Mortal Kombat XI

Mortal Kombat XI é um jogo eletrônico de luta desenvolvido pela NetherRealm Studios e publicado pela Warner Bros. Interactive Entertainment. É a décima primeira edição principal da série de jogos eletrônicos de luta, Mortal Kombat, e uma continuação direta de Mortal Kombat X (2015). Um trailer de anúncio do jogo foi lançado durante o The Game Awards 2018. O jogo foi lançado em 23 de abril de 2019, para Microsoft WindowsNintendo SwitchPlayStation 4 e Xbox One.

Desenvolvimento

No trailer de lançamento, Raiden (similar ao Raiden Sombrio) é visto lutando contra Scorpion em uma versão destruída do cenário O Pátio de Shang Tsung, original do primeiro título Mortal Kombat. Depois de ser derrotado por Raiden com um Fatality, Scorpion volta a aparecer, desta vez com um traje parecido com os clássicos de 3, e derrota Raiden, finalizando-o também com um Fatality. Durante a luta, Raiden é visto empunhando o bastão, o mesmo que usa durante o modo história de Mortal Kombat X, só que vermelho, enquanto o Scorpion utiliza as suas kunais e uma katana, que agora está na cintura e não mais nas costas. Nos momentos finais do trailer, uma personagem desconhecida é vista olhando para uma ampulheta gigante com o fluxo inverso (a areia sobe ao invés de descer). Anuncia-se também a pré-venda do jogo que garante acesso ao Shao Kahn como um personagem DLC jogável, e para o teste Beta do jogo, que estará disponível em 28 de março.

Mortal Kombat (Franquia)

Mortal Kombat é uma série de jogos criados pelo estúdio de Chicago da Midway Games. Em 2011, depois da falência da Midway, a produção de Mortal Kombat foi adquirida pela Warner Bros, tornando-se em seguida na Netherealm. A Warner detém atualmente os direitos da série.

A produção do primeiro jogo foi baseada na ideia original que Ed Boon e John Tobias tinham em fazer um jogo em que participasse Jean-Claude Van Damme, mas a ideia foi deixada de parte, e em vez disso foi criado Mortal Kombat, um jogo de luta com temas de fantasia e ciência, lançado em Outubro de 1992. O jogo original, gerou muitas sequelas, vários jogos de ação-aventura, filmes (animados e live-action com a sua sequela) e séries de televisão (animadas e live-action). Outra média inclui banda desenhada, jogo de cartas e a Mortal Kombat: Live Tour, um teatro de artes marciais com personagens da série.

A série é conhecida pelos altos níveis de violência sangrenta, incluindo mais notavelmente, as Fatalidades(movimentos finalizadores, que requerem uma sequência de botões e movimentos para serem executadas). As Fatalidades, em parte, levaram à criação da ESRB, o sistema norte-americano que classifica os videojogos. O próprio nome da série também é conhecido por usar a letra “K” em vez da letra “C”, isto para o “C” ter um som mais forte, criando intencionalmente um erro de soletração para a palavra “combat”, assim bem como para outras palavras com o som rígido C para os jogos posteriores da série alem de colocar originalidade ao jogo. Os primeiros jogos são reconhecidos especialmente pelos seus sprites realisticamente digitalizados (os jogos contemporâneos usam sprites desenhados manualmente) e o uso extensivo de troca de palete para criar novos personagens.

Jogabilidade Mortal Kombat XI

Uma história de crise no tempo

Os eventos da história de Mortal Kombat 11 começam logo após o final de Mortal Kombat X. Raiden bagunçou o tempo para impedir Shao Kahn e depois pegou o amuleto de Shinnok, corrompendo-se no processo e decidindo deixar a diplomacia de lado e usar a violência.

Por ele ter alterado o equilíbrio das coisas, a deusa Kronika, guardiã do Tempo, decide pará-lo a qualquer custo, criando alianças com os espectros de Liu Kang e Kitana e com o Shao Kahn vivo no passado. Enquanto isso, um Raiden do passado se une a Kotal Kahn e às versões do presente e passado dos guerreiros de EarthRealm.

Cenários e Kripta

Até a produção desse vídeo, 12 cenários foram revelados, mas especula-se que são 21 no total. Estão incluídas algumas versões modificadas de lugares conhecidos, como as ruínas da ilha de Shang Tsung.

E por falar nele, o feiticeiro estará na Krypta, aquela área com itens desbloqueáveis com créditos in-game, que existe há mais de 17 anos nos jogos da série.

Aprendendo a lutar, e a pensar

Em vez de simplesmente introduzir os conceitos básicos da jogabilidade, como faz a maioria dos jogos de luta, “Mortal Kombat 11” vai além: ensina a usar técnicas especiais de acordo com determinadas situações, explica como criar combos e demonstra até a importância do tempo de frame para cada ação que você pensa em executar. Imagem: Reprodução As dicas são explicadas com tantos detalhes, que você se sente numa sala de aula com um bom professor. Ficou com dúvida ou não está conseguindo reproduzir um movimento? Existe um botão que repete a apresentação quando você quiser. Aprendeu alguns golpes e já consegue executá-los sem erro? Ok, use o que aprendeu agora para derrotar o Sub-Zero. No caso dos combos, o jogo mostra não só as maneiras de iniciar uma sequência, mas também de finalizá-la. O tutorial também explica os contra-ataques ideais para determinados golpes do adversário. E tudo isso seguindo um bom ritmo, sem quebrar a imersão da experiência.

Um novo movimento… Literalmente

Além de renovar a franquia com mais um título, MK11 muda muito do que era visto nos games anteriores. Enquanto MKX favorecia os jogadores mais agressivos, o novo game transforma as batalhas em duelos de espaçamento, deixando de premiar quem souber pressionar melhor seu oponente.
A tradicional corrida não existe mais e os dashes são extremamente situacionais. A movimentação se baseia na básica caminhada, o chamado “footsies”, que consiste em controlar o espaço entre si e o oponente para aproveitar aberturas repentinas.
É claro que é o jogador é quem decidirá utilizar ou não os dashes, mas andar é a melhor opção, já que a primeira alternativa deixa o usuário em uma notável desvantagem.

Combos

Após as primeiras demonstrações de Mortal Kombat 11, muitas reações do público mostraram uma preocupação com os combos dentro do jogo, os apontando como pouco impactantes ou pouco recompensadores.
Pro players que tiveram acesso ao game, norte-americanos no dia 17 de janeiro e brasileiros na última quinta-feira (31), provaram que talvez a coisa não seja bem assim.
Com certo costume à nova jogabilidade e ao ritmo diferenciado de Mortal Kombat 11, muitos combos mostraram ser particularmente poderosos e sequências de golpes ainda podem confundir o oponente. Tudo isso depende, claro, da habilidade e execução dos jogadores, mas também dos recursos apresentados pelo game.

Um jogo sobre decisões

Os novos recursos apresentados em Mortal Kombat misturam diversos artifícios que marcaram presença tanto em jogos da própria franquia como em outros títulos.
A primeira coisa que chama a atenção é, sem dúvida, a remoção da tradicional barra de especial, que foi substituída por medidores defensivos e ofensivos, cada um com seu propósito distinto.
As barras ofensivas lembram as antigas conhecidas dos jogadores, servindo para aprimorar ataques especiais e com certas interações, já as defensivas podem mudar radicalmente o rumo de qualquer partida.
O uso dessas barras de defesa pode estar atrelado a opções de “wake-up”, ou seja, impactando as possibilidades ao levantar de um nocaute, com uma espécie de air scape (mecânica presente em Injustice 2 usada para fugir de combos do inimigo), ou com a criação de armaduras em certas situações.

Além das barras, recursos mais específicos também podem causar muito impacto

Fatal Blow e Krushing Blow. O primeiro veio para substituir o conhecido X-Ray como uma mecânica de virada, mas com suas particularidades. O Fatal Blow está ligado não a medidores, mas à barra de vida dos personagens, disponível a partir do momento em que o lutador ficar com 30% ou menos de energia.
Já o Krushing Blow pode ser associado ao Lethal Hit, mecânica de SoulCalibur VI, que dá novas características a golpes comuns se certos requisitos forem preenchidos com o decorrer da partida.
O detalhe mais importante em relação a esses ataques especiais é: ambos só podem ser utilizados uma vez por luta, o que os torna armas poderosas e fará parte da estratégia dos jogadores decidir quando usá-las.

O que muda nas mecânicas

Quem joga casualmente vai sentir um pouco as diferenças mecânicas de Mortal Kombat 11, mas a galera que joga mais competitivamente vai ver que algumas modificações são bem drásticas. Estas são as principais mudanças: Não existe corrida, mas a velocidade padrão dos lutadores é razoavelmente rápida. Não é possível cancelar seu dash e bloquear imediatamente.

O sistema de medidores foi completamente modificado. Cada jogador agora tem duas barras de ofensa e duas de defesa que começam cheias. Enquanto a ofensa é usada para amplificar o dano, a defesa é usada para interagir com o ambiente, fugir de situações vulneráveis e escapar de combos. Elas se recarregam com o tempo e não por ataques ou defesas que você acerte.

Existe agora o bloqueio perfeito, que quando é feito no tempo correto abre a janela pra um contra-ataque. Ele custa uma barra de ofensa e uma de defesa. Alguns golpes funcionam em pulos curtos, ou seja, um pulo no mesmo lugar seguido de um ataque característico dessa situação. O X-Ray virou um especial de duração mais curta que só acontece em algumas condições, geralmente no final de um combo, que agora se chama Krushing Blow.

25 personagens jogáveis

A lista de personagens é composta por 25 lutadores no lançamento, com alguns outros chegando por DLC no futuro. Para começar, o elenco do Mortal Kombat original que está todo aqui.

Scorpion: Mestre dos Shirai Ryu e Ninja do inferno, é conhecido por jogar sua kunai e dizer “Get over here”. Está na capa de todos os MK há uma década porque é o lutador preferido do diretor.

Sub-Zero: Mestre dos ninjas Lin Kuei, assumiu o codinome do seu irmão que foi morto por Scorpion. Controla o gelo, podendo criar armas com ele ou simplesmente congelar seu oponente.

Raiden: Foi de Deus do Trovão protetor da terra para porra loka que cansou de ser bonzinho, agora que possui o amuleto de Shinnok. Tem poderes elétricos maneiros, agora solta raios vermelhos e vai ter que responder por ter bagunçado o tempo no Mortal Kombat de 2011.

Johnny Cage: Ator de filmes de ação, deixou de ser um completo babaca e amadureceu sendo um dos pilares da resistência durante a invasão de Outworld. Tem golpes com aura esverdeada, usa câmeras, estatuetas e até mímica para arrebentar seu inimigo.

Liu Kang: Monge Shaolin que salvou a Terra vencendo o Mortal Kombat. Morreu por acidente nas mãos de Raiden virando zumbi pela segunda vez, mas está de volta graças a certas peripécias do tempo. Originalmente inspirado em Bruce Lee, tem poderes com fogo, bate fazendo voz fina mas bate forte.

Kano: Traficante de armas do mercado negro, inimigo de anos de Sonya e pode ser irritante. Joga sujo, usa faca, tem olho laser, dá cambalhota mortal e adora mijar por aí.

Sonya Blade: Oficial das forças especiais, foi uma das líderes da resistência durante a invasão de Outworld. Parceira de Jax, ex-mulher de Johnny Cage e mãe de Cassie. Usa braceletes que atiram, agora tem a voz da lutadora de MMA Ronda Rousey e parece ser a que mais foi açoitada pelo tempo.

Aí nós temos ainda outros personagens klássicos:

Kung Lao: Também monge shaolin, meio rebelde e transformado em boneco do mal por Quan Chi depois de ter sido morto pelo encardido do Shao Kahn. Tem um chapéu que funciona como frisbee mortal, se teletransporta e é bem acrobático.

Kabal: Trabalhava com Kano antes de se regenerar e virar policial. Infelizmente, foi queimado por Kintaro, foi morto por Sindel e foi ressuscitado como espectro maligno. Ele tem duas espadas de gancho e a velocidade do Ligeirinho Gonzalez.

Jax Briggs: Oficial das forças especiais que tem seus braços arrancados por Ermac, mas ganha um par de outros cibernéticos que são ainda mais eficientes. Ele é do tipo agarrador, solta alguns projéteis pelo braço e agora tem também uma arma de fogo.

Kitana: Princesa de Outworld, filha de Sindel, enteada de Shao Kahn. Ela morre nas mãos de sua mãe e também se torna uma morta-viva controlada por Quan Chi. Suas armas são leques com lâminas e ela é especialista em ataques aéreos.

Jade: Era guarda-costas de Kitana até ser morta por Sindel. Tem uma conexão no passado com Kotal Kahn, mas agora é um espectro sob as ordens dos espectros de Liu Kang e Kitana. Jade usa um bastão bojutsu, tem poderes de aura verde, invulnerabilidade, teletransporte e trilâminas.

Baraka: Chefe da tribo tarkatan, considerada um povinho ralé em Outworld. Serve a Shao Kahn e tem um belo sorriso. Ele tem lâminas embutidas nos braços e pode jogar projéteis com elas.

Noob Saibot: Era o antigo Sub-Zero, Bi-Han, que foi morto por Scorpion. Agora ele é um ninja espectro que manipula sombras e projeta uma cópia de si mesmo durante a luta. Seu nome é o sobrenome dos criadores de Mortal Kombat ao contrário: Boon e Tobias.

Skarlet: É foi de lenda urbana dos fliperamas a lutadora de verdade em Mortal Kombat. É o primeiro jogo em que ela aparece como personagem do elenco principal, já que era DLC no MK de 2011. Ela trabalha pra Shao Kahn e é uma feiticeira especializada em magia de sangue, transformando o líquido vermelho em armas como espadas, chicotes e lanças.

Alguns dos lutadores de Mortal Kombat X também retornam.

Cassie Cage: É filha de Johnny e Sonya, ela também esteve na resistência contra Outworld. Cassie golpeia num estilo que mistura os ataques aéreos e equipamentos militares da mãe e a sombra verde do pai. Além disso, ela tem um par de pistolas.

Jacqui Briggs: Filha de Jax e colega de Cassie. Tem braceletes poderosos que soltam projéteis, uma roupa cheia de recursos high-tech e uma variedade de golpes de kickboxing.

Kotal Kahn: Atual imperador de Outworld, ele salvou seu mundo do caos, tomando o lugar de Mileena. Agora ele será um aliado de Raiden para tirar Shao Kahn do poder em outra timeline. Kotal tem uma espada, lança projéteis e se transforma numa fera. Ele é pesado e lento, mas muito forte.

Erron Black: É um pistoleiro de Outworld e aliado de Kotal Kahn. Ele luta com duas pistolas, uma espingarda e dinamite. É um dos personagens mais maneiros do último jogo.

D’Vorah: Serviu a Shao Kahn, Kotal Kahn e a Shinnok, sendo uma personagem extremamente traiçoeira e indigna de confiança. D’Vorah é um inseto humanoide com várias habilidades derivadas de criaturas como abelhas e aranhas. 

Tem novos personagens também:

Kollector: Tem seis braços, mas dois deles seguram uma mochila — então não sei se contam. Ele é do time de Outworld e ataca com lâminas curtas e uma lanterna presa a uma corrente.

Cetrion: É uma Deusa Anciã, irmã de Shinnok e filha de Kronika. Ela é extremamente poderosa e luta manipulando elementos de terra, água, fogo e vento.

Geras: Está no time da Kronika e domina as areias do tempo. Com elas ele cria barreiras, se teletransporta, projeta armadilhas e controla o tempo.

Frost: É do mesmo clã Lin Kuei do Sub-Zero e também tem poderes de gelo. Apareceu naqueles jogos de Mortal Kombat dos quais nós não falamos e foi NPC em MK X e agora aparece de novo em formato robótico.

E tem ainda dois personagens já conhecidos que estão disponíveis por DLC.

Shao Kahn: É imperador de Outworld e o vilão mais popular da série. Ele é do tipo mais pesado e lento, mas é estupidamente forte e usa o martelo da fúria. Para jogar com Shao Kahn é preciso fazer a pré-compra do game — ou comprar ele à parte, porque devem vender avulso depois, né?

E, para fechar, Shang Tsung: Que é um feiticeiro que pode se transformar temporariamente em outros lutadores. Ele foi o primeiro boss de Mortal Kombat e volta em MK 11 com sua aparência de velho e com a cara do ator Cary-Hiroyuki Tagawa, que interpretou o personagem.

Personagens Kustomizáveis

Como no último Mortal Kombat, existem três variações padrão para cada personagem que oferecem golpes únicos. Porém MK 11 permite que você crie seu próprio estilo de jogo, combinando ataques em uma variação personalizável.

A customização também envolve outros elementos além da habilidade. São eles Equipamento, Kosméticos e Comportamento da IA.

Finish Him!

Mortal Kombat 11, é claro, traz de volta os movimentos finalizadores que tornaram a série conhecida. Nada foi dito até agora sobre Babalities, Animalities ou meu preferido Friendship, mas os Fatalies sem dúvida estão volta e são pelo menos dois por personagem.

“Konclusão”

Mortal Kombat 11 promete ser um game complexo, que exige treino para os que quiserem aproveitar 100% do que o título tem a oferecer.
Também há um novo sistema que beneficia principalmente os jogadores em desvantagem com pouca energia: o Fatal Blow. Ele pode ser ativado quando a barra de vida atinge menos de 30%, funcionando como uma espécie de golpe especial. Entretanto, caso o jogador erre o movimento, não terá uma outra tentativa naquele mesmo round. Agora também há barras de defesas e ataques posicionadas nos cantos inferiores da tela. Elas esvaziam à medida com que os lutadores utilizam o bloqueio ou ataques em sequência.

Embora Mortal Kombat 11 tenha muitas novidades, a versão apresentada no lançamento do jogo não contava com o novo sistema de evolução de habilidades e troca de equipamentos. Durante uma apresentação do produtor artístico do jogo, Thiago Gomes, foi possível notar que eles influenciarão demais nos personagens, porém, ainda é preciso avaliar isso na prática.

Referências:

Versus, Uol, Wikipedia, Techtudo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.