascata, algo muito útil quando não podemos mesmo ser identificados ou quando queremos invadir uma fortaleza sem ser detetados.

Bird of Prey: Na árvore Ranged praticamente todas as habilidades são úteis, mas de início, a Bird of Prey é a mais importante. Permite-te abrandar o tempo e focar o disparo em pleno ar. Combinado com o Shadow Strider, podes saltar e executar um duplo salto, mudando de direção no enquadramento do teu alvo, antes de abrandar o tempo para desencadear uma chuva de setas num grupo, ou marcar um barril para explodir mesmo antes de aterrares no meio deles e limpar as sobras.

Ice Storm: Na árvore Wraith está uma das habilidades mais úteis para desbloquear desde cedo, Ice Storm. Quando estás a enfrentar demasiados Orcs ou um Captain poderoso, o Ice Storm permite-te congelar um alvo, prendendo-o no mesmo sítio e deixando-o fora da batalha, ou para usar um ataque flurry e acumular might rapidamente.

Call Caragor: Finalmente, a “Skill tree” Mounted é sempre útil para abusar das fraquezas dos inimigos, sendo que nada é mais útil que invocar um Caragor quando a necessidade aperta. Esta habilidade é especialmente adequada quando enfrentamos um Captain que tem medo ou é especialmente sensível a beasts – É inclusive possível invocar um Caragor no interior da sala de um Commander durante o assalto a uma fortaleza.

Não te esqueças de realizar o upgrade à habilidade para invocar outros tipos de beast e capitalizar as fraquezas dos teus oponentes.

Referências:

Game Reactor, Voxel, ING, techtudo, wikipedia.

Monster Hunter: World

Monster Hunter: World é um jogo de ação desenvolvido e publicado pela Capcom. O jogo faz parte da série Monster Hunter, foi lançado em todo o mundo para o PlayStation 4 e Xbox One em janeiro de 2018, com uma versão para o Windows sendo agendada para o final do ano. No jogo, o jogador assume o papel de um Caçador, encarregado de caçar e matar ou atrapalhar monstros que vagam em um dos vários espaços ambientais. Se for bem sucedido, o jogador é recompensado através de pilhais constituídos por partes do monstro e outros elementos que são usados para fabricar armas e armaduras, entre outros equipamentos. O loop principal do jogo faz com que o jogador crie equipamentos adequados para poder caçar monstros mais difíceis, que por sua vez fornecem peças que levam a uma engrenagem mais poderosa. Os jogadores podem caçar sozinhos ou podem caçar em grupos cooperativos de até quatro jogadores através dos serviços on-line do jogo. 

Anunciado na E3 2017, Monster Hunter: World adotou as formulas de seus jogos antigos. Mudanças feitas no Monster Hunter: World inclui a criação de espaços ambientais totalmente conectados e a remoção das “zonas” que eram necessárias nos jogos para o PlayStation 2 e jogos portáteis, inteligência artificial e físicas dos monstros ficou mais avançados para criar ecossistemas aparentemente vivos que poderiam ser aproveitados durante caças, uma experiência cooperativa multiplayer mais persistente e um aprimoramento da interface do usuário do jogo, sistemas de menu e tutoriais para ajudar a trazer novos jogadores para a série. Essas mudanças levaram a Capcom a planejar o lançamento simultâneo do jogo em mercados japoneses e ocidentais, já que Monster Hunter, como uma série, geralmente definiu no Ocidente, em comparação com o Japão em parte devido a horários de lançamento diferentes. A Capcom também optou por apoiar o jogo online entre essas diferentes regiões geográficas por motivos semelhantes. O atraso para o lançamento do Windows foi atribuído à Capcom, procurando garantir que sua primeira incursão no mercado do Windows fosse otimizada para os jogadores nos computadores.

Monster Hunter: World recebeu elogios da crítica após a liberação do jogo, com críticas ao louvar como a Capcom conseguiu tornar o jogo mais acessível aos novos jogadores e aos mercados ocidentais, sem prejudicar os principais elementos da jogabilidade da série e dificuldades divertidas e aproveitar o plenamente capacidade computacional de consoles mais modernos para criar ecossistemas vivos. Dentro de algumas semanas do lançamento, o jogo tornou-se o jogo mais vendido na história da Capcom com mais de seis milhões de cópias enviadas. No momento, já são 7,5 milhões de copias vendidas no mundo todo, nas plataformas Xbox One e Playstation 4.

Novo Mundo

O game tem uma narrativa simples, que leva você por todas as regiões do Novo Mundo e sempre em busca da próxima criatura para abater ou capturar. Essa campanha dura entre 40 e 50 horas de jogo e serve, na prática, como um fio condutor para as suas caçadas e, durante boa parte do tempo, como um grande tutorial, ao longo do qual você ganha confiança nas suas habilidades e entende o que precisa para alcançar seus próprios objetivos – como, por exemplo, obter todos os ingredientes para forjar o conjunto de armadura dos seus sonhos.

Se você não se importa tanto com a história, “Monster Hunter World” pode ser bem divertido, especialmente ao lado de outros jogadores. Há vários pontos do game onde é possível se juntar a um grupo de caçadores ou chamar amigos, desde um lobby online até os painéis com as missões. Em última instância, se precisar de ajuda no meio de uma caçada mais violenta, é possível disparar um pedido de “SOS” e recrutar voluntários de última hora.

Em todo caso, “Monster Hunter World” é um jogo mais divertido para curtir ao lado de amigos em partidas cooperativas. Ainda assim, se você quer se tornar um caçador melhor, seja afiando suas habilidades ou preparando equipamentos superiores, é bom dedicar algumas horas para explorar sozinho as selvas, pântanos e desertos do Novo Mundo.

Pegue todas as pistas de monstros

Em toda missão de caçada, você é levado a pesquisar pistas até encontrar o monstro . São pegadas, arranhões em árvores ou em pedras, muco, penas, etc. Normalmente, basta investigar algumas pistas para achar o monstro, indicadas em verde brilhante. Ao coletar pistas suficientes, eles te indicam a posição do seu alvo.

Mesmo que você ache o monstro que está caçando, não pare de investigar seus rastros. Isso aumenta seu nível de pesquisa, o que pode desbloquear investigações, missões paralelas que garantem pedaços mais raros daquele monstro cujo set de armadura você está querendo completar.

Mantenha um foco

Boa parte do loop de gameplay de Monster Hunter consiste em coletar itens de monstros para montar um set de equipamentos, o que significa que você vai matar a mesma criatura várias vezes. Portanto, não se preocupe em ter todas as armaduras e armas do jogo. Escolha as que você mais gosta ou mais precisa, e mantenha o foco. Há muitos colecionáveis que valem a pena completar no jogo – as armaduras não são um deles.

Coma antes de cada missão

Em Monster Hunter, é possível fazer refeições para aumentar temporariamente seus pontos de vida, ataque e defesa. Você pode fazer isso na cantina, em Astera, ou nos acampamentos em cada um dos locais da missão. Não se esqueça de comer antes de cada missão para garantir pontos extras para seu personagem e seu Amigato.

Quer explorar o mapa? Vá em uma Expedição

A maior parte das missões de Monster Hunter – tanto as Designadas (main quest) quanto as Opcionais -, tem um limite de tempo. Se você não completar no tempo determinado, é obrigado a retornar à base.

Portanto, para explorar com calma os mapas, sua opção é a Expedição, na qual você pode perambular sem limite de tempo. Se você precisa obter itens que não vem de monstros – como pilhas de ossos, minérios, insetos ou plantas -, esse é o melhor jeito de conseguí-los com calma.

Fique de olho no Centro de Recursos

Logo na entrada de Astera, há um “altar” com três personagens. Este é o Centro de Recursos, onde é possível pegar missões paralelas como investigações, caçadas registradas ou entregas. São tarefas simples, como coletar uma quantidade de um item, ou matar um número específico de monstros.

Tudo isso é registrado automaticamente, independentemente se você estiver fazendo a missão ou não, e as recompensas são boas. Portanto, fique sempre de olho no Centro de Recursos.

Aprenda enquanto joga e experimente as armas

Eu apenas diria para não ficar muito vidrado em parar para ler muito sobre como jogar o jogo – nós incluímos tutoriais com vozes que são narradas enquanto você joga, então siga o fluxo inicialmente. Você pode não saber, em parte, o que está fazendo, mas saia e comece a caçar.

Se, por exemplo, você pegar uma arma em particular e a tirou da bainha pela primeira vez, o personagem do tutorial começará a falar em tempo real, lhe dizendo que tipo de arma é essa e o que ela pode fazer, então você realmente pode simplesmente sair pelo mundo e experimentar até encontrar a que melhor serve para você.

Claro, isso se você já não souber, existem 14 tipos de armas, então há muito o que explorar – apenas experimente todas elas, e veja do que você gosta. Se não gostar de uma, não sinta-se mal em deixá-la de lado, apenas experimente a próxima e encontre aquela que melhor funciona com você. E o mais importante, curta o jogo!

Experimente o arco e armas à distância

O que diria para os jogadores intermediários, nosso arco e armas à distância sempre tiveram um pouco de reputação ruim no passado. E nós levamos isso em consideração – se você as experimentou e não conseguiu descobrir o que fazer com elas anteriormente, então eu iria adorar se os jogadores intermediários dessem uma olhada nas armas que podem ter dispensado anteriormente. Os controles foram muito melhorados, especialmente com armas à distância, e elas podem ser uma experiência completamente diferente para eles.

Tente ativar os números opcionais de dano

Para outras ações, existem alguns truques para acelerar as coisas que já haviam antes, que as pessoas podem não ter se acostumado. O fato onde você pode dizer quanto de dano você está causando é um deles – as pessoas querem gostar do jogo, mas não podiam dizer se estavam indo bem ou não, com coisas do tipo: ‘Será que eu estou acertando esse monstro? Isso é efetivo? A cabeça está mas machucada que a calda? Essa arma é melhor que aquela?’.

Nós não queríamos colocar uma barra de vida lá, pois então tudo o que você faria seria observar a barra de vida descer, mas adicionamos – opcionalmente – números de dano. Se você não gostar deles, é possível desligá-los, porém deve ser bem mais fácil de ver agora, ‘Ok, estou causando um bom dano aqui, mas não aqui’, ou ‘a arma A é boa para esse monstro, arma B não aparenta ser eficaz’, e por aí vai. Isso é algo que pode, talvez, ajudar a retificar experiências ruins anteriores.

Experimente o auto-sheathing

Outro elemento semelhante é o auto-sheathing – ele está ativo por padrão, então, novamente, é com você; se você gostar dele, pode mantê-lo, se não gostar, desligue-o. O fato é que você tem dois estados de armas, sheathed (escondidas) e unsheathed (não-escondidas), e existem algumas coisas que você não pode fazer com a arma empunhada, como interagir com itens. Você tem primeiramente que saber guardá-la, e não havia uma forma amigável de dizer: ‘Ei, você não pode fazer isso agora porque sua arma está ativa’. Então, o auto-sheathing quer dizer que enquanto você não estiver ativamente em combate e estiver correndo ou fugindo, após alguns segundos o jogo irá entender que sua arma pode ser guardada com segurança. Isso torna mais fácil poder executar outras ações sem ter que parar para pensar sobre se você está em modo sheath ou não. Acho que esse é outro aspecto do jogo que as pessoas que deixaram de lado no passado ficarão felizes em descobrir que foi melhorado.

Familiarize-se com itens do tipo bomba de fumaça

Há algumas novas coisas que acho que eles vão se acostumar, algumas pequenas novidades – como os itens do tipo bomba de fumaça, que agora são disparadas com a sub-arma Estilingue, para deixá-las mais fáceis de usar, do que apenas jogá-las. Isso é algo novo que você deve se acostumar.

Customize os controles

Contudo, o meu conselho é que você pode customizar os controles bem mais do que você poderia imaginar. Nós demos uma atualizada nos controles para pessoas que estão mais acostumadas no geral, com padrões da indústria para jogos em terceira pessoa – seja correr com um clique do analógico esquerdo ou selecionar itens dessa forma – porém se você não gostar dessa configuração, ou se quiser jogar da maneira mais old school dos diabos e ficar com o que lhe trouxe até aqui, então explore esse modo nas opções.

Temos todos os tipos de coisas, seja para desligar a corrida no analógico esquerdo ou manter o seletor de itens como você quiser, ou até mudar a distância da câmera para deixar as coisas mais parecidas com os jogos anteriores.

Não deixe esses detalhes frustrarem você no início – apenas leve algum tempo e configure as coisas da maneira que preferir e acredito que você terá uma experiência muito mais leve ao pegar o macete das ótimas novidades de jogabilidade que irá descobrir.

Qual arma escolher?

Monster Hunter: World dá ao jogador a possibilidade de escolher entre 14 diferentes armas. E cada uma escolhida agrega uma jogabilidade totalmente diferente da outra. Muita opção pode atrapalhar, especialmente se você nunca jogou nada da série antes. A dica aqui é dar uma passada na Área de Treino e testar todas elas. É só falar com o Amigato, que trabalha como zelador, no seu quarto (há algumas entrada para o cômodo em Astera). No treinamento, você poderá explodir e destruir o que quiser sem custos de munição.

A segunda dica é não tentar jogar com todas as armas de uma vez, especialmente no começo. O interessante é escolher uma ou duas e se especializar nisso. Ao progredir no jogo será possível comprar novas armas e ainda aperfeiçoar as que você já tem. É claro que, para isso, será necessário dinheiro (que você ganha ao completar missões), coletar objetos pelo mundo e caçar monstros, às vezes o mesmo várias e várias vezes na esperança de conseguir aquela gema rara. A propósito, todos os itens que podem ser extraídos de criaturas são aleatórios e você precisará ter muita paciência até que a garra que precisa, por exemplo, apareça. Inclusive, paciência é algo que você irá exercitar muito nesse jogo.

Logo no início do jogo, quando chegar a Astera, você será levado ao seu quarto, onde poderá escolher uma arma. Lá, também existe uma sala de treinamento – para acessar, fale com o Amigato ao lado do baú. Neste local, você aprende o funcionamento básico de cada arma e alguns combos, o que será vital na hora de enfrentar os monstros.

Ao testar todas as armas, você pode descobrir qual delas combina mais com seu estilo de jogo – muitas vezes, pode ser com algum equipamento que você não imaginava.

Não se apegue às armaduras iniciais

O impulso inicial é quase sempre querer aperfeiçoar aquele primeiro ou segundo set de armadura ao máximo, certo? Não faça isso. Mas há uma explicação. Os sets de armaduras são divididos em dois grupos: ranking mais baixo (de raridades 1 a 4) e ranking mais alto (de raridades 5 a 8). Seu foco precisa ser nessa segunda opção, até porque sets de raridade baixa têm limite máximo baixo de aperfeiçoamento.

É claro que para chegar nesse grupo mais alto você precisa progredir na história e, principalmente, sobreviver até lá. A dica é sempre deixar ativa alguma Caçada para ganhar Esferas de Armaduras, itens usados para aperfeiçoar suas vestimentas. Em princípio, aparecerão esferas mais fracas, ideais para dar uma ajudinha na sua armadura inicial, mas use-as com moderação. Elas serão bem mais úteis em equipamentos melhores. Para registrar uma Caçada, basta ir ao Pátio do Comércio (no 1º andar) e ir até o Centro de Recursos. Conforme progredir na campanha, caçadas mais difíceis, e com Esferas de Armaduras mais poderosas, aparecerão.

Para desbloquear novas armaduras é indispensável progredir na campanha principal. No entanto, desbloquear significa apenas tê-la à disposição na Oficina (localizada no 2º andar). Agora é correr atrás dos recursos para forjá-las, além de ter o dinheiro necessário. Novamente, insira o exercício da sua paciência aqui.

Meu caçador não sobe de nível! O que houve?

A progressão de nível clássica, que faz parte da maioria dos jogos ditos ocidentais, onde é necessário matar inimigos e cumprir algumas tarefas para acumular XP (pontos de experiência), só funciona para seu Amigato. Seu personagem progride a partir de um sistema de ranking de caçador.

Em princípio, seu ranking vai subir conforme você progredir na história principal, somente. Não importa quantas vezes você voltar nesse ou naquele monstro para matá-lo ou capturá-lo. Até antes da última batalha da campanha será possível progredir até o nível 15. Assim que derrotar a última criatura, seu ranking será “destravado” e você poderá subir normalmente após completar, com sucesso, um contrato de captura (como missão designada). Para continuando subindo de ranking, será necessário completar missões disponíveis tanto com a Assistente (que geralmente está na Cantina, no 3º andar) quanto em algum dos Quadros de Missões, espalhados por Astera.

Seu Amigato, seu melhor amigo

Monster Hunter: World não se resume apenas à dor e sofrimento para conseguir o set de armas e armaduras dos sonhos. Ao longo de sua árdua jornada, seu principal escudeiro será um Amigato (Palico), Felynos que fizeram um pacto com os caçadores para ajudá-los em batalhas. Não se engane por sua carinha fofa e peluda. Amigatos são destemidos e muito úteis em batalhas, tanto para te ajudar a derrotar monstros quanto coletar itens extras, mas você precisa equipá-los para tal.

Vá até a Oficina e escolha a opção Forjar Equipamento de Amigato. Se você não tiver participado de nenhum evento ainda, como o que liberou a armadura especial de Horizon Zero Dawn para o Amigato, só aparecerá a opção Equipamento Padrão. A lista de armas e armaduras para seu Palico também será atualizada conforme progredir na campanha e você precisará de itens de criaturas para forjá-las. A única diferença aqui é que ao invés de dinheiro, tudo relacionado aos Amigatos é feito com pontos – conseguidos ao terminar missões e outras tarefas com sucesso.

Além de forjar armas e armaduras, é possível escolher o tipo de habilidade especial do seu Palico. Converse com ele, no seu quarto, e escolha a opção Mudar Equipamento de Amigato. Essas habilidades serão desbloqueadas conforme você encontrar outros grupos de diferentes Felynos pelo mapa, que também te ajudarão nas missões. A critério de curiosidade, é possível dispensar seu Amigato, em uma das opções ao conversar com o bichano. A questão é ter o coração gelado de fazer isso.

Leve apenas o necessário em sua bolsa

Existem centenas de recursos, espalhados pelo mapa, que podem ser combinados para criar vários itens. Desde as tradicionais poções de cura a bombas de barril e cápsulas de esterco, você terá à sua disposição inúmeras opções de customização, o que pode te levar a querer carregar tudo de uma vez na sua bolsa. Não faça isso. O espaço do seu inventário é limitado e, dependendo da arma que tiver escolhido, o item que você possivelmente está carregando é inútil e só ocupa espaço. O conselho também vale para os coletores compulsivos: você não precisa pegar vários recursos para munição se está usando uma espada, por exemplo.

A dica é otimizar sua bolsa levando itens já prontos para uso e deixar a maior parte das matérias-primas no seu baú pessoal (que pode ser acessado em vários pontos do mapa, inclusive dentro da sua barraca em missões ativas). Se você já souber o que te espera numa missão (qual monstro vai enfrentar e em que ambiente), priorize levar itens que te ajudarão a sobreviver mais tempo. Se for um contrato de captura de monstro, por exemplo, não deixe de levar alguma armadilha e bombas sedativas; você precisará dele vivo.

A propósito, antes de fazer qualquer missão, não deixe de visitar seu baú e ver se é possível criar novos objetos e, ainda, reabastecer o seu estoque da bolsa. Estar no meio da lava e só aí lembrar que esqueceu de pegar algumas bebidas geladas pode ser tarde demais, por exemplo. Também é interessante marcar os itens que mais usa para produção automática.

Como sobreviver à câmera do jogo nas batalhas

A câmera de ação de Monster Hunter: World, certamente, vai te estressar antes que qualquer monstro o faça. Especialmente se este é seu primeiro contato com algum título da série. Sabendo disso, o próprio jogo te permite fazer ajustes, como focar a mira em todos os monstros ou apenas nos grandes, direção de mira, velocidade da câmera e etc. Para acessar essas configurações, dentro do game, vá em Sistema, Opções, Câmera.

Não há uma fórmula mágica de melhor câmera a se usar. Tudo depende do seu estilo de jogo e até mesmo do tipo de arma que está usando. Vale testar algumas combinações e ver o que mais se adequa ao seu gosto. Ao todo, existem 16 opções de personalização para você. Divirta-se.

Como melhor se preparar para enfrentar um monstro

Além de organizar sua bolsa de itens, como dito anteriormente, antes de enfrentar uma criatura é muito importante saber mais sobre ela. Da primeira vez que encontrar um Anjanath, por exemplo, é bem capaz de você ter que enfrentá-lo às escuras, o que pode significar uma morte quase certa. Mas nem sempre precisa ser assim. A maioria dos monstros deixa rastros (pegadas, mucos, partes do corpo) e, um dos seus trabalhos como caçador, é coletar esses rastros para aprender mais sobre o seu alvo. Quando coletar rastros suficientes será possível visualizar o monstro no mapa.

Lembrando que é importante visitar o Chefe de Ecologia, que fica no Pátio do Comércio, para apresentar suas descobertas e, assim, desbloquear mais informações para o Bestiário. Este catálogo contém informações úteis, como: características dos monstros, habitats, pontos fracos, que efeitos eles sofrem e etc. Quanto mais rastros você coletar, mais informações serão desbloqueadas.

Dica de ouro: antes de sair para uma caçada, não deixe de passar na cantina para comer alguma coisa. Além de se manter mais ativo em batalha, você ainda pode ganhar bônus de comida.

Como conseguir itens para forjar armas e armaduras

Essa é a parte mais adoravelmente sofrida do jogo. O ponto alto do game é caçar monstros, por isso, se quiser aquele set de armadura ou arma de ranking 8 você terá que ir caçar… E muito! Entre no Quadro de Missões e escolha entre publicar ou entrar numa nova missão. Se sua intenção é conseguir algumas partes em específico, a melhor opção são os contratos de Investigações, que além dos itens normais recebidos ao completar a missão com sucesso, também dão matérias-primas extras.

Ativar os tickets diários, recebidos ao entrar no game, antes das missões também aumentam as chances de prêmios recebidos. Há sempre recursos extras que podem ser conseguidos enviando Amigatos para Safaris. Para isso, é só visitar o zelador em seu quarto quando o serviço estiver ativo.

Responder ao SOS de outros jogadores também é interessante, especialmente se filtrar sua busca pelo monstro que está procurando. A partir daí é pura loteria: você pode conseguir o item que precisa de primeira ou ter que refazer a mesma missão várias vezes até conseguir. E se estiver jogando em modo multiplayer, ainda tem o risco de passar quase 50 minutos numa caçada e, por azar, os jogadores excederem o número de desmaios (geralmente são 3) e a missão falhar. Procure não se desesperar. Mantenha o foco, você vai conseguir!

Dica de ouro: sempre que possível, capture um monstro ao invés de matá-lo. Capturas rendem mais itens. Durante a luta, espere aparecer a imagem de uma caveirinha em cima do ícone do monstro no mini mapa, e pare de bater nele (ou você irá matá-lo). Espere até que ele se arraste para o ninho e durma. Coloque uma armadilha bem próximo e, assim que ele cair nela, jogue duas ou três bombas sedativas nele. Também é possível capturar uma criatura antes de ela ir para o ninho, desde que apareça a caveirinha no mini mapa, mas a primeira opção é mais segura.

“It’s dangerous to go alone” (É perigoso ir sozinho)

Como um velhinho aconselhou Link, em The Legend of Zelda, a não enfrentar os perigos que estavam por vir sozinho, a melhor experiência de Monster Hunter: World é mesmo jogar com outras pessoas. Vale ressaltar que, em nenhum momento, o game te obriga a jogar em modo multiplayer. No entanto, por mais que você seja um lobo solitário, dê uma chance ao modo cooperativo. E o motivo é bem simples: cada jogador tem a possibilidade de complementar o outro em alguma estratégia, especialmente tendo 14 tipos de armas diferentes à disposição.

Jogar em grupo também te ajuda a respirar um pouco numa batalha, enquanto a atenção dos monstros está nos outros caçadores. Assim você pode, por exemplo, afiar sua arma, trocar o tipo de munição, beber uma poção, coletar alguma parte da criatura que caiu no chão, ou simplesmente descobrir onde a câmera resolveu focar dessa vez. De qualquer maneira, Monster Hunter: World é uma das experiências online mais satisfatórias dessa geração, basta apenas a Capcom resolver alguns probleminhas de sessões caindo de vez em quando.

Bônus: personalize seu poogie

Isso não vai mudar em absolutamente nada o seu gameplay e nem se encaixaria como uma dica de sobrevivência, mas é necessário ser dito: customize seu porquinho de estimação. Em Astera (o acampamento base do jogo), você verá perambulando pelo Pátio de Comércio um simpático porquinho de pijama.

Brinque com ele e resolva o mini game, que basicamente se resume a apertar um botão, na hora certa, ao final da música. Faça isso toda vez que chegar de uma missão (ou sempre porque ele é fofo). Em algum momento, ele pulará de felicidade e corações aparecerão sobre a cabeça dele. Pegue-o no colo e leve-o para passear no primeiro andar. Ao sentir o controle vibrar na sua mão coloque-o no chão. Seu poogie começará a cavar e pode encontrar itens para seu uso em batalhas, além de roupinhas para ele. Importante: não se esqueça de dar-lhe um nome!

Referências:

The Enemy, Uol, RedBull, Wikipedia, techtudo.

The Elder Scrolls V: Skyrim

The Elder Scrolls V: Skyrim é um RPG eletrônico desenvolvido pela Bethesda Game Studios e publicado pela The Elders Scrolls. É o quinto jogo principal da série The Elder Scrolls, seguindo The Elder Scrolls IV: Oblivion. Foi lançado em 11 de novembro de 2011 para PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows. É o primeiro jogo ocidental da história a receber 40/40 (nota máxima) na conceituada BGS. O Jogo Conseguiu três prêmios no VGA 2011, incluindo melhor jogo do ano.

Os acontecimentos do jogo passam-se duzentos anos depois da, já quase esquecida, crise de Oblivion, no ano 201 da quarta era (4E 201) na província de Skyrim, no norte de Tamriel, e 30 anos após a mais recente Grande Guerra, onde o Aldmeri Dominion e o Império lutaram arduamente, mas que quase extinguiu os humanos de Tamriel, e para evitar tal derrota, acordaram com a Aldmeri Dominion, rendendo duas forças e sujeitando-se as suas exigências.

Skyrim é a terra natal de um povo bravo chamados de Nords (uma raça de humanos) onde além da Grande Guerra, irrompeu uma guerra civil após o assassinato do Alto Rei de Skyrim, Torygg. E diante de todas estas guerras e problemas, a província se encontra dividida: de um lado, os StormCloaks, rebeldes comandados por Ulfric que buscam a independência de Skyrim perante o império; do outro, os Imperiais, militares comandados por Tullius e aliados ao império.

O Enredo

Durante muito tempo, os dragões reinaram no mundo. Escravizavam, eram muito poderosos e viviam em grandes quantidades. Alduin era o líder de todos os dragões e ele, principalmente ele, fazia as barbaridades que fez com os humanos, elfos e outras raças.

Os dragões eram temidos e ninguém tinha a coragem de peitar um dragão ou virar-se contra, até que chegou a era dos Dovahkiins ou Dragonborns (Nascidos dos Dragões). Os Dragonborns eram fortes, tinham maior resistência contra os dragões e isso os fez começar uma revolta contra os gigantes com asas. A imunidade contra os dragões também era parte dos Dovahkiins e isso foi o inicio da decadência de Alduin e sua raça.

Os Dragonborns lutaram, se organizaram e derrotaram Alduin, o que trouxe o fim e a extinção de outros dragões. O mundo se juntou e ajudava os Dovahkiins, o dragões eram caçados com toda força até que aos poucos foram deixando de existir, chegando ao fim da raça.

Centenas de anos depois, algo ocorre. Há rumores de que os dragões estão de volta, Alduin ressurgiu das cinzas como uma fênix e estava pronto para recomeçar a sua vingança e seu massacre contra aqueles que um dia o derrotaram. Ele descontaria toda a sua raiva nas raças e escravizaria-as novamente.

A volta de Alduin trouxe inúmeros problemas, o dragão líder sabia que jamais poderia concretizar os seus planos sozinho e então decidiu reviver todos os dragões que um dia já reinaram com ele, mas Alduin não contava com uma coisa: Ele também teria oponentes à sua altura, o último Dragonborn ainda estava vivo e esse Dragonborn é você, jogador.

O enredo é bom, apesar de não ser mais original ou o melhor enredo. Ele usa aquele clássico roteiro: “A Jornada do Herói”, onde o herói renega o seu papel e depois decide ajudar. Há alguns clichés, mas isso não torna o jogo ruim. O enredo nos traz alguns personagens marcantes, mas a maioria é sem expressão ou você nem sente nada por eles. Para nós da Taverna 42, o enredo tem nota 6,0.

Jogabilidade

No lançamento, a jogabilidade era horrível. O jogo vinha cheio de bugs no sistema e todos tiveram que ser corrigidos. Com o passar dos anos, os bugs foram sumindo e o jogo foi ficando bom. Hoje é quase impossível encontrar quaisquer bugs dentro do game.

Como Skyrim se inspira muito em um RPG de mesa (que é a ideia original dos RPG’s), tem-se no jogo uma liberdade enorme. A liberdade vem desde criar o personagem do 0% a até mesmo se tornar-se um Jarl e decidir o destino de uma vila. Skyrim tem tantas opções que você vai ficar perdido e maravilhado com o mundo.

Há muitas armaduras, muitas espadas, muitas magias e roupagens que vão de deixar maluco. É uma liberdade e uma gama muito alta de variação. O jogo apresentou esse recurso como ninguém na época de seu lançamento e é possível se surpreender com Skyrim até os dias de hoje.

Criação de Personagem

Para começar, a criação de personagem tem inicio na aparência do último Dragonborn. Você pode customizar a aparência inteira do Dovahkiin alterando porte físico, cabelo, sexo, olhos, boca e etc. Após a customização de aparência, você pode nomeá-lo com qualquer nome que quiser e a partir deste momento, ele será conhecido/reconhecido com aquele nome e com aquela aparência.

Árvore de Habilidades, Atributos & Magias

É possível escolher qualquer tipo de habilidade, magia ou atributo para melhorar quando você evoluí o seu nível. Em Skyrim, ao praticar as habilidades você ganha experiência até evoluir o nível de seu personagem e, por fim, gastá-lo nas perícias.

A experiência que o game proporciona é focada na liberdade. O mapa é finito, porém, aberto. Grande parte dele fica disponível a partir do momento em que o tutorial acaba. O jogador tem liberdade para agir como e quando quiser, exceto fazer ações que o desviem da história. Essa liberdade é um elemento recorrente da série Elder Scrolls e tem como grande inspiração os RPG’s de mesa.

Ações básicas não te dão experiência alguma. Há algumas exceções delas, quaisquer ações que o jogador fizer estarão relacionadas com uma ou mais habilidades que irá resultar num ganho de experiência na área da respectiva perícia.

O Dovahkiin se tornará mais proficiente nas ações relacionadas a tal habilidade conforme passa o tempo. A evolução do personagem é quantificada como um aumento no nível da habilidade. Cada acréscimo contribui para que o nível do personagem aumente.

Para cada nível que se alcança, é disponibilizado um ponto que pode ser gasto para obter uma das perícias de alguma das árvores de habilidade. As perícias possuem restrições com base no nível da habilidade que concede ao jogador alguns bônus que são usados em jogo.

As magias são muito variadas. Há mais de 60 tipos de magias diferentes com seus níveis adequados para o jogador, variações de força, gasto de mana e muito mais. Existem seis classificações para magias:

Ilusão: O mago engana o alvo com imagens, sons e modificações no cenário para que pensem que algo está acontecendo. Atravéz de suas mentes, o conjurador ilude e coloca imagens que não existem para enganar.

Conjuração: O mago convoca monstros de outros planos ou teletransporta monstros do próprio mundo como uma conjuração para o lugar que ele está. O monstro também pode ser um clone e não ser o original para evitar riscos de ataque no próprio conjurador. O monstro ficará como aliado do mesmo por um tempo determinado.

Destruição: Magias como estas servem para a destruição total. Elas dão dano massivo e ferem a quem toca. São totalmente letais e são as mais usadas por magos, feiticeiros e etc.

Restauração: Magias de restauração foram criadas inicialmente para a proteção total do conjurador ou do alvo. Elas podem bloquear totalmente o dano físico ou mágico do outro mago. Esse tipo de magia cura, bloqueia e restaura o que o mago quiser e puder.

Alteração: As magias de alteração geralmente são usadas para moldar e mudar a natureza dos objetos e pessoas. Ela altera estados físicos, pode aumentar a resistencia, mudar a propriedade e muito mais. Apesar de interessante, poucos magos a usam em Skyrim.

Encantamentos: Os encantamentos são a capacidade que o conjurador tem de criar propriedades mágicas em objetos. Não são usadas como magias conjuratórias, mas são misturadas a objetos, pessoas e armas/armaduras para ajudar em combates ou facilitar diálogos. Os encantamentos são feitos como rituais em objetos para que o mesmo pegue a propriedade mágica conseguida pelas forças da natureza ou forças negras.

Com essas magias, os magos fazem estragos em Skyrim. É extremamente difícil lutar com um mago sendo um guerreiro quando estiver avançado no jogo. Os magos são ótimos oponentes e suas magias são muito poderosas.

As magias podem ser descobertas lendo livros ou estudando em colégios de magia (como o de Winterhold). É possível combar as magias e deixar algo ainda mais forte. Combar classes com magias é outro costume de muitos jogadores de Skyrim.

Não se perca por aí

Skyrim é realmente um jogo gigantesco e por isso a principal dica é não se perder em seu grande mapa, seja fazendo missões ou apenas vagando por aí. Se você não estiver completando a história principal, fica a seu critério buscar missões em outros locais, mas é sempre bom anotar onde esteve por último e qual direção seguir se estiver perdido.

Qualquer dúvida, você pode consultar sempre um grande mapa, seja no jogo ou pela internet, buscando no Google por termos como “Skyrim Map” ou “Mapa Skyrim”. Você pode até mesmo imprimir uma destas imagens e ir se guiando, marcando por onde já esteve e mais, como um verdadeiro aventureiro medieval.

Se possível, seja um Nord

Se ainda não tiver começado o jogo, vale uma boa dica: dê preferência à raça Nord, que possui uma grande resistência ao tempo frio, mesmo ao “frio mágico”, algo que vai ser bem predominante em muitas regiões do mundo de Skyrim. E, acredite, você vai precisar se proteger do frio.

Além do clima, outra possível ameaça vem dos inimigos, que utilizam Frostbite, capaz de congelar seu personagem (lembra que eles resistem ao dano mágico?). Além da boa resistência, os Nord são uma boa opção para quem está jogando pela primeira vez, por serem bem equilibrados.

O ano do arco e flecha

Muitos jogadores gostam de brincar com o fato de que “2012 é o ano do arco e flecha”. Diversos games foram apresentados com protagonistas que usam este tipo de arma, mas ela é realmente muito útil. Prova disso é que uma das principais dicas de Skyrim é sempre ter o conjunto de arco e flecha nos equipamentos.

Compre ou consiga um assim que puder e tente utilizar sempre com as classes de guerreiros e magos. Guerreiros podem resistir mais a danos que os inimigos possam causar, por isso podem atacar a distância até mesmo quando estiverem mais próximos e os magos podem se proteger atacando de longe com a flecha, já que eles não aguentam muitas pancadas.

Ajuda é sempre bem-vinda

Skyrim te permite ter escudeiros, pessoas que você pode contratar para ser um fiel aliado – seja no campo de batalha ou em tarefas mais básicas, como carregar equipamentos. Assim que possível – e estiver disponível – contrate um e trate-o bem! Nada de matar o escudeiro ou coisa assim (alguns jogadores chegam a matar seus aliados acidentalmente, então tome cuidado mesmo).

Com o escudeiro, procure deixar alguns equipamentos razoáveis para que ele possa usar, como uma coleção completa de proteção (com armadura, luvas, botas, um elmo básico), um arco e flecha, cajado com magia e uma arma de duas mãos com alguma bonificação. Assim, seu escudeiro poderá sobreviver bem por algum tempo e te ajudar nas horas mais preciosas.

O sonho da casa própria

Skyrim é um jogo tão complexo que te permite até mesmo ter uma casa, o que é muito útil! Você pode comprar a sua casa ou construir uma do zero (neste segundo caso é preciso ter uma das expansões do jogo – Hearthfire).

As casas próprias lhe concedem muitas vantagens, como a possibilidade de guardar uma infinidade de equipamentos que não vai usar mais, mas que não quer se desfazer, se proteger de inimigos, criar uma família (com esposa, ou marido, e até filhos) entre outras coisas.

Sempre salvar. SEMPRE!

Em Skyrim você deve seguir sempre o princípio básico de qualquer RPG: salve sempre seu progresso. Seja para continuar mais tarde ou para se proteger de algum eventual erro que possa ocorrer.

Infelizmente, Skyrim é um jogo bom mas também repleto de erros, os chamados bugs, por isso é sempre bom se precaver. Salve sempre seu progresso para evitar que um bug trave seu jogo de forma irreparável, por exemplo, ou para voltar atrás em uma má decisão que você possa ter tomado em algum momento da aventura.

Como pousar um dragão

Os dragões são alguns dos inimigos mais poderosos do mundo de Skyrim, e por isso dão bastante trabalho durante as batalhas, principalmente porque eles voam e são difíceis de se alcançar. Mas há uma estratégia bem básica para pousar um dragão – e assim acertá-lo mais facilmente.

O ideal é se manter em uma área de terreno aberto, sem coberturas ou grandes árvores atrapalhando. Se lutar em áreas fechadas, os monstrengos vão apenas circular sua cabeça e atacar com chamas de fogo que vão lhe consumir a vida. Mantenha a batalha em um campo aberto e fique provocando, atacando com magias de distância, flechas e por aí vai. Logo o dragão vai descer para te chamar para uma briga. A partir daí é só atacar com seus melhores golpes (e se defender, claro) para derrotar o monstro.

Não seja um “gastão”

Os equipamentos de Skyrim são muito importantes, incluindo as armas, mas procure não gastar tanto dinheiro com eles. Guarde seu ouro para ocasiões mais importantes (como comprar uma casa). Muitos vendedores vão querer vender armas logo no início do jogo, mas não dê muita atenção.

Prefira sempre conseguir equipamentos durante as lutas, resgatando de monstros mortos, obtendo ao completar missões e por aí vai. Não espere conseguir bons equipamentos sempre, em todas as batalhas, mas eles eventualmente irão aparecer. Não precisa ter pressa.

Viagem rápida

Skyrim possui um interessante sistema de viagem rápida, que poupa o jogador de precisar andar longas distâncias, mesmo à cavalo. Basta selecionar no mapa os locais por onde já passou e aguardar o carregamento.

Esta função é bem útil, já que poupa tempo e também faz com que você evite encontros inesperados e desnecessários no caminho. Afinal, nada melhor do que evitar passar a pé naquela região recheada de gigantes ameaçadores, certo?

A regra de ouro de Skyrim

Sabe qual é a chamada “regra de ouro de Skyrim”? Sempre jogue em primeira pessoa. O game foi feito para ser jogado desta forma, por isso, não tente utilizar a visão em terceira pessoa – que existe, mas é totalmente opcional.

Digamos que a visão em terceira pessoa do jogo esteja lá por um mero detalhe, ela não é nem um pouco aconselhada, tanto que a jogabilidade fica até desengonçada quando se joga neste modo. Skyrim (e a maioria dos games da produtora Bethesda) foi feito para ser jogado em primeira pessoa, o que lhe concede melhor jogabilidade e um visual ainda mais épico para a aventura medieval.

Raças

High Elves

São conhecidos por Altmer, eles são originários de Summerset e são excelentes mestres da magia. Caso você opte por esta raça, você já iniciará o jogo com 150 pontos de magia, uma ótima melhoria, uma vez que naturalmente se começa com apenas 100 pontos. Possui o poder Highborn e as habilidades Healing, Fury e Flames.

Alteration: +5

Enchanting: +5

Destruction: +5

Illusion: +10

Restoration: +5

Argonians

São seres originários dos pântanos e tem características de réptil. Esta raça não é afetada por doenças, além de pode respirar dentro de água e curar as feridas por tempo de 60 segundos. Possui o poder Histskin e as habilidades Healing e Flames.

Alteration: +5

Light Armor: +5

Lockpicking: +10

Pickpocket: +5

Restoration: +5

Sneak: +5

Bretons

São ótimos magos e mestres da alquimia e possuem uma excelente resistência em luta e uma impressionante força física. Caso você escolha esta raça, terá o poder Dragonskin que tem a função de 50% menos de danos quando receber um ataque com magia.

Alquimia: +5

Alteration: +5

Conjuration: +10

Speech: +5

Illusion: +5

Restoration: +5

Wood Elves

Uma raça muito ágil e astuta e que possui uma capacidade impressionante de conseguir objetos que não são seus, outra grande qualidade é capacidade de se esconder nas sombras. Possui uma grande habilidade com o arco e resistência a venenos e doenças. Ou seja, uma excelente raça para o papel da infiltração.  Tem o poder Command Animal e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: +5

Archery: +10

Light Armor: +5

Pickpocket: +5

Lockpicking: +5

Sneak: +5

Dark Elf

Dominam as magias mais escuras existentes no game, principalmente os feitiços de fogo. Esta raça é oriunda de Morrowind e a sua proximidade com o elemento fogo faz com que esta raça seja 50% mais resistente a ele. Possui o poder Ancestor’s Wrath, e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: 5+

Alteration: +5

Light Armor: +5

Destruction: +10

Illusion: +5

Sneak: +5

Redguards

São ótimos guerreiros e tem uma força física invejável. A sua resistência pode regenerar até 10 vezes mais rápido que qualquer outra raça, além de ter mais resistência aos venenos. Tem o poder Adrenaline Rush e as habilidades Healing e Flames.

Alteration: +5

One-Handed: +10

Archery: +5

Block: +5

Destruction: +5

Smithing: +5

Imperials

São humanos que tem uma alta eloquência e um maior nível de discurso, permitindo que encontre mais ouro. Têm excelente capacidade de convencer os outros, além de ter uma ótima afinidade com a infantaria. Possui o poder Voice of the Emperor e as habilidades Healing e Flames.

One-Handed: +5

Heavy Armor: +5

Block: +5

Destruction: +5

Enchanting: +5

Restoration: +10

Khajiit

Raça com aspecto felino originários de uma província de Elseweyr. Eles possuem a capacidade de ver no escuro, além de serem bem ágeis e inteligentes. Uma excelente escolha para o estilo de jogo baseado no sigilo e na infiltração. Tem o poder Night Eye e as habilidades Healing e Flames.

Alquimia: +5

Archery: +5

One-Handed: +5

Lockpicking: +5

Pickpocket: +5

Sneak: +5

Nord

Raça humana que se diferenciam por seu valor e ferocidade nas batalhas. Eles possuem uma excelente resistência natural para o frio, sendo assim, sofrem menos danos quando são atacados com feitiços de gelo. Tem o poder Battle Cry e as habilidades Healing e Flames.

Two-Handed: +10

One-Handed: +5

Light Armor: +5

Block: +5

Smithing: +5

Speech: +5

Orcs

Esta raça é extremamente feroz e pode alcançar um estado de fúria que deixa um extra de 100% em seu ataque e 50% em sua defesa. Tem o poder Berserker Rage e as habilidades Healing e Flames.

Heavy Armor: +10

One-Handed: +5

Two-Handed: +5

Block: +5

Enchanting: +5

Smithing: +5

A Picareta do Notch — Easter Egg de Minecraft

O mais clássico de todos os segredos de Skyrim, mas que vale uma menção para quem ainda não a encontrou. Viaje até a Garganta do Mundo, a montanha mais alta do game, e escale-a até o topo. Lá você encontrará a Notched Pickaxe cravada em um monte de minério de Malaquita. Essa é uma homenagem ao Minecraft, game criado por Markus “Notch” Persson.

A manha das flechas

Um segredinho obrigatório para qualquer arqueiro. Encontre um NPC que está sempre praticando arquearia contra um alvo e roube suas flechas, trocando-as por uma flecha de alta qualidade. O NPC irá então atirar diversas flechas daquele tipo no alvo, permitindo que você acumule flechas boas de graça.

Livrinho de aventuras

Enquanto se aventura por Skyrim, é fácil esquecer de parar e ler alguns livros. Mas às vezes vale a pena fazer uma pausa para curtir uma boa leitura. O livro Kolb and the Dragon: A book for Nord Boys, é um livrinho no estilo “Escolha sua própria aventura”. Escolha um caminho no final de cada página para saber o que vai acontecer com seu herói. E não vale roubar!

O cavaleiro sem cabeça

Um dos segredos mais assustadores de Skyrim é o cavaleiro sem cabeça que você pode encontrar cavalgando por Skyrim em seu alazão espectral. Ele pode ser difícil de achar, mas se você segui-lo até seu destino final, irá chegar até Hamvir’s Rest para enfrentar uma dezena de mortos-vivos e um caixão com… um crânio dentro.

The Chill: A prisão de Winterhold

The Chill é um dos segredos mais escondidos de Skyrim. Sua localização é fácil de deixar passar, já que ela está na beirada do mapa, passando além do Colégio de Winterhold. Essa caverna é, na verdade, uma prisão para Winterhold com um Frost Atronach que serve como guarda. Você pode ser mandado para a cadeia se for preso por um guarda de Winterhold, mas eu não recomento. Mesmo que você escape, terá que encarar três Frost Atronachs na saída da cadeia.

Picos escondidos de Solstheim

Os próximos segredos dependem da expansão Dragonborn. A ilha de Solstheim disponível nesse DLC tem muito a oferecer, como os quatro montes escondidos que representam os pontos mais altos de sua geografia. Você não encontrará esses locais no seu mapa até alcançar o topo de cada pico, e eles exigem um pouco de habilidade para serem escalados. Mas vale a pena, porque a vista deles é impressionante.

Monte um dragão imortal

O DLC Dragonborn te oferece a oportunidade de montar em dragões, mas de que adianta isso se o monstrão pode morrer? Se você viajar de volta para a Garganta do Mundo após aprender o grito que te permite controlar dragões, você pode conjurar um dragão especial que é um NPC importante, portanto, não pode morrer ou se voltar contra você como outros dragões treinados.

O Ebony Knight

Você precisa atingir o nível 80 antes do Cavaleiro de Ébano aparecer na porta da sua casa com um simples pedido: uma luta até a morte. E ele é bem forte, usando as melhores armas e armaduras do jogo e até mesmo usando seus próprios gritos mágicos! Não tenha vergonha de chamar um amiguinho para a luta… ou até mesmo um dragão.

Aranhas explosivas

O DLC Dragonborn também tem uma pequena área Spider Imbuing Chamber. Após completar White Ridge Barrow na ilha de Solstheim, você irá encontrar um grande dispositivo de fabricação de itens que usa gemas e Albino Spider Pods para criar aranhas explosivas arremessáveis. É isso mesmo o que você leu.

Thu’ums

Os Thu’ums ou Gritos são características de qualquer Dohvakiin. Ao nascer, os Dragonborns tem a características de absorver o poder de dragões e usar como gritos de guerreiro. Os gritos tem vários efeitos e são muito úteis durante o jogo. Há alguns Thu’ums que funcionam como uma espécie de magia como conjuração e alteração, mas são poderes na realidade de Skyrim.

Ao matar um dragão, o Dohvakiin recebe a alma do dragão. Quando ele suga essa alma, ele ganha o grito do dragão que é determinado pelo tipo de dragão. Ao ganhar esse grito, o herói pode usá-lo para o momento que precisar e sem pestanejar.

Gráficos

Originalmente, Skyrim não apresentou os melhores gráficos nem na época. Ele tinha gráficos muito bons, mas já tínhamos jogos superiores como Battlefield 3. Graficamente, o game, para os dias de hoje é ruim e por isso muitos jogadores instalam modificações para melhorias gráficas.

Para a época, os efeitos de iluminação, fumaça, fogo e até mesmo as texturas eram bons. Não deixavam a desejar. Skyrim usa a mesma Engine de “Fallout” 3 e “Fallout: New Vegas”, mas com um polimento e uma dedicação maior no game.

Apesar de toda essa maravilha, os personagens e NPC’s não tem expressões faciais bem trabalhadas. É tudo muito morto e isso tira um pouco da imersão, mas não atrapalha a experiência.

Para nós da Taverna 42, Skyrim tem nota 7,0 no quesito gráfico. Avaliando pela época, o jogo tinha gráficos bons, efeitos bons, não incomodava o jogador e dava para se divertir com esses efeitos.

Trilha Sonora e Sons

Ótima trilha sonora e ótimos sons. Esse sem dúvida é um dos pontos mais fortes de Skyrim. Os sons são muito realistas, o barulho das espadas, as magias, os monstros, o vento, a chuva, tudo é muito bem utilizado e tudo é muito bem colocado.

A trilha sonora inspira o jogador, mas ela aparece melhor em momentos de batalha. Durante as viagens pelo mapas, o game toca músicas calmas e tranquilas. Há instrumentos musicais que são tocados pelos NPC’s do jogo e que podem ser tocador pelo jogador.

Durante as batalhas, a trilha sonora é demais! A inspiração e a adrenalina vem na hora da batalha graças a essa trilha sonora.

Para nós da Taverna 42, a trilha sonora e os sons tem nota 9,0. Inspira o jogador quando precisa, dá uma melhor imersão ao game e é marcante.

O jogo

A jogabilidade é ótima, o sistema de evolução do personagem é bem trabalhado, há uma gama muito alta de magias, espadas armaduras, escudos, roupagens, itens, livros e muito mais do que o mundo de Skyrim tem a oferecer. Hoje em dia, o jogo está ótimo para jogar e não apresenta alguns bugs.

Os controles são bem encaixados, há uma variedade enorme de itens e objetos tanto ativos quanto passivos, há uma quantidade alta de magias, a liberdade de customização e criação é enorme e o caminho que você vai seguir é totalmente livre.

Referências:

Taverna, Palpite Digital, Br Ing, techtudo, wikipedia.