Final Fantasy VII Remake

Final Fantasy VII Remake (ファイナルファンタジーVII リメイク Fainaru Fantajī Sebun Rimeiku?) é um jogo eletrônico de RPG de ação desenvolvido e publicado pela Square Enix. Foi lançado em 10 de abril de 2020 para PlayStation 4, com exclusividade temporária de um ano. É uma recriação do Final Fantasy VII original, lançado em 1997 para  PlayStation, contando a história do mercenário Cloud Strife enquanto ele e o grupo de resistência AVALANCHE lutam contra a megacorporação corrupta Shinra e um antigo soldado desta, Sephiroth. A jogabilidade tem a intenção de ser uma fusão de elementos estratégicos e ação em tempo real similar a Dissidia Final Fantasy.

Rumores e pedidos para uma recriação de VII existiram por muitos anos, porém vários motivos foram dados sobre o porquê do projeto não estar sendo desenvolvido. Três membros da equipe original de produção retornaram para ajudar Remake: o desenhista de personagens Tetsuya Nomura voltou como diretor e para cuidar do redenho do elenco; o diretor original Yoshinori Kitase assumiu a produção de produtor, enquanto Kazushige Nojima novamente ficou como roteirista. A decisão de lançar o jogo em múltiplas partes foi tomada para que a equipe não precisasse cortar nenhum conteúdo original. Eles também decidiram adicionar novos elementos e histórias, além de reajustar os desenhos e projeto de personagens e mundo, a fim de encontrar um equilíbrio entre realismo e estilização.

Final Fantasy VII Remake foi bem recebido pela crítica, com elogios aos seus gráficos, jogabilidade, narrativa, música e fidelidade ao original. O jogo vendeu mais de 3,5 milhões de cópias nos primeiros três dias, tornando-se um dos jogos mais vendidos para PlayStation 4.

Jogabilidade

Final Fantasy VII Remake reconta a história do jogo original, seguind Cloud Strife, um ex-soldado da megacorporação Shinra, que se junta ao grupo ecoterrorista AVALANCHE como mercenário em sua luta contra a empresa, a qual está drenando a energia vital do planeta Gaia. Porém, o grupo acaba se envolvendo em algo muito maior. Diferentemente de conversões anteriores do original para computadores e outras plataformas de alta definição, Remake é uma recriação completa construída a partir do zero, possuindo gráficos totalmente poligonais contra os ambientes pré-renderizados do original.

Tanto a exploração, quanto as mecânicas de combate acontecem em tempo real, similarmente à Final Fantasy XV. Diferentemente do sistema “Active Time Battle” do original, Remake emprega um sistema de batalha em tempo real similar ao usado na série Kingdom Hearts, em que os jogadores podem controlar Cloud ou seus aliados livremente enquanto usam suas respectivas armas e habilidades para atacar inimigos. Os jogadores também poderão utilizar magias e convocações, com a barra do Limit Break, permitindo que os personagens realizem ataque poderosos uma vez totalmente carregada. O produtor Yoshinori Kitase aifrmou que, apesar do título possuir mais elementos em tempo real, ainda assim haverá partes estratégicas como a seleção de armas e magias para cada personagem empregar.

Combate

Não economize na ATB

Final Fantasy 7 Remake possui um único ataque básico que você pode usar indefinidamente, mas ele não vai levá-lo muito longe no jogo, já que vários inimigos são resistentes — ou mesmo totalmente imunes — a ele. Ao invés disso, faça uso dele apenas para manter seus oponentes ocupados e preencher a barra de ATB (Active Time Battle), a qual abre o acesso a várias outras habilidades, bem mais poderosas, o que nos leva ao ponto seguinte…

Use o personagem certo para o combate…

Diferentes personagens, diferentes propriedades. Como todo bom RPG, FF7 Remake não foge a essa velha lei do gênero. Entretanto, ao invés de se apegar em tradições ultrapassadas (mago branco não é combatente físico etc.), esse jogo visa estabelecer minúcias um pouco mais aprofundadas, que requerem um conhecimento do perfil de cada personagem e seus movimentos.

Cloud, por exemplo, é o clássico combatente de espadas, mais balanceado fisicamente. Tifa é a lutadora corpo-a-corpo, ideal para atordoar inimigos e abrí-los para danos maiores dos outros membros do grupo, enquanto Barret é o mais indicado para ser o “tanque”, absorvendo a maior parte do dano enquanto acerta seus oponentes distantes com seu braço-metralhadora. Aerith é a clássica curandeira, mas vem neste remake com ataques físicos que ajudam a controlar melhor grupos maiores de inimigos.

