Gwent: The Witcher Card Game

Gwent: The Witcher Card Game (Gwint: Wiedźmińska Gra Karciana) é um jogo eletrônico free-to-play de cartas colecionáveis que está sendo desenvolvido pela CD Projekt Red para as plataformas PlayStation 4Xbox One e Microsoft Windows. O game foi anunciado no dia 13 de junho de 2016 durante a coletiva da Microsoft na E3 e contará com um sistema de Cross-play para suas versões nas plataformas Windows e Xbox One. Uma closed beta foi liberada em outubro de 2016 também nestas duas plataformas. O jogo é derivado do minigame de cartas colecionáveis de mesmo nome que pode ser jogado dentro de The Witcher 3: Wild Hunt, jogo baseado na obra de Andrzej Sapkowski.

Jogabilidade

Gwent é um card game de turnos entre dois jogadores, onde cada partida é dividida em uma melhor de três rounds. Cada jogador deve jogar uma carta por turno de seu deck de, no mínimo, vinte e cinco cartas. O deck deve conter no máximo quatro cartas de ouro e seis de prata. Cartas de ouro e prata normalmente tem mais habilidades do que as de bronze. Decks devem conter no máximo três cópias de cada carta de bronze. Cada deck pertence a uma das cinco facções, sendo elas Nilfgaard, Monstros, Skellige, Reinos do Norte e Scoia’tael.

Como jogar

Primeiro, vamos começar com o básico. Cada partida de GWENT acontece em três rodadas. Seu objetivo é ganhar duas das três. O objetivo de cada rodada é fazer mais pontos que seu oponente. Os jogadores usam cartas, alternando-se em turnos, até que um dos dois passe, indicando que não quer mais jogar cartas naquela rodada. O jogador restante pode continuar jogando as cartas até quando quiser, e primeiro, pode até achar que vale a pena continuar jogando até ganhar a rodada, mas tenha em mente que você comprará somente duas cartas na segunda rodada e uma na terceira. Isso significa que se você investir muito na primeira, pode acabar em desvantagem nas próximas duas e perder o jogo. Passar cedo na primeira rodada pode ser uma boa estratégia se você não conseguir acompanhar os pontos do seu oponente sem ter que gastar muitas cartas a mais que ele. É preciso um pouco de prática pra pegar o jeito, mas é importante pensar nisso.

Qual facção?

Agora que você sabe o básico, é hora de decidir com qual facção jogar. GWENT oferece cinco facções distintas para você escolher, e cada uma tem seu estilo único de jogo. Vale a pena testar todas para ver qual você gosta mais. Suas opções são:

Reinos do Norte – Essa facção tem a habilidade de usar armadura para proteger suas unidades de dano. Você consegue, inclusive, usar isso para outros benefícios. Reinos do Norte possui muitas formas de causar dano nas unidades de seu inimigo, incluindo um arquétipo onde você atira nas cartas do seu oponente com máquinas de guerra como balistas e trabucos.

Monstros – Essa facção é baseada em perigos. Os perigos de clima têm várias formas e cada tipo causa efeitos negativos diferentes quando jogados no campo do seu oponente. A facção dos monstros possui cartas que têm sinergia com esses perigos, como algumas que te ajudam a pegá-los do baralho, e outras que ganham benefícios quando perigos específicos estão em jogo. Essa facção também tem outros arquétipos que se beneficiam de ações como consumir suas próprias cartas, ou até mesmo matar suas próprias unidades.

Scoia’tael — Essa facção é composta principalmente de Elfos e Anões. Você pode construir baralhos que possuem sinergia com essas famílias de cartas. Existem também baralhos que te permitem aumentar o poder das cartas na sua mão, e baralhos que são especialistas em jogar cartas especiais.

Skellige — Essa facção é, talvez, a mais difícil para novos jogadores. Skellige te permite causar dano nas suas próprias unidades para ganhar benefícios. Isso pode ser feito usando cartas como o Espada Longa. Você tem várias opções para ressuscitar unidades do cemitério e pode utilizar essa mecânica como parte da sua estratégia. Você também pode usar a sinergia dos grupos de carta que se dão muito bem em Skellige, os Veteranos Tuirseach ou unidades amaldiçoadas.

Nilfgaard — É mais ou menos a facção “traiçoeira”, Nilfgaard te da a opção de revelar cartas, mostrando o que você tem na mão para seu oponente ou o que ele tem na dele para ganhar benefícios. Você também vai utilizar espiões (cartas que são colocadas no lado inimigo do tabuleiro) os quais lhe darão vários benefícios, como ganhar mais pontos. Você também vai poder construir baralhos de alquimia que melhoram suas próprias unidades e causam dano nas do seu oponente.

Um bom jeito de conhecer as facções, e de conseguir seus líderes, é fazer os desafios single player. Ao completa-los, você destravará dois líderes de cada facção, além de ter uma ideia melhor dos vários baralhos iniciais para ver qual facção você gosta mais. Além disso, ao completar os desafios, você receberá minério – o dinheiro do jogo utilizado para comprar barris e ganhar mais cartas.

Primeiro de tudo: desafios

Mas antes de jogar no modo multiplayer, que é o principal atrativo de Gwent, é altamente indicado passar pelos desafios. Eles funcionam como uma “fase de aprendizado”, para que você aprenda o básico do game na prática. Cada desafio ensina a jogar cartas, fazer combos, criar baralhos ou até mesmo criar cartas.

Após a conclusão dos primeiro conjuntos de desafios básicos – as duas primeiras linhas – o jogador tem a opção de realizar os desafios de cada raça – estes já são mais complexos, pois são partidas contra o computador, mas vão ajudar a dominar a jogabilidade e as estratégias em cada embate contra os oponentes.

Dicas para ser um mestre

Gwent não envolve apenas somar o poder das cartas para vencer. É preciso ter estratégia. O blefe é uma dessas estratégias. Não há comunicação direta entre os oponentes nos consoles ou na maioria das partidas online, mas é possível fazer com que seu oponente pense que você está com a mão ruim, jogando as cartas certas, e, assim, fazendo com que ele jogue as cartas mais poderosas, logo de cara.

Isso possibilita vencer com mais facilidade, além surpreender o desafiante. Outra dica é saber com qual das facções de Gwent você se identifica mais: Skellige, Monstros, Nilfgaard, Reinos do Norte ou Scoia’tael. Saber suas características e dominar cada uma delas pode fazer a diferença contra o oponente. O recado é: estude as cartas e leia suas descrições, para entender como combiná-las no campo de batalha.

Como abrir barris e conseguir cartas

Gwent é um jogo gratuito, mas que usa dinheiro para comprar barris com mais cartas. Estes barris também podem ser obtidos por meio do jogo, apenas jogando partidas e conseguindo valores virtuais. Assim como em outros games similares, cada barril traz cards variados, que podem ser comuns, raros, épicos e lendários.

Quatro cartas iniciais são abertas e, ao fim, é preciso escolher entre uma mais forte. O barril te dá três opções finais, mas só uma pode ser escolhida – enquanto as outras duas são destruídas. É bom escolher sabiamente, pois não há garantias de que as outras virão em barris futuros.

Como criar baralhos

O processo de criar baralhos em Gwent é de extrema importância e o jogador deve ficar algum tempo se familiarizando com seu menu de construção. É preciso ficar de olho em pequenos detalhes: o mínimo de 25 cartas, a quantidade máxima de cartas de prata (seis) ou ouro (quatro) e em qual das linhas do tabuleiro a carta escolhida vai se posicionar: ataque corporal, longa distância e cerco, como explicamos mais acima.

Antes de começar a montagem do baralho, é necessário escolher sua carta de líder, que vai ter um efeito especial durante o combate, bem como a facção, que fornecerá os cards e os tipos de cards para a construção. Ao sair da fase de montagem, não esqueça de salvar seu baralho e nomeá-lo, de acordo com sua estratégia: “deck de ataque”, “deck de descarte”, ou qualquer outra nomenclatura que seja o foco da estratégia.

Como criar cartas

Gwent conta com um sistema de criação de cartas. Praticamente qualquer carta pode ser “craftada”, como é dito informalmente, a partir dos “Restos”, que por sua vez são itens criados por meio de cartas desfeitas pelo usuário – funcionalidade disponível a partir do nível três.

O custo para criar uma carta varia bastante. Pode ser de 30 restos ou de 800, entre outros possíveis custos, por exemplo. O valor destoa de acordo com a raridade do card desejado pelo jogador. É possível conseguir Restos também em recompensas de temporada e em recompensas diárias – como, por exemplo, vencer um determinado número de rodadas.

Jogando o multiplayer

O multiplayer de Gwent é seu principal atrativo. Ao jogá-lo o usuário avança de nível, consegue novos barris e tem a experiência de enfrentar um adversário humano, em outro lugar do mundo, por meio da internet. Participar de embates online sempre será a opção mais divertida e indicada para jogar Gwent.

O multiplayer pode ser acessado logo na primeira opção do menu. No nível dez, o usuário pode participar de embates classificatórios, que valem posições de rank. Mas é altamente indicado estar com baralhos bem construídos e bem testados, antes de começar a se aventurar nas classificatórias – que sempre vão valer pontos.

O multiplayer funciona da mesma forma que as partidas contra o computador – todos os comandos e funcionamento de cartas são os mesmos – com a exceção de que quem está do outro lado é um outro jogador. A regra se mantém: venceu dois rounds, venceu a partida inteira.

Quanto mais vitórias, mesmo em partidas casuais, mais recompensas, seja no rank ou por meio de pontos ou ouro para comprar barris. A evolução em Gwent é bem natural e corresponde ao que um jogo de cartas online deve ser.

Cross-play e cross-buy

Gwent será compatível com a tecnologia cross-play, isto é, multiplayer cruzado entre plataformas. Quem jogar no PC, poderá jogar contra usuários no PS4 ou Xbox One. Porém, Xbox One e PS4 não jogarão entre si.

Já no caso de PC, os usuários do Windows 10 terão a vantagem, na versão UWP (Universal Windows Platform), de jogar com a mesma conta do Xbox One. Assim, todo o progresso e cartas compradas ou obtidas em uma conta, valerão para a outra, e vice-versa. A versão PS4, contudo, permanecerá independente e seu progresso não será transferido ao PC.

Ranqueado

Quando você atingir nível 10, você poderá jogar na Ladder Ranqueada. Isso pode parecer assustador no início, mas é uma ótima forma de ganhar mais recompensas e melhorar sua habilidade. Subir de ranque no GWENT também te dá recompensas, que incluem Barris, Restos, Minério e Pó de Meteorito – o pó é usado para criar cartas Premium, versões animadas das cartas. Além disso, quando a temporada terminar, no fim do mês, você receberá mais recompensas baseado no maior ranque que chegou naquela temporada. Comparado com jogar casual, o ranqueado é a melhor opção para progressão no GWENT. Mas o casual é ótimo para testar novos baralhos e estratégias, que você pode depois levar para o ranqueado.

Não pule os tutoriais

Você pode ter vencido o torneio de Passiflora em The Witcher 3, mas isso não significa que a sua vida será fácil em Gwent. O jogo traz mecanismos de jogos mais refinados, complexos e até confusos. No início não é nada recomendado que você vá direto para as partidas multiplayer.

Em primeiro lugar porque seu deck estará muito fraco. Em segundo porque você precisa dar uma reforçada nos seus aprendizados a respeito das cartas. As fases iniciais do modo single player são a melhor maneira de você evoluir seu jogo.

Além disso, caso não queira investir dinheiro real em Gwent, poderá dar uma turbinada no deck ao ganhar boas cartas nas primeiras partidas que jogar.

Foque sua atenção em apenas uma Facção

Uma das partes mais interessantes de Gwent é poder escolher uma entre cinco Facções. Cada uma tem cartas específicas e poderes especiais únicos, o que significa que ser um mestre em todas elas é uma missão longa, árdua e que certamente é bastante complicada. Por isso o ideal é você focar em apenas uma dessas facções.

Por isso pense bem antes de tomar sua decisão. Reinos do Norte, Império Nilfgaardiano, Skellige, Monstros e Scoia’tael são as Facções disponíveis. Para quem está começando, pode ser interessante ficar ou com Reinos do Norte ou com Scoia’Tael.

Reinos do Norte foca na estratégia conhecida como enxame. Ou seja: são soldados de pequeno poder, mas que dão suporte uns aos outros, aumentando seus níveis de carta ao mesmo tempo que tiram poder das cartas adversárias.

Já o Scoia’Tael é voltado para encher o campo com cartas de anões. Apesar de serem também de baixo nível de poder, é bastante fácil muitos pontos, visto que são várias cartas que podem ser postas em jogo.

Evolua em sua Facção

Assim que você escolhe uma Facção, o próximo passo é se tornar um mestre nela. Obter todas as cartas disponíveis e montar seu deck é certamente uma atividade muito divertida e um grande desafio. Mas não é exatamente com isso que você precisa se preocupar em um primeiro momento, mas sim em evoluir o máximo que puder no Livro de Recompensas.

O Livro de Recompensas é uma seção do jogo em que você pode ver todos os decks e líderes de Facção disponíveis. Muitos estarão bloqueados no início. A sua própria Facção terá apenas um líder disponível. Evolui-la ao máximo garantirá acesso aos demais líderes, o que aumenta seu poderio de jogo.

Isso é feito usando pontos de recompensa, que você ganha derrotando oponentes e cumprindo missões diárias.

Use decks prontos

Infelizmente montar decks é uma habilidade que nem todas as pessoas têm. Em Gwent isso também se confirma. Por isso aconselhamos a usar baralhos prontos, que muitas vezes estão disponíveis em sites na internet. Isso lhe poupa tempo, evita que se estresse e permite que tenha um conjunto de cartas coeso.

Às vezes pode apenas dar uma olhada nos decks alheios para se inspirar a criar o seu. Isso também é válido, principalmente para quem está começando. O essencial é que tenha um baralho com muitas cartas bronze, algumas prateadas e o máximo de quatro de ouro, que é o limite.

Jogue todos os dias

Jogar Gwent todos os dias é importante não só para treinar, mas porque é a melhor maneira de ganhar novas cartas. O jogo lhe concede prêmios se você obter pelo menos seis coroas todos os dias. Uma vitória concede duas coroas. Mas se você vencer apenas uma rodada, ganha uma. Ou seja: em apenas três partidas já dá para obter as três coroas diárias e ganhar seu prêmio.

Além disso, há quests específicas que dão pontos de recompensa sempre que você as cumpre. Elas estão relacionadas a movimentos de jogo, como usar determinadas cartas de ação ou efeitos de unidades.

Dê preferência a cartas neutras

Muitos jogadores acabam dividindo sua atenção entre duas Facções. Não há nenhum problema com essa estratégia se você dominar dois estilos de baralho diferentes. O mais importante, no entanto, é você focar sua atenção em obter cartas neutras.

As cartas neutras são aquelas que atuam de forma vantajosa em todos os decks. Geralt, por exemplo, é bastante versátil, principalmente em sua variação Igni. Djikstra, embora pertença aos Reinos do Norte, é um ótimo espião, já que possui pouca energia e permite a compra de duas cartas.

Mesmo que você goste de determinadas cartas icônicas, como algumas variações de Geralt ou de Ciri, no início não foque tanto em obtê-las se elas não forem úteis ao seu baralho.

Não colecione cartas inúteis

O propósito de Gwent não é colecionar cartas. Portanto não vale a pena ter cartas de um tipo de baralho que não é o seu e que você não planeja ter. Se você optou, por exemplo, por ter um deck Skellige, por que gastar tempo e recursos em cartas tipo Monstro?

Por isso quando ganhar cartas que não vai usar, quebre-as para obter recursos e investi-los no que realmente importa. Cartas repetidas ou cartas iguais, mas com artes diferentes também podem ser dispensadas. Contudo tenha atenção: faça isso apenas com cartas bronze ou de baixo poderio. Cartas douradas devem ser mantidas, pois são valiosas e raras.

Além disso, essa dica só deve ser seguida por quem realmente tem certeza de que não irá mudar de Facção posteriormente. Caso bata o arrependimento, não poderá voltar atrás e terá de perder bastante tempo conseguindo novamente os cards dispensados.

Tenha mais cartas na mão que seu oponente

Em Gwent há basicamente duas formas de se obter vantagem em relação ao seu oponente. A principal, como é óbvio, é ter mais força no tabuleiro. Outra, cuja importância é fundamental, é ter mais cartas na mão que o adversário.

Podemos dizer que nesse sentido jogar Gwent é como jogar Poker. Você pode desistir de uma rodada se perceber que é mais inteligente manter as cartas na mão para tentar a sorte em um próximo turno.

Isso tem a ver com controle de jogo. Se o adversário joga em campo uma carta que você não poderá enfrentar, termine seu turno e foque em vencer o próximo. Isso fará com que você volte com mais cartas que o oponente. Ou seja: mesmo sem cartas no campo, você já tem uma vantagem.

Saiba quando o turno está perdido

A dica anterior está muito ligada a esta. Às vezes você está perdendo por 10 ou 15 pontos de diferença. Ficar correndo atrás e empilhando cartas no campo não é a melhor solução. Analise bem a sua mão e veja se é possível mudar o panorama. Se não for, desista.

Gwent é um jogo de estratégia, em primeiro lugar, portanto jogue com esse pensamento. As cartas precisam combinar umas com as outras para que todas aumentem seus potenciais e você consiga fazer bons combos. Vale muito mais ter uma mão boa para rodadas futuras do que uma mão inútil para a rodada atual.

Domine o oponente no primeiro turno

Quem vence o “cara ou coroa” no início de uma partida irá começar jogando. Em jogos de cartas como Hearthstone ou como Yu-Gi-Oh! Duel Links, isso nem sempre pode ser uma vantagem. É interessante ser o segundo a jogar, visto que você já sabe com o que vai lidar.

Quem vence o primeiro turno em Gwent, começa o segundo. Mas imagine que você perca o segundo. Você e o adversário irão para a última rodada com poucas cartas, mas você terá a vantagem, visto que será o segundo a jogar. Poderá traçar uma estratégia rápida de acordo com a carta posta em jogo pelo oponente.

Além disso, vencer a primeira rodada garante que a pressão seja toda colocada em cima de seu oponente. Há mais chances de ele tentar usar toda a mão para vencer e manter-se vivo. Novamente: caso ele vença, há muitas chances de você se sagrar o grande vencedor, já que terá a vantagem literalmente na mão.

Use e abuse das cartas de suporte

Existem mais de uma centena de cartas de suporte em Gwent. Elas variam ainda em tipo. Muitas darão um boost de energia as suas cartas. Há aquelas que dão energia a um aliado e tiram pontos de uma carta inimiga. Outras apenas atacam um ou vários cards inimigos.

Essas cartas são tão importantes quanto aquelas usadas para acumular pontos de campo. Ainda há aquelas que mudam o clima do tabuleiro ou que afetam uma ou as duas fileiras inimigas, retirando pontos por turno. Essas precisam ser usadas com inteligência, para não desperdiçar sua utilidade.

Cuidado com as cartas scorch

Uma carta scorch é uma carta que “queima” outras. Geralt: Igni é um ótimo exemplo. Não são muitas que têm essa habilidade, mas elas existem, e é importante que você tome cuidado com elas.

Assim como você pode usar esse tipo de card contra um inimigo, ele também pode usar contra você. Dedique-se, portanto, a estudar as cartas scorch que existem no jogo. Tente prever se o baralho do seu oponente, dando uma olhada na Facção dele, pode conter uma carta dessas.

Guardar as cartas douradas e de líder

Logo no tutorial, o game diz que usar suas cartas mais poderosas no começo é uma boa estratégia, o que nem sempre é verdade.

As cartas douradas são as mais poderosas e com habilidades mais devastadoras, o que justifica seu limite de quatro por deck.

As douradas são tão fortes quanto os líderes, personagens importantes que representam a facção desejada. Como já dizia Vezemir, “Poupe os recursos para quando forem mais impactantes.”

Aproveite o Mulligan

O Mulligan é uma jogada conhecida de muitos card games, tanto dos físicos como Magic: The Gathering, e virtuais, como Hearthstone, que consiste em trocar cartas da sua mão no começo do round.

Criar uma estratégia com isso em mente é importante. Sabendo que é possível trocar três cartas no primeiro round e uma nos próximos dois, construir um deck que se aproveite disso é essencial.

Saiba filtrar seu deck

Para aproveitar ao máximo o Mulligan, e também outras mecânicas, é fundamental construir um deck que combine com o que pode acontecer durante as partidas.

Como exemplo, podem ser citadas as cartas que buscam unidades aleatórias no deck, que podem ser trocadas no Mulligan, servindo como um coringa, já que aumenta as chances de sacar suas tropas mais importantes.

Administre danos e melhorias

Algumas cartas do game podem causar danos no adversário ou melhorar unidades aliadas, a diferença é marcada por como isso é executado, já que isso pode ser feito imediatamente ou levar alguns turnos.

Enquanto certos personagens causam um de dano por turno, outros podem explodir os oponentes imediatamente.

Escolha bem em que situação cada uma se sai melhor, já que em um começo de rodada garantir aquelas melhorias periódicas pode ter um enorme peso no decorrer do confronto.

Referências:

VS, Play Gwent, Ligados Games, Wikipedia, techtudo.

Deixe seu comentário: