Prey

Prey é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa e sobrevivência desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado mundialmente em 5 de maio de 2017 para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. A história se passa no futuro em uma história alternativa e acompanha Morgan Yu, um pesquisador na estação espacial Talos 1 que precisa combater os alienígenas hostis Typhoon depois deles escaparem de seu confinamento. O jogador tem a sua disposição várias armas, itens e habilidades que lhe permitem combater os alienígenas e explorar o mundo aberto da estação espacial.

O título não tem relação com o jogo Prey de 2006, desenvolvido pela Human Head Studios, sendo considerado uma reimaginação da propriedade intelectual com uma narrativa totalmente nova. Prey 2, uma sequência do jogo original, começou a ser desenvolvida pela Human Head, porém enfrentou diversas dificuldades depois dos direitos terem sido comprados pela Bethesda em 2011, acabando por ser cancelado em 2014. A Arkane assumiu o projeto, porém não usou nenhum trabalho feito anteriormente, apenas incorporando o nome e a temática geral do protagonista ser perseguido por alienígenas. Este Prey foi desenvolvido como um sucessor espiritual de System Shock, oferecendo ao jogador diversos meios de progredir pelo jogo.

Não se deixe enganar pelo fôlego

O fôlego é uma ferramenta que a jogabilidade insere para deixar a experiência mais difícil, limitada e realista. Não se deixe enganar pela barrinha que guia o fôlego do personagem: ele tem mais do que parece. Basta manter sob controle para não gastar tudo de uma vez e não ficar cansado frente a um inimigo.

O fôlego é gasto quando se usa armas de combate corporal ou quando se corre, então não é algo tão constante. Além disso, habilidades e melhorias fazem com que o fôlego seja um problema ainda menor. Basta saber administrar e você não terá problemas com isso ao longo do jogo.

Modifique a sensibilidade do controle

Seja no joystick ou no teclado e mouse, a sensibilidade padrão do controle de Prey é muito alta, tanto na vertical quanto na horizontal. Qualquer “toque” para o lado e o personagem se movimenta de forma bem rápida, mais do que o necessário.

Para deixar a experiência mais dinâmica, vá ao menu de opções do jogo e selecione as modificações de controle. Reduze em um ou dois níveis a sensibilidade e o resultado já vai ser bem mais aceitável do que o padrão.

Jogue com a tela mais clara

Outra dica que envolve as configurações no menu está no brilho padrão do jogo. Se for possível, aumente um pouco um brilho, sem que atrapalhe sua experiência ou prejudique a atmosfera de tensão que Prey carrega.

Isso por um motivo simples: alguns cenários são escuros demais e escondem inimigos, que também são escuros e saem dos cantos mais inesperados. É claro que usar a lanterna é uma altetnativa, mas ela tem bateria escassa e demora para recarregar. Vá ao menu de configurações e tente aumentar um pouco o brilho, mas só um pouco.

Salve o jogo sempre que possível

Essa dica parece óbvia, até por conta de o jogo ter um sistema de salvamento semiautomático, mas acredite, não é tão óbvia quanto parece. No meio da tensão e da ação, o jogador pode esquecer de salvar facilmente e morrer, obrigando-o a retornar muito no cenário – e você vai morrer bastante, dada a dificuldade do game.

O salvamento pode ser feito no menu básico de pause do jogo, mas não pode ser feito duas vezes seguidas. A principal dica é salvar em “salas seguras”, locais onde você sabe que não há inimigos e onde se pode parar para respirar um pouco.

Não atire tanto

Como em todo jogo de terror e tensão, em Prey a munição é escassa, mais do que se imagina, já que algumas armas nem mesmo usam balas. Algumas você vai encontrar pelo caminho, enquanto outras podem servir como tiros rápidos, apenas para desacelerar inimigos.

As armas funcionam mais como ferramentas do que como itens de destruição, com exceção de uma ou outra. Por isso, use-as sempre com inteligência, sem ficar com o dedo pressionado direto no botão de tiro.

Gaste bem os Neuromods

Os Neuromods permitem que o personagem principal seja melhorado, mas também define quanto menos humano ele fica, ao longo das modificações genéticas que entram no seu corpo. Porém, a principal dica é que você economize os Neuromods que conseguir no início da aventura.

Gastar os Neuromods no início pode ser um grande desperdício, principalmente porque ganhamos eles em muita quantidade nas primeiras horas de jogo, quando ainda não temos muitas ameaças. Tenha paciência que, pouco depois disso, eles serão mais valiosos e mais uteis. Junte-os para gastar melhor depois desse período.

Gloo: a melhor arma

A arma Gloo é uma das melhores e mais uteis do jogo – e ela não mata inimigos, ao menos não sozinha. A Gloo serve para paralisar alvos por um determinado tempo, ou no mínimo reduz seu avanço e permite uma escapada rápida. O ideal com a Gloo é imobilizar inimigos para depois usar uma arma mais pesada e abatê-los com apenas um tiro.

Não ignore os corpos

Os humanos vivos em Prey são poucos. A maioria que você vai encontrar estão mortos ou morrendo. Não deixe de parar por alguns segundos e coletar os itens de cada um deles, pode-se surpreender com o que será encontrado.

Para vasculhar os itens, pressione o botão de ação próximo dos corpos. É possível coletar tudo de uma vez ou só os itens que desejar, dado o espaço disponível na bagagem do personagem. O importante é nunca deixar nada útil passar – e são muitos os itens úteis, seja para reparo da armadura ou para melhorar o personagem.

Vasculhe absolutamente tudo

Quando digo para vasculhar tudo, é literalmente tudo que é possível interagir no cenário, desde lixeiras a armários e gaveteiros. Muitas vezes há itens valiosos como kits médicos, munição de escopeta e kits de reparo do traje em locais que você menos espera. Até mesmo itens mais comuns como qualquer tipo de comida ou materiais que você poderá reciclar mais tarde podem ser um mão na roda.

Além disso, esses containers podem servir de armazém pessoal caso seu inventário esteja relativamente cheio e você está longe de uma máquina recicladora. Só não esqueça em qual móvel deixou seus itens!

Vidros foram feitos para serem quebrados

Ao longo de Prey você encontrará grandes painéis de vidro, intitulados Looking Glass. Neles, você verá vídeos importantes para a trama, mas depois que assisti-los, é uma boa ideia quebrar essa superfície com sua fiel chave inglesa, pois muitas vezes há caminhos e salas escondidas por detrás. Sabe-se lá que tipo de cofre você pode encontrar, não é?

E não se preocupe em não poder mais assistir aos vídeos, pois é possível reparar os painéis, normalmente utilizando comandos em um PC próximo.

Recicle armas também

Além de mandar para o reciclador todas as tralhas que achar pela Talos I, é possível também colocar armas sobressalentes na máquina, resultando em materiais. Toda vez que encontra mais um Canhão Gloo dando sopa por aí, saiba que pode ser uma excelente ideia reservar um espaço no seu inventário para reciclá-lo depois.

Isso é especialmente efetivo pois a maioria das armas resulta em materiais minerais, utilizados na confecção de kits médicos, munição e Neuromods — ou seja, algo que você vai usar bastante.

Torretas são suas amigas

Diferente de Portal, em Prey as torretas são aliadas valiosas, especialmente no início do jogo. Sim, vale muito a pena carregar uma delas para novos ambientes que, muito provavelmente, estarão repletos de mímicos e outros inimigos. Elas atiram automaticamente em qualquer alienígena em seu campo de visão e, muitas vezes, podem limpar uma sala inteira sozinhas.

Mais tarde no game, elas passam a ser menos efetivas conforme você descobre e enfrenta tipos diferentes de aliens, mas em grandes quantidades ainda podem ser muito úteis. Em determinados pontos, elas serão inimigas, caso estejam sob controle de um Tecnopata.

Leia todos os emails

Se você é como eu e não suporta ver sua caixa de entrada com emails não lidos, essa dica é redundante. Mas saiba que inspecionar cada estação de trabalho e cada computador da Talos I pode resultar na obtenção de senhas para cofres ou portas.

É importante vasculhar tudo para adquirir senhas e também novas missões opcionais. Eu recomendaria que você lesse os emails, pois há histórias e anedotas interessantes sobre o dia-a-dia da Talos I.

Priorize habilidades que auxiliem na exploração

É completamente entendível dar prioridade ao combate, principalmente num jogo em que os inimigos aparentam ser muito mais fortes que você e podem se esconder em qualquer lugar. Porém, em função de ficar mais forte, a exploração é imprescindível.

Ao encontrar os primeiros Neuromods – pequenos aparelhos oculares que injetam agulhas diretamente no seu cérebro; funcionam como os pontos de experiência em Prey – você se depará, inicialmente, com três variações da sua árvore de habilidades. Nessas habilidades, há três essenciais que, caso opte pela exploração extensiva, são essenciais:

Hacking: acessar computadores e portas trancadas sem senhas e cartões de acesso pode ser a coisa mais útil e aliviante de se fazer em Prey. Para ter esse tipo de acessibilidade, será necessário investir na habilidade de hacking – com ela, como dito acima, você poderá acessar computadores (ler emails, autorizar acessos etc) e abrir portas trancadas com senhas que podem te levar a recompensas e recursos interessantes.

Repair: como o nome sugere, essa habilidade te auxiliará a consertar máquinas de craft, computadores e portas eletrônicas no geral. Ao consertar esse tipo de equipamento, você conseguirá ter acesso aos objetivos de sidequests – sendo que algumas dependem exclusivamente dessa habilidade para serem concluídas.

Leverage: talvez a mais útil dessas três, essa habilidade concede uma espécie de ”super força” ao protagonista, sendo possível levantar itens pesados para criar passagens, abrir atalhos, descobrir lugares secretos, abrir portas emperradas e usar itens do cenário como armas.

Lembre-se que com a exploração você poderá posteriormente investir em habilidades que te deixam mais poderoso, deixando tudo mais fácil.

Desbloqueie a habilidade “Mimic” assim que possível

No começo do jogo, você estará limitado apenas a habilidades humanas (skills azuis). Prosseguindo na história e fazendo missões principais, Morgan vai ter acesso às skills dos aliens abordo da estação espacial, os Typhons. E a primeira habilidade essencial dessa nova árvore na variação “Morph” é a skill Mimic.

Usando o Mimic você é capaz de se transformar em objetos do cenário, desde uma caneca a um rolo de papel higiênico. Sabe aquela porta barricada que tem apenas um espacinho de baixo? Se transforme numa banana e passe por de baixo. Essa habilidade será um complemento do seu potencial de exploração, te deixando ainda mais livre para encontrar segredos no jogo.

Desligue o marcador da missão principal

Não sei se enfatizei isso o bastante, mas Prey é um jogo de exploração. Por mais tentador que seja seguir na história e desvendar os segredos da Talos I e os envolvidos no incidente na estação, se faça um favor e desligue o indicador da missão principal. Dessa forma você ficará menos preso a um único objetivo e mais a vontade para explorar melhor áreas que você não esteve e/ou explorou pouco.

Graça ao bom senso dos desenvolvedores, isso pode ser feito facilmente indo no menu de Objetivos e simplesmente desmarcando o indicador principal da missão.

No combate vale tudo

Quando eu digo tudo, é exatamente isso o que quer dizer. Ou quase tudo. Vários inimigos – principalmente os que aparecem mais para frente – podem ser um desafio que beira a frustração se você ligar o modo “automático” de simplesmente correr pra cima deles e apertar o botão de atirar. Além de gastar bala à toa, a eficiência desse combate simplório vai te deixar na mão muitas vezes.

Combine seus poderes, explore a possibilidade das suas armas e do ambiente. Cada área da estação possui algo que você pode usar como arma ou combinar para realizar execuções poderosas: arremessar móveis, eletrônicos e tudo que achar pela frente nos inimigos – quanto mais pesado o objeto, mais dano irá causar. Imobilize primeiro os inimigos com a Gloo Canon e bata neles com sua wrench, e assim por diante. A imaginação é o limite.

A dificuldade padrão é o bastante

Esse tópico pode ser um pouco polêmico – principalmente caso se considere como um ótimo jogador de FPS e adora um desafio. Dificuldades mais altas parecem ser tentadoras e um padrão para esses jogadores, mas eu aconselharia tomar um pouco mais de cuidado aqui. Prey não é o típico run and gun como Doom, e sim um jogo onde o racionamento de recursos e tomada de decisão são fatores cruciais.

No início da sua jornada é onde as coisas são mais difíceis. Sem poderes alienígenas, sem armas com upgrades, sem saber no que investir e inventário limitado. Os inimigos batem forte e muitas vezes correr vai ser a opção mais sensata, então, não se acanhe de começar o jogo na dificuldade padrão. Quando você se sentir mais familiar, dificuldades mais altas (inclusive a dificuldade Nightmare) são desafios a serem considerados.

Toda a abertura

Claro, que a gente tá dando uma roubadinha com essa dica, mas a sequência de abertura espetacular de Prey como já é suficiente para te deixar vidrado no jogo. Como um novo funcionário da TranStar Corporation, Morgan Yu te leva por um passeio de helicóptero através de uma deslumbrante paisagem urbana com o objetivo de passar por testes de rotina em uma instalação operada por seu irmão.

Mas como você bem sabe, a “rotina” não é bem uma garantia duradoura, e logo a própria natureza da vida e da memória de Morgan é posta em questão. A Arkane criou essa sequência inteira com bastante cuidado, introduzindo uma variedade de features para a mecânica do jogo, enquanto preparava um cenário para uma história arrebatador.

Até o mapa aberto tem informações importantes para você

A história ambiental é uma ferramenta inestimável para desenvolvedores de games, e a equipe da Arkane tem alavancou esse features ainda mais em sua recente campanha. Morgan pode invadir terminais e ler segmentos de e-mail privados que revelam eventos-chave na catástrofe da estação espacial Talos I. O museu da estação esboça a história da construção, completa ainda com iluminação dramática e placas iluminadas.

Até mesmo os próprios corpos, congelados e retorcidos em agonia, ajudam a criar a terrível história de TranStar e o que está em jogo logo ali na Terra.

Construa suas próprias plataformas (BYOP)

A dica do gameplay de Prey? Empoderar você com tantas escolhas quanto possível. Essa filosofia é exemplificada no GLOO Cannon, um dispositivo que aciona uma cola de rápida expansão. Você pode usar isso para desacelerar os inimigos e diminuir a distância de um ataque corpo a corpo ou para construir plataformas até áreas difíceis de alcançar. Ou você também pode ignorar o Cannon completamente.

Só depende de você

0451

A lendária sequência numérica já vista em títulos como System Shock, Deus Ex, e inúmeros outros é totalmente mostrada aqui no game. Prey se inspira em seus antecessores.

Os imitadores

Talos I está sendo consumido por uma infestação alienígena Typhon. Essas ameaças perigosas e fantasmagóricas assumem muitas formas. Literalmente. O Imitador, uma pequena criatura com velocidade assustadora, pode assumir a forma de quase qualquer objeto na estação. Agora cada caneca descartada ou objeto pequeno poderia ser algum perigo disfarçado.

Morgan, como você ainda vai descobrir, pode destravar essas habilidades… mas tudo tem seu preço.

Economize Neuromods para comprar as skills certas

Essa é bem subjetiva, mas vai te ajudar a aguentar mais facilmente o tranco do game depois de um tempo. Como havia dito, é necessário sim que você colete muita coisa no jogo e, também, se comportar como um urubu carniceiro checando todo bendito cadáver que aparecer no caminho para coletar itens melhores. Primeiro, invista na skill Necrópsia. Com ela, você coletará ainda mais material exótico dos Typhons que detonar pelo seu caminho te ajudando a fabricar bons itens sem se preocupar em esgotar esse material rapidamente. A outra skill recomendada para dedicar seus preciosos neuromods é a de expansão de inventário. Novamente isso tudo é relacionado com a dica anterior.

Há jeitos melhores de tirar itens pesados do seu caminho

Mais uma vez, Prey insiste que o jogador pense fora da caixinha. Não serão raras as vezes que você se deparará com objetos pesados que impedirão seu percurso em algum momento. O jeito mais óbvio e contraindicado é queimar neuromods para comprar a skill de força física. Porém, é bem mais inteligente usar as ferramentas que o cenário te oferece. Há diversos explosivos espalhados na Talos-1. Portanto, use-os a seu favor. Leve esses objetos perto das coisas que barram o caminho e simplesmente meta um tiro para explodir tudo. Te livrará dor de cabeça e ainda te permite comprar habilidades melhores.

Use as benditas Torretas

Facilmente outra habilidade que indico para melhorar sempre que possível é a de hacking. Como disse, Prey é difícil (às vezes, desnecessariamente difícil), mas há as boas maneiras de contornar essa característica ingrata ao gamer casual: as torretas. Seja as terrestres ou os robôs aéreos que te caçam na primeira olhada, o jeito é hacker tudo o que for possível. Esses pequenos robôs voadores te ajudarão em pouco tempo a limpar o cenário já que vagam incessantemente por aí. Já as torretas terrestres, é bom transportá-las para locais que você sabe que encontrará inimigos mais poderosos.

Também é só seguir uma receita de bolo. Posicione suas torretas em locais estratégicos, já seguros. Depois, atraia seus inimigos até a sala com os robôs e os congele com o Canhão Gloo, Voiláa! Desse modo você consegue se livrar de muitos Fantasmas rapidamente a quase nenhum custo de esforço. Lembre-se sempre de levar ao menos uma enquanto perambula pela Talos-1 principalmente em áreas grandes como o Lobby que sempre terão inimigos novos te aguardando.

É importante ressaltar isso porque muitos jogadores podem subestimar o desafio que eles oferecem. Acredite, essas criaturas são pequenas, rápidas e, quando em grupos de 3 ou 4, conseguem te matar rapidinho. Portanto, fique atento. Ao desconfiar de um objeto, já prepare o Canhão Gloo para congelá-lo (ao menor contato, é revelado se é um alien ou não). Caso for, prepare sua chave inglesa ou 9mm é acabe com a raça do maldito.

Referências:

Nos Bastidores, Jogazera, Blog Playstation, Br Ing, wikipedia, techtudo.

Deixe seu comentário: