Castlevania: Aria of Sorrow

Desenvolvido e publicado pela Konami, Castlevania: Aria of Sorrow é um jogo de ação-aventura. lançado em 2003 para Game Boy Advance. Ele faz parte da série Castlevania, sendo assim, o terceiro título para o console portátil.

Jogabilidade

Você controla o personagem sob uma perspectiva de terceira pessoa, para interagir com pessoas, objetos e inimigos. Assim como os títulos anteriores, bem como, a maioria dos jogos de RPG, o personagem sobe de nível quando ganha pontos de experiência, a medida que derrota inimigos. A cada nível alcançado, melhora as estatística do seu personagem, e como resultado, fazendo com que ele melhore seu desempenho. Para derrotar um adversário, o jogador poderá utilizar uma variedade de armas. Apesar do jogo se passar no ano de 2035, as armas disponíveis são muito medievais. O que incluem espadas, machados e lanças, além de também uma pistola. Estas armas diferem em nível de dano, alcance da arma e velocidade no uso. Itens e outros acessórios podem ser adquiridos ao derrotar inimigos ou através da compra (só é disponível após certo ponto no jogo).

Enredo

Aria of Sorrow se passa no ano de 2035. A premissa da série é o conflito entre os caçadores de vampiros do clã Belmont e o vampiro imortal Dracula. No ano de 1999 (36 anos antes do começo de Aria of Sorrow) o Dracula foi derrotado pelo clã Belmont e seus poderes foram selados num eclipse solar. Um momento após a morte do Dracula, uma profecia foi feita: a reencarnação do Dracula iria ao castelo no ano de 2035 e herdaria todos os seus poderes. Esta profecia age como o principal motivo para que os personagens secundários estejam presentes no local.

Cenário

Assim como outros jogos da série, Aria of Sorrow se passa no castelo do Dracula, que é subdividido em variadas e diferentes áreas por onde o jogador passa. Estas áreas possuem elementos diferentes, sendo assim, inclui inimigos distintos, características do terreno e do fundo variantes, além de possuírem uma música tema própria para cada. Como acontece em boa parte dos jogos de plataforma, o progresso entre tais áreas é limitado pelas habilidades que o personagem possui ao longo do jogo, em outras palavras, as opções do jogador tornam-se mais diversas quando o número de habilidades adquiridas pelo personagem aumenta, sendo este mais um contraste em relação a outros títulos da série.

Tactical Soul

Em Aria of Sorrow, você encontra um novo sistema de combate e habilidade, que foi introduzida a série, denominado Tactical Soul. Tal sistema, consiste na absorção das almas dos oponentes com o objetivo de ganhar habilidades adicionais. Todas as almas podem ser absorvidas pelo personagem, com exceção de inimigos que sejam humanos e chefes finais. A taxa de obtenção das almas dos inimigos varia entre eles. Adicionalmente, dois jogadores podem trocar almas entre si usando um cabo de conexão.

Almas e seus efeitos.

As almas trazem diferentes tipos de efeitos, sendo separadas em quatro categorias; Bullet, Guardian, Enchant e Ability, portanto, Você poderá equipar somente um tipo de alma Bullet, Guardian e Enchant de uma vez. Almas Bullet dão ao jogador a capacidade de consumir uma porção definida de pontos de magia para usar uma habilidade de ataque, sendo projéteis. Guardian dão efeitos contínuos, o que incluem transformar-se em criaturas místicas e invocar familiars, drenando continuamente pontos de magia assim que ativados. Enchant ficam continuamente ativas quando equipadas, assim, proporcionam aumentos nas estatísticas ou outras habilidades inatas, como a habilidade de andar sobre a água. Ability dão ao jogador habilidades inatas mais importantes, que são frequentemente necessitadas para atravessar certas áreas do castelo. Pelo fato destas últimas estarem permanentemente ativas, elas não precisam ser equipadas/ativadas e nem consomem pontos de magia, ou seja, podem ser desativadas através do menu durante o jogo.

Modos adcionais

Na primeira vez que você joga Castlevania: Aria of Sorrow , não terá alguns modos disponíveis para jogar, contudo, isso é possível, quando você finaliza o jogo com o “good ending”. Feito isso, você terá a opção “New game +”, dessa forma, o jogador poderá jogar novamente com todos os equipamentos, itens e almas que ele adquiriu da primeira vez. Apesar disso, não é possível escolher o “Hard Mode”. Dois outros modos, disponíveis após o término do jogo, seja com o bad ou good ending, oferecem alternativas à jogabilidade normal: “Boss Rush Mode”, um modo baseado em time attack onde são enfrentados todos os chefes do jogo em seqüência e o “Julius Mode”, onde o jogador controla o personagem do clã Belmont que participa de AoS.

Personagens

  • Soma Cruz (protagonista) – um estudante transferido do Japão que possui o “poder do domínio”, que o permite absorver as almas dos monstros e usá-las como suas habilidades.
  • Mina Hakuba (amiga do Soma Cruz) – a filha única do sacerdote-guardião do santuário Hakuba.
  • Genya Arikado – um agente enigmático do governo e o disfarce de Alucard (filho do Conde Dracula).
  • Yoko Belnades – uma bruxa e membro do clã Belnades.
  • J – um homem com amnésia que foi levado ao castelo do Dracula.
  • Hammer – um soldado do Exército dos Estados Unidos ordenado a investigar os eventos ocorridos no castelo.
  • Graham Jones – um missionário que acredita que é a reencarnação do Conde, participa como o antagonista do jogo

Finais

Existem três finais: o bad (mal, “falso”), onde o jogo acaba no ponto em que Graham é derrotado; o good (bom, “verdadeiro”), onde depois da derrota do mesmo, ainda existe mais a ser explorado pelo jogador, e então o Chaos é derrotado; e um segundo bad, onde o Chaos não é derrotado e Soma torna-se o Dracula por completo. A única diferença que define qual dos endings good ou o primeiro bad será mostrado é o uso de três certas almas antes e durante a luta contra Graham, que, aparentemente, capacitam a Soma de absorver os poderes de seu oponente após o combate.

Recepção

Castlevania: Aria of Sorrow, recebeu várias críticas favoráveis de diversas publicações de videogame, com muitos o comparando a Castlevania: Symphony of the Night, o jogo amplamente considerado o melhor de toda a série. Entre as boas críticas estão, 22° jogo mais bem feito para sistema da Nintendo, sendo considerado por alguns, o principal jogo da série para Game Boy Advance. Entre outras críticas, estão controle de personagem, jogabilidade, o modo Tactical Soul, interação com os inimigos, gráficos, áudios e por fim, ambientes enaltecidos como “belos e bem construído”.

O que você acha desse grande jogo do Game Boy Advance? Deixe aí nos comentários.

Referência:

Wikipedia.

Deixe seu comentário: