Cuphead

Cuphead é um jogo eletrônico de run and gun e plataforma feito pelos irmãos canadenses Chad e Jared Moldenhauer com o nome de Studio MDHR, desenhado no estilo dos desenhos animados da década de 1930. Como Cuphead, o jogador luta contra uma série de chefes para pagar uma dívida adquirida com o diabo. O jogo foi inspirado em animações década de 1930, como as do Fleischer Studios e procurou manter a obra em qualidades subversivas e surrealistas. Cuphead foi lançado em 29 de setembro de 2017 para Xbox One e Microsoft Windows.

Jogabilidade

Além dos gráficos extremamente detalhistas e fiéis aos velhos cartoons, o jogo chama a atenção pela particularidade, lembrando os jogos de plataforma dos anos 90 em 8 e 16 bit. É possível perceber referências a alguns desses jogos, como Contra, Mega Man X, Gunstar Heroes, Street Fighter III e Thunderforce (quando das fases aéreas). As fases são repletas de inimigos, que atacam das mais diversas formas: saltando em direção ao jogador, caminhando ou atirando projéteis. O jogo também possui fases aéreas, com o personagem pilotando um avião, onde o objetivo é destruir os inimigos atirando projéteis e bombas. Outra referência a jogos vintage está no sistema de navegação entre fases através de um mapa ao estilo Super Mario World e Donkey Kong Country.

Primeiro de tudo: ajuste seus controles

O jogo requer o máximo de precisão, e a configuração inicial dos controles do game simplesmente pode não ser a recomendável para você. Felizmente, “Cuphead” dá liberdade total para ajuste de controles para que o jogador encontre a forma mais confortável de jogar.

Recomendação: o tiro no botão “X” do controle do Xbox dificulta a movimentação rápida do personagem, então é altamente indicado trocar o botão do tiro para um gatilho de sua preferência. As outras alterações ficam por sua conta, mas só essa mudança já altera completamente o jogo.

Ficou preso? Procure atalhos

“Cuphead” é um jogo de chefes difíceis, que testarão sua coordenação motora e sua capacidade de reconhecimento de padrões de ataque. A tendência é que você fique preso em algum momento do jogo em algum chefe.

O game também tem uma mecânica peculiar, em que novos caminhos só são abertos quando você derrota algum chefe. Isso pode ser particularmente preocupante quando você está preso diante de um adversário.

Os desenvolvedores, no entanto, incluíram atalhos nas três ilhas que compõem o jogo, que são caminhos escondidos que dão acesso a áreas  bloqueadas do mapa. Isso vai te dar acesso a novas fases que estariam bloqueadas pelos caminhos normais, dando o tempo para refrescar sua cabeça com outros oponentes antes de voltar a encarar aquele monstro em que você havia ficado preso.

Alterne suas armas

Cada chefe em “Cuphead” tem suas próprias características, o que significa que não existe uma estratégia ideal que funcione contra todos os inimigos. Você precisa moldar sua estratégia para enfrentar cada adversário, e isso passa por escolher sabiamente suas armas.

Se o inimigo não te dá tempo para respirar, uma opção é usar a arma Chaser, que causa pouco dano, mas não depende de mira para acertar o adversário, permitindo que você cause dano constante enquanto se concentra em desviar dos ataques. Enquanto isso, se o adversário permite a aproximação, vale a pena trazer a arma Spread para o combate, que tem um alcance baixo, mas causa bom dano.

A arma Charger causa o maior estrago, mas tem uma cadência de tiro pequena. Ao segurar o botão de tiro, ela não dispara automaticamente, mas sim carrega o disparo para causar mais dano. Um tiro totalmente carregado gera o dano máximo nos inimigos, mas é necessário ter pontaria. Use com sabedoria em chefes que abrem uma janela mínima de ataque.

Faça as fases Run n Gun com atenção

Elas são opcionais, mas são fundamentais para a experiência completa de jogo. Além de divertidas, elas também trazem moedas que podem ser usadas na loja do Porkrind para comprar power-ups e novas armas para seus personagens.

É importante também ficar atento aos seus arredores enquanto faz essas fases. Há moedas escondidas que só vão ser percebidas se você estiver de olho no que acontece em volta do seu personagem.

Fique de olho no mapa também

As fases Run n Gun dão o maior número de moedas do jogo, mas para poder comprar tudo que está disponível na loja do Porkrind, você vai precisar de mais. As moedas estão escondidas pelo mapa, atrás de árvores, pedras e objetos do cenário em geral. Tente caminhar por trás de lugares que parecem inofensivos para ganhar todas as moedas, e fale também com todos os personagens que você encontra pelo cenário.

Compre a habilidade de dash invisível

“Cuphead” tem um quê de “Dark Souls” no sentido em que você está constantemente acuado e seu foco deve ser primeiro a defesa para esperar aberturas para o ataque. Isso fica muito mais fácil com a habilidade Invisible Dash, que torna o seu personagem invulnerável no instante em que você usa o movimento de esquiva. Quando você dominar esse movimento,  fugir de armadilhas sem sofrer dano fica bem mais simples, tornando a batalha menos complicada e permitindo uma pontuação melhor ao fim da fase.

Uma outra habilidade importante é a que dá mais corações. O problema desse recurso é que ele reduz bastante o dano médio da sua arma. Isso significa que você vai resistir a mais pancadas, mas a luta vai durar mais, o que pode anular a vantagem. Pense bem se vale a pena.

Domine o parry o quanto antes

No início do jogo, você dificilmente vai perceber o quão importante é esse recurso, mas as fases finais do jogo vão exigir que você domine esse movimento. Comece a treinar o quanto antes, pressionando o botão de pulo em objetos pintados com a cor rosa no momento correto.

O recurso pode servir simplesmente para desviar de um projétil disparado na sua direção, mas neste caso uma esquiva bem planejada permitiria evitar dano em boa parte dos casos. É a segunda parte do parry que é importante, que proporciona alcançar plataformas que não são alcançáveis com um pulo simples. As fases finais vão te cobrar isso, então domine o mais rápido possível.

Outra função importante do parry é aumentar instantaneamente sua barra de especial, permitindo que você use sua habilidade Super mais rapidamente. Isso também vai ser importante nos chefes mais complicados do fim do jogo.

Conheça seu Super e saiba a hora de usá-lo

Cada arma tem uma habilidade especial, mas o jogo tem três técnicas “Super” que independem da arma que você está usando. Você conquista essas habilidades com as fases de mausoléu; existe uma delas em cada ilha.

Você ganha acesso ao Super quando acumula cinco cartinhas no canto inferior esquerdo da tela. Se você tentar usar a habilidade especial antes de juntar cinco, você irá apenas disparar o especial da sua arma.

Cada habilidade tem uma utilidade especial. O Super I é o mais simples: é um disparo horizontal poderoso que causa altos danos, mas não funciona se o inimigo estiver acima de você; já o Super II torna o personagem invulnerável por alguns segundos.

O Super III permite controlar um fantasma poderoso, mas é o mais complexo de dominar. O fantasma se movimenta de acordo com a movimentação do seu personagem, então você precisa sincronizar o ataque da sua arma com o do espírito para maximizar o dano. A forma mais eficiente de fazer isso é travar a mira do seu personagem, o que permite controlar apenas a movimentação do especial sem precisar correr pelo cenário sem direção e correndo riscos.

Todas as técnicas são poderosas se você souber como usá-las, mas mais importante ainda é saber quando utilizá-las. Cada chefe tem várias etapas; isso significa que você pode ter mais facilidade ou dificuldade em diferentes momentos do mesmo oponente. Guarde seu especial para a etapa que mais lhe trouxer problemas, a menos que você tenha dominado a mecânica do parry, que permite encher o Super mais facilmente e proporciona mais disparos do seu especial. 

Aprenda com os erros

Assim que começar a jogar, você vai perceber que o game é extremamente difícil e que vai acabar morrendo várias e várias vezes. Antes de jogar o controle na parede, se acalme e tente ver o que está causando as suas falhas.

O jogo pode ser desafiante, mas ele é bem justo e tenta te ensinar a ser melhor a cada fase. Por isso, é bom ficar de olho nos padrões dos inimigos e como dominar os controles. Também tenha paciência, shooters de plataformas não foram feitos necessariamente para você sair correndo e atirando sem ver nada.

Colete todas as moedas

Ao longo das diversas fases, você encontrará moedas que pode coletar. Nossa recomendação é que sempre tente pegar todas, já que isso garante dinheiro suficiente para gastar nas lojas com upgrades e melhorias temporárias para seu personagem. Também não tenha medo de gastar as moedas, mas compre só aquilo que realmente for usar nas partidas.

Aprenda todos os comandos

Considerando que nas fases mais avançadas você terá que lidar com inimigos vindo de todos os lugares, é uma ótima ideia saber os comandos com maestria.

Logo no começo, você terá um tutorial sobre os controles. Nossa dica é que preste atenção neles, já que você terá que usar tudo com grande frequência e agilidade em todas as fases.

Não se mova se for desnecessário

Em pouco tempo, você perceberá que Cuphead é extremamente frenético e que é preciso se movimentar o tempo todo em diversas situações. Ainda assim, haverá muitos momentos que ficar parado te ajudará muito mais.

Há inimigos e chefes com posições fixas e que lançam ataques em projéteis, por exemplo. Em vez de ficar andando pela tela como um louco, você pode ficar em uma só posição e só pular ou agachar para desviar dos ataques enquanto também atira no inimigo.

Use seu dinheiro sabiamente

Existem 40 moedas ao todo em Cuphead, sendo que 30 delas você consegue jogando as fases exploráveis e as outras 10 fazendo o tutorial, conversando com outros personagens e até mesmo fuçando locais escondidos nos quatro mapas de Inkwell Isle.

No começo do jogo, você obtém 1 moeda no tutorial e mais 3 falando com o personagem sentado na ponte. Eu recomendo muito que a primeira coisa que você compre na loja de Porkrind seja a Smoke Bomb, pois com ela equipada você fica invencível durante o Dash, algo que te ajudará muito em diversas situações de aperto. Após isso, faça a fase Forest Follies, coletando todas as 5 moedas que estão bastante visíveis, volte até a loja e compre agora a arma Spread, que é uma das mais úteis graças ao seu disparo que alcança várias direções. Outras armas excelentes para você comprar são a Charge Shot, que pode não ter tiro automático, mas causa um tremendo estrago no adversário, e a Chaser, que lhe dá um disparo teleguiado.

Antes de lutar contra qualquer chefe, visite o Mausoléu do Mundo 1

Depois que você passar da fase Forest Follies, uma ponte surgirá. Atravesse-a e siga pelo mapa até chegar no Mausoléu. Lá dentro você precisará derrotar uma certa quantidade de fantasmas rosados para adquirir a Super Art Energy Beam, a mais útil do jogo. Além de ser um ótimo local para você treinar seu Parry, ter essa habilidade poderosa equipada antes de encarar os chefes é uma verdadeira mão na roda.

Lembre-se que você pode transformar seu avião

Os chefes de Cuphead que você enfrenta no avião requerem tremenda agilidade em muitos momentos para desviar de suas investidas. Muita gente esquece, no entanto, que o avião no seu formato normal é lento. O modo miniatura dele, embora seja péssimo para causar dano, tem uma mobilidade excelente. Portanto, caso veja que não está conseguindo se esquivar a tempo com sua aeronave de alguma investida do inimigo, transforme-a para fazer isso e depois volte ao normal para continuar atirando.

Após você se habituar a fazer essa troca, as batalhas aéreas ficarão muito mais fáceis.

Preste atenção nos ataques dos chefes

Embora os chefes tenham vários ataques e formas, a grande maioria segue um padrão. Fique atento aos ataques para entender a melhor maneira de se esquivar. O jogo lhe dá vidas infinitas porque a ideia é que você morra várias vezes mesmo, para aprender com seus erros e não repeti-los mais.

Converse com todos os personagens nos mapas

Os habitantes de Inkwell Isles lhe fornecem pistas sobre coisas que você pode fazer ou descobrir. Às vezes, falar com um deles depois de realizar uma determinada ação, como por exemplo encontrar um caminho escondido dentro do mapa, o fará lhe dar uma recompensa.

O que dá para fazer depois de zerar?

Como assim, terminou o jogo? Então meus parabéns! Depois que você chega ao fim do game existem cinco coisas que você pode fazer para continuar jogando.

Encontrar as moedas que faltaram

Conforme foi dito mais acima, há 40 moedas para você pegar e a chance de você não ter apanhado todas após finalizar o game é considerável. Se você coletou todas as trinta que estão nas seis fases exploráveis, a do tutorial e as três com o personagem na ponte do Mundo 1, faltarão apenas seis. Confira abaixo como consegui-las.

Moeda escondida no Mundo 1: Fale com o personagem com cabeça de machado após derrotar todos os chefes deste mundo, aí conseguirá pegar uma moeda nas árvores ao lado dele.

Moedas escondidas no Mundo 2: Vá até o local da fase Aviary Action e ande pelo caminho por trás dela, pelas montanhas, até chegar do outro lado. Depois disso, volte e converse com a garota com cabeça de pão de gengibre para que ela lhe dê a moeda.

Perto da fase do Dragão, converse com o malabarista depois de executar Parry 4x seguidas sem cair no chão e ele lhe dará uma moeda por seu esforço. Perto da saída para o Mundo 3 há uma carroça verde com outra moeda.

Moeda escondida no Mundo 3: Olhe atrás do estande perto da loja para achar a moeda.

Moeda escondida no Finale: Atrás dos dados vermelhos do lado de fora do casino, no lado esquerdo.

Dificuldade Expert

Vencer cada um dos chefes no novo nível de dificuldade Expert. Se você achava o jogo difícil, prepare-se, pois o Expert sim vai testar suas habilidades, com inimigos muitíssimo mais agressivos.

Dificuldade Expert + Nota S: Realizar o objetivo descrito acima, mas de maneira perfeita, derrotando cada chefe no Expert sem tomar dano, fazendo três parry e usando 6 cartas de ataque especial para ganhar a nota S. Vale ressaltar que você não precisa disso para obter uma Conquista. Faça apenas se gostou muito mesmo do jogo e está interessado neste grande desafio proporcionado por Cuphead.

Atualização: Descobri que o tempo também é um fator determinante para obter o S, embora às vezes você consiga essa nota mesmo demorando mais de 2 minutos para vencer o adversário, ou um tempo maior do que esse no caso do King Dice.

Modo Preto e Branco

Sua quarta opção do que fazer depois de zerar é desbloquear o modo Preto e Branco. Conforme o próprio nome do modo diz, ele permite que você jogue com visual monocromático, podendo também alterar o áudio do jogo para que fique ainda mais de época. Para habilitar isso, é necessário completar todas as seis fases exploráveis sem disparar um tiro sequer, o que também lhe dá uma Conquista. Quando tiver sucesso nisso numa fase, ganhará nela a nota P, de Pacifista.

Utilize Smoke Bomb de modo a desviar dos inimigos com mais facilidade ou então Twin Heart para ter 5 HP e aumentar suas chances de sobreviver sem atirar, lembrando que Parry está liberado, então use e abuse disso. Sua Super Art deverá ser Invincibility, que lhe dará alguns segundos preciosos de invulnerabilidade, os quais você deve usar nos momentos mais complicados. A exceção fica por conta da fase Forest Follies, onde vale mais a pena utilizar a Super Art Giant Ghost, manipulando seu fantasma perto da máquina Acorn Maker para que ele suma ao lado dela e você possa fazer uso do Parry no coração rosa que surge, para pular por cima deste inimigo. Dá também para passar dessa etapa da fase pegando impulso nos disparos rosa efetuados pelos cogumelos.

Terminando as fases sem atirar, fale com a tartaruga do Mundo 3 e pronto, poderá jogar o game em Preto e Branco.

Ferramentas de Evasão

Como na maioria dos jogos desse estilo, a evasão é uma estratégia chave se você quiser ir longe. Cuphead dá aos jogadores várias maneiras de evadir ataques, mas cabe a você saber quando usar essas habilidades. As duas principais habilidades que você deveria usar com freqüência são o dash e o agachar. Dash (Y no layout padrão do controle) pode ser feito no chão ou no ar. Seu personagem irá se mover a uma distância definida, portanto, certifique-se de que você não está se metendo em algo ruim. Depois de um dash, você pode executar outra ação, como um parry se você tiver feito dash no ar, ou simplesmente atacar imediatamente após um dash.

Dash é mais do que apenas uma outra maneira de se mover. Você pode fazer um dash em qualquer ponto durante o seu salto, o que significa que você pode usar o dash para parar seu salto ou para alterar sua trajetória, se você achar que está prestes a pular em um inimigo. O dash é muito rápido e pode tirar você de uma situação ruim quando cronometrado corretamente.

A maioria das pessoas negligencia a capacidade de agachar. Embora esta não seja uma nova habilidade por qualquer meio, seu personagem fica muito baixo no chão. Isso faz com que agachar seja extremamente útil para evadir ataques que você pode ter pensado serem inevitáveis. Você pode até atirar enquanto se agacha, tornando essa habilidade ainda mais útil. 

Batalhas de chefe

A maioria dos níveis do jogo são batalhas de chefe. Concluir essas batalhas épicas contra um ou mais inimigos às vezes desbloqueiam o acesso a novas áreas, por isso é importante não deixar qualquer nível para trás. As batalhas de chefe geralmente são divididas em múltiplas fases, com cada fase oferecendo um padrão de ataque diferente e geralmente ficando cada vez mais difícil com cada nova fase.

Enquanto muitos outros jogos têm batalhas de chefe com várias fases, os chefes em Cuphead são geralmente mais aleatórios do que os de outros jogos. Por exemplo, você pode conhecer o padrão de ataque de um chefe, mas a ordem dos ataques ou a velocidade em que as fases mudam podem mudar a cada vez que você joga. Você não pode apenas aprender um padrão e esperar ganhar em Cuphead.

Quando você derrota um chefe, você recebe uma letra com base no seu tempo de conclusão, pontos de vida restantes, número de vezes que você deu parry com sucesso, quantos ataques EX e Super Movimentos usou e o nível de dificuldade em que você jogou. Para obter um perfeito A + na maioria das batalhas de chefe, você não precisa tomar nenhum dano, da parry pelo menos três vezes, use pelo menos seis ataques EX ou dois Super Movimentos e completar a batalha na configuração de dificuldade Regular. Há também um limite de tempo específico que varia dependendo da batalha do chefe. Passe desse limite e você não ganhará uma nota A +.

Referências:

Olhar digital, Play Replay, Game Hall, Game Detonado, wikipedia.

Tony Hawk’s Pro Skater

Tony Hawk (série) é formado por jogos de computador e vídeo game baseados no skatista Tony Hawk, os jogos foram desenvolvidos pela Neversoft e publicados pela Activision. A série começou em 1999, com o lançamento de Tony Hawk’s Pro Skater para o console Playstation (no ano 2000 foram lançados o mesmo jogo para Dreamcast, Nintendo 64, PC e Game Boy Color).

Com o sucesso de Tony Hawk’s Pro Skater, a Activision lançou Tony Hawk’s Pro Skater 2 (Em 2000 para Playstation, 2001 para o Dreamcast, Nintendo 64, PC, Game Boy Color e Gameboy Advance), logo depois vieram Tony Hawk’s Pro Skater 2X para o Xbox, Tony Hawk’s Pro Skater 3 (Em 2001, para o Playstation, Playstation 2, GameCube, Xbox, Nintendo 64, PC, Game Boy Advance e Game Boy Color), e Tony Hawk’s Pro Skater 4 (em 2002 para o Playstation, PlayStation 2, GameCube, Game Boy Advance, PC, e Xbox).

O quinto jogo da série, Tony Hawk’s Underground (THUG), foi lançado em 2003 para PS2,GameCube, Xbox e Game Boy Advance. Esse jogo difere não so do nome dos títulos anteriores mais tem como foco a idéia do Story Mode (Modo História), onde o jogador cria seu próprio personagem com opções de skates, roupas, acessórios.Tony Hawk’s Underground 2 foi lançado em Outubro de 2004, e possuía características semelhantes ao jogo anterior. Com o lançamento do PSP, Tony Hawk’s Underground 2 foi refeito para ser lançado como título de estréia do console de mão.

Em 2005, Tony Hawk’s American Wasteland foi lançado para o Xbox 360, PS2, Xbox e GameCube. O jogo se passa totalmente em Los Angeles, com exceção do modo Classic, o jogo é maior que os já então lançados. Para o Nintendo DS e o Gameboy Advance foi realizado uma versão semelhante, chamada de Tony Hawk’s American Sk8land, o jogo possui conectividade wireless.

Em novembro de 2006, o oitavo jogo da série, Tony Hawk’s Project 8 foi lançado, com uma grande modificação gráfica e aparência diferente do resto da série, para tomar vantagem na nova geração de vídeo games, o jogo foi lançado para PSP, Xbox, Playstation 2, Xbox 360 e Playstation 3. Um jogo separado, Tony Hawk’s Downhill Jam, foi lançado exclusivamente para os consoles da Nintendo Wii,DS e Game Boy Advance, mais uma versão para o Playstation 2 foi lançada,também é considerado o pior jogo da série.

Sobre o jogo

O primeiro título da série é o que talvez mais se aproxime da realidade por ser o menos exagerado de todos, mas desde esse princípio o jogo nunca se propôs a ser um simulador do esporte. Apesar da presença digital de vários skatistas profissionais da época, assim como suas manobras replicadas fielmente, a proposta era de algo mais descontraído do que qualquer outra coisa, o que fica claro quando você tem personagens secretos como Officer Dick, um policial skatista.

O jogo é todo dividido em fases, cada uma em uma localidade diferente, e para conseguir passar para a próxima é necessário alcançar um certo número de objetivos, que são acumulados ao longo de sessões de dois minutos. Existem alguns básicos, como conseguir determinadas pontuações, fazendo o maior número de combos e manobras possíveis, até outros um pouco mais complexos, como encontrar as famosas fitas de VHS escondidas nas fases. Também há alguns campeonatos, onde o objetivo é simplesmente tentar fazer uma pontuação maior que os outros competidores de acordo com um juri controlado pela IA do jogo. Ainda é possível fazer algumas customizações básicas no skate para facilitar determinados estilos de manobras.

Mecanicamente não existe muito mistério, você controla o seu skatista, que “anda” sozinho, com o direcional, tem um botão para pulo, outro para flip (manobras em que o skate gira em um de seus eixos), outro para grind (corrimão) e por fim um para grab (manobras onde o skatista segura o skate). A ideia é que você mescle esses comandos, apertando o botão de pulo e imediatamente uma direção mais botão de manobra e caia em pé para conseguir pontos, contando claro com todos os obstáculos que o cenário te proporciona, como rampas, corrimões e afins. Após várias manobras sem cair, uma barra de especial se enche e você pode executar uma manobra especial exclusiva do skatista que garante muito mais pontos.
Embora o modo carreira, que é o modo principal e solo do jogo, fosse por si só interessante, o jogo contava também com um modos multiplayer, onde você podia disputar com os amigos em algumas modalidades simples com a tela dividida ao meio na vertical. Sinceramente eu sempre curti mais jogar o modo carreira mesmo no esquema de passar o controle a cada sessão e assim todos irem abrindo as fases juntos.

Mas vamos realmente ao que interessa, falemos da trilha sonora. Além de toda questão de jogabilidade, THPS já chamava a atenção por trazer uma trilha sonora de rock / punk rock de fazer qualquer um que curte o gênero pirar. Como ignorar um jogo que abre com uma banda tão emblemática como Dead Kennedys? Ou não pirar com Goldfinger, ainda que pela primeira vez ou rir do clipe insano do The Suicide Machines? Eu particularmente passei a escutar muito de punk rock nessa época justamente por conta do jogo. Engraçado lembrar também que em uma das fases, a da escola, havia um telão onde dependendo da música o clipe da mesma era exibido, e como internet naquele tempo não permitia o luxo de assistir a um clipe assim, não era incomum parar com o personagem em frente apenas para assistir. O mesmo valia para os finais dos skatistas que eram desbloqueados após finalizar o jogo.

Tony Hawk’s Pro Skater 2

Tony Hawk’s Pro Skater 2 é o segundo jogo da série Tony Hawk. Foi desenvolvido pela Neversoft e publicado pela Activision em 2000. O jogo foi primeiramente lançado para o PlayStation, logo depois lançado para o Nintendo 64, Dreamcast e Game Boy Color. A versão do jogo para o Game Boy Advance foi muito elogiada por dar uma impressão de jogo em 3D, e foi eleito como o primeiro jogo de aparelho portátil em 3D. O jogo foi também o primeiro a possuir a opção de criação de skatistas.

Jogabilidade

A segunda edição da série de jogos Tony Hawk’s conta com os mesmos skatistas do primeiro jogo, contando com a adição de Steve Caballero, Eric Koston e Rodney Mullen. Além dos skatistas profissionais também há personagens criados pela Neversoft, e funcionam como personagens desbloqueáveis, sendo eles Officer Dick, Private Carrera, McSqueeb e Mindy. E como um personagem secreto, o jogo conta com o herói dos quadrinhos da Marvel Comics, Homem-Aranha.

Como na primeira edição da série, o jogo conta com estágios em vários lugares ao redor do mundo, passando por cidades como Montana, Califórnia do Sul, Marselha, Nova York, Califórnia, Ventura, dentre outras cidades. Como exclusividade da versão para PC e Xbox, o jogo contém todas as fases do primeiro jogo da série.

Tony Hawk’s Pro Skater 3

Tony Hawk’s Pro Skater 3 é o terceiro jogo da série Tony Hawk’s. Foi desenvolvido pela Neversoft e publicado pela Activision em 2001 para o Nintendo GameCube, Game Boy Color, PlayStation, e PlayStation 2. Em 2002, o jogo foi lançado para o Nintendo 64, Xbox, PC e Game Boy Advance. Foi o primeiro jogo lançado para PlayStation 2 com suporte online, e o último jogo lançado para o Nintendo 64 na América do Norte.

Jogabilidade

Tony Hawk’s Pro Skater 3 é o terceiro jogo da conhecida série da Activision que leva o nome do renomado skatista profissional Tony Hawk. O game simula os principais movimentos do skate, contando com comandos específicos para cada classe de manobras.

O sistema do game é o mesmo de seus antecessores: você deve escolher um entre 13 dos maiores atletas da atualidade e andar por diversas pistas ao redor do mundo realizando objetivos em um tempo pré-determinado de dois minutos. Há também pistas específicas nas quais são realizados campeonatos. Nestas, o jogador deve andar em três baterias de um minuto, obtendo uma média entre as notas de cada. Se a média for boa o suficiente para colocá-lo entre os três primeiros na competição, você passa de fase.

THPS3 foi considerado revolucionário por conta de seus gráficos e físicas, que o diferenciaram bastante de seus antecessores; tudo por causa da capacidade do PS2, bastante superior a do Playstation, no qual seus antecessores foram lançados. O game também foi bastante conceituado por ser o primeiro do PS2 a oferecer suporte online.

Tony Hawk’s Pro Skater 4

O Tony Hawk’s Pro Skater 4 foi o primeiro da série a implementar um novo modo de jogo, onde você pode rodar livremente pelo cenário em busca de missões, e não mais ficar restrito ao tempo de 2 minutos para andar na pista e cumprir suas manobras neste tempo. O mecanismo do game continua o mesmo, portanto, você usa os mesmos botões para acionar os movimentos.

Como o mundo é livre e você pode rodar pelo cenário em busca de missões, vários NPC’s estão disponíveis para interagir com o seu personagem, como outros skatistas e até fotógrafos. São esses personagens que irão lhe informar sobre o seu próximo passo.

Além de Tony Hawk e outros skatistas profissionais famosos, também está presente no jogo o brasileiro Bob Burnquist. No total, você encontrará 14 atletas para selecionar e mais cinco secretos, que só aparecem nos níveis mais avançados, quando cumprir um certo número de missões.

Jogabilidade

O mecanismo básico do jogo continua o mesmo. Há um comando para o ollie (pulo com o skate) e outros para diferentes classes de manobras, que podem ser realizadas no ar ou em bordas e corrimãos (os chamados grinds). 

Apesar de não haver um enredo específico, em Tony Hawk’s Pro Skater 4 você pode conversar com fotógrafos, skatistas profissionais entre outros personagens para acionar as missões. Entre os diversos locais que podem ser visitados estão o porto de San Francisco, a ilha da antiga prisão de Alcatraz e a famosa pista de skate Kona. São 14 skatistas que podem ser selecionados, além de 7 secretos e 9 pistas diferentes (sendo duas secretas).

Tony Hawk’s Pro Skater 5

Tony Hawk’s Pro Skater 5 é um jogo da série Tony Hawk’s, desenvolvido pela Robomodo e Disruptive Games, e lançado pela Activision para PlayStation 4 e Xbox One. E foi convertido para PlayStation 3 e Xbox 360 pela Fun Labs. É o décimo da série, é o primeiro da série principal desde 2007 (Proving Ground). Ao contrário das versões anteriores, esse título não foi lançado para nenhum sistema da Nintendo no caso 3DS e o Wii U, e nem para o PC. O jogo foi lançado para PlayStation 4 e Xbox One em 29 de setembro de 2015. As versões para PlayStation 3 e Xbox 360 foi lançadas em 15 de dezembro de 2015 na América do Norte e Europa, após adiarem o lançamento para aprimorarem em relação ás versões anteriores.

Jogabilidade

O gameplay está no estilo de assinatura dos games Pro Skater clássicos em um grupo novo de níveis com o mesmo foco em objetivos desafiadores, controles com ajuste fino e manobras com pontuação alta – inclusive manuais e reverts – para unir esses combos enormes.
Os profissionais de skate do game incluem Tony Hawk, Nyjah Huston, Chris Cole, Riley Hawk, Aaron “Jaws” Homoki, Lizzie Armanto, Leticia Bufoni, David Gonzalez, Andrew Reynolds e Ishod Wair – ou você pode personalizar seu próprio skatista. E, claro, a trilha sonora será incrível! Mais detalhes em breve.

O Tony Hawk’s Pro Skater 5 realmente destrói no modo multiplayer online, permitindo que os jogadores entrem e saiam de sessões online correntes de skate com amigos e desafiantes de qualquer lugar do mundo; é como um skatepark que nunca fecha. Complete missões, libere conteúdo novo e suba de nível online ou offline, ou voe no mano a mano competindo contra outros jogadores.

20 pessoas podem jogar de uma vez, o que é insano. Os jogadores também podem construir seus próprios skateparks cheios de emoção para compartilhar com a comunidade. Atenção para o fato de que esses recursos online são somente para a versão PS4 – a versão PS3 não tem jogo online. Tenho tantas outras coisas para contar nos próximos meses, fiquem ligados.
Também estamos iniciando o lançamento de vários programas para compras antecipadas do game. Cheque na internet os exclusivos para compra antecipada nas suas lojas favoritas – e, claro, na PSN, onde o pedido antecipado para PS4 está disponível agora.

Tony Hawk’s Pro Skater 5 está sendo desenvolvido pela minha empresa Robomodo, com a Disruptive Games. A Activision está publicando. O game estará disponível para PS4 em 29 de setembro de 2015.

Queda rápida

Tony Hawk 5 é uma espécie de Tony Hawk 2 de uma dimensão paralela, em que a finada Neversoft largou o projeto e deixou pra que uma desenvolvedora cuidasse de um jogo que ela nunca viu na vida e muito menos conhece os fãs. Se prepare para ficar deprimido.

Pra aliviar um pouco a tensão, vamos começar com alguns pontos “positivos”. Os veteranos da série vão notar que o esquema de controles está praticamente o mesmo, fazendo da jogabilidade algo instintivo. Os botões para salto (Ollie), Flips, Grabs, Manuals e Grinds continuam mapeados da mesma maneira.

Isso imediatamente desperta uma nostalgia, que condiciona nossa mente a eliminar quaisquer outros problemas em prol de uma experiência que resgate um pouco de épocas passadas. Mas, não demora muito para perceber que uma nova mecânica, chamada Stomp, é o suficiente para voltarmos à realidade da maneira mais brusca possível.

Essa mecânica faz com que o jogador pouse mais rápido no chão, sendo rapidamente sugado para a superfície. Para acioná-la, você usa o mesmo botão que usa para deslizar nos corrimões e, sendo assim, há uma quebra enorme na estrutura que era tão consolidada.

Várias vezes você vai acabar pousando antes no chão quando, na realidade, mirava num corrimão. Qualquer veterano vai sofrer bastante com esta nova mecânica. Além disso, várias vezes ela retorce tanto a estrutura do jogo que acaba causando bugs e quebrando totalmente a experiência. Ou seja, até mesmo quem está chegando agora na franquia vai estranhar o tal recurso.

Removendo rodinhas

Fora isso, vários outros recursos de jogabilidade que vimos em jogos como Tony Hawk’s Pro Skater 3 e seus sucessores foram simplesmente arrancados da mecânica base.

Não existe a possibilidade de realizar as chamadas “Flat Tricks”, restringindo somente ao Manual convencional. Nos corrimões, os Grinds não podem serem ajustados durante as manobras, como acontecia nos jogos anteriores. Deitar no skate, pegar carona em carros ou descer da prancha são também alguns outros exemplos que não existem mais.

Realizar manobras especiais, algo adorado pelos fãs pelo fato de aumentar a dificuldade dos combos e também a pontuação, também é algo que está diferente e mais simplório. Agora, você ativa o modo especial ao pressionar o L1 (LB no Xbox One) e, a partir daí, qualquer Grind, Flip, Grab e Manual se torna uma manobra especial.

Em suma, as possibilidades em Tony Hawk 5 estão muito mais restritas, o que é lamentável. Mesmo sendo um jogo que faz referência aos clássicos, não faz sentido eliminar recursos dos próprios clássicos e também de seus sucessores, que, esses sim, conseguiram manter a base adorada pelos fãs e ainda adicionaram vários elementos interessantes.

Menus e mais menus

Trocar de personagem, por exemplo, exige que você saia do game e acesse a opção “Customize Skater”. Ali, você escolhe um dos 12 skatistas, que incluem nomes de peso, como Nyjah Houston, Ishod Wair, Riley Hawk, que é filho de Tony e a brasileira Letícia Bufoni.

A única maneira de adicionar seus pontos de Stats adquiridos durante o jogo é neste menu, já que o game simplesmente não permite que você evolua seu personagem durante a jogatina. E detalhe: os stats de todos os atletas são iguais, tirando aquela noção que tínhamos antes sobre qual skatista tinha mais desenvoltura no Manual, nos Grabs ou em Flips.

Provando mais uma vez a confusão no design de interface, temos a personalização dos atletas. Você não pode criar um personagem seu, que antes aparecia como “Custom Skater”. Em vez disso, você tem de personalizar um atleta já disponível e isso faz com que Tony Hawk, por exemplo, vire um robô ou um cara com um saco de papel na cabeça.

Outra promessa que despertou a atenção dos fãs de longa data é o retorno do modo Create-a-Park. O sistema de criação traz várias opções diferentes, principalmente se compararmos com a ausência de recursos que virou padrão no jogo. Você pode escolher planos de fundo, o tamanho de sua pista de skate e ir montando tudo peça por peça, colocando rampas, corrimões e até poderes que alteram a jogabilidade — os famosos Power-Ups.

Infelizmente o editor tem alguns probleminhas, principalmente pelo fato de não exibir uma grade, o que faz com que constantemente os objetos fiquem desalinhados e torna a construção muito mais demorada.

Mesmo assim, a possibilidade de criar, compartilhar e jogar em pistas de outros jogadores é um recurso que funciona, embora acabe se tornando defasado graças à experiência do jogo em si.

Sem multiplayer em tela dividida

A grande decepção, principalmente pelo fato de que o jogo prometia o retorno aos tempos clássicos, é a ausência do multiplayer em tela dividida. Mais uma vez, por se tratar de uma grande produção e de uma sequência real na franquia, esperávamos mais recursos do que vimos em Tony Hawk HD, mas o multiplayer também não entrou aqui.

A parte mais marcante da experiência clássica foi trocada pelo modo online, que é totalmente irrelevante durante a campanha, onde até 20 jogadores aparecem perambulando pelo mapa. Não existe qualquer tipo de interação real neste hub interativo e, caso você queira jogar uma missão no modo cooperativo com algum deles, a parte burocrática retorna, obrigando você a ir no perfil do jogador desejado, dentro da rede de seu console, e então adicioná-lo como amigo.

Modos

Os modos competitivos existem e o clássico Trick Attack, a famosa briga por pontos, é um dos mais populares. Em nossa experiência, as partidas constantemente se iniciavam sem a presença de outro jogador e, como comentamos antes, não é possível sair do meio de uma missão sem sair do jogo. Os modos Horse e Graffiti, que foram intensamente solicitados pelos fãs, mais uma vez foram ignorados.

As músicas se salvam!

Felizmente, a trilha sonora é o único grande acerto de Tony Hawk 5 que realmente honra o legado da franquia. O jogo traz mais de 30 músicas, todas de bandas que você provavelmente não conhecia e vai se apaixonar. Os gêneros variam desde Punk Rock, passando por Indie até Hip-Hop e tudo se encaixa perfeitamente com o ritmo frenético do game. Confira um exemplo abaixo:

Dicas

Desbloquear tudo (Tony Hawk’s Pro Skater)

Para destravar todas as pistas, skatistas e skates do game, pause o jogo. Depois, segure L1 e pressione Bola, Direita, Cima, Baixo, Bola, Direita, Cima, Quadrado e Triângulo.

Física da lua (Tony Hawk’s Pro Skater 2)

Nada melhor do que baixa gravidade para treinar suas combinações de manobras. Para ativar o modo física da lua, no segundo game, pause o jogo, segure L1 e pressione X, Quadrado, Esquerda, Cima, Baixo, Cima, Quadrado e Triângulo.

Equilíbrio perfeito (Tony Hawk’s Pro Skater 3)

Uma das formas mais eficientes de conseguir grandes pontuações é combinando manobras verticais com grinds e manuais. Para adicionar equilíbrio infinito ao personagem, pause o jogo, segure L1 e pressione Cima, Baixo, Cima, Cima, Triângulo, X, Triângulo e Triângulo.

Modo cabeção (Tony Hawk’s Pro Skater)

Nada mais cômico do que percorrer as pistas do game com personagens com cabeças enormes. Para ativar o cheat pause o game, segure L1 e pressione Quadrado, Bola, Cima, Esquerda e Esquerda.

Desbloquear todas as pistas (Tony Hawk’s Pro Skater 2)

A segunda versão do game possui algumas das pistas mais memoráveis da série. E todas elas podem ser jogadas rapidamente com o código correto. Para ativar o cheat, pause o game, segure o L1 e pressione Cima, Triângulo, Direita, Cima, Quadrado, Triângulo, Direita, Cima, Esquerda, Quadrado, Quadrado, Cima, Bola, Bola, Cima e Direita.

Câmera lenta (Tony Hawk’s Pro Skater 3)

Outra boa forma de experimentar combos de manobras é o modo de câmera lenta, que diminui a velocidade, mas não altera a altura do salto do skatista. Para ativar o cheat, pause o game, segure o L1 e pressione Esquerda, Esquerda, Cima, Esquerda, Esquerda, Cima e X.

Especial sempre no máximo (Tony Hawk’s Pro Skater)

Para que manobras comuns se você pode apelar para seus especiais o tempo todo? Pause o game, segure L1 e pressione X, Triângulo, Bola, Baixo, Cima e Direita para manter a barra sempre cheia.

Destravar todos os personagens especiais (Tony Hawk’s Pro Skater 2)

A fim de matar as saudades jogando com os clássicos personagens do game, como o herói Spider-Man? Basta pausar o jogo, segurar o L1 e pressionar Quadrado, Bola, Direita, Triângulo, Bola, Direita, Bola Triângulo, Direita, Quadrado, Direita, Cima, Cima, Esquerda, Cima e Quadrado.

Modo Turbo (Tony Hawk’s Pro Skater 3)

Turbine seus saltos e manobras com skatistas extremamente velozes. Para ativar o código, pause o game, segure L1 e pressione Esquerda, Cima, Quadrado e Triângulo.

Referências:

Blog br Playstation, Voxel, VaoJogar, wikipedia, techtudo.