…mas não se apegue a padrões

Quando você ganhar acesso às Materias, orbes coloridas que lhe conferem o uso de magias e outras habilidades, o remake de Final Fantasy VII se abrirá como uma flor para você, permitindo que você atribua novas capacidades aos seus membros. Aqui, o sistema amigável de evolução de personagens permite que os membros do grupo assumam mais de um papel: Aerith, costumeiramente curandeira, pode se tornar uma feiticeira ofensiva, com magias que debilitam inimigos com status negativos, enquanto Barret pode ser o ladrão de mão cheia, roubando itens dos inimigos enquanto sustenta a maior parte do dano.+21

Troque de personagens constantemente

Com um simples comando no botão direcional do controle, você troca de personagem e acessa as habilidades de outros guerreiros. E você vai precisar disso: a barra de ATB se preenche conforme você acerta golpes ou mesmo com o tempo, mas personagens controlados pela inteligência artificial (IA) não vão executar movimentos mais poderosos sem que você os ordene.

Você ainda pode fazer isso sem trocar de personagens: segurando L2, você abre a janela de comandos dos outros guerreiros, escolhendo habilidades ali, mas o ideal é que você faça uma troca completa a fim de tirar o máximo de proveito de seus membros de equipe — até porque, em alguns momentos, Cloud não será o personagem controlável, então o hábito de usar qualquer guerreiro vem bem a calhar.

Aprenda a “bloquear” e não aposte em “esquivar”

O combate em tempo real de Final Fantasy 7 Remake vem com um comando para esquiva e outro para bloqueio. O último não impede que todo o dano lhe atinja, mas reduz drasticamente o impacto de golpes contra você (um golpe que tire 100 pontos de vida, passa a tirar 12, por exemplo). Já a esquiva anula todo e qualquer dano porque, bem, você saiu do caminho do golpe.

O problema: na maioria dos casos, a esquiva não será capaz de salvá-lo — especialmente contra chefões maiores, que possuem ataques de área ao invés de direcionados. O dano colateral facilmente atravessa o alcance de sua esquiva, então mesmo que você tenha o timing certo, ele ainda vai lhe acertar em cheio. Um bloqueio — mesmo que o derrube — ainda terá um dano mitigado. Saber qual usar de acordo com as situações é essencial para sobreviver aos combates.

AVALIE TUDO!

Ao longo do jogo, você receberá uma Materia amarela (que simboliza “comandos” ou “técnicas”) chamada “Assess”. Não confunda com “acesso”: o nome da Materia é uma tradução inglesa para “Avaliação”. Ela substitui a “Sense” do Final Fantasy VII original, oferecendo a mesma capacidade: visualizar as informações táticas de inimigos.

Ela permite que você conheça as fraquezas de seus oponentes e estabeleça estratégias que façam uso de todos os seus personagens para vencê-los. Por exemplo: um inimigo de metal pode ser fraco contra ataques elétricos, então faça Tifa atordoá-lo com um alto volume de ataques de base, enquanto Aerith dispara uma magia de trovão e finalize-o com Cloud e uma de suas várias técnicas de ataque concentrado, como “Braver” ou, mais à frente no jogo, “Infinity’s End”. Além disso, pelo menos duas quests opcionais são diretamente atreladas ao volume de uso da “Assess”, então quanto mais você usá-la, mais benefícios terá.

Stagger a vida toda!

A função “Stagger” serve para desequilibrar ou atordoar os inimigos e todos, sem exceção, podem sofrer com ela. Abaixo do indicador de vida dos oponentes há uma barra que, se preenchida, deixa o oponente nesse estado extremamente vantajoso (para você), fazendo com que ele tome um dano muito maior que o normal (pelo menos o dobro em ataques normais; três a quatro vezes mais em ataques que explorem suas fraquezas) e o melhor, SEM REAGIR até que a barra se esvazie. A dica é: faça volume com ataques rápidos (Tifa é ótima para isso) até atordoar o oponente e, uma vez feito isso, abuse de técnicas especiais para derrubá-lo de vez.

Abuse da expansão das Summons

As invocações — ou “Summons” — ganharam um papel mais aprofundado em Final Fantasy VII Remake: no original de 1997, elas apareciam e executavam um ataque pré-animado mais poderoso, para sumir em seguida. Aqui, elas não apenas se posicionam como membros temporários de sua equipe (uma inspiração de Final Fantasy XII), como suas habilidades, aplicadas via gasto da ATB, podem ser direcionadas por todos os personagens, e não apenas aquele que as invocou. Neste remake, são seis summons a serem encontradas no game (oito, se você comprou o jogo via pré-venda) e todas possuem habilidades extraordinárias de combate.

Priorize acessórios e armas que lhe concedam mais espaço para Materias

Sim, estamos pedindo para que você ignore os status de armas, já que eles remetem apenas ao ataque básico. As Materias são o cerne do combate em FF7 Remake e, quanto mais delas você tiver equipadas, mais habilidades e magias terá à disposição. Uma ideia comum é equipar todas as magias elementais + uma magia de cura (Materias verdes) e preencher qualquer excedente com habilidades de comando (Materias amarelas) ou “linkagens” que adicionem efeitos aos seus golpes físicos (Materias azuis). Até mesmo porque você precisará ter matérias verdes evoluídas ao máximo para uma quest específica ao final do jogo, então quanto antes equipá-las, mais rápido elas serão aprimoradas.

Exploração

Caixas e baús

Encontrar itens “pelo mundo” tornou-se algo mais realista em Final Fantasy VII Remake, já que todos os cenários contam com baús bem evidentes que simbolizam aquilo que você vai receber (amarelo para itens comuns, roxos para armas/acessórios equipáveis). Mais difíceis de serem percebidas, porém, são as “caixas Shinra”, que contém itens de base (poções e afins) e cristais mako para recuperar pontos de magia. O ponto é: explore cada cantinho do cenário. Viu caixas? Porrada nelas. Viu baús? Bom…abra todos.

Quests e mais quests

O remake de Final Fantasy VII conta com um minimapa que exibe diversos personagens secundários que podem lhe oferecer objetivos auxiliares. É primordial que você cumpra todos esses objetivos se quiser tirar o máximo em recursos e enredo. Geralmente, essas quests aparecem quando você está em algum grande centro urbano, tecnicamente em uma área “livre” para explorar. Elas são variadas, desde “derrube esse inimigo diferenciado” até “encontre essas crianças perdidas”, mas algumas conferem recompensas que você não verá em nenhum outro lugar, então não se acanhe em fazê-las todas.

Durma nos bancos de praças

Um recurso interessante de Final Fantasy VII Remake é a disposição ocasional de “bancos de praça”, facilmente reconhecíveis pela tonalidade azul que destoa do restante cinza de Midgar. Esses aparatos funcionam como pontos de salvamento automáticos, estabelecimento de pontos de checagem e, de quebra, restauram completamente a vida e pontos de magia do grupo todo.

É interessante que você encarne o “Bruno e Marrone” dentro de você e os use mesmo sem precisar, pois, ao estabelecer um ponto de checagem, caso você venha a enfrentar uma luta mais dura e morrer mais à frente, poderá retomar a aventura por esse local, ao invés de ter que atravessar todo o mapa novamente. Aliás, enquanto falamos em praças e sertanejos sofridos…

Não esqueça das vendinhas

Neste jogo, temos os costumeiros lojistas de itens, armas e Materias, mas também inaugurou-se aqui um recurso extra, no formato daquelas máquinas de salgadinhos que vemos em qualquer empresa mais contemporânea. Em Final Fantasy 7, tais vendinhas oferecem os itens de base a preços descontados (iluminados em amarelo, facilmente estocando Poções, Mega-poções e similares), além de algumas trazerem discos com a trilha sonora do jogo. Como os descontos são bem interessantes, ignorá-las seria um desperdício completo, então tire proveito de todas as que encontrar.

Cura também funciona fora das lutas

Ao contrário de Final Fantasy XIII, que curava 100% da sua vida após cada combate automaticamente, Final Fantasy VII Remake trava sua força vital onde quer que ela tenha parado durante a última luta. Se você não prestar atenção, pode entrar no próximo combate com menos “HP” do que o recomendado, o que obviamente o coloca em maus lençóis. Por isso, é importante que você se cure entre uma luta e outra: aperte “X” a qualquer momento para abrir o menu, selecione “Items” e escolha o seu item de cura. Para usá-los continuamente sem ter que abrir o menu repetidas vezes, segure o botão L1 até sua barra de vida ficar cheia de novo.

Mini-mapa, bússola, ou nada? Por que não os três

Nem todo mundo gosta de um mapa grosseiro e azulado exibido na tela e, convenhamos, ele atrapalha a admiração visual que podemos ter por Final Fantasy VII Remake. Então porque não se livrar dele? Ao apertar L2 durante a exploração livre, você alterna essa exibição entre o minimapa, uma bússola aos moldes de The Elder Scrolls: Skyrim ou nada. Teste todos e veja qual é o mais agradável para você.

Descobertas

Durante a exploração do mapa, você ocasionalmente vai se deparar com as “Discoveries”, pequenos objetivos que aparecem especificamente naquela situação. Eles são opcionais em sua maioria, mas trazem recompensas bem legais: em alguns casos, você verá uma Materia que está fora do seu alcance, então vale explorar outros caminhos para se chegar até ela. Noutras situações, você terá que explorar mais um pouquinho, acessando caminhos secretos para adquirir um item específico.

Miscelâneas e segredos

Chadley

Chadley é o jovem agente duplo que trabalha na Shinra, mas ajuda Cloud & cia. fornecendo desafios que resultam em novas Materias. É com ele que você obtém a “Assess” mencionada acima, além da maior parte das “Summons”. Por meio deste personagem, você acessa os “Combat Reports”, uma série de 20 missões auxiliares que envolvem desde “avaliar” um número específico de inimigos até se tornar mestre de todas as Materias verdes. São 20 ao todo e a recompensa mais impactante é a poderosa summon Bahamut.

Não venda Materias excedentes

Em se tratando de um RPG, é óbvio que você acabará com itens repetidos em seu equipamento. Quando falamos das Materias, não as venda, a não ser que elas sejam de fácil reposição (podem ser recompradas, por exemplo). Em Final Fantasy VII Remake, é do seu interesse ter mais personagens equipados com Materias iguais (a recomendação mais básica segue aqui: todos com magias elementais + cura) a fim de aprimorar suas capacidades de defesa ao mesmo tempo em que capitaliza fraquezas dos inimigos.

Você não precisa usar Materias para evoluí-las

A evolução das Materias em Final Fantasy VII Remake se dá por “ability points”, ou simplesmente “AP”. O bom é que, independente do seu uso de qualquer uma das Materias, você só precisa tê-las equipadas em seus equipamentos e armas para que elas já comecem a ganhar esses pontos. Em nossa segunda partida pelo jogo, não usamos a Materia “Raise”, que ressuscita um personagem derrubado, sequer uma vez, mas conseguimos evoluí-la ao máximo mesmo assim. Aliás…

Melhorando Materias rapidamente

Cada Materia tem sua quantidade específica de APs para evoluir, e o jogo lhe oferece duas formas de fazer isso: uma bem lenta, e uma “não tão rápida”. A primeira é, obviamente, equipando Materias e lutando. Nós, particularmente, pegamos as de AP mais baixo primeiro, para já tirá-las do caminho cedo (e termos acesso antecipado a magias elementais de alto nível, como Firaga, Blizzaga, Thundaga e Aeroga).

A segunda opção se abre no Capítulo 14, quando você obtém uma Materia chamada “Pedometer”. Basicamente, um contador de passos dos seus personagens: ande 5 mil passos (você vai terminar antes de perceber) e ela evoluirá para uma “AP Up”. Equipe-a em um slot conectado de seu equipamento (no menu, você vê a diferença: slots não linkados são círculos isolados, enquanto linkados têm um conector entre eles) e, na outra ponta, a Materia desejada para evoluir. Rapidinho, você vai ganhando mais níveis.

Armas e SPs

Ao contrário do jogo original de 1997, você não precisa vender armas que não esteja usando, já que elas evoluem junto com você. A graça disso é que você consegue aprender habilidades inerentes às armas específicas e, depois, voltar para aquela que você mais gosta ou que lhe for mais confortável para as lutas adiante. Assim sendo, a icônica Buster Sword de Cloud pode ser usada ao longo de toda a aventura, sem muito déficit de desempenho. Para evoluí-las, é simples: a cada nível que você ganha, também receberá um valor em SP. Use seus SPs para comprar novas habilidades para suas armas (dica: priorize o nódulo “Need More Materia” para ganhar novos slots para as Materias).

Suas decisões influenciam na sequência cross dresser de Cloud

Uma das sequências mais engraçadas de Final Fantasy VII retorna para o remake, com você tendo que travestir Cloud Strife, um soldado introvertido e duro na queda, com roupas femininas bufantes para satisfazer as vontades de um bandido tarado e machista local. A diferença é que essa missão é bem expandida no remake, possibilitando que você tenha várias opções de vestidos para “Cloudette”, Tifa e Aerith. Vale experimentar para descobrir todas elas.

Seleção de Capítulos

Após você terminar a sua partida, a opção de Seleção de Capítulos será aberta, lhe permitindo retornar a pontos específicos da história para, quem sabe tentar conduzir a trama de uma forma diferente, seja escolhendo outras opções de respostas em perguntas de múltipla escolha, obtendo summons, Materias e quests adicionais eventualmente perdidas ou buscando itens exclusivos.

Abrindo os Portões do Dragão

Você terá que esperar até o Capítulo 14 para isso: retorne ao Setor 5 e inicie a quest “Secret Stash”. Eventualmente, você vai ganhar uma chave para os três portões do Dragão. Abaixo, seguem as localizações de cada um:

Favela do Setor 5 (Sector 5 Slums)

Rodovia Destruída (Collapsed Expressway)

Esgotos (Sewers)

Destes, o terceiro portão é o mais complicado, por ser atrelado à história: após perseguir um monstrinho por todo o esgoto e enfrentar sua versão gigantesca, volte algumas telas, abra o portão, mas não entre. Siga avançando a história até encontrar uma alavanda que vai dragar o nível de água do local. Só então volte para o Portão.

Todos os três conferem itens exclusivos e extremamente valiosos.

Referências:

Canal Tech, wikipedia.

Deixe seu comentário: