Ori and the Will of the Wisps

Ori and the Will of the Wisps é um jogo eletrônico metroidvania de aventura e plataforma desenvolvido pela Moon Studios e publicado pela Xbox Game Studios Europe para Xbox One e Windows 10. É a sequência de Ori and the Blind Forest e foi lançado em 11 de março de 2020.

Jogabilidade

Os jogadores assumem o controle de Ori, um espírito guardião branco. Para progredir no jogo, os jogadores têm a tarefa de se mover entre plataformas e resolver quebra-cabeças. Diferente de Ori and the Blind Forest, Will of the Wisps parece confiar em salvamentos automáticos em vez de em links alma colocados manualmente, e o sistema de atualização sequencial do primeiro título foi abandonado por um sistema de fragmentos mais parecido com os encantos de Hollow Knight.

Não tenha medo de morrer

Uma das dicas que é muito importante para Ori and the Will of the Wisps é que você irá morrer muito, mas não precisa se desesperar por isso. A morte no jogo é mais educativa do que punitiva. Ou seja, aprenda com seus erros.

E essa dica fica ainda mais importante nos chefões que são muito difíceis e possuem mais de uma fase.

Saiba a hora de insistir e de desistir

Muitas vezes você irá se deparar com desafios que não sabe se poderá ou não avançar. Ao longo do jogo você ganhará inúmeras habilidades que te ajudarão a passar de certos pontos. Então sempre analise cada desafio e veja se tem ou não tem as habilidades necessárias para passar daquele ponto.

Ao longo de minha experiência com o jogo existiam desafios realmente difíceis que eu fiquei 10/20 minutos para conseguir passar, mas em outros casos, era impossível no momento.

Use seus inimigos como estilingue

Dentre as dicas de Ori and the Will of the Wisps essa talvez seja a mais importante. Uma das primeiras habilidades que você conseguirá, é a possibilidade de utilizar tanto os inimigos somo seus projéteis como um estilingue.

Você pode utilizar eles de três modos: O primeiro é para escalar para chegar a novos pontos. O segundo é devolver esse projétil contra eles. Já o último modo é direcionar esse projétil para destruir algum tipo de barreira.

Você ficará surpreso com o uso dessa mecânica e o quanto conseguirá avançar com ela. E claro, a lógica se aplica na água também.

Fale com todos NPC’s

Algo muito legal no jogo é que ele traz muitos NPC’s. Sempre que passar por eles, perca alguns segundos e fale com eles! Muitos deles irão te apontar dicas e rumores que darão acesso a novas áreas ou desafios. Além disso, você tem uma missão contínua no melhor estilo point and click. Ao longo do jogo você ficará trocando inúmeros itens.

Ori é Metroidvania, explore tudo

Ori and the Will of the Wisps é um jogo de plataforma no estilo Metroidvania, ou seja, 100% do mapa é explorável e muitas vezes será possível voltar e pegar novos itens e habilidades. Então após matar algum chefão ou pegar alguma habilidade principal, volte e de um passeio no mapa.

Com os itens certos será possível evoluir tanto Ori como todo o mundo a sua volta.

Ori mais ativo

Uma das principais modificações deste novo game é que o nosso protagonista agora possui armas. Se em Ori and the Blind Forest, era o espírito da floresta que atacava os inimigos, agora o personagem tem suas próprias armas, como espadas e arco-e-flecha.

De cara, isso faz o personagem muito mais ágil e empoderado. No primeiro game, era comum que se mantivesse certa distância dos adversários para combatê-los. Em Will of the Wisps, não; a ideia é que você realmente vá para cima com tudo.

Carrossel de habilidades

Este e o primeiro ponto estão, de certa forma, interligados. Ori tem muito mais habilidades que tinha no primeiro game da série. Para ter botão para tudo isso no controle, o Moon Studios, desenvolvedor do jogo, adicionou um carrossel de fácil acesso.

Assim, é possível designar 3 habilidades diferentes para os botões Y, X e A no controle, permitindo também ao jogador escolher o posicionamento que preferir para cada uma das habilidades.

Mapa mais recheado

Ori and the Will of the Wisps é um game muito maior que sua primeira versão. De acordo com os desenvolvedores, é possível colocar toda a área de Blind Forest em apenas uma secção deste novo título. Seu mapa é pelo menos três vezes maior que o do game original.

Por conta disso, ele também é mais completo. Agora, há outros animais vivendo na floresta e que trocam informações com Ori. Em uma área aberta do game, há inclusive uma vila em construção com vários outros personagens que vendem itens, habilidades e oferecem missões secundárias.

Mecânica de save

Uma das características mais icônicas do primeiro jogo era a possibilidade de criar um checkpoint em qualquer lugar, gastando um ponto de espírito para isso. A função dava um dinamismo bem especial para Ori, mas não está nesta continuação.

Segundo os desenvolvedores, o motivo é que, embora diferente, a mecânica não foi bem aceita pelos jogadores. Como cabia ao usuário sempre salvar o próprio jogo, não era incomum esquecer desse ponto e ter de voltar para um ponto muito distante quando se morria. De acordo com os desenvolvedores, isso gerava uma certa frustração que eles queriam evitar.

Com isso, agora o game cria checkpoints automáticos antes de grandes ameaças.

Itens passivos

Uma última nova característica de Ori and the Will of the Wisps são as habilidades que seu personagem pode ter com fragmentos encontrados e comprados. De forma muito semelhante aos pingentes de Hollow Knight, o jogador pode equipar três diferentes de uma lista de dezenas.

Eles oferecem habilidades passivas tais quais um ponto a mais de vida, fazendo com que inimigos derrubem mais dinheiro ou deem mais ataque e defesa a Ori. Como o personagem tem uma mecânica de batalha mais complexa, esse elemento cria uma camada a mais para a aventura, permitindo que você refine sua gameplay.

Ache o Ímã no início da jornada

Logo no início da aventura, você terá a chance de encontrar a sua primeira habilidade passiva, o Ímã. Ela é a responsável por atrair os orbs derrubados pelos inimigos derrotados, que de outra forma se comportam como bolas e podem cair em áreas inalcançáveis, como espinhos ou água venenosa.

Durante a exploração de boa parte do jogo, o Ímã vai estar sempre na sua lista de habilidades, então não deixe de procurá-lo, ou terá dor de cabeça para conseguir os prêmios por derrotar os seres da floresta.

Procure portais

O mapa de Ori and the Willl of the Wisps é massivo, com dezenas de caminhos para serem tomados e muitas áreas para serem exploradas. Embora o Ori seja rápido e com algumas habilidades consiga cortar mapas em questão de minutos, ir de uma ponta a outra do mapa é cansativo e pode minar sua vontade de explorar. Para isso existem os portais.

Normalmente, cada região do jogo possui o seu portal, que serve para curar a sua vida antes de batalhar com um chefe e também para se teletransportar. Se não encontrou o portal do local onde você está, procure um pouquinho mais porque vale a pena.

Faça builds para cada situação

As habilidades passivas podem ser trocadas a todo o momento, o que abre um leque de opções para lidar com cada situação que o jogo oferece. Enfrentar os desafios de um altar de combate, por exemplo, exige apenas foco nas habilidades que te auxiliam enquanto luta. Já os desafios de corrida exigem habilidades de travessia.

Tendo isso em mente, alterne a sua build para cada situação e até mesmo para cada região. Existem habilidades que garantem dano extra em inimigos voadores, ideal para lidar com mosquitos e abelhas gigantes. Há habilidades específicas para orbs, o que aumenta o número deles derrubado por inimigos. Dá para fazer uma build inteira focada no ganho dessas bolinhas se for seu foco no momento. E claro, existem diversas habilidades que ajudam a explorar o mundo e superar os desafios de plataforma, desde as que grudam em paredes até as que garantem um terceiro pulo no ar.

O mesmo vale para as habilidades ativas, que podem ser trocadas até mesmo durante o combate. Ao surgir novos inimigos, troque para o arco ou para a recuperação de vida. É possível inflamar os adversários ou usar uma corda de energia para chegar até eles.

Para ter um bom estoque de opções, compre mais habilidades no hub do jogo e invista na melhoria das que você utiliza mais. Para poder usar usar mais habilidades passivas, complete os cinco altares de batalha, que garantem um espaço extra cada. Misture as habilidades para descobrir novas possibilidades e coloque na receita as ativas que você também encontra pelo mapa, o resultado será muito mais eficiência e também diversão.

Escolha o Domínio de Baur primeiro

Após a primeira parte do jogo, você poderá escolher uma das três próximas regiões para explorar e completar o objetivo da aventura. Dentre as escolhas, existe uma ordem que vai garantir bem menos dor de cabeça.

A sua escolha mais sensata será ir para Domínio de Baur primeiro. Além dele não ser o mais difícil dos três, a habilidade conseguida aqui ajuda bastante em outra região, Lagos de Luma. O Pântano Tinteiro pode ficar por último por conta da dificuldade. Completando as outras duas, você chegará lá bem mais preparado.

Algumas habilidades são essenciais

Algumas habilidades vão te ajudar bastante a progredir no jogo sem ter dores de cabeça. Dentre os principais desafios do jogo, as plataformas são as que no fim mais exigem, mesmo com o combate cheio de inimigos perigosos.

Para conseguir atravessar a maior parte dos locais sem ficar escorregando pelas paredes, uma habilidade passiva importante é o Grudento (Sticky Shard). Com ela você faz o que o nome diz, literalmente vai grudar nas paredes. Ter um tempo para pensar entre uma sessão e outra de pulos é essencial e grudar em alguns locais significa mais precisão e menos repetição.

Outra habilidade essencial que você pode conseguir é respirar embaixo d’água. Essa habilidade pode ser conseguida por apenas 500 orbs no hub do jogo, aquela cidade que você ajuda a restaurar utilizando fragmentos. Procure o NPC que parece um mago de chapéu azul e compre a habilidade chamada Sopro de Água.

O pulo triplo, conseguido no mesmo local da respiração embaixo d’água, custa caro, mais de dois mil orbs, mas compensa demais. Deve ser, inclusive, uma das primeiras compras que você vai fazer. Ele abre um leque de novos locais para explorar e vai facilitar muito a encontrar as melhorias de vida e energia, essenciais para o combate.

Entre as ativas, as armas são as mais importantes, já que abrem novas possibilidades de luta. O martelo é o mais importante das compráveis, já que vai facilitar demais a vida na hora de combater os inimigos com armaduras pesadas.

Competências

À medida que avançamos no jogo, descobrimos que as habilidades com cogumelos de maior prioridade, entre elas estão o salto duplo, o equilíbrio da parede, o golpe e muito mais, a maioria delas será automática, quando obtida, absorvendo o À luz das árvores antigas, podemos usá-las instantaneamente pressionando A duas vezes para o salto duplo ou a RB correr, mas em outras, como a do nosso ataque principal, será necessário fazê-lo manualmente, anexando-o a um botão correspondente. pressione o gatilho direito para acessar o menu de habilidades, depois mova a alavanca para escolher a que deseja equipar e pressione para ativar.

Compre mapas, faça missões secundárias

O universo de Ori está maior do que nunca. Em Will of the Wisps você vai encontrar missões secundárias aos montes, espalhadas pelas enormes regiões do mapa. Para conseguir explorar cada lugar e não deixar nada para trás, sempre encontre o vendedor de mapas, chamado Lupo. Esse carinha desbloqueia todo o desenho da região, incluindo as áreas que você não visitou. Elas ficarão em cinza, só esperando você passar pulando pelas plataformas em busca das recompensas.

No hub do jogo você também pode encontrar o Lupo e comprar as marcações para itens importantes. Por dois mil orbs, por exemplo, você pode revelar a localização de todas as melhorias de vida espalhadas pela floresta.

Durante a exploração você também encontrará as missões secundárias. Fazê-las é altamente recomendável, já que garantem itens únicos e ótimas recompensas. Se encontrar NPCs pelo caminho, converse com eles. Alguns contam rumores que levam para locais escondidos, como os desafios de corrida ou combate.

O caminho da história é seu amigo desde o início

Enquanto algumas missões secundárias lhe proporcionam melhorias ou até outras habilidades únicas, o núcleo da principal progressão do jogo permanece em seu caminho principal. Você ganhará as habilidades necessárias para encontrar essas missões secundárias igualmente, tornando-as essenciais. Você não precisa apressar o jogo, mas pelo menos no primeiro trimestre, recomendamos evitar qualquer um dos bandidos (é assim que os chamamos, profissionalmente) e focar no caminho principal. Se fizer isso, você terminará com Spirit Edge , Double-Jump e Dash – todos os quais serão necessários a partir de um nível básico para começar a acessar diferentes partes de cada bioma.

Não há problema em cultivar Spirit Light

Depois de abrir a capacidade de Fast Travel , uma das suas melhores apostas para se armar com habilidades e habilidades é ganhar Spirit Light – essa é a economia do jogo que você gastará com amistosos em todo o mundo. As fontes de luz espiritual reaparecem em cada viagem rápida e, muitas vezes, no próprio mundo, se você estiver longe delas por tempo suficiente. É caro comprar as coisas que você precisa em Ori e na Vontade dos Wisps, mesmo que todo mundo esteja contando com você para ajudá-los, então é melhor rotular esse sistema da melhor maneira possível. Você não quer ser um Espírito sem <strike> moeda </strike> Spirit Light, agora quer?

Estes fragmentos espirituais são seus amigos

Pegue-os o mais cedo possível. Eles ajudarão na travessia e descoberta.

O jogo não faz o melhor trabalho para explicar que algumas dessas atualizações realmente forjam seu próximo caminho…

Sticky – você descobrirá rapidamente que Ori pode continuar pulando na mesma parede para manter a posição, mas é precário. Depois de comprar o Sticky, não há necessidade de continuar pulando na parede; você acabou de subir. No entanto, esteja ciente de que o Sticky pode colocá-lo em situações difíceis onde você deseja sair da parede imediatamente. Mesmo assim, os profissionais superam qualquer contras.

Secret – Este jogo é cheio de segredos. A compra desse brinde significa que você gastará muito menos tempo pesquisando o ambiente e potencialmente consumindo energia ou saúde com base nos impedimentos ao seu redor. Além disso, você encontrará ofertas super úteis por toda parte.

Ultra Bash – O jogo não faz o melhor trabalho para explicar que algumas dessas atualizações realmente forjam o seu próximo caminho. Na forma de Ultra Bash, que permite que você rompa rochas e paredes, essa é uma ferramenta sempre importante de se ter. Também causa sérios danos e danos de um tipo AOE. Faça isso o mais rápido possível e você estará nadando em recompensas.

Fale com Grom e construa Clareiras de Poço o mais rápido possível

Grom é um construtor de mestres e é um retrocesso para a corrida de Goron na série Legend of Zelda . Ele não quer nada além de construir a comunidade Wellspring , ajudar os Moki e ver o mundo ao seu redor mudar para melhor. Gentrificação à parte, ele está lá apenas para o bem; a ressalva é que seu fornecedor de minério de Gorlek não está à vista. Nem mesmo atendendo o telefone. Mas o Gorlek Ore está em todo lugar … escondido. E ele está preso no canteiro de obras, o que significa que você assumirá uma tarefa de mineração e entrega. Mas, construir essa comunidade o mais rápido possível pode obter recompensas sérias. Portanto, essa habilidade “secreta” que mencionamos acima, bem, agora é ainda mais importante.

Oferecer boas ofertas

Visite Opher com frequência e pegue as habilidades que ajudam e ampliam seu estilo de jogo. Ori é lindamente projetado, pois cada ambiente além do escuro oferece um meio de progressão. Especificamente água. No início, se você não tiver a habilidade Respiração Aquática , que pode ser comprada, precisará usar as bolhas ou bolsões de ar fornecidos pelo Sonic para progredir, mas com os inimigos ao seu redor, sua janela de sobrevivência é pequena. Obtenha isso e você encontrará inúmeras partes do mundo que você nem imaginava que existiam e, quando você corre para debaixo d’água, ter a capacidade de combater os inimigos submersos ao seu redor é apenas um bônus, dado que o sucesso significa que ambos não estão mais lá , mas também que você tem Espírito Luz .

Pense no Bash ofensivamente ao lado do Traversal

Bash é uma das maneiras mais legais de percorrer o jogo. Também é uma maneira necessária de percorrer, por isso é fácil ser pego na direção dessa seta. Mas é fácil esquecer que há um lado ofensivo na habilidade. O que você quer pular, há uma força traseira adicionada a ele. Isso significa que usar projéteis inimigos contra eles é uma boa maneira de economizar energia, mas esteja igualmente ciente do que essa troca significa no escopo de onde sua flecha está direcionada. A última coisa que você quer é um acerto crítico em um inimigo, resultando em um arremesso de espinhos matadores de espíritos.

Dicas finais

Explore e evolua bastante o Hub do jogo, além de encontrar a maior parte das missões secundárias, você também conseguirá boas melhorias para o Ori.

Gaste seus orbes com as armas extras. O martelo, por exemplo, pode quebrar algumas plataformas no chão que bloqueiam seu avanço para áreas secretas.

Completar corridas dá mil orbes cada. Faça todas.

Referências:

Xbox Play, Ultima Ficha, Red Bull, Canal Tech, Uol, wikipedia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